Organize seu dia: faça primeiro o mais importante

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Château de Villandry, Vale do Loire

Aposto que você vai se identificar com esta situação. Quando você viaja, você programa uma série de passeios/atividades/paradas/escalas a cada dia. Tudo começa muito bem, mas no fim do dia você se vê em corrida desabalada feito escola de samba atrasada para terminar o desfile.

Todo mundo é assim. Só quem domina a manha dos lerês cronometrados são os operadores de tour organizados, que fazem isso todo dia, conhecem as distâncias, sabem onde parar e controlam rigidamente o tempo que os passageiros podem passar em cada lugar.

A gente, que está indo pela primeira vez e tem espírito curioso, naturalmente acaba se demorando mais nos lugares. O resultado é a correria do fim do dia.

O jeito de combater esse problema é hierarquizar o seu dia. Estabeleça sempre uma atividade mais importante. E sempre que possível, comece por ela. Assim você investe o tempo necessário para visitar a atração principal. Tente deixar as menos importantes para o fim do dia -- assim, se for preciso cortar da programação, não vai doer.


Essa estratégia é válida sobretudo para viagens de carro com várias paradas no dia. A gente se entusiasma com as paradas do caminho e acaba chegando ao destino principal na hora em que tudo está fechando.

Sempre que possível, comece pelo principal. O que couber depois no seu dia vai ser lucro (sem falar que, ticada a atração principal, você vai curtir o resto sem stress).

Caso não seja logisticamente viável começar pelo principal (ou se a melhor hora de visitar for à tarde), então estabeleça um horário para estar no lugar. E à medida em que a sua programação for se atrasando, você cancela as atividades intermediárias para estar na melhor hora na atração principal.

(Esse é o tipo de post que eu preciso ler antes de cada nova viagem...)

Siga o Viaje na Viagem no Twitter - @viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire

Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por email - VnV por email


30 comentários

val
valPermalinkResponder

Boa! já me conformei que não dá pra ver tudo e/ ou fazer tudo! mais um motivo pra voltar...

Faço assim mesmo, escolho uma coisa grande/importante e procuro ver o que há de interessante perto dessa "coisa"...

Não me frustro mais!

Hugo Loureiro
Hugo LoureiroPermalinkResponder

É isso aí Val, NO Stress, você não vai ver tudo. Nem quem mora "lá" conhece tudo. O melhor é tentar ser slow, não marcar um monte de coisas para ver e fazer no mesmo dia e de preferência ficar uns dias a mais. Abaixo o maraturismo.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Esta é sem dúvida a melhor estratégia .
Enquanto lia o texto, me lembrava de amigos que perguntavam quanto tempo levariam para ir a pé de A até B em Paris smile
Dio mio , só consigo imaginar uma resposta se a criatura estiver caminhando de olhos vendados e ouvidos tapados ...

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Penso o mesmo que você!
Fazer primeiro o mais importante, essa é a melhor estratégia (... pela vida, também)

Guilherme
GuilhermePermalinkResponder

E sem fome e sem sede, porque com isso o tempo também passa...

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Adorei Sylvia! E complementando o Guilherme, sem vontade de ir ao toilete, por que isso as vezes leva tempo, seja para achar um seja na fila do único que existe.

Ana Paula
Ana PaulaPermalinkResponder

Eu fiz isso agora em Buenos Aires no carnaval. Marquei hora certinho da programacao dos pontos mais importantes antes do almoco e depois ia levando com mais calma.

Zé Maria
Zé MariaPermalinkResponder

Eu faço exatamente... o contrário! Deixo o melhor sempre por último. Sempre...

Diogo Avila
Diogo AvilaPermalinkResponder

Rsss, não dá para não se identificar.
Mês passado na Nova Zelândia, uma viagem que deveria demorar umas 8-9horas, levou meras 13 horas por conta das paradas (obrigatórias) para ver a paisagem.
Mas é verdade, um pouco de organização faz bem, mesmo em viagens. Costumo separar as atrações por prioridades e dependendo do local, vejo primeiro o que é mais importante, e se sobrar tempo, vejo o restante.

Rafaella
RafaellaPermalinkResponder

Nossa, esse site é perfeito!
Já li milhares de dicas e agora quero uma opinião de quem tá lendo e tem conhecimento de bons países.

Que lugar vcs (inclusive vc Bóia) indicam pra LUA DE MEL em DEZEMBRO/12?? Pretendo gastar até 10 mil reais e quero sair do Brasil. A idéia inicial foi Cancun, Punta Cana... mas agora to mt perdida! Tem muitos lugares lindos!

Onde vou aproveitar melhor esse dinheiro? HEEEEELP

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rafaella! Uma navegada pelo site vai te dar boas idéias wink

Rafaella
RafaellaPermalinkResponder

Vc acha que com 10 mil dá pra fazer uma viagem de qualidade?

Danilo
DaniloPermalinkResponder

isso deve dar para uma semana em Roma

Fernanda Leitão

Rafaella, se for 10 mil (sem as passagens) acho que você consegue fazer uma viagem com menos restrições orçmentárias. Se for 10 mil para tudo, você terá que se organizar bem para não passar sufocos.

Camila Navarro

Sabe que comigo acontece o contrário? Geralmente eu planejo as atividades para um dia e realizo em menos tempo do que havia imaginado! Acho que quero deixar o roteiro tão tranquilo que acabo deixando a viagem lenta demais. wink

Melissa Zorzanelli

otimo post! wink

marcelo
marceloPermalinkResponder

Obrigado!
Vou seguir o conselho,e deixar o que não conseguir desta vez,para uma próxima.
Abs.
Marcelo

Fernanda Leitão

Gosto de fazer o mais importante primeiro, pois se for muito bom, sobra tempo para repetir na mesma viagem smile

Carla
CarlaPermalinkResponder

Eu sempre tive um ritmo bem acelerado (nunca me esqueço que o Riq uma vez disse que eu era da Bicho Carpinteiro Tours... lol ), por isso planejava dias intensos e costumava dar conta de tudo sem sofrimento. De uns tempos pra cá (será a idade?!?) tenho procurado fazer as coisas com mais calma, mas ainda não encontrei o ponto de equilíbrio - às vezes me dá a impressão de que não fiz praticamente nada o dia todo, e que poderia ter aproveitado melhor o tempo!

Uma estratégia que funciona muito bem comigo - além de priorizar o mais importante, claro - é organizar o roteiro diário em uma única região da cidade ou, no máximo, em bairros vizinhos. Assim o passeio fica menos cansativo e se perde menos tempo em deslocamentos.

Patricia Luck
Patricia LuckPermalinkResponder

Tambem sou adepta dessa dica (embora nem sempre a utilize). De manhã estamos mais dispostos, de barriga cheia, vontade renovada de tirar fotos e futucar todos os cantinhos da atração. Já depois do almoço começa a bater uma preguiiiiiça, então o que vier(e do jeito que vier) é lucro...

Guilherme
GuilhermePermalinkResponder

Alem de (tentar) fazer isso sempre, eu deixo na manga um programa que está fora do roteiro do dia.

Se por acaso um imprevisto acontecer ou todas as atraçoes forem vistas mais rápido do que o previsto, dá pra encaixar esse programa e fazer o dia render ainda mais. Mas vale dizer que é smepre algo que não precisa de ingressos antecipados ou que tenha horário de funcionamento restrito (pode ser um parque, uma praça, uma estaçao de trem...).

Frank
FrankPermalinkResponder

Exceto em casos específicos, gosto de seguir o conselho do cmte. Riq e me limitar a "uma fila por dia".

Sendo possível, essa fila deve ser a primeira coisa depois do café da manhã.

Quando isso não é possível por motivos de roteiro, se eu estiver de carro é sempre uma desculpa para ficar explorando algum lugar totalmente "off-the-beaten-track" perto da atração que visitarei mais tarde de carro, sem pressa e sem me submeter à ditadura do "preciso ver tudo ou não vi nada".

Virginia Lucia

A comparação com escola de samba foi ótima... Já me senti assim por muitas vezes! Agora evito ao máximo, tento deixar tempo livre em quase todos os dias. Ficar à toa numa praça ou sentada num café pode ser o máximo, assim como flanar sem compromisso, Mas por mais que eu me esforce, toda viagem pinta um maraturismo no final...

Alex Melo
Alex MeloPermalinkResponder

Pior que não é só 1 dia, não... até numa estadia completa - já planejei visitar um monte de coisa e, com uns 4 dias em cidades como Viena ou Praga, a gente acha que vai dar tempo, mas daí se empolga mais do que imaginava em um lugar, ou descobre um outro ponto interessante e já era.
Mas sem problemas: são sempre ótimos motivos para ficar com vontade de voltar a um lugar que tanto se gostou! smile

Jurema
JuremaPermalinkResponder

É isso aí! O importante é o principal, o resto é secundário!

Estela
EstelaPermalinkResponder

Já que tocaram no assunto... Viena e Praga, o que é essencial, o que é secundário? Ah! Se pudessem dar umas dicas...
E Cesky Krumlov, vale desviar até ela, saindo de Viena para Praga de carro?
Agradeço alguma indicação.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Estela! Este é um post conceitual. Para falar sobre destinos, por favor consulte os posts específicos, assim a informação fica armazenada onde deve:

https://www.viajenaviagem.com/2011/04/budapeste-viena-praga-use-a-receita-da-wanessa/

Maria Leonor
Maria LeonorPermalinkResponder

Legal essa dica. Eu faço isso tão...tão... que na ultima viagem (Santiago no Chile), deixei o ultimo dia livre para "cositas más"
Acabamos fazendo um tour a pé pela cidade toda e foi delicioso.

Sílvia Oliveira

Depois da Expedição Brasil Express, em que viajei para Manaus "só" para fazer o Encontro das Águas... minha vida de viajante nasceu ali! smile

Alex Melo
Alex MeloPermalinkResponder

Eu mesmo já cansei de passar por isto em viagens passadas - e digo que não é só hierarquizar o dia não, mas a própria viagem. Por exemplo: em Budapeste, perdi de conhecer o parlamento porque deixei para o ultimo dia e justamente naquele dia, estaria fechado por alguma solenidade.

Na ultima que fiz, programei melhor: meus passeios no Loire eram sempre 2 castelos, com o menos interessante para o final - somente no ultimo dia não consegui ver o segundo e não senti perda nenhuma wink

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar