4 toques para viajar mais barato dentro do Brasil

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

pantanal-norte2

Sabe aquela cerveja da barraca de praia do Nordeste que custava absurdos 12 reais? Pois agora está uma pechincha: apenas 3 dólares. Aquele restaurante a quilo melhorzinho que custava uma fortuna -- imagine, 45 reais! -- ficou razoável: tá saindo só 10 dólares. E aquele bugueiro que se recusava a sair do lugar por menos de 350 reais? Pois agora está trabalhando por menos de 100 dólares (aproveite, que dá pra rachar entre 4 passageiros!).

Divida qualquer preço doméstico por 4 (ou 4,5...) e o Brasil finalmente ficará barato -- em dólar. Pena que a gente continue ganhando... em reais.

À medida que os brasileiros voltem do exterior e tragam a informação dos preços que estão encontrando, porém, acredito que muita gente passe a pensar em viagens domésticas com carinho. Os anos de real valorizado nos acostumaram mal: era possível manter o nosso o padrão de viagens, seja ele qual fosse, em praticamente todo lugar. Agora, não: com uma corridazinha de táxi de 15 dólares custando ~60 reais~, o ingresso avulso da Disney chegando a 450 reais por cabeça e qualquer drinkzinho de bar saindo bem mais caro que caipiroska de Absolut na Praia do Espelho, o downgrade parece inevitável -- ao menos no Primeiro Mundo.

A verdade é que, por enxergarmos muito mais valor numa viagem ao estrangeiro do que dentro do Brasil, passamos esse tempo de real forte exagerando a difereça entre viagens domésticas e internacionais. Sempre arrendondamos os custos no Brasil pra cima, e os custos do exterior pra baixo. Taxa de embarque internacional, impostos não-incluídos, gorjetas maiores -- nunca contabilizamos nada disso. Nos habituamos a comparar os preços mais surreais do Brasil com as maiores pechinchas do exterior, mesmo que as duas coisas fossem incomparáveis (por exemplo: uma semana num resort de primeira linha na Bahia no Réveillon contra uma semana num resort de segundo time em Punta Cana na temporada de furacão). Valia tudo para reforçar a idéia de que viajar para fora não era apenas mais barato, mas muito mais barato do que viajar pelo Brasil.

Se eu fosse você, abriria o olho para as ótimas oportunidades de viagens pelo Brasil que vão aparecer tanto pela alta do dólar quanto pela desaceleração da economia. Essas oportunidades dificilmente surgirão nos momentos em que todo mundo quer viajar -- férias e feriados -- mas serão abundantes fora de temporada.

Meus 4 toques para você fazer viagens bacanas e baratas sem pensar em compra de moeda estrangeira, IOF ou desvalorização cambial:

1 | Não espere pechinchas nas férias e feriados

A alta temporada é cara em todo lugar do mundo, mas não acontece ao mesmo tempo em todo lugar. A alta temporada no Brasil costuma coincidir com a baixa temporada na maioria dos destinos desejados pelos brasileiros no exterior, então não espere que o Réveillon desse ano fique mais barato no litoral brasileiro do que numa capital da Europa ou em Buenos Aires.

Nos feriadões, se você dividir por 4, já deve achar preços bons em dólar. Mas em real os preços continuarão salgados.

Viajar nas férias e feriados só ficaria nominalmente barato se as condições econômicas piorassem muito mais e o brasileiro parasse totalmente de viajar. Aí sim surgiriam promoções também na alta temporada.

2 | Aproveite passagens aéreas a preço de low-cost

As passagens domésticas são tão abusivamente caras em janeiro ou em compras de última hora, que nos esquecemos de que, ao longo do ano, voar pelo Brasil é superbarato -- desde que você compre com antecedência -- com 45 a 60 dias de antecedência. Se você dividir os preços por 4, vai achar números parecidos com os que você encontra ao pesquisar preços de low-cost na Europa.

3 | Pesquise preços de hotel em sites de reserva

Praticamente todos os hotéis do Brasil já estão integrados aos sites de reservas, e cada vez mais pousadas aderem. Você tem uma polaróide da situação de preços da época em que você quer ir, e vai conseguir identificar claramente os hotéis com tarifas promocionais (não porque anunciam xis porcento de desconto, mas porque efetivamente seus preços serão mais baixos que os dos outros). É o canal preferido da maioria dos hotéis -- e de um número crescente de pousadas -- para publicar ofertas de última hora. Antes de fechar negócio, não deixe de ler as resenhas -- e neste caso, nenhum canal é melhor do que o nosso parceiro Booking, onde todas as resenhas são feitas por clientes que efetivamente se hospedaram nos hotéis (e que, por terem lido as resenhas anteriores, já viajam com as expectativas mais calibradas).

5 | Viaje no contrafluxo

Santa Catarina e litoral do Sudeste no outono (até início de maio em SC, até meados de junho no Sudeste). Serras no outono e na primavera. Interior do Brasil em maio, junho, agosto e setembro. Nordeste de setembro a novembro. Fora de feriados, você encontra clima bom e preços ótimos em todos esses destinos.

Destinos caros de praia, serra ou campo? Experimente viajar na semana anterior ao feriadão. A procura é baixa (todo mundo se guardando para gastar no feriado) e dá para descolar boas ofertas.

Nos feriadões, pense nas capitais: São Paulo, Curitiba, Belo Horizonte (com Inhotim), Brasília têm hotéis com tarifas promocionais e passagens mais baratas no contrafluxo.

Ainda esta semana eu vou publicar um post listando os destinos brasileiros de melhor custo x benefício, mês a mês.

Leia também:

84 comentários

Natália
NatáliaPermalinkResponder

há tempos desconfio desse argumento de que viajar pra fora é mais caro do que para o exterior. sempre me soou uma certa bestagem - claro que as pessoas podem viajar para onde elas quiserem, mas que viajem porque estão afim de conhecer outros lugares lá fora, não com essa justificativa de que é "mais barato"... o brasil é tão enorme e com tanta coisa interessante pra ver.

Rodrigo
RodrigoPermalinkResponder

Viajar pra fora é mais caro do que viajar para o exterior? Juro que não entendi Natália. rsrsrsrs

Emerson
EmersonPermalinkResponder

Realmente houve um emprego inadequado das palavras, mas todos entendemos o espírito do que a Natália quis dizer, isto é, viajar para fora do país é mais caro do que viajar dentro do país.

lissandro
lissandroPermalinkResponder

Excelente matéria! Os brasileiros gostam de se enganar com essa estória de que viajar no Brasil é caro, costumam dizer que uma passagem pro nordeste (partindo do sul) é mais caro que pra Europa, não sei de onde tiraram isso! Ou o pior, comparam um pacote de reveillon em Trancoso com uma semana qualquer em Miami.Rsrsrs

Rosiane Souza
Rosiane SouzaPermalinkResponder

Adoro suas dicas e sigo sempre (na verdade nas poucas vezes) que viajo. Costumo viajar mesmo nas suas viagens e nas dicas maravilhosas que você dá. O problema é que sou professora e só posso viajar na alta temporada de julho, segunda metade de dezembro e janeiro. Por isso viajo muito menos do que gostaria. O dinheiro não acompanha os preços estratosféricos. Onde nessa época é menos caro? Não sei. Se vc souber, agradeço. Abraços.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rosiane! O Ricardo Freire prometeu um post com indicações mês a mês para breve, fique ligada.

Laercio
LaercioPermalinkResponder

Bom Dia!

Ir para Foz do Iguaçu-PR é uma boa idéia no mês de abril?

Aguardo.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Laércio. É uma boa idéia o ano inteiro:

https://www.viajenaviagem.com/destino/foz-do-iguacu

Adriano
AdrianoPermalinkResponder

Eu, pessoalmente, acredito que viajar pensando puramente em preço é ruim. Prepare-se financeiramente para as férias e aproveite para relaxar, sem preocupações obsessivas com custo. Já vi gente que deixou de fazer um passeio bacana em um destino apenas porque "precisava economizar". Isso não quer dizer que o turista deve se sujeitar a qualquer exploração, comuns em destinos no Brasil ou no exterior, mas deve aproveitar a experiência, não deixando de curtir as férias. Afinal de contas, descansar o corpo e a cabeça é parte fundamental do conceito de férias. smile

Danilo
DaniloPermalinkResponder

Ricardo, concordo em termos. Eu sempre viajei no estilo mochileiro, com quartos compartilhados, mta comida de rua, e quase nada de compras (estilo de viagem que o pessoal está começando a adotar agora, talvez com outro nome...rs), e sempre para o exterior. Antes dessa disparada do U$ eu cheguei a pesquisar algumas viagens que tenho vontade de fazer no Brasil, como Bonito, p.ex, e a diferença de preço é absurda sim. Com o valor que eu gastaria em uma semana em Bonito, com os passeios, eu passareia uma semana com folga em Santiago ou BsAs. Amazônia e Noronha nem se fala então!
No MEU estilo de viagem acho que o que ficaria mais barato que exterior seria viagens do tipo Estrada Real, Foz do Iguaçu, alguns parques nacionais aqui no sudeste, etc. Até mesmo uma viagem para Salvador ficaria em um preço equivalente a uma viagem para alguma capital da america do sul.
Acho que o U$ ainda tem que subir mto para compensar viajar pelo Brasil...hehehe

Ricardo Freire

É o que eu digo, Danilo: comparação entre coisas incomparáveis. Em Bonito as atrações são privadas e pagas: compare com outros locais de ecoturismo privado ou possível apenas via tours, como Riviera Maia ou Atacama, e os custos estarão razoáveis ou menores.

lissandro
lissandroPermalinkResponder

Danilo, acho que você está comparando coisas diferentes, Bonito, Noronha e Amazônia são destinos tradicionalmente caros, acredito que por serem destinados ao eco-turismo. Destinos diferenciados (e caros) quase todo lugar tem!

Marcos
MarcosPermalinkResponder

Não concordo. A comparação correta não é entre coisas "parecidas", é entre o que há de mais único para um viajante aproveitar no Brasil e o que há de mais único para ele aproveitar na Europa. Se fosse para comparar coisas "parecidas", deveríamos comparar a Disney com o Beto Carrero, rssss.

Então o que aqui é mais famoso? Rio de Janeiro, Fernando de Noronha, Porto de Galinhas, Bonito e Pantanal, Manaus (como base para a Amazônia) e Foz do Iguaçu, com seus custos de hospedagem e passeios. Desses destinos, o único mais razoável é Foz. Todos os outros possuem preços estratosféricos. São caros até mesmo para os estrangeiros, que vem reclamando muito e preferido a Argentina, como pude acompanhar nos fóruns estrangeiros. Na Europa, eu compararia as cidades brasileiras consideradas "únicas" para os estrangeiros com outros destinos únicos - Berlim, Lisboa, Paris, Londres, Roma. Alguém tem alguma dúvida de que tanto a hospedagem quanto os passeios nessas cidades são mais baratas do que no Brasil? Quem é que, quando o euro estava a 2,50, achava hospedagem do mesmo nível mais barata no Rio do que em Berlim? E em Fernando de Noronha, que se cobra taxas diárias por algo que a natureza fez, enquanto em Londres você tem museus de classe mundial de graça? Não vou nem mencionar a diferença colossal entre o transporte público brasileiro e o europeu, qualidade e seus custos, nem entre as passagens internas. Isso é válido especialmente para os mochileiros, ou quaisquer viajantes que queiram economizar.

Por fim, não vou nem mencionar o Sudeste Asiático, nem os demais países da América do Sul - Bolívia, Chile, Peru, Argentina - para mostrar como pagamos caro aqui. No final das contas, a única coisa que realmente é cara para ir ao exterior são as passagens aéreas. Não é à toa que basta ter uma promoção de verdade e as pessoas não pensam duas vezes em deixar esse país superfaturado em que vivemos.

Aqui no BR, você só economiza de verdade se montar um roteiro "fora da moda". E tudo está entrando na moda, basta ter uma novela sobre o lugar...

Ricardo Freire

Marcos, se você não vê valor no Brasil, não viaje pelo Brasil. Mas não tome como verdade tanta coisa que você apenas acha, sem respaldo em pesquisa. Hospedagem em Paris e Roma mais barata que no Brasil? Cê tá brincando, né? Passeios caros em Bonito? Os passeios em Bonito, em preços internacionais, são super razoáveis.

Fabiola
FabiolaPermalinkResponder

Concordo plenamente com o Ricardo Freire! Fui para Roma em outubro e paguei em hotéis bem "mais ou menos" diárias de 130 euros, algo como 430 reais. Com esse valor tenho certeza que poderia ficar em hotéis bem melhores aqui no Brasil, até mesmo no nordeste.

Adriana Campos

Eu passei a vida inteira ouvindo que Bonito era um destino caro, até que resolvi ir lá para ver. Eu e meu namorado gastamos R$ 1.500 cada, com passagens via Campo Grande, aluguel de carro básico com ar condicionado, 4 noites de hospedagem em pousada de padrão intermediário e TODOS os passeios. Gostamos tanto que voltamos algum tempo depois, desta vez comprando um pacote na Azul Viagens, com voo direto para Bonito e 4 noites em hotel de categoria intermediária por R$ 750 cada, uma semana após o Carnaval. Novamente alugamos um carro e fizemos muitos passeios maravilhosos, e a conta final ficou abaixo dos R$ 1.500 /pessoa. O passeio mais caro de Bonito é a flutuação, na época em que fomos (2014) estava em torno de R$ 180,00 por pessoa, mas isso inclui roupa e botas de neoprene, snorkel higienizado, passeio inesquecível de três horas de duração com acompanhamento de guia, almoço na fazenda no estilo coma à vontade e redes para descansar depois. Não me parece caro.

Natália Rosa
Natália RosaPermalinkResponder

Olá, Boia
Adoro o site e sempre, SEMPRE, consulto o praiômetro para fazer qualquer viagem! É genial pros adoradores de sol e praia como eu, muito obrigada!
Tenho pesquisado vários destinos no Brasil mesmo e gostaria de saber qual seria uma faixa de preço justa para um resort do tipo all inclusive. Vi uma promoção do Cana Brava no groupon de R$3.219,00 para 5 diárias (o que daria R$ 463,80 por dia) e achei meio salgado para um resort que não é luxuoso.
Estou bem por fora com relação à preços desse tipo de hotel, pois nunca fui em um.
Se puder me dar uma luz, agradeço.
Abraços.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Natalia! Se for para duas pessoas, está barato por ser all inclusive (150 dólares é preço Punta Cana na baixa). Se for para uma pessoa, não é absurdo mas não chega a ser barato não.

Natália Rosa
Natália RosaPermalinkResponder

É pra 2 pessoas, sim!
Obrigada!

Mirella Matthiesen

Belo post ... e vamos combinar que não é somente pelo dinheiro, mas pelos lugares INCRÍVEIS que temos dentro do Brasil e que a gente não dá valor ou muitas vezes nem sabe que existe!

Ana
AnaPermalinkResponder

Prefiro os lugares INCRÍVEIS lá fora, não sou explorada.

Fabiola
FabiolaPermalinkResponder

Desculpe-me Ana, mas tem certeza que lá fora também não somos explorados? Você não acha exploração pagar 11 dólares em uma cerveja de lata num cruzeiro no Caribe? Sim, é esse valor que se paga!! Até para quem recebe em dólares esse valor é absurdo.

Ana Paula
Ana PaulaPermalinkResponder

Esse papo e "viajar pra fora é mais barato do que viajar dentro do Brasil" já ta mais que manjado... Amei o post

Gustava
GustavaPermalinkResponder

Bom, vou no contrafluxo do post. Não é porque viajar para o exterior está mais caro que o Brasil deixou de ser caro. Continua tão caro quanto antes.

No meu caso, afora um ou outro lugar, o Brasil não me atrai. Não é nem só a questão do preço, mas é de estilo, de preferências mesmo. Então minha estratégia será a seguinte: viajar menos mas ainda viajar para o exterior. Se antes viajava duas, três vezes ao ano, ficando fora uns 40, 50 dias por ano no total, agora pretendo viajar por volta da metade disso. Por conta do aumento do dólar, gastarei a mesma coisa de antes só que agora para viajar menos. É a vida, fazer o quê? Fala-se que a situação econômica do Brasil não se recupera nem em cinco anos...

No período em que estiver no Brasil sem viajar, tentarei reduzir ao máximo os gastos (comportamento gerador de recessão, eu sei, mas eles que começaram) e também tentarei aumentar meus ganhos fazendo extras. O mercado se acomoda, mais dia, menos dia, e quem for disciplinado não vai precisar começar a viajar pelo Brasil, não. Vai dar para continuar conhecendo o mundo, ainda que com adaptações.

Ana
AnaPermalinkResponder

Concordo plenamente.

Silvio
SilvioPermalinkResponder

Concordo e assino embaixo. Aqui somos explorados mesmo. Se alguém souber de um lugar que não seja assim me avisa.

Ademir Dias
Ademir DiasPermalinkResponder

Todo mundo que escreve esse tipo de coisas, mora aqui e ganha dinheiro aqui, tem um ótimo padrão de vida mas tem essa mentalidade que, pessoalmente, me ofende, ao dizer que aqui é horrível. Eu nasci aqui de uma família pobre, meus pais formaram os três filhos em escolas públicas e, mesmo reconhecendo os problemas do país, não consigo falar que aqui é uma porcaria e todos os outros lugares são maravilhosos. Paris já foi palco de guerras, fomes e revoluções, Roma, idem, Berlim, melhor nem falar..e nós é que somos o lixo do mundo na ótica de brasileiros. Faça-me o favor, restrinja seu mal humor a você mesmo e viaje para onde quiser. Gente triste.

Tatiana
TatianaPermalinkResponder

Concordo! Essa falação de que viajar no Brasil é mais caro do que no exterior é balela! Eu viajo pra caramba e, mesmo não pegando as bagatelas no preço da passagem, pego bons preços e hotéis com desconto no Brasil e adoro viajar por aqui - nossas praias são maravilhosas, estão entre as mais lindas do mundo! O que acontece é que a pessoa quer ir no melhor resort all inclusive no Brasil, mas fica num apartamento econômico lá fora, assim talvez possa ser mais barato, mas não é uma comparação equivalente.

Izabella Zava
Izabella ZavaPermalinkResponder

Concordo com a questão de às vezes não ser mais barato viajar pra fora. A questão é que os destinos interessantes para muita gente (como eu) aqui no Brasil esgotam rápido! Então pra mim, mesmo com esse dólar eu prefiro gastar mais e ficar feliz, ou esquecer o dólar e...viva a Europa!

Henrique
HenriquePermalinkResponder

Na minha opnião o pior de viajar pelo Brasil é a qualidade dos serviços, atendimento deficiente em restaurantes, operadores de turismo amadores, falta de infra estrutura, basta ver a confusao que se tornou pegar o trem do Corcovado no Rio, falta informacao, falta respeito.
Tudo muito amador.

Adelaide Veiga

Henrique, discordo de você quando fala que falta informação para pegar o trem do Corcovado. O site do Trem do Corcovado é perfeito e também tem muitos blogs que exploram o assunto. Tenho convicção que é mais fácil pegar o trem do corcovado do que visitar a Estatua da Liberdade, (subir no pedestal).

Fabiola
FabiolaPermalinkResponder

Não tive problemas no Corcovado. Comprei o ticket pela internet, cheguei uns 15 minutos antes da saída e tudo aconteceu dentro do esperado. Isso se chama planejamento, aqui e qualquer lugar do mundo. Vi pessoas que ficaram 4 horas na fila do Museu do Vaticano, pois não se organizaram e não compraram o ingresso com antecedência pela internet. Agora você vai dizer que na Europa também não existe organização e infra estrutura?

Marta Borges
Marta BorgesPermalinkResponder

Excelente post, Ricardo! Acho que o mundo todo acha "a grama do vizinho mais verdinha". Mas, nós, brasileiros, tendemos a desvalorizar o Brasil,e achar que o jardim inteiro do vizinho é mais verde e mais florido.

José Bosco Marques

Faz uma semana que regressei de uma viagem ao exterior... Pela primeira vez voltei de lá com menos de 200 dólares de compra... Estive em Orlando 11 dias e Cancun 4 dias... Com o dólar a 3 reais fica realmente difícil comprar alguma coisa interessante... No ano passado estive na Europa por 33 dias e também estava muito caro... Seu artigo pesará muito nos próximos destinos...

Fabíola
FabíolaPermalinkResponder

Concordo com o Henrique, podemos até pagar o mesmo que para o exterior (mais barato nunca). Mas a qualidade, profissionalismo e infra estrutura deixam muito a desejar... Fiz recentemente um passeio de barco em Noronha e o guia mal sabia falar o português (tínhamos que nos esforçar para entender o que ele falava) e, durante o passeio, subiu no "teto" do barco para fumar!! Aluguei um buggy, que quebrou 3 vezes....e as condições das estradas???
Ok, tentamos compensar a falta de preparo com alegria e simpatia....
O dinheiro pode ser o mesmo, mas a entregana maioria das vezes, inferior...

Ricardo Freire

"Mais barato, nunca?", Fabíola? Você acha mesmo que "nunca" haverá uma viagem pelo Brasil mais barata que uma viagem ao exterior? Você tem certeza que ~toda~ viagem ao exterior sairá mais barato que ~qualquer~ viagem que você invente pelo Brasil? É exatamente sobre esse tipo de raciocínio apressado e generalista que eu escrevo no texto.

Nico
NicoPermalinkResponder

Tem jeito não Ricardo. Pode escrever muito que tem gente que nunca vai querer entender. Tem a raivinha do país, tem a raivinha da presidente, tem o lado vira-lata de cada um, tem o status da viagem ao exterior. Enfim vc está certíssimo, viagem ao exterior é maravilhoso mas na ponta do lápis sai mais caro e sempre saiu. E esse preconceito todo pelo Brasil e de quem não viaja pelo país ou de quem viaja com vontade de voltar falando mal.

Renata Rezende

É a síndrome de vira-lata de alguns brasileiros...

Fabíola
FabíolaPermalinkResponder

Em tempo, vou continuar viajando para o exterior...talvez por menos tempo ou para destinos mais alternativos...(Vietna?)

Philipp
PhilippPermalinkResponder

Aproveitando o gancho da Fabiola, voltei recentemente do Vietnam que realmente e' um destino incrivelmente barato: tivemos banquetes por USD9 (200mil dongs), Bia Hoi (o chopp deles) por menos de USD1, transporte barato, comida maravilhosa, templos e cidades incriveis!

Um amigo economista dizia: "quando a classe media brasileira acha que na 5th avenue as coisas estao baratas, algo esta distorcido", chegou a hora de ajustar e o Brasil tem sim destinos incriveis de viagens (me vem `a cabeca pelo menos uns 20 deles).

Financeiramente o Brasil passou - ha' algum tempo - a ser mais barato que outros destinos, para dar um exemplo estive em Noronha no inicio de Novembro passado e achei relativamente barato quando levado em consideracao os pontos expostos pelo Riq.

No entanto, a utilidade economica (pense a grosso modo em felicidade por BRL gasto) depende de preferencias e gostos sao pessoais, assim cada sabe onde sera' mais feliz com o seu real gasto wink .

Vanessa
VanessaPermalinkResponder

Ricardo,

Acho que na verdade quando o viajante diz que prefere viajar para o exterior por ser mais barato ele está levando em conta o conjunto custo x benefício x infraestrurura x violência....eu pelo menos penso assim!e levando em conta tudo isso sempre vou preferir passar minhas férias lá fora mesmo sendo mais caro que aqui........claro que finais de semana e feriado serão de escapada para algum lugar no Brasil!tem muito lugar bacana por aqui!No geral,acho hotelaria cara por aqui.......pousadas charmosas em lugares de praia então!!Já fiquei em pousada em Buzios(não era feriado) mais cara que hotel top que fiquei em Ios em início de setembro!!!E sem risco de tiroteio na praia,como aconteceu em plena Praia da Ferradura há pouco tempo......Acho que muita gente está descontente com o Brasil e isso se reflete no turismo também....

Ricardo Freire

Vanessa, realmente no exterior estamos 100% seguros em todo lugar! É muito bom fazer turismo sabendo que nada pode nos acontecer!

Dá uma olhadinha:
https://www.viajenaviagem.com/2011/02/golpes-contra-turistas-na-europa-duc-maria-lina-e-dri-alertam
https://www.viajenaviagem.com/2011/05/mais-um-golpe-em-paris-o-alerta-da-andreia
https://www.viajenaviagem.com/2012/07/paris-golpe-aeroporto
https://www.viajenaviagem.com/2014/09/como-evitar-furtos-orlando-dicas
https://www.viajenaviagem.com/2010/10/europa-de-carro-cuidado-com-furto-em-posto-de-gasolina
https://www.viajenaviagem.com/2009/11/alerta-cuidado-com-sua-camera-sua-bolsa-e-suas-compras-em-buenos-aires

grin

Fabiola
FabiolaPermalinkResponder

É por isso que brasileiro cai em tanto golpe lá fora! Coitadinhos...acham que só no Brasil tem violência e bandidos...

andre
andrePermalinkResponder

Brasileiro tem complexo de que tudo lá fora é melhor e aqui é pior. Santa ingenuidade.

Vanessa
VanessaPermalinkResponder

Eu sei que há furtos,querido!!Sempre fico muito ligada lá fora também!!Mas roubo com arma de fogo e facões,como acontece por aqui e tiroteios são diferentes de golpe e furto né? ; )

Ricardo Freire

Não sou matemático, mas arrisco que estatisticamente a probabilidade de você ser furtada no metrô em Paris é infinitamente maior do que a de estar na praia da Ferradura durante um tiroteio.

Aproveito para recomendar que você tenha bastante cuidado também com ataques terroristas, que andam ocorrendo em todo lugar grin

Hugo
HugoPermalinkResponder

Tanto no Brasil como no exterior temos muita coisa interessante. As nossas praias, por exemplo, são excelentes. Quase morro quando vejo alguém falando que vai pegar praia em Miami. É como deixar a picanha em casa e ir comer acém no vizinho.

Com o dólar a mais de 3 reais o Brasil realmente se torna mais interessante. Uma diária no Txai já começa a sair por menos de 500 dólares. Com esse valor você não vai conseguir um hotel no exterior, com tanto charme e numa região tão bonita.

Noronha é caro, mas te possibilita visitar uma praia paradisíaca por dia. E tudo isso sem ter que atravessar meio mundo de avião.

Temos muitas belezas, só precisamos abrir os olhos de vez em quando para ver que podemos fazer ótimas viagens sem ficar 8/10/12 horas num avião.

Vanessa
VanessaPermalinkResponder

Eu moro no Rio,Ricardo, e aqui jamais andaria com minha maquina fotográfica no pescoço pelas ruas.Já em Paris.....rsrs
Não adianta comparar a criminalidade daqui com a de cidades europeias,são incomparáveis....aqui é com arma,lá é gatunagem.....

Ricardo Freire

Eu também não sairia, Vanessa. Da mesma maneira como, em Paris, Barcelona ou Lisboa teria um super cuidado extra com a minha carteira que é desnecessário no Brasil, onde os furtos são muitíssimo mais raros.

Vanessa
VanessaPermalinkResponder

Claro!os pickpockets estão à toda por lá!Mas eu preferiria que o Brasil fosse recordista em crimes de furto do que em crimes com arma de fogo....dos furtos e golpes há,mal ou bem,como se precaver,já de um bandido mal intencionado com uma arma na mão......
É por isso, e por outros argumentos que os viajantes falaram aqui, que o turismo no Brasil ainda engatinha....acho que vc mesmo já falou em post anterior que o Brasil recebe um número ínfimo de turistas se comparado a uma Tailândia,por exemplo....se os estrangeiros não estão muito afim de vir pra cá,não dá pra culpar os brasileiros que querem sair daqui........é uma pena,pois o Brasil tem um potencial enorme.....

Ricardo Freire

Vanessa, eu também gostaria que nas praias do Caribe vendessem caipiroska de lima da pérsia, que nos Estados Unidos não cobrassem gorjeta de 18% nos restaurantes, que os taxistas de Budapeste fossem honestos, que desse para jantar em Londres fácil às 11 da noite, que não fosse necessário fazer câmbio negro em Buenos Aires, que todas as praias fossem públicas em Curaçao, que desse para usar transporte público em Orlando. Mas eu escolho os meus destinos pelos atrativos e experiências e me adapto às suas circunstâncias e limitações.

Fique à vontade para pesquisar suas próximas viagens so exterior no site. Temos uma riqueza de conteúdo sobre a maioria dos destinos internacionais desejados pelos brasileiros. Boas viagens, divirta-se. Flw vlw.

Marcie
MarciePermalinkResponder

Vocé é o máximo, querido Comandante!

Adelaide Veiga

Riq, Parabéns pela matéria, você como especialista em viagens sempre reconhece e valoriza o Brasil. Lembro-me que na época da Copa você produziu um artigo puxando a orelha dos brasileiros que mantêm "o complexo de vira-lata"

Lissandro
LissandroPermalinkResponder

Lendo os posts notei que diversas vezes citaram Noronha como exemplo, que na minha opinião não serve de parâmetro! Porque não falaram de Floripa, Salvador, Maceió, Recife, Natal, Fortaleza, etc...? Esses destinos se convertidos em dolar são baratos sim!

Hugo Loureiro
Hugo LoureiroPermalinkResponder

O que me deixa triste com esta história toda é que não foi o Brasil que ficou barato, foi lá fora que ficou caro pois o dolar subiu muito. Isso não vai fazer com que quem não viajava para fora viaje mais por aqui. Sei que a matéria tem como foco dar um alento aqueles que por força do alto preço do dólar estão trocando uma viagem internacional por uma nacional, mas infelizmente aqui continua como antes não aumentou nem diminuiu, no entanto temo que vá aumentar, já que ficamos baratos em dólar e espero que os preços aqui não fiquem em dólar aumentando junto com a moeda em locais onde é forte a presença de gringos.

Carlos Eduardo

Sempre viajei pelo Brasil e conheço praticamente 60% do território brasileiro, além de conhecer boa parte da América do Sul. Fiz uma viagem aos Estados Unidos em janeiro e passei mais de 20 dias por lá. Não é que tenha sido barato, muito pelo contrário. O que mais me chamou a atenção foi a enorme sensação de segurança que senti, o que não vejo em nenhum lugar no Brasil. É uma pena que tenhamos tanta violência e falta de estrutura no Brasil. Transporte e serviços ainda são muito precários. Mas não sou inflexível. Minhas próximas viagens serão pelo Brasil mesmo e no máximo mais algum país da América do Sul. Quanto a Noronha, realmente é fora da realidade. Não há motivos para ser tudo tão caro. Outro lugar no Brasil que carece de melhor estrutura é a Amazônia. Se nunca viajaram num barco pelo Amazonas, vocês verão o desconforto, sujeira e péssimas condições.

Ricardo Freire

Carlos Eduardo, o Frugal Traveler do New York Times descreve a viagem em rede em barco na Amazônia como uma das mais bacanas que já fez na vida:
http://frugaltraveler.blogs.nytimes.com/2010/06/22/an-amazon-cruise-for-17-a-day-hammock-not-included/

Para viajar com conforto, recomendo o barco do Iberostar:
https://www.viajenaviagem.com/2014/05/amazonas-hoteis-selva-iberostar-anavilhanas-uacari-mamiraua

Carlos Eduardo

Ricardo, eu viajei num camarote da embarcação Golfinho do Mar entre Manaus e Santarém e o custo foi elevadíssimo. Para se ter ideia, acredito que hoje uma passagem com rede deva estar custando mais de R$ 150,00. Eu só acho que as condições sanitárias e de segurança das embarcações devem ser fiscalizadas e revistas. Não só os turistas, como a população ribeirinha merecem um transporte de melhor qualidade, principalmente pelo custo que se paga.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Carlos Eduardo, eu também paguei caríssimo para fazer esta viagem de camarote:

https://www.viajenaviagem.com/2012/10/santarem-manaus-de-barco

E é por isso que recomendo a do Iberostar wink

Quanto ao preço da viagem no convés, 50 dólares pra 48 horas de trajeto não tá absurdo não smile

Joana Freire
Joana FreirePermalinkResponder

Realmente tudo é uma questão de comportamento, cultura, gosto e claro, oportunidade. O lance é pesquisar bastante e fazer comparações antes de tomar qualquer decisão. Arrasou nas dicas, Ricardo! smile
Infelizmente a maioria dos brasileiros não tem vontade/curiosidade de conhecer o próprio país. É uma pena mesmo... Muitas vezes, na hora de pensar nas férias, ou mesmo nos feriados, os destinos daqui não são nem cogitados. Será que essa alta do dólar vai mudar alguma coisa nesse sentido? Bom, vamos ver, né.

Adeilton
AdeiltonPermalinkResponder

bom para refletir, todos sabemos Brasil é Brasil e férias éférias.

Marcos
MarcosPermalinkResponder

Na minha opinião o grande problema é a maneira como o Brasil trata a indústria do turismo.
Aqui ainda prevalece a máxima de "explorar o turista" e não o turismo.
Quem "viaja na viagem" ainda prefere ir ao exterior.

Ricardo Freire

Desculpe, Marcos, mas é outro clichê surrado e genérico, nível "mulher na direção".

Antonio
AntonioPermalinkResponder

Ricardo, parabéns pelas informações. Todas elas foram muito pertinentes e servem de alerta para que seus leitores que queiram gastem um pouco de tempo para raciocinar e planejar uma viagem, e não simplesmente sigam a manada. E parabenizo-lhe ainda mais pela paciência, educação e elegância em responder alguns de seus leitores, porque parece que tem gente que sofre de xenofobia reversa, julgando que o exterior é só maravilha e o Brasil um lixo. Só me pergunto porque uma pessoa dessas não se muda pra lá. Será que é porque morando no exterior ela não tenha como pagar uma "house cleaner" mensalmente, como ela pode fazer aqui no Brasil por valores bem mais módicos? Abraço e avante. Seu trabalho a cada dia melhora nos surpreende positivamente.

Filipe Archer
Filipe ArcherPermalinkResponder

Bom dia,
Fico pasmo em observar como o clima político do país influencia até a percepção sobre fazer ou não turismo no próprio pais! O dinheiro é de cada um, logo cada um faz o que bem entende. Agora diminuir as atrações do Brasil é algo absolutamente descabido. Penso que quem diz isso não conhece o país que vive. Me considero um abençoado por morar a pouco mais de 1000 km das praias mais astrais do mundo, o sul da Bahia. (não disse as mais bonitas, nem as que tem melhor infra estrutura, nem as mais baratas, nem a água mais translúcida, nem a areia mais branca. Disse e repito que são as prais mais astrais do mundo.) Poder ir a Cumuru, Corumbau, Caraiva, Espelho, Trancoso, Arraial, Santo André, Itacaré, Taipus, Moreré, Boipeba, Morro, é algo que encanta à todos que tenham paixão por viajar. Sinto em ver no melhor site de viagens da língua portuguesa tantas pessoas que viajam, viajam, viajam e não saem nunca do seu mundinho pronto e acabado. Sinceramente não sei como o Riq aguenta. Abraços e boa viagem.

Joao Chalub
Joao ChalubPermalinkResponder

Pronto, resumiu tudo, não preciso nem mais escrever o que eu queria. Parabéns, Filipe! Abração e boa viagem (pra quem tem o espírito livre e a cabeça aberta).

Malu
MaluPermalinkResponder

Foi reclamado que os servicos no Brasil sao ruins. E sao! Mas isso tem a ver com a mentalidade do povo. Comeca dos pequenininhos até os grandalhoes. É gente que pede emprestado e nao paga, que promete e nao cumpre (a maioria!), marca hora e nao aparece (e nem telefona para avisar!). É uma lista de "pecadinhos" que ataca todo um povo (as excessoes a gente conta nos dedos de uma mao) que, quando viaja, ve que em outros lugares é diferente, funciona e quando volta, reclama de tudo. Comece a mudanca na sua própria casa. Talvez, assim, um dia tenhamos um povo com bons servicos. Do nada, só vem nada.

Alex Melo
Alex MeloPermalinkResponder

Acho que se restringir para América do Sul, ainda pode ser mais barato viajar para fora que no Brasil - porém quando falamos de outros continentes, ai não tem mesmo como comparar muito, não.

Aliás: minha primeira viagem foi com o dólar a R$3,00 Fiquei 33 dias entre Peru e Bolivia e gastei mil dólares+600 dólares da passagem aérea - pelo tempo que fiquei, sem dúvida era mais barato que pelo Brasil.
Depois foi Argentina algumas vezes, Uruguai, Paraguai(fiquei 1 semana por lá) e Chile, e somente no Chile o custo era equivalente a São Paulo(mas não maior).

Porém, na época era somente eu e depois máximo minha esposa. Agora com 1 filha, a passagem aérea começa a fazer uma grande diferença e realmente viajar pelo próprio Brasil me parece mais barato.

Meu problema com o Brasil é que é muito destino de praia, que não é muito meu estilo. Mas... minha filha ainda é pequena demais para lembrar no futuro de onde foi agora, e prefere muito mais ficar na praia que passeando nos museus que eu adoro.

Assim, vou mais é aproveitar por aqui uns tempos e torcer para que em uns 2 anos o dólar tenha voltado a um valor razoável novamente. Comecei ano passado, com 2 semanas por Minas gerais e este ano outra entre Ilhabela e Parati.
Segundo semestre acho que vou para o Nordeste ou Santa Catarina - gasto menos e finalmente conheço mais um pouco do Brasil.

Alex Melo
Alex MeloPermalinkResponder

Lendo os comentários é curioso como tantos e tantos lugares são citados, mas é quase tudo praia.

Sim, há um monte de outras coisas (Brasilia, Minas Gerais, Foz, Bonito, Manaus, só para começar), porém meu problema (e penso que alguns que escreveram também)é que ao pensarmos em viagem pelo Brasil, a primeira coisa que vem a cabeça é... PRAIA e para quem não gosta muito, ai tem uma boa desculpa para procurar outros lugares.

Mas neste momento minha filha prefere mil vezes praia ou piscina do que qualquer lugar de Paris ou Roma - então vou aproveitar o útil (está caro demais bancar 3 pessoas para Paris ou Roma, ou Disney...) ao agradável (aos 3 anos, ela não vai nem lembrar de já ter ido para estes lugares mesmo) e fico por aqui mesmo.Se possível, de carro...

Beatriz
BeatrizPermalinkResponder

Eu penso que se deve viajar pelo prazer e conhecimento, então Brasil ou exterior, me servem. Vou onde tenho vontade. Pode ser um museu em Berlim ou em Pernambuco. Uma praia na Croácia ou no Nordeste. Gente o Brasil é um país lindo! Assim como outros tantos lugares no mundo. Economize para viajar, mas não economize na viajem. Curta, aproveite, faça roteiros conforme tua realidade, que caiba no teu bolso e seja feliz, aqui ou lá fora!

Gabi Righetto
Gabi RighettoPermalinkResponder

Concordo totalmente e sempre tentei viajar dessa forma, e só uso minhas milhas para trechos no Brasil. Acabo de marcar viagem para Caraiva/BA. Emiti bilhete ida e volta com 12 mil milhas para maio, e consegui pousada a preço excelente pelo booking.
E tbm sou das que acho besteira pensar que é mais caro viajar pelo Brasil. Viajo muito pelo Brasil e sempre com baixo orçamento.
Com pesquisa e flexibilidade é super possível, sim!

Márcia Balassiano

Acho que se está comparando o incomparável. Há lugar para o turismo no exterior e para o turismo aqui no Brasil. Vai do orçamento de cada um, das oportunidades no momento (passagens tiradas com milhas para destinos domésticos), época do ano (inverno no hemisfério Norte não está com nada) e por aí vai. Estava com tudo planejado para ir à Las Vegas em Outubro , mas devido à alta do Dolar e também por ter conseguido 2 assentos com pouquíssimas milhas para Fortaleza e uma excelente pousada em Jericoacoara com ótimo preço, mudei radicalmente o destino e vou gozar minhas férias em Jericoacoara feliz da vida ! Las Vegas fica para o ano que vem.

Antonio carlos

Pessoal.
Dá para ver que o assunto do post(muito bom, por sinal) se radicalizou. Daí gostaria de colocar alguns pontos de vista.
1.Se for dividir os preços por 3 não se esqueça de fazer o mesmo com o seu salário. Vai ver que ficou tudo mais caro aqui ou no exterior.
2.Brasil é Brasil e todo mundo já conhece. Levar vantagem em tudo é um lema que deixa de fora todos os valores importantes de uma sociedade. Aqui é assim e na área do turismo é ainda mais exacerbado.
3. Pessoalmente, prefiro ter a minha carteira "afanada", o que já me aconteceu em Roma, do que ter um "38" apontado para a sua cara no Rio ou São Paulo, ou
Salvador
4 O Brasil é lindo, sem dúvida, já o comportamento do nosso povo.......
5. O comentário que mais gostei, entretanto foi: A melhor viagem é aquela que te trouxe mais felicidade por cada real gasto.
Ao final de tudo cada um é cada um, e viva a diversidade!!!

Ana Rangel
Ana RangelPermalinkResponder

Sou do sul. Porto Alegre, Rs. Aqui, no nosso estado há muitos lugares lindos para turismo; tanto no verão quanto no inverno. Uma boa viagem começa por planejamento e consequentemente, escolhas acertadas. Pesquisem com bastante antecedência a sua viagem e tudo sairá da melhor maneira. Faço muita pesquisa antes de viajar e, até agora, elas só nos trouxeram alegrias. Tanto no Brasil, como fora dele. Em tempo, nunca passamos por nenhum dissabor de assaltos ou roubos. É só ter um pouco de prudência e ficar alerto. Boa Viagem a todos e obrigada, Ricardo Freire. Te acompanho todos os dias pela BandNews.
Abraços a todos.

Diógenes
DiógenesPermalinkResponder

Tava planejando uma viagem à Europa em set/2015 e a luz amarela acendeu. A passagem subiu, hotéis caros (Paris e Amsterdam). A viagem não está descartada, porém, se não der, será adiada e as férias serão em passeios pelo nosso Brasil.

Gloria de Castro

Não se deve comparar alhos com bugalhos (ainda temos muito o que crescer com relação aos serviços turísticos). Realmente a estrutura do turismo deixa muito a desejar aqui no Brasil, porque este Governo ainda não entendeu a importância financeira do turismo...

Mas há muitas maneiras de se fazer viagens maravilhosas pelo Brasil. Uma delas é o programa TAM-MasterCard Surpreenda (com ótimos preços, sempre para duas pessoas, ou quatro, ou seis, etc... – pagamentos a prazo) com hotel e passagens aéreas incluídos.

O programa Couchsurfing (www.couchsurfing.com) é uma boa pedida. Os sites de viagens mais baratos, hospedagens em bons albergues, viagens do Sesc, Sesi e outros órgãos do Governo. O Sesc tem hotéis maravilhosos em todo o Brasil e tem também muitos pacotes turísticos bem baratos. Outra dica seria procurar por dicas do povo local sobre onde encontrar programas mais baratos, restaurantes mais em conta...

Acho também que o Brasil não é só praia. Sou carioca e não gosto de praia, detesto areia, mas há lugares maravilhosos para se ver como Belo Horizonte, Inhotim, Ouro Preto, Tiradentes, Caldas Novas, Pirenópolis, Goiás Velho, Bonito, Brasília, lugares maravilhosos no interior e no Sul do Brasil. Realmente Manaus e Belém são caras, mas valem muito uma visita (sem olhares preconceituosos, pois são cidades próximas a maior floresta do mundo – não se vai a Belém, pensando encontrar São Paulo. São Paulo é ótima, Belém é ótima, mas São Paulo é São Paulo e Belém é Belém, com todas as suas semelhanças e diferenças, mas com muitas coisas interessantes para se curtir.

No Brasil, destaco Foz do Iguaçú e Pernambuco, com ótimas praias (para quem gosta), e outras excelentes atrações, como Olinda, Recife, com o imperdível Castelo do Brennand (considerado pelo Trip Advisor um dos 25 melhores museus do mundo), o Cais do Sertão, a área dos Armazéns do Porto, a Cerâmica do Brennand. Enfim, Recife não é só praia: está realmente bombando no Nordeste

O mundo é ótimo, sempre vale a pena conhecê-lo. E o Brasil também faz parte do mundo, é belo, sensacional, e merece inúmeras visitas.

Xô, preconceito ! Vamos entender e aceitar as diferenças ! E curtir o que quisermos, como quisermos, sem cobranças...

Renata
RenataPermalinkResponder

O post listando os destinos brasileiros de melhor custo x benefício, mês a mês, já saiu?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Ola, Renata! Ainda não. O Ricardo Freire fissurou o braço e passou as últimas duas semanas de tipóia, digitando apenas com a esquerda.

Arícia Martins

Olá, Riq, estava precisando de ideias para agosto. Você chegou a conseguir fazer aquele post mês a mês?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Aricia! Quem responde é a Bóia. Agosto é um excelente mês para Lençóis Maranhenses, Barra Grande do Piauí/Parnaíba, Ceará, Fernando de Noronha e interior do Brasil em geral: Chapada Diamantina, Chapada dos Veadeiros, Chapada das Mesas, Jalapão, cidades históricas de Minas.

(Além, é claro, de todas as serras, onde vai dar para pegar um frio gostoso.)

Gabriela
GabrielaPermalinkResponder

Sou fã do site e sempre consulto o site para ver as últimas dicas. Grande parte das minhas últimas viagens tiveram o auxilio de vocês e quero parabeniza-los pelo excelente trabalho!
Gostaria de deixar duas sugestões:
- Eu sempre consulto o praiometro antes de viajar, pra saber se é uma boa época para ir pro destino que quero. No entanto, lá só estão as cidades com praias. Seria interessante ter um levantamento completo que englobasse o índice de chuvas em cidades sem praia também.
- Já sobre praias, seria interessante ter um guia de praias boas para a prática de SUP (Stand Up Paddle), que virou uma grande moda no Brasil. No Rio de Janeiro, a praia vermelha (urca) e o posto 6 de copacabana são ótimos.
Em Buzios, temos a praia da Tartaruga, Ferradura, João Fernandes e Fernandinho Azeda e Azedinha que também são excelentes para o SUP.
Seria legal saber de destinos no Brasil que também tenham praias ideais pra a prática. Poderia rolar uma enquete, que os leitores sugerissem destinos.

Adriana Campos

As pessoas que acham que o turismo no Brasil é amador não viajam pelo Brasil ou não viajam há algum tempo pelo Brasil. Isso podia ser verdade lá nos anos 80, mas hoje em dia o turismo se profissionalizou bastante. Eu tenho viajado intensamente pelo país, por todas as regiões, e encontrado ótimas pousadas e restaurantes, infraestrutura em geral boa, agências de turismo especializadas, guias de turismo muito bem preparados (especialmente nos destinos de ecoturismo e turismo de aventura), ampla aceitação de cartões de crédito e débito, wi-fi, cobertura de celular, etc. Concordo com o Ricardo, viajar dentro do país é fácil e prático, não requer horas e horas dentro de um avião, não precisa fazer câmbio, não precisa falar outro idioma, e temos aqui tantas opções que o difícil mesmo é escolher. Nos últimos anos, fui à Chapada dos Veadeiros, Foz do Iguaçu, Aparados da Serra, Península de Maraú, Arraial d'Ajuda, Natal, Fernando de Noronha, Bonito (duas vezes), PETAR, Inhotim, Búzios, Paraty, Ilha Grande, Rio de Janeiro, Lençóis Maranhenses... Nosso país não fica devendo nada a ninguém. Para pagar menos, é só comprar passagens promocionais (ou utilizar milhas), planejar com antecedência e evitar a altíssima temporada. E, o mais importante: deixar o preconceito em casa e curtir o Brasil. PS: Sempre consulto o praiômetro do Ricardo, é útil demais!!!

Arley Nunes
Arley NunesPermalinkResponder

Gente sou do tempo da mochila e carona na estrada... Tive uma Kombi Safari com a qual andei dez anos pela Argentina , Uruguay, Chile , etc... Pela forma de deslocamento imaginem o que fiz de amizades , hoje , o tempo e o financeiro mudaram mas as amizades me permitem continar andando... O melhor de tudo ainda sao as pessoas e seus lugares . Em Bage-Rs peruntem pelo Arley .

Jacksonn Gama
Jacksonn GamaPermalinkResponder

Gostei dos comentários.
Informações necessárias, solicito todas.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar