Celular em viagem: roaming de dados x wifi grátis x chip local

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Sou do tempo que, para mandar notícias do exterior, a gente precisava ir à telefônica, esperar uma cabininha vagar e então pedir a ligação -- que precisava ser rapidíssima, porque custava uma pequena fortuna.

Hoje ninguém mais admite ficar desconectado por mais de umas horinhas. Mas não é só para ficar ligado no Whats, postar no Instagram ou não perder nada no Facebook. Quem está conectado pode solucionar qualquer dúvida na hora pelo Google e transformar seu celular num GPS (esteja você motorizado, a pé ou usando transporte público).

Quais são as alternativas de conexão no exterior?

Plano de roaming da sua operadora brasileira

Atenção: nunca use seu telefone no exterior sem ter contratado um plano específico antes. As tarifas normais de chamadas e sobretudo de dados são proibitivas. Tanto que o roaming de dados costuma se desligar automaticamente quando você está fora da área de cobertura nacional.

Agora -- contratando um plano específico, dá para encarar. Não é a melhor opção, mas é a mais cômoda.

  • Funciona assim: quando você desembarca no exterior e liga o seu celular, rapidinho vai aparecer um SMS da sua operadora oferecendo um plano de roaming internacional de dados e outro plano de roaming internacional de voz. O plano de dados normalmente custa R$ 29,90 por dia, e só é cobrado no(s) dia(s) em que você utilizar. Ao câmbio de 4 reais por dólar, dá US$ 7,50 por dia (ou 7 euros por dia). Não é caríssimo, mas não chega a ser barato. Para ativar, você precisa responder o SMS com o texto referente ao plano. Pronto. Você já tem conexão no aeroporto.
  • Vale a pena: para quem não quer se incomodar comprando chip; para quem precisa absolutamente de conexão desde o momento da chegada; para ativar um dia ou outro, quando você souber que vai ficar muito tempo longe de qualquer fonte de wifi.
  • É roubada: a conexão só é poderosa até um certo consumo de MBs. Depois que a cota do dia é consumida, a velocidade cai assustadoramente ou a conexão simplesmente pára de funcionar.

Wifi grátis

É o jeito mais cuca-fresca de se manter conectado no exterior. Se você não precisa estar conectado 24 horas por dia, é bastante possível viajar só pegando carona no wifi.

  • Funciona assim: na imensa maioria dos hotéis, o wifi não é mais cobrado (finalmente entenderam que internet hoje é tão básico quanto eletricidade). Muitos restaurantes e cafés também oferecem conexão para seus clientes. E redes como Starbucks e McDonald's usam o wifi aberto e gratuito como um chafariz (em alguns países, você vai precisar se registrar no primeiro acesso, mas depois de cadastrar nome e email o acesso fica direto em todas as lojas da rede).
  • Vale a pena: tendo o cuidado de aproveitar os períodos de wifi para pesquisar e baixar tudo o que precisa para as próximas horas, você pode nem sentir falta de um chip local. Sobretudo se houver Starbucks e McDonalds no seu caminho. Algumas cidades também oferecem wifi gratuito nas suas áreas turísticas.
  • É roubada: quando o wifi do seu hotel ou pousada é fraco, o perrengue é grande. E a conexão em restaurantes é mais comum no mundo em desenvolvimento do que em países ricos.

Chip local (simcard)

Para manter a funcionalidade do seu celular igualzinha à que ele tem no Brasil (ou melhorada, já que as velocidades costumam ser mais rápidas, pelo menos no Hemisfério Norte...), o jeito é comprar um chip pré-pago. Atenção: em inglês, não se diz chip, mas simcard. Na América do Sul, o termo é chip como no Brasil (mas diga tchip, com 'p' mudo, e não xípi, se quiser ser entendido de cara).

  • Como funciona: entre na primeira loja de telefonia celular que aparecer no seu caminho e peça por um "prepaid simcard" (ou tchip prê-pago). Os mercados são competitivos e os planos costumam ter preço parecido (uma eventual diferença pode não valer o tempo que você vai gastar camelando entre as lojas). Normalmente você vai pagar pelo simcard e por um pacote de dados que dará direito a xis MB ou GB durante um período pré-determinado. Conte em gastar, num pacote que cubra até 15 dias sem muita mixaria de bytes, entre 20 e 50 dólares. Se os bytes acabarem, sempre dá para comprar um pacote à parte. Ao comprar seu simcard, procure estar com passaporte, que é exigido em muitos países ou operadoras. Tente fazer com que o vendedor do simcard faça a primeira ativação para você.
    Quer pesquisar os planos locais antes de viajar?
    O site colaborativo Prepaid Data SimCard Wikia lista planos, macetes, pegadinhas, modo de comprar e desempenho de operadoras ao redor do planeta. É a mais completa fonte de informação para quem quer comparar planos mas não quer perder nem um minuto precioso de sua viagem fazendo a pesquisa in loco.
  • Vale a pena: se você vai ficar pelo menos 5 dias num lugar, ou se você precisa estar conectado por motivos de trabalho ou família, invista algumas horas da sua chegada na ida até uma loja de celular. (Às vezes dá para comprar no aeroporto mesmo; dê um google com "prepaid simcard shop nome do aeroporto" e veja se há contribuições recentes.
  • É roubada: quando você passa pouco tempo num país, o chip local pode não se pagar (ou não justificar o tempo perdido na incursão à loja para comprar o chip). Viagens picadinhas também são um problema: dificilmente um chip local pré-pago oferecerá roaming internacional de dados (e se oferecer, a tarifação provavelmente não vai compensar).

Chips multipaíses

Existem operadoras 'virtuais' que sub-locam redes em vários países e por isso oferecem um simcard único que funciona em todas as escalas da sua viagem.

  • Funciona assim: operadoras virtuais como a Keepgo, a TravelSim e a GoSim vendem simcards e modems que se conectam em mais de 100 países. O chip é enviado pelo Correio para sua casa (algumas operadoras também enviam para hotéis).
  • Vale a pena: para quem viaja a diferentes países a trabalho e pode repassar a conta telefônica para a empresa. O chip não vale só para a viagem para a qual foi comprado; continua funcionando nas viagens seguintes, seja para onde você for.
  • É roubada: para quem não quer gastar muito. O chip custa caro (entre 70 e 100 dólares) e vem com um pacote insignificante de dados. Os pacotes suplementares de dados saem muitíssimo mais caros do que o das operadoras locais. É um mercado de luxo.

Leia mais:

218 comentários

Karine
KarinePermalinkResponder

Ola!! O meu plano da vivo me disponibiliza 7 dias de dados/voz na europa. Vc sabe se consigo rotear a internet do meu celular pro celular do meu marido? Obrigada!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Karine! Vai depender da qualidade da conexão, que pode variar de país para país.

Thaisa Felix
Thaisa FelixPermalinkResponder

Bom Dia! Viajarei no carnaval para Buenos Aires e gostaria de saber qual chip internacional devo comprar para utilizar na cidade. Desde já agradeço muito as informações.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Thais! Compre localmente o que aparecer primeiro na sua frente. Pode ser Claro, Movistar ou Personal. A Claro é mais desburocratizada.

https://www.viajenaviagem.com/2017/06/chip-pre-pago-argentina-buenos-aires/

Thaisa Felix
Thaisa FelixPermalinkResponder

Muito obrigada! E vc sabe me dizer se os dados de internet são rápidos? ilimitados?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Thaisa! Com 2GB você se vira mais do que bem por uma semana.

Maria eduarda mattos

Ola! Pretendo ficar um ano nos eua.... talvez mais. Qual seria a melhor opção de obter internet quando nao estou em casa?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Maria Eduarda... que tal fazer exatamente como você no Brasil? Entrar numa loja de operadora e contratar um plano?

Fernando Soares

Ao usar um chip comprado nos EUA meu WhatsApp e demais aplicativos que usam o número do telefone funcionarão normalmente ou precisarei configura-los para a nova linha?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fernando! Ao inserir um chip novo, o WhatsApp sempre pergunta se você quer manter o número. Daí você mantém.

Paulo Grohmann

Olá, ficarei entre Polônia e Alemanha por dois meses. Tenho dúvidas: Posso comprar o chip no aeroporto, antes do embarque? Com o mesmo chip consigo acesso a internet nos dois países?
Tem ideia de valor para dois meses?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Paulo! Compre um simcard Orange ou T-Mobile na Polônia e ele funcionará na Alemanha. Caso você não consiga fazer recarga fora do país em que comprou o chip, terá que comprar outro. Mas é mais barato que comprar um chip multipaíses aqui no Brasil.

RILSON MARCOS DE SOUSA

Olá,
por favor, vou viajar de São Paulo a Madri e depois a Turquia, só cinco dias. O que me recomenda? por favor? Meu plano é OI e possui roaming.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rilson! Se o seu chip é Claro, você compra um Passaporte Europa e o telefone funciona nos dois países. Caso contrário, compra um chip local em cada destino, porque a Turquia não faz parte da União Européia e não é coberta pela regra de roaming internacional europeu. Você vai perder 5 minutos de viagem em cada país para comprar seu chip. É muito barato.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar