Paisagem na janela: de Santiago a Mendoza de ônibus

Só no janelão

Relato de março de 2010

Hoje de manhã comecei finalmente a voltar pra casa. Aos pouquinhos. O primeiro passo foi voltar à Argentina, terminando a costura do zig-zag que venho fazendo há cinco semanas. Peguei um ônibus de linha em Santiago para Mendoza.

El boleto

Comprei a passagem pelo site da Andesmar, o único que aceitou meu cartão de crédito brasileiro. Ao chegar ao Terminal Sur (de onde saem os ônibus internacionais de Santiago) pude ver que continuam operando as lotações a Mendoza: taxistas ficam anunciando suas partidas nos corredores da estação.

Mendôça aí bôi xô!

Eu pensava que tinha comprado as poltronas da frente, mas a configuração do ônibus no site era diferente da vida real. Hmpf. Fiquei com uma vista lateral mesmo.

A janela esquerda também tem seu valor

Para quem faz a rota Santiago-Mendoza, o melhor lugar para sentar é o direito, para ver os Caracoles — a seqüência de curvas vertiginosas na subida final dos Andes. (A descida é bem menos acentuada.)

Caracoles!

Mas é da direita que se vê o Caracol

O lado chileno tem os Caracoles, mas a paisagem é mais bonita do lado argentino, com formações rochosas espetaculares — e uma linda represa de águas azulzíssimas quase no fim do caminho.

Do lado argentino

Do lado argentino

Do lado argentino

Do lado argentino

A única desvantagem de fazer esse trajeto de ônibus — com relação a fazer de táxi, de carro ou de excursão — é que não há paradas para tirar fotos. Todas essas fotos foram tiradas pela janela, com o bumba em movimento.

Foram 6 horas e meia de viagem (incluindo aí os 45 minutos perdidos na imigração, que funciona de maneira conjunta num posto só), mas a paisagem é tão bonita que não deu pra sentir.

Mais um cartão postal e eu tenho um treco!

Só tenho uma coisa a dizer. Depois de cinco semanas vendo cartões-postais e mais cartões-postais, se eu por acaso vir mais uma paisagem bonita, mas umazinha só, juro que eu surto :mrgreen:

Leia mais:

684 comentários

Estamos querendo ir para Lagos do Chile e cruzar até Bariloche e vice-versa no início de Novembro.
Dúvidas:
1) vale a pena alugar carro?
2) os picos mais altos estarão nevados nessa época? (Gostaríamos de ver paisagens nevadas, mas não fazemos questão de ver neve caindo). Até quando os picos ficam nevados?
3) dicas???

Grato e parabéns pelo site,

Quais as opções para fazer Santiago – mendonza que não seja ônibus ou avião? Tem alguma empresa de turismo? Qual? E valor? A depender do preço acredito q vale mais a pena em razão da possibilidade de fazer paradas

    Olá, Bruno! Você teria que combinar um trânsfer privado com uma agência local.

Boa tarde. Irei a Santiago e a Mendoza no próximo inverno, todos os trechos serão feitos de aéreo. Mas a agência ainda não me passou se a ordem será primeiro Mendoza ou primeiro Santiago. Meu medo é de comprar muitos vinhos no primeiro pais a ser visitado e não conseguir entrar com eles no segundo! A regra da receita brasileira eu conheço bem (12lts). Saberia me informar com quantos litros eu posso entrar no CHILE ? E na ARGENTINA ? Pois em um desses dois acabarei entrando com vinhos que comprei no outro (pretendo comprar vinhos nos dois antes de retornar ao Brasil). Muito obrigado

    Olá, Juliano! No Chile é permitido entrar com 2,5 litros de bebidas alcoólicas por adulto (isso dá 3 garrafas).

    Na Argentina, 2 litros (2 garrafas e uma meia-garrafa).

    Acima disso, está sujeito a pagar imposto de importação.

Pretendo fazer o percurso Mendoza – Santiago em 14 de maio 2020, corre risco de cair nevasca a ponto de fechar a estrada nessa época? quero ir a noite para “gastar” o tempo do trajeto dormindo e chegar cedo em santiago. obrigada.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.