Bristol: street art, food trucks, vinis e balada indie na terra de Banksy

Mariana Amaral
por Mariana Amaral

Stokes Croft

Stokes Croft

Importante cidade portuária inglesa desde o século XIV, que enriqueceu com o comércio de escravos entre África e América e foi severamente atingida durante bombardeios na 2ª Guerra Mundial, Bristol vem se redefinindo nas últimas décadas como um vívido pólo cultural.

A música independente, a comida de rua e especialmente a arte urbana estão à frente deste movimento, e fazem de Bristol uma escapada interessantíssima a menos de duas horas de Londres.

O sábado é o melhor dia para aproveitar o circuito alternativo da cidade:

Pela manhã: Bristol Street Art Tours

Banksy

Banksy em Stokes Croft

Banksy, o mais célebre grafiteiro do mundo, é nativo de Bristol. Embora ninguém precise sair de Londres para ver desenhos de sua autoria, em Bristol existe um passeio que fãs de graffiti não podem perder. O Bristol Street Art Tours é um passeio a pé pelas obras de Banksy e de outros grafiteiros na companhia de guias que fazem parte da cena de street art local e conhecem a fundo o tema.

John Nation

John Nation, Bristol Street Art Tours

O meu guia foi o John Nation, que conheceu Banksy ainda moleque, quando trabalhava como mentor em um centro de apoio à juventude no bairro de Barton Hill. John é um incentivador do graffiti como expressão artística desde a década de 80, e tem tanto entusiasmo ao falar de Banksy quanto da garotada iniciante.

Bristol Street Art Tours

O tour começa no centro da cidade e segue para Stokes Croft, que John define como o Shoreditch de Bristol. Cada muro ou empena é apresentado com a mesma riqueza de informações de um tour por um museu de belas artes. O guia comenta sobre técnicas e materiais empregados, sobre o tempo de execução das obras, e sobre o estilo de cada artista.

Bristol Street Art Tours

Bristol Street Art Tours

Fazem parte do passeio trabalhos comissionados e também obras ilegais, executadas sem autorização. Mesmo sendo uma das cidades em que a street art é mais celebrada no mundo, o graffiti ainda é assunto controverso em Bristol.

Bristol Street Art Tours

Bristol Street Art Tours

Para o visitante, fica a sensação curiosa de visitar essa galeria absolutamente efêmera, de obras sujeitas a todo tipo de intervenção e que podem deixar de existir a qualquer momento.

Aos sábados, as saídas do Bristol Street Art Tours acontecem às 11h. O passeio leva cerca de duas horas e deve ser reservado com antecedência pelo site. Os lugares são limitados.

Para o almoço: mercados St. Nicholas e Harbourside

St. Nicholas Market

St. Nicholas Market

Bristol não é uma cidade exatamente bonita, mas tem seus cantinhos graciosos, como o St. Nicholas Market (The Exchange, Corn St., tel. 117-922-4014).

St. Nicholas Market

O mercado mais antigo da cidade é fechado e abriga brechós, lojas de disco e pequenos restaurantes e lanchonetes. Dá para escolher entre comida árabe, vegetariana, pies, bolos... ou experimentar um de cada. mrgreen

Harbourside Market

Harbourside Market

Todo fim de semana tem The Harbourside Market (1 Canon Road), no porto de Bristol, uma feira de artesanato e comidinhas. O mercado acaba de ganhar uma expansão neste mês de maio.

Harbourside Market

Se o dia estiver bonito, aproveite para caminhar por ali e fazer uma boquinha ao ar livre nos food trucks e barracas de pizza, tacos, cachorro-quente e outras gostosuras.

Vale a pena também ficar de olho na agenda do coletivo de street food BEATS, que arma eventos gratuitos pela cidade com comida, bebida e música.

À tarde: Rise

Rise

Rise

A Rise (70 Queens Road, tel. 0117-929-7511) é daquelas lojas de disco que hoje são raríssimas de se encontrar. O endereço em Bristol faz parte de uma pequena cadeia independente de 3 lojas. No primeiro andar fica um café simpático que volta e meia tem algum show bacana agendado, lançamento de álbum ou livro. No segundo andar, a loja propriamente dita, com vinis, DVDs e CDs a perder de vista, livros, itens de decoração e um brechó.

Rise

Rise

Rise

Os curiosos vão gostar da seção especial dedicada a bandas de Bristol, e os indecisos, das sugestões do staff da casa, que manja tudo de música. E a trilha sonora da loja é tão boa que fica difícil de ir embora. Gosta de música? Vá com tempo!

Balada: Thekla

Thekla

Thekla

Não fosse eu fã incondicional do Circo Voador, poderia dizer que o Thekla é a casa de shows mais bacana em que já estive. O antigo navio cargueiro, ancorado no porto de Bristol (The Grove, East Mud Dock, tel. 117-929-3301), foi transformado em uma casa de pequeno porte que recebe principalmente bandas independentes em ascensão. The xx? Já tocou lá. Florence & The Machine? Também. CSS, Sia e La Roux idem, em um espaço em que cabem apenas 500 pessoas (a lotação do Circo Voador é de 2800, só para comparar).

Thekla

OS shows começam e terminam cedo, e costumam ter uma banda de abertura. O preço é razoável o suficiente para arriscar assistir a uma banda totalmente nova; os ingressos saem por volta de 10 libras. O andar de cima é apertadinho mas oferece a melhor visão de palco.

Thekla

Thekla

Vale a pena aproveitar um pouco do show por ali, e depois descer para bater papo no convés e tomar uma cerveja no bar.

Acompanhe a agenda de shows do Thekla e compre seu ingresso pelo site.

Bristol: como chegar e onde ficar

Bristol Temple Meads

Estação de trem Temple Meads

Saindo de Londres, vá a Bristol de trem. Compre pelo site da National Rail com antecedência para garantir descontos. A saída de Londres é em Paddington. A estação Temple Meads, em Bristol, é bem central em relação aos pontos turísticos.

Para aproveitar a noite de Bristol e conhecer mais atrações da cidade (como a ponte suspensa de Clifton, o museu M Shed, o centro cultural Arnolfini), programe um ou dois pernoites no seu roteiro. O Radisson Blu, o Mercure Brigstow, o Ibis Bristol Centre e o The Bristol Hotel estão bem localizados para turistar pela cidade.

Quem não faz questão de balada pode visitar Bristol em um bate-volta a partir de Londres.

Banksy

Banksy

Mariana viajou a convite do VisitBritain.

Leia mais:

2 comentários

Mô Gribel
Mô GribelPermalinkResponder

Eu A-DO-RO Banksy! Acho genial, irreverente, contraditório, debochado, sensacional.
Gosto tanto que sou capaz de cair em lágrimas que nem carpideira nesse tour.
Amei e preciso ir...

JB
JBPermalinkResponder

Adoro as bandas de Bristol (duas das minhas preferidas, Massive Attack e Blue Aeroplanes são de lá), mas ainda não conheço a cidade. Devidamente anotado para a próxima vez...

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar