Feriado no meio da viagem: calma, não é o fim do mundo

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

14 de Julho em Paris

Já escrevi que brasileiro não tem medo de terremoto, não tem medo de furacão, não tem medo de vulcão: brasileiro tem medo é de loja fechada. Prova disso são os comentários desesperados de quem de repente vê seu mundo cair, ao dar-se conta de que vai haver um feriado em Três Pontinhos (Nova York, Buenos Aires, Paris, Santiago, Madri) justo no meio da sua viagem.

Pessoal: feriado não significa greve geral, nem estado de sítio, nem toque de recolher. Com as exceções de praxe (Natal, 1° de janeiro, Páscoa) até as lojas dos shoppings abrem. Em um ou outro lugar pode haver outras datas que tenham essa característica (em Santiago, por exemplo, a Sexta-Feira Santa também fecha o comércio, e até mesmo dos shoppings), mas veja bem: o pânico só se justifica se aquele for exatamente o único dia que você teria para o dever cívico-religioso de comprar.

Pense no feriado que cai justo no meio da sua viagem como o Universo conspirando para atenuar a sua vitrinodependência. Sim, você pode.

10 coisas para fazer quando um feriado resolve cair no meio das suas férias

1. Fazer um bate-volta aos arredores

Todo mundo tem planos de fazer uma ou outra viagem aos arredores da cidade onde está hospedado. Pois bem: programar uma dessas viagens no feriado é uma ótima estratégia. Você foge do lugar parado e vai para o animado. Evite apenas destinos que possam ficar lotados demais (por exemplo: em Santiago, é melhor fugir para Valparaíso e Viña, onde há espaço para todos, do que para as estações de esqui, que têm capacidade limitada).

2. Visitar museus

Museus só fecham em feriados que caem no dia do seu fechamento semanal (normalmente, segunda-feira) ou naqueles megaferiados já citados (Natal sempre, Páscoa às vezes). Identifique os museus que você gostaria de visitar na cidade, entre nos sites para confirmar se abrem no dia do feriado, programe dois e pronto: você não perdeu o seu dia. (Igrejas também entra nesta categoria, e com uma vantagem: não fecham nunca.)

3. Passear no parque

Como você não pensou nisso antes? Parques sempre estão abertos em feriados. E, ao contrário do que acontece na sua cidade, na cidade dos outros os parques ficam mais interessantes quando estão cheios: ver como se vestem, como se comportam e o que consomem os nativos extrapola o mero contato com a natureza.

4. Caprichar no almoço

Feriado combina com um almoço longo e festivo. Se estiver acompanhado, programe uma extravagância gastronômica para esse dia. Não precisa nem ser uma extravagância perdulária: pode ser uma extravagância meramente calórica ou alcoólica. Será um dia memorável.

 

 

5. Dar um rolê por áreas históricas ou residenciais

Quando o centro da cidade é moderno e totalmente voltado aos negócios, fica ermo em feriados. Agora: áreas históricas e bairros residenciais bacanas dão passeios perfeitos para depois do almoço grin

6. Usar o transporte público

Não inventaram dia melhor que o feriado para você se aventurar pela cidade usando o transporte público, que vai estar desafogado. É um bom dia para ir de ônibus até o fim de alguma linha -- e ver um canto da cidade que não faria parte do seu tour.

7. Aderir à programação do dia

Feriados costumam ter eventos, desfiles, corridas, caminhadas, shows de música em parques... Compre os jornais da véspera e do dia e junte-se aos locais. De novo, o show, o desfile e até o evento são o de menos: o mais bacana é a experiência antropológica de ver como os nativos se comportam e experimentar o que eles comem e bebem nessas situações.

8. Cair na balada -- na véspera

Véspera de feriado, em qualquer cidade de médio porte para cima, significa noite fervida. Aproveite para se jogar na naite, com a desculpa de que no outro dia você não vai ter tanta coisa para fazer...

9. Descobrir as feirinhas

Se a síndrome de abstinência comprólatra estiver pegando, tenha pesquisadas as feiras de artesanato e quinquilharias da cidade: é bem provável que algumas sejam armadas em feriados.

10. Embarque num tour organizado

Agências de turismo receptivo não tiram férias. Caso você sofra de feriadofobia aguda, basta ir à recepção do seu hotel e pedir os folhetos e catálogos de excursões. Sempre haverá várias que operam no feriado. Pronto: por causa do feriado, você pode acabar visitando coisas que os seus amigos nem sabiam que existiam, porque não tiveram a sorte de pegar um feriado no meio da viagem! grin

Leia também:

O primeiro e o último dia da viagem: não conte com eles

Cuidado com a síndrome de overplanning

Não procure um lugar em outro

10 certezas que um viajante não deve ter

Assine o Viaje na Viagem por email - VnV por email
Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire
Siga o Viaje na Viagem no Twitter - @viajenaviagem

101 comentários

catia
catiaPermalinkResponder

Já peguei dois feriados de 1o de Maio na Itália, (2012, 2017), mais precisamente, em Florença, quando Ufizzi e o Pitti fecham. Comércio parcialmente aberto.
O problema nas duas vezes foi estar num meio de "feriadão" , no qual cidades como Florença e Veneza pareciam ter mais turistas que no mês de julho.

Valerie
ValeriePermalinkResponder

Passei o feriado de comemoração do dia da cidade de Barcelona. Foi fan-tás-ti-co! Muitos eventos pelas ruas a cargo de cada região e uma programação musical diversificada e, melhor, de graça. Não sei hoje como seria em função da divisão da população em pró/contra independência.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar