Fort Lauderdale, Flórida: uma passadinha a caminho de Key West (por Mirian)

Viaje na Viagem
por Viaje na Viagem

fort lauderdale

Key West e Fort Lauderdale foram o destino escolhido pela Mirian e seu marido para uma semaninha de descanso. Sem passar nem por Miami, nem por Orlando, tiveram outra experiência da Flórida. Com parques temáticos e compras 'sérias' fora da jogada, sobrou tempo para fazer passeios de barco, aprender sobre a história das Florida Keys, e curtir noites super animadas. Nesta primeira parte do relato, a Mirian apresenta o roteiro da viagem, e conta sobre a passagem dela e do 'Mô' por Fort Lauderdale. Vai pela Mirian:

Texto e fotos | Mirian di Nizo

Eu e o Mô, parceiríssimo das viagens e da vida, estávamos assistindo pela mi-li-o-né-si-ma vez o filme True Lies (de 1994, com Arnold Schwarzenegger, quem não viu, recomendo, é divertidíssimo), quando prestamos mais atenção numa cena de perseguição eletrizante e superlonga, que acontece numa ponte que parece não ter fim. Fomos pesquisar e descobrimos que a tal ponte existia na vida real, e estava conectada à US Route 1, na Flórida. A US Route 1 é uma importante rodovia americana, tem 3.800 km, corta de norte a sul a costa leste, começando no Estado do Maine e seguindo até o ponto mais ao sul dos Estados Unidos.

overseas highway

Overseas Highway

É em Miami que começa seu último trecho, e onde seu nome passa a ser Overseas Highway. São 260 km de extensão a partir deste ponto. Depois que entra no mar, a estrada vai ligando por meio de 42 pontes (uma delas é a Seven Miles, a longuíssima do filme) o conjunto de ilhas conhecido como Florida Keys. A linha de chegada é na maior, mais vibrante, mais alegre e interessante de todas elas: Key West.

Fort Lauderdale e Key West: o roteiro

fort lauderdale e key west

Fort Lauderdale e Key West

Tínhamos apenas sete dias de descanso no começo do mês de março, portanto, final do inverno americano. Para chegar a Key West, partindo do Brasil, o mais comum é entrar por Miami. Mas estivemos nessa cidade por 10 dias cerca de um ano antes, então decidimos desembarcar em Fort Lauderdale e aproveitar para conhecer uma nova cidade dos Estados Unidos, país que adoramos. Tudo o que sabíamos sobre Fort Lauderdale, até então, é que era uma cidade muito bonita e agradável.

Dos sete dias que tínhamos, decidimos ficar dois dias inteiros em Fort Lauderdale. Em seguida, separamos um dia inteiro para descer, sem pressa, até Key West. Outros três dias foram reservados para Key West. Programamos a travessia de volta a Fort Lauderdale para chegar à noitinha, apenas para um pit stop de descanso, antes de pegar o voo de volta ao Brasil na manhã seguinte.

Spoiler forte aqui. Hoje, conhecendo as duas cidades, teria deixado mais um dia para Key West. Não que eu não tenha curtido Fort Lauderdale. Ela é, de fato, uma cidade muito bonita e agradável. Mas, na minha singela opinião (que certamente será diferente da opinião de muita gente), é uma cidade maravilhosa para morar, mas um pouco menos interessante para fazer turismo. Mesmo assim, aproveitamos muito nossa estada lá.

Fort Lauderdale

fort lauderdale ponte

Ponte de Las Olas Boulevard

Fort Lauderdale é ensolarada quase o ano todo (afinal, estamos na Flórida). Uma cidade limpa, segura, com ruas largas e arborizadas. Tem 40 km de praias de areia fina e branquinha, com águas limpas de cor azul esverdeada (com um pouco de vento, é verdade; nem tudo é perfeito). A cidade dispõe de uma excelente infraestrutura de todos os tipos de serviços, hotéis e restaurantes.

intracoastal waterway fort lauderdale

Intracoastal Waterway

Conhecida como a Veneza da América, é recortada por quase 500 km de canais fluviais. O pedaço mais interessante da cidade é o distrito chamado Riverwalk, que fica bem no centro.

Por ali, começamos fazendo o mais indicado pelos sites de viagem: percorrer a Intracoastal Waterway num passeio de barco. Pelos canais, vai-se avistando as casas cinematográficas dos milionários e/ou famosos da cidade, que ficam na encosta do rio, muitas com seus iates ancorados em suas garagens particulares. Dizem que em Fort Lauderdale estão as residências mais caras de toda a Flórida e é lá também que está a maior frota de iates de todo o mundo.

water taxi

Mirian e o 'Mô' no táxi aquático

Para fazer esse passeio recomendam o Jungle Queen, um passeio chique num barcão com jantar a bordo. Ficamos na dúvida se valia a pena bancar a empreitada, e acabamos optando por um táxi aquático mesmo, conhecido como Water Taxi. É mais simplesinho, mas cumpriu super bem a proposta. Passa de meia em meia hora e vai parando nas estações, onde estão os restaurantes, bares e clubes mais badalados, tanto na Intracoastal Waterway, como também no trecho conhecido como New River. Custa 28 dólares pelo dia todo e dá para descer e subir em qualquer ponto, hop-on hop-off. Ao longo do passeio, os simpáticos guias que seguem contando um pouco das histórias dos milionários que moram nas casas, e dos preços que alguns pagaram por elas. Parece que a mais pobrezinha ali não sai por menos de 15 milhões (DE DÓLARES!).

noite em fort lauderdale

Ocean Drive e Las Olas Boulevard

Ainda no distrito de Riverwalk, há outra atração célebre: o Las Olas Boulevard. Mesmo no inverno (afinal, é alta temporada no litoral da Flórida), o boulevard tem uma noite superagitada, com restaurantes, bares e galerias de arte por toda a extensão.

Para o jantar, indico com prazer o Louie Bossi's (1032 E Las Olas Blvd, tel. 1 954 356-6699). Na alta temporada é impossível sem reserva. Tem cara de bar, mas está mais para um restô italiano, com repertório musical inspirado, decoração modernosa, atendimento genuinamente simpático (raridade nos restaurantes americanos), e a pizza de massa fininha mais gostosa que já comi ever! Para o almoço, na mesma região, eu quase nunca resisto ao popularíssimo The Cheesecake Factory, famoso restaurante americano que conta com inúmeras unidades por todo o país e que serve porções generosas e deliciosas de quase tudo o que você puder imaginar. É verdade que o atendimento é daquele tipicamente apressado, e a decoração é um tanto exagerada e confusa, mistura de Itália com Egito antigo. Mas, para mim, a cozinha, o preço e, principalmente, o cheesecake no final, são muito honestos e dignos de mais que uma visita.

Além do Las Olas Boulevard, bem mais no centro outra rua bastante indicada para curtir a night é a Himmarshee Street. Mas esta não tivemos tempo de conhecer, então, fica apenas a dica aqui.

Dia 2

Las Olas praia fort lauderdale

Praia Las Olas

No nosso segundo dia, tentamos pegar uma praia. As mais recomendadas são a Fort Lauderdale Beach e a Las Olas Beach. Como nosso hotel (o bem resolvido Courtyard By Marriott) era pertinho da Fort Lauderdale Beach, ficamos por ali mesmo. Porém, ainda com a temperatura beirando os 30 graus, o vento era tanto que literalmente nos expulsou da areia. Além do mais, confesso que tenho certa dificuldade para 'me achar' nas praias americanas. Nos EUA é proibido ostentar qualquer bebida alcoólica na praia (assim como nas ruas ou parques). Daí que, para mim, ficar à beira-mar sem uma cervejinha ou caipirinha (ou melhor, margarita), perde muito a graça.

Voltamos para o hotel, trocamos de roupa e seguimos para outra atração bacana da cidade, a Riverwalk, um calçadão lindo e arborizado, com mais de 2 km de extensão, entremeado por parques. Os moradores vão para lá com suas bikes ou hoverboards (espécie de patinete elétrico sem as mãos), e fazem piquenique nos fins de semana. À tardinha, fica cheio de pessoas passeando com seus pets, tomando sorvete, gente descolada ou de terno e gravata saindo do trabalho com suas bikes. É daqueles locais urbanos que fazem você parar e se perguntar intimamente 'como faz para transferir minha vida para cá, mesmo?'.

Leva-se, mais ou menos, 40 minutos de carro para ir de Fort Lauderdale até um dos centros de compras mais populares da Flórida, o outlet Sawgrass Mills. Na segunda noite, sem muita inspiração, resolvemos checar o movimento por lá. Na volta, tivemos o azar de pegar um motorista de Uber meio 'pouca prática' que conseguiu se perder e ficou rodando em círculos conosco por quase duas horas. Contei esse trecho só para lembrar o Uber. Foi esse o recurso que usamos para nos locomover pela cidade; uma opção que, pelas nossas contas, pareceu bem vantajosa, exceto dessa vez.

Por fim, já dizia o velho ditado, o melhor da viagem é o caminho. E essa frase combina muito com Key West.

Leia mais:

11 comentários

Isabela Blanco

Fort Lauderdale e Key West são simplesmente incríveis! Me arrependi inclusive de ter me hospedado em Miami

viviane
vivianePermalinkResponder

Key west é super alto astral, mas nao vale a pena descartar nenhum destino, todos são bons. Vejo muita gente dizendo no blog "ai, eu vou na contramão, quero destinos q ninguem faz, etc..." nada a ver, sou a favor de a pessoa estar feliz. Onde quer que seja. bjs!!

Daniele Tardin

Boa tarde, alguém sabe como está Key West depois dos furacões?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Daniele! Tudo funcionando normalmente, a cidade foi poupada do pior: na última hora, o furacão desviou da rota prevista.

Marco Antonio
Marco AntonioPermalinkResponder

Matéria interessantíssima!!!!
Já estou me programando para minhas férias de julho!!!
Sul da Flórida: Lá vou eu!!!!

Cristina Reinert

Mirian, ameeeei seu texto e sua viagem de 7 dias foi inspiradora. Mas confesso q em alguns trechos senti falta daquela energia e vibração q tanto gosto nos seus (poucos) relatos. #ficaadica e continue viajando q vamos continuar curtindo. Proximo destino?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Cristina! A Mirian apenas se manteve fiel às suas impressões. Senão não seria um relato, mas propaganda... Aguarde a segunda parte da viagem, sobre Key West!

Claudia
ClaudiaPermalinkResponder

É verdade que nas praias americanas é proibido álcool, mas pelo menos aqui na Califórnia, onde eu moro (San Diego), todo mundo leva um farnelzinho com as bebidas disfarçadas. É só não beber direto da lata ou da garrafa, transferir o drink para um copo não identificado. É o que todo mundo faz direto, de dia e de noite, incluindo a garotada universitária que adora fazer festa na praia (bonfires). E não vejo problemas...

Gabriela Tafner

Fort Lauderdale é ótimo local para estar com crianças. Em 2017 passei 1 mês na cidade, e meu filho de 6 anos não ficou um só dia sem ter alguma atividade legal para fazer ! Tem a praia, e muito mais. Uma atração imperdível para as crianças é o Museum Discovery and Science (https://mods.org/), sempre cheio de novidades interativas. Além de ter uma das maiores telas de cinema Imax da Florida. E como ele fica bem próximo ao Riverwalk, é possível usar parte do dia para as crianças de divertirem no museu, e depois dar uma caminhada nesse calçadão, ou mesmo um passeio de barco gratuito que tem ali (http://www.riverwalkwatertrolley.com/). Uma fonte bem completa de informação sobre Fort Lauderdale é o site www.sunny.org, que tem tópico específico sobre atrações para crianças.

Cida De Grandi

Miriam, amei sua matéria!!!! Super mega explicado e com dicas maravilhosas. É só providenciar as passagens e fazer as malas. O resto vc já fez.

Gabriella
GabriellaPermalinkResponder

Adorei sua viagem e seus comentários... louca para fazer exatamente esse roteiro!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar