Como sobreviver ao extravio da sua mala em 4 passos

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Claimed bag

Perder malas não é incomum, sobretudo quando você precisa fazer uma conexão. Qualquer atraso e pimba: sua mala fica pelo caminho. Na maioria das vezes, a mala extraviada é entregue no seu hotel em até dois dias. São raros os casos em que desaparecem para todo o sempre.

Nesse departamento, posso me considerar um sujeito de sorte. Por mais que tenha viajado, só tive malas extraviadas em duas ocasiões. E em ambas consegui reaver minhas malinhas.

No entanto, quis o destino (ou seria Murphy?) que nas duas vezes as malas tenham sumido na pior circunstância possível. Sabe quando você desembarca num aeroporto e de lá já sai imediatamente para um lugar distante, sem estrutura nem comércio decente? Pois foi justamente em dois momentos assim que fiquei sem minha mala -- e acabei viajando meio maltrapilho por uns dias.

A última experiência foi recente, há dez dias. Aproveito que o limão ainda está fresquinho para fazer um post-limonada, compilando recomendações antigas com insights que me ocorreram agora e precauções recomendadas por leitores.

Dá para resumir tudo em quatro itens.

--> 1. Pense na sua bagagem de mão como um seguro-viagem

Sua maletinha de mão precisa conter todas as coisas das quais você não pode se separar por nenhum instante.

Têm que estar nela:

- Documentos

- Remédios

- Aparelhos eletrônicos

- Cabos, carregadores e adaptadores

- Peças de roupa que você precise usar assim que desembarcar

Por razões de praticidade, eu sempre subi a bordo com uma mochila tamanho médio. Chegando ao hotel, eu tirava dela todos os eletrônicos e cabos e quetais, e a bagagem de mão então passava a servir como minha mochilinha de passeios. O problema é que, pelo volume de eletrônicos que carrego, acabava não sobrando espaço para nenhuma muda de roupa. Depois do que sofri nesta última viagem, decidi: a partir da próxima, essa mochila vai vazia na mala grande, e vou subir a bordo com uma maleta de verdade (formato "carry-on", dimensões máximas: 55 cm x 40 cm x 20 cm), para caber alguma roupa.

--> 2. Identifique e documente a mala que você despacha

Não despache malas sem identificação. Ponha nome, endereço e telefone de contato protegidos por fita adesiva no corpo da mala ou numa etiqueta de couro presa com fivela à alça.

Aproveite que o seu celular tira fotos e fotografe a mala antes de entregar no check-in. Fotografe também o recibo do despacho (o papel é pequeninho, fica colado no canhoto do cartão de embarque e às vezes se perde no caminho). E já que está com a mão na massa, fotografe o cartão de embarque também.

O leitor Lucas sugere que você fotografe até mesmo as peças de roupa quando estiver fazendo a mala; isso facilita muito caso você processe a cia. aérea por ressarcimento de danos.

Sair de casa com seguro-assistência comprado também garante apoio e algum ressarcimento caso a mala se extravie. (No meu caso, estava viajando a convite, e os anfitriões só tinham feito seguro-saúde, não seguro-assistência... é muito Murphy, Brasil.)

--> 3. A mala não chegou? Muita atenção no preenchimento da reclamação

É um momento cruel. Você veio de longe, passou pelo stress da conexão (que deve ter sido apertada, para terem perdido sua mala), pode ser que tenha varado a noite sem pregar o olho, e no fim ainda ficou meia hora com o coração na mão esperando a mala aparecer... e agora tem que enfrentar, em outro idioma, um sujeito no balcão de malas perdidas para preencher o formulário de reclamação.

Respire fundo e tente esquecer o cansaço por dez minutos. É importante que o formulário seja preenchido com o tipo de mala mais parecido com a sua (com a foto no celular, fica mais fácil para o agente identificar corretamente), e que os seus dados estejam corretos (tenha à mão seu endereço temporário e confira se o seu telefone está com DDI e DDD corretos).

--> 4. Esteja preparado para interromper a programação

Meu conselho pessoal: não siga viagem antes de recuperar o mínimo da sua dignidade. Atrase a programação por meio dia e faça as compras necessárias para que você não pense na mala perdida da hora de acordar à hora de dormir (e ainda sonhe com a desaparecida).

Conforme o conselho do leitor Juliano, que é advogado, compre tudo o que vá precisar, juntando todas as notas, para ser ressarcido pelo seguro-assistência (conforme limites do contrato) ou pela cia. aérea (por via amigável ou judicial).

Se tem seguro-assistência ou comprou a passagem por agência de viagens, repasse a eles o número do protocolo da perda de mala. Se estiver desassistido, ligue uma vez por dia para o telefone que lhe informarem. Pedir assistência pelo Twitter da cia. aérea também ajuda (procure não ser agressivo, essas coisas acontecem e não é culpa de quem recebe a reclamação).


Espero que nunca aconteça com você. Mas se acontecer, que este guia ajude você a não perder a viagem grin

Leia mais:

Volta (Crônica de uma mala extraviada)

Final feliz: ela voltou

Siga o Viaje na Viagem no Twitter - @viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire

Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por email - VnV por email


97 comentários

Sandro Dellai
Sandro DellaiPermalinkResponder

Muito bom o tópico vou ficar 14 dias na itália e vou na primavera.

Acredito que será necessário somente roupas leves.

Estou pensando em viajar somente com uma mala de bordo 56x45x25, é permitido no máximo 10 kg, será se é possível sobreviver 14 dias com uma bagagem assim, já que vou fazer conexão acho que será uma boa.

Tenho uma dúvida tb se levo notebook, o tablet quebra bem o galho, mas a bateria não tem a autonomia de um note.

Quero trazer uns vinhos e na volta terei que despachar as roupas e trazer os vinhos na bagagem de bordo.

Vou caprichar no seguro viagem, se der zica pelo menos serei ressarcido.

Se alguém tiver mais algumas dicas desde já fico agradecido.

Abcs.

Bia
BiaPermalinkResponder

Esqueci minha mochila num hotel em Paris, com algumas coisas de valor. Como recuperá-la? O seguro só cobre extravio, não esquecimento. Qual a sua sugestão?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Bia! Infelizmente a única coisa a fazer é se comunicar com o hotel para saber se eles acharam e se podem enviar a mochila para você.

Serviço terceirizado | Fora do meu lugar

[...] 6 segredos que os sites de viagem não vão lhe contar - “A empresa Tal é confiável?” - Dicas para contratar pacotes turísticos nas suas férias - Manual de sobrevivência na Europa [...]

manoel araujo
manoel araujoPermalinkResponder

Em fevereiro fui para Orlando com conexão em Detroit. Ao chegarmos em Detroit ninguém sabia nos dizer se pegaríamos as malas lá ou se eles iriam direto para Orlando. Resultado: chegaram a Orlando dois dias após chegarmos. Ainda bem que era Orlando onde tem roupas em conta. magina a reclamação na Delta? Tudo em inglês. Minhas 2 malas chegaram sem cadeado. Eu tinha um cadeado que segundo o vendedor, somente a polícia federal poderia abrí-lo, porém eles arrombaram o zíper e levaram os cadeados. Enfim, ainda bem que as malas apareceram. Detalhe, era 10 malas , pois eu andava em grupo e todos tivemos as malas extraviadas. O seguro alegou que eu não tinha prova suficiente. Vacilei. Espero que isso nunca mais aconteça,mas da próxima vou pegar o máximo de provas possíveis.

Roseli AP.Pereira Valderramas Sé

Desembarquei em Lisboa no dia 18.09.2014 para um circuito de 20 dias de viagem ,e nossa bagagem não apareceu na esteira,fiz a ocorrência no aeroporto e informei todos os hoteis que ia me hospedar,fomos para o hotel sem bagagem,no outro dia às 00:15 foi entregue no hotel apenas uma mala a do meu marido,a minha não. Tive q comprar algumas roupas e produtos de higiene pessoal,estou viajando com pouquíssimas peças de roupa foi um transtorno minha viagem tão sonhada,agora estou a caminho de casa e sem bagagem,e a resposta da companhia aérea é que a bagagem ainda não foi localizada, como pode uma mala grande dedasparecer fisicamente ,e dos sistemas de informações?

Liana Marina Minetto de Freitas Bello

Para quem viaja a dois, uma dica interessante é dividir as roupas e acessórios de cada um em duas malas. Em viagens mais longas, eu e meu marido levamos uma mala média cada um com nossas roupas dividias em cada uma delas e uma bagagem de mão para os dois com uma muda de roupa de cada um e itens de higiene pessoal. Em 2015, numa viagem de São Paulo a Boston com conexão no Panamá, tivemos uma das malas extraviadas, que chegou quatro dias depois, quando já estávamos em Chicago. Isso não atrapalhou nossa programação porque cada um tinha metade de suas roupas, que até daria para passar até o final da viagem, caso a outra mala não chegasse.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar