No ar: Vai por mim | Europa de carro

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

vai por mim: europa de carro

E já subiu o quinto e último episódio da etapa portuguesa da série de vídeos que o Viaje na Viagem produziu para o canal do Youtube do Visa Platinum.

Desta vez faço uma pequena videopensata sobre montagem de viagens de carro pela Europa. Algo que eu vou desmembrar em muitos posts depois de voltar grin

Não, eu não arrisquei a vida dirigindo e falando para a câmera. A gente achou uma estradinha sem saída no Crato, bem pertinho da Pousada Flor da Rosa...


Veja aqui antes dos telespectadores do YouTube mrgreen



Os carros desta viagem são alugados com todos os seguros pela Mobility Cars.

O grupo Pestana e as Pousadas de Portugal apoiam esta viagem.

O Mondial Travel é a assistência viagem oficial do #viajenaviagem no projeto Europa de carro.

Siga o Viaje na Viagem no Twitter - @viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire

Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por email - VnV por email


59 comentários

Ernesto, o pato

Concordo 100%.... sempre fiz assim nas viagens de carro pela Europa...

zuzu
zuzuPermalinkResponder

Riq
Só uma dúvida: me lembro naqueles posts sobre aluguel de carros e seguro de viagem, que vc nao preconizava o uso do seguro do cartao, ou pelo menos nao tinha experiencia.To confusa, rsrsrs!
Nunca utilizava esses seguros até por estas informaçoes ; na última viagem fui de Mondial(por ter sido bem falada por aqui).

Ricardo Freire

Zuzu, esta parte é a mensagem comercial do Visa Platinum, e não está errada. É uma prerrogativa que muita gente usa e aprecia. De todo modo, o seguro se resume a avarias e substituição do carro. É preciso contratar um seguro de proteção contra terceiros.

Eu prefiro comprar todos os seguros à parte para não precisar arcar com nenhum gasto nem temporariamente até o seguro ressarcir, e vou continuar dizendo isso no material aqui do site.

Roberto Hoffmann

Ricardo, parabéns pela sua independência e franqueza! Não preciso chover no molhado pra dizer que isso só traz mais credibilidade ao teu site.

Agora, uma pergunta para os tripulantes: alguém de fato já usou o seguro de automóveis do Visa Platinum?

Pergunto porque hoje eu fiquei mais de uma hora no telefone numa conversa surreal. Não entendo como a Visa não consegue montar uma cartilha no seu site com todas as perguntas e respostas sobre esse produto. Sempre orientam o cliente a ligar para o atendimento, gastando tempo, telefone e abrindo muitas margens para maus entendidos. Tentei de todas as maneiras conseguir a cópia da apólice e a Visa simplesmente a não tem. Obviamente que ela existe, mas o call Center não “possui esta informação para repassar aos clientes”.
Então, eu gastei uma hora e quinze minutos de telefone tentando espremer a atendente com todos os detalhes do seguro. E se acontecer isso, o que eu faço? E se tiver aquilo? Quais as coberturas? Tudo isso tendo que anotar as respostas ao compasso de um repentista que lê um script. Por que isso não está escrito? Me parece absurdo que eu tenha que ligar para a Visa, receber informações sobre o seguro, mas na hora que eu quero isso no papel, não há!
Algumas pérolas que eu tive que ouvir:
- o seguro dá cobertura total sobre o valor do carro. Sim, e se eu alugar uma Ferrari e bater, o que acontece? Cobertura ilimitada? Aí veio a resposta: o seguro não cobre carros “caros”. Ora, e quem decide o que é caro ou barato?
- o senhor deve confiar em tudo o que eu estou falando, mas não posso lhe passar tais informações por e-mail? Como assim????
- o senhor deverá pagar a despesa do sinistro e pedir reembolso ou tentar convencer a locadora que a Visa honrará a dívida. Este para mim foi a pior! E se meu carro for roubado ou tiver perda total, como eu vou pagar? A orientação oficial da Visa é que eu tenha um limite no cartão que cubra a despesa. Ah tá! E quem tem um limite com 30 mil Euros sobrando pra comprar um carro novo e depois esperar reembolso?
Depois de muito conservar, a própria atendente jogou a toalha concordando que a coisa não era nada clara, mas era o que a “casa oferecia”. Não chega a ser propaganda enganosa, porque se tu perguntar muito consegue saber o que quer, mas é tão difícil, mas tão difícil, que é deliberadamente feito para não ser usado.
Em suma, a partir de hoje desconsidero a existência do seguro para veículos da Visa. Pago os 40, 50 Euros a mais pela assistência direta da locadora e não fico na angustia. E na eventualidade eu não perco o bem mais precioso de uma viagem: tempo.

E se eu ainda tinha qualquer dúvida, depois do teu post já não tenho mais...

Gabriel Dias
Gabriel DiasPermalinkResponder

Aqui tem as regras e a apólice do seguro emitido pela Visa: http://www.falandodeviagem.com.br/viewtopic.php?f=211&t=3442

Os documentos são bem claros.

André K.
André K.PermalinkResponder

Trabalho numa operadora de turismo e digo que nem sempre vale a pena optar pela recusa do seguro. No Brasil, as operadoras e representantes das locadoras internacionais oferecem planos em sistema "all inclusive" e aplicam códigos de desconto promocionais que acabam tornando os planos com seguro, proteções e taxas (as vezes, incluem tb motorista adicional, combustível e GPS) bem mais baratos que os planos simples, que incluam somente a quilometragem ilimitada, por exemplo.

André K.
André K.PermalinkResponder

BTW, aqui mesmo no post tem um relato sobre alguém que tentou usar o seguro... https://www.viajenaviagem.com/2011/12/no-ar-vai-por-mim-europa-de-carro/comment-page-1/#comment-209362

Victor Hugo
Victor HugoPermalinkResponder

Toda vez q tem vídeo novo eu fico a manhã inteira assoviando a trilha sonoroa! grin

Marcelo
MarceloPermalinkResponder

Caraca!! Ainda bem que não sou só eu...

Neusa
NeusaPermalinkResponder

E no inverno (jneiro / fevereiro), também é recomendável ir de carro ? Ou é melhor trem ?

Ricardo Freire

Eu não alugaria nesta época, Neusa. Minha receita de inverno é cidade grande e trem.

Mas tem gente que aluga e curte.

Leia aqui o relato do Carlos Henrique:
https://www.viajenaviagem.com/2011/02/dirigindo-na-neve-na-alemanha-o-relato-do-carlos-henrique/

Clara
ClaraPermalinkResponder

Já tive a experiência de alugar carro em Portugal - dois invernos - e foi super tranquilo.

Philipp
PhilippPermalinkResponder

Tirando o Norte, Portugal tem invernos bem amenos, com pouco (ou quase nada) de gelo nas estradas.

O problema é quando vamos para lugares com neve/gelo, onde a condução fica perigosa para quem nao esta habituado.

Alem disso, algumas regioes nao estão bem preparadas para lidar com a neve. Acredite se quiser, mas quando eu morava em Lisboa, fui de carro com alguns amigos para a Serra de Béjar na Espanha (cidade entre Cáceres e Salamanda) para esquia. Naquele fim de semana nevou e as estratas até o Esqui Resort ficaram intransitáveis pois as "prefeituras" não tinham equipamento suficiente para limpá-las. Claro que mais para o norte/centro da Europa, em geral os lugares estão mais preparados e habituados, mas ainda assim há um risco.

Nova Novela
Nova NovelaPermalinkResponder

Também concordo, sempre converso com amigos que visitam outros países, é realmente a melhor opção.

Patricia Luck
Patricia LuckPermalinkResponder

Riq segue os ensinamentos do finado Steve Jobs ao usar sua roupa básica preta... smile É por isso que ele consegue viajar com mala pequena, gente!

Lu
LuPermalinkResponder

Bingo!! Então é esse o segredo!!! Vou tentar essa estratégia ... Ótimo vídeo!!

Giovanna M.
Giovanna M.PermalinkResponder

Riq, acabamos de voltar de um giro pela região italiana do Abruzzo e fizemos justamente isso: montamos uma base perto de Pescara - pra dizer a verdade, em Chieti, local em que ainda moram alguns familiares de meu esposo - e saímos explorar a região.
Só um alerta para a galerinha viciada em GPS: nunca marque a opção evitar trânsito do Garmin. Fizemos isso no nosso último dia e o GPS nos levou para uma estrada lamacenta, esburacada, no meio do nada, à noite. Tive que sujar a minha única peça de roupa limpa para auxiliar meu esposo a desencalhar o nosso carro.

Andre L.
Andre L.PermalinkResponder

Giovanna M., não há problemas em usar opções de desvio e evitar trânsito. O que é necessário, sempre, é averiguar as situações das estradas por onde se circula, principalmente a noite, e dar meia volta se for o caso. É o caso de estradas não asfaltadas, ou desvios muito íngremes.

Samira
SamiraPermalinkResponder

Oi Ricardo! Conta prá gente de quem é essa trilha sonora. Adorei!

gabriel
gabrielPermalinkResponder

koka media - encontro no rossio é a música que toca

Clara
ClaraPermalinkResponder

Fico espantada com a facilidade com que você encara uma câmera, Riq! Você está simplesmente maravilhoso, juro. Parabéns!

Rodrigo
RodrigoPermalinkResponder

Olá Ricardo,
Eu e minha esposa iremos a Portugal agora em dezembro/2011 e alugaremos um carro para conhecermos algumas cidades próximas, depois seguiremos para Sevilha de avião pela TAP/Portugália, acontece que é um turbo hélice modelo Beechcraft 1900 D, o vôo é direto com duração de 1 hora. A pergunta é: Será uma roubada embarcar nesse tipo de aeronave???? Quando compramos a passagem não sabíamos que seria num avião tão pequeno!!!

Andre L.
Andre L.PermalinkResponder

Rodrigo, aeronaves operadas por empresas sediadas na Europa, de vôos regulares, são todas muito seguras. Trocar avião por qualquer outro meio de transporte - trem, ônibus, carro - vai multiplicar seu risco estatístico de acidentes e/ou morte por 25 a 120 vezes.

Rodrigo Almeida

Ok André, viajo de avião, e sei das estatísticas.

Mas, quando pensei na roubada me refiro ao avião balançar muito, e/ou não ter boa capacidade de carga para bagagens, conforto, etc...

Ricardo, me confortaria muito ainda a sua opinião, ou da bóia...

Grato a todos!!!

JotaPê
JotaPêPermalinkResponder

Rodrigo, fiz algumas vezes Lisboa/Sevilha nesse avião e pode ficar descansado que a viagem faz-se com tranquilidade. Claro que o avião é pequeno e se a sua bagagem de cabine for volumosa você vai ter de a entregar/receber na porta do avião.A viagem é curtíssima, menos de uma hora.A bagagem de porão é a mesma dos aviões grandes

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rodrigo! É isso aí mesmo smile

Teresa
TeresaPermalinkResponder

Riq, vc está lidando cada vez melhor com as câmaras...Incrível.
Bjsssss
T

Alessandra Pajolla

Fizemos uma viagem pela Itália em três casais e alugamos uma Ford Transit, com três fileiras de bancos e espaço suficente para todas as nossa malas. Foi perfeito. Fazíamos um rodízio entre os casais que iam na frente dirigindo. Ficou muito barato. Alugamos aqui mesmo no Brasil e pudemos curtir todos juntos, amigos que somos, um roteiro que começou em Roma e terminou em Milão (onde pegamos trem para Paris), passando por belas cidades da Toscana como Cortona,Arezzo, San Gimignano, Siena, além de Veneza, Verona e o maravilhoso Lago di Garda. Além dos outros lugarejos que se incorporavam ao nosso roteiro cada vez que nos perdíamos, nos presenteando com situações inusitadas e encantadoras (é que o GPS às vezes enlouquecia)...Mas essas situações faziam a graça da viagem, porque se perder um pouco na Europa significa conhecer lugares pitorescos. Programávamos o GPS sempre no caminho mais curto e não no mais rápido, para podermos conhecer por estradas alternativas e mais belas, e deixávamos as autopistas para quando a pressa era inevitável. Foram muitas as situações inusitadas, como passar por um pedágio completamente automatizado e não entender como funciona (não sabíamos que tínhamos que colocar o ticket pego quando deixamos a cidade, já que lá o valor é por trecho, mais democrático). Enfim, tenho muitas histórias, viajar de carro pela Europa, na verdade de Van, foi muito divertido!!!!

Samira
SamiraPermalinkResponder

Rodrigo, me parece que este é o mesmo modelo de avião do nosso trecho Lisboa/Málaga, ano passado. Confesso que quando vi o avião levei o maior susto, mas o voo foi tranquilo, felizmente. Fizemos o trecho de volta para Lisboa com o mesmo avião e nos sentimos quase 'vips' porque estávamos em 6 pessoas somente.

Rodrigo Almeida

Ok Obrigado,

estamos mais tranquilos...

Julio Akira
Julio AkiraPermalinkResponder

Olá, Ricardo Freire.

Você poderia me dizer qual o nome da música que toca no comercial, por favor? Procurei em tudo que é lugar e não achei.

Obrigado

Iza
IzaPermalinkResponder

Olá Ricardo,
Tenho uma duvida a respeito das placas de sinalização de trânsito
das estradas na Europa. Tem placa em inglês? Varia de acordo com o país? Por exemplo, ano que vem eu quero ir para o Monte Saint Michel e gostaria de ir de carro, mas fico na dúvida quanto a sinalização ser somente em Francês. Se puder me tira essa duvida.
Obrigada.
Iza

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Iza! Aqui quem responde é A Bóia, assistente do Ricardo Freire para perguntas.

Placas de trânsito têm sobretudo símbolos e muito pouca coisa escrita.

Habitue-se às placas européias neste post:
https://www.viajenaviagem.com/2009/05/carro-na-europa-as-dicas-do-andre-lot/

E não deixe de viajar com um GPS.

De todo modo, o Ricardo Freire recomenda ir ao Mont St.-Michel de trem. Só vá de carro se você também for fazer um roteiro pela Normandia, ou pelo Vale do Loire + Normandia.

https://www.viajenaviagem.com/2009/09/uma-escapada-ao-mont-st-michel/

Iza
IzaPermalinkResponder

Valeu Bóia!!!

Rodrigo Almeida

Aproveitando a deixa, acabei de ligar para o Visa Concierge, e o atendente Lucas, informou que não existe o serviço de fornecimento de GPS com locação de carro pagas pelo cartão Visa Platinum.

É propaganda enganosa mesmo???

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rodrigo! O que o vídeo diz é que você pode acionar o Visa Concierge PARA locar um carro com GPS. Não é um item que venha incluído em qualquer locação. Você precisaria usar o Concierge antes de alugar.

Bruno
BrunoPermalinkResponder

Faaaala, meus trips,
Ricardo, esses seus vídeos são ótimos. Portugal já está na agenda para março e, como já é de praxe, não perco uma recomendação sua, meu comandante. Agora, se possível, gostaria que você ou a Bóia salvadora subisse uma dúvida para o perguntódromo. Já li todas as dicas do Ricardo sobre "línguas", mas gostaria de ter outras recomendações dos colegas. Antes de Portugal, vou a Londres e depois Paris. A questão é a seguinte: É possível sobreviver na Inglaterra e na França sem falar inglês e francês, respectivamente? Meu medo é mesmo alfândega, metrôs, táxi e transportes públicos. Chego em Londres direto do Brasil, via aeroporto Gatwick. Fico no Hotel St Marks na 300 City Road. Vou de eurotrem para Paris. Fico no Hotel Napoleon na 40 avenue de friedland e com direito a saborear um esforço na meia maratona da cidade. Depois, via aeroporto de Orly, desembarco em Lisboa. Já vou avisando que sou um mímico quase profissional!!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Bruno! Arme-se de bons guias em português -- há vários de bolso que salvam você no dia a dia. Um ou outro mico deixarão a viagem mais divertida e memorável.

Leia:
https://www.viajenaviagem.com/2010/09/nao-falo-ingles-posso-viajar-ao-exterior-mesmo-assim/

Maria
MariaPermalinkResponder

Caros,

Fiz uma busca e não encontrei resposta, por isso coloco aqui minha dúvida.
Qual o melhor seguro viagem para pessoas idosas?
Não tenho preocupações com o custo, mas com a melhor cobertura.
Aliás, isso poderia ser um tópico aqui no Viaje na Viagem. Imagino que haja muitos leitores idosos ou que viajem com idosos.

Maria
MariaPermalinkResponder

No meu caso, o interesse é um seguro para a Europa.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Maria! Os seguros para a Europa têm cobertura bastante grande por causa das exigências do Espaço Schengen. Vamos pôr a sua pergunta no Perguntódromo, mas em princípio todos os seguro-assistência são bastante bons.

Dionísio
DionísioPermalinkResponder

MARIA, não sou especialista, mas já li muito e comprei seguros para viagens, então vou repassar algumas informações que tenho.

Alguém já disse aqui no site alguma vez - acho que foi um médico - que os seguros convencionais têm cobertura muito baixa se considerarmos os altos custos dos serviços médicos na Europa e nos Estados Unidos. Qualquer cirurgia simples com internação supera os 30 mil euros mínimos do Espaço Schengen, por exemplo.

Quando viajamos com seguros "mínimos", devemos estar bem cientes que, na hipótese de um problema de saúde grave, a cobertura não vai dar para nada. E isso, claro, é mais sério quando o viajante é idoso.

Os problemas: no mundo todo, os seguros são ruins para idosos. E, especificamente, os seguros oferecidos no Brasil (por exemplo, Mondial e Travel Ace) são caros e com coberturas muito baixas, independentemente da faixa etária do viajante.

Tem um post aqui no VnV sobre seguros, e lá descobri o seguro World Nomads, que, se não me engano, já foi utilizado pela dri Setti, do blog Achados, muito satisfatoriamente. Eu já comprei o World Nomads para ir à Europa e à Argentina, mas nunca precisei usá-lo, então não sei dizer se é realmente bom.

O World Nomads oferece coberturas altas, acima de 1 milhão de
dólares, e até mesmo ilimitadas em uma determinada modalidade.

O problema é que, pelo que vi no site, o World Nomads só está disponível para pessoas com até 67 anos de idade.

Tem outro seguro internacionjal, o Patriot, que oferece seguros com 1 milhão de dólares de cobertura para pessoas de até 69 anos de idade. Mas, já com 70, a cobertura cai para 50 mil.

Ambos World Nomads e Patriot têm preço iguais ou mais baratos que os nacionais, mas com coberutas muito, mas muito melhores e maiores.

Então, não é uma tarefa fácil ter um ótimo seguro de viagem, com coberturas altas, para idosos, a não ser que haja uma outra seguradora por aí que eu não conheça.

Além disso, naturalmente não conhecemos muitas pessoas que efetivamente tenham utilizado os seguros internacionais, para obter referências. Mas acho que a referência da Dri Setti sobre o World Nomads é confiável, e por isso é que eu o tenho sempre contratado, embora, repito, nunca o tenha utilizado. Irei aos EUA este ano e seguramente irei com World Nomads ou Patriot.

Entao, primeiro, é saber as idades exatas dos idosos, pois isso implica em diferentes coberturas e prêmios (o preço que o viajante paga), e começar a cotar, sempre prestando atenção aos valores das coberturas.

Dionísio
DionísioPermalinkResponder

Em tempo: o seguro Travel Ace tem cobertura de 1 milhão de dólares para a Europa, mas o limite de idade é 70 anos e o prêmio é bem caro. A partir de 71 anos, o limite é 60 mil dólares.

Já o seguro Mondial tem cobertura máxima de 30 mil euros, em qualquer idade. É uma cobertura que considero muito baixa e o prêmio é bem caro, principalmente acima de 71 anos.

augusto
augustoPermalinkResponder

A idade é um fator a se considerar, entretanto não é o único. Outro ponto de atenção são as doenças pré existentes. Se você tem alguma doença crônica, a agudização (crise) desta situação pode não ser coberta pelo seu plano de saúde. Exemplo, se vc já apresentou um infarto cardíaco, um novo infarto ou crise de angina pode não ser coberto pelo seu seguro. Isto independe de idade, mas o idoso tende a apresentar mais doenças que um indivíduo jovem.
Sugiro pesquisar com cuidado os planos existentes e ler as cláusulas de exclusão do contrato.
Abcs

Thiago Augusto

Idoso, de uma maneira geral, tem o corbetura limitada a 50% do valor de cobertura a partir dos 75-80 anos, com coberturas básicas de até 250 mil dolares (ou 125 mil, no caso do idoso). As maiores coberturas que encontrei até o momento foram do World Nomads e Patriot (esse, pelo que entendi, só cobre EUA e Canadá), mas também limitam a idade máxima pra menos de 70 anos ...

Cláudia Machado

Ricardo:

Não entendo. O visa platinum internacional já não dá direito a seguro viagem?? Por que tenho que fazer outro seguro???
Att.

Cláudia

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Cláudia! Aqui quem responde é A Bóia, assistente do Ricardo Freire mrgreen Ao comprar a passagem com Visa Platinum você garante o Seguro Schengen. Ao alugar um carro com Visa Platinum, está garantido o seguro para conserto de avarias e substituição de veículo. Outros seguros podem eventualmente precisar ser pagos à parte, dependendo do país e do cartão, como seguro contra terceiros.

Dionísio
DionísioPermalinkResponder

Outra coisa: o seguro do Visa é o mínimo exigido para entrada na Europa. Os valores de cobertura são baixos. Se houver necessidade de procedimentos médicos complexos, esse valor pode rapidinho se tornar insuficiente.

Maria
MariaPermalinkResponder

Muito obrigada pelos esclarecimentos, Dionísio, Augusto e Thiago!
Vou fazer uma pesquisa de condições. Se eu descobrir coisas interessantes, postarei aqui.

nelson
nelsonPermalinkResponder

Infelizmente caí nessa de aluguel de carro pagando com o Visa para ter direito ao seguro.Aluguei um carro na Noruega e devido as chuvas tive um pequeno acidente batendo a lateral do carro.Como não impossibilitava a continuação da viagem fomos orientado pela locadora Hertz para prosseguirmos viagem e resolver quando da devolução do veículo.Tudo certo até aí.Chegando ao Brasil contatei o cartão Visa para saber dos procedimentos necessários e aí veio o grande golpe- você tem que abrir mão de QUALQUER seguro vinculado ao aluguel, entretanto não te entregam o carro se vc não fizer o seguro local, depois de me colocarem em contato com a seguradora Mondial, responsável por "esse seguro Visa " fui informado estar CLARO? esse item no explicativo deste modelo de seguro.Então pediram para eu provar que o seguro já estava embutido no valor do aluguel do carro,fato que foi feito, porem que não foi aceito.Enfim não consegui nenhum ressarcimento do cartão Visa e o pior é que uma simples batidinha na Noruega quase me custou um carro novo ----7.000 euros.Estou em viagem e a partir de agora só faço seguro total na locadora, mesmo que seja caro

Frank (Dois Mapas)

nelson, infelizmente isso acontece com frequência. Eu não confio, jamais, em seguro de cartão de crédito para carros. Nem lembro que existe.

Dado o potencial de isso gerar problemas, é melhor gastar um pouco mais, procurar melhor em sites agregadores e ficar mais tranquilo.

Não recomendo a ninguém confiar em seguro de cartão para carros.

Alberto Porto
Alberto PortoPermalinkResponder

Nélson, sinto muito pelo que aconteceu a você e deixo "no ar" uma pergunta simples para quem já conseguiu o contrário: existe algum site de locadora de veículos, pelo menos na Europa, que não inclua, como o mínimo na locação, o seguro com cobertura LDW, que é o que cobra franquia, muito cara por sinal, em caso de roubo ou perda total do veículo, considerando que a VISA, no cartão INFINITE, informa em seu prospecto que o tomador do serviço de locação deve recusar a cobertura da empresa e que se for incapaz de recusar, a cobertura oferecida por ela, VISA, passa a ser secundária e a franquia paga não será reembolsada?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Alberto! Na Europa, a cobertura CDW é obrigatória na Itália e na Irlanda.

Leonardo
LeonardoPermalinkResponder

O seguro do cartão existe e funciona. Porém é importante saber o que vc tem direito (Leia todo o contrato).
Faça sempre um seguro contra terceiros e propriedades (caso vc bata num poste e quebre o telhado de uma mansão em Beverly Hills) pela locadora (pois estes não estão incluidos no cartão).
Quanto o burocracia dita acima, pode ter certeza que mesmo com o seguro da locadora vc terá trabalho para utilizar.
Eu já utilizei o seguro médico da VISA em uma viagem para os EUA. Apesar de toda burocracia, recebi em 30 dias o reembolso de todas despesas médicas (incluindo os medicamentos).
Resumindo: Dá trabalho, mas funciona !

CARLOS
CARLOSPermalinkResponder

Vou estar em Frankfurt em julho e estou pensando em ir até Paris de carro (espécie de bate e volta)Alguém já fez esse trajeto? Alguma dica?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Carlos! Não dá para fazer bate-volta de Frankfurt a Paris. São mais de cinco horas de carro. Prefira ir de avião, e passar alguns dias na cidade.

Visa Concierge

Sou um Visa Concierge, qualquer dúvida liguem que nós esclarecemos. Caso não estejam satisfeitos ou não entendam as informações, peçam para falar com um concierge especialista que temos disponível.
Será sempre um prazer atendê-los.

Mari
MariPermalinkResponder

Alguem sabe explicar o que eh o deductible ou franchise de um aluguel de carro na Franca? Em caso de acidente, raspar, bater ou dar uma enconstadinha no carro, o que fazer?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Mari! Em caso de acidente é preciso um boletim policial; é pré-requisito para usar o seguro. O "deductible" é a nossa franquia -- o que o segurado precisa pagar no caso de acidente. Há seguros que dispensam essa franquia, chamam-se super CDW.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar