Travessia Chile-Argentina com carro alugado: as dicas dos leitores

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Vulcão Osorno, Chile

Essa é uma pergunta que de vez em quando pipoca em posts de diversos destinos de Chile e Argentina. Agora, com a aproximação do inverno, o assunto vem ainda mais à baila. Até porque tem gente descobrindo passagens mais baratas para Puerto Montt do que para Bariloche.

Eu nunca atravessei a fronteira de carro em nenhum ponto. Já atravessei de cruzeiro (de Ushuaia a Punta Arenas e vice-versa), de ônibus (El Calafate-Puerto Natales-El Calafate; Santiago-Mendoza) e de barco (Bariloche-Puerto Varas).

Sempre que aluguei carro me mantive dentro do mesmo país: em El Calafate (um dia, só para ir do aeroporto à cidade e aproveitar para uma primeira passada no parque), em Bariloche (para dar um rolê por Villa La Angostura e San Martín de los Andes) e em Santiago (para ir a Valparaíso e Viña).

Muita gente enumera os perrengues extras de atravessar a fronteira com carro alugado: diárias, taxas e seguros mais caros; burocracia extra na fronteira (que também não é bolinho para quem passa a pé). Agora no inverno entra a questão da segurança na estrada (a travessia de Mendoza a Santiago pelos Andes costuma fechar depois de grandes nevascas).

Há quem diga, porém, que é tudo tranqüilo e que não faria de outro jeito.

Eu acho que o mais lógico é (1) alugar o carro de um lado da fronteira para os dias em que for passear; (2) entregar o carro; (3) atravessar de ônibus; (5) alugar um novo carro, para os dias em que for passear; (6) voltar para o Brasil do novo país mesmo, sem precisar voltar para o país de onde saiu.  (Sim, eu acho que essas viagens combinadas Chile x Argentina ou Argentina x Chile fazem mais sentido quando você entra por um país e sai pelo outro.)

Mas isso é a opinião de quem nunca atravessou de carro alugado.

E você que já atravessou de carro alugado, o que pode nos contar?

- Qualquer locadora topa ou deu trabalho achar uma que permitisse a travessia?

- Qual foi a locadora que você usou?

- Qual foi o ponto de fronteira e em que época do ano?

- Se foi no inverno: como estava a estrada?

- Como foi a passagem pela imigração?

- Alguém conseguiu devolver o carro no outro país?

Muchas gracias!

Leia mais:

181 comentários

Maria de Assunçao

Ola bóia, obrigado peladura sugestão, mas como leio muito antes de viajar e nunca viajo sem visitar vocês e alguns outros blogs, percebi que nao e tão difícil este trecho de carro. Na realidade eu nao detalhei meus planos que sao o seguinte: Sair de El Calafate bem cedinho no dia 26 e ir direto para o parque , assim ja economizo 140 km, pois entro antes de Puerto Natales, em Cerro Castillopara o paso de frontera ,Rio Dom Guilhermo em Cancha Carrera. De El calafate ate la sao aproximados 200km de estrada de ripio

Maria de Assunçao

Desculpe, enviei sem terminar. Continuando o assunto: fico no parque o dia todo, volto no dia 27, sendo que minha base será somente em Puerto Natales, nao vou pernoitar no parque. Tudo estava muito caro para este período. Terei o dia 28 e 29 para fazer outros passeios ou voltar ao parque, se tiver animo, pois sei que a distancia , como diz vocês aí, nao e bolinha nao. Enfim retorno a El Calafate no dia 30, ou talvez 29, caso nao consiga um carro, pois sei que o ônibus sai as 8 mas e uma viagem demorada e com fronteira chata. Assim nao terei perrengues no meu vôo para o Brasil. Enfim, de qualquer forma já estou de malas prontas e já li exaustivamente seus posts e agradeço pela inclusão no perguntodromo.

Maria de Assunçao

Esqueci de dizer, na realidade chego em El Calafate dia 23 fico lá 03 noites e depois que sigo para o roteiro do Chile, portanto penso que meu tempo disponível esta dentro da media pra conhecer TDP.

Maria de Assunçao

Esqueci de dizer, na realidade chego em El Calafate dia 23 fico lá 03 noites e depois que sigo para o roteiro do Chile, portanto penso que meu tempo disponível esta dentro da media pra conhecer TDP.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Maria! Sair cedo dirigindo, enfrentar a fronteira com carro alugado e ir direto para o parque, achando que vai dar conta? O tempo é seu, o dinheiro seu, o stress é seu. Só não peça para que a gente assine embaixo dessa estratégia.

Raoni Guedes
Raoni GuedesPermalinkResponder

Bóia e demais leitores, boa noite.
Pretendo fazer uma segunda viagem a região dos Lagos chilenos porém extendendo para o lado argentino (San Martin/Villa Angostura/Bariloche). Pretendo alugar um carro em Pucon Chile e depois retornar para devolver também em Pucon. Estive lendo que é ncecessário o "Permisso Internacional" para cruzar a fronteira e para isso pagar a Locadora. Porém estive vendo uma foto do Permisso e tem a mesma identificação que a minha PID (Permissão Internacional para Direção).
Vocês sabem se mesmo com a PÌD em mãos preciso solicitar e pagar pelo permisso para cruzar para a Argentina? Ele é solicitado no controle de fronteira argentino?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Raoni! Você precisará encontrar uma locadora que aceite fazer uma locação com transposição de fronteira. São raras as que permitem. Se você conseguir, a locadora informará tudo o que você precisa e providenciará o que deva ser providenciado localmente.

Recomendamos vivamente que você faça as travessias de ônibus e alugue carros diferentes dos dois lados da fronteira. Você poupará inúmeras dores de cabeça e sua viagem vai transcorrer mais tranqüilamente.

Siperdí !!
Siperdí !!PermalinkResponder

Atravessei pelo Paso Samoré em 01dez14 e voltei em 07dez14, de carro alugado, funciona assim:
Os Países do Mercosul exigem um seguro obrigatório para veículos circularem, o Chile não faz parte do Mercosul, então os seguros dos carros lá não seguem os acordos do Mercosul, desta forma, ao sair do Chile e entrar na Argentina, é obrigatório contratar um seguro c cobertura p sinistros no Mercosul (no caso Argentina), no Chile este seguro é feito pela Mapfre, chama-se Permiso Internacional, equivale ao seguro extensivo do Mercosul. No caso de carros alugados no Chile as locadoras é que vão providenciar pois é o proprietário do carro q deve providenciar, custa 170 Dólares para 15 dias. Já o Chile não exige este seguro para entrar. Se vc alugar o carro no lado chileno, e for p Argentina, tem que ter o Permiso, Já se vc alugar na Argentina e for para o Chile, não necessita de seguro adicional além daquele contratado com a locadora ou pelo Cartão de Crédito, mas tem que informar a locadora, há um formulário de entrada temporária de veículos no Chile que deve ser preenchido pela locadora.
Se vc for de carro próprio, desde o Brasil vc tem que conferir se o seu seguro atende ao Mercosul para entrar na Argentina.
Para quem aluga, não é burocracia, pois a locadora vai providenciar. Ao entrar no Rentalcars, a maioria das locadoras informa sobre o Permiso, eles falam sobre ser autorizado ou não, mas a verdade é que não existe "ser autorizado", a menos que o carro ou o condutor tenham restrições internacionais (B.O. rsrsrsrs).
Para atravessar, basta ter a documentação do carro, a sua CNH e passaporte ou identidade (melhor o passaporte) e o seguro contratado.
Na última cidade antes da fronteira do lado Chileno - Entrelagos- tem um monte de "despachantes" na beira de estrada que providenciam o seguro do Permiso na maioria para os Caminhoneiros, é um procedimento comum por lá.
Atravessar a fronteira de carro é muito, muito mais tranquilo do que de ônibus. Vc chega em um primeira guarita, dentro carro, recebe uma papeleta anotada o nº da placa e o nº de pessoas, segue mais um pouco, estaciona em qualquer lugar perto da aduana, entra na aduana, preenche um pequeno formulário -igual do avião- vai ao 1º Passo, Policia internacional, carimba o passaporte, vai para o 2º Passo, Aduana, libera o formulário e a papeleta, vai para o carro, na saída tem outra cancela, entrega a primeira papeleta que vc recebeu e Tchau!! Haste la vista! Leva ao todo 10 minutos se vc chegar na Aduana e estiver vazia, igual a de um aeroporto sem as grandes filas, assim foi na minha ida a Argentina numa terça feira, só havia uns gatos pingados (o processo se repete na 2ª Aduana - lado Argentino- rápido e tranquilo).
Uma demora maior será se houver fila, por exemplo, vc chegou um pouquinho depois de 3 ônibus de linha ou turismo, desceram 40 pessoas de cada um e vc está no final da fila, aí pode levar até 1 hora, depende das encrencas que estão a sua frente e travam a agilidade do processo. Assim se vc for de ônibus, mesmo que seja o 1º a descer e fazer o trâmite, terá que esperar por todos, incluindo aqueles que foram ao banheiro.... e quem vai de carro, na verdade não está com pressa, pois vai parar em toda paisagem maravilhosa.
Já, quando voltei da Argentina, era um Domingo, feriado prolongado no Chile, muitos carros e ônibus, levou 30 minutos no lado Argentino e 2hs no lado Chileno. Quanto a vistoria do carro, só existe no lado Chileno ao entrar, por isto as 2 horas, eles procuram alimentos e drogas, mas são muito simpáticos e com bom humor.
As Paisagens, a divisa dos dois países, muito legal, vale a pena parar e fotografar.
Fiz a locação pela Localiza, 3 meses antes, eles pedem pelo menos 3 dias para providenciar o Permiso,
...mas não recomendo a Localiza, pois "esqueceram de providenciar o Permiso" e fiquei 4 horas no aeroporto de PMontt esperando, que decepção não Localiza? Vergonhoso! Além disto o carro estava com as rodas desbalanceadas e trepidava com uma batedeira após 80 kmh, triste, muito triste!! decepcionante!!

Neftalí
NeftalíPermalinkResponder

Excelente e completo relato! Mas só pra comentar, o seguro de responsabilidade civil, que a Argentina exige é barato, custa uns 20 dólares (validade 5 dias) para os carros chilenos, e existem várias alternativas de seguradoras. Esses 170 dólares devem ser a tarifa que as locadoras cobram para autorizar cruzar a fronteira e os gastos de cartório.
No Paso Los Libertadores (Stgo-Mendoza), as aduanas são integradas. Ou seja, entrando na Argentina você faz todos os procedimentos na aduana argentina, incluída a saída do Chile. E entrando no Chile tudo é feito na aduana chilena, onde também há funcionários argentinos. As duas aduanas estão a 26 kms de distância.

Siperdí !!
Siperdí !!PermalinkResponder

Legal Neftali, fiquei desconfiado do valor das locadoras (todas cobram 170$) depois que vi placas em Entrelagos com valores bem menores, e vc tem razão, pois tive que ficar esperando no aeroporto justamente o documento ser "cartoriado", e a locadora também deve ganhar a sua parte, né?

Mayara
MayaraPermalinkResponder

Olá,

Ufa você é o primeiro relato de pessoa que aluga carro fora do Brasil e consegue atravessar a fronteira, até então só via pessoas com carro próprio.

Então as muitas perguntas rskkk quando você fez o aluguel do carro, tirando esta parte de seguro, ele fizeram algum empecilho para cruzar fronteiras? Sabe se é tranqüilo ir para Bolívia e Peru? Li sobre a necessidade de permissões caso o carro não seja próprio, sabe de algo nesse sentido? Você poderia me dizer qual o valor da diária?

Siperdí !!
Siperdí !!PermalinkResponder

Mayara, cruzar fronteiras é uma necessidade de mercado, faz-se isso o tempo todo, Argentinos vão para o Chile passear e Chilenos vão a Argentina comprar (é mais barato lá).
Algumas locadoras dão alguma desculpa para justificar que não querem seus veículos em outro país, pois quando ocorre um sinistro eles ficam mais tempo sem poder locar o carro, mas as grandes locadoras fazem a locação com o Permiso sem empecilhos.
Bolívia e Peru vc encontra no site viajandodecarro.com.br, tem muitas respostas para vc lá.
Diária é muito variável de locadora p locadora, do local alugado e data, se há feriado, tem que pesquisar.

Joyce
JoycePermalinkResponder

Olá Amigo!
Pretendo fazer o mesmo em maio. Em qua locadora você fez o aluguel?

Siperdí !!
Siperdí !!PermalinkResponder

PS: Paso Samoré liga Osorno à Vila La Angostura. Trajetp para quem saí de P Varas ou P Montt e vai para Bariloche, V La Angostura.
Tempo de trajeto até as aduanas, depende do caminho e das paradas, se for direto, levaria cerca de 3h desde P Montt, e depois cerca de 30 minutos de cordilheira, estrada ótima e tranquila, e depois mais 20 minutos até V La Angostura.
Há trabalhos de recapeamento e duplicação de estradas do lado chileno, pode ou não atrasar um pouco.

Siperdí !!
Siperdí !!PermalinkResponder

Resumindo:
Alugue um carro no Chile com Permiso para cruzar para Argentina, ou alugue um carro na Argentina e apenas informe a travessia para o Chile.
Nas Aduanas, o tramite é igual tanto para quem desce de um ônibus quanto para quem desce de um carro, bastando levar além dos documentos pessoais, os documentos do carro.
O tempo gasto nos guichês (Polícia e Aduana) é igual em ambos os casos, muito rápido, como nos aeroportos, vc não fica 1 minuto em frente ao agente.
De ônibus, multiplique o tempo por 40 pessoas e vezes 2 aduanas (chilena e argentina).
De carro só demora se tiver chegado um ônibus na sua frente, ainda assim vc volta para o carro e sai antes que todos os passageiros estejam acomodados no ônibus.
Só há vistoria de bagagens na aduana chilena de "entrada no Chile", mas não para "sair do Chile".
As aduanas Argentinas são muito tranquilas e rápidas.
Mesmo quem está de ônibus tem suas malas revistadas, e tem que esperar a vistoria de todos os outros 40 passageiros.
De carro, é para curtir o trajeto, mesmo parando para fotos, pode ser mais rápido que de ônibus.
De ônibus é mais barato.

André
AndréPermalinkResponder

Olá Siperdí, li seu comentário e me interessou, farei uma viagem em Julho e pretendo cruzar a fronteira da Argentina para o Chile, gostaria de tirar umas dúvidas, pode me passar seu e-mail para conversamos?
Obrigado.

Siperdí !!
Siperdí !!PermalinkResponder

Olá André, fique a vontade, 3mdv.cd@gmail.com, mas suas dúvidas podem ser de outros também, melhor seria posta-las aqui.

André
AndréPermalinkResponder

Tá certo Siperdí, vou mandar aqui então minhas dúvidas:

Meu plano é pegar avião até Buenos Aires, passar uns dias lá, então alugar um carro e ir até Santiago, passando uns dias em Mendoza. Estou olhando com as locadoras em BUE mas o atendimento por e-mail pelo menos é muito ruim, só a Hertz respondeu e o preço que me passaram é totalmente diferente do orçamento no site, saiu quase 5 mil, achei muito caro.

Para tentar forcar uma resposta fiz reserva na Europcar, Budget e Sixt, esperando que alguém me responda, tem alguma locadora para indicar?

Li sobre o seguro para carros estrangeiros no Chile, e já vi relatos de ser obrigatório e de não ser também, para carro alugado na Argentina, preciso fazer o seguro no Chile? Alugando o carro imagino que ele já venha com o seguro para a Argentina mesmo, com isso não devo me incomodar.

Agora era isso, obrigado pela atenção e parabéns pelos posts, já deu uma boa ideia do que devo enfrentar.

Siperdí !!
Siperdí !!PermalinkResponder

André, fiz cotações direto nas locadoras e também pelos motores de busca Rentalcars e Economyrentacars (neste último vc tem os preços incluindo seguros totais e pode incluir um seguro adicional barato que cobre a franquia e tudo mais, vidros, etc...).
Qd cotei, na região de Bariloche, alugando pelo Argentino ficava mais caro que alugando pelo Chileno, e a passagem aérea p Argentina tb era mais cara q p Chile, então preferi fazer o inverso e mesmo pagando o seguro de travessia, o total -passagem aérea p Chile e aluguel no Chile- ficou bem mais em conta.
Parece q sua viagem é one way, começa em BA e termina em SCL.
Vale a pena vc cotar invertendo o trajeto, cote passagens para Santiago, atravessaria de ônibus p Mendoza ( o Paso Libertadores não me parece atrativo para paradas de carro e vc pode contemplar os caracoles do busão), em Mendoza alugue o carro e poderá passear no trecho da Cordilheira do Aconcagua, sem precisar se preocupar com travessia.
Depois vc volta dirigindo até BA e pega o avião de retorno.

Siperdí !!
Siperdí !!PermalinkResponder

Para entrar no Chile não precisa de seguro adicional ao que vem no pacote do aluguel do carro, serve até o seguro do Cartão.

André
AndréPermalinkResponder

Esse Economyrentacars eu não conheçia, vou dar uma olhada.
Desculpe não deixei claro, farei bate-volta, vou de BUE para SAN e volto, também pensei em ir daqui para Santiago, mas a passagem é bem mais cara que para Buenos Aires, pelo menos saindo de Florianópolis.
Continuo buscando cotações, já consegui mais 2 melhores, o problema é saber se são confiáveis, hehehe.
Obrigado pela atenção Siperdí, abraço.

André
AndréPermalinkResponder

Corrigindo, a passagem para Santiago é bem mais cara que para Buenos Aires

Mayara
MayaraPermalinkResponder

Oie André,

Vejo que estamos no mesmo caminho, mas eu apenas comecei minhas pesquisas, a minha idéia é ir um pouco mais além para Bolívia e Peru, pode me contar o que encontrou sobre aluguel de carro e travessia na America do Sul? Viu sobre a questão de autorização quando o carro não é próprio?

André
AndréPermalinkResponder

Oi Mayara, desculpe a demora, não estava mais acompanhando o blog...

Eu fiz vários orçamentos, mas como só vou para o Chile, não sei quanto a cruzar a fronteira com a Bolívia e o Peru.

De qualquer maneira, segue os sites que eu procurei e responderam com a permissão para o Chile:

www.new-wayrentacar.com
www.rentcarbuenosaires.com.ar
www.travelrentacar.com.ar
www.pointrentacar.com.ar
www.europcar.com

Keith Alves
Keith AlvesPermalinkResponder

Boa noite!! Gostaria de comentar sobre a travessia Santiago- Mendoza com carro alugado. Antes de alugar o carro é preciso saber se a locadora aluga para viagem internacional, caso alugue é preciso ter uma autorização do veículo e seguro para sair do país , que demora em média 2 dias para conseguir, como não sabíamos disso perdemos 1 dia de hospedagem em Mendoza, após autorizado a viagem é incrível porém com alguns transtornos , espera na Aduana, serviço lento e com muita fila. Em fim a rodovia é muito linda porém perigosa..

Thiago Brito
Thiago BritoPermalinkResponder

keith, vou fazer a passagem Santiago-Mendoza na próxima semana e fiquei com dúvidas quanto ao valor da locação do veículo com a documentação para cruzar a fronteira. Vc saberia dizer o valor? Muito obrigado! Abrs

Militão
MilitãoPermalinkResponder

Keith, por favor, você poderia me tirar umas dúvidas?

1- Qual locadora vc utilizou?
2- Quanto vc pagou no total? Quantas diárias foram?
3- Você organizou tudo previamente daqui do Brasil mesmo ou lá?
4- Vale a pena alugar um carro ou é melhor ir de ônibus mesmo e depois fazer um passeio para conhecer a cordilheira?

Muito obrigado! smile

Renata
RenataPermalinkResponder

Militão, veja meu post abaixo.. acabei de fazer esse trajeto no carnaval... usamos a Econorent, que aprontou toda a documentação para nós. A única exigência foi essa que a Keith falou.. tem que ficar pelo menos 24h com o carro em Santiago antes de passar pela fronteira.
Na ida pegamos uma espera de 2h30, porém na volta foi bem tranquilo... menos de 30min.

Aline Albuquerque

Oi Thiago Brito,

Depois nos conte como foi a travessia Santiago / Mendoza / Santiago.

Pretendo fazer essa viagem em março e quero aproveitar da melhor forma Santiago e arredores (incluindo litoral). Aceito dicas.

Dorian Mendes
Dorian MendesPermalinkResponder

Viajo para o Santiago dia 27/01 onde alugamos um carro e vamos descer até Pucón e de lá vamos até Bariloche. Já solicitamos para a locadora o Permisso para cruzar a fronteria, ficou em U$ 300,00 e vale por 25 dias, achei bem salgado. Quando voltar posto aqui como foi, mas pelo que pesquisei vale a pena o sacrifício.

Gilson
GilsonPermalinkResponder

Estava fazendo hoje uma cotação para alugar um carro em El Calafate (Argentina) na Localiza e me foi dito pela atendente que a travessia para o Chile está suspensa até 19 de Fevereiro, por solicitação do governo Chileno. Alguém sabe se procede e teria alguma informação adicional sobre?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Gilson! Tente outras locadoras para ver se vem a mesma resposta.

Barbara
BarbaraPermalinkResponder

Gostaria de atravessar o Chile todo ate a Argentina e preciso de ajuda. Ainda não sei como farei (ônibus, carro.. ) mas quero fazer a cordilheira de carro e preciso de informações como :

A partir de qual cidade saio no Chile para a Argentina?
Contatos de locadoras de veículos ?
Qual cidade chego na Argentina que consigo voo para o Brasil ?
Media de quantos dias a travessia ?

Obrigada,

marcia
marciaPermalinkResponder

Ricardo Freire, que surpresa você dizer que nunca cruza fronteiras de carro alugado! Segui sua dica preciosa de planejar viagens levando em consideração a região e não as fronteiras políticas, aluguei um carro em El Calafate e cruzei para Torres del Paine. A locadora faz toda a documentação e recolhe a taxa, inclusa na locação. Cruzar de carro foi rápido mesmo na alta temporada (janeiro). Perdemos uns 30 minutos nos dois postos. Claro que houve toda preocupação com gasolina, já que a região é um deserto e não tem postos em abundância, mas saí de tanque cheio de El Calafate, fui por Esperanza (embora o caminho seja mais longo, é todo asfaltado, o que mantém a velocidade em 120 km/h, ao contrário do caminho curto de cascalhos, onde é difícil ultrapassar 50 km/h com carro comum), coloquei o 1/4 que havia gastado e rodei dois dias ainda em Torres del Paine sem precisar reabastecer, fazendo isso só em El Calafate. Ah, e nem precisei ir a Puerto Natales, como muita gente sugere. Dou mais dicas lá no meu blog: http://mulhercasadaviaja.com/ Abraços!

patricia Gontijo

Estou voltando ao Chile e desta vez farei Santiago-Mendoza-Santiago de carro, não sabia das complicações das fronteiras. Na primeira vez alugamos carro em cada cidade e não tivemos problema algum.
Oi Thiago Brito,como foi sua viagem? Irei dia 5 de março a 6 de abril.

Renata
RenataPermalinkResponder

Patrícia, acabamos de fazer esse trajeto no carnaval... foi tranquilo! Fizemos a locação na Econorent (metade do preço das outras), que preparou toda a documentação para nós. A única exigência, além do envio dos documentos, foi que nós teríamos que ficar pelo menos 01 dia no Chile com o carro, antes de passar na fronteira da Argentina.
Na fronteira da Argentina, na ida pegamos uma fila de 2h30.. porém na volta, não demoramos mais do que 30min.
A paisagem é sensacional... por isso vale a pena atravessar as Cordilheiras de carro...
Recomendo fazer a primeira parada em Portillo (Hotel Portillo Laguna Del Inca) - que fica umas 2h de Santiago... a vista é maravilhosa e ainda tem um restaurante muito bom (que fica aberto até às 14h).... almoçamos lá na ida e na volta.
Se precisar de mais alguma dica, avisa!

Neftalí
NeftalíPermalinkResponder

Oi Renata. Você deu muita sorte na sua volta, conheço gente que demorou 10 horas na fronteira no último fim de semana.

Motta
MottaPermalinkResponder

Olá, Neftalí, tudo bem?
Vou para o Chile no final de abril. Aluguei um carro para fazer a travessia - Santiago/Mendoza - e li um comentário seu sobre a possibilidade de conseguir o Permiso por 20 doláres no caminho (Paso Los Libertadores). As locadoras falam sobre cartório, documentos 72 horas antes da retirada do veículo e a taxa que todos aqui já comentaram - 170 dólares. O que quero saber é o seguinte: se eu simplesmente alugar o carro e levar meus documentos e os do veículo no dia da travessia, consigo o Permiso por 20 dólares em Paso Los Libertadores? O que preciso fazer para não ficar no caminho? Obrigado

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Motta! A sua locadora precisa estar ciente que você vai atravessar com o carro dela para outro país.

Neftalí
NeftalíPermalinkResponder

Oi Motta! Escute a Bóia! A locadora é a dona do carro, e são eles que tem que te dar a autorização para sair do Chile, senão você vai ser barrado na fronteira. O que custa 20 dólares é o seguro, e não o Permiso.

Silvio Carlos Cury

Estamos em Buenos Aires (15/03/2015) retornando de um belo passeio de carro pela Argentina / Chile. Nosso trajeto foi: Puerto Iguazu - Salta (avião), onde alugamos um carro - Cache - San Antonio de los Cobres - San Pedro de Atacama (cruzamos pelo Paso Sico) - Tilcara (retornamos por Paso de Jama) - Salta, devolução do carro. Total de km: 2100. Fizemos a locação através da Auto Europe (Easy Terra) com a Localiza. Comuniquei, diretamente à Localiza, informando o número da reserva, o meu desejo de atravessar para o Chile. Solicitaram os documentos necessários (carteira internacional de habilitação e passaporte). Enviei via e-mail. Chegando em Salta estava tudo organizado, sem problemas. Nas aduanas apresentei a documentação (contrato, autorização do passe transfronteiriço, habilitação e documento do carro). Não tivemos nenhum inconveniente. Paguei pelo passe, À Localiza, o equivalente à U$191,00 ($1.600 - pesos argentinos).

Rafael
RafaelPermalinkResponder

Pessoal e bóia,
Como vão? Sou assíduo leitor do site, sem o qual não faço uma viagem. Normalmente, consigo resolver minhas dúvidas apenas com os textos e relatos. Desta vez, contudo, não houve jeito, razão pela qual peço socorro.
Em julho, vou para Mendoza e, depois de beber e esquiar, volto por Santiago. Contudo, gostaria de fazer os passeios de Alta Montanha no caminho. Ocorre que não consegui achar meios.
Nenhuma locadora aluga carro em Mendoza para devolver em Santiago. Eles permitem cruzar a fronteira, mas não a devolução em outro país.
Já os remises de Mendoza não atravessam a fronteira, dizem que Me deixam na aduana chilena se eu quiser.
Alguém tem alguma ideia para Me salvar?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rafael! Ao chegar em Mendoza, vá a uma agência de receptivo e orce o passeio privativo à Alta Montanha com traslado a Santiago. Deve sair uma fortuna e meia; o motorista teria uma diária de umas 16 horas para fazer Mendoza-Santiago-Mendoza no mesmo dia e ainda incluir o passeio no traslado.

Rubia de Sá Pittondo

Muito bons os comentários , mas por via das dúvidas parece que o melhor mesmo é ir de busão.

Claudia
ClaudiaPermalinkResponder

Oi Ricardo! Cruzamos 2 vezes de carro alugado (em Villa La Angostura e entre Calafate - Puerto Natales) e nunca tivemos grandes problemas, a não ser uma nevasca. As estradas estavam ok e a imigração tranquila. No Chile a vigilância sanitária não permite frutas. Nas 2 vezes alugamos carros com particulares indicados por locais que providenciaram a documentação pra gente. Diferente do que li nos comentários acima, para ir da Argentina ao Chile nos pediram um permiso especial sim (bem carinho). Agora vamos cruzar a fronteira argentina/chilena para ir ao Atacama e cheguei aqui pesquisando se é mesmo necessário um tal seguro soapex para ir ao Chile (sobre o qual ouvi falar)...será que alguém sabe me dizer?

Victor
VictorPermalinkResponder

Ótimo resumo.

Angelita Ramos

Estávamos na Argentina, indo em direção ao Chile para atravessar pelo Paso Jama, local da aduana, e retornar pelo Paso San Francisco, depois de passar por Copiapó. O problema é que não avisamos à Localiza antes de pegar o carro. Quando chegamos à Argentina-Córdoba, fomos direto ao escritório da Localiza, no aeroporto, e atendente nos disse que a autorização demoraria pelo menos 1 semana, e que deveríamos entrar em contato diretamente com o escritório de Buenos Aires. E começou a confusão, porque esse 2º escritório (por telefone), disse que Córdoba poderia resolver tudo, mediante pagamento de uma taxa padrão. No dia de pegarmos o carro 26/12/2016,topamos com outro atendente, o Valter, que muito dramaticamente, nos dizia que es mui complexo, praticamente impossibile..que era uma questão cartorial só resolvida em Buenos Aires em talvez 1 semana, e que deveríamos ir à capital para isso, eu disse que então iniciássemos logo ,mas que a Localiza resolvesse tudo através do escritório de Buenos Aires, e ficamos esperando todas as ligações dele, para seus superiores. No final, quase 2 horas depois, fomos instruídos a voltar par o centro de Córdoba, e que o documento estaria pronto lá. Dito e feito, pagamos uma taxa para dar a autorização, e recebemos o tal documento assumindo ciência de não haver seguro quando estivéssemos no Chile, e um documetno que deveria receber os carimbos da aduana para entrar no Chile e depois para voltar à Argentina. Tudo tranquilézimo nas aduanas. Conclusão, é mais fácil dizer que é difícil e tentar estragar a vigem dos outros, (como também acontece muito no Brasil), mas o documento não leva de jeito nenhum 1 semana para ficar pronto, fica pronto no mesmo dia, mas é melhor iniciar tudo assim que for alugar o carro. Essa nossa experiência foi com a Localiza, em locadoras menores, pode ser que seja muito mais difícil, mas nunca se sabe.

PAULO
PAULOPermalinkResponder

Siperdí, Acho que com você meachei, rsrsrsrs, eu fiz uma travessia de Osorno a Bariloche e preferi atravessar de bus pra não pagar os 170 dólares de permisso, pois ia ficar pouco tempo, mas seu post foi valiosíssimo para quem pensar em cruzar a fronteira em especial do Chile para a Argentina com carro alugado. ou em Novembro de Santiago a Mendoza e vou ver se desta vez compensa pagar o permisso e fazer a viagem pelos Andes de carro. Um abraço e parabéns pelo belo post.

Pedro Mello
Pedro MelloPermalinkResponder

Ótimos comentários e relatos sobre as viagens e travessias pessoal! Mas não vi nenhum com a minha situação, então ai vai:
Estarei em Santiago em agosto e retorno por montevideo em Setembro. Quero fazer a estrada de santiago - Mendoza de carro, mas não estou encontrando locadoras que autorizem a entrada e devolução do carro do outro lado da fronteira!
Alguem já fez esse trecho e poderia me indicar alguma empresa?? Muito obrigado!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Pedro! Nenhuma locadora oferece esse esquema.

Pedro Mello
Pedro MelloPermalinkResponder

Obrigado! Na realidade a Hertz tinha essa opção, devolvendo o carro em Mendoza para seguir viagem rumo a Buenos Aires com outro carro, até por isso e com essa situação confirmada comprei minha passagem por Santiago.
No final da semana passada fui fazer a reserva pela Hertz com o contato que me confirmou antes e me falaram que o serviço foi extraordinariamente cancelado até outubro pelas condições climáticas. E agora não consigo outra empresa que aceite essa condição.
De qualquer forma acho que vale a dica que a Hertz aceita, salvo algum cancelamento excepcional, como me foi colocado.
Obrigado e parabéns pelo blog.

Graça Matsubara

Fiz a viagem de carro alugado de Santiago para Mendoza. Foi maravilhoso, as paisagens emocionantes. Recomendo! Foi muito rapido nas aduanas, tanto na ida como na volta, gastamos uns 10 minutos na ida e um pouco mais na volta (uns 20 min). Quanto a locadora, aluguem na O Clock Rent a Car, paguei 200 dolares de permisso.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Graça! Você devolveu o carro na Argentina ou voltou com ele para Santiago?

Valeska
ValeskaPermalinkResponder

Oi pessoal,

Estou organizando a viagem que vamos fazer ao Chile em agosto próximo. Chegaremos em Santiago e vamos de carro alugado até Bariloche, depois voltamos. Adoramos viajar de carro pois dá muita liberdade e com criança facilita, já fiz dois giros grandes pela europa de carro e foi muito legal. Ao ver o valor alto do permisso levantamos a possibilidade de ir de ônibus. Como somos 3, eu, marido e a filha de 3 anos, o valor ida e volta de Santiago a Pucón (nossa primeira parada) já dá quase o valor do permisso. E ainda teria o ônibus de Pucón até Bariloche. O carro nos dará a possibilidade de passar por Osorno, Puerto Varas e Puerto Montt no Chile e fazer paradas em San Martin de los Andes e Vila la Angostura, ainda nos dando a possibilidade de ir por um caminho e voltar pelo outro. Claro que temos que levar em consideração o combustível, pedágios e estacionamento, mas ainda assim acredito que vale a pena, pois fazer tudo isso de ônibus também teria um custo elevado. Depois conto como foi a experiência.

Fluvia Amorim
Fluvia AmorimPermalinkResponder

Estou no Chile com carro alugado, alugamos um carro em Valdivia ( cidade linda compensa conhecer, com leões marinhos e focas às margens do rio Cruces que desemboca no mar). Vamos para Bariloche no carro alugado. Pagamos por uma RAV da Toyota por 10 dias com o permito internacional para atravessar o total de 830.000 pesos chilenos sendo que 119.000 pesos chilenos o permissão internacional e 142.800 a taxa para entregar o carro no aeroporto de Bariloche. Amanhã faremos o trajeto Puerto varas - Bariloche , assim que chegar postarei como foi a travessia , tempo gasto e outros comentários .

Pedroms
PedromsPermalinkResponder

Segue meu relato e minhas dicas: Fiz a travessia do Chile para Argentina até Mendoza em novembro de 2016. Aluguei o carro em Santiago pela Avis que me cobrou 166000 pesos chilenos pelo Permiso. A Avis chilena solicita 7 dias úteis para fazer o "permiso", então tem que solicitar com antecedência. Eles solicitaram envio de passaporte e CNH mais os dados do cartão de crédito para fazer a cobrança. Gostaria de fazer um alerta para quem está viajando em grupo: o permiso sai em nome de somente 1 pessoa (a pessoa que enviar o passaporte e cnh para emissão do permiso). Você pode até colocar um motorista adicional na reserva do automóvel para dirigir em território chileno. Na fronteira e também em território argentino, só pode dirigir apenas a pessoa que está no "permiso". Outra dica legal que recebi de um agente da PDI super gente boa do aeroporto de Santiago e que pode ser aplicado na aduana durante a travessia da Argentina para o Chile: no formulário para declaração de porte de produtos agrícolas, se você tiver dúvida do que pode ou não pode (exemplo: vinho, doce de leite, azeite, queijo etc), marque SIM. Se você marca SIM mas não tiver nenhum produto que se enquadra, não acontece nada. Em caso contrário, se marcar NÃO e o agente encontrar algum produto com você (uma maçã perdida no carro), você paga uma multa cara. Como estávamos trazendo muitos vinhos, azeites e 1 garrafa de suco de laranja, marcamos SIM, o agente perguntou o que era, respondemos, e pronto. Revistaram 2 malas por amostragem e o assoalho do porta-malas, tudo certo. Na nossa experiência, passamos muito tempo nas filas das aduanas, tanto na ida (2 horas) quanto na volta (1h30) pois havia muitos carros na fila. No fim das contas foi um passeio muito legal. A paisagem na travessia dos Andes é deslumbrante. Gostei de fazer a travessia de carro. Fomos no nosso ritmo, parando quando queríamos, dedicando tempo que achamos adequado em cada parada. Recomendo!

Marcio
MarcioPermalinkResponder

Fiz a travessia com minha esposa de Santiago para Mendoza e retornamos para Santiago. Alugamos carro na O'Clock que nos cobrou US$ 200.00 para providenciar o permisso. Tivemos algumas filas nas aduanas e atrasou um pouco a viagem, mas valeu cada centavo e minuto. Uma dica: a locadora nos entregou um documento que serviu para entrar e sair dos países. É esse documento que você deve apresentar nas aduanas. Quando passamos pela aduana Argentina na ida para Mendoza o fiscal nos entregou um formulário que só complicou nossa situação. Esse formulário pode ser eliminado, pois o da locadora substitui. No retorno para Santiago tivemos uma pequena confusão, pois tínhamos carimbos das aduanas nos dois documentos. Fizemos a travessia no final de outubro de 2016 e a paisagem estava deslumbrante, com bastante neve por derreter nas montanhas.

Ricardo
RicardoPermalinkResponder

Fiz a travessia Santiago-Mendoza-Santiago em 2008. Naquele tempo, não havia sites tipo rentalcars, então negociamos um carro no aeroporto de Santiago quando chegamos. A locadora tinha que providenciar uma autorização especial, para atravessarmos a fronteira e para isso precisavam registrar ou reconhecer firma num cartório. Como era um sábado e só íamos atravessar a fronteira na terça, saímos com o carro e pegamos a autorização na segunda. Fomos de Santiago para Mendoza e voltamos 1 semana depois de boa. Não tivermos qualquer problema na fronteira, nem nada parecido. Apenas é necessário que o motorista seja bom para enfrentar os caracoles, as inúmeras curvas da estrada, disputando espaço com carretas que fazem o comércio entre os dois países. O visual e a a imponência dos Andes valem a pena e será uma viagem inesquecível. Fomos no final de setembro e voltamos início de outubro, então não havia neve no asfalto.

Ricardo Souza
Ricardo SouzaPermalinkResponder

Pessoal,

Fiz a travessia do Chile para a Argentina ( ida e volta ) agora em Janeiro de 2017.

As explicações do colega Siperdi ! acima são excelentes e abrangem praticamente tudo que é necessário saber.

Entretanto, queria acrescentar somente alguns pontos.

Fiz antecipadamente a reserva pela Internet com a ECONORENT , empresa Chilena. O atendimento foi excelente. Na ocasião da reserva ( 3 semanas de antecedência ) avisei que ia atravessar a fronteira e eles prepararam o " Permisso ". Pelo "permisso" paguei em torno de USD 180,00. Quando cheguei para pegar o carro , tudo estava pronto e , surpreendentemente para mim, tudo CERTO...O carro era um SUV 4X4 como eu havia reservado e com somente 3.000 KM. O carro estava em excelente estado.Esta locadora foi a unica que atendia aos meus contatos por email / site com rapidez e precisão. As outras ( de "renome" Internacional ) cometiam vários erros ( nome, datas , tipo de carro ). Atenção na hora de escolher a locadora.
O tempo de passagem pela as " Aduanas " depende de sorte . Eu sai do Chile em uma segunda feira para a Argentina. Neste dia as Aduanas estavam cheias de Argentinos saindo do Chile e voltando para casa. Na ocasião fiquei sabendo que os argentinos vão ao Chile para comprar eletrônicos e roupas devido ao preço muito mais barato. Devido a esta situação , os inspetores gastam bastante tempo verificando os carros que entram na Argentina. Eu levei em torno de 3 Hrs entre as 2 aduanas. Pelo menos 2:30 no lado argentino. E olha que eu não tive meu carro checado em detalhes por ser um Brasileiro com carro Chileno.

Umas dicas.
1- No retorno da Argentina para o Chile, caso não tenha certeza se alguma comida como amendoins ou vinhos estão liberados, indique no formulário que esta levando produtos agrícolas. O fiscal irá avaliar e liberar conforme o caso. Voce declarando evita uma eventual multa.
2- Entre Puerto Varas e Bariloche existem pouquíssimos postos de gasolina . São em torno de 300 Km com talvez somente 2 postos. E poucos lugares para comer / lanchar.
3- A distancia entre as 2 aduanas na cordilheira dos Andes é grande . Aproximadamente 30 KM. Trecho muito bonito mas sem postos de gasolina e locais de apoio.
4- Não precisei do PID ( carteira internacional ). Usei a minha CNH brasileira.
5- A aduana argentina estava muito cheia e a confusão era grande, muito grande. Atenção para escolher a fila certa. São 2 etapas . Uma imigração e outra alfandega. Uma fila para entrar na Argentina e outra para sair .A indicação nao é clara.

Mas em resumo: vale a pena a experiencia , mas atenção com o tal " permisso " . A locadora tem que ser competente.

Getulio Evangelista

Aluguei na Localiza de 02/03/2017 a 07/03/2017, retirando e devolvendo em El Calafate. Reservei com antecedências de 15dd noticiando que iria para o Chile (Torres del Paine). Me pediram para enviar por email cópia do passaporte e carteira de habilitação. Quando cheguei na agencia em El Calafate já estava a documentação toda preparada e não deu problema nenhum. Ainda fui agraciado com um upgrade no carro pois não tinham da categoria que reservei. Quanto a travessia da fronteira foi super tranquila sem nenhum problema e bem rápida.

Renildo Bizarria

Alugamos o carro na Chilean rent a car em Santiago, fiz a reserva com antecedência de 60 dias, perguntei o que seria necessário para fazer a travessia de Puerto Varas e Bariloche. Eles cobraram a tx de permisso e uma semana antes pediram copia dos meus documentos. Qdo chegamos para retirar o carro estava toda documentação pronta. O atendente explicou como fazer na fronteira e quando fóssemos parados pela polícia. Atendimento nota 10.
Seguimos de santiago 1000km até Puerto Varas depois cruzamos a fronteira para Bariloche passando pela Vila da Angustura. Retornamos pela fronteira que dá acesso a Pucon. Tudo sem problemas. Ao todos rodamos 3000 km no Chile e Argentina e só fomos parados uma vez no Chile, também só pediram os documentos e nos liberaram.
Também tivemos um pouco de medo e dúvidas, mais depois dessa experiência já estamos planejando a próxima para terra do fogo.

André Tezza
André TezzaPermalinkResponder

Eu e minha família estivemos em Punta Arenas e, depois, na região dos Lagos no início deste ano. Estávamos em seis pessoas e alugamos carros no Chile nas duas partes da viagem, ambas com travessia de fronteira para a Argentina. Passamos por diversas situações diferentes, com quatro empresas de locação, e aqui vai um resumo para ajudar os leitores:

- A pior experiência de locação foi com a Avis, a partir de compra feita pelo site da Expedia. Após a reserva, entrei em contato com a Avis do Chile, via e-mail, para saber sobre os trâmites de passagem de fronteira. Responderam-me pedindo cópias de carteira de motorista e passaporte – encaminhei tudo por e-mail e, depois, não consegui mais contato para saber se tudo estava ok com o Permiso Internacional (o documento necessário para atravessar para a Argentina). Entrei em contato com a Expedia do Brasil, e consegui um novo e-mail para contatar a Avis Chile. Novamente, ninguém me respondeu no Chile. Prevendo que teria dores de cabeça com o Permiso Internacional quando chegasse no Chile, cancelei a minha reserva da Avis.

- A segunda pior experiência foi com a Europcar Chile. Como minha irmã também teve problemas com a Europcar Chile, um ano antes, recomendo evitar a empresa. Entrei em contato por e-mail, com antecedência, para conseguir o Permiso Internacional e segui as instruções que me passaram. Os problemas que aconteceram: A) A estrutura em Punta Arenas para atender clientes é pequena e estava lotada no momento da locação. Esperei quase duas horas até ser atendido. B) o valor da reserva feito no site não foi o valor da reserva que me apresentaram em Punta Arenas, houve uma diferença de R$ 700,00. Acabei aceitando porque era pegar ou largar – e largar seria um problema, porque não dá para fazer locação de última hora na Patagônia mais austral, há muita procura e não há mais reservas disponíveis. C) Em um primeiro momento, tentaram me empurrar um carro inferior ao da categoria que havia reservado no site, com o absurdo de me mostrarem uma reserva que não fiz. Depois de muita conversa, consegui pegar o carro pretendido na reserva original do site. D) O carro não estava totalmente limpo no momento da locação e a quilometragem estava alta (70.000km). Apesar de todos os problemas, consegui o Permiso Internacional no momento da locação – o que muitos estrangeiros, que foram atendidos antes de mim, não conseguiram e saíram bastante irritados, com a promessa da Europcar Chile que o Permiso sairia no dia seguinte.

- As melhores experiências de locação no Chile: Hertz de Punta Arenas (feito a partir do site brasileiro) e Econo Rent de Puerto Montt (reserva feita no site chileno). Tudo aconteceu muito rápido e com profissionalismo. Só tive um pequeno problema com a Econo Rent de Puerto Montt, porque me pediram para pagar o Permiso alguns dias antes de chegar na cidade, quando já estava em viagem pela Patagônia. O pagamento devia ser via site e, infelizmente, era um site de difícil compreensão e que só aceitou o terceiro cartão de crédito que tentei. Fora isso, tudo certo.

Algumas dicas:
- O melhor é tentar deixar tudo pago com antecedência – foi o que fizemos com a Hertz. Depois da experiência ruim da Europcar, em que tivemos de pagar um valor não acordado, fiquei convencido que, na Patagônia Chilena, o melhor é deixar tudo pronto antecipadamente. A única taxa que paguei lá foi a do Permiso Internacional.
- Entre em contato diretamente com a locadora no mínimo com 15 dias de antecedência da retirada para fazer o Permiso Internacional. O documento é obrigatório para as passagens de Aduana na Argentina.
- O Permiso Internacional é uma espécie de seguro. Como as locadoras que oferecem o Permiso Internacional não aceitam o seguro oferecido pelo cartão de crédito (aparentemente, a polícia aduaneira precisa de um documento mais detalhado do que o seguro oferecido pelo cartão), prepare-se para pagar taxas de seguro.
- A passagem das Aduanas entre Punta Arenas e El Calafate foi bastante tranquila. Fizemos travessias diferentes (ida: Paso Don Guillermo; volta: Paso Dorotea; o melhor é o Dorotea, que é todo asfaltado), e não demoramos mais do que 15 minutos nas fronteiras. Por outro lado, na região dos lagos, no verão, prepare-se para uma espera de pelo menos duas horas. Nesta viagem, fizemos os Pasos Cardenal Samoré e Mamuil Malal – ambos estavam lotados)
- No seu celular, faça o download dos trechos de mapa que você precisa no Google Maps. Deste modo, você terá os mapas off-line que funcionarão mesmo se você não tiver conexão. Desta forma, você economiza o aluguel do GPS no momento da locação do carro. Se não tiver nem o GPS do celular, compre mapas rodoviários – facilita bastante a viagem.
- Apesar de toda a trabalheira que dá, eu super recomendo alugar carro na Patagônia e fazer as travessias de fronteira de automóvel. As travessias normalmente acontecem em lugares espetaculares (especialmente na região dos lagos) e é bom poder fazer com o tempo que bem desejarmos, parando para contemplar e tirar fotos. Particularmente, penso que alguns dos destinos mais bonitos de toda Argentina e Chile estão justamente nas fronteiras dos países, do Atacama até a Patagônia – é um tipo de experiência impossível de se conseguir de avião ou ônibus.

Neftalí
NeftalíPermalinkResponder

Excelentes e completas informações, André! Realmente é caro e burocrático atravessar a fronteira entre o Chile e a Argentina de carro alugado, mas são paisagens incríveis sempre.
Na região dos lagos, do Chile à San Martin de los Andes, eu considero o Paso Hua Hum a melhor alternativa, sem falar que é o menos lotado. É através de um ferry pelo belo lago Pirihueico, passando por Huilo Huilo, uma das paisagens mais lindas que já vi. Em janeiro e fevereiro é bom reservar um lugar no ferry com antecedência. ¡Saludos!

Antonio
AntonioPermalinkResponder

Estamos chegando de um passeio inesquecível à Patagônia. Estivemos hospedados, primeiramente, em El Calafate, na Argentina. Daí fomos de carro (alugado) até Puerto Natales, no Chile. Retornamos a El Calafate, devolvemos o carro, e fomos de avião para Ushuaia. Daí voamos para Buenos Aires, ainda tivemos um pernoite na capital argentina, antes do retorno no dia seguinte ao Brasil. Deixo sugestões específicas para quem quiser fazer o trajeto de carro. Distância de El Calafate a Puerto Natales? Depende: se for usar somente as vias asfaltadas, passando pelo povoado de La Esperanza, são 350 Km. Ocorre que há uma “tentação” no percurso: a Ruta 40, no lado argentino, tem um trecho de 70 Km, que liga El Cerrito a Tapi Aike. Você encurta a viagem, o mapa mostra claramente, a distância cai para 272Km. Com um detalhe: esse trecho, de 70 Km, é de rípia, uma espécie de cascalho com pedras de tamanhos diversos. Estávamos, dois casais, nessa viagem e, na ida, resolvemos arriscar. O carro era um Chevrolet Prisma, que alugamos à Hertz via internet, pelo qual pagamos , por 3 diárias com quilometragem livre, R$ 1.482,00. Nossa conclusão é que não vale a pena e não recomendamos o dito trecho de encurtamento. A solidão das estradas argentinas, que mistura longas retas e paisagens deslumbrantes, torna-se maior nesse trecho. A cada eventual (bem eventual...) veículo em sentido contrário, tentávamos “esconder” o nosso carro de todas as formas, porque voam pedrinhas e uma delas que trinque o párabrisa causaria transtorno sério à viagem. Vai-se dirigindo com toda cautela. Até que , ufa(!), se chega ao asfalto, na localidade Tapi Aike. Daí, seguir até Río Turbio. Ao chegar diante de uma grande usina térmica carvão, há um trevo sem sinalização. Mantenha a sua direita e siga adiante, até entrar em Río Turbio (caso contrário vai entrar na cidade de 28 de Noviembre...). Recomendo parar em um posto Petrobras (sim!) e reabastecer, antes seguir sempre adiante, subindo a Serra Dorotea. Logo se chega à polícia e aduana argentina de Paso Dorotea. Pare o carro um pouco antes, desçam todos, com passaportes e documentação do veículo, para os trâmites legais. Atenção! É necessário ter informado à Hertz, ou outra locadora, que você vai ao Chile, para que a locadora, no ato de entrega do veículo, entregue o documento “Salida/admisión temporal – Vehículos de alquiler”. É importante, também, ter informado à locadora, com antecedência, quantos passageiros vão dirigir o veículo. E, na passagem palas aduanas, o responsável pelo aluguel é que deve estar dirigindo. Conosco foi tudo tranquilo. Daí você retorna ao veículo, segue em frente e, logo adiante, entra no Chile. Há outro posto, agora chileno. O policial vai perguntar quantos dias você pretende ficar em território chileno. Informei que ficaria 3 dias ( o tempo do aluguel do veículo). Ele entrega um papel com carimbo da data-limite para sair recomendando que não o perca e o reapresente na volta. Na volta de Puerto Natales, extasiados pelo dia inteiro anterior no Parque Nacional Torres Del Paine, fizemos todo o procedimento aduaneiro de volta. Tudo tranquilo. Na reentrada argentina, um policial pediu que abrisse o porta-malas. Olhou, perguntou da nossa rota e nos desejou boa viagem. Aí, escaldados, voltamos por La Esperanza, é claro. Os tempos de viagem, no fim das contas, são semelhantes (4 horas e meia, descontadas paradas para um café com pastel de mondongo- bucho de boi cozido com batatas...- ou reabastecimento), mas sem o estresse causado pelo trecho de rípia. Aproveitamos para recomendar, em El Calafate, o Hotel Mirador Del Lago (onde comemos, no café da manhã, a mais deliciosa medialuna da viagem...), em Puerto Natales o hotel Aquaterra e, em Ushuaia, Hotel de Los Andes. Boa viagem e uma estada fantástica a todos e todas que vão “ao fim do mundo”!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Obrigada, Antonio! Excelente!

Cristiane
CristianePermalinkResponder

Boa tarde! Saberia me informar se preciso necessariamente do passaporte para atravessar a fronteira com carro alugado ou pode ser apenas o rg?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Cristiane! Se puder, viaje SEMPRE com passaporte. Na locadora, na aduana, na vida, você vai lidar com pessoas que podem implicar com o seu RG. Com o passaporte ninguém implica. E você coleciona carimbos que serão importantes para entrar em países exigentes.

Marcilene
MarcilenePermalinkResponder

Gente li vários comentários e fiquei ainda mais empolgada com o roteiro pela terra do fogo.
Fiz o roteiro Puerto Varas x Bariloche de Ônibus e voltei pela travessia dos lagos, porém fiquei encantada com o trajeto do ônibus e acho que vale muito fazê-lo de carro...rende belíssimas fotos...
Pretendo ir em agosto/setembro para o extremo sul da patagônia e gostaria de alugar carro para fazer os principais roteiros. Alguem sabe dizer se é possível alugar um carro em El calafate, seguir pra Puerto Natales, Punta Arenas e devolver em Ushuaia? Sabem indicar empresa que permita locar em um ponto e devolver em outro?
Outra dúvida é sobre viajar com criança (1 ano), há alguma restrição em termos de estrutura? quem já fez esse roteiro com bebês pode compartilhar a experiência?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Marcilene! A época de ir à Patagônia é o verão, entre dezembro e março. Viagens ee carro pela imensidão patagônica, sem sinal de celular e com pouquíssimos postos de gasolina, são extremamente arriscadas. É a preciso ter espírito de jipeiro e fazer preparação de rali, não é um passeio no parque.

Sabrina
SabrinaPermalinkResponder

Genteee... vcs não imaginam a minha ansiedade para fazer essa bendita viagem, porém agora, com todo nosso caminho de ida traçado descobrimos que nenhuma locadora aqui do Brasil emite a carta de liberação para atravessarmos a fronteira. Alguém teve esse problema? Por favor me ajudem.
Bjs

ANDRE
ANDREPermalinkResponder

estou justamente com esse problema. Nem em Buenos Aires eles querem emitir.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar