Não procure um lugar em outro!

Baía do Sancho, Noronha

Um dos erros mais comuns em viagem é a gente ir para um lugar novo, mas procurando o conhecido. Ninguém está livre de passar por isso. Eu mesmo relatei há pouco como só fui entender Santiago depois que parei de procurar por lá as coisas de que gosto em Buenos Aires.

O Brasil, o mundo e a nossa curiosidade são grandes, então é natural querer sempre viajar para um lugar diferente. O  jeito mais eficaz de não cair na síndrome do procurar-um-lugar-no-outro é não viajar a um lugar só porque você “não conhece ainda”. Vá a esse lugar porque você quer ver/experimentar tal, tal e tal coisas — de preferência, coisas que só existam naquele lugar. Quando você vai a um lugar novo só para aumentar o número dos lugares onde você já foi, o risco de decepção aumenta.

Isso é ainda mais comum nas viagens que não são propriamente “turísticas”, mas de descanso e recarregamento de baterias. Muita gente se dá muito bem com uma praia, um hotel, um resort — mas em vez de voltar e aproveitar de novo o que já foi testado e aprovado, não: encasqueta que precisa sempre ir a uma praia, um hotel ou um resort diferente. E então se arrepende porque não encontrou aquilo que havia no outro lugar.

Quantas vezes me perguntam aqui: ah, mas será que a piscina/animação/comida/praia do resort xis vão ser tão boas quanto as do resort ípsilon, de que gostamos muito? E eu sempre respondo: não há lei que obrigue ninguém a tirar férias cada vez num resort/hotel/praia diferente. Se você gosta muito de um lugar, experimente repetir. Hóspedes freqüentes são mais bem tratados — é fato.

E se você quiser mesmo trocar de lugar, siga a dica lá de cima: escolha não porque você “ainda não conhece”, mas porque você ficou muito interessado nessa, naquela e naquela outra coisa que parece haver lá (e não no lugar aonde você já foi).

Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire


70 comentários

Verdade. Estou fazendo outros roteiros, mas sempre em mente a Grécia que fui recentemente. Daí quero voltar para Atenas, é claro. Mas fico a pensar. Puxa, mas ao invés de ver um país “novo”, conhecer algo diferente…Ir pra Paris sei lá…De repente né, porque não ir de novo para Atenas? Porque daí vem a impressão que não vou ter um “país a mais na lista” de lugares que conheci? O repeteco num país que já se visitou, até pode parecer mais instigante….Naquilo que não deu tempo! E rever o que se deliciou… Gostei do seu artigo..Pensando sobre isso… Voltar a Grécia? Ir pra Paris? Hahaau como li num bom centwrio aqui, pegar rua diferente das vez anterior… Hospedar em outro bairro, experimentar a comida q não fez antes, se deixar levar em um outro roteiro naquele lugar.. nova experiência onde já foi, mas com pitada de frescor! Pensando…Grécia…Aí vou eu de novo? hUaau… As vezes oq pesa é a consciência. De ter tido dinheiro pra ver algo “novo”, do que redescobrir um “novo” no já visto. Quando se terá esse dinheiro novamente ???? Rs

Eu ainda não tive tantas oportunidades assim de viajar, só nos últimos anos se tornou mais acessível pra mim. Tenho feito uma viagem grande por ano, então, nem penso em repeti-las. É que a ainda tem muuuuitos destinos que eu sonho conhecer neste mundão… E se tem uma emoção que pra mim é única e deliciosa, é pisar pela primeira vez naquele lugar que eu sempre sonhei. Quero continuar sentindo isso muito, até começar a repetir os destinos! Pela primeira vez, vou repetir BsAs esta ano. Mas porque está de fato, muito acessível e vamos por apenas 3 dias, numa viagem que será inédita, porque, pela primeira vez, vamos fazer uma viagem em família (algo que não tínhamos condições quando éramos pequenas): Eu, minhas duas irmãs e minha mãe, junto com os maridos!!!!

Eu acho que equilíbrio é tudo!! Se tenho a oportunidade de viajar em feriados, por exemplo, procuro um destino nacional ou algo bem perto, tipo Buenos Aires e assim acabo repetindo lugares. Mas quando tenho férias de 15, 30 dias, daí gosto de pipocar pelo globo mesmo, o mundo é grande demais!!

Ricardo,
Consulto o seu site um dia sim e outro também. Se não para viajar, para viajar na viagem alheia. E, hoje, caí neste comentário que escrito pra mim. Amo Buenos Aires e vou sempre que posso. Quando resolvi ir para Santiago…noooooooosssa, achei um tédio. Tempos depois percebi que não dei oportunidade para a capital chilena me conquistar. Qualquer hora volto lá, só pra fazer as pazes com aquele lugar. Bj pra vc.

A busca é eterna. Buscamos algo que nos identificamos. E sempre usamos como exemplo um lugar que gostamos, as vezes uma pousada, uma praia. E quando repetimos dificilmente é igual.Já estive em Firenze por duas vezes. A primeira dormi dentro de um carro alugado. Na segunda dormi em um 4 estrelas. Nem preciso dizer que gostei mais da 2ª vez. Mas foi preciso insistir na volta. Mas não posso ficar voltando infinitamente aos mesmos lugares. Tenho pressa pra conhecer o mundo. E pouca grana pra repetir a dose.

Excelente! Eu tb adoro repetir lugares! Aliás, a maioria dos lugares que já visitei e gostei eu já repeti! rs
Acho que uma segunda expedição é sempre válida pra gente se familiarizar mais com o local e, sem a obrigação dos lerês, aproveitar mais o que já sabe que agrada!

– Nada contra quem prefere conhecer lugares que nunca foram e nao gostam de repetir. Mas o fato, é que quase tudo que fazemos pela primeira vez sempre é mais deslumbrante, mais bonito, e se repetimos o lugar, o encanto pode ser quebrado.
-Por outro lado (sempre tem o outro lado!), quando se repete o lugar, o impacto pode ser outro, mas em compensação voce se sente mais à vontade e confiante, o que poderá lhe proporcionar curticões melhores.

Riq e Trips,

Pretendo passar o Carnaval em Barra Grande ou Boipeba. Não busco folia, apenas praias bonitas, boa comida e alguma programação noturna.

Help: qual é exatamente a diferença entre os dois locais?

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.