Surpresa! Lonely Planet destaca o Rio... pelo custo x benefício

Mariana Amaral
por Mariana Amaral

Praia de Copacabana

Acompanhando o lançamento do guia (de papel) Best in Travel 2013, o Lonely Planet publicou em seu site listas do gênero "As 10 mais", com tendências e recomendações para viagens no próximo ano.

As categorias presentes no guia e reproduzidas no site são diversas: Top 10 cidades, Top 10 países e Melhores lugares para caça ao tesouro (!), entre outras. O Rio de Janeiro faz bonito, encabeçando de maneira surpreendente a seleção de Destinos com melhor custo x benefício.

Segundo o Lonely Planet, a hora de visitar o Rio é agora, quando a cidade se prepara para receber a Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos. O guia aposta nas melhorias de infraestrutura que acontecerão em função dos eventos e comenta que, por causa delas, dentro em breve os preços subirão. (Mas daí pensamos nós: será que vai dar para subir MAIS AINDA? Valei-nos São Sebastião!)

Quem tentou fazer uma reserva de hotel na cidade, saiu para jantar ou leu nos jornais que o custo de vida no Rio de Janeiro é um dos mais caros do mundo vai discordar do Lonely Planet em gênero, número e grau.

Só que existe, sim, um jeito de fazer essa conta do LP fechar. Se você pensar num gringo que:

- fica em albergue ou aluga apartamento (dois meios de hospedagem que não param de se expandir);

- troca a Dias Ferreira por PFs ou restaurantes a quilo;

- aproveita o metrô superútil e as inúmeras atações gratuitas da cidade (a começar pela praia!); e

- descobre os bares que vendem cerveja de garrafa (600ml a dois dólares e meio? Onde mais nesse planeta?)

...bem, daí o Rio não fica caro, não.

E você, que não mora no Rio mas vem de vez em quando: qual é a sua estratégia para encarar os preços da cidade? Conta pra gente!


Leia também:

Rio de metrô: altas paradas, aí

13 praias no Rio (e em Niterói)

Página-guia do Rio de Janeiro no Viaje na Viagem

Siga o Viaje na Viagem no Twitter@viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire

Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por emailVnV por email


60 comentários

Marilia Pierre

transporte público: onibus e metrô
butecos que fazem o bolso respirar [e apenas suspirar pela caipirinha do Astor]

candida silva
candida silvaPermalinkResponder

Fico em casa de uma prima, na Laranjeiras! Assim, fujo dos preços altos da hotelaria carioca. Farei isso agora no fim de ano. Vou tentar tbém os aluguéis das bicicletas, penso que vale a pena. Mas, em cada viagem, vale uma ou duas extravagâncias!

A. L.
A. L.PermalinkResponder

Eu acho que estrangeiros que viajam para o Brasil, principalmente o público-alvo do Lonely Planet, está disposto a perrengues que não fazem sentido para brasileiros visitando o próprio país.

Sair da sua cidade onde usa um carro confortável para usra metrô, comer em restaurante por quilo e ficar em hostel no próprio país? Ninguém merece, na minha opinião.

Pelo mesmo motivo, vc vê relativamente (em proporção ao número total) poucos turistas americanos se submetendo a hostels, hoteis muito mais apertados e várias vezes mais caros etc. em New York.

E o mesmo se aplica à Europa, também. O público médio europeu de um resort all inclusive na categoria budget no Caribe dificilmente encara hotelaria parecida sem reclamar ao viajar dentro do seu país.

A minha estratégia se fosse visitar o Rio de Janeiro hoje seria tentar descolar um hotel a preços palatáveis na Barra da Tijuca, alugar carro e concentrar as experiÊncias culináris em uma só refeição por dia, recorrendo à praça de alimentaçoa de shopping para a outra. Mas se for para pagar preço de London no Rio, melhor ir para London que é infinitamente mais interessante. Enfim, acho improvável que eu venha a ser convencido a visitar o Rio nos preços atuais.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

A titulo de informação, shopping no Rio é a pior escolha para quem deseja refeições economicas.

É só googlar e descobrir para o almoço ótimos restaurantes-quilo ,e menus executivos em locais com vista privilegiada e para jantar os sempre deliciosos sandubas dos botecos e padarias estreladas.

Denise Mustafa

Londres e Rio de Janeiro: pense em duas cidades distintas.
achei a comparação incabível. tudo depende do tipo de viagem que vc quer fazer e o que quer conhecer.

e muito pelo contrário: o turista europeu é um dos que mais se mete em viagens de baixo-custo, ficando em lugares super hiper mega baratos, dividindo quarto com 10 pessoas em hostel e almoçando mc donalds. um verão na europa e vc vê quem nem todo mundo que viaja espera só por luxo, e sim por prazer.

e qual o mal de deixar seu carro na garagem e pegar um metrô de vez em quando, ver a cidade, as pessoas e suas peculiaridades? achei preconceituoso. desculpe.

A. L.
A. L.PermalinkResponder

Denise, eu moro na Europa, e aqui eu uso transporte público, que funciona, com alguma regularidade além de dirigir também.

No Brasil, o transporte público não funciona, ou é lotado, ou muito desconfortável (metrôs de SP e Rio ainda não tem frota 100% climatizada, o horror), ou então jurássico (ônibus 15-20 anos atrasados em relação ao que há de mais moderno).

Eu respeito totalmente quem tem outra mentalidade, mas eu não vejo a "graça" de se aboletar em um metrô hiperlotado, abafado quando estou de férias.

Daniel Go
Daniel GoPermalinkResponder

O horror são essas suas frases cheias de preconceitos e todo garbo que só brasileiros-classe-média-sofre tem.
smile
um site pra você: http://www.classemediasofre.tumblr.com/

Cristiana
CristianaPermalinkResponder

Com todo o respeito, hoje, ainda que se queira andar de carro no Rio de Janeiro, a pessoa sofrerá mais do que utilizando o nosso (infelizmente) cambaleante transporte público. Esse último ainda pode estar com frota dos anos 80, só que as nossas ruas estão com volume de veículos de 2012.

Mariana, a gente já tem que pensar numa estratégia para quem mora no Rio. Tá difícil ($$$) aproveitar o que a cidade tem de bom...

Abraços,

Dionisio
DionisioPermalinkResponder

Gostei do metrô do Rio.

Lili-CE
Lili-CEPermalinkResponder

Deixar o carro na garagem: um luxo a que me dou direito nas férias. (Sim, meu carro é confortável, mas não deixa de ser um estorvo por isso). Não acho que hospedar-se na Barra vai baratear a viagem, só vai transferir o custo da diária para o táxi. Interessante que foram as últimas viagens que fiz: Londres e Rio. Lembrei de um comentário que li outro dia: viajar pela Europa, a classe média pode, mas o Brasil é pra rico. Ah, e público de resort talvez não devesse mesmo passar férias no Rio... Só uma leve impressão.

Vladimir
VladimirPermalinkResponder

Oi, A.L. e Tripulação!!!

Caro Andre, acho que você exagerou na sua dica, pois, pareceu extremamente pessoal e tendenciosa no sentido do tipo de turismo que é bom para você. O leitor provavelmente não conhece seus outros comentários que são de extrema utilidade para todos nós, que temos muito o que te agradecer, inclusive eu.

Pelo que pareceu, você não gosta muito de Samba, Suor, Cerveja, Sol, Sal e Futebol. smile Posso estar enganado, mas, a sensação foi essa.

Vou dar aqui a minha opinião sobre minha cidade:

1º - O pior lugar para o turista ficar no Rio é na Barra da Tijuca. Moro na Barra e a considero perfeita, mas, porque trabalho aqui, se trabalhasse no centro ou Zona Sul eu tava ferrado. O turista que vem pra Barra vai demorar no mínimo 1h para chegar em algum lugar, é um trânsito dos infernos, e/ou vai gastar uma fortuna para ir e voltar de táxi à noite. Particularmente, não gosto de ficar com carro, pois, se vou a praia posso beber uma cervejinha, se vou no samba idem, se vou no futebol... Lugar para turista ficar é na Zona Sul (melhor) ou no Centro que tem ônibus 24h e o táxi sai muito mais barato!!!
Até dá pra ficar na Barra, mas, como eu fiz quando fui pra Natal, onde, fiquei 2 noites em Genipabu e 6 em Ponta Negra. Vir pro Rio e ficar na Barra é furada, principalmente pra quem está vindo pela 1ª vez!

2ª - Lugar com muitos lerês é Paris, Londres, etc.
O Rio é um lugar para se visitar em slow-travel. Nada de acordar às 7h para ver uma porção de coisas, num mesmo dia. Essa é minha opinião e é como eu viajo para lugares com Sol e Mar, diferente de uma viagem por cidades européias, por exemplo.

3ª - Minha visão de uma viagem perfeita à minha cidade:
- Flanar por Ipanema, Leblon e Copacabana.
- Ir à lugares como o Rio Scenarium.
- Ir para a Lapa e flanar. Ver quais shows estão rolando na região da Lapa. Nossos preços para shows são infinitamente melhores do que os Europeus. Passear na Lapa é Gratuito.
- Ver um show de Samba, numa casa pequena do Centro, não estou falando de um grande show em casa de espetáculos...
- Ir a um ensaio de Escola de Samba. Esta é uma atração exclusiva daqui... fora os blocos de rua do carnaval. Pelo que ouvi, esse ano tinha mais gente nos blocos daqui do que em qualquer outro lugar do Brasil e é tudo Grátis!
- Fazer alguma trilha, como, Morro da Urca, Floresta da Tijuca, Parque Lage-Cristo Redentor, etc.
- Ir à praia em Ipanema ou Leblon. Se quiser, estique um dia até a Prainha que é depois da Barra. Se tiver uns 10 dias por aqui, passe umas 2 noites em Búzios (mais estrutura) ou Arraial do Cabo, nesse caso, vale a pena pegar um carro para a viagem.
- Andar com a cópia do passaporte, somente o dinheiro que vai usar, o cartão que for necessário, não sair andando em direção a lugares que tem pouco movimento, levar a melhor camera em lugares que você sabe que vai estar seguro, mas, essas dicas valem para qualquer lugar do mundo, não é mesmo?
- ...

4ª - Tudo sem stress, tudo sem pressa, uma viagem para relaxar e não ficar na cabeça que tem que visitar cada igreja, cada museu, etc.

A cerveja aqui é muuuito mais barata do que na Europa. A comida também. Quando falam da comida a quilo estão no extremo, assim como dizer que comeu no Girafas (que eu me amarro), onde um prato com feijão e arroz sai por R$12 e olha que tem muita comida a quilo cara por aí. Mas, você pode comer muuuuito bem por R$40 à R$60/pessoa por aqui, coisa impossível na Europa, pelo menos nos lugares que vi. Faltou citar no item 3:
- Ir à um rodízio.

Caro, A.L., não sei a quanto tempo não vens aqui, mas, esse perrengue que vc pode ter passado há algum tempo não tem rolado.

Concordo com você sobre o preço da estadia... para o visitante não se sentir lesado tem que procurar direito...

Abraço de coração,
Vladimir.

Arthur | Agora vai MESMO

André,

Como disse o Vladimir, gosto muito dos seus comentários e dicas. São úteis e minuciosos. Além disso, você "polemiza", você discorda com argumentos. Pode-se concordar no todo, ou em parte, ou não, mas é um muito bem-vindo tempero nos comentários. Continue nos brindando com suas informações e opiniões.

Para mim, a Copa e as Olimpíadas foram o maior golpe imobiliário e de corrupção já vistos na história desse país. Essa semana mesmo saiu no Globo um artigo sobre estrangeiros que vieram a trabalho para o Rio, de lugares tão diversos como Inglaterra e Colômbia, e mesmo os que vem de países de primeiro mundo não aguentam o custo de vida aqui (alimentação, moradia, etc). Isso não é sustentável e um dia irá explodir, mas os responsáveis já terão se locupletado.

Sobre hospedagem, depende muito do tipo de turista. Como vc disse, o público do Lonely Planet encara albergues numa boa. Muitos brasileiros também, e há boas opções no Rio, como citou a Lívia. Mas uma família vai ter que coçar o bolso para se hospedar aqui, nos points que interessam.

Agora, se hospedar na Barra e alugar um carro para circular pelo Rio, é receita certa para o infarto. Ou para ir à falência com táxi. Isso para o brasileiro. O estrangeiro, então, vai abandonar o hotel e pegar o primeiro vôo de volta para casa.

Quanto à alimentação, também está caríssima. Veja: a comida a quilo, que começou no final da década de 80 como uma opção barata, hoje nivelou por cima e não sai por menos de R$ 30,00 - R$ 40,00. Para se achar lugares dignos e em conta (BB - bom e barato), tem que se perguntar aos locais. Esses lugares não costumam aparecer nos guias. Quem é daqui sabe, mas quem chega de repente vai suar o bolso, mesmo em shoppings (ou talvez, principalmente em shoppings, dependendo de onde for). Se for a là carte, qualquer mondrongo se intitula "Chez-Bistrô-alguma-coisa" e mete a mão. Mas na Europa também é a mesma coisa. E o álcool é bem mais caro na Europa, até pela supertaxação para reduzir o consumo (ex.: Noruega).

No mais, é isso: procurar, procurar e procurar. Ou relaxar e gozar wink todos os preços de hotelaria, alimentação e turismo de uma maneira geral no Brasil deram um salto carpado triplo. Apenas quem já custava mais teve um incremento na mesma proporção.

Abs a ti e a todos

A. L.
A. L.PermalinkResponder

Eu gosto da Barra porque da lá há fácil acesso a três regiões interessantes:

- o "complexo" Prainha/Grumari

- a praia da Barra da Tijuca ou do Recreio, que são as mais interessantes para banho na minha modesta opinião (e é pessoal mesmo, gosto de praia é igual preferência de sabor de pizza :p).

- a floresta e as montanhas, exceto para visitas ao Cristo em si (mas como há outros mirantes, e como os preços do Cristo são caríssimo, encaro-o como um lerê obrigatório que fiz duas vezes, e basta)

Obviamente, ir da Barra para a Z.S. em horário de pico é fria. E para ir ao Centro às vezes é mais rápido usar a Via Amarela + Av. Brasil + Perimetral, mesmo fora do pico.

Daniela
DanielaPermalinkResponder

Respeito sua opiniao, mas considero a opção de se hospedar na Barra e alugar um carro para se deslocar bem ruim. O tempo que você irá perder em engarrafamentos vai tornar as férias um stress. Quanto aos restaurantes, ainda temos muitas opcoes longe daspracas de alimentacao dos shoppings...

ana
anaPermalinkResponder

fui no rio na páscoa deste ano e a diária de um hotel executivo em copacabana saiu mais caro do que a que vou pagar para passar uns dias em dezembro em londres. mas eu estava no rio, em um hotel com um café da manhã estupendo e a 2 quadras da praia! não tem comparação. e o metrô, para turistas, embora seja muito limitada a malha do rio, funciona sim, é só vc procurar sair e voltar fora dos horários de pico (já que está de férias pode escolher os horários). aliás, adoro não dirigir quando estou viajando, acho um luxo, já que na minha cidade uso sempre o carro. enfim, uma questão de abrir a cabeça para novas experiências.

Livia Mochileira

"Ficar em hostel no próprio país"??? Qual o problema disso??? Acho que o único problema seria a dificuldade de encontrar no Brasil a qualidade dos hostels que encontramos fora... mas isso COM CERTEZA não se aplica ao Rio!! Conheci hostels maravilhosos na cidade maravilhosa (Z.bra, Leblon Spot, inclusive por indicações aqui do VnV), cheio de gringos e de brazucas também!! Quem gosta de ficar em hostel não fica pensando se é dentro ou fora do próprio país e,sim, se é um lugar de qualidade, limpo, bem localizado, com wifi gratuito... inclusive são aspectos que buscamos (dentre outros) em hotéis também!

Livia Mochileira

Alias, não é só no Rio, quem já ficou pelo Pipa Hostel (sensacional), Arraial d'Ajuda Hostel, Che lagarto de Buzios, Lua Cheia em Natal, com certeza repete a hospedagem ao voltar pra essas cidades. Creio que o caso é se a pessoa gosta desse tipo de hospedagem ou não. Cansei de ver hostels europeus cheios de americanos, brasileiros e... EUROPEUS!!

Livia Mochileira

Ah, e quanto a Londres ser "infinitamente mais interessante" que o Rio... cada um com o seu gosto!! Eu não troco o Rio por Londres NUNCA!!

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Dois membros !!

A. L.
A. L.PermalinkResponder

Ah, sim. Gostos realmente são pessoais smile

Depois que eu mudei do Brasil para a Holanda, perdi quase todo o interesse de visitar lugares com problemas urbanos ou de infra-estrutura sérios. E se já gostava de metrópoles da Europa, passei pessoalmente a jamais considerar trocar dias em Berlin, London, Zurich por dias no Rio, São Paulo ou Belo Horizonte. Mas como disse acima é questão de gosto pessoal: eu gosto de cidades que funcionam sem jeitinhos, me recuso a ver qualquer "beleza" em "defeitos"; embora não haja lugar perfeito, quanto menos imperfeições, melhor.

Mas o interessante é que como gostos variam, as multidões dentre nós se dividem grin

Danilo
DaniloPermalinkResponder

Comentário bem menos #classemediasofre que o anterior, até concordo em alguns pontos "gosto de cidades que funcionam sem jeitinhos, me recuso a ver qualquer “beleza” em “defeitos”". Mas penso que ao "não trocar dias em Berlin, London, Zurich..." vc restringe ainda mais o seu mundo, sua visão, sua cabeça. Penso que viajar é viver, nem que por uns dias, a cultura do lugar, por mais que isso inclua perrengues. Adoro viajar pela europa, mas sou louco para conhecer o Camboja, Vietnam, Egito...que não são lugares famosos pela infraestrutura turística, mas que com certeza serão experiências tão, ou mais, fantasticas que tirar foto em frente ao big ben, ou subir no topo do empire state.

Daniela
DanielaPermalinkResponder

Tambem nao troco, de jeito nenhum , Rio por Londres.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Sou suspeitíssima para falar do Rio , pois meu olhar muito muito amoroso pelos cariocas e pela beleza única da cidade , fazem com que me sinta sempre imensamente feliz ao retornar.

Sinto sempre uma grande alegria em estar na cidade maravilhosa e hoje, não troco uns dias no Rio por nenhum outro lugar.
Sou uma apaixonada que não se incomoda com os defeitos, que já não acha tão importante se hospedar na rua X do bairro Y.

O Rio não é um lugar para passar e para ver, é um lugar para estar o maior tempo possivel, e poder desfrutar sem pressa e sem relógio da compania dos amigos e da mais bela cidade que conheço.

Minha estratégia para acompanhar os preços, é não pensar nisso .

Nico
NicoPermalinkResponder

É como diz o Riq Freire: "Não preciso estar no Rio para estar feliz, mas sempre que estou no Rio estou feliz!"

Os lugares muito perfeitos, certinhos, limpinhos e eficientes são deliciosos mas depois de alguns dias entediam. As vezes acho que a beleza está nas imperfeições.

E a beleza do Rio imperfeito, emociona.

ana
anaPermalinkResponder

sim, os lugares mais certinhos não são os que emocionam.
como uma fotografia publicitária: é perfeita, mas não te passa sentimento algum!

Maryanne
MaryannePermalinkResponder

Sou f? número 1 de uma frase antiga do Riq, onde ele diz que viaja pelo mundo pra tentar descobrir um lugar mais bonito que o Rio ; e até agora, nada. Amo o Rio, acho o melhor lugar do mundo, e sonho com o dia que eu possa passar mais do que 10 dias por ano lá.

Eunice
EunicePermalinkResponder

Para quem não quer se hospedar em hostel e também quer férias da vida doméstica: limpeza, compras etc a hotelaria no Rio sempre pesa no orçamento. E o pior é que o preço não corresponde a qualidade. Sempre diminuo na expectativa uma ou duas estrelas do hotel para não me decepcionar. Fora a hotelaria, não acho que a vida normal do Rio - restaurantes simples, padarias, sucos, transporte público inclusive táxi, preço de atrações seja diferente de outras cidades do Brasil. Restaurante caro é caro em qualquer lugar do mundo, é uma escolha para quem pode. Quando quero economizar no Rio troco a hospedagem em Ipanema por Flamengo. Como banho de mar ( mas adoro a caminhada na orla ) é a última coisa que me atrai no Rio, funciona muito bem para mim.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Eunice, falando em Rio, tou com uma saudades danada da Bahia grin

Eunice
EunicePermalinkResponder

Que tal vir em janeiro? Tenho a intuição que teremos uma nova convenção...eek)

A. L.
A. L.PermalinkResponder

Eu fiquei no Flamengo em uma das minhas viagens ao Rio. Era de fato bem mais barato que Copacabana ou Ipanema/Leblon.

Mas então descobri a Barra da Tijuca e fiquei as outras vezes sempre por lá!

O que me espanta, relativamente, é a ausência de um pólo hoteleiro ali perto da parte norte da Lagoa e do Jardim Botânico. A Lagoa ficaria bem interessante com hoteis margeando-a por lá.

Eunice
EunicePermalinkResponder

Bóia, acho que meu comentário caiu no poço.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Recuperado mrgreen

Dionísio
DionísioPermalinkResponder

Minha estratégia é simplesmente pagar e abstrair...pensar que estou pagando pra me divertir. O Rio é caro mesmo e se eu for me ocupar demais com isso eu não vou mais para lá!

Estive no Rio há duas semanas e fiquei no Hotel Ipanema Inn, pagando uma diária que, pelo padrão da hospedagem, poderia qualificar como escorchante. Ouvi o pessoal dizendo que vai começar uma reforma e então perguntei pra mim na hora: "será que vão subir mais ainda os preços por causa da reforma?".

Também me dei conta que em restaurantes equivalentes aos que frequento aqui em Porto Alegre (RS), os do Rio são de 50 a 70% mais caros.

Se forem aumentar mais os preços no Rio, que Deus nos ajude!

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Dionísio , tens toda a razão !

E falando em custo de refeições, aqui em Poa sem dúvida alguma temos o menor preço que conheço , levando em conta ao menos a fartura dos buffets na hora do almoço , que tem um preço médio de 16 reais para o coma-o-que-puder .

No Rio 16 reais é o preço de um PF incomível num sujinho qualquer e um almoço leve decente chega fácil aos 40 reais .

Dionisio
DionisioPermalinkResponder

Um casal de amigos aqui de Porto Alegre e que há pouco foi morar no Rio está apavorado com o quanto está gastando mais. Realmente, comer em Porto Alegre é um ponto a favor da capital gaúcha.

Camila
CamilaPermalinkResponder

Tb!

Hugo Loureiro
Hugo LoureiroPermalinkResponder

O meu RIO:

Hospedagem: Centro, Rua Senador Dantas por exemplo.
Transporte: Metro/Onibus/A pé
Restaurante: Buffet Kilo, ou restaurantes como o Amarelinho da Cinelandia.
Passeios: Praias, Lagoa Rodrigo de Freitas, Jardim Botânico, Parque Laje, Museus e Teatro

Acredito que o custo beneficio realmente é bom, pois a cidade entrega muito e se planejar você paga um preço justo.

Claudia Chow
Claudia ChowPermalinkResponder

Amo o RJ e não tem como comparar com NENHUMA capital européia são viagens completamente diferentes!
Jura q vcs acham que garrafa 600ml a 2,5 doláres barato? Na Índia deve custar 1 dólar e olhe lá! hahaha
Mas meu jeito de viajar barato pro RJ é ficar na casa de amigos e desbravar restaurantes por quilo. Mas conheço muita gente q fica em hostel e acham muito bons. Conheci um na Glória chamado Kariok (http://www.kariok.com.br) q achei sensacional.
Ônibus e metro sempre e só qdo tá tarde e estou sozinha pego um taxi.
O RJ tem muitos passeios grátis ótimos como o a Floresta da Tijuca, o submarino, o centro histórico e lógico, o calçadão que não igual em nenhum outro lugar.
RJ é caro, óbvio, mas todo brasileiro tem q conhecer essa cidade q é o cartão postal mais aclamado do país!

Ali
AliPermalinkResponder

Já passei na frente desse KarioK. É super charmoso. Pertinho do metrô, que no sentido ZS te leva pra praia e no sentido ZN te leva para o centro.

alex serpa
alex serpaPermalinkResponder

Isso. Aproveitar o Rio comendo PF e comida a quilo. Hoje um casal vai comer em comida a quilo na zona sul e não gasta menos de 80 reais. Isso é barato? Na tijuca é a mesma coisa. Onde a comida a quilo é barata? Ah, tem botequim que vende PF a 12 reais. Mas eu não tenho coragem de entrar. E se for jantar, bebendo vinho, nos muitos bons restaurantes do Rio, pode contar em gastar pelo menos 300 reais. Muito Caro!
Meio de transporte...Uma piada, né? Metrô útil? Talvez para o turista, pois para o cidadão do Rio não presta. Está sempre cheio, tem uma linha que não tem nada de inteligente, e atinge uma pequena parcela do território. E ônibus, é pior ainda. Linhas que se entrelaçam, motoristas que beiram a marginalidade e total confusão. Moro no Rio há 18 anos. Ando de carro há 8 anos e não sei mais andar de ônibus. Imagino o turista, que não fala portuges, tentando se virar no transporte carioca.
Hospedagem, mais uma piada. Já tive amigos que ficaram em hotel no Catete, daqueles que atendem mais por período para encontros amorosos, pagando mais de 100 dólares na diária. São hotéis péssimos, que seriam considerados pulgueiros em outras cidades. Aqui, têm preços extorsivos.
Eu moro no Rio e amo o Rio. Não me imagino morando em outro lugar. Mas dizer que aqui tem um bom custo benefício é uma piada. Se você sai para jantar em Paris, bebe vinho e paga menos do que aqui, pode contar que tem alguma coisa errada...

A. L.
A. L.PermalinkResponder

Sobre preços de hotelaria, há esperanças - para o Rio e também SP -. As redes internacionais estão chegando com força total. Parece que só a Accor vai abrir 25 unidades Ibis e Ibis budget entre as duas cidades. Outros investimentos devem ajudar a aumentar a oferta.

O problema do Rio de JAneiro é que a área favorita para turistagem e lerês é restrita, e não aceita construções novas de hoteis. Até mesmo a conversão de prédios residenciais baixinho em hoteis andava proibida no Leblon.

Mas com o aumento da oferta, os preços pelo menos devem parar de subir! O ideal seria que a Barra da Tijuca ganhasse assim vários empreendimentos, já que lá tem espaço. O Eike Batista até comprou uma área de 380.000m² semana passada por R$ 275 milhões com objetivo de construir uma "mini-Ipanema" no Recreido dos Bandeirantes (próximo ao antigo e falido parque Terra Encantada).

Guta
GutaPermalinkResponder

Hotel eu realmente fiquei chocada...É muitooooo caro, mais do que muitos outros lugares do mundo. Há opções em "conta" e "confortáveis", como quartos privativos em hostel, mas mesmo assim, os que são bem localizados, são caros.
Assim, no Rio, aprendi que é melhor não focar tanto na hospedagem, mas garantir pelo menos uma boa localização, se você não quiser falir.
Adoro transporte público e andar a pé em qualquer lugar do mundo e no Rio achei ótimo tanto os ônibus como o metrô.
Comida não achei tão caro. É possível comer muito bem nos restaurantes kilo e como em qualquer lugar do mundo, em que vc não quer gastar muito, se dar alguns luxos em algumas refeições.
O negócio é que o Rio é muito lindo para não se ir, independente do preço... por isso, a gente paga o que paga para visitar a cidade

Camila
CamilaPermalinkResponder

Sinto informar que 600 ml de cerveja a USD 2,50 é não é barato assim não. Na Espanha, 1 litro de cerveja custa EUR 0,60.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá,. Camila! Não estamos falando de supermercado, estamos falando de boteco...

Lili-CE
Lili-CEPermalinkResponder

P.S.: os caras do Lonely Planet estão loucos, minha hospedagem no Rio custou mais que a hospedagem em Londres! O Rio é o lugar mais caro que conheço, mas também bacanérrimo. Então, entendo quando eles falam em custo x benefício...

Naila Soares
Naila SoaresPermalinkResponder

Ah...o Rio...sempre 'causando'..
Moro aqui e acho tudo muito caro. Mas dá pra dar um jeitinho sim.
Padarias, restaurantes a quilo, lanches nos botecos ou lojas de suco..
E hoje em dia, pode-se economizar um pouco com o aluguel de quartos ou apartamentos por temporada. E sempre tem um supermercado para se improvisar nas refeições.
Acho que tudo vale a pena quando se trata de uma cidade tão linda. Praias, a lagoa Rodrigo de Freitas, o Jardim Botânico, a Floresta da Tijuca, as ruas do Leblon...são muitos locais para se visitar e passear,e o melhor de tudo,de graça!

Lucio Mauro
Lucio MauroPermalinkResponder

Só não entendi uma coisa nessa discussão. Onde fica London? Procurei no Aurélio e não achei!!!

Ana Paula
Ana PaulaPermalinkResponder

Boa, Lucio!

Dionisio
DionisioPermalinkResponder

Em tempo: tem um bufê por peso bem bom e a preço honesto entre Ipanema e Copa, na rua Rainha Elizabete quase esquina com Rua Canning. Não lembro o nome, mas recomendo.

Outra dica: muitos pratos que os garçons dizem servir só uma pessoa dão bem para duas. Exemplo disso no Garota de Ipanema, no Diagonal, no Belmonte...

Liliana
LilianaPermalinkResponder

Riq, acho que mesmo para o público alvo do Lonely Planet o Rio é absurdamente caro. Se você pensar que com 30 dólares por noite dá para ficar num bagalô de respeito a dois passos da àgua do mar numa ilha paradisíaca na Tailandia(eu cheguei a pagar 10 dólares num bagalô ótimo!) e com 10 dólares se come um baquete na Índia, o Rio é absurdo.Infelizmente por isso o Brasil dificilmente entra nas listas de volta ao mundo, ou mesmo de viagens mais longas a America Latina dos estrangeiros. Mas ao mesmo tempo, o público mochileiro pega ônibus e metro em qualquer lugar do mundo(eu!), fica em albergue sem crise nenhuma como nosso amigo A.L., e economiza com pequens coisas, o que torna qualquer viagem mais possível.Apesar do preço o Rio é o Rio, e não conheço uma pessoa que goste de viajar que não tenha vontade de conhecer ou voltar, talvez por isso o Lonely Planet tenha colocado na lista, só poderia ter escolhido uma mais adequada.

zuzu
zuzuPermalinkResponder

Vi essa info no twitter e quase infartei...adoro o Rio, mas é caríssimo!

Marcio Antonio

Eu particularmente acho o Rio caro, comparado com o resto do Brasil. Mas boa parte disso é simplesmente lei da oferta e da procura (e outra parte é, sim, malandragem de quem quer extorquir turista).

De resto, temos vários tipos de comparação entre países, não só as do tipo "uma cerveja no boteco custa tantos dólares aqui e tantos dólares no Uzbequistão". O México, por exemplo, é o lugar mais barato que eu já visitei.

Prefiro o critério que meu irmão, que morou um ano na Irlanda, me explicou. Quando comentamos sobre o preço da comida lá (que nem é dos mais caros da Europa), ele disse "pra nós parece caro porque está em euro, mas o sujeito que ganha salário mínimo aqui precisa trabalhar x minutos para comprar essa refeição. Quanto tempo ele precisaria trabalhar para comprar uma refeição igual no Brasil?"

Natália
NatáliaPermalinkResponder

Pessoal, por curiosidade e porque achei legal a opinião da Lívia Mochileira, fui dar uma olhada no preço dos hostels que ela citou (Z.Bra e Leblon Spot) e, sinceramente, achei caro....(não tô dizendo como crítica não tá Lívia! Era só para justificar o meu comentário!). Digo isso, porque eu sempre viajo por conta (sem pacote) e adoro eu mesma organizar minhas viagens...para mim elas já começam quando do planejamento (assim como muitos que lêem o VnV)! Ocorre que, como sou casada, prefiro ficar em quarto duplo com banheiro privativo, porque posso ter mais privacidade, então no Z.Bra, por exemplo, o preço era R$ 250,00 no quarto mais simples , privado, e com banheiro. A única vez que eu viajei por pacote foi em minha lua de mel, porque decidimos viajar muito encima da hora, então, na correria do casamento, optamos por contratar a CVC. Nosso destino foi o Rio de Janeiro. Ficamos no Rio Othon (de frente para o mar de Copacabana) um hotel ótimo, com café da manhã maravilhoso...e lembro de ter pago R$ 280,00 a diária (não que esse seja um valor barato...pois foi um dos mais caros que já paguei!...mas só a título de comparação!)). Isso porque a CVC tinha uma tarifa diferenciada com esse hotel. Sei que, como isso faz quase dois anos, os preços devem estar um pouco mais caros, mas só para dizer que, às vezes, podemos achar tarifas equivalentes entre hotéis por pacote e albergues, mesmo para quem não curte viajar por pacotes (assim como eu!).

Bom é isso!

Abraços a todos!

Alex Melo
Alex MeloPermalinkResponder

Mesmo na Europa, ficar em hostel/albergue, mas em quarto de casal, muitas vezes sai mais caro que ficar em um hotel básico, ou mesmo alugar um apartamento...

Alex Melo
Alex MeloPermalinkResponder

Mas claro: nada justifica 100 euros por um quarto dentro de um hostel... paguei isto na diária de um apartamento com quarto, sala e cozinha, a 2 quadras do Louvre agora em Agosto, no final da altíssima temporada Européia

Lali
LaliPermalinkResponder

Então vc se deu muito bem! Pq eu não consegui nada nem perto disso em Paris....

Mariana Amaral

Aproveitando o tópico, existe um albergue super bacaninha na Rua Alice (Laranjeiras) chamado Café Rio Hostel. Precisa de ônibus para ir às praias, mas fica pertíssimo do trenzinho do Corcovado.
http://caferiohostel.com.br/
A diária está 160 reais para a suíte de casal.

Há muitos albergues abrindo no Rio e certamente existem outros como esse.

Z.Bra e Leblon Spot já nasceram grifados e são mais caros do que a média. Assim como o Oztel, que um pessoal que veio para o Seminário Viajosfera testou e constatou ser mais balada do que albergue.

Alex Melo
Alex MeloPermalinkResponder

Já cansei de ficar em albergues, e acho opção natural para se hospedar, inclusive no Rio. Mas... com a filha de menos de 1 ano acabamos tendo que descartar esta opção. Assim, se o Rio ainda é acessível para quem tem como dividir o quarto, para quem tem família é um lugar infelizemente impossível!

E realmente: como lugar para conhecer e visitar, o Rio não deve nada a Londres e Paris, mas pagar mais caro para comer no Rio que em Paris, ninguém merece!

Hugo de Souza
Hugo de SouzaPermalinkResponder

O Rio de Janeiro não é nem de perto o lugar mais barato que já visitei, mas não há como negar que o custo x benefício é excelente!

Como sobrevivi no Rio de Janeiro com pouco dinheiro:

Como sempre viajo com o orçamento apertado tratei de pesquisar bastante antes de ir e acabei muito satisfeito com as escolhas que fiz.

1 - Hospedagem

Me hospedei em um hotel no bairro do Flamengo que ficava entre a Praia do Flamengo e a Rua do Catete (foi um pouco mais caro que ficar em um hostel, mas o conforto valeu a pena).
A principal vantagem do local foi conseguir ir de ônibus pra todas as atrações turísticas e só precisar andar no máximo 2 quarteirões.
Além disso, na rua do Catete há vários restaurantes, alguns supermercados e agências bancárias.
A desvantagem é que as ruas ficam meio desertas a noite e o ambiente parece menos seguro.

2 - Transporte

Apesar de andar de carro todos os dias, em minha estadia, optei por usar o transporte público e, não sei se foi por sorte, mas não me perdi nenhuma vez. Eles não tem ar condicionado, mas funcionam bem e só são lotados nos horários de pico (e isso acontece até com o aclamado metrô de Tokyo).
A impressão que tive é de que é super tranquilo andar de ônibus no Rio e que todo mundo sabe a rota de todos os ônibus. Pois todas as vezes que tive dúvida sobre o itinerário de algum e perguntei p/ alguém na parada de ônibus a pessoa sabia responder, mas de qualquer forma, dá p/ consultar o google maps.
Dica dos amigos que consultei -> por estar hospedado em uma região mais central o táxi também sai mais barato, mas não precisei de táxi nenhuma vez na semana que passei no Rio.
Andar de carro no Rio não parece uma boa ideia, não porque o trânsito seja caótico, porque isso acontece quase todas a grandes cidades do Brasil, mas porque é muito difícil encontrar estacionamento próximo dos principais pontos turísticos, pelo menos foi o que achei, mas como optei por perrengar minha opinião não serve neste caso.

3 - Onde comer

Esse, com certeza, foi o item mais controverso no meu planejamento. Algumas pessoas diziam que se eu queria gastar pouco deveria ir aos shoppings, outras diziam que eu deveria ir aos "por quilos" e outras ainda pregavam que se você está no rio tem mais é que gastar muito mesmo e aproveitar!!!
Na verdade percebi que o Rio de Janeiro tem o potencial de agradar a todos os gostos e os bolsos (nem sempre os dois juntos), tanto na culinária como nas atrações. Comi em vários lugares e sempre paguei pouco menos do que paguei em São Paulo, por exemplo.
Duas dicas são muito importantes para o turista baixo custo nesse quesito: a primeira é se programar comprando barras de cereal, frutas ou biscoitos nos supermercados e a segunda é ter paciência na hora de escolher, vá em vários lugares e consulte o preço e saiba até que ponto você pode ir.

Em resumo, fui ao Rio de Janeiro e gastei, por dia, quase o mesmo valor que gastaria se tivesse saído na minha própria cidade. E já estou louco para voltar, pois uma semana no Rio é pouco!!!!!

Érica França

Estou planejando uma viagem ao Rio e, realmente, a cidade está bem cara. Para economizar, optei por alugar um apartamento. Assim, economizo também na alimentação. De resto, só lá para perceber as barbadas. Gostei de todos os comentários, muito úteis, mas discordo também de ser um problema viajar sem o conforto do carro ou de um hotelzão. Prefiro viajar na pindaíba e aproveitar cada novidade do que ficar em casa porque não posso pagar o hotel dos sonhos. Mas, cada um, cada um.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar