Obama na Disney: o que os jornais NÃO destacaram

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Jornais de 20 de janeiro de 2012

Incrível: viajar pros Estados Unidos está tão na ordem do dia que a promessa do Obama de facilitar vistos para brasileiros foi manchetona dos três principais jornais brasileiros.

É bacana ouvir isso do homem mais poderoso do planeta, mas a verdade é que não há absolutamente nenhuma novidade no discurso do presidente.

Os consulados no Brasil já vêm se readequando para atender aos solicitantes num prazo menos absurdo do que os que vinham/vem sendo praticados.

Já deixamos de ser recebidos nos consultados como um bando de visitantes indesejados. Hoje já fomos mais ou menos promovidos à categoria clientes-indo-fazer-cadastro-para-crediário-nas-Casas-Bahia-num-sábado-de-manhã-no-começo-do-mês. É um progresso.

Além disso, hoje a negação do visto é a exceção. Os consulados sabem que a Flórida nos quer MUITO por lá.


A tal dispensa de entrevista para renovação de visto já é praticada há anos. Dispensar crianças e idosos da entrevista é, sim, uma novidade, mas foi anunciada de maneira vaga.

Uma medida muito mais eficiente -- a proposta de permitir a realização de entrevistas por videoconferência -- já foi ventilada pela imprensa, mas não apareceu no discurso obâmico.

A frase é curta e não foi transcrita por nenhum jornal. Mas pode ser lida aqui no Huffington Post.

Olhaí:

"O turismo é o serviço número 1 que exportamos, e isso significa empregos."

Simples assim, Brasil. O presidente da nação mais rica do mundo, em ano eleitoral, usa o estímulo ao turismo como argumento de campanha.

Enquanto isso, no Patropi,o turismo internacional é tratado com preconceito, desconfiança e desprezo.

Mas semana que vem eu volto ao tema, com mais consistência...

Leia também:

Por que o Brasil não deveria esperar os EUA para mexer no visto

Siga o Viaje na Viagem no Twitter - @viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire

Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por email - VnV por email


45 comentários

Adolfo
AdolfoPermalinkResponder

É o preço que se paga em colocar políticos sem nenhum traquejo em turismo para ser ministro do Turismo !

Marcelo
MarceloPermalinkResponder

Haha,
Só para contrariar a grande nação mandatária do mundo, agora que eles estão precisando da minha grana, irei para CUBA!!!!

Luiz Fernando Dias

Acho que a expectativa de uma medida diferente dessa é alimentar aquele sonho de que 'somos tão bacanas quanto eles'. Mas, não: o Brasil é interessante e conveniente apenas neste momento. Eles precisam fazer um esforço e sorrir pra foto, fazer de conta que está tudo legal.
Pudemos ouvir um discurso semelhante do Chanceler britânico William Hague, só que com maior entusiasmo.

Paulo
PauloPermalinkResponder

Tem razão , não mudou nada !!!

* para agilizar já estão fazendo os mutirões aos sábados (2100 vistos/dia)
* isenção de entrevista não quer dizer agilidade , por exemplo menores de idade o responsável vai ao consulado e passa por tudo , formulários , pagamentos , sedex , etc... menos as filas de digitais e o guichê de entrevista... agiliza o que? uma hora ou duas !? pra quem é do interior (SC) como eu , é a mesma coisa !!!

poderíamos voltar como antes (do WTC) , despachantes enviam todos os doc´s e ele chamam quem precisa de entrevista... os outros recebem em casa o passaporte/visto... seria mais barato para quem não mora em cidades com consulado...

Alex Melo
Alex MeloPermalinkResponder

Mas turismo aqui é levado tão a sério que ninguém nem sabe quem é o responsável... ainda que é melhor não saber quem é do que saber que o chefe da área tem mais de 80 anos e usa dinheiro público prá pagar orgia.

Como é que um cara neste estilo ia fazer alguma coisa pelo país?

George
GeorgePermalinkResponder

Caro Riq,eu sou mais um que não vai a esse país enquanto tiver que ir pessoalmente a algum consulado " pedir para deixarem eu gastar o meu dinheiro lá ".

O mais sensato seria mandar o passaporte e os documentos por SEDEX e ,para aqueles que o consulado julga ser necessário,convocar para entrevista

Thiago Castro
Thiago CastroPermalinkResponder

Se vc acha isso então blz. Eu fui e voltarei aos EUA. Melhor lugar para fazer compras!!!

Fernando
FernandoPermalinkResponder

Nossa, que legal. Vá conhecer a Ásia, a África, O Atacama.. outros povos, outras culturas. Pense menos em compras. Faz bem.

Milton Lucio
Milton LucioPermalinkResponder

Tambem não vislumbrei grandes mudanças em relação ao que já ocorre hoje…
De concreto, teremos um maior numero de funcionários para dar maior vazão ao processamento de pedidos e entrevistas. Quem sabe, talvez, uma dispensa do comparecimento ao consulado para a entrevista, para aqueles cidadãos que já possuem o visto e querem/precisam renová-lo (seriam estes os visitantes de”baixo risco”? Não ficou claro quem seria este público…). Beneficiaria, principalmente, quem não mora em SP, RJ, Brasilia e Recife, para não ter que fazer uma viagem só para isso...

Achei muito mais significativa a mudança ocorrida no ano passado, quando o visto passou a ter validade de 10 anos ao invés dos 5 anos !!

Lucas Vilela
Lucas VilelaPermalinkResponder

É parabéns ao Tio Sam que vai abocanhar novos bilhões de dóllares com o melhor turista já visto, enquanto isso o turismo doméstico permanece com sua qualiade pífia e a cada dia perdendo mais dinheiro para os visitantes internacionais, ou seja deixe agente reenviar para os americanos todos nossos minerio-soja-café-dolláres, mas não devemos nos preocupar porque a copa do mundo esta ai, serão 45 dias que compensarão os nossos 65bilhões investidos mais os 20bilhões que gastamos só este ano fora do país!!

fause
fausePermalinkResponder

muito melhor torrar nossa grana nos States do que nessa possilga de Brasil, já viu quanto custa ir para os lugares mais paradisiacos que nos temos, TRES VEES MAIS DOQ EU IR PARA FORA, aprender cultura diferente, ver gente diferente, com cabeça diferente e de quebra traer uma pá de bugiganga legal que vc até achapor aqui custando 10 X mais, ntão quem é o "otario" quem vai para fora ou quem fica aqui alimentando essa industria de turismo alida e corrupta, acorda pro mundo, Brasil já era, esta tudo abandonadono estive em São Luiz no ano passado com a familia e só tenho a lamentar o centro da cidade que deveria sr eferencia esta largada as traças, praticamente aindo, e não por que é "patrimonio tombado não, é por que é PATRIMONIO LARGADO MESMO!!! Brasil , para mim chega, se pudesse voava deste lodo de lugar podre que é!!!

Valdinho Pellin

Concordo com o George....
Vou continuar me divertindo e gastanto meu suado dinheiro na América Latina e na Europa........

Thiago Castro
Thiago CastroPermalinkResponder

Comprando eletrônico caro...

Milton Lucio
Milton LucioPermalinkResponder

Quem não deve estar gostando desta história é o Min. Guido Mantega.... Não duvido nada ele anunciar um novo aumento do IOF sobre compras no exterior com o cartão de crédito.... sad
É sempre essa a solução adotada pelo nosso (des)Governo: mexer com impostos ou taxa de juros... Melhorar a infraestrutura que é bom, necas!

sofia
sofiaPermalinkResponder

A dispensa de crianças e idosos já vem sendo praticada há mais de 1 ano. E não podemos nos esquecer de que para um americano visitar o nosso país, ele vai precisar de visto para entrar no Brasil. É a tal política de reciprocidade.

Alexandra
AlexandraPermalinkResponder

Se voltasse ao que era antes já ajudava. Quando eu tirei visto para os EUA em 1997 foi a coisa mais simples do mundo. Eu era estudante e ia só fazer conexão mas pedi o visto de turismo. Cheguei no consulado um dia, dei sorte de só ter uma pessoa na minha frente. Deixei os documentos, o cara do atendimento me fez umas duas perguntas e mandou voltar em 3 dias. Tres dias depois voltei lá, entrei no consulado, peguei o numero e quando fuiprocurar um lugar pra sentar me chamaram e me entregaram meu passaporte commo visto de 10 anos. Lembro que a taxa foi de $22. Isso foi no consulado do Rio.

Lali
LaliPermalinkResponder

Eu tbém tirei em 97 e foi molinho. Nem entrevista eu fiz. O tempo total foi de 1 semana. Não apresentei nenhum documento, apenas confiou no que falamos. Agora, com o Brasil e, melhor situação, o visto está muito mais complicado, trabalhoso e caro...

Kristen
KristenPermalinkResponder

Essa mudança para dificultar foi depois do 11 de setembro, não?

Ernesto, o pato

Eu acho que pelo menos o tratamento ja melhorou bastante. Hoje, pelo menos fui tratado com respeito eeduacação, o que não aconteceu no primeiro visto que pedi, no começo dos anos 90.

Hoje, pelo que lim 95 % dos pedidos são aceitos.

Mas, a taxa continua cara, o Consulado em SP fica num local de difici acesso, longe do metro e da maioria dos onibus, e a espera é grande.

Para melhorar. Uma taxa simbólica para o visto, e a entrevista ser necessária apenas em caso de dúvida, pois é um enorme transtorno, especialmente para quem mora longe dos consulados americanos.

Andre L.
Andre L.PermalinkResponder

Ernesto, as taxas cobradas são iguais no mundo inteiro, e tem de cobrir todos os gastos com a própria máquina administrativa consular destinada a avaliar vistos.

Um visto de imigrante (legal é claro), por exemplo, custa US$ 900. Visto para membros da mídia também é mais caro que o de turismo.

Camila Navarro

Para mim a notícia se resumiu a muito alarde e pouquíssimas mudanças. Continuo adiando minha ida aos EUA indefinidamente. Para quem não mora nas cidades que sediam os consulados, o processo para obtenção de visto é ainda mais difícil. Mas também não sei se a isenção do visto seria o mar de rosas que esperamos. Ter a chance de ser mandado de volta para cara também não seria o ideal...

Andre L.
Andre L.PermalinkResponder

Camila Navarro, todo país que tem acordo de entrada sem visto, exceto em casos de blocos como a UE onde existe lvire circulação, impõe certos controles.

Na TV tem uma série que acompanha o trabalho da imigração britânica. Vira e mexe tem americano, australiano, japonês que chega em Heathrow e é mandado de volta por motivos variados.

Camila Navarro

Andre, por isso mesmo que eu disse que a isenção do visto talvez não fosse o melhor para os brasileiros. Correr o risco de ser mandado de volta para casa também não é muito animador... Mas penso que o visto faz com que muitas pessoas desistam de ir aos EUA. Eu sou uma delas. É verdade que meu desejo de conhecer o país não é muito grande, mas o processo do visto faz com que eu sequer considere a possibilidade de ir até lá.

Marcio Antonio

Se eu fosse escolher para onde NÃO ir com base em exigência de visto, teria perdido a chance de conhecer Praga em 1998. Claro, depois acabei tendo a chance de voltar, mas vai que nunca mais aparecesse outra oportunidade. Teria deixado de ver a cidade mais linda do universo por causa de uma burocracia?

Diogo Avila
Diogo AvilaPermalinkResponder

Ricardo,

Concordo. Pouco mudou.
O problema é que a maior parte da impresa dá a notícia de algo antigo (dispensa para renovar ) como se fosse algo novo, ou pior dá destaque a algo que na prática muda pouco as coisas - vide questão da DBA declaração de bagagem acompanhada que levou muita gente desinformada ao entendimento de que agora "está tudo liberado".
Lamento que falte, para boa parte da imprensa oficial, uma análise melhor sobre os assuntos.
Hoje temos muitos informantes, e poucos jornalistas.

Abraço.

Georgia
GeorgiaPermalinkResponder

Moro em BSB e ainda assim não quero perder uma manhã na Embaixada. Enquanto isso ... viajo para a Europa e compro eletrônicos no Brasil.

Cesar
CesarPermalinkResponder

O fluxo de atendimento americano é um espetáculo de perfeição se pensarmos no fluxo de atendimento brasileiro. Pesquisem o que é necessário para um americano tirar o visto brasileiro, o tempo necessário e as formas de atendimento.

Ficarão envergonhados.

Rodrigo
RodrigoPermalinkResponder

Tem uma história rolando por aí contando que o governo dos EUA abrirá um consulado em Belo Horizonte. Será mais uma cidade para a emissão de visto (42% dos imigrantes brasileiros nos EUA são mineiros). Essa história deve ser verdade porque corrobora a posição americana nesses últimos tempos.

Philipp
PhilippPermalinkResponder

Como alguns já apontaram, quando queremos conhecer um lugar, nao há visto, distancia e outro perrengue que nos segure. Desculpem-me a franqueza, mas dizer que nao vai para os EUA pois o processo de visto é isso ou aquilo nao é o principal fator que impede de aplicar ao visto a alguem que realmente queira conhecer. Vale apontar que Canadá, Belize, e até pouco tempo o México também obrigavam. Em agosto de 2008 quando mudei para os EUA tive a escolha de viajar ou para Costa Rica ou Belize, para Costa Rica nao precisaria do visto mas ainda assim optei por Belize que me parecia mais interessante.

Vale tambem lembrar que tecnicamente é possivel que a uma pessoa com visto seja negada a entrada. O visto é emitido levando-se em conta a situacao no momento do pedido. Sabemos bem que "el mundo gira" e as coisas podem mudar, e em qualquer pais as autoridades de fronteira tem o poder de nao autorizar a entrada de um estrangeiro.

DELMA
DELMAPermalinkResponder

Também não sou adepta de morosidade prá viajar. Já estive várias vezes na Europa, rodo toda a amárica do sul, central e, até hj não me animei ao visto americano. Perder um dia só prá ir ao Rio tirar o visto ainda não me empolgou, com tantos coisas bos prá conhecer sem esta burocracia. Admiro que alguém no séc. 21 ainda defenda a burocracia. È não pensar o mundo globalizado.

Leticia
LeticiaPermalinkResponder

Você é de onde Philipp??? Rio? São Paulo? Recife? Brasília??
Para quem não mora nessas cidades, realmente é um "obstáculo" a se colocar na balança. Nos últimos 2-3 anos fui duas vezes à Europa, Chile e México. EUA??? Meu visto está vencido. Está ficando para a próxima, e próxima…. até realmente ter disposição de fazer 1 viagem antes e "pagar" para ter o visto…. E garanto que isso acontece com vários.

Philipp
PhilippPermalinkResponder

Moro em Nova Iorque. Ja tive que tirar 4 vistos para os EUA, 3 vezes em Lisboa e uma (e provavelmente ultima) em Sao Paulo. Para mim a dificuldade ainda é maior, pois tenho que sair da minha "casa" viajar a outro país (pode ser Canadá) para pedir o visto. Nas 3 vezes em Lisboa o visto foi emitido no maximo em 48 horas, e tinha o passaporte em maoes 3 dias apos a "entrevista", quando fui para Sao Paulo foi isto que aconteceu:
www.viajenaviagem.com/2011/10/consulado-dos-eua-em-sp-greve-dos-correios-caos-total/

As dificuldades que voce aponta existem, mas nao é exclusividade brasileira. Na Argentina por exemplo, todos tem que ir a BA. www.usembassy.gov

Entendo a frustracao, mas embaixadas e consulados estao normalmente nas maiores e principais cidades de um pais, assim como para cidadaos brasileiros que na eventualidade de precisarem da assistencia dos consulados em outros paises terao que se deslocar as principais cidades onde estao localizados. Um brasileiro morando em Seattle, teria que se deslocar até San Francisco para renovar o passaporte brasileiro, registrar casamento, etc:
www.consbrasdc.org/informacoes.asp?id=1

Alice
AlicePermalinkResponder

Fico com vergonha de confessar isso aqui nessa linda comunidade viajólotra, mas vivo adiando minha segunda ida aos EUA (a primeira foi à Disney, aos 14) por preguiça de preencher o formulário, de ir à entrevista e por ter um certo temor de ser tratada como se eles estivessem fazendo um favor em concedê-lo. Toda vez que vou planejar uma viagem penso nos Estados Unidos (muitos destinos na minha wish list) mas, em sequência, lembro de todos os outros lugares que tenho vontade de conhecer (o mundo é grande pra caramba), para os quais não tenho que enfrentar esse pequeno perrengue...E assim vou adiando, até o dia em que, quem sabe, eles estejam tão detonados economicamente que não temam mais que alguém daqui se interesse em ir para lá para trabalhar e dispensem o visto smile. Se bem que tem a ameaça terrorista, então essa chance não tem né? Eu sei, a América é imperdível, shame on me.

Tânia
TâniaPermalinkResponder

É muito melhor viajar para a Europa que não tem toda essa burocracia.
Aos amantes dos parques da Disney, façam a troca pela Eurodisney.
Quantos às compras, que tal uma regent street?

Marcio Antonio

Regent Street? Para pagar em libra? Claro, pra quem não tem outra opção ainda compensa mais que comprar aqui (na Timberland da Regent Street comprei três pares pelo que gastaria em um par no Brasil), mas se você coloca lado a lado os preços em NY e Londres, vê que NY compensa muito mais.

Maria Edi
Maria EdiPermalinkResponder

Tudo bem, eu moro em São Paulo, tenho visto para os EUA, não achei nenhum bicho de sete cabeças. Eu gostaria de saber como é que a embaixada brasileira e seus consulados tratam os gringos. Já deu para perceber como tratamos os gringos turistas aqui nas nossas cidades, creio que a nossa burocracia de relações exteriores não seja muito melhor. Antes de descer o cacete "nuzamericanu", gostaria de saber como os nossos compatriotas tratam os gringos que pedem visto para vir ao Brasil. E, por motivo algum, eu faria a desfeita de deixar de comer uma fatia de cheesecake em NYC para ir para Cuba ... Olha, nem em hotel de sete estrelas, vôo em jatinho particular e um estoque de Freixenet à minha disposição.
No fucking way, sir!!

Tania Pereyra
Tania PereyraPermalinkResponder

Oi Maria,
Meu marido ja tirou visto no consulado de Miami. O processo nao eh muito complicado - preencher formulario online, agendar a visita, pagar a taxa USD140.00 - so aceitam ordem de pagamento do correio americano, ter passagem reservada e entregar tudo pessoalmente.
Como nos moravamos em Orlando, tivemos que arcar com os custos de uma viagem ate Miami(transporte, hotel e alimentacao).
No consulado sempre tem fila, mas nada fora do normal. Claro que se perde a manha inteira. No guiche algumas perguntas basicas(razao da viagem,duracao e onde vai ficar). Nao ha necessidade de se comprovar nenhum vinculo com os EUA.
Depois do visto aprovado o passaporte eh enviado pelo correio. Achei o processo simples e tb pode ser feito via despachante. Quanto ao tratamento dispensado depende do humor do funcionario. mas em geral sao bem secos e nao ficam querendo muita conversa - acho que deve existir um manual secreto para funcionarios de consulados e embaixadas smile

Amaro - Recife

A questão não é pegar a fila ou pagar pelo visto. O problema é que quando já somos "pré-aprovados" naquele formulário não haveria necessidade de sermos entrevistados.
Pelo menos no meu caso a única pegunta foi a dificílima "quantos dias vai passar nos Eua?".
Ainda bem que eu sou do Recife, mas tem gente que gasta valores equivalentes à passagem para os Eua, somente para se deslocar para tirar o visto...

Priscilla
PriscillaPermalinkResponder

Gente, vc sabe qto dinheiro esse povo está fazendo com a indústria do visto? Pensa bem em qto se paga por cada visto e qtos são emitidos.
Por aí dá para entender que manter o visto não é uma questão de burocracia. É uma questão de dinheiro.
Péssimo, né?
www.prifiorin.com.br

Marcel
MarcelPermalinkResponder

É isso aí...os americanos sabem o valor do dinheiro e não se envergonham de tomar ações quando precisam. Não tem turismo melhor e mais barato que nos Estados Unidos, os brasileiros ao invés de ficarem reclamando, poderiam aprender com eles, mas a ignorancia brasileira não deixa. Enquanto isso eles só lucram,...... de novo !!!
Enquanto os idiotas reclamam quem quer se divertir e gasatar bem (impostos de 5%), vai pra lá, aqui só tem assalto, enchente, assassinato, sequestro, favela e malandro..... não podemos, como o Obama, pedir pra os turistas virem, porque simplesmente não temos condição derecebê-los, a copa se encarregará de mostrar isso, assim como ocorreu na àfrica.
Marcel - São Paulo-SP

PêEsse
PêEssePermalinkResponder

Esse post com mais consistência que, de acordo com o fim do texto, viria na semana seguinte, veio?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, PêEsse! Não veio ainda não eekops:

PêEsse
PêEssePermalinkResponder

É que nossa liderança anda ocupada, mas qualquer dia desses sai.

Valdir
ValdirPermalinkResponder

Até que não me importo muito em pagar as taxas idiotas e absurdos não, o problema é que não suporto a burocracia, é tanta coisa que preciso responder, que acho idiota, como informações do ex conjuje, já me separei, pq tenho que postar informações de uma pessoa com quem não tenho mais relações. E tem outras perguntas idiotas, que parecem mais exigencias para ingresso em uma seita de fanáticos e tudo isso pra eu gastar o meu dinheiro lá, nummomento que eles estão precisando de turistas. Imagina, se estudei a 20 anos, eu tenhoque colocar até o dia que comecei a estudar e o dia que terminei, que loucura, sou um cara de 51 anos, preciso disso? Já até me esqueci que fiz duas faculdades no passado, rs. Acho um absurdo, o brasileiro não precisa disso. Quando comecei a ler as exigencias que desisti do visto, já fui 13 vezes na Europa, passo no minimo 20 dias por ano lá, já viajei a america do sul, só me faltava a américa do Norte, tenho vontade de conhecer NY, mas acho que só irei quando retirarem essa exigencia de vistos ou diminuirem em muito as perguntas idiotas. O tio Sam não verá o meu rico dinheirinho por enquanto.

Valdir
ValdirPermalinkResponder

que não me importo muito em pagar as taxas idiotas e absurdos não, o problema é que não suporto a burocracia, é tanta coisa que preciso responder, que acho idiota, como informações do ex conjuje, já me separei, pq tenho que postar informações de uma pessoa com quem não tenho mais relações. E tem outras perguntas idiotas, que parecem mais exigencias para ingresso em uma seita de fanáticos e tudo isso pra eu gastar o meu dinheiro lá, nummomento que eles estão precisando de turistas. Acho um absurdo, o brasileiro não precisa disso. Quando comecei a ler as exigencias que desisti do visto, já fui 13 vezes na Europa, passo no minimo 20 dias por ano lá, já viajei a america do sul, só me faltava a américa do Norte, tenho vontade de conhecer NY, mas acho que só irei quando retirarem essa exigencia de vistos ou diminuirem em muito as perguntas idiotas. O tio Sam não verá o meu rico dinheirinho por enquanto.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar