Como é alugar apartamento pelo Airbnb

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Meu apê pelo AirBnB

O que é o AirBnB

"BnB" é uma abreviatura consagrada de "bed and breakfast". O "air" se deve ao fato de tudo ter começado dois dos (futuros) fundadores do site terem começado alugando colchões infláveis na casa em que moravam para visitantes de uma feira de design depois que todos os hotéis lotaram. No início, o Airbnb era um site em que pessoas alugavam apenas quartos na sua casa -- algo como um CouchSurfing pago.

A coisa deu tão certo, que o site começou a ser usado para alugar apartamentos inteiros. E hoje é a "imobiliária" que mais cresce online.

A diferença entre o Airbnb e sites de aluguel

O que torna o Airbnb diferente das agências convencionais é o fato de funcionar como uma rede social. Para alugar -- tanto como anfitrião, como inquilino -- é preciso criar um perfil e entrar na rede.

Resenhas AirBnB
Atenção: print screens feitos em 2012, com o design de então

Anfitriões e inquilinos são avaliados um pelo outro e vão criando uma reputação na rede.

AirBnBAnfitriãMeu primeiro comentário

Todas as transações são feitas diretamente, sem intermediação de agentes.

A navegação

Não tenho dúvida de que o layout bonitérrimo e a navegação intuitiva contribuíram para alavancar o sucesso do Airbnb. As fotos dos apês são convidativas (nos maiores mercados o site oferece fotógrafos para fazer fotos profissionais), e todas as informações de que você precisa aparecem sem você precisar se esforçar.

AirBnB

Pelas suas características de rede social, o Airbnb tende a atrair muitos proprietários que moram nos apartamentos que alugam (e desocupam quando arranjam inquilinos). Prepare-se para encontrar poucos apartamentos "clean" (desses mantidos apenas para alugar) e mais apartamentos repletos de tralhas pessoais.

Pegadinhas e perrengues

Os procedimentos iniciais dão um certo trabalho. Antes de mais nada, é preciso criar seu perfil. (É melhor fazer isso antes de se entusiasmar por algum apê.) É recomendável que o seu perfil tenha foto, e que você esteja sorrindo na foto. (Veja pelas fotos dos anfitriões; há um padrão.) Procure escrever seu perfil em inglês e não esqueça de associar pelo menos a sua conta do Facebook.

Um perfil

Outra providência que vale a pena fazer o quanto antes é abrir uma conta no PayPal (você vai levar alguns dias até habilitar e liberar um bom saldo) e/ou habilitar seu cartão de crédito para gastos internacionais.

É preciso também aprender a conviver com os "nãos". Muitos proprietários não atualizam o calendário de disponibilidade para ter desculpa para selecionar seus inquilinos. Sem histórico na comunidade, a probabilidade de receber negativas aumenta. Eu recebi três "nãos" antes de receber um "sim" -- e, confesso, doeu.

RecusadoAprovado

Atualização: para evitar essa decepção, agora existem as "instant bookings", em que a sua reserva é aceita automaticamente, sem precisar da aprovação do anfitrião. São os anfitriões, porém, que decidem se incluem essa facilidade no anúncio.

A transação

É feita por PayPal ou cartão de crédito. Debita-se o total da estadia, já com a taxa de limpeza e a comissão do Airbnb. Mas o site só repassa a grana para o anfitrião 24 horas depois do hóspede se instalar. No caso de reclamação grave, o dinheiro pode ser retido pelo Airbnb e usado em outra locação.

(Mas o que eu mais gosto é não haver caução -- aquele depósito em dinheiro vivo que, no mercado tradicional, você tem que deixar empatado na mão do anfitrião e depois recebe na saída, quando não vai mais poder usar.)

Atualização: as transações agora são feitas em reais, debitadas na conta nacional do seu cartão de crédito. É possível também optar pelo pagamento por boleto.

Caixa de entrada

Antes de o negócio ser fechado, toda a comunicação entre anfitrião e inquilino é feita pelo seu mural no Airbnb. Uma vez feita a transação, você recebe o endereço do apartamento, o email e o telefone do anfitrião. E então começa a combinar os detalhes da entrega e da devolução da chave.

Minha primeira experiência

Conseguimos um apartamento bacanérrimo, de um quarto, num prédio com elevador no melhor ponto de Chelsea (rua 19, entre 8a. e 9a. avenidas, exatamente a meio caminho entre a rua 23 e o Meatpacking District), por 200 dólares por dia. Por esse preço, naquela época, só dava para conseguir hotel com banheiro privativo em Chinatown.

A entrada do prédio4 de Julho na janela

Nosso proprietário deixou uma porta do armário livre, mais geladeira e despensa bastante equiapados (à saída, repusemos o que consumimos). O check-in foi pontualmente ao meio-dia (tínhamos passado a noite anterior num hotel nas redondezas) e o check-out foi uma tranqüilidade: pudemos sair às 4 da tarde, direto para o aeroporto, deixando a chave com um vizinho.

Já deixei o meu comentário positivo na ficha do proprietário, que tinha tomado a iniciativa de falar bem de mim no meu perfil. Estou pronto para a próxima...

Atualização: depois desse, aluguei mais cinco vezes...

Leia também:

329 comentários

Denise Mustafa

adorei a recomendação de ter que sorrir nas fotos.

Mari Campos
Mari CamposPermalinkResponder

Também achei ótEma wink

dea thiele
dea thielePermalinkResponder

Riq, meu guru das viagens, uma dúvida: quando a gente aluga apê ao invés de reservar hotel, tem algum problema na imigração caso eles perguntem onde você vai ficar?

Principalmente nos EUA... dá pra falar que ficará em apê alugado?
Ou é melhor passar uma noite num hotel antes?

Marcie
MarciePermalinkResponder

Nenhum problema, Dea. É só você fornecer o endereço do apê.

Leonardo Sá
Leonardo SáPermalinkResponder

Tive em NY por 12 dias em junho/12 e aluguei pelo AirBnB um bom apê para 6 pessoas na 53 com a Lexington.
Super confortável e um profissionalismo impressionante do anfitrião. Recomendo!

Ah, pagamos 3160 U$ pro período.

Abs,

Marcia
MarciaPermalinkResponder

Leonardo, você tem como mostrar qual é o apt? Obrigada!

Gil Torres
Gil TorresPermalinkResponder

Riq, "meu guru de viagens" (gostei e copiei do post acima), já havia lido no VnV sobre o AirBnB e me arrisquei também. Recebi alguns nãos, mas consegui um apartamento na 34St, ao lado do Empire State Building, de frente para a Macy's na Herald Square, por U$200/dia em outubro próximo. É a minha primeira viagem aos EUA e estou bem ansioso. Voltarei para contar a experiência. Abraços.

Lucio
LucioPermalinkResponder

Consultei vários amigos sobre o AirBNB e todos aprovaram o serviço. Vou usar pela primeira vez em novembro, em Reykjavik e Londres. Também prometo voltar aqui pra contar.

P.S: Uma outra coisa que ajuda suas propostas serem aceitas, me disseram, é ter referências dos amigos. Então não deixe de pedir pra quem você conhece ("Request References" no menu "Profile" da sua conta.)

Rapha Aretakis

Sou fã do AirBnb. smile

Rodrigo Barneche

2! wink

Thiago Castro
Thiago CastroPermalinkResponder

3 smile

DDT
DDTPermalinkResponder

Duas coisas:

1) Ouvi dizer que AirBnB é por causa de colchão de ar - coisa de quem recebe hóspedes em casa.

2) Acho que o AirBnB virou padrão por outro motivo. Diferentemente de uma corretora desconhecida, eles oferecem suporte caso haja algum problema. Por exemplo, se você alugou direto e deu problema, não pode ir à polícia (não está coberto por lei); mas, se alugou pelo AirBnB pode recorrer à eles - que, teoricamente, vão resolver seu problema para não queimar o filme deles. Há inclusive um telefone 24h de suporte.

Magrineli
MagrineliPermalinkResponder

DDT a origem é mais ou menos essa mesmo... o proprietario do site alugou seu quarto extra e viu q a coisa pegava... essa origem é citada no livro "O Que É Meu É Seu - Como o Consumo Colaborativo Vai Mudar o Nosso Mundo", de Roo Rogers e Rachel Botsman, sobre consumo colaborativo, que recomendo (o AIRBNB é um dos ícones desta nova economia).

Naila Soares
Naila SoaresPermalinkResponder

Também aluguei pela AirBnB o meu apartamento em NY, que fica noUpper West Side. Irei em novembro. Será minha primeira vez em NY e alugando apartamentos.
Quando voltar, contarei como foi.

Abs e bjs

Maryanne
MaryannePermalinkResponder

Adorei a recomendaç?o. Vou fazer o perfil e começar a procurar apto pro final do ano, no Rio.

Renata
RenataPermalinkResponder

Preciosso! :cool:

henrique
henriquePermalinkResponder

usei AirBnB em Barcelona, quarto baratésimo, geladeira com espaço pra mim, bom banheiro. valeu bem a pena (meu relato aqui: http://ztop.com.br/review-airbnb-em-barcelona/ )

Pavan
PavanPermalinkResponder

Estou num período sabático de 8 meses fora do Brasil, estudando e passeando pela Europa e EUA. Tô usando o AirBnB a torto e a direito e o serviço está aprovadíssimo. Até agora foram três lugares diferentes, sendo apenas quartos em dois lugares e uma cabaninha show nas highlands escocesas. Viajo com minha namorada e, para dois, quartos no AirBnB custam menos que duas camas em dormitórios de albergues. E não preciso nem falar qual é melhor...
Até agora o sistema tem sido bastante preciso, me entregando o que eu comprei. Olhando bem as fotos, localização no mapa e reviews, dá pra ter uma ideia muito próxima do que vamos encontrar de verdade, sem surpresas negativas. Sabia que duas das acomodações seriam muito boas e uma delas bem mais simples e não tão limpa, rs. E não tive grandes surpresas, o que é ótimo.

Philipp
PhilippPermalinkResponder

Os "nãos" vieram pois você não tinha um "credit history" e aqui nos EUA absolutamente tudo funciona por "application". Agora que já tem o "credit history" as coisas tendem a ficar mais faceis mas ainda podem surgir outros no meio do caminho.

Parecida com a história das pessoas que aplicam para cartoes de credito para receber os bonus das milhas wink

Kely
KelyPermalinkResponder

O Airbnb e' tudo de bom, usei ele em Roma, Milao, Munique, Paris e Londres! Me prestaram suporte quando precisei, todos lugares que fiquei estavam de acordo com as fotos e ler os reviews antes e' muito bom! Acho que vou usar aqui no Brasil tb! O site eh mto bom, sempre recomendo!

Paula
PaulaPermalinkResponder

Na minha última viagem a NY tb fiz a busca no Airbnb, no final acabei indo para um hotel pq peguei uma promo... Mas o q eu senti é que os brasileiros são super bem vistos pelos novaiorquinos do airbnb, mais de uma pessoa me respondeu positivamente qdo soube q eu era brasileira!
Eu tb não tinha referências, mas fazer um cadastro bem completinho e mandar uma mensagem simpática ajudam bastante.

Caroline®
Caroline®PermalinkResponder

Há um tempo venho simulando locações pelo AirBnB, pra quando for a NY - se Deus quiser, em 2013! Excelente saber que o guru máximo da viajosfera testou e aprovou o serviço. Agora, uma perguntinha de bolso (vazio): vale a pena alugar no Brooklin? Porque os valores são absurdamente mais baixos que Manhattan. Preferia a ilha, mas o orçamento não ajuda...

Andrea/RJ
Andrea/RJPermalinkResponder

Caroline, tomei a liberdade de responder. Morei no Brooklyn por três anos. O problema de alugar apt por lá é que o Brooklyn tem lugares excelentes e outros péssimos! Vc teria que consultar alguém que conheça pra garantir que não está entrando numa fria.
Por outro lado, os pontos turísticos estão todos e Manhattan e, portanto, vc teria que pegar o metrô sempre que fosse passear.
Resumindo: para alugar no Brooklyn, pesquise muito bem a localização do apartamento e garanta que a estação de metrô fica por perto. Como vc tem tempo pra pesquisar, pode valer a pena.
Uma dica: o Brooklyn Heights é uma excelente localização, além do lugar ser lindo, tem muitas linhas de metrô.

Augusto
AugustoPermalinkResponder

Caroline,
Na minha opinião não vale a pena. Já aluguei apartamento no Brooklyn para uma semana e me arrependi. Já conhecia NY, sabia pegar metrô de olhos fechados, mas foi muito cansativo. A relação custo benefício não é boa. Especialmente se esta for sua primeira vez.
Em tempo, o Brooklyn é um destino excelente por si só. O problema é a comparação com Manhattan.
Abcs

Andrea/RJ
Andrea/RJPermalinkResponder

Também já usei o AirBnB em NYC, em julho de 2010 e recomendo! Aluguei um apartamento de dois quartos no West Village, por vinte dias e foi tudo perfeito. A dona do apartamento, por coincidência, era brasileira, e foi muito atenciosa. Com certeza usaria o site novamente.

Marcia Tanikawa

Olá Comandante!
Quanta ignorância, já tinha visto o CouchSurfing, até me cadastrado, mas este ainda não...
Dei uma olhadinha mas ainda não encontrei a resposta, então vou perguntar: para usar alugar algum lugar é preciso oferecer também ou a recíproca não é verdadeira? Já vi relatos de casal utilizando, mas existe aluguel para família?
Abraços!!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Marcia! O AirBnB é um serviço comercial que funciona como comunidade, mas é comercial. Você não precisa oferecer nenhum cômodo da sua casa para entrar. Cada apartamento ou cômodo tem um número de ocupantes máximo, você preenche isso ao orçar.

Claudia Matoso

Adorei este post e veio na hora certa já que estou olhando acomodação para novembro. Já tive outras experiências de aluguel (sempre ótimas, em BsAs) mas ainda não usei o AirBnB. Com este tutorial ficou bem mais fácil entender o sistema. Obrigada!

Magrineli
MagrineliPermalinkResponder

Riq e demais, cansado de lidar só com as consequencias da degradação ambiental (resíduos, águas contaminadas) tenho pesquisado o AirBNB por dois motivos: o primeiro é acadêmico.
Estou abrindo uma nova linha de pesquisa ambiental... O AIRBNB encabeça um novo modelo de consumo chamado consumo colaborativo, onde vc cria ativos (como um quarto vazio, uma furadeira parada) e recircula por meio de aluguel pessoa-pessoa, escambo e afins bens e serviços. É o q chamamos de SHARING ECONOMY. Um dos principais lv livro "O Que É Meu É Seu - Como o Consumo Colaborativo Vai Mudar o Nosso Mundo", de Roo Rogers e Rachel Botsman, cita o site como um dos ícones deste novo modelo.
Segundo: como os mais próximos sabem, agora temos aqui em casa a pesquena Isadora, q faz neste mês um ano. Quando pesquiso em sites como o Booking quartos para nós 3 sempre vêem aqueles mais caros. Com o AIRBNB eu vou poder ter a comodidade de uma hospedagem barata, do tamanho q eu preciso e com a comodidade, como em um caso de um estúdio, por exemplo, de uma cozinha própria, sempre necessária para preparar aquela mamadeira.
Ou seja, utilizem o AIRBNB e afins pq além de cuidar do bolso vcs estão minimizando seus impactos ambientais de viagem.

jose freitas
jose freitasPermalinkResponder

Muito sugestiva a colocação de foto - no cadastro do AirBnB-, sorrindo.Uma imagem vale mais que mil palavras.....hehehehehe.
Muito bom.
zefreitas

Gisele Teixeira

Aluguei duas vezes por Airbnb, em Barcelona e Lisboa, e deu super certo. Aqui em Buenos Aires temos um apartamento para alugar pelo mesmo sistema, e também estamos muito felizes com o resultado. Acho positivo que o contato seja com o proprietário e não com um empresa administradora, como na maioria dos casos de aluguel de apartamentos por temporada. Super recomendo. Uma dica: se alguem não gostar do apartamento que alugou, tem 2$ HORAS para reclamar. Depois disso, o valor do aluguel pe debitado no cartao de crédito e fica mais difícil a troca do imóvel ou cancelamento da transação.
Um abraco a todos e boas viagens.

eva
evaPermalinkResponder

Aqui temos o "Fica lá em casa", nunca usei, mas o empresário é muito bacana.

JB
JBPermalinkResponder

Usei o AirBnB no ultimo aluguel de apto em BsAs e gostei bastante (e fui aceito logo na primeira tentativa, ueba!!!). Acho que o propietário tb gostou pois me elogiou bastante após a minha estadia (ueba, again!!!).

Na verdade acabei usando o AirBnB pelo fato de que alugam por dia e não por semana, como a maioria dos sites de aluguel de aptos em BsAs.

JB
JBPermalinkResponder

ooops... propRietário!!

Rafael
RafaelPermalinkResponder

Usei o AirBnB este ano, quando fiquei alguns dias em Munique e estava complicado arrumar hotel, mais ainda hotéis em conta - estavam rolando duas feiras internacionais lá nessa época, azar meu.
Apesar de ter conseguido reserva em um hostel em frente à estação de trem (por onde eu ia chegar), recorri ao AirBnB - até pra variar um pouco por já estar viajando há um tempo e querer mudar um pouco os ares das hospedagens, saindo de hoteis.

Contatei 3 para as datas da minha viagem: um disse não, alegando que ia estar na Espanha, e os outros dois aceitaram, um deles inclusive já abrindo a reserva pra mim (e só perguntei das datas), mas acabei escolhendo o outro por ficar na região central de Munique (em frente ao Viktualienmarkt e do lado da Marienplatz).

Meu perfil tava peladão (tinha acabado de me inscrever no site), sem foto nem perfil do facebook ainda, não percebi dificuldades quanto a isso, mas o cara com quem fechei o apê deu o toque para preencher o perfil, dizendo que isso facilita saber para quem vai alugar.

O apê era legal, tinha uma vista legal e o proprietário (que ocupava o apê junto com a gente) foi muito legal, oferecendo bebidas de boas vindas, um jantar de despedida e nos introduziu em sua roda de amigos. Durante o dia, saía para trabalhar e deixava o apê sempre disponível (tivemos uma cópia das chaves). Ótima experiência, principalmente para quem quer dar uma integrada ao "modus habitantis" do local. Saiu ao mesmo preço de um hostel para dois (pouco mais de € 50/dia + taxa do Airbnb, 10% do total de diárias).

Depois da estadia tanto o inquilino quanto o proprietário avaliam o negócio no site e fica pública esta avaliação (tem uma outra, privativa entre vocês dois para resolver algum problema), servindo de referências para outros membros da comunidade.

Gostei bastante e vou repetir a experiência numa próxima, dá pra perceber que cada proprietário tem suas exigências e seu jeito de fazer o acerto. O resto o Airbnb cuida, é tranquilo.

Cris
CrisPermalinkResponder

Olá, pessoas,

Há algum tempo atrás, já havia dado umas pesquisadas no site do AirBnB, e achei as fotos e apartamentos bem legais, deu até vontade de "brincar de casinha" nas próximas viagens. Mas tenho algumas questões sobre o serviço:

1. Pelas buscas, dá para saber se o que está sendo oferecido é o "quarto" apenas ou o apartamento inteiro, sem a peresença do proprietário na data pretendida?

2. Tem como saber a exata localização do imóvel pretendido (rua, número, bairro, CEP) ANTES de qualquer tentativa de fechamento do negócio?

Abs,

Cris

Rafael
RafaelPermalinkResponder

Cris, normalmente nos anúncios o pessoal já avisa se o que está sendo alugado é um quarto (mas com acesso ao restante da casa) ou a casa toda (sem a presença do proprietário). Às vezes ocorre de alugarem o quarto somente mas o proprietário viajar ou passar o final de semana fora (sempre avisam), aí fica todo o apê pra você.

Quanto a localização, você pode esclarecer tudinho ao fazer as perguntas ao proprietário no perfil dele.

Rafael
RafaelPermalinkResponder

Cris, normalmente nos anúncios o pessoal já avisa se o que está sendo alugado é um quarto (mas com acesso ao restante da casa) ou a casa toda (sem a presença do proprietário). Às vezes ocorre de alugarem o quarto somente mas o proprietário viajar ou passar o final de semana fora (sempre avisam), aí fica todo o apê pra você.

Quanto a localização, dá pra se virar bem no mapa do site com o street view, mas você pode esclarecer tudinho ao fazer as perguntas ao proprietário no perfil dele.

Cris
CrisPermalinkResponder

Obrigada pelas respostas, pessoal! Meu interesse nisso é que num futuro próximo eu consiga ficar uns 15-20 dias em Paris e aí alugando um apartartamento bacaninha para ter a "verdadeira sensação" de ser parisiense razz

Para minha próxima viagem (fevereiro/2013) ainda vou usar hotéis, porque serão estadias mais curtas.

Abs,

Cris

Silvia Spinassi

Cris, quantas pessoas vão viajar com você? Acabei de voltar de Paris e fiquei nesse apê aqui, para 4 pessoas:
http://www.escalea-paris.com/en/apartment-paris/653-4/ile-saint-louis-paris.php#

Fica na Ile de Saint Louis, no prédio onde morou a Camille Claudel!

Naila Soares
Naila SoaresPermalinkResponder

Cris:

Dá pra saber sim se o que está sendo oferecido é o imóvel inteiro ou apenas o quarto. Está tudo explicadinho.
Quando fechei o apartamento no qual ficarei em novembro (NY), só soube do endereço completo quando fechamos negócio. O proprietário te manda o endereço por e mail. Mas pelo anúncio do local escolhido, dá para se ter uma ideia. Alguns têm Street View (Google), localização no mapa, fotos da rua... É super fácil.

Rafael
RafaelPermalinkResponder

Bóia, respondi às perguntas da Cris, mas o comentário não passou. Foi perdido?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Recuperado grin

Alexandre
AlexandrePermalinkResponder

Meu amigo alugou um apartamento em Buenos Aires pelo Air BnB, eu na mesma época estava na cidade mas em um hotel. O apartamento era ótimo, em Palermo Hollywood, limpo, moderno estilo loft, sacada, churrasqueira... e menos que a metade do que paguei na diária do hotel em que fiquei. Confesso que pensei "poxa, por que eu não sabia disso antes?"
Numa próxima viagem definitivamente vou considerar o AirBnB!

Luciana
LucianaPermalinkResponder

Aluguei um ape para mim e minha familia em Florenca e fui tudo otimo, da pra fazer o login associando com a conta do facebook, super recomendo o Airbnb! Abraco

Mari Campos
Mari CamposPermalinkResponder

Ainda não usei o Airbnb para aluguel de imóvel todinho por temporada, mas são tantos relatos positivos que vou usar em breve. Tá completaço esse aqui!

Nick
NickPermalinkResponder

Oi Riq, fiquei num apto em Londres agora em maio alugado pelo AirBnb. Tive sorte, foi um SIM na minha primeira consulta. O apto ficava meio longe do centro, mas num bairro bem bacana, com vários restaurantes na vizinhança e transporte (ônibus e trem) abundande. O meu anfitrião foi de uma simpatia ímpar, ele mora no andar de cima e paguei um preço legal 70 libras por dia. Recomendo o AirBnB com certeza. Ahhh...já tenho uma avaliação positiva no meu perfil !!!
Abraços

alex serpa
alex serpaPermalinkResponder

Fui para a FRança em junho com minha mulher, minha filha e minha mãe. Aluguei apartamento pelo AirBnB em Paris e em Aix en provence. Foi a melhor opção, incontestavelmente. Seria preciso pegar dois quartos de hotel, o que deixaria muito mais caro (em Paris paguei 200 dólares e em aix en provence 90 euros). Os dois apartamentos tinham ótimas análises de clientes anteriores e pareciam lindos pelo site. O de Paris tinha vista para a Torre Eiffel, era sensacional.
Acho que tive sorte, pois fui aceito pelos dois de primeira e ainda fui aceito por vários outros. No momento em que ainda não se decidiu, vale a pena fazer contato com vários locadores.
Os hospedeiros eram ótimos, muito simpáticos e prestativos.
A experiência de passar em um apartamento é sensacional. Você tem um convívio mais próximo dos moradores, pode ir ao supermercado e isto é muito legal.
A desvantagem é que você tem que arrumar a casa, sua cama, etc. Mas isso não é nada.
Vale muito a pena e eu recomendo.

Milena Ribeiro

Dicas mais que preciosas!! Ultimamente tenho pesquisado aptº em BsAs para as próximas férias e tenho olhado justamente no Airbnb. Te digo uma coisa, a idéia de alugar um apartamento tem me agradado muito mais, do que ficar num hotel. Tenho feito isso bastante aqui pelo Brasil, mas será a primeira vez no exterior.
Abraços

schnaider
schnaiderPermalinkResponder

Tbem utilizei o Airbnb em NY e amei, como meu orçamento era menor, aluguei um quarto p 2 pessoas no Bronx (perto do zoologico) por USD 60,00, pertinho do metro, mercado, bem susse, so um pouco longe (50 min do central park). Super aprovado!

Jussara
JussaraPermalinkResponder

Vou passar umas semanas no México e depois deste seu (ótimo) post passei a considerar o AirBnB. Até já comecei a ver, mas vou optar por alugar um quarto, e não apartamento. Primeiro, pq confesso que tenho medo de alugar apto/casa sozinha por lá, segundo, que alugar o imóvel todo sai mais caro que hotel, pois as casas/aptos disponíveis na cidade que quero são enormes.
Estou passando pelo o que você passou, só que ao contrário: estou com receio de alugar quarto com pessoas de perfil ainda "zerado", que não receberam ninguém, mas com isso posso estar perdendo a chance de conhecer possíveis ótimos anfitriões.

Uma coisa que notei é que tem gente que posta umas fotos ruins, com baixa resolução, ou que não mostram tudo o que a gente quer ver. Tem umas descrições tb fracas, que deixam a desejar.
Adorei o relato da sua experiência e o post mastigadinho. =D

Nina
NinaPermalinkResponder

Gostei muito dessa possibilidade de devolução do dinheiro, em caso de problema. Confesso que gosto da idéia, mas não tinha me aventurado ainda por medo de dar com a cara na porta em outro país.

Roberto Hoffmann

Outro site que tem um servico muito similar é o www.roomorama.com.
Assim como o AirBnB você pode pagar com o paypal (que nesse tempo de variação cambial é ótimo, pois sabe-se exatamente quantos reais custará) e o dinheiro só é liberado para o dono depois do check-in. Você fica com uma senha de liberação que precisa ser entregue para o dono. Ou seja, se der problema na entrada, não há grana.
Usei em Lisboa e deu muito certo!

Junior
JuniorPermalinkResponder

Minha primeira experiência com o AirBnB também foi em Nova York em setembro de 2011. Acredito que por ser a primeira vez, de eu não ter ainda reviews positivos dificultou um pouco, foram muitos ‘não’ antes do primeiro ‘sim’. Me parece que em NY principalmente, a procura por apês é grande então o proprietário faz uma seleção maior de quem vai ficar na casa dele. O ponto negativo foi que faltando menos de 2 semanas pra minha viagem o proprietário cancelou minha reserva, contando uma história bizarra de que ele estava sendo despejado de lá. Foi bem tenso esse período. O AirBnB só me deu um crédito de 150 dólares em uma outra hospedagem (o que pra NY não pagava uma diária) e eu tive que me virar pra achar um outro lugar em tão pouco tempo. Não sei como é esse processo agora, mas não achei legal só ter uma compensação financeira. Depois de muuuuitos ‘não’ consegui um outro apartamento, bem pior do que o primeiro e praticamente o mesmo preço, mas o único que tinha ainda disponibilidade.
Depois resolvi dar mais uma chance pro AirBNB quando fui pra Berlim em fevereiro. Foi muito mais fácil, o primeiro apê que eu tentei contato, e o que eu tinha gostado mais, já me respondeu aprovando minha viagem e me dando um bom desconto pela antecedência da marcação. Eu tive o cuidado de manter contato sempre com o dono, mandando mensagens perguntando coisas bobas como o clima na época da viagem, onde ele recomendaria fazer compras pra casa ou até mesmo perguntando se ele já conhecia o Brasil, meio com medo de que ele tivesse algum problema e cancelasse novamente faltando poucos dias pra minha chegada. Aí acabei fazendo amizade com ele. O processo dessa vez foi super tranqüilo, o apê ótimo, e ainda saímos com o dono pra algumas cervejas em uma noite.
Eu recomendo o site, ainda vou usá-lo outras vezes, mas deixo essa dica de tentar ir falando com o host, pra poder não ter alguma surpresa ruim.

Naila Soares
Naila SoaresPermalinkResponder

Junior:
essa dica de manter contato com o proprietário é ótima. Você começou a mandar e mails quando? Faltando um mês para a viagem ou antes? Como irei para NY em novembro pela 1ª vez (tanto para a cidade quanto alugando um ap), quero estar prevenida...

Abs

Junior
JuniorPermalinkResponder

Naila, eu fiz a reserva uns 3 meses antes da viagem, no começo eu mandava uma mensagem a cada 15 dias e com a proximidade da chegada (menos de um mês) comecei a mandar mais coisas, até mesmo pra combinar como seria a entrega das chaves. Aí depende muito do perfil do host também, se a pessoa for tranquila, gente boa e boa de papo, a coisa vai fluindo mais naturalmente.. smile

alex serpa
alex serpaPermalinkResponder

Aliás, não seria interessante se as pessoas postassem os apartamentos utiliados e se os mesmos são bons? Poderia ser feita, depois, uma compilação a exemplo do que é feito com os hotéis.
Eu fiquei nos dois abaixo, que recomendo muito. São excelentes!
https://www.airbnb.com.br/rooms/100858
https://www.airbnb.com.br/rooms/40645

Thiago Castro
Thiago CastroPermalinkResponder

Acho uma ótima idéia. Na verdade era mais ou menos isso q eu estava procurando aqui nos coments. Vou pra NY ano q vem e seria legal que quem já foi pudesse indicar os anfitriões e apês onde tiveram ou não tiveram problemas.

JotaPê
JotaPêPermalinkResponder

Thiago em NY fiquei neste apartamento e adorei. Foi perfeito
https://pt.airbnb.com/rooms/87764

Juliane
JulianePermalinkResponder

Depois de tantos relatos, confesso que fiquei animada com a ideia de alugar uma casa ou apto através do AirBnB!

Monica Loureiro

Meu sonho de consumo de viagem seria para Miami ou alguma cidade próxima. Alugar um quarto para tres pessoas (eu,meu marido e meu filho) ou um apto que tenha vizinhança local próxima (tipo,o dono morando próximo)
A intenção é ter contato com a comunidade local para poder praticar o Inglês.
Caso alguém tenha alguma ideía sobre isso,me fale...

Thiago Castro
Thiago CastroPermalinkResponder

O difícil é praticar inglês em Miami. Quando estive lá ano passado falei mais espanhol que inglês...

Maura
MauraPermalinkResponder

Adorei os imóveis que aluguei através do AirBnB em Roma, Siena e Veneza. Deu super certo, as fotos do site refletem exatamente os ambientes. Estou indo a Santiago do Chile e Mendoza em setembro e a hospedagem foi reservada pelo AirBnB.

Juliana
JulianaPermalinkResponder

como funciona a parte do depósito de segurança? não sei se entendo...

Marcos
MarcosPermalinkResponder

Ficam algumas dicas para quem for usar o AIRBNB. Usei durante 30 dias em NY fiquei no East Village. Tente ficar o mais próximo de uma estação do metro, leia todos os comentários a respeito de seu anfitrião, as fotos as vezes "escondem" alguns pontos negativos, e relaxe o sistema é relativamente seguro.

Enaldo Soares
Enaldo SoaresPermalinkResponder

Fiquei doze dias em Londres em um ap. na 139 Praed street (Paddington) W2, agora em julho. Deixei um comentário lá, em português.

Deu muito trabalho para encontrar algo que valesse a pena no site da Airbnb.

Enaldo Soares
Enaldo SoaresPermalinkResponder

Sem querer abusar nos comentários, o sistema de mútua avaliação induz ambas as partes a trocarem afagos para ambos ficarem bem na fita. Eu resolvi dizer o que vi e pensei, e a anfitriã deu o troco.

Patricia Veras

Pessoal, seria interessante criar um grupo do Viaje na Viagem lá? Nem sei se poderia mesmo, Riq, foi uma idéia que me ocorreu quando fui me cadastrar.

Estou olhando um ap lá em Paris, de preferência no Marais. Alguém já ficou em algum BBB pra indicar?

Depois conto como foi.

[]´s

Enaldo Soares
Enaldo SoaresPermalinkResponder

eu fiquei em um bom ap no Marais. Meu email é: enaldops@gmail.com

Reinaldo e Carine

Oi Ricardo!
Acompanhamos seu blog já há alguns anos e sempre utilizamos para fundamentar nossas decisões de viagem! Parabéns, o blog é fenomenal e sempre tivemos boas surpresas quando fomos aos lugares recomendados, hotéis e restaurantes!!!
Agora estamos indo à Nova York e estamos querendo ficar no apto. que vc ficou pelo AirBnb! Já estamos pré-aprovados... a cama do apto parece pequena pelas fotos... comporta 2 adultos?
Vale a pena ficar lá mesmo?
Um forte abraço!
Reinaldo e Carine

Ricardo Freire

Reinaldo e Carine, a cama não é grandona não, realmente, mas é de casal. O maior inconveniente dela é estar encostada na parede, então quem fica do lado colado à parede tem aquela sensação de beliche.

Aluguel de imóveis na Flórida | Como Viaja!

[...] Uma rede bem falada atualmente no Brasil para aluguel de imóveis no exterior é a Airbnb. Minhas colegas do caderno Viagem, do Estadão, já tinham me recomendado o site, em maio, quando estive lá no jornal editando um caderno especial de férias. Duas delas já usaram para encontrar apartamentos na Europa e nos Estados Unidos. A vantagem é que, após a pesquisa com as datas de entrada e de saída e com o número de viajantes, você fala diretamente com o proprietário. Agora li no Viaje na Viagem que o Ricardo Freire, o especialista em viagem, testou o sistema em sua recente ida a Nova York (leia o que ele achou). [...]

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar