Obama na Disney: o que os jornais NÃO destacaram

Jornais de 20 de janeiro de 2012

Incrível: viajar pros Estados Unidos está tão na ordem do dia que a promessa do Obama de facilitar vistos para brasileiros foi manchetona dos três principais jornais brasileiros.

É bacana ouvir isso do homem mais poderoso do planeta, mas a verdade é que não há absolutamente nenhuma novidade no discurso do presidente.

Os consulados no Brasil já vêm se readequando para atender aos solicitantes num prazo menos absurdo do que os que vinham/vem sendo praticados.

Já deixamos de ser recebidos nos consultados como um bando de visitantes indesejados. Hoje já fomos mais ou menos promovidos à categoria clientes-indo-fazer-cadastro-para-crediário-nas-Casas-Bahia-num-sábado-de-manhã-no-começo-do-mês. É um progresso.

Além disso, hoje a negação do visto é a exceção. Os consulados sabem que a Flórida nos quer MUITO por lá.

A tal dispensa de entrevista para renovação de visto já é praticada há anos. Dispensar crianças e idosos da entrevista é, sim, uma novidade, mas foi anunciada de maneira vaga.

Uma medida muito mais eficiente — a proposta de permitir a realização de entrevistas por videoconferência — já foi ventilada pela imprensa, mas não apareceu no discurso obâmico.

A frase é curta e não foi transcrita por nenhum jornal. Mas pode ser lida aqui no Huffington Post.

Olhaí:

“O turismo é o serviço número 1 que exportamos, e isso significa empregos.”

Simples assim, Brasil. O presidente da nação mais rica do mundo, em ano eleitoral, usa o estímulo ao turismo como argumento de campanha.

Enquanto isso, no Patropi,o turismo internacional é tratado com preconceito, desconfiança e desprezo.

Mas semana que vem eu volto ao tema, com mais consistência…

Leia também:

Por que o Brasil não deveria esperar os EUA para mexer no visto

Siga o Viaje na Viagem no Twitter@viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire

Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por emailVnV por email


45 comentários

que não me importo muito em pagar as taxas idiotas e absurdos não, o problema é que não suporto a burocracia, é tanta coisa que preciso responder, que acho idiota, como informações do ex conjuje, já me separei, pq tenho que postar informações de uma pessoa com quem não tenho mais relações. E tem outras perguntas idiotas, que parecem mais exigencias para ingresso em uma seita de fanáticos e tudo isso pra eu gastar o meu dinheiro lá, nummomento que eles estão precisando de turistas. Acho um absurdo, o brasileiro não precisa disso. Quando comecei a ler as exigencias que desisti do visto, já fui 13 vezes na Europa, passo no minimo 20 dias por ano lá, já viajei a america do sul, só me faltava a américa do Norte, tenho vontade de conhecer NY, mas acho que só irei quando retirarem essa exigencia de vistos ou diminuirem em muito as perguntas idiotas. O tio Sam não verá o meu rico dinheirinho por enquanto.

Até que não me importo muito em pagar as taxas idiotas e absurdos não, o problema é que não suporto a burocracia, é tanta coisa que preciso responder, que acho idiota, como informações do ex conjuje, já me separei, pq tenho que postar informações de uma pessoa com quem não tenho mais relações. E tem outras perguntas idiotas, que parecem mais exigencias para ingresso em uma seita de fanáticos e tudo isso pra eu gastar o meu dinheiro lá, nummomento que eles estão precisando de turistas. Imagina, se estudei a 20 anos, eu tenhoque colocar até o dia que comecei a estudar e o dia que terminei, que loucura, sou um cara de 51 anos, preciso disso? Já até me esqueci que fiz duas faculdades no passado, rs. Acho um absurdo, o brasileiro não precisa disso. Quando comecei a ler as exigencias que desisti do visto, já fui 13 vezes na Europa, passo no minimo 20 dias por ano lá, já viajei a america do sul, só me faltava a américa do Norte, tenho vontade de conhecer NY, mas acho que só irei quando retirarem essa exigencia de vistos ou diminuirem em muito as perguntas idiotas. O tio Sam não verá o meu rico dinheirinho por enquanto.

É isso aí…os americanos sabem o valor do dinheiro e não se envergonham de tomar ações quando precisam. Não tem turismo melhor e mais barato que nos Estados Unidos, os brasileiros ao invés de ficarem reclamando, poderiam aprender com eles, mas a ignorancia brasileira não deixa. Enquanto isso eles só lucram,…… de novo !!!
Enquanto os idiotas reclamam quem quer se divertir e gasatar bem (impostos de 5%), vai pra lá, aqui só tem assalto, enchente, assassinato, sequestro, favela e malandro….. não podemos, como o Obama, pedir pra os turistas virem, porque simplesmente não temos condição derecebê-los, a copa se encarregará de mostrar isso, assim como ocorreu na àfrica.
Marcel – São Paulo-SP

Gente, vc sabe qto dinheiro esse povo está fazendo com a indústria do visto? Pensa bem em qto se paga por cada visto e qtos são emitidos.
Por aí dá para entender que manter o visto não é uma questão de burocracia. É uma questão de dinheiro.
Péssimo, né?
http://www.prifiorin.com.br

A questão não é pegar a fila ou pagar pelo visto. O problema é que quando já somos “pré-aprovados” naquele formulário não haveria necessidade de sermos entrevistados.
Pelo menos no meu caso a única pegunta foi a dificílima “quantos dias vai passar nos Eua?”.
Ainda bem que eu sou do Recife, mas tem gente que gasta valores equivalentes à passagem para os Eua, somente para se deslocar para tirar o visto…

Tudo bem, eu moro em São Paulo, tenho visto para os EUA, não achei nenhum bicho de sete cabeças. Eu gostaria de saber como é que a embaixada brasileira e seus consulados tratam os gringos. Já deu para perceber como tratamos os gringos turistas aqui nas nossas cidades, creio que a nossa burocracia de relações exteriores não seja muito melhor. Antes de descer o cacete “nuzamericanu”, gostaria de saber como os nossos compatriotas tratam os gringos que pedem visto para vir ao Brasil. E, por motivo algum, eu faria a desfeita de deixar de comer uma fatia de cheesecake em NYC para ir para Cuba … Olha, nem em hotel de sete estrelas, vôo em jatinho particular e um estoque de Freixenet à minha disposição.
No fucking way, sir!!

    Oi Maria,
    Meu marido ja tirou visto no consulado de Miami. O processo nao eh muito complicado – preencher formulario online, agendar a visita, pagar a taxa USD140.00 – so aceitam ordem de pagamento do correio americano, ter passagem reservada e entregar tudo pessoalmente.
    Como nos moravamos em Orlando, tivemos que arcar com os custos de uma viagem ate Miami(transporte, hotel e alimentacao).
    No consulado sempre tem fila, mas nada fora do normal. Claro que se perde a manha inteira. No guiche algumas perguntas basicas(razao da viagem,duracao e onde vai ficar). Nao ha necessidade de se comprovar nenhum vinculo com os EUA.
    Depois do visto aprovado o passaporte eh enviado pelo correio. Achei o processo simples e tb pode ser feito via despachante. Quanto ao tratamento dispensado depende do humor do funcionario. mas em geral sao bem secos e nao ficam querendo muita conversa – acho que deve existir um manual secreto para funcionarios de consulados e embaixadas 🙂

É muito melhor viajar para a Europa que não tem toda essa burocracia.
Aos amantes dos parques da Disney, façam a troca pela Eurodisney.
Quantos às compras, que tal uma regent street?

    Regent Street? Para pagar em libra? Claro, pra quem não tem outra opção ainda compensa mais que comprar aqui (na Timberland da Regent Street comprei três pares pelo que gastaria em um par no Brasil), mas se você coloca lado a lado os preços em NY e Londres, vê que NY compensa muito mais.

Fico com vergonha de confessar isso aqui nessa linda comunidade viajólotra, mas vivo adiando minha segunda ida aos EUA (a primeira foi à Disney, aos 14) por preguiça de preencher o formulário, de ir à entrevista e por ter um certo temor de ser tratada como se eles estivessem fazendo um favor em concedê-lo. Toda vez que vou planejar uma viagem penso nos Estados Unidos (muitos destinos na minha wish list) mas, em sequência, lembro de todos os outros lugares que tenho vontade de conhecer (o mundo é grande pra caramba), para os quais não tenho que enfrentar esse pequeno perrengue…E assim vou adiando, até o dia em que, quem sabe, eles estejam tão detonados economicamente que não temam mais que alguém daqui se interesse em ir para lá para trabalhar e dispensem o visto :). Se bem que tem a ameaça terrorista, então essa chance não tem né? Eu sei, a América é imperdível, shame on me.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.