Comer e beber nos Estados Unidos: 10 pegadinhas (com vídeo!)

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Conta de restaurante nos EUA

Na hora de sentar à mesa você descobre diferenças marcantes entre a cultura americana e a brasileira.  Nada tão grave que a gente não aprenda numa primeira viagem. Mas se você gosta de se precaver, aqui vai um apanhado das principais pegadinhas.

1. Café da manhã: na deli é melhor

Breakfast na deliSe o café da manhã não está incluído na sua diária (e normalmente só está incluído em redes 3 estrelas, como Holiday Inn Express, Hampton Inn, Fairfield Inn), a melhor alternativa é achar uma delicatessen nas redondezas do seu hotel. Ali você vai poder escolher frutas fresquinhas, iogurte com granola e bagel para fazer um café saudável e em conta. Em restaurante, pedir todos esses itens -- e mais o prato principal de lingüiça, ovos e batata (as hash browns) -- sai uma pequena fortuna e vai fazer chegar à mesa muito mais do que você consegue comer a essa hora da manhã.

2. Almoço: melhor momento para extravagâncias

Almoçar de verdade não é um hábito americano: no meio do dia a regra é comer rápido, com as mãos e em pé. Por isso todo restaurante tem um cardápio de almoço enxuto e leve -- sobretudo no bolso. É a nossa melhor oportunidade de comer em restaurantes que à noite não sejam para o nosso bico.

Pecorino!

3. Jantar: peça antes que a cozinha feche

Os restaurantes abrem muito cedo para jantar: às 17h a maioria já está de portas abertas. Depois das 22h é difícil fazer um pedido que não seja de sobremesa. Programe-se para jantar bem mais cedo do que você está acostumado no Brasil.

4. Espere para ser levado à mesa

"Please wait to be seated" é o aviso que você vai encontrar à entrada de muitos restaurantes -- mas mesmo onde não houver esta placa, espera-se que você aguarde até o host ou a hostess vir atender você. Não é frescura não: ao levar vocês à mesa, a hostess entrega os cardápios e sinaliza para o garçom da área que vocês estão lá. Se a gente chega e vai sentando por conta própria, eles não registram a nossa presença, e o serviço embola geral.

5. No bar do restaurante: acerte antes de ir à mesa

Caso você precise dar um tempinho no bar antes de liberarem uma mesa, saiba que o sistema espera que você pague o consumo do bar antes de sentar. (É possível pedir para acrescentar a conta do bar à conta do jantar, mas todos os envolvidos ficarão mais felizes e tranqüilos se você for para a mesa zerado.)

6. O ritual dos specials

Special?Depois de deixar a sua mesa estudar e confabular sobre o cardápio, o garçom reaparecerá com novidades: ele vai então recitar (ou ler de um papelzinho) os specials, ou pratos do dia. Nesse momento eu sempre ouço com atenção e faço a minha melhor cara de conteúdo, mas normalmente não entendo xongas do que eles dizem. Se o seu inglês é melhor do que o meu, parabéns e boa sorte. Eu fico com o que está escrito, com preço visível e com ingredientes desconhecidos googláveis...

7. A ciência da gorjeta

Em restaurantes, a gorjeta só vem acrescentada quando o grupo é grande (a partir de 6 ou 8 pessoas). Nos outros casos, é a gente que tem que fazer conta. Espera-se que você deixe pelo menos 15% de caixinha; muitos americanos já arredondam direto para 20%. (Ao contrário do que acontece na Europa, os garçons nos Estados Unidos ganham um salário simbólico e vivem de gorjeta.)

Em Nova York o habitual é dobrar o valor da sales tax, o imposto municipal de vendas, que é de 8,875%. Assim, acaba-se deixando 17% e quebrados. (Ou seja: somando-se imposto e caixinha, cada item acaba custando 25% a mais do que é informado no cardápio.)

Fazendo a conta

Deixar a gorjeta no cartão de crédito é chatinho: quando a sua nota volta para ser assinada, você acrescenta de próprio punho o valor da gorjeta e faz a conta. É tudo na base da confiança: o caixa adiciona o valor na maquininha e o total aparece na fatura do mês que vem do seu cartão.

Veja bem: não dar gorjeta é tido como uma ofensa; só se justifica se o garçom tiver derrubado café quente no seu colo. Se você não der gorjeta, não se espante se forem atrás de você na calçada...

Agora, uma pegadíssima: em South Beach (parte mais turística de Miami) muitos restaurantes já acrescentam direto os 15 ou 18 ou 20% de gorjeta na conta, e ainda assim deixam espaço para você dar gorjeta. Cuidado!

8. Reserve, é tão fácil

Use o Open Table para fazer suas reservas. É grátis e indolor. Você vai perceber também que é facinho conseguir mesa para aqueles horários de que a gente mais gosta (21h15, 21h30...). Veja como aqui.

Hotel Delmano, Williamsburg

9. Vai só beber?

O costume-padrão é pagar cada drink quando é servido -- e deixar US$ 1 de gorjeta toda vez. Caso o bar não esteja muito cheio e o/a bartender for com a sua cara, pode abrir uma conta ("I'll set up a tab for you") e cobrar só no final. Mesmo nesse caso, é simpático (e producente, no caso de drinks servidos por dose) ir deixando uma nota de 1 dólar sobre o balcão a cada drink servido.

10. Starbucks, o santo padroeiro do viajante com smartphone

Star WifiDuas dicas com relação à onipresente rede Starbucks.

A primeira: não enfrente aquela fila toda apenas para pedir "a coffee, please". Esse produto, café, é desconhecido na empresa. Aproveite os cinco minutos de fila para definir exatamente o tipo de café que você quer, seja um "tall americano", um "doppio espresso" ou alguma das combinações mirabolantes que soam como "decaf mocha latte caramel machiato" ou coisa que o valha.

E a outra: a rede oferece wifi democrático e de qualidade. É o melhor lugar para baixar emails e subir fotos para o instagram (e calibrar o seu nível de cafeína, claro!)

Videozito!

Muitos destes toques, ilustrados, num vídeo da série do Viaje na Viagem para o canal do Youtube do Visa Platinum:

Leia mais:

90 comentários

Marcio Antonio

Essa da gorjeta eu aprendi em Aruba. Os dois primeiros restaurantes aonde fomos devem estar me odiando até hoje, porque eu assinava o papelzinho e puxava o carro; só fui aprender o mecanismo no terceiro. Eu arredondava no valor final (pra conta ficar em 100, 110, 120 dólares etc.) de modo que a gorjeta ficasse entre 15% e 20%, que é o costume por lá.

Hugo
HugoPermalinkResponder

Mais algumas dicas:

11. Vários Mac Donalds também tem internet wi fi de graça e de qualidade.

12. Não peça água para o garçon. Se fizer isso ele vai trazer uma água de garrafa e você irá pagar por ela. Espere que ele apareça e sirva para você a água da jarra que é de graça.

13. As entradinhas normalmente são cortesia. E como nos EUA as porções são sempre gigantes, resista a tentação de sair depois da entrada. Teve uma vez que pedimos uma pizza e veio uma salada antes (cortesia). Juro que a salada tinha sido suficiente, mas não dava para ir sem comer a pizza. Então comemos um pedaço cada um e embrulhamos o resto para viagem.

14. Os restaurantes caros, inclusive vários estrelados do Michelin, tem ótimos menu degustação em torno de 20 dólares na hora do almoço. Garimpe antes o guia e veja qual restaurante estrelado próximo de você tem essa opção.

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Riq,

No seu decaf mocha latte caramel machiato você esqueceu de dizer o tamanho! rsrsrsrrsrsrs
Ninguém merece, né? rsrsrsrsrsr

Camila Torres - Colecionando Ímãs

Mais um post didático. Adoro essa categoria smile

Daniela
DanielaPermalinkResponder

Unico problema do post, Ric: tinha que ter sido postado ha 1 mes, quando eu estava indo para os EUA. Nunca tinha visto o tal de "gratuitity" que aparecia nas contas na California. Conclui que era o mesmo que "tip", mas na verdade o "gratuitity" e' a "tip" incluida na conta para grupos de 6 ou mais pessoas (nosso caso). Um erro que cometemos foi colocar a mao a gorjeta (quando nao tinha "gratuitity" ja incluida) de contas debitadas no travel card. So depois raciocinamos que esse debito so poderia ser feito no travel card se fosse logo em seguida ao consumo. Aparentemente, ninguem debitou e agora nao tem como faze-lo ja que o saldo esta zerado apos o retorno da viagem.

Oscar | MauOscar.com

Excelente Post Riq..
Os videos da série vai por mim ficam sempre o máximo
Mas tenho que dizer que estou super feliz que não tenho mais que ficar dando gorjeta a torto e a direita como nos EUA.. Para nós brasileiros isso é meio que uma barreira cultural. Eu por exemplo levei um tempinho para me acostumar principalmente com a idéia de ter que dar gorjeta no taxi e ao cortar o cabelo (na minha opinião você já está pagando por um serviço) Mas enfim...

Outra dica que acrescentaria que aprendi com o tempo morando lá foi que quando você pediu o "check" e esta com mais pessoas na mesa e não estiver afim de ser importunado pelo garçon ou mesmo está com pressa. Basta inserir o cartão de crédito num pequeno espaço existente no negócio da conta de modo que o cartão fique aparecendo pela metade. Basta deixar ele como um livro aberto e de pé no canto da mesa que o garçom vêm pega passa o cartão sem falar nada.. Aí é só assinar, acrescentar a gorjeta e está feito...

Maria Helena
Maria HelenaPermalinkResponder

E o fulaninho "tall americano" da Starbucks é um balde de água suja e fria! Tá, não é beeeem assim ( é! smile ), mas p/ café tbém aquilo não serve!

Ze Binsk
Ze BinskPermalinkResponder

Eu definitivamente odeio essa estória de gorjeta variável entre 15 e 20%. Podiam ser mais direto, a gorjeta é x% e acabou, como é no Brasil com os nossos 10%.
Já deixei de dar gorjeta aos montes porque não estou acostumado a esse esquema de eu decido o que quero dar. E algumas vezes dei 0% de propósito mesmo.

João Lucena
João LucenaPermalinkResponder

Ricardo, excelentes informações, aliás melhor do que isso nem americano saberia informar. So queria acrescentar que em restaurantes de alto padrão, o ideal mesmo e eixar o tab do bar ser adicionado à conta do restaurante. Isso é o recomendado.

Ze Binsk
Ze BinskPermalinkResponder

Riq, não tem nada a ver com esse tópico, mas num dos vídeos que você fez para o Visa Platinum sobre "Miami de carro", a dica para comprar um GPS mais perto do aeroporto tem um erro.
Os mapas no Google Maps foram feitos como se você saísse com o carro da locadora no desembarque do aeroporto, o que não é verdade, pelo que saiba todo mundo sai do Rental Car Center.

Renata
RenataPermalinkResponder

Riq, uma coisa que tive um pouco de dificuldade no comeco quando morei no Canada era quando pedia bife ("steak") no restaurante. O atendente sempre vinga com a indefectivel pergunta: "How would you you like it to be done?" , e tinha que escolher o ponto da carne. Ate eu descobrir que existiam: "rare" (bem mal passado), "medium rare" (mal passado), "medium" (ao ponto), "medium well" (entre ao ponto e bem passado) e o "well done" (bem passado), sendo que uma vez que pedi o "well done" a carne parecia um pedaco de carvao. Em alguns restaurantes essa "classificacao" ate vem explicada, mas nem sempre...Imagino que nao seja muito diferente nos EUA, e ainda aquela coisa de escolher o acompanhamento, entre varios tipos de batata (cozida, assada, frita) ou arroz ou massa ou legumes; e outra coisa que me chama a atencao, e tambem a escolha do tipo de ovos no cafe da manha: Benedict, mexidos, fritos, cozidos... A gente sempre trm que escolher, o prato nunca e "fechado"!!!

Patrícia Maia J

Faltou uma dica importante, principalmente para nós mulheres, a Starbucks não tem somente wi-fi gratuito, mas normalmente o melhor banheiro gratuito.

Sonia Pompermaier

Verdade verdadeira!!!pelo menos na Europa!

Fernando
FernandoPermalinkResponder

Only for customers, please!

Cris
CrisPermalinkResponder

Sobre o Starbucks, a primeira vez que eu entrei em uma da lojas da rede, eu queria um mocccachino naqueles copos menores, mas olha, até eu entender que o tal do "tall" era o menor, hehehe... Foi difícil!

Mas eu gosto muito do Starbucks, ainda mais pelo wifi grátis! :p

Natalia
NataliaPermalinkResponder

Antes de ir aos EUA pela primeira vez, eu meu marido ficávamos fazendo piada com a história da gorgeta. Até que um belo dia fomos jantar um sushi em SF e quando fomos em bora, já tinha andado quase um quarteirão para longe do restaurante, aparece a garconete correndo e gritando desesperada.....Eu tinha esquecido o casaco na mesa!!!
Nós morremos de rir e dissemos ao mesmo tempo: Ainda bem que pagamos a gorgeta!! smile

jefferson
jeffersonPermalinkResponder

eu voto por nao dar gorjeta. o/

Ze Binsk
Ze BinskPermalinkResponder

o/

Mirella (@mikix10)

Super duper legal esse post... bem mastigadinho e bem para brasileiro se virar numa boa nas viagens aos EUA e o Canadá segue a mesma regra.
Ah... em alguns restaurantes, quando se vai em grupo (mais de 8), geralmente a gorjeta também já na conta e eles colocam essa info no rodapé do menu.
Outra dica, para quem vai em grupo, é que nem todos os restaurantes aceitarão mais que um credit card para se pagar a conta, então, melhor ter dinheiro na mão na hora de dividir smile
Cheers

Ze Binsk
Ze BinskPermalinkResponder

Flexibilidade é um adjetivo bem brasileiro. Nada a ver com "jeitinho", mas os americanos são bem "by the book" com raras exceções.
O que custa receber uma conta com vários tipos de pagamento?

Uma dessas exceções conto aqui:
Estava em uma TigerDirect de Miami e comprei alguns eletrônicos. Quando a caixa viu que eu estava comprando um aparelho da Boss me avisou que tinha uma promoção que para qualquer compra de aparelhos Boss eu ganhava um vale desconto da TigerDirect para futuras compras. Sem eu nem pedir ela passou primeiro só o aparelho da Boss, foi no gerente pra liberar o vale desconto e usou o próprio para passar o restante das compras com desconto. Fiquei boquiaberto. No "by the book" ela passaria todas as compras primeiro e só depois me entregava o vale desconto.

Márcio Cabral de Moura

Por outro lado, normalmente eles perguntam se você quer uma conta só ou contas individuais. Portanto, indo-se de grupo e cada um querendo sua parte no cartão é só pedir uma conta para cada um. Desta forma, não tem nenhuma complicação em se passar vários cartões.

Expedito Paz
Expedito PazPermalinkResponder

Uma dica sobre Starbucks, especialmente em NY: se você por acaso pegar a loja perto de fechar, não peça nenhuma bebida gelada. O pessoal acaba batendo no liquidificador mal e porcamente, e a coisa toda fica intomávelsad

Mas fora isso, excelentes dicas (a da gorjeta no cartão eu demorei pra entender quando enfrentei o problema, mas acabei entendendo).

Mafalda
MafaldaPermalinkResponder

Expedito Paz, me explica esse lance da gorjeta no cartão, por favor...

Obrigada!

jose  freitas
jose freitasPermalinkResponder

Gorjeta é o fim da picada !!!!

tamara
tamaraPermalinkResponder

Olá!
Fim da picada é no Brasil, darmos a gorjeta e o dono do restaurante não repassar integralmente para a equipe de trabalho.....

Liliana
LilianaPermalinkResponder

Demais esse post! Acho que muitas destas dicas servem para a Europa também. Quanto à gorjeta, não acho o ruim ter que pagar. Já fui garçonete e valorizo um bom atendimento. Geralmente deixo 10% quando não está incluido e quando já está mas fui bem atendida deixo um pouco mais, mas sem cálculos mirabolante. Terrível é ser obrigado a pagar! Principalmente a cada drink, isso não entendo mesmo.

Letícia M.
Letícia M.PermalinkResponder

Concordo com você Liliana!

Principalmente quanto a pagar a gorjeta por "cada drink" pedido.

Próxima Trip
Próxima TripPermalinkResponder

Acho que muitas dessas dicas também se aplicam a Canadá e Europa em geral. Muito boa a idéia desse post. Só não entendo a imensa resistência que o brasileiro em geral ( também me incluo nesse grupo) tem em adicionar o valor do serviço na conta final. Será que a gente é que ganha menos mesmo e não quer gastar "à toa" ou será que somos mesmo é muquiranas? wink

Alexandra Aranovich

Nossa, adorei as dicas. Concordo com todas.
Mas aqui vão dois acréscimos
1. Em Los Angeles (e não sei se em outras cidades dos States), os restaurantes estampam na vitrine sua nota no "Public Health". Só entre nos restaurantes com"A".
2.Se fizer reserva no Open Table não deixe de ir ao restaurante ou cancelar, se for preciso. O Open Table deixa registrado se você reservar e não aparecer no restaurante. E, se fizer isso duas vezes, não será mais possível fazer reservas através do Open Table (somente se você criar outro login, é claro!). Eu recebi uma advertência ;(
Abração
Ale
@cafeviagem
@destemperadinho

Luciana Betenson

Hahahahaa! Morrendo de rir da "cara de conteúdo" quando o garçom desfia os "specials" grin QUEM NUNCA? Fico feliz em saber que até o guru Riq Freire não entende rsrs...

Natália M Gastão - Ziga da Zuca

Anotei tudo pra não fazer feio, são detalhes, mas fazem a diferença!
Adorei!!!

Celina
CelinaPermalinkResponder

Adorei as dicas. Fzz um tempão que não piso em solo Novayorquino, mas pelo jeito continua tudo igual! Eu adorava comprar almoço e ir procurar uma bela escadaria ou um jardim para comer. E a delli para o café da manhà é uma super dica! eu ficava horrorizada com a quantidade de batata e ovo que via nas mesas à minha volta às oito da manhà! A parte mais complexa é mesmo a gorgeta!

Celina
CelinaPermalinkResponder

Ah! o videozito ficou show!

Adriana
AdrianaPermalinkResponder

Gente, eu tenho uma pergunta que não quer calar.. E aqueles First Course, Entree, Main course que estão sempre lá no menu? Sempre fico na dúvida se é obrigatório, ou se pega mal, deixar de pedir a "entree". Ou se a gente tem sempre que pedir o "first couse" e "main course". Afinal, aqui no Brasil muitas vezes essa não é a praxe, como é lá. O que vcs acham?

Ane Andrade
Ane AndradePermalinkResponder

Também tenho a mesma dúvida...

A. L.
A. L.PermalinkResponder

Adriana, só em restaurantes bem formais espera-se que vc peça o "full course"

Em vários restaurantes americanos, principalmente os de "international" ou "contemporary cuisine", entree adquiriu ares de "item principal da refeição", já que os "appetizers" também se sofisticaram. Uma complicação linguística haha.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, A. L. e Adriana!

Na verdade a palavra é um falso cognato. "Entree" quer dizer prato principal em inglês. As entradas são "starters".

Philipe
PhilipePermalinkResponder

Tenho a mesma duvida da Adriana...

Iza
IzaPermalinkResponder

Quem não curte dar gorjeta deveria viajar mais apra o Joapão. Lá dar gorjeta é ofensivo.

Iza
IzaPermalinkResponder

Riq. (Off topic) Quando vc. puder fazer um post sobre esses sites que compram milhas. Como funciona. vale a pena.

A. L.
A. L.PermalinkResponder

Iza, se vc estiver se referindo a sites que compram milhas de você (viajante), fuja.

Isso é prática irregular, e suas milhas acumuladas podem ser simplesmente canceladas se a cia. aérea descobrir. Isso para não se falar nas fraudes que ocorrem nesse mercado, já teve até casos escabrosos de traficantes de drogas lavando dinheiro com "compra de milhas" usadas depois pelas suas "mulas". Aí imagina a PF indo na sua casa perguntar pq vc emitiu uma passagem em nome do fulano de tal...

A. L.
A. L.PermalinkResponder

Há o outro lado, os sites que "vendem" passagens mais baratas com milhas. Fuja também. É arriscado, nada garante que seus bilhetes sejam honrados e pode haver fraude envolvida no processo. Depois que vc enviou o seu dinheiro para "comprar" milhas, adeus.

Somente as próprias cias. aéreas e programs de fidelidade algumas vezes "vendem" milhas, mas é sempre muito bom fazer as contas para ver se a despesa compensa.

Sara
SaraPermalinkResponder

Acabei de voltar de Miami e Orlando e sempre dei gorjetas mas em relação ao troco pude perceber que em Orlando se algo custava U$ X,99 sempre recebia U$ 0,01 de troco, já em Miami os garçons sempre enrolavam para devolver as moedas. Em um deles, o troco seria 7,89 e o garçon devolveu apenas 7, quando meu marido reclamou ele tirou as moedas que já estavam no bolso dele, nos entregou e pediu desculpas

Jackie
JackiePermalinkResponder

Adorei, Riq, o texto sempre impecável. Curto mt seus vídeos tb. A Visa mandou mt bem patrocinando essa série de vídeos.
abs,

Jenner
JennerPermalinkResponder

Na Itália o costume é não dar gorjeta. Nem os dez por cento...

Cris Terra
Cris TerraPermalinkResponder

Isso! Já tem o "coperto".

Tatiana Cesso
Tatiana CessoPermalinkResponder

Adorei os videos! Passa a informaçao de um jeito mais dinamico e a gente se sente meio companheiro de viagem! Bem bacana! wink

Maryanne
MaryannePermalinkResponder

Mais uma dica sobre os cafes no Starbucks: o café mais parecido com o nosso expresso é o " single expresso" Se vc quiser um cafe tipo carioca, peça um " single expresso machiatto" . E pro cafe da manh?, o small cappucino" é o mais parecido com o nosso café com leite. O hot chocolat deles é uma delícia, super calorico, mas eu sempre peço sem creme, e o small já é enorme. Perfeito para o inverno, esquenta a alma

ed
edPermalinkResponder

O café da manhã no McDonalds é uma opção razoável (principalmente em muitas cidades onde não há delis), tem também a House of Pancakes IHOP, Panera Bread e similares, bem mais em conta com café da manhã a la carte ou à venda no balcão. Um atendente nos EUA sempre espera uma gorjeta do consumidor. Detalhe curioso: em Washington, DC, a lei não permite servir mais de uma bebida alcoólica ao cliente ao mesmo tempo, é preciso terminar o aperitivo se quiser pedir o vinho. Isso de almoço corrido vale mais para grandes cidades, em localidades menores muita gente se senta e almoça de forma bem parecida com a nossa, seja em sistema de self-service (em geral de baixa qualidade) ou a la carte mesmo, com um menu mais curto onde prevalecem sopas, saladas, gralhados e sanduiches montados no prato.

Sandra Mazzafera

A rede Lá Quinta também serve café da manhã e muito bom por sinal.
Beijo

Ze Binsk
Ze BinskPermalinkResponder

Gosto da rede La Quinta, já fiquei em Miami, em Sunrise e na Philadelfia e o café da manhã deles realmente resolve o problema matinal dos brasileiros.
Tirando o café em si que é fraco e só tem leite frio (como nos EUA inteiro, inclusive Caribe) o restante é bem parecido, tem pão de forma, manteiga e ovo cozido, iogurte e sucos industrializados, geléia e sucrilhos.
No geral, atende a maioria dos brazucas. E o bom é que está incluso na diária. O único porém é que normalmente os espaços para o café da manhã são bem pequenos e com poucas mesas.

elisa
elisaPermalinkResponder

olá,
gostaria de saber se nas delis tem que dar gorjeta também
nunca dei e gostaria de saber se tem que dar gorjeta em mais algum lugar além dos restaurantes

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Elisa! No balcão deixe as moedas do troco no recipiente que encontrará ao lado do caixa.

Henrique
HenriquePermalinkResponder

Excelente post.
Principalmente em relação a ir em bons restaurantes no almoço!
Em relação aos "specials" tenho um amigo q fala que é a queima de estoque da semana. Ou seja, além de ser difícil entender, provavelmente nem é a comida mais fresca.
Abs

Diva Almeida
Diva AlmeidaPermalinkResponder

Ai gente adorei o Post. Estou rindo muito com marido. Vamos aos EUA em Julho e já estamos nos programando, colhendo o máximo de informações possíveis.
Quando fomos a Paris, passamos uma vergonha por não dar a gorjeta, a garçonete do Hard Rock não foi muito receptiva e quando saímos e não deixamos a gorjeta, ela nos olhou com uma cara de ódio mortal. *risos*
Como sempre ótimas dicas!

RodrigoSP
RodrigoSPPermalinkResponder

Bóia,
Estive em Nova Iorque no ano passado e neste janeiro em Orlando. Contudo, continuo com a mesma dúvida sobre gorjetas.
Primeiro, mesmo estando em duas pessoas, há restaurantes que incluem na conta a gratuity de 18%. Nesse caso, ainda devo deixar gorjeta (tip)?
Quando forem 06 (seis) pessoas ou mais, vindo incluído na conta a gratuity, devo deixar a gorjeta (tip)?
Desde já agradeço a atenção.
Abs!

Mon
MonPermalinkResponder

Nesses casos que a gorjeta já vem inclusa, vc só deixa mais se considerar que o serviço foi fenomenal.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rodrigo! Como a Mon disse, não é preciso deixar mais nada. Essa onda de incluir automaticamente 18% em contas para pequenos grupos só acontece em lugares onde há mais turistas europeus e latino-americanos do que freqüentadores americanos. Em Nova York gorjeta de 18% ou 20% só é incluída automaticamente em grupos a partir de 6 pessoas.

Henrique Gomes

Querido boia, segui suas dicas e em paris bebi todo o " vin de la maison" e inclusive " inventei" de pedir o vin de la mesoin e a eau de la maison só pra não pagAr agua mineral a preço de vinho, desta vez estou indo pra ny, existe isso em ny? Devo pedir wine da casa e water from de bica?, como economizo pra gastar no vinho?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Henrique! Água torneiral é "tap water", e 90% dos americanos pedem.

Alguns restaurantes têm "house wine", mas não é tão freqüente como na Europa.

Henrique Gomes

Muito obrigado, vou pedir "tap water" e escolher um wine da wines list...

cyro
cyroPermalinkResponder

pedi tap water sem problema, eles nao se incomodam em servir. mesmo em locais finos, serviram sem me olhar atravessado.

Beatriz Dias
Beatriz DiasPermalinkResponder

Bóia,
Poderia me indicar onde comer king crab em NY??
obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Beatriz! Tente o City Crab http://www.citycrabnyc.com/ ou o Oyster Bar da Grand Central Station: http://oysterbarny.com/

Beatriz Dias
Beatriz DiasPermalinkResponder

Muito obrigada!

Juliana
JulianaPermalinkResponder

Oi, Beatriz!
No Bubba Gump da Times Square você também vai encontrar! O ambiente é turistão, mas é divertido, já que tem várias "brincadeiras" no cardápio e nas paredes que remetem ao filme Forrest Gump (lembra que o Forrest monta o restaurante para homenagear o amigo pescador?). O king crab era bem gostoso, mas recomendo apenas se você estiver pela região, para aproveitar o tempo. Já o Grand Oyster Bar, como a bóia indicou, vale mesmo a visita! O ambiente é aconchegante, você conseguirá sentir melhor o clima "verdadeiro"da cidade...

Ro
RoPermalinkResponder

Olá! Vou para NY em maio.. Preciso muito de uma dica... Planejei toda a viagem com as dicas daqui mas estou com dificuldade de achar um detalhe. Onde posso tomar o drink Manhattan, que eu adoro, num lugar tradicional de Nova york? Com um bom preço... Rsrs

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ro! Quando estiver no Soho, dê uma passadinha no Fanelli's, na Prince esquina Mercer:

http://nymag.com/listings/bar/fanellis/

Ro
RoPermalinkResponder

Bóia, obrigada pela dica! Bom... Eu sei que esse post não é sobre roteiro mas eu gostaria de lhe mostrar a minha programação dia a dia. Fiz baseada nas informações do seu site. É a primeira vez que vou pra NY,e acho que não terei tempo de voltar uma segunda vez, porque há muitos lugares interessantes no mundo que quero visitar!!! Se você tiver alguma sugestão quero muito saber!

13/05 - Segunda feira : Chegada 7:00 – pegar a Shuttle para o hotel. Almoçar por perto, entrada no hotel 15:00... Ir ao Top of Rock/ trocar ingressos do City Pass e andar pela Times Square a tarde/noite.
14/05- Terça feira: Central Park / Almoço/ Museu Metropolitan ( 1000 Fifth Ave. at 82nd St. Dom e Ter?Qui, 9h30?17h30)/ cruzeiro Harbor Lights ás 19hs
15/05- Quarta feira: Caminhada por Village, Soho e Lower East Side/ Century 21
Sugestão de comida:Katz's Delicatessen 205 East Houston Street
Lombardi's Pizza 32 Spring St.
The Mercer Kitchen 99 Prince Street Soho
La Esquina 114 Kenmare, esquina com a Lafayette SoHo comida mexicana
Balthazar Restaurant 80 Spring St, Btwn Broadway and Crosby restaurante mais arrumadinho
16/05- Quinta feira: Empire Building/ Passeio por Chelsea, Meatpacking e West Village
Sugestão de comida:Chelsea Market 75 9th Avenue (Between 15th and 16th Streets)
Murray’s Bagels: West Village (matriz): 6a. Avenida, 500 — entre ruas W12 e W13
Pastis : 9 Ninth Ave. (Little W. 12th St.) Sanduiches, steak, saladas....
17/05- Sexta feira: Moma/ Almoço/
18/05 Sábado: Museu de História Natural/Ninth Avenue International Food Festival 2013/Blue Note 18:00h.
19/05 Domingo: Pier 17/ Ponte do Brooklyn / Coral da Brooklyn Tabernacle /volta para o Brasil às 19:00.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ro! Está bacana! grin

Ro
RoPermalinkResponder

Bóia, quero muito agradecer por todas as informações disponibilizadas no site! Isso fez da minha viagem um sucesso! Cumpri o meu roteiro e agora estou com vontade de quero mais. Fiquei no hotel Salisbury na 57. Foi perfeito! Café da manhã a 9 dólares, com variedade e frutas! Tudo do jeitinho que você explicou! Muitíssimo obrigada!!!! Continue esse trabalho maravilhoso que você tem feito!! Abraços

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Obrigada, Ro, pelo feedback!

Vivian
VivianPermalinkResponder

Pessoal, pelo que li a respeito, as porções dos pratos americanos são enormes. Queria saber se lá é deselegante pedir.um prato só para 2 pessoas. Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Vivian! Normalmente dividem-se entradas ou sobremesas.

Joe5
Joe5PermalinkResponder

Complementando, pra ny:

1. Deli não é lugar pra breakfast. Compre um bagel num bagel shop mesmo se quiser. Se quiser um breakfast Foda, procure por um bom brunch. Geralmente no final de semana, entre 10hs e 16hs.

2. Não vá ao Starbucks. É uma merda. NY é uma mecca pra café bom. Ir no Starbucks é coisa de quem quer usar banheiro público ou tem medo e sair do lugar comum.

3. O lance da conta no bar/restaurante não tem padrao. Depende do lugar. É uma questão burocrática. Sempre assuma que vai pagar no bar primeiro.

4. Tente ficar longe das coisas turísticas. O melhor de NY não está em Times Square.

Joe5
Joe5PermalinkResponder

Ah, MEGA IMPORTANTE se quiser evitar gafes:

Nunca chame o garçom. Eles vem te atender. Principalmente porque todo restaurante tem inúmeros garçons e assistentes mas só um é da sua mesa (eles não dividem mesas; cada garçom/garçonete tem sua própria area). Não perca nada pro cara que for trazer sua ajuda, por exemplo. O trabalho dele é só trazer água. Alguns restaurantes também tem pessoas só pra trazer a comida, não necessariamente a pessoa que vai pegar seus pedidos.

Noh Rocha
Noh RochaPermalinkResponder

Fantástico. Estou nesse momento fazendo um rolezinho (!) por aqui e uma amiga me indicou esse post que eu ainda não tinha lido. Ontem mesmo, aconteu de eu aceitar um special falado pela moça exatamente como você descreveu, sem que eu tivesse entendido xongas... Foi a única parte do almoço que eu não gostei.
As vezes precisamos de alguém pra nos dizer até o óbvio: porque raios eu aceitei xongas?

Abração.
Noh

Lili
LiliPermalinkResponder

Muito bem explicado. Uma sugestão é explicar a questão dos táxis e a opção de baixar o app UBER e não se preocupar em ficar 'caçando' taxi no meio da rua nem pagar depois da corrida. É uma solução super conveniente, segura e rápida. NYC, San Francisco, Boston. Até Cidade do México e Sampa têm.

Alberto Kim
Alberto KimPermalinkResponder

Tive uma experiência muito boa no Starbucks de lá.
Pedi umas bebidas e uns docinhos e ficamos lá sentado usando o notebook recém-comprado na BestBuy.
Papo vai, papo vem... e eis que no último minuto de expediente começam a distribuir tortas e doces pro povo remanescente que ainda se encontrava sentado lá.
Fantástico!! Fiquei impressionado!!
E voltando pro assunto da gorjeta... teve uma vez que saímos do restaurante sem deixar a bendita. Foi sem querer mesmo.... e eis que a garçonete vem correndo atrás da gente pra avisar que "esquecemos de deixar a gorjeta".... kkkkkkkkkkkkkkkk

Adelaide Rossini de Jesus

O que é esse app UBER?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Adelaide! UBER é um aplicativo para chamar táxi ou carro com motorista particular. https://www.uber.com/

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Cancelar