Destino "adulto" com crianças: onde você já foi?

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Nîmes, FrançaMamães e papais que viajam com crianças para qualquer lugar: o tempo todo aparecem por aqui mamães e papais que não viajam com crianças para qualquer lugar, querendo saber que programas fazer com os baixinhos em lugares que não são obviamente infantis.

Neste post já conseguimos fazer um bom apanhado de blogs que desmistificam viajar com crianças para inúmeros lugares que não são nem resorts nem a Disney. A lista continua sendo enriquecida com outras lembranças, que já já serão devidamente compiladas.

Mas se você viaja com os pequenos mas não tem blog, e puder deixar aqui como vem resolvendo suas viagens em família para os diversos lugares, agradecemos muito! Vamos usar seu depoimento em futuros posts.


Obrigado!

Leia também:

#Viajosfera: os blogs que viajam com a criançada

Siga o Viaje na Viagem no Twitter - @viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire

Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por email - VnV por email


89 comentários

Milton Lucio
Milton LucioPermalinkResponder

SEMPRE viajamos com nossa filha, desde que ela tinha 04 MESES de idade (atualmente ela está com 11 anos). Ja visitamos praticamente todo o Nordeste e o Sul do Brasil, alem de Rio de Janeiro, São Paulo, Brasília e Caldas Novas (moramos em Florianopolis). Tambem já fomos, com ela, à Argentina (Buenos Aires e Bariloche), Canada(Montreal, Quebec, Toronto e Niagara) e EUA (Florida, NY, California e Las Vegas).
Por mais inusitado ou remoto que seja o lugar, sempre achamos alguma atividade adequada ou interessante à faixa etária dela, e ela curte bastante viajar conosco.
Nunca nos atrapalhou em nada, ao contrário do que muitos pais (e mães) pensam..

Sheila Brito de Los Santos

Olá Milton:

Também sou de Florianópolis wink e estou pensando em uma viagem, em julho, com nosso bebê de 6 meses (em julho estará com 11 meses). Com 3 meses fomos com ele para o Nordeste e deu tudo certo. A princípio iríamos para Paris, pois já moramos na França e achamos que seria mais fácil de se virar com criança por lá, mas lendo seu comentário fiquei pensando no Canadá (sempre quis conhecer, principalmente Quebec)... quando vc foi que idade tinha sua filha? Preocupo-me com longas distâncias de carro, pois ele reclama muito de ficar na cadeirinha. Gostaria da sua opinião. Obrigada. Sheila

Evelyn
EvelynPermalinkResponder

Meus pais sempre me levaram a todas as viagens, desde bebê. Levavam também minha irmã, ainda mais nova que eu! Fazíamos várias pelo litoral brasileiro, inclusive looongos percursos de carro. Pra mim, era a maior diversão, sempre. Eles tinham apenas a preocupação de escolher hotel com piscina, especialmente se as praias não fossem propícias ao banho de pequenos. Uma lembrança especial que tenho de um destino/praia bem de "adulto" é Morro de São Paulo. À primeira vista, vc não pensa em levar uma criança ali! Mas eu AMEI essa viagem, sempre pedia pra voltar lá, tinha ótimas recordações!!!! Nas fotos eu aparecia sempre feliz! Depois de adulta, voltei a Morro e ficava lá pensando: "que coragem e disposição dos meus pais em me trazerem até aqui com 8 anos de idade (e minha irmã com apenas 4)!" No final, tudo é uma questão de perspectiva! Depende de como os pais encaram a viagem, e de como se posicionam em relação à criança, para que ela se sinta incluída na programação!

Alice
AlicePermalinkResponder

Evelyn, que legal seu relato. Confesso que o único perrengue que eu temo ao viajar com as crianças é precisar de atendimento médico e ficar na mão. :/ Tenho enorme vontade de ir a Morro com eles, que têm exatamente essa idade.

Evelyn
EvelynPermalinkResponder

Oi, Alice,

não sei dizer como é o atendimento médico em Morro. Mas é um lugar em que a infra melhorou muuuuuito. Leve suas crianças, elas vão adorar, digo por experiência própria! Se serve de consolo, minha irmã era super alérgica, andava toda congestionada, minha mãe viajava até com aparelhinho de aerosol!!! Mas ninguém deixava de passear por causa disso!

Silvia e Alexandre

A Mariana eh nossa companheira de todas as viagens, nossa primeira grande viagem foi bem obvia, para Disney de Orlando quando ela tinha 2 anos, mas depois nos empolgamos e já fomos para NY, Califórnia, Washington, Las Vegas, Canada, Cancun, Curacao,Chile,Argentina,Espanha,Áustria,Bélgica,Inglaterra,Holanda,Franca,Alemanha,italia. Acho que eh muito triste achar que crianças só se divertem em parques de diversão, nunca deixamos de ir a museus, etc, mas damos um jeito de tornar todos os passeios interessantes , contando historias por exemplo. Olha, acho que nenhuma viagem teria sido boa sem a companhia da nossa pequena!

Daniela
DanielaPermalinkResponder

Tenho dois filhos, de 6 e 8 anos. Viajo com eles desde bebes. Quando ainda tinha fraldas dos dois para trocar, optava por lugares com mais infra-estrutura, focando mais nisto, em conjunto com a possibilidade de colocá-los em contato com a natureza. Assim, optava por hotéis-fazenda e resorts de praia, destinos bem "infantis".
A primeira viagem de avião do meu caçula foi para encontrar o pai que estava a trabalho em Porto Alegre. Ele tinha 1 ano e 2 meses, a minha mais velha tinha 3 anos. VIajei sozinha do Rio para POA com os dois. Muito tranquilo. Afinal, de dentro do avião eles não escapariam.
Daí para frente as viagens foram se tornando cada vez menos infantis, fui gradativamente aumentando as distancias e diminuindo a infra de hotel, cidade, etc. A Gramando se seguiu Praia do Forte, Maragogi, Morro de São Paulo, Florida, Buenos Aires, Tiradentes, Barra Grande, até nosso mais recente destino: Patagonia (Ushuaia e El Calafate), sempre intercaladas por bate-voltas em cidades próximas ao Rio. Todas as viagens deliciosas e muito aproveitadas por todos. Em nenhuma destas cidades fiquei em hotel ou resort, sempre optei por hospedagem mais básica.
Hoje posso dizer que já os levaria a quase qualquer lugar, bastando seguir alguns "princípios básicos" que fui estabelecendo como fundamentais para o sucesso da viagem com crianças.
Vou compartilhá-los com vocês:
1. A criança não é diferente do adulto em relação a curiosidade por conhecer outros lugares. Basta que você incentive esta curiosidade, falando sobre o destino escolhido, mostrando fotos, videos, o que estiver ao seu alcance. Sempre, depois de definido o destino, converso com eles sobre o que iremos encontrar, quais são as diferenças, o que teremos para fazer. Assim, envolvo-os na viagem e faço com que eles se sintam viajantes, também.

2.A escolha do voo, caso seja necessário, requer um cuidado especial. Evito terminantemente voos que façam muitas conexões ou escalas desnecessárias, e também horários que impliquem chegadas ou saídas de qualquer destino de madrugada, ou muito tarde da noite (única exceção que faço: o vôo de volta a casa. Pois se chegamos tarde, ou de madrugada, já estamos em casa, podemos relaxar). Este princípio é decorrência do próximo.

3.Faço um roteiro e planejamento de viagem viável, com poucas programas por dia, e sempre, sempre respeitando os horários de pausa para almoço e descanso. Incluo tardes ou manhãs livres no destino, contando com imprevistos, cansaço, um dia de ritmo mais lento, uma febre ou um mal-estar... Com crianças é muito importante observar as dicas do Riq e não virar um maraturista. Não pode ser uma maratona, a viagem vai ser mais tranquila se for uma caminhada contemplativa.

4.Amplio os dias de estadia em cada local. Se me dizem que Ushuaia dá para ver em 4 dias, coloco 5 ou 6. Se é bom ficar em Barra Grande 3 dias, programo 4 ou 5. Isto, claro, na medida das possibilidades de tempo e do dinheiro, mas se ficamos mais tempo numa cidade podemos, obviamente, fazer valer a dica acima, estabelecendo um roteiro mais tranquilo.

5. Negocio os programas, e alterno os “legais” com os “chatos”. Assim, vamos a um parque de diversões de manhã, e de tarde, a um concerto. Visitamos o zoológico num dia, e no outro, o centro histórico. Na verdade, com o passar das viagens, os programas “chatos” vão sendo cada vez em menor número na lista. Não porque os eliminemos, mas porque todos vão descobrindo o que eles tem de “legal”.

5. Procuro informar-me sobre a comida no local, e procuro, com antecedencia, garimpar restaurantes que sejam child-friendly, ou, pelo menos, que tenham um menu que vá agradar aos pequenos. Não que apenas recorra a estes restaurantes, mas certamente saber aonde ir num momento de desespero alimentar infantil é essencial.

6. Ainda em relação a comida, converso com eles sobre as diferenças entre os hábitos daqui e do destino. Quando chego em cada destino, entro em um supermercado, e mostro as diferenças. Aliás, supermercado é essencial em viagens com crianças. Ter sempre no hotel um estoque de biscoitos, frutas, iogurtes, e o que mais agradar as crianças é muito bom. Também importante ter algum destes itens na mochila, para consumir durante o dia, mesmo em cidades grandes em que a oferta de restaurantes/lanchonetes seja grande.

7. Na escolha do hotel, tenho preferido ficar naqueles que tenham estrutura de flat, ou seja, que tenham ao menos uma cozinha pequena no apartamento. Mas isto não é uma regra rígida. Apenas percebi que ajuda muito ter este recurso para os dias de cansaço extremo, pois evita a necessidade de se sair para jantar, por exemplo. Procuro também hotéis em bairros mais residenciais, ou seja, com recursos para crianças: que seja próximo a supermercados, farmácias, até mesmo pracinhas ou parques. Poder sair a pé com a criança pelos arredores do hotel dá a elas uma sensação de ser menos turista, e mais viajante, ou seja, alguém que quer descobrir lugares novos.

8.Apesar de todas as dicas acima, que visam tentar não alterar muito o ritmo da criança, sempre enfatizo para eles que vamos para um lugar diferente, com hábitos diferentes, onde precisamos ter flexibilidade. Por isto, como falei acima, nossas viagens tem sido gradativamente mais complexas. E a capacidade de adaptação aumentando, nos vai permitindo vôos mais longiquos. Se alguém nunca se aventurou além de um resort, ou de um hotel fazenda, não recomendo que vá, por exemplo, para o Atacama. Ir testando e ampliando aos poucos a capacidade de adaptação é bem recomendável, inclusive durante a própria viagem. Já tivemos de voltar para trás em alguns passeios ao constatarmos que estava além dos limites dos pequenos. Neste aspecto, n’os, adultos, também temos que ter flexibilidade e aceitar que nem sempre vai ser possível cumprir todo o planejado.

9. O mais importante: a viagem tem que ser uma grande aventura para todos. Procurar um destino que seja ligado ao interesse dos pequenos ajuda também no sucesso da empreitada.

Em resumo:
Vá para onde quiser ir, e crie nos pequenos a paixão pelo diferente e pelo novo, e qualquer destino será bom para crianças. Quando digo que vou ou fui a algum destino “adulto” com meus filhos, frequentemente me perguntam: “O que tem lá para crianças?” A resposta é simples: o mundo.

Acho que estes princípios estão funcionando comigo. Meu filho mais novo me pediu uma viagem de presente de aniversário. Fazendo um brainstorming, sugeri alguns locais, dentre eles, o Beach Park. Ao que ele me respondeu: “Mamãe, esta não vale. Beach Park ‘e um parque de diversões, não um lugar em que tenha coisas para ver e descobrir...”

Desconfio que esteja se tornando um viajante de primeira (para minha alegria!)...

Desculpem o post mais alongado, Riq, se achar inconveniente, exclua, OK? Anyway, se quiserem dicas para crianças em qualquer dos lugares que citei acima, estou a disposição. Ja dei algumas dicas pontuais nos posts de Buenos Aires e Ushuaia, mas posso repetir.

Dani G.
Dani G.PermalinkResponder

Concordo em tudo que vc ! Faço as mesmas coisas, inclusive a parte de escolher hotel/flat q tenha uma cozinha. Isso da uma facilitada imensa na viagem !

Rafael
RafaelPermalinkResponder

Ótimo comentário!

Tenho uma filha de 2 (fazendo quase três) que já viaja até que bastante para ver os avós (um em Manaus, outro no RJ, sendo de Florianopolis) e pretendo levá-la em viagens internacionais comigo a partir de 2013. Vou levar em conta todas estas dicas, que aliás deveriam fazer parte do apanhado que o Riq fará. smile

Abs.,

Valéria
ValériaPermalinkResponder

Nossa, adorei as dicas, combina muito com o que penso e com a forma como quero criar meu fofucho. Obrigada por compartilhar Daniela, e nem se preocupe se ficou longo ou não, pois ficou ótimo de se ler. Acabei de fazer a primeira viagem com meu bebe de 2 meses e foi um sucesso, escolhemos obviamente um lugar mais calmo, uma pousada em Morretes, interior do Paraná. Vou relatar a experiência em breve no meu blog: www.foradomapa.com.br. Espero que meu lindinho se torne um viajante de carteirinha também, rs.

nubia
nubiaPermalinkResponder

Daniela,
Que legal ler seu post em um momento que tenho muitas dúvidas ao viajar com a minha filha que fará 01 aninho. Quando ela tinha 5 meses fomos para Caldas Novas, agora estava planejando ir para Venezuela em Los Roques, mas depois de pesquisar muito percebi que ainda não era o momento de levá-la p lá. Daí que resolvi fazer a viagem para o próximo mês de abril para a Península de Maraú, mas ainda assim é uma viagem que precisa de um bom planejamento. Já vi que escolhi a época de chuvas, mas foi a única data disponível.Aqui mesmo já me disseram que não é muito adequado p crianças tão pequenas pq a viagem é muito cansativa. Penso sempre no bem-estar da minha filha, vou tentar tomar a melhor decisão para todos nós. Caso vc tenha alguma dica já agradeço pela ajuda! E agradeço tb pelo seu post que já foi muito "estimulante". Bjo.

Daniela
DanielaPermalinkResponder

Nubia,
Nao sei de onde voce vai sair, para ir a Peninsula de Marau, mas se voce planejar uns dias para relaxar, acho que o cansaço da viagem é facilmente recuperado. De Ilhéus chega-se a Barra Grande em cerca de 2 horas, por terra. Aí voce soma este percurso ao voo em Ilheus. Considere pernoitar aí se tiver que encarar a estrada de noite, ou escurecendo, não recomendo este risco.
Em Barra Grande tem farmácia e posto de saúde. Em Itacaré um pouco mais de estrutura. Vá tranquila, sua filha irá adorar. As águas são calmas e quentes, e o lugar é mágico. Não deixe de ir num final da tarde ao Bar da Rô, mesmo que não seja para beber ou comer nada, mas apenas para tomar banho no rio. Delicioso!
Boa viagem!

Livia
LiviaPermalinkResponder

Eu também viajo pra todo lado com minha filha desde que ela era bebê. Ela atuamente está com 3 anos e meio, então ainda não temos muitos problemas com "negociação de passeios", e ela geralmente curte qualquer tipo de passeio desde que não seja algo muito barulhento. Mas se eu fosse citar os passeios e viagens "de adulto" que ela fez conosco, certamente incluiria Madrid e seus museus, Sydney, Melbourne, São Paulo e muitas outras. Desde que haja espaço para correr e brincar um pouco, a diversão está garantida.
Abraços,
Livia
http://maeviajante.com

San
SanPermalinkResponder

Riq,

A cada viagem, uma pequeno livro de memórias junta-se a outros na estante do escritório do nosso apartamento, e lá estão frases memoráveis, como a do pequeno Fernando, que, desembarcando na Austrália, com 3 anos, afirmou de forma segura: Mamãe, eu ainda não vi nenhum canguru.

Acompanho as suas viagens há muito tempo, e apesar de ler muitos blogs, só consigo tempo para escrever os meus diários de bordo, e normalmente depois que todos já estão "nanando".

Os meus pequenos têm 13, 9 e 4 e meio. Todos começaram a viajar antes dos 6 meses. Já andaram de elefante na Tailândia e camelo no Oriente Médio, e estiveram a poucos metros de leões, elefantes e búfalos na África do Sul. Provaram carnes e frutas que costumamos chamar de exóticas. A mais velha, Beatriz, tomou mamadeira nas Montanhas Rochosas Canadenses, e quase deixou cair um Coala que resolveu fazer suas necessidades quando estava no seu colo na Austrália. Todos rimos muito quando um macaco roubou o picolé do João na Malásia, e os maiores não queriam sair do mar nas ilhas Phi Phi, fascinados que estavam com a vida marinha.

E quem disse que criança não gosta de história? O João adorava ouvir histórias antes de dormir sobre o pequeno sultão que um dia tomou Constantinopla, e quando chegou em Istambul ficou encantado com as muralhas e com o palácio cujo nome sabia de cor. O mesmo aconteceu com o Fer, que com 6 anos literalmente corria pelo Louvre procurando as 200 obras mais famosas, cujas características conhecia melhor do que eu e meu marido.

E por aí vamos... interior da Alemanha, da Inglaterra, da Itália, de Portugal, da Espanha (com direito a moinhos de vento, e é claro, leitura de Dom Quixote para Crianças), Ilha da Madeira. Também muitos locais nos Estados Unidos, com destaque para uma viagem de carro pelo Texas, e outra pela Califórnia, onde os pequenos adoraram o Parque das Sequóias Gigantes. E, dentre diversas viagens de navio (que eles amam!), uma inesquecível,as ilhas do Havaí: vulcão em erupção, passeio de helicóptero, ondas gigantes, danças típicas, praias maravilhosas, baleias!

Hoje não me preocupo mais com malas. Tenho todas as listas prontas no computador, e deixo algumas coisas sempre pronta para a próxima partida. Depois que uma desaparece "no buraco negro das malas", nunca mais a gente coloca aquele casaco predileto dentro da mala que vai despachar.

Nas férias de julho faremos o interior da França. Estamos lendo juntos "Uma volta pela Gália com Asterix". Enquanto o João está planejando andar de balão, o Fer quer conhecer as praias do Dia D, e a Beatriz está estudando francês. Assim fica tudo muito divertido!

Se me preocupo com a saúde das crianças? É claro, mas de uma maneira razoável. Eu me informo sobre o local. Fazemos um bom seguro. Levo todos os remédios que posso imaginar precisar. E conto com a sorte. Não há regras: fomos para uma estação de esqui maravilhosa em Wengen/ Suiça e todos pegamos um rotavírus - foi horrível! Passamos 20 dias entre Tailândia, Malásia e Hong Kong, e não abri a frasqueira de remédios!

Exagerei... perdão. Eles estão "nanando", tive tempo.
Coisa de mãe! Sempre tem uma história para contar sobre o filho. Imagine eu, com três e este mundo tão maravilhoso visto pelos olhos deles!

Luanna
LuannaPermalinkResponder

Sempre levei minha filha para viajar comigo...alias desde que nasceu ela somente teve 02 festas de aniversário, o resto nestes 14 anos foram viagens.
Já fizemos de resorts no Brasil, maravilha para qualquer criança
e ai disney, new york, londres, paris...
E as dicas da Daniela ai de cima são também uma constante nas viagens.
O que eu acrescentaria a mais e que: poxa existem crianças no mundo todo, ou seja, pesquise o que elas fazem e aonde vão.
Sempre pesquiso via internet os parquinhos, aquários, zoo aonde os locais frequentam com seus filhos.
E olha exatamente como a Daniela, minha filha pegou gosto, este ano ao completar 14, ela fará a primeira viagem sozinha, um mini intercâmbio, ou seja, mais uma vez preferiu viajar a ter uma festa.
Uma outra dica que dou, e tentar e contratar por pelo menos 3 horas uma baby sitter, para um jantar com seu marido ou para você dar uma olhada na cidade sozinha...com 3 horinhas nós sentimos livres e conseguimos revigorar as energias para acompanhar as crianças.

Ines Martins
Ines MartinsPermalinkResponder

Não tenho filhos ams amei os posts! Parabéns Daniela e Luanna!

Ana Luisa
Ana LuisaPermalinkResponder

Viajo com meus filhos desde sempre. A primeira viagem do meu primogênito foi com 7 meses para Salvador e da cacula com 1 ano para Buenos Aires. Hoje eles já são grandinhos (11 e 7 anos). Já fomos diversas vezes para Buenos Aires, fomos ainda para Angostura, Bariloche (mas dai nem conta...) Paris, Londres, Amsterdã e dentro do Brasil para vários lugares,detre os quais Tiradentes, com alguma frequência, Paraty, vários lugares da Bahia...São Paulo, Campos do Jordão, Itaipava...enfim...filho nunca foi empecilho para a gente e confesso que prefiro bem mais fazer qualquer viagem na companhia dos pequenos.Meus filhos são notívagos como eu de forma que sempre saíamos (meu marido e eu) para jantar com eles sem que isso fosse um problema.Claro que é importantíssimo respeitar o ritmo deles para que a viagem seja boa para todos.Tento também manter um mínimo de rotina nos horários de dormir e nas refeições.Agora, sem sombra de dúvida o temperamento da criança conta bastante. No meu caso meus filhos amam viajar assim como eu e no geral topam tudo e estão sempre bem dispostos, mas isso varia de criança a criança. Não acredito naquela máxima de que "tal lugar não é para criança". Qualquer lugar pode ser para criança, desde que você tenha uma dose de paciência e criatividade!

Adriana Braga
Adriana BragaPermalinkResponder

São poucas as viagens que faço sem minha prole (são 3!!! 2 meninos de 6 e 11 anos, e uma menina de 13)... Entre dezembro e janeiro, fizemos um maravilhoso passeio de 27 dias por Las Vegas e Califórnia . Conheço muitos pais que acham que não encontrarão programas legais para os pequenos mas, eu garanto que sempre haverá um lugar bacana.
Bem, nessa nossa recente aventura descobrimos inúmeros lugares legais que atendesse o gosto de todos.

Para quem acha que Las Vegas só tem atração para adulto, engana-se. As crianças se divertiram demais. Aqui tem algumas dicas:
*Adventuredome Park - localizado no Hotel Circus Circus, esse parque tem montanha-russa, cineminha 4D, e vários outros brinquedos que atendem diferentes idades.
*Stratosphere Tower - na torre desse hotel tem 3 brinquedos, fora a maravilhosa vista. Os brinquedos são mais radicais. Só que teve realmente coragem foi minha filha...
* The Secret Garden and Dolphin Habitat - no The Mirage. Esse mini zoológico é muito legal.
* The Roller Coaster - essa montanha-russa fica no New York New York
* Rain Forest Café - localizado no MGM Grand, esse restaurante cheio de animais robotizados, que de vez em quando parecem criar vida, chamando a atenção de todos!

Já na Califórnia, onde ficamos mais tempo e passamos por várias cidades, eis as minhas dicas:
* Six Flags Magic Mountain - esse parque é muito bom!!! Personagens do Looney Tunes, Super-Heróis, e muitos brinquedos. Fica na cidade de Santa Clarita, próximo a Los Angeles.
* Evergreen Lodge - esse maravilhoso hotel fica no Parque Nacional de Yosemite. Contato com a natureza é aí!!! O local é perfeito, o atendimento melhor ainda.
* The California Academy of Sciences - esse centro cultural, que fica na linda San Francisco, inclui planetário, museu de história natural e aquário. E o melhor, ele fica localizado no Golden Gate Park que tem outras atrações.
* Exploratorium - também em San Francisco, esse museu de ciências é um dos mais divertidos dos EUA. Tudo pode tocar, pois as montagens interativas exploram os sentidos. Difícil foi tirar meus filhos de lá.
* Passeio de bondinho em San Francisco - para criança tudo é novidade. Os meus adoraram!
* Legoland - esse parque da Lego fica em Carlsbad, uma cidade linda, pertinho de San Diego.
* San Diego Zoo - um dos zoológicos mais famosos do mundo, além dos animais ( é claro!), tem muita coisa legal para se fazer lá. Recomendo o Skyfari, que é um bondinho aéreo, onde você tem uma ampla visão a 55m de altura!
* Universal Studios Hollywood - para os papais e filhos que gostam de cinema, recomendo o Studio Tours onde você pode ver os sets de filmes e produções de tv.
* Se seu filhos gostam de música, não deixem de levá-los ao Grammy Museum, em Los Angeles. Lá você pode dar uma de estrela da música e brincar com instrumentos musicais interativos. Próximo ao museu está o Staples Center, sede dos clubes LA Lakers, LA Clippers e LA Kings.
* Se seus filhos curtem esportes, nada como um bom joguinho ao vivo. Levei minha turminha para uma partida dos Lakers. Eles amaram!!
* Disneyland e Califórnia Adventure - sem dúvida é a principal atração da Califórnia. Esses parques, ficam em Anaheim, próximo a Los Angeles. São menores que os de Orlando, mas a magia é a mesma.
* Praia - a maioria das crianças gosta de praia. Levei os meus em Santa Monica (onde tem um parque, chamado Pacific Park com alguns brinquedos) e em Oceanside (próximo a San Diego).

Estou atualizando meu blog com todas essas dicas e muito mais. É só acessar : todafucsia.blogspot.com

Espero ter ajudado com minhas dicas.
Adriana

Hugo Loureiro
Hugo LoureiroPermalinkResponder

É isso ai Daniela, parabéns pela disposição em viajar e compartilhar estas informações.

Viajo com meu filho desde que ele tinha 6 meses, e sempre levamos a todos os lugares. A próxima viagem será para Floripa, e já estamos mostrando para ele como é a cidade, falando da ponte linda que tem lá, das praias da lagoa e claro do Beto Carreiro.

Acredito que quem realmente curte viajar, criança não é o problema. Para aqueles que não saem com seus filhos para curtir um dia no parque, num museu ou qualquer outra atividade em sua própria cidade vai ter dificuldades em viajar com crianças, então fica a dica, faça um teste "viajando" na sua própria cidade.

Daniela
DanielaPermalinkResponder

É verdade, a questão principal é curtir estar com os filhos, em qualquer lugar.
E acho que a grande chave para dar tudo certo é internalizar que vamos viajar COM as crianças, e não apenas levar (carregar...) as crianças na vaigem.

Fernanda M
Fernanda MPermalinkResponder

Viajamos sempre com nossos filhos, desde a fase de hotel fazenda à do ecoturismo (rapel, tirolesa, rafting). O olhar de viagem precisa ser cultivado, incentivado nas crianças e mantido nos adultos (concordo que podemos viajar na nossa própria cidade). É o olhar do descobrimento e do encantamento, que faz um período curtinho de tempo tão especial. Viajando nos sentimos parte do mundo inteiro e do momento agora.Recentemente, vimos os painéis de Portinari e a exposição no Masp, e escutei: "Masp de novo, mãe?" Sim, de novo, e de novo. Só gostamos do que conhecemos, e é muito legal proporcionar esse aprendizado para as crianças. Os painéis Guerra e Paz de Portinari tem visita gratuita.

Eunice
EunicePermalinkResponder

Viajamos com a filhota desde que ela tinha 10 meses. Nessa primeira viagem alugamos uma casa em João Pessoa e passamos 1 mes lá. Depois disso, começou a fase dos hotéis. Nunca nos preocupamos em escolher destinos infantis. Sempre procuramos, em qualquer destino, atividades infantis mescladas com outras, que ela aprendeu a amar. Também nunca nos preocupamos com "comida infantil". Talvez, por ter hábito de ir a restaurantes variados desde pequena ela não tenha restrições alimentares e come em qualquer lugar. Também sempre procuramos vôos confortáveis, sem escalas; quando isso não era possível, nós passavamos 1 ou dois dias na escala, p.ex,antes do destino final. Viajamos sempre respeitando o ritmo dela, esperando acordar, parando se ela cansasse, e enquanto era criança, sempre levamos alguns de seus birnquedos favoritos. Hoje, já uma moça, adora viajar. E o que me deixa muito feliz: adora viajar conosco e já participa ativamente da escolha do destino e dos preparativos para a viagem. Já viajamos com ela pelo Brasil - diversos destinos, Argentina, Chile, Uruguai, boa parte da Europa, USA. Já viajou só também ( em excursões de adolescentes ) para os USA e para a Europa.

Sut-Mie | Viajando com Pimpolhos

Ah, adorei o post e os comentários! Como eu gostaria de sentar e conversar com estas pessoas, trocar estas experiências todas! Todos viajantes com crianças, que compartilham a ideia de que viajar com filhos é prazeroso e não impossível ou trabalhoso como tantos outros pais pensam! smile

Alix
AlixPermalinkResponder

Levei as crianças comigo em TODAS as viagens que fiz depois que eles nasceram. Destinos adultos: Paris, Lisboa, Copenhage, Estocolmo, Amsterdam, Porto, Santiago, Foz do Iguaçu.

Dani G.
Dani G.PermalinkResponder

A primeira viagem do Gabs foi com 2 SEMANAS de vida, todo mundo me chamando de louca, mas foi tranquilissimo, rs. Ele estreou indo pro Lago Maggiore e foi uma delicia. Ele viaja com a gente para todos os lugares, a unica viagem q fiz sem ele, foi pra conVnVençao em Nova Iorque ano passado, mas nao foi pq eu enfim queria viajar sozinha. Acho que a Daniela ja escreveu tudo ali em cima. So é planejar direitinho e seguir o ritmo das crianças que qualquer destino se torna child-friendly !

Thiago Augusto

Maria Luiza viaja desde os 2 meses. Seguimos boa parte das dicas já deixadas acima, a principal é fazer os programas sob a perspectiva das criañças. Em Paris, por exemplo, ao invés de usarmos o metrô, nos deslocavamos de batobus pois era mais divertido pra ela ...
Assim, qq cidade adulta vira destino para crianças também ...

Andrea& Roberto Martorelli

Já fomos para NYC com nossos filhos... foi ótimo!
Segue link do blog com infos...

mariana ribeiro

meus filhos sempre viajam comigo, seja para o Brasil, Europa ou Asia. Eles se adaptam muito bem. Minha filha com menos de um ano ja' tinha status Gold com a American Airlines!

Andre
AndrePermalinkResponder

Olá, San, estamos querendo fazer Africa do Sul com nossa filha de 6 anos. Você poderia informar como foi o seu roteiro e dizer o que é mais interessante para visitar? Obrigado

Tatiana
TatianaPermalinkResponder

Oi, André! Estava lendo os comentários no blog e vi sua pergunta. Como acabei de voltar de uma viagem à África do Sul com minha filha de 9 anos, achei que poderia te ajudar de alguma forma. Antes de mais nada, vou te dizer: ela adorou!! Assim como nós. Foi uma viagem inesquecível de 20 dias. Segue abaixo um resumo do nosso roteiro:
- chegada em Nelspruit
- 2 dias de self-safári no Kruger (nos hospedamos no campo Skukuza)
- 2 dias de safáris guiados na reserva privada do hotel Kapama
- 2 dias em Johanesburgo
- 2 dias em Sun City (eu dispensaria, mas minha filha adorou)
- 4 dias em Cape Town
- 1 dia em Hermanus (mergulhamos com tubarões brancos, inclusive ela, um barato!)
- 2 dias em Victoria Falls, no Zimbábue
Tirando a vacina contra febre amarela e o repelente poderoso que compramos (Exposis Extreme, frasco preto, ótimo!), não tivemos mais nenhum cuidado especial na viagem. Foi maravilhoso!
Espero ter ajudado de alguma forma. Um abraço,
Tatiana

luisa
luisaPermalinkResponder

Eu viajo! E tenho um Blog, com uma sócia: www.kidsnaestrada.blogspot.com
Já estive com meu filho, João, de 8 anos, em lugares mais óbvios(Disney, NY, estação de esqui) e outros nem tanto assim: Maui, Cairo, Alexandria, Istambul, Kusadasi, Jerusalem, Haifa, Liverpool... Em janeiro fomos ao México. Desta vez nosso caçula, José, um ano e 8 meses, também se aventurou. Recomendo muito. Acho que eles crescem tremendamente a cada experiencia. Basta perder o medo, respirar fundo e aproveitar. A herança que fica para nossos filhos é inestimável.

Alex Melo
Alex MeloPermalinkResponder

A filhota chega em 10 dias! Estou naquele misto de ansiedade e desespero hehe
Assim, mais uma vez estes posts são uma maravilha prá mim, marinheiro de primeira viagem, que morre de medo de como vai ficar a vida viajante a partir de agora.

Estava até planejando a primeira viagem, prá Colombia (por ser mais barata um pouco e mais próxima), mas acho que a infra de lá é meio complicada para um bebê com menos de 6 meses, então devo ficar pelo Brasil mesmo, ou deixar mais prá frente um pouco wink

Independente de quando e para onde, o que importa é ver que tanta gente passa pelos mesmos questionamentos antes da gravidez e depois do nascimento, e perceber quanto tudo pode ser maravilhoso...
No final, o grande problema para pensar em viagem será o mesmo que tinha antes da filha: onde conseguir dinheiro? heheheh

Evelyn
EvelynPermalinkResponder

Alex, em Bogotá e Cartagena, na Colômbia, não achei a infra nem um pouco complicada... Acho que dá pra ir sem medo, sim.

Karina
KarinaPermalinkResponder

Viajo com minha filha e não abro mão! Já viajava com meus enteados e agora vamos todos juntos. Hoje eles são adolescentes de 16 e 18 anos e ela uma bebê de 2 anos. Somos de BH e já fomos ao Rio, Vancouver, Buenos Aires, Montevideu, Paris e Pipa. Fora as viagens aqui por perto. As dicas são as mesmas, acesso a cozinha, um pouquinho mais de estrutura nas pousadas, TV a cabo para os momentos de descanso ou DVD, remedinhos básicos a mão... Como diz uma amiga que também viaja com os filhos, criança dá trabalho em qualquer lugar, mas se você estiver em Paris, por exemplo, fica tudo mais gostoso!!

Destemperadinhos

Oi Riq
Apesar de percorrer destinos mais "óbvios" com crianças a bordo, acredito muito que qualquer destino adulto pode virar child friendly se os pais souberem respeitar o time dos filhos. Mas, enfim, praia é sempre um destino certeiro, seja onde for. Não é a toa que amamos Punta, Miami e Rio com crianças. Nunca fui, mas iria também para Londres ou NY (ambas as capitais tem muitas atrações e parques para o público infantil).
Abraços
Alexandra
www.destemperadinhos.com

Luciana Bordallo Misura

Nos fomos a NY, Londres, Paris & outras grandes cidades com a nossa pequena e ela amou, tem muita coisa legal pra fazer com as criancas nessas cidades.

Patricia Luck
Patricia LuckPermalinkResponder

Viajo com meus 3 filhos desde que a mais velha tinha 3 meses: hoje as idades são 4, 9 e 12 anos. Boa infra-estrutura, malas enxutas (por incrível que pareça é mais fácil levar menos roupa e lavar pelo caminho) e muuuito, mas muuuito papo mesmo, para "vender" o passeio. Nunca viajei levando babá e estimulo muito a autonomia deles: cada um leva sua mochila com itens pessoais e é responsável por ela (o do meio tem bronquite e carrega sua bombinha, a mais velha não anda sem IPod e o mais novo sabe cuidar direitinho do estojo de lápis de cor e livro para colorir). Uma grande vantagem é que sempre ensinei-os a comer de tudo, então não me aperto em nenhum lugar, nunca precisei procurar aqueles cardápios infantis tipo arroz, feijão, bife e batata frita. Comem de tudo. Quando viajo com eles, sei que devo priorizar o almoço, e não o jantar, porque se for para voltar ao hotel e depois sair de novo, não rola porque estão muito cansados e querem cama!

Carrego sempre um mini jogo de dominó na bolsa e um baralho (são leves, baratos e a bateria não acaba nunca) e procuro sempre que possível ficar em apartamentos ou apart-hotéis.

Gosto também de levar um lanchinho na bolsa porque pagar 8 reais por um italiano mequetrefe em Congonhas é pra morrer (isso foi ontem, que raiva!)...

Daniela
DanielaPermalinkResponder

É verdade, Patricia, concordo com as malas enxutíssimas (também desenvolvi um método de escolha de roupas que sejam fáceis de lavar e reutilizar sem passar...) e com o incentivo ao hábito de comer de tudo. Os meus também não gostam dos cardápios infantis, que são sempre os mesmos em todos os lugares, e procuram ao menos provar as opções locais. Andam com saudades da truta e da sopa de centolla de Ushuaia, por exemplo...smile

Daniella
DaniellaPermalinkResponder

uma das coisas que mais amo na vida é viajar, e faço isso desde pequena. meus pais, sempre que viajavam, me levavam, e também meu irmão mais novo. assim, foi natural que, quando eu tivesse meus filhos, também quisesse incluí-los nos programas - e assim tem sido.
é claro que não é a mesma coisa que viajar só com o marido ou com um grupo de amigos, mas não consigo conceber uma viagem sem que minhas pimpolhas estejam no projeto. como algumas pessoas já disseram, é importante tomar uma série de cuidados, que vão do vôo mais curto possível e à noite, de preferência, aos remédios que podem ser necessários em uma emergência (tudo, claro, previamente discutido com o pediatra). Seguro saúde é importantíssimo, indispensável. Fazer um roteiro de forma detalhada, idem. Não gosto de excursões, então faço os roteiros das nossas viagens totalmente personalizados, verificando o tempo ideal em cada parada, o que vamos ver a cada dia, etc. Pode haver imprevistos (qual viagem não tem?), e se é chato sem criança, com elas pode ser meio desesperador (mas depois acabamos rindo de tudo), como na viagem que fiz em abril passado à Europa com minha filha de dois anos e meio e minha comadre e deixei para reservar a passagem de trem noturno de Paris para Florença - e não tinha passagem em nenhum dos vinte dias seguintes! Bem, relaxamos, aproveitamos mais Paris, negociei com o hotel em Florença (que deixou de cobrar o no show), compramos passagens aéreas para a Itália e tudo deu certo. Minha filha mais velha viaja desde os seis meses de idade e já tem o passaporte razoavelmente carimbado, conhecendo diversos países da Europa, onde esteve por duas vezes, EUA (também duas vezes), Panamá e vários estados brasileiros. Minha caçula está com dois meses e viajou na barriga para a Europa e os EUA! Se Deus quiser, também terá gosto em viajar como os pais, e em outubro estréia na Disney.
Digo que é uma experiência maravilhosa que podemos proporcionar aos nossos filhos, pois viajar significa conhecer novas culturas, novas idéias e pessoas, o que é bom demais. Basta estar preparado para um ritmo diferente de uma viagem só de adultos, pois eles andam mais devagar, se cansam mais rapidamente e podem não estar a fim de fazer compras em Miami ou NY, por exemplo, mas respeitando o ritmo deles, as viagens tornam-se inesquecíveis, garanto! eek)

Rebecca
RebeccaPermalinkResponder

Eu sempre viajo com meus filhos, não deixo eles por nada! As gêmeas estão com 1 mês e na pascoa estamos indo viajar para Paris, com 4 crianças. Eu não sou o tipo que planeja viagem e deixa tudo certinho para fazer nos dias em que vamos ficar lá, primeiro eu tenho ver como meus filhos estão e se vão querer fazer aquilo. Os meus, Arthur de 5 anos e Maria Clara de 2, ficam feliz se ganharem um presente (não importa qual for) e a viagem já compensa! Agora que a fábrica fechou com certeza vamos viajar mais, pois ano que vem já não teremos bebês em casa. E compras sempre deixa qualquer mulher feliz, não importa a idade, Clara sempre ama ir em shopping, então enquanto eu vou no shopping com ela o maridão vai fazer alguma coisa com o Arthur, e assim a viagem fica bem tranquila.

Luquésio
LuquésioPermalinkResponder

Eu e a minha esposa, sempre levamos o Gianluca pra todos os lugares, desde que ele estava na barriga da mamãe! Sta Catarina de carro quando ele tinha 1 ano foi demais! Ficamos até numa praia de naturismo!
Estivemos também na Bahia... e onde tem água, é com ele mesmo!
No sul, as cataratas do Iguaçu e Itaipú ainda estão na memória dele. Fomos também para Ciudad del Este... mas lá é complicado.
Agora em Maio / Junho vou levá-lo pra Europa, hoje ele tem 3 aninhos.
Me desanimou muito saber que Paris, inicialmente, não acolhe muito bem as crianças, mas tive tantas dicas postadas no meu comentário, que comecei a ver a cidade com outros olhos....
Sempre levamos nas viagens alguns objetos que são familiares, para manter um pouco o vínculo com o lar... parece que funciona.
Abraço a todos, boa viagem!
Luquésio

Bruna
BrunaPermalinkResponder

Meu marido é surfista profissional e até o ano passado a gente viaja com ele. Como os destinos com certeza eram adultos, a unica diversão pra Melissa e pro Joaquim era a praia, quando fomos pro Hawaii, eles amaram! Prais lindas, vulcões e comidas bem diferentes. Melissa e Joaquim não são aquelas crianças que experimentam de tudo, mas quando eles gostam da "cara" da comida eles comem, então eles já comeram muito coisa pelo mundo! Melissa tem 5 anos, Joaquim tem 3 anos e já viajaram mais que muitos adultos por aí, agora com a chegada do Murilo e com a necessariedade da Melissa e do Joaquim irem para a escola as viagens vão ser só nas férias e o papai vai parar de surfar, o lado bom de ter marido surfista é que você vive bronzeada e é obrigada a manter o corpão rsrsrsrs Acho que é essa coisa de viagem adulto é uma coisa que não exite pra quem tem filhos, até porque ELES fazem a cidade virar um cidade pra eles, quando fomos passear em Paris (que não é praia) eles se divertiram muito mais do que em todas as praias envolta do mundo que já vamos! Murilo irá fazer sua estréia nos aviões em junho, em um viagem para a Austrália e em dezembro vamos estrear a Disney, sim, nós vamos no frio para a Disney, mas na Disney não neva igual nos outros lugares dos EUA nessa época do ano, só é frio mas não é exagerado. Alguma dica pra quem vai viajar com um bebê de 6 meses pra Austrália?

Karla Alves Leal

Oi, Riq! Eu viajo com meu filho desde os 3 meses de idade, e nem sempre o destino ou a hospedagem é kids friendly. Me preocupo com certas facilidades e o resto é comigo mesmo. Tenho um checklist de coisas que não podem faltar como banheira inflável, mamadeira descartável, dvd portátil... tudo adaptado e sem grandes volumes. O destino quem faz somos nós! A estreia do Theo foi no Uruguai e atualmente, como estamos morando em Natal, estamos explorando o Rio Grande do Norte e os outros estados queridos do nosso lindo Nordeste.

Bjs,
Karla

www.cariocandoporai.blogspot.com

Tereza
TerezaPermalinkResponder

Como morei muitos anos nos Estados Unidos posso dizer que em todas as cidades tem lugares para crianças! Como Las Vegas que é muito conhecido por ser uma cidade bem adulta com cassinos e varias coisas, quase é uma cidade mais infantil do que adulta. Quando fui com a Camila ela tinha 2 anos e eu estava grávida do Matias, e posso dizer que a gente curtir muito, assim como outras cidades que fomos que são conhecidas como cidades adultas e ela curtiu muito e quando Matias foi também curtir, com certeza se algum dia voltarmos para os Estados Unidos vamos nos mesmos lugares! Agora estamos planejando viagens para as férias, em dezembro vamos para Paris curtir o friozão de lá e no meio do ano estamos pensando em ir para o Canadá, no friozão mesmo. Acho que essa coisa de cidade adulta realmente não existe porque em toda cidade tem criança então com certeza vai ter alguma coisa para fazer com os filhotes!

Marcio
MarcioPermalinkResponder

Eu tenho viajado com a Pequena Vitória desde que ela nasceu e o blog está virando um caderno de recordação com fotos e dicas.

Tem muito comentário legal nesse post vou acompanhar atento para ir escolhendo as próximas viagens!

Abs!

Yara
YaraPermalinkResponder

Ami as dicas de todos!! Estarei com meu baby de 1 aninho em NYC em abril. Alguém tem alguma super dica do que fazer, ver ou comer na cidade com o pequeno? Será nossa primeira grande viagem em família!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Alô, Yara! Siga as dicas da Paula Homor, do blog NY with Kids: https://www.viajenaviagem.com/2012/02/nova-york-criancas/

Yara
YaraPermalinkResponder

Querida Bóia, muito obrigada pelas dicas! Viajo em abril com nosso bebê e com tudo anotado smile

Marcia
MarciaPermalinkResponder

Viajar com crianças é muito fácil, nossa filha tem 4 anos e viaja com a gente desde o seu primeiro aninho, sempre escolhemos lugares com piscina, resorts, neste ano novo fomos para Buenos Aires com ela, foi show !!! Levamos a mocinha na loja da Barbie, levamos em pracinhas, saímos para jantar. Sempre com muita disposição, pois eu pesquiso muito na internet os lugares de viajar antes de irmos !!!! criança vale a pena levar sim !!!

Tatiana Motta
Tatiana MottaPermalinkResponder

Gostei muito dos comentários!
Eu tenho dois filhos (7 e 11) e viajo seguidamente com eles. Já fomos para o RJ, Foz, Florianópolis, Gramado... Nunca tivemos problemas. Algumas coisas ajudam, DVD portátil em viagens longas de carro ou avião. Ter alguma coisa à mão para comer em caso de demora para chegar a um restaurante. Acho importante programar os passeios com um pouco mais de tempo do que numa viagem de adultos (alguém comentou isso antes) e também programar algumas pausas entre um passeio e outro. Na minha experiência a única coisa que definitivamente não funciona é compras com crianças!

Fabiola Augusta

Sempre viajamos eu e meu marido com o João Guilherme a tiracolo. Desde 1 ano e meio ele nos acompanha e já fui a vários destinos, NY, Disney, Paris, Porto, Lisboa. Amou Paris. Quando viu a cidade luz do topo da torre Eifel, pediu para comprarmos um pára-quedas pois ele queria pular de lá. Amou Giverny mais ainda. Tudo é Monet. Não pode ver uma reprodução de gravura que diz logo, Monet, mamãe, é a casa do Monet. Em Portugal, não preciso dizer a alegria dele no Oceanário e o mascote Vasco (ele dizia, por que não Flamengo?) Nunca foi empecilho para viajarmos. Como boa hipocondríaca, sempre tive medo de doenças mas na última viagem, em julho, a Punta Cana, quem ficou de cama, no hospital fui eu, com crise renal... Ele mesmo nunca me deu trabalho! Sempre fazemos uma viagem com o João e outra mais romântica. Mas quando vamos eu e Rodrigo, sentimos muita falta do nosso pequeno. Aí toma skype e msn para vê-lo ao vivo e a cores!

fabiana capellari

Viajo com minha filha desde 1ano e 6 meses!! Já fomos para Chile, foz do Iguaçu Punta del Leste. ela é uma ótima companheira, sempre animada!!

Fabiana guida
Fabiana guidaPermalinkResponder

A única viagem sem as meninas de 11,14 e 16 anos foi ano passado para LAs Vegas,que já virou desculpa para voltarmos com elas , pois,sao super companheiras de viagens , topam tudo ,desde passar o dia numa praia deserta sem um sorveteiro , fazer trilhas buscando uma linda cachoeira no meio do nada ,ate esquecer da vida entrando em todas as lojas em Ny .

Elas amam viajar , estamos sempre planejando a próxima aventura !!!

Sandro Salvi
Sandro SalviPermalinkResponder

Minha filha está com 2 anos, já fomos à Paris quando tinha 8 meses. Ficamos em apartamento alugado para não tirar a liberdade. Foi tudo perfeito.
Ano passado,fomos a Buenos Aires também com apto alugado. No aeroporto e avião as pessoas pareceram não ter muita paciência com criança de 20 meses, isto tornou a viagem um pouco cansativa.
Hoje ela está com 25 meses e, em maio, iremos a Alemanha e Republica Tcheca e alugaremos um carro. Será uma nova experiencia.
O que vale, é estarmos juntos, Eu, minha esposa e minha filha durante todo tempo, conhecendo coisas novas.
Fora as viagens internacionais, sempre levamos nossa filha em viagens no país.

Luciana Bordallo Misura

Julia esta com 4 anos e meio e viaja desde os 4 meses, e o Eric que esta com 4 meses viaja desde 3 semanas de idade wink

Ja levamos pra Londres, Paris, Bruxelas, Amsterdam, varias cidades aqui nos EUA (NY, San Francisco, New Orleans, Los Angeles, Miami, Chicago, Seattle, San Antonio, Houston...), Mexico, Aruba, Republica Dominicana, Canada, e pro Brasil (visitando a familia no Rio). Julia sempre curtiu todas as viagens, a gente sempre inclui programas pra ela no meio do roteiro "de adulto", e cabe aos pais tornar as atracoes "de adulto" interessantes pros pequenos.

Chegamos hoje de Seattle com eles, curtimos bastante a viagem. Acho que quem tem medo de viajar com os filhos provavelmente nunca experimentou!

Lali
LaliPermalinkResponder

Eu já experimentei e por isso mesmo, tenho medo....hehehe. Brincadeira à parte, não digo medo, mas nem sempre acho que compensa levar em todas as ocasiões. há viagens que são sim, não opinião mais bacanas se feitas apenas na companhia de adultos. Outras podem ser incríveis em família. Depois, qdo puder, vou relatar as minha experiências. Não me arrependo de nenhuma delas, mas estou ansiosa para viajar só com o maridão, algo que nuca fizemos...

Aline
AlinePermalinkResponder

Gente, isso aqui tá uma delícia. Fiquei lendo tanto que já não tenho tempo de escrever! Vou atrás do trem do "levem seus filhos junto!" mas sem contar minhas aventuras. Só vou adiantar que em Novembro devemos ir para a Costa Rica com meus filhos de 2 e 4. Fora isso preciso de uma ajuda. Alguém tirou visto para o Vietnam através desses sites que se oferecem para tirar o visto? Qual? Se não, como fizeram? Obrigada! Beijos.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Aline! Colocamos a sua pergunta do visto do Vietnã no perguntódromo.

Aline Arantes
Aline ArantesPermalinkResponder

Obrigada!

Aline Arantes
Aline ArantesPermalinkResponder

Snif. Tá lá não!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Aline! Devo ter feito alguma barbeiragem, porque eu tenho certeza de pus a sua pergunta. Mas já está lá de novo.

De todo modo, parece que é mesmo indispensável pegar a carta de autorização num desses sites para tirar o visto na chegada.

JotaPê
JotaPêPermalinkResponder

Aline, é essencial comprar a pré-autorização através de uma agencia. Caso não faça isso, não dá para obter o "Visa on Arrival"
Eu fiz isso em Janeiro, utilizei esta agência e correu tudo bem,
http://www.vietnam-visa.org/
basta seguir os passos indicados. Confira as tarifas para grupos, são bem vantajosas.

Rafael Henrique Zerbetto

Irei para Hanói em julho e tirei meu visto pelo site, mas gostaria de saber como é o procedimento de embarque aqui no Brasil: a PF aceita o documento vietnamita para me deixar sair do Brasil sem visto carimbado ou eu preciso providenciar tradução oficial ou algum outro documento?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rafael! Não é função da PF saber se você tem os documentos para entrar no país de destino. Só quem se preocupa com isso é a cia. aérea, porque pode arcar com as despesas de transporte de volta caso neguem a entrada ao passageiro. Caso o sistema da cia. aérea peça que você apresente seu visto para o Vietnã, basta apresentar essa sua carta de pré-visto.

Aline
AlinePermalinkResponder

Muito obrigada!

Beijos.

Roberto Duarte

Sempre viajamos com a nossa filha desde que ela tinha dois anos, já rodamos muito pelo nordeste e sul, no exterior estivemos N. York, Miami, Buenos Aires, Colonia De Sacramento, Montevideu, Punta Del Este, sem contar a Tríplice Fronteira, o negócio é arrumar alguma coisa pra criança nas cidades visitadas que fica tranquilo.
De carro o dificil é evitar o já tá chegando?

Ju
JuPermalinkResponder

Oi, Aline,
Se vc preferir, e houver tempo disponível, o visto pode ser tirado no Brasil. Basta enviar passaporte, formulário, foto e pgto taxa (transferência bancária) para a Embaixada em Brasília (informações - 61.3364.5876).
Pelo que me informaram na embaixada, o serviço das agências de viagem funciona, mas não é nada oficial.
Abç. Ju

Michele
MichelePermalinkResponder

Oi Aline, quando fui, jan de 2010, fiz tudo com a embaixada antes da viagem e foi tudo ótimo e rápido. Abraços

Betina
BetinaPermalinkResponder

Faço coro com os pais que carregam seus filhotes a tiracolo por onde vão. No nosso caso, costumamos incluir em nossa programação adulta alguma diversão adequada à idade das crianças (14 e 9 anos) durante o dia. Deste modo, a noite, cansados, eles ficam no hotel para que meu marido e eu possamos jantar em algum restaurantezinho tranquilamente.

Mas, um detalhe me chama a atenção desde 2010: a imigração ainda na saída do Brasil (passamos por isto em Recife e em São Paulo). Os agentes tem redobrado os cuidados para ter certeza de que aquelas crianças/adolescentes são mesmo os filhos daquele casal, ou estão autorizados a viajar com eles. Isto leva um tempão, conferem fotos, pedem também a carteira de identidade, tiram cópia do passaporte (mesmo o azul) e ainda fazem mil perguntas para conferir a intenção da viagem. Ok, isto deve ser na intenção de protegê-los, mas a operacionalização tira a paciência, por que geralmente só há um guichê para conferir documentos de famílias ou de jovens desacompanhados.

Não bastasse isso, ano passado em todas as fronteiras a nossa filha, então com 13 anos, era revistada - disseram que era por causa de meninas sendo usadas como mulas para o tráfico de drogas.

Bem, faço este relato para sugerir que, ao viajar com os filhos, deve-se entrar na sala do check in com bastante tempo de antecedência!

Lali
LaliPermalinkResponder

Sobre viajer com crianças: Eu adoro viajar com meus pequenos e ainda costumo levar o primo a tira-colo, tamanho é o meu prazer com a companhia deles smile
Mas cheguei a conclusao nem sempre compensa levá-los em qualquer viagem. Já fiz viagens em que tudo valeu e pena e outras em que não achei que foi a melhor opção, na relação custo-benefício. Qdo digo custo, não falo de dinheiro e sim do desgaste para eles e para nós adultos. Seguem os relatos de algumas viagens com os meninos:

1- A primeira viagem mais longa, foi qdo o mais velho tinha 4 anos p/ Salvador, Praia do Forte e Morro de São Paulo. O menino adorou passear pelo centro histórico, curtiu tirar foto com as baianas e olhar os artesanatos, a arquitetura, tudo foi interessante e curioso! Tínhamos ficando uns dias num resort em Praia do Forte (destino child friendly) mas a ida a Morro, num esquema sem a estrutura do resort não deixou nada a desejar! Todos nós adoramos!

2- Fizemos tbém, uma viagem de carro até o Florianópolis, onde visitamos, entre outras coisas, o Beto Carrero. Aí já foram 3 crianças (meus 2 filhos com 7 e 2 anos e o sobrinho com 8). Eles curtiram a idéia da "aventura pela estrada" e encararam na boa a travessia. Os mais velhos adoraram Curitiba, foi surpreendente como se admiravam com a arquitetura e as diferenças da cidade com relação ao Rio, onde moramos. Foi bastante enriquecedor para eles. O pequeno, curtiu tbém, mas não sei se justificaria levá-lo apenas para Curitiba, por exemplo.

3- Ano passado nós fomos p/ Bariloche, que tbém pode ser considerado destino infantil, mas ficamos 3 dias em Buenos Aires com as crianças (com 3, 8 e 9 anos). Mesmo Bariloche, não foi como eu imaginei para o pequeno de 3 anos. Ele sonhava em ver a neve, mas na hora, não curtiu as luvas e ficava com os dedos roxos, reclamando de dor... O resultado foi que logo se cansava e queria ir p/ calefação... Sorte que meu marido não se importava de ficar nos restaurante com ele por alguns períodos, enquanto nós esquiávamos. Em BsAs, eu me arrependi um pouco de ter feito a esticada por lá. Não é que eles não tenham curtido nada, mas eles estavam já bastante cansados da jornada anterior e sem pique para uma cidade-grande. Sobretudo o pequeno de 3 anos. Estava muito frio e ele, por vezes pedia para voltar ao hotel. Almoçar e jantar não era muito fácil, o menorzinho não curte ficar muito tempo em restaurantes. Ou seja, nós não aproveitamos nem a décima-parte do que teríamos aproveitado sem eles. Com certeza quero voltar lá, só com o marido. E já decidi que não viajo mais pra cidade-grande com criança pequena por enquanto! Pretendo fazer viagens infantis e adultas, sempre alternando, até o pequeno completar uns 6 anos, pelo menos.

Juliana
JulianaPermalinkResponder

Acabei de voltar de Noronha! Levei meu filhote de 7 anos, que amou! No meu grupo de amigos, as crianças, de 5 a 11 anos, fizeram todos os passeios, sem restriç?o.
no Reveillon, levei-o pra Roatan, uma ilha muito bacana em Honduras, tb com muita diversão e sem problemas. Pras férias de julho, estou pensando na Africa do Sul e as dicas acima foram ótimas.

Elis Folhadella

Família que viaja unida permanece unida.

Viajando com bebês pela primeira vez

[...] de vários blogs sobre viagens com bebês e crianças. Recentemente, ainda foi publicado um post sobre destinos tidos como adultos onde se pode levar as crianças sem problema [...]

Bia Botelho
Bia BotelhoPermalinkResponder

A primeira viagem com os filhos causa um pouco de apreensão...mas depois da estréia, tudo é festa!! Eu e meu marido viajamos sempre com nossos filhos um de 8 e o outro de 4 anos, mas não deixamos de fazer algumas viagens sozinhos para namorar um pouquinho e "descansar" das viagens com os filhotes!! rsrs É sempre muito bom, mas não nego que é cansativo, eles ficam bastante excitados, ainda mais porque além de serem dois meninos (bastante saudáveis ! rsrs)se deliciam com a companhia dos pais 24 horas por dia, sem colégio, sem babá, sem empregados....Mas todas as viagens são sempre maravilhosas, apesar de todo o cansaço! Quero mostrar o mundo para os meus filhos e decididamente não quero que eles fiquem restritos a Disney!! Nada contra....é ótimo....mas vamos combinar que é um programa extremamente cansativo para eles e para nós!!!! Já fomos duas vezes e agora já avisei que só daqui há 5 anos!! E para falar a verdade tiveram outras viagens que eles curtiram muito mais do que a Disney, como por exemplo, Aruba e Bariloche!! Em junho eles terão um gostinho de Europa e vamos para Portugal. Aqui em casa as festanças de aniversários já foram substituídas há muito tempo por viagens!! E a família toda adorou a substituição!! Concordo: família que viaja unida permanece unida!!

Karina
KarinaPermalinkResponder

Viajei para o Chile com minha filha de 8 anos, somente nós duas. No começo fiquei apreensiva pois estaria sozinha com uma criança em outro país mas foi tudo tranquilo, me senti extremamente segura no Chile. Foi a primeira viagem internacional dela. Ela curtiu muito toda a viagem. Adorou principalmente o Museu Pre Colombino e as casas de Pablo Neruda, agora ela só bebe água em copos coloridos como fazia o poeta. Foi maravilhoso !!!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar