Disney Dream, parte 2: o que fazer num cruzeiro da Disney

Heloísa Dall'Antonia
por Heloísa Dall'Antonia

Vista do último deck do Disney Dream

Fotos | Nelson Alves Jr.

Neste segundo post (o primeiro está aqui) sobre a viagem de 3 noites pelas Bahamas a bordo do Disney Dream você vai conhecer o interior do navio, assim como as atividades que podem ser feitas nele.

Considere que tudo o que você lerá daqui pra frente é a experiência de um casal de adultos, sem crianças junto, debutando em viagem de navio.

“Please welcome the Bóias”

Hall de entrada do Disney Dream

A entrada acontece pelo Deck 3, assim que você passa pela salva de palmas de um grupo de tripulantes, que diz o nome das famílias em um microfone uma a uma, até a última delas embarcar.

Donald, responsável pelo Disney Dream

É neste “andar” do navio que estão as lojinhas, o teatro, dois restaurantes e a escadaria com a estátua do Capitão Pato Donald, responsável por essa embarcação.

A cabine

Cabine do Disney Dream

Nossa cabine ficava no Deck 10, com uma simpática varanda privativa com vista para o mar (e que delícia acordar com o navio fazendo manobra para atracar em Castaway Cay, mas sobre isso você vai ler em outro post). Mesmo pequenino, o espaço conseguia se dividir em dois ambientes, sendo um “de dormir” e outro “de estar”, com uma pequena mesinha de centro, sofá-cama e uma escrivaninha/estante em que ficava a tv. Durante nossa estadia o ambiente ficou intocado, mas caso estivéssemos em mais pessoas, uma outra cama abriria a partir do teto, aparecendo apenas durante a noite (eu mesma só descobri que ela existia no último dia). Essas cabines acomodam até 5 pessoas, mas há outras opções que podem abrigar mais membros de uma mesma família. Blackouts garantem a privacidade dos dois ambientes.

Almofadinha da cabine

Vista interna da cabine do Disney Dream

Sofá cama da cabine do Disney Dream

Banheiros do Disney Dream

O banheiro também é dividido: há uma porta para o vaso e uma pia e outra para outra pia e a banheira. Há algumas ammenities, assim como secador de cabelos. A cama tem espaço suficiente embaixo para encaixar as malas, e dentro dos armários há como pendurar algumas peças.

Escrivaninha da cabine do Disney Dream

Todas as cabines dispõem de dois Wave-Phones, walkie-talks mais robustos, que podem ser usados para a comunicação entre membros da família dentro do navio.

São quatro as categorias das cabines. Concierge oferece quartos de luxo e bastante espaçosos; Verandah traz as que possuem varandas privativas; Oceanview tem janelas fixas que permitem a visão do (adivinhe?) oceano; e Inside, cabines internas que possuem a Magical Porthole, um sistema de tela que simula uma janela em que são exibidas imagens do lado de fora do navio, em tempo real, ou interações engraçadinhas com personagens Disney. Há opções de cabines acessíveis em diversas categorias.

Há Wi-Fi disponível no navio. O pacote de 100MB custa US$ 19, mas existem opções de 300MB e de 1000MB (mais caros, obviamente).

Assim como em hotéis, há serviço de lavanderia disponível (custos cobrados à parte). Mas caso precise, há também uma lavanderia 24 horas em que os próprios hóspedes podem lavar e secar suas roupas (sabão em pó e funcionamento podem ser solicitados com a sua Key to the World).

Diversão na água

Piscinas infantis do Disney Dream

O Deck 11 é onde está boa parte das atrações molhadas do Disney Dream. As piscinas para crianças e famílias que ficam bem no centro do navio costumam ser um dos locais mais cheios. Há um pequeno escorregador em espiral para os pequenos, além de uma área temática de Nemo com chafarizes dedicada a criancinhas bem pequenas. Várias jacuzzis contornam a área da piscina e a água quentinha, junto da massagem e da vista para o oceano formam um cenário excelente pra relaxar, mesmo com a natural algazarra.

Como não estava com crianças, não foi ali que fiquei. Alguns metros dali, passando por algumas divisórias, fica a Quite Cove Pool, uma piscina menor, com bar, dedicada apenas a adultos. Mesmo com várias pessoas usando a área, consegui encontrar espreguiçadeiras vagas sempre que estive ali. No Deck 13, a Satellite Falls é um tipo de piscina com chafariz refrescante, uma delícia para ficar à toa conversando.

Quiet Cove das piscinas do Disney Dream

Piscina de adultos no Disney Dream

A outra grande atração com água do navio está no Deck 12, a AquaDuck. Trata-se de uma water coaster, uma espécie de montanha-russa na água, com aproximadamente 235m de extensão, em que boias levando até duas pessoas passeiam por um grande tubo transparente que dá uma volta completa pelo alto do navio (e um pedacinho fora dele), levadas por uma correnteza. Dá pra ver o mar, toda a embarcação, e sentir um ventinho gostoso no rosto nas áreas em que a parte de cima do tubo é aberta.

E não precisa se preocupar com a conhecida “friagem” citada desde o início dos tempos por todas as mães do mundo. Quando a temperatura da água cai a menos de 24ºC, o sistema de aquecimento começa a funcionar.

Telão da piscina do Disney Dream

Telões na área das piscinas familiares passam desenhos e filmes dependendo do horário (eventualmente, espreguiçadeiras são colocadas na área para formar um cinema open air para a garotada).

De tarde e de noite

Circuito de golfe do Disney Dream

Veja bem, você está numa extensão da Disney no mar. Por isso, a máxima dos parques funciona para o navio também: não dá tempo de fazer tudo (ao menos em três noites).

Quadra de basquete aberta, circuito divertidíssimo de minigolfe e pista de corrida estão disponíveis para os hóspedes. Lojinhas com produtos temáticos do cruzeiro ficam abertas enquanto o barco estiver navegando.

A cada noite, um espetáculo original é apresentado no Walt Disney Theatre em dois horários diferentes (“The Golden Mickeys”, “Villains Tonight” e “Believe”) e eles são de fato bons, com alguns efeitos especiais, figurinos e complexidade que eu não imaginaria ver em alto-mar. Há também o Buena Vista Theatre, um cinema pelo qual só passei, mas que estava exibindo filmes (com carimbo da Disney, óbvio) recentes – consta que se um longa da empresa estiver sendo lançado no dia de um cruzeiro, ele será transmitido ali, inclusive se for em 3D. Há também uma pequena galeria de arte com obras inspiradas nos desenhos dos estúdios.

Teatro do Disney Dream

De baladinhas e bares há o District (uma discoteca), o Pink: Wine and Champagne Bar (um bar com ambiente mais sofisticado, servindo vinho e espumantes), o Skyline (uma graça de bar em que uma tela simula os horizontes de diversas cidades pelo mundo), o Evolution (que abriga um karaokê e jogos) e o Pub 687, isso fora os bares que ficam próximos à piscina de adultos e nos decks mais altos. Há também o Vibe, voltado especialmente para a galera de 14 a 17 a bordo, que mistura videogames, deck pra tomar sol durante o dia e baladinha de noite.

Bar Skyline do Disney Dream

Bar Champagne, do Disney Dream

Sua ideia para a tarde é um tratamento corporal ou massagem? O Senses Spa & Salon tem uma série de opções de banhos com cromoterapia e afins. Há até uma área, o Chill Youth Spa, com opções destinadas a adolescentes de 13 a 17 anos.

Banhos com cromoterapia no Disney Dream

Spa do Disney Dream

As janelas das áreas comuns, com vista para o oceano, têm assento almofadado, o que permite uma agradável paradinha entre um ponto e outro do navio.

Festa!

Árvore do Halloween no Disney Dream

Independentemente de quantas noites tenha o seu roteiro, algumas das festas do Disney Dream têm presença certa na programação. Uma delas é a Sailing Away Celebration, a comemoração que dá início ao passeio. Mickey, Minnie, Donald, Pateta e outros convidados fazem um show com música e dança pra todo mundo entrar no clima. E quando você ouvir os primeiros acordes de “When you wish upon a star” vindos da chaminé do navio, terá certeza de que está, de fato, de férias.

Mas é a Pirate Night a mais tradicional festança em alto-mar dos navios da Disney. Nessa noite, o Deck 11 recebe uma comemoração em que todos os tripulantes são convidados a se tornarem bucaneiros (e para isso, simpáticas bandanas com Mickey vestido de pirata são deixadas em sua cabine). Tem show com Jack Sparrow, muita música e um encerramento com um show de fogos de artifício no mar. Não é um “Wishes”, mas dá pra impressionar bastante, ainda mais levando-se em conta que a Disney é a única empresa que faz algo do gênero. A festa tem hora pra acabar (e depois continua nas discotecas), mas até lá, rolam muitas dancinhas, com direito à multidão fazendo passinhos – as piscinas são fechadas por tablados, transformando o espaço numa pista enorme.

Abóbora no lobby do Disney Dream

Na minha viagem, a Pirate Night coincidiu com o 31 de outubro, juntando as duas no Halloween on the High Seas. Abóboras com a cara do Mickey, assim como uma árvore assombrada no lobby que foi mudando conforme os dias passavam, eram parte da decoração. Por isso, mesmo a festa sendo dos piratas, havia todo tipo de fantasia, sem restrição ALGUMA de idade. Vi senhorinhas vestidas de Malévola, pais e filhos “temáticos” (encontrei no elevador uma “Família Addams” que estava sensacional), bebês vestidos de monstrinhos. Algumas atividades especiais para os pequenos aconteceram, como encontro com os personagens vestidos para a festa, filmes e músicas de Halloween e concurso de fantasia.

Deck 3 do Disney Dream

Pra comer

Detalhe do Cabanas no Disney DReam

Sempre ouvi dizer que, no que se refere a comida, pessoas em cruzeiros podem facilmente sair da faixa do “necessário” e passar rapidamente ao “exagero sem controle”. Só não entedia o porquê. Acredito que a verdadeira resposta seja “oferta”. Refeições de verdade, aperitivos e bobeirinhas estão sempre tão à mão que é fácil perder a noção do quanto se precisa comer todo dia.

Para o café da manhã e o almoço há o Cabanas, o Enchanted Garden e o Royal Palace. E ha todo tipo de opção – de legumes feitos no vapor a carnes, passando por sopinhas e várias sobremesas, gordurosas ou não. Para bobeirinhas em geral (wraps, salada de frutas, pizza, hambúrgueres, batatinhas), há o combo Flo’s Cafe, assim como o Eye Scream e o Frozone Treats, que servem sorvetinhos e smoothies. Bebidas estão disponíveis dentro do Cabanas e mesmo fora, em máquinas disponíveis para qualquer um usar.

Todas os drinks ou outras bebidas quaisquer que sejam oferecidas pelos garçons ou pedidas a um garçom (no bar da piscina, por exemplo), são cobrados a parte e debitados na conta do seu quarto.

Loja da Venellope no Disney Dream

Sorvetes da loja da Venellope, no Disney Dream

Loja da Venellope, detalhe

A recém-inaugurada lojinha Venellope’s Sweet and Treats, baseada na personagem de “Detona Ralph”, também é uma deliciosa opção para docinhos e balas, mas como o restante das lojas, tem horário de funcionamento limitado, e apenas quando o barco estiver navegando. A loja também tem easter eggs: um na máquina de balinhas e outro quando alguém pede a sobremesa tamanho família (e a opção no display com o cardápio passa do último para o primeiro lugar).

Na hora do jantar, todos os passageiros terão a oportunidade de conhecer cada um dos três restaurantes disponíveis, em dias e horários determinados. O tíquete indicando onde e em qual mesa será dado a você quando fizer o check-in. Uma noite você vai conhecer o Enchanted Garden (uma gracinha de ambiente que recria um jardim de castelo), na outra, o Royal Palace (em que o cenário é um salão real, com direito a lustre com detalhes do sapatinho de Cinderela) e o Animator’s Palate (em que a verdadeira atração são as telas que simulam o fundo do mar com os personagens de “Procurando Nemo”, que interagem com os passageiros). Neles, apesar de haver um cardápio fechado, há ao menos duas ou três opções de entrada, prato principal e sobremesa. Tudo isso faz parte do pacote, mas os drinks, e mesmo eventualmente algum outro aperitivo, terão valores cobrados a parte. A equipe que irá atender você será sempre a mesma, criando uma certa cumplicidade entre sua família e os garçons.

Animators Palate, no Disney Dream

Enchanted Garden do Disney Dream

Royal Palace do Disney Dream

Animator's Palate, Enchanted Garden e Royal Palace (Divulgação)

O sistema de jantar rotativo permite que você escolha, ao fechar sua viagem, se prefere comer no primeiro horário (entre 17h45 e 18h15), ou no segundo (20h às 20h30). Os horários indicam a faixa em que você deve chegar ao restaurante, não quanto tempo terá para fazer sua refeição.

Além dos restaurantes disponíveis para todos os passageiros, há duas outras opções, que exigem reserva e trajes mais finos, disponíveis apenas para adultos. Tratam-se do Remy e do Palo (especializado em comida italiana).

Para crianças

Milleniun Falcon, no Disney Dream

Além das áreas de piscinas, terreno aquático de diversão sem fim, e das quadras esportivas, há espaços especiais para as crianças. Para os bem pequenos, It’s A Small World Nursery é uma área em que profissionais cuidam de crianças de até 3 anos para que pais e família possam ter algum tempinho para si próprios. Nesse tempo elas assistirão filmes, farão atividades lúdicas, ou simplesmente vão tirar uma soneca nos bercinhos. O serviço é pago a parte (são US$ 9 por hora para a primeira criança e US$ 8 para a segunda), funciona em horários diferentes e dispõe de lugares limitados.

Crianças de 3 a 12 anos têm a disposição o Disney’s Oceaneer Club, uma área recentemente renovada em que é possível brincar, encontrar com personagens e participar de diversas outras atividades. A saga “Star Wars” ganhou um espaço dentro do clube, com uma sensacional ambientação do interior da Millenium Falcon (que pode "viajar" para diversos planetas dos filmes), Jedi Trainning e até interações o cenário com o uso da Força. Arrisco dizer que mesmo quem não é fã vai ter invejinha das crianças que podem ficar ali brincando. Uma área inteira é dedicada ao game Disney Infinity, com diversas estações de jogo disponíveis. As crianças que quiserem participar do Oceaneer Club têm de ser cadastradas, o que pode ser feito tanto online ou no terminal quanto já dentro do navio. Elas vão receber uma Magic Band que trará, entre outras informações, os dados de quais pessoas podem vir pegá-las, dando mais tranquilidade (ainda) aos pais. Para conhecer a área por dentro, procure na programação do seu roteiro quando acontece o “Open House”.

Área de Star Wars no Disney Dream

A Bibbidi Bobbidi Boutique, aquela loja que existe no Disney Springs que transforma garotinhas em princesas agora também tem uma filial no Disney Dream. Pacotes com preços variados oferecem penteado, maquiagem e roupa de princesa. Nas noites da Pirate Party, a loja também oferece a transformação de meninos em parte da tripulação de Jack Sparrow (o custo varia conforme o pacote escolhido).

Bibbidi Bobbidi Boutique do Disney Dream

Outra atividade que não precisa ser feita só por crianças são as aventuras interativas propostas pela Midship Detective Agency. Para participar, basta pegar o livretinho do caso e sua carta de identificação de agente numa das estações de recrutamento. A partir daí, os participantes precisam procurar por quadros específicos espalhados por toda a área comum do navio que, ao lerem o QRCode da sua carta, liberam pistas para resolver os mistérios.

Crianças de 11 a 14 anos também podem se divertir na Edge, um espaço com computadores, videogames e atividades mais descoladas.

Paradas

Detalhe do elevador do Disney Dream

Meu roteiro tinha duas paradas. Uma em Nassau e outra na ilha particular da Disney, Castaway Cay, ambas nas Bahamas. A propriedade da Disney é absolutamente incrível (e você lerá sobre ela em outro post). A parada em Nassau teria sido melhor aproveitada se eu tivesse feito o day-use do Atlantis ou procurado por alguma das opções disponíveis na Port Adventures, um guichê que fica no Deck 5 e que organiza passeios em terra para os passageiros, de forma coordenada com o navio (leia-se, na remota possibilidade de a excursão atrasar, o navio não vai deixar você para trás). Os custos são cobrados à parte.

Saldo geral

Mesmo sem ter experiência em cruzeiros, acredito que o que dá cor a essa viagem é definitivamente o navio ser da Disney. A ambientação com os personagens, a agradável oferta de experiências para adultos – além das crianças -, o cuidado com as áreas comuns... realmente dá pra entender porque os navios da empresa estão sempre entre os mais bem votados pelo público em pesquisas de publicações especializadas entre os cruzeiros saindo dos EUA.

Algo que gostei bastante é que, apesar de muitas pessoas estarem a bordo, só percebi de fato a quantidade de gente no mesmo espaço físico que eu na hora da festa dos piratas. Acho que há tanta opção de passatempo para os passageiros que ninguém, de fato, precisa ficar se acotovelando. Outro ponto que me chamou a atenção foi a falta de frescura no vestuário. Levei peças casuais para vestir em todos jantares (exceto para o do Palo, que era de fato mais fino), assim como para durante o dia, e essa era a média dos outros passageiros. Ainda sobre os jantares, me deixou muito contente saber que a Disney Cruise Line não agrupa pessoas desconhecidas na mesma mesa (exceto se são familiares ou parte de um grupo), algo que parece ser comum em cruzeiros.

O serviço também chama a atenção. A equipe é treinada por três meses antes de embarcar e, ainda que eventualmente o sotaque carregado de alguns membros da tripulação faça você ficar com cara de interrogação, todos são extremamente prestativos e atenciosos. Uma atendente do Cabanas, por exemplo, me passou na frente de uma imensa fila no buffet quando, ao me perguntar o que eu iria comer, respondi que só pretendia pegar pão de forma, manteiga e um waffle do Mickey (“Só isso? Venha comigo, esse pessoal está esperando pelos pratos quentes.”). Achei extremamente gentil.

Há um cuidado grande com a “experiência” do passageiro de estar em um cruzeiro da Disney, de “trazer as histórias para o navio, criar conexões com os passageiros”, como comentou Danny Handke, Creative Designer Lead da empresa, em uma entrevista a bordo para a imprensa, o que realmente faz o ambiente mais inspirador e divertido. Se você for fã dos parques temáticos, ou se tiver crianças, definitivamente não vai se arrepender da escolha.

Heloísa viajou a convite da Disney Cruise Line.

Leia mais:

8 comentários

Hugo
HugoPermalinkResponder

Sempre tive restrição com relação aos cruzeiros. Mas lendo o relato, e inserindo o meu filho neste contexto, algo me diz que ele adoraria. E isso já é motivo mais do que suficiente para mudar minha opinião.

Márcia
MárciaPermalinkResponder

Não tinha a menor vontade de fazer um cruzeiro, até que fiz um da Royal Caribbean (Oasis of the Seas) e outro da MSC (MSC LIRICA). Adorei a idéia e virei fã. O próximo que farei é um da Disney. E olha que não tenho mais criança. O custo-benefício é quase sempre muito bom com a vantagem de você ainda conhecer algumas ilhas ou cidades.

Marcone
MarconePermalinkResponder

O cruzeiro Disney é sem igual, não tem como comparar. Crianças nem se fala e para adultos não falta diversão, estve com a família no Dreams em 2014. Era o primeiro cruzeiro, todos se encataram. Fizemos outro mas o difícil é o padrão de comparação atual. A Disney é 10. Quanto aos filmes tenho a acrescentar que não só passam os recentes como fazem pré estreia, A bordo assistimos o Capitão América Soldado Invernal antes da estréia (nos EUA inclusive) e a Malévola recém estreiado. A tela 3D sem comparação qualquer uma que eu tenha já visto. Os espetáculos são padrão Broadway! Imperdíveis. Já reservei meu próximo cruzeiro...

Lili-CE
Lili-CEPermalinkResponder

Confesso que ainda sinto uma aflição em ter de determinar o horário de sentar pra jantar previamente, válido para todos os dias. Ainda não estou psicologicamente preparada para o mundo dos cruzeiros mrgreen

marina
marinaPermalinkResponder

gostaria de saber se a lingua é uma barreira para as crianças ... se existem funcionarios que falam portugues na parte dos pequenos.

Heloisa
HeloisaPermalinkResponder

Oi, Marina! A maior parte da tripulação dos navios da empresa é bilíngue, mas, claro, não dá para garantir todos os idiomas. Vale comentar com seu agente de viagem antes da compra (ou mesmo questionar na hora do check-in) se há funcionários que falem português na área de crianças naquela embarcação específica. De qualquer forma, toda a equipe se vira nos 30 para fazer as crianças se sentirem confortáveis.

Danielle Fazza

Fiz o Disney Fantasy de 28/11 a 05/12. Éramos 8 adultos. Foi tudo excelente. O staff só falta carregar a gente no colo. Já estou planejando o próximo Disney Cruise e vai ser no Dream.

Juliane
JulianePermalinkResponder

Embarquei em janeiro, o navio da Disney deixou muito a desejar e nao faria novamente.
3 noites de correria para ficar em fila para tirar foto com personagens. Achei mal organizado.
Um cheiro forte de urina pelos corredores.
O colchao do sofa da minha cabine estava cheirando urina.
O sorvete no deck foi uma bagunça, pois as crianças se serviam sozinhas e saiam derrubando pelo conves.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar