Cias. aéreas brasileiras avisam | "Escolha: ou promo, ou milhas"

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Ponte Aérea

Ponte Aérea: tão cara, que vale a pena usar milhas

Adaptado da minha coluna Turista Profissional de hoje no suplemento Viagem do Estadão.

Chorar é livre, espernear faz parte do jogo (e às vezes dá resultado). Mas a verdade é que mudança de regras em programas de milhagem é algo quase tão antigo quanto os programas de milhagem.

Para você ver: no início dos anos 90, em programas como Smiles e Aadvantage, um upgrade para classe executiva em vôo internacional custava apenas 12.500 milhas – não importando a classe tarifária em que a passagem tinha sido comprada. Já há muitos anos, porém, o mesmo upgrade custa 30.000 milhas, e só é concedido para passagens compradas na tarifa cheia.

Nos últimos meses, três das quatro maiores companhias aéreas nacionais alteraram as regras dos seus programas. Em junho a TAM matou o principal benefício histórico do Multiplus Fidelidade, que era a garantia de emitir passagens domésticas e sul-americanas pela tabela-base, sem limitação de assentos por vôo. Ainda em junho, a Azul reformulou o programa Tudo Azul, que passou a atribuir pontos proporcionais à tarifa paga.

Agora é a vez da Gol mudar. A partir de 10 de outubro, o Smiles vai na cola do Tudo Azul e passa a conceder milhas com base no valor da tarifa. E para penalizar ainda mais o caçador de pechinchas, as tarifas promocionais não darão mais direito a milhas (uma prática que não é novidade, mas que estava restrita aos feirões e às megapromos de todas as companhias).

Milhonários x Pechincheiros

O recado das companhias aéreas é claro: os infiéis, que voam sempre onde está mais barato, serão cada vez menos remunerados com milhas. Pense numa Dona TAM, numa Tia Gol e numa Miss Azul enfileiradas, todas com uma mão nas cadeiras e outra com o dedinho em riste na nossa direção: "Escolha: ou a promo, ou as milhas! As duas ao mesmo tempo você não vai ganhar não. Guloso!"

O acúmulo substancial de pontos passa ser privilégio dos passageiros freqüentes, que pagam as tarifas cheias de última hora e têm sua milhagem bonificada em até 100% (clientes TAM Vermelho Plus, TAM Black e Gol Diamante) e 200% (clientes Azul Safira).

Para complicar a vida dos independentes, os cartões de crédito dos bancos – que eram o melhor atalho para juntar milhas em várias companhias sem precisar voar – agora impõem barreiras para a transferência de pontos.

O programa Sempre Presente do Itaú é o mais implacável: os pontos sofrem um deságio de 20% ao serem transferidos e o para o Multiplus Fidelidade ou para o Smiles, e o limite mínimo de transferência atingiu estratosféricos 48.500 pontos. (Em contrapartida, Banco do Brasil, Bradesco e Santander estão com uma promoção com o Smiles de bônus de 20% na transferência, mas o limite mínimo também é alto: 40.000 pontos.)

Com os pontos presos no banco, você pode perder as promoções de milhas reduzidas que volta e meia são oferecidas por TAM e Gol -- e que são a melhor maneira de rentabilizar as milhas acumuladas.

Back to basics: a saída é o cartão de crédito oficial do programa

O mundo gira, a TAM e a Gol rodam, e quem quiser acumular pontos sem voar deve voltar à década de 90, quando o único jeito de turbinar sua conta num programa de milhagem era fazer o cartão de crédito oficial do programa. Com esses cartões, seus pontos ou milhas são creditados logo depois do pagamento da fatura mensal, sem limites mínimos nem delongas. Você restringe sua independência ao se fidelizar a um dos programas de milhagem, mas continua livre para borboletear entre as promos e os feirões de todas as cias.

Claro que, para ser um milhonário via gastos de cartão de crédito, você precisa ter... muito gasto de cartão de crédito. A partir de uma média mensal de gastos de R$ 2.000 você compensa a anuidade e tem algum lucro emitindo uma viagem com milhas. (Estou falando de viagens domésticas; se você conseguir juntar milhas somente via cartão de crédito para viajar ao exterior, provavelmente não precisaria de milhas para fazer nenhuma viagem...)

Os cartões de crédito oficiais do Fidelidade TAM são emitidos pelo Itaú nas bandeiras Visa e MasterCard. A versão International tem anuidade de R$ 172 e confere 1 ponto por dólar gasto. A versão Gold tem anuidade de R$ 268 e dá 1,33 ponto por dólar gasto. A versão Platinum custa R$ 399 por ano e dá 1,5 ponto por dólar gasto.

Os cartões de crédito oficiais do Smiles são emitidos pelo Banco do Brasil e pelo Bradesco, somente na bandeira MasterCard. São mais generosos do que os cartões da TAM:  dão bônus na adesão e na renovação (creditados depois do pagamento da anuidade) e oferecem mais milhagem por dólar. A versão Internacional tem anuidade de R$ 90, bônus de adesão de 1.000 milhas e credita 1,35 milha por dólar gasto. A versão Gold custa R$ 190 por ano, dá bônus de adesão de 5.000 milhas e 1,5 milha por dólar gasto. A versão Platinum tem anuidade de R$ 248, bônus de adesão de 10.000 milhas e confere 2 milhas por dólar gasto.

Se você tem gastos altos com cartão de crédito, vale a pena cacifar um dos cartões platinum. Além da melhor relação gastos x pontos conferidos, os cartões platinados dão prioridade no check-in e no embarque. Você adquire (literalmente) o seu status de elite, mesmo sendo pechincheiro de carteirinha. A única diferença é que você não ganha os bônus sobre as milhas voadas. Mas como passagem-prêmio nunca deu direito a milhagem, você não sai perdendo nada.

E você? Mudou de estratégia depois das últimas mudanças? Ou desistiu da brincadeira?

Leia mais:

57 comentários

Claudio
ClaudioPermalinkResponder

é tá difícil...eu aproveitei a última da Azul e migrei boa parte das minhas milhas pra lá pra tentar conhecer mais do Brasil (Bonito, Noronha, etc), mas não dá mais pra ficar no Sempre Presente. Já decidi que vou migrar para o Bradesco pra tentar maximimar as milhas do cartão de crédito.

Mariah Rafaela

Eu francamente acho que não vale mais a pena aproveitar os programas de milhagem dessa forma. Em 2009, voei pela TAM para Buenos Aires com 20.000 pontos, mas não foi complicado juntar os pontos e sem saber fiz uma assinatura da Revista Vogue na época e me creditaram 10.000 pontos... Atualmente os cartões acumulam pouco, pelo menos no BB, e raramente tem boas promos de milhas.

Cartão de crédito via Itaú é uma grande bobagem, para não dizer burrice, eles possuem uma das taxas mais caras do mercado. O que, francamente, acaba não compensando. Anuidade de 399 no Platinum, só pra ter um cartão da Tam... é melhor ter um Platinum via BB ou Caixa e pagar bem menos. E depois tem tempos de guerra tarifária, o melhor mesmo é ficar de olho nas promos e ainda ter a opção (quando disponível) de pagar em até 10 vezes. Fica bem mais barato!!!

Carlos
CarlosPermalinkResponder

Tenho o visa platinum do Itaú e paguei somente 90, 00 de anuidade, é só ligar para lá e pechinchar.

Alexandre
AlexandrePermalinkResponder

Já eu tinha o cartão TAM Itau Platinum, tive por 9 anos o cartão, nunca atrasei um dia o pagamento, sempre tive gastos relativamente altos, pois concentrava as compras para acumular mais pontos, sempre conseguia negociar a anuidade. Nesse último ano, tentei negociar a anuidade , foram súper grosseiros e não aceitaram baixar um centavo! Cancelei o cartão, a "atendente"ainda me falou pra pensar bem , pois com o cancelamento eu não poderia mais ter cartão Itaú por 2 anos. Achei ótimo! Pra que ter um cartão de anuidade tão alta que não prestigia seus clientes?? Eis que 3 meses depois me ligam oferecendo o cartão novamente, detalhe, sem anuidade. Chamei os atendentes de desorganizados mandei pra um lugar que não convém escrever aqui. Quer se incomodar e ser desprestigiado? Faça um cartão Itaú...

raq
raqPermalinkResponder

eu sou do time do seth kugel: http://colunistas.ig.com.br/viagens/2012/04/19/pelo-fim-das-milhas-de-viagem/
acho um enorme desgaste ficar tentando emitir algo com milhas. desisti faz tempo, simplesmente finjo que elas não existem.

Andrea Marques

Eu concordo com vc! Desisti faz tempo!

Thomas H.
Thomas H.PermalinkResponder

De jeito nenhum!! rsss Bom, eu me enquadro na categoria "empresa paga e ganho as milhas"

Gabriel Prehn Britto

Eu deixo rolar. Uso o cartão de crédito pra tudo e se precisar fazer algum voo interno ou se pintar uma vontade louca de viajar pela América do Sul, verifico meu saldo, comparo com os valores de promos e decido. Não sou muito bitolado com acúmulo, não. Se rolar, rolou. =D

Paula
PaulaPermalinkResponder

Sou assim também como o Gabriel! smile
E tem dado certo para meus acúmulos de milhas e viagens, por enquanto, somente voo nacional, porque sou ansiosa e não consigo esperar para juntar muitos pontos grin Não fico pensando tanto, vou deixando acumular, quanto tem uma quantidade boa de pontos, transfiro...

Natalie Soares

Eu já fui mais viciada nessa brincadeira, mas estou cogitando desistir e tentar usar o que eu já tenho acumulado apenas para voos internos (se possível) :/

Fabio NG
Fabio NGPermalinkResponder

Aproveitei o mote da mudança pra gastar todas as milhas acumuladas no cartão nos últimos anos, e desisti do (finado) Sempre Presente. Reativei meu cartão Citibank Aadvantage (que transfere as milhas automaticamente e não vencem nunca, então posso levar o tempo que for pra acumular o suficiente pra uma viagem) e deixei o Itaú somente como backup.

Lili-CE
Lili-CEPermalinkResponder

Eu também, Fabio! Só que reativei o meu da Caixa, que andava esquecido... Ainda em fase de testes!

Tiago
TiagoPermalinkResponder

Desde que o Itaú mudou radicalmente as regras, optei por ficar só com o Bradesco Smiles. Além da boa taxa de conversão, ele também tem um ótimo benefício: você tem direito a 8 transfers gratuitos entre hotel e aeroporto quando voa Gol. Com a economia de taxis em algumas cidades, você já compensa a anuidade. Eu testei e funciona.
Mas eu também já deixei de nutrir esperanças em conseguir pechinchas com milhas. Assim como o Gabriel, eu concentro as minhas despesas no cartão sempre que não há desconto à vista mais por uma questão de estratégia financeira mesmo. E quase nunca uso milhas em época de promoção. Prefiro "gastá-las" para emitir uma passagem de última hora e que me custaria o olho da cara.

Camila
CamilaPermalinkResponder

Gente, poderiam adicionar aqueles ícones de compartilhamento (por e-mail, Facebook, etc.) nos posts.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Camila! No próximo layout do site isso será possível; neste layout atual infelizmente não temos como adicionar o plugin. Estamos trabalhando nisso.

Patricia Tayão.

Tem que fazer um mestrado para entender tantas regras, e que mudam a toda hora...desisto!

Poliana
PolianaPermalinkResponder

Alguém sabe me dizer como ficou com a Caixa Cartões? Se existe agora um mínimo para transferir e se a transferência sofre deságio?
Abraços e grata.

Renata
RenataPermalinkResponder

Poliana,

Nos cartões Caixa não há desagio para transferencia. Os cartões Internacional e Gold dão 1 ponto/milha a cada dólar gasto. Os Platinum dão 1,5 ponto/milha a cada dolar gasto e o Mastercard Black e o Visa Infinite dão 2,2 ponto/milha a cada dolar gasto.
A Caixa tem parceria com Tam, Gol e TAP.
Sei disso tudo pq sou cliente da Caixa e concentro meus gastos no cartão.

Espero ter ajudado,
Renata

fabteixeira
fabteixeiraPermalinkResponder

Poliana, pelo que eu tenho visto a Caixa tem as melhores condições. Resgate sem valor mínimo, que tem caído em até um dia e sem deságio pra Tam e Gol. Além disso é menos seletiva pros Black e Infinite. Fiz um financiamento habitacional e cacifei os dois pretinhos. Agora ando nadando de braçada com as 2,2 milhas por dólar, sem gasto mínimo. Abandonei os outros cartões.

Diogo Avila
Diogo AvilaPermalinkResponder

Acumular milhas viajando já tinha ficado difícil com a imposição do IOF de 6,38%, o que reduziu a nossa tendência de usar cartão de crédito lá fora.
Agora as empresas aéreas dão os apertos finais na gente.
Está difícil assim...

Alexandre
AlexandrePermalinkResponder

Consegui fazer muitas viagens com milhas, em trechos nacionais e internacionais, consegui ir de executiva pros Estados Unidos, pra Buenos Aires, Santiago, isso no passado. Hoje já nem me importo muito, os programas estão péssimos. Eu que moro em SC preciso sempre fazer conexão em Guarulhos ou Galeão para alguma viagem internacional. Comprando em dinheiro na TAM por exemplo a conexão pode ser de 2 h, com milhas passa pra 6h, 8h de espera. Estão fazendo de tudo para você não gastar suas milhas com voos. Pra que "dar" ao cliente um passagem com milhas que custaria 500 reais, quando pelo menos número de pontos podem empurrar uma torradeira que numa loja não custa nem R$ 100? Eu que só viajava com a TAM, passei a comprar na cia que tem o melhor custo / benefício no momento. Perderam um cliente freqüente!

Jerry Silva
Jerry SilvaPermalinkResponder

Gente, o cartão top da Caixa pontua 2,2 pontos por dólar. O dólar usado é o comercial, isto é, o menos caro possível. Transfere-se pontos facilmente. Não dá para perder tempo com cartões lixo como o Itaú.

Próxima Trip - Erika

Vi alguns comentarios acima que vão na mesma linha do que eu penso... Uso o cartão pra comprar tudo, e quando aparece uma viagem vejo o que da pra fazer com os pontos. Como viajo sempre com meu marido, tento conseguir uma ida-volta paga com milhas e compramos a outra passagem, ou transferimos para o programa do le club e trocamos por descontos nas diarias dos hoteis accor. Temos que ver as milhas realmente como um bonus, um plus. Se entrar na paranóia de acumular a qualquer custo acaba saindo no prejuízo com tantas mudanças nos programas das companhias aéreas

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Mudamos radicalmente nosso comportamento com milhas na última viagem após estas mudanças. Foi-se o tempo eu ficava feliz da minha mãe ir ao dentista e pagar no cartão de crédito para me ajudar a ir a Europa uma vez por ano...c´est finit! Precisávamos de Rio-Roma-Rio, sem negociação por conta de um casamento, mas para alta temporada, 1 mês antes (o que dava pelos compromissos profissionais) só encontramos Madri pela TAM. Como a KLM se revelou a melhor cotação (TAM muito mais cara!), fizemos a descompressão esse ano em Amsterdam (cidade que revi quando namorávamos e não tinhamos obrigação de fazer lerês) e mesmo com o code-share com Alitalia (pontuando nada na ida e nada no deslocamento para Amsterdam), pontuamos na Air France, que dará em nada provavelmente... Hoje encaramos as milhas voadas e do cartão como um investimento de longo prazo em fundos que darão em água em alguns casos...tomara que seja a água do Nordeste e não a água que me refiro hironicamente! rsrs

Philipp
PhilippPermalinkResponder

Num mercado pouco competitivo, o poder de barganha nao esta do lado do consumidor e com o aumento da renda no Brasil nos ultimos anos, as cias aereas ja estao ha algum tempo fazendo controle de capacidade: no Smiles poucas datas disponiveis e no Fidelidade (que eu sempre ignorei solenemente por conta do meu perfil de viagem) uma quantidade absurda de milhas; ouvi casos de pessoas usando mais milhas para uma economica do que alguns programas exigiam para voos em primeira – nao estou falando de executiva – em empresas como Cathay e Lufhtansa.

Acredito que os bancos compraram muitas milhas/pontos destes programas, e estes ultimos ajustes sao apenas reflexo desta "inflacao dos pontos/milhas". Aqui nos EUA o Skymiles da Delta e’ notorio por sempre trazer ajustes ao seu programa e por isto e’ carinhosamente chamado de Skypesos pela comunidade de viajantes frequentes. O HHonors – programa de fidelidade dos hoteis Hilton – simplesmente dizimou a sua tabela de pontos em alguns pontos dobrando a quantidade, pelo menos deram um tempo para entrar em vigor a nova tabela (eu zerei meu estoque de pontos).

O Artigo do Seth Kugel (mencionado acima) e’ interessante, mas ele nao vai mudar o fato de que estes programas existem e dificilmente deixarao de existir e conforme disse o Comandante acima “Chorar e’ livre”. As pessoas que perdem um tempinho para entender estes programas se beneficiam e muito deles, mas sabem das limitacoes.

Minhas dicas para o mundo de pontos e milhas:

- Trate as milhas como um “facilitador de viagen”. Se voce trata como um investimento estar. Pessoalmente eu as utilizo para fazer algumas viagens que jamais faria se elas nao existissem;
- Utilizem a estrategia de ganhar e gastar. Os programas serao invevitavelmente ajustados, assim e’ melhor gastar o quanto antes;
- Nao e’ necessario depositar suas milhas/pontos em programas de cias brasileiras, ou da empresa que voce esta voando. Muitas vezes e’ ate’ melhor deposita-las em um programa parceiro, mas para isto apenas mesmo analisando situacao particular de cada um;

Hoje mesmo ha 2 posts fantasticos em 2 blogs que acompanho neste mundo das milhas , ambos sao em ingles:
http://boardingarea.com/onemileatatime/2013/09/17/nothing-makes-happier-seeing-someone-happy-lufthansa-first-class/
http://boardingarea.com/viewfromthewing/2013/09/17/miles-really-matter-ever/

Adaptar sempre!
Desistir? Jamais! grin

TANIA JANIN
TANIA JANINPermalinkResponder

Comandante, voce esta certíssimo quando diz que milha boa é milha gasta. Gastei quase tudo! As da Tam torrei dando pra meu filho que mora fora vir me visitar, e o critério foi a saudade. Bateu, gastei. Foi um ótimo custo benefício.Hoje tenho tão poucas milhas da Tam que mesmo que ela voasse SDU-Nova Iguaçu, não dariam nem pra uma perna. De qualquer forma estou feliz, pagando a passagem ou usando milhas ninguém merece viajar pela Tam e levar 12, 15 ou até mesmo 22 horas para chegar num destino dentro do próprio país ou ficar parado num aeroporto 4,5 ou 6 horas para pegar a conexão.

Já usei milhas do Smiles para ir pra Europa, mas faz tempo! Deixei de tentar usar milhas para o exterior. Atualmente ainda tenho algumas que uso eventualmente dentro do Brasil, mas tá difícil, cada vez mais difícil conciliar datas,horários de voo, destino e quantidade de milhas exigidas por trecho. A quantidade de milhas exigidas está cada vez mais abusiva. Exatamente como os preços das passagens.

O uso cartão de crédito vai continuar para tudo, sempre pensando nas milhas. Só não uso fora do Brasil, assalto que dá pra fugir, ainda fujo. Mas cada vez é mais comum eu pagar pelas passagens, lamentavelmente. E as milhas que irei acumular fica pra viagem de ultima hora caso o preço esteja estratosférico ou uma grande oportunidade ou a saudade apertar. Ou tudo junto e misturado.Já desencanei.

Não tenho cartão de nenhuma companhia aérea, talvez essa opção passe realmente a ser mais vantajosa. Mas as empresas aéreas parecem não valorizar nossa fidelidade. já estou providenciando cartões de crédito que me tragam outras vantagens além da relação dólar gasto/milha como transfer, taxi casa- aeroporto, concierge, segunda opinião em diagnóstico fora do Brasil....não dá mais pra pensar só em milhas.

Ultimamente tenho usado companhias estrangeiras para voar e acumulado milhas no Milleage Plus da Continental que faz parte da Star Aliance. Usei milhas uma unica vez, foi simples. Um único telefonema e 40000 milhas para ir Rio-Cuba-Rio e ainda ter direito a parar no Panamá por 2 dias. Se compararmos 47000 milhas/Smiles pedidas em 09 de setembro para fazer Porto Velho-Rio (só uma perna!) tá barato pra caramba.

Como disse o Philipp, adaptar sempre, desistir jamais!

Alfredo Lopes Ferreira

40000 milhas para ir Rio-Cuba-Rio e ainda ter direito a parar no Panamá por 2 dias. Como conseguiu isso, Tania? Voou em qual a empresa? Com que tipo de milhas? Grato, Alfredo

Marcelo Lemos
Marcelo LemosPermalinkResponder

Eu já fui obsessivo compulsivo master plus advantage por milhas.
Comprava até pão na padaria e pagava com meu cartão platinum.
Pagava conta dos outros com meu cartão, pegava o dinheiro delas e fazia um pagamento avulso.. só pra acumular mais e mais milhetas.
Pagava boletos com o cartão de crédito. No Santander isso era muito fácil até dia desses. Independente do valor, a taxa era só uma: 15 reais. E com esses 15 reais eu fazia virar até 7500 pontos. \o/
E assim eu fiz várias viagens pela América do Sul e Europa.. Emitia passagem pros amigos, pros meus pais, pra minha família.. Mas dai comecei a ver que compensava mais emitir nas promos do que com milhas.. fui desencanando, usando menos milhas, preocupando menos com elas.. mas elas foram acumulando, acumulando..
Hoje devo ter uns 100k pontos no cartão (que não vence)uns 60k no Smiles, uns 20k no Multiplus.. e uns miseros 5k no KM de desVantagens. E o PIOR.. sem condições de programar nenhuma viagem este ano por motivos de: trabalho novo. =\

Pelo menos até conseguir gastar esses pontos todos, o tio da padaria não tem visto mais o meu cartão, os boletos são pagos da forma tradicional e abrir a fatura do cartão de crédito deixou de ser uma cena de filme de suspense grin

Guilherme
GuilhermePermalinkResponder

O grande problema que eu vejo nisso tudo é que, como a grande maioria das pessoas não tem educação financeira, acabam gastando dinheiro à toa em pagamentos de anuidades de cartão, tarifas bancárias, IOF e outras despesas inúteis.

E, com isso, dilaceram boa parte do orçamento doméstico, agravam sua situação financeira pessoal, se estressam por conta do acúmulo desmedido de milhas que têm enormes dificuldades para gastar, e o resultado final disso tudo é que o planejamento da viagem acaba sendo mais desgastante que a própria viagem.

O que impera no Brasil é a armadilha do hiper consumismo, reflexo claro de uma população com pesados déficits de conhecimento financeiro. A dor de cabeça para usar as milhas acaba sendo uma pequena ponta do iceberg disso tudo.

Michele - planejandoaviagem

Acabei com o meu Sempre Presente e estou concentrando todos os gastos em um cartão Platinum do BB. No momento, repensando meus próximos passos em relação aos programas. Dou preferencia a usa-los em viagens internacionais e a saída da TAM da StarAlliance é mais uma mudança chatinha.
Tenho a certeza de que os programas estão muito piores porém me parece que nunca foram tão populares.

Daniel Conceição

É uma confusão danada e dá preguiça de entender.

Eu deixo rolar. Compro tudo no cartão e na hora de viajar, vejo se dá pra usar as milhas (quase nunca dá...).

Meu pai acabou achando uma fórmula interessante pra ele. Todo ano ele faz um cruzeiro, onde pega o navio na Europa e navega até o Brasil. Como só precisa pegar uma perna de ida, ele sempre a compra com as milhas Smiles e pra classe executiva.
Como o Riq disse, ele não precisaria dessas milhas pra viajar, mas elas dão uma economia boa e um conforto a mais pro meu velho, que sofre qdo voa de econômica.

Como eu viajo cada hora pra um lugar e de uma forma diferente, ainda não achei minha fórmula milhástica...

João Hollerbach

Alguém sabe qual o melhor programa de milhagem para obter passagens para a Europa(entre Smiles e Multiplus da TAM)? Em 2010 consegui através do programa da TAM passagens da TAP, porém atualmente não sei o que é mais fácil(preciso da informação para fazer a transferência de pontos do cartão de crédito).

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, João! Se você quer fazer trechos servidos por TAP, Lufthansa, Swiss, Austrian, Turkish ou SAS, transfira para o Fidelidade e emita ainda esse ano, antes de mudarem de aliança.

Se os trechos em que você está de olho são operados por Iberia, KLM ou Air France, transfira para o Smiles.

As reservas nas companhias parceiras do Smiles são feitas no site do Smiles. Já para emitir em companhias parceiras da TAM você precisa ligar no telefone do Fidelidade.

João Hollerbach

Obrigado pela informação.

Henrique
HenriquePermalinkResponder

Pago tudo que posso no Tam Platinum e no HSBC Premier Master. No caso do segundo transfiro os pontos para o multiplus e tenho feito 2 viagens anuais com minha familia para a America do Sul e Brasil pegando as promocoes com menos milhas. Quanto ao "Sempre Presente" do Itau nem uso mais o cartão que faz parte dessa roubada.

Renata Oliveira

A informação do mínimo de pontos necessários para transferencias do Banco do Brasil está errada. É 10 mil pontos tanto para o Smiles quanto para o Multiplus, porém para o Smiles, clientes Ourocard (BB) estão com uma promoção até Outubro em que é possível transferir a partir de 5 mil milhas.
O valor da anuidade do Smiles MasterCard do BB também está errado. O valor correto é R$ 348,00.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Renata! O número de pontos a que o Ricardo Freire se refere é para aproveitar o bônus de 20%.

Viajante Oficial

As cias aereas são craques em mudar as regras do jogo sempre em beneficio proprio.

Luis
LuisPermalinkResponder

Melhor programa de fidelidade, no ponto de vista de emissão simples de bilhetes, é o AAdvantage. Tenho um Citi Mastercard Platinum AAdvantage, com bonificação mensal direcionada à minha conta da AA. É automático. Além disso, a American permite com que você emita facilmente seu bilhete prêmio, pelo próprio site, em diversas categorias (de super promocionais a tarifa cheia, com maior dispêndio de milhas).

Thomas H.
Thomas H.PermalinkResponder

Pena que não dá pra emitir bilhetes de todas as cias da OneWorld pelo site da AA. Por isso prefiro o Mileage Plus da United, consigo emitir tkts de todas as cias. inclusive Singapore, Thai, Turkish, Asiana e outras excelentes cias.

Marcio
MarcioPermalinkResponder

Olá!
Também desanimei com as milhas.
Concentrava meus gastos nos Platinum da Caixa pelos benefícios citados. Agora só os utilizo para compras em moedas estrangeira devido à cotação mais baixa.
Para compras em Reais estou utilizando cartões CASH BACK.
O que acham?
Abraços!

Fabiana Guida
Fabiana GuidaPermalinkResponder

Eu desisti de juntar milhas , ano passado passei meses tentando emitir EUA pelo SMILES , eu tinha flexibilidade de datas e roteiro e mesmo assim não consegui , em dezembro (não fiquem horrorizados) vendi minhas 230.000 milhas fiquei feliz da vida , pois estava desde setembro passando raiva!

Felipe Vieira
Felipe VieiraPermalinkResponder

Parei de me preocupar tanto em acumular milhas via cartão de crédito, com pague contas etc! Tenho optado pelo cartão que me cobra menos juros, menos anuidade etc.

Em 2013, por exemplo, houve tantas promoções de passagens aéreas, que saiu mais barato, nesses casos, comprar a passagem (e ainda acumula milhas pelo vôo).

Por exemplo, comprei Salvador-Miami-Salvador na TAM pra novembro próximo por R$ 1081,00 (tarifa access), preço final com taxas. E ainda acumulo 10 mil milhas no Fidelidade TAM.
Se fosse de milhas, na tarifa promo, a passagem custaria 50 mil milhas na TAM, no mínimo!

Pro período do carnaval 2014, período de alta estação no Brasil, consegui pela United Salvador-Orlando-Salvador por R$ 1021,00, com acumulo de 10 mil milhas no Mileage Plus. De milhas, não sai por menos de 70 mil milhas na tarifa promo.

Só em casos muito pontuais vale a pena se preocupar tanto com milhas: resgatar passagem de última hora, destinos c pouca oferta, resgate de classe executiva em tarifa promo etc.

Já foi o tempo em que acúmulo de milhas era um excelente negócio pro passageiro. Depois que Fidelidade TAM e Smiles se tornaram empresas independentes para emissão de milhas, o lucro e a vantagem têm que ser delas e não nossos, passageiros.

Ana Felipe
Ana FelipePermalinkResponder

Parabéns!!!! Amo viajar e este é o melhor site que conheço com dicas mega bacanas e úteis de viagens para todos os bolsos, tipos e gostos...
Obrigada!!!

Fabiola Mazotti

Oi Bóia,
vc sabe se tendo o Cartão TAM Itaú Platinum temos acesso as salas VIP da TAM?
Obrigada.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fabiola! Tem, sim. Veja: http://blog.tam.com.br/tag/tam-itaucard-platinum/

Fabiola
FabiolaPermalinkResponder

Bóia,
obrigada. Já fiquei sabendo a resposta!

Karina
KarinaPermalinkResponder

Oi! Alguém sabe me dizer quais são as vantagens de retirar o bilhete any day do Smiles? Estou pesquisando, e no trecho existe a tarifa Smiles por 10.000 ptos e a any day por 12.000 ptos. Any day é mais vantajosa?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Karina! Dá no mesmo comprar as duas. Compre a de 10.000 milhas.

ane
anePermalinkResponder

A KLM te voo Rio-Berlim, parando em Amsterdam.Eu posso, pela milhagem Smiles descer em Amsterdam e alguns dias depois prosseguir viagem? Obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ane! Talvez pelo atendimento telefônico você consiga essa mamata. Mas pelo site, se você quiser parar em Amsterdã, acabará pagando milhagem de passagem interna européia no trecho a Berlim.

Fábio G
Fábio GPermalinkResponder

Olá Bóia!
Talvez não seja o post ideal para a dica.
Mas lá vai..
A Azul agora permite emitir passagens internacionais no Tudo Azul.
Estou pesquisando e tem ótimos valores.
Há Buenos Aires por 15.000, Miami por 56.000 e Europa também pela mesma qtd.
Os voos são realizadas por várias empresas, não necessariamente parceiras.
Achei voos baratos com a TAP, Air Europa, Copa, AeroMexico...

Walmirando Brito Gonçalves

Senhores(a), bom dia!
Eu tenho pontos acumulados em meu cartão de crédito Itaú MasterCard e Ypiranga. Gostaria de converter em milhas e não sei qual o procedimento. Se possível, gostaria que me informasse qual seria o primeiro passo. Ou seja todos procedimentos para que eu possa utilizar em compra de passagens aereas se possível todas companhias aereas.
Desde já agradeço.
Walmirando.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Walmirando! O primeiro passo é abrir um programa de milhagem numa cia. aérea (Gol, TAM ou Azul são as principais). Segundo passo, transferir pelo site ou pelo atendimento telefônico dos seus cartões os pontos para este programa de milhagem. Recomendamos escolher apenas um, porque se você não concentrar todos os seus pontos num programa só dificilmente conseguirá viajar.

diogo.a.cv@hotmail.com

estou precisando de algumas milhas , alguem tem para negociar ?

diogo.a.cv@hotmail.com

maria de lurdes vieira lobo

quero depositar meus pontos tam como proceder

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Maria! Entre em contato diretamente com eles por telefone em uma das lojas da TAM.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar