Arrumar mala: conte o que você aprendeu na prática

A mala idealNinguém nasce sabendo arrumar mala. Aos poucos — e na maioria das vezes, na marra — alguns de nós vão aprendendo a carregar menos tralha. Para mim, um dos maiores troféus de viagem é voltar para casa com um mínimo de roupa limpa: 90% de aproveitamento de roupa é a minha meta.

Pela minha experiência, viajar leve depende menos de organização do que de… desapego. É preciso renunciar à possibilidade de escolha posterior — precisamos sair de casa já com todas as combinações planejadas, tipo um uniforme para cada situação. (Mulheres sempre têm a chance de criar looks diferentes com acessórios que não fazem volume.) Peças-chave, como o calçado de bater perna ou o casaco mais pesado, serão necessariamente utilitárias e repetidas sempre. Em viagens mais longas, visitas periódicas a lavanderias automáticas permitem que eu leve a mesma quantidade de jeans e camisetas de malha que levaria para uma viagem de 10 dias.

Resumo da minha fórmula: todas as roupas combinam, não carrego sobressalentes para os utilitários, e me limito a uma mala média de 4 rodinhas (até 70 cm de pé). Fios, fontes, adaptadores de tomada, remédios, uma camiseta e uma muda de roupa de baixo vão na mochila de mão.

E você? O que tem aprendido nesses anos de viagem, no quesito arrumação de mala? Ensina pra gente!

Arrumar mala: conte o que você aprendeu na prática 1

Passagens mais baratas no nosso parceiro Kayak

Encontre seu hotel no Booking

Faça seu Seguro Viagem na Allianz Travel

Aluguel de carro na Rentcars em até 12 vezes e sem IOF

Passeios e excursões com a Viator

 

 

163 comentários

Acho que consegui bater o recorde nesta minha última viagem a Orlando. Minha mala na volta pesou cerca de 10kg, compras incluídas…
Basicamente, é essa a arrumação:
Uma calça jeans (a outra vai comigo), uma bermuda, camisas básicas (polos são multiuso), uma ou outra social de cor neutra, cuecas de microfibra (dá para lavar, pq secam rápido). Roupas de ‘gala’, sapatos sociais incluídos, nem pensar: se não gosto de usar no dia a dia, muito menos nas férias.

Só levo escova de dente e desodorante. A pasta eu levo a que já está no fim, se acabar compro nova. Shampoo e sabonete, vou de amenities, sempre. Perfume? Nunca. Quem já teve o desprazer de ver as roupas encharcadas após o vidro se abrir sabe do que estou falando. Além de que já sou naturalmente cheiroso. hehehe.

Geralmente vou calçado com um boot confortável que ocuparia mais espaço na mala: serve para uma caminhada e de noite dá para ir a um restaurante. O tênis e a havaianas vão na mala. Casaco vai na mão, assim como traquitanas tecnológicas.

Ah… E sempre viajo de camisa de mangas compridas, para situações de mudança de clima.

Aprendi ná prática e com dor o que dá querer “ter roupas adequadas para qualquer ocasião”.
Muita roupa voltando sem uso e a coluna reclamando de arrastar e subir com “malonas” em avião/táxi/hotel/táxi/avião… Minha experiência é razoável e lá vai:
Casacos pesados na mão (no bolso vão o gorro e as luvas como já falaram lá em cima – ninguém merece descer do avião batendo dentes e já aconteceu 1 vez para nunca mais).
A bota pesada vai no pé (com o inconveniente de às vezes ser parada no raio x) e é substituída ainda na sala de embarque por uma sapatilha do tipo “simpls” da Puket http://www.puket.com.br/produtos/14/sapatilhas_simples (uma “moleka” metida á besta), pois é impossível voar com um trambolho daquele no pé (enquanto espero a mala, coloco novamente pois dentro do avião não dá).
Os sacos de vácuo (a Ordene esta vendendo no Brasil) são bons, mas lembre-se eles não diminuem o peso da tralha. Tem que ser aqueles que não necessitam de aspirador (já pensou em ter que convocar a arrumadeira para emprestar o aparelho).
Mala de mão com o suficiente para 1 ou 2 dias é de ordem. Nem pensar na chance de perder o primeiro dia de passeio (Deus me livre ser feriado local), comprando roupas para esperar a mala aparecer (se aparecer né).
Minha última experiência como muito sucesso foi a compra destas bolsas organizadoras de viagem. Aqui conheço da CURTLO, DEUTER e da Republic VIX (agora na promoção na Privalia seção necessaires). São de nylon e com tela para arejar. Não pesam nada e separo toda a roupa. Agora quando chego no hotel já posso colocar tudo no armário direto. 5 ou 6 bolsas fizeram um sucesso. Já encomendei mais para o marido tb. Só para exemplificar: http://www.netshoes.com.br/produto/250-0027-006-01
Podem ser substituídos sem tanto glamour por sacos daquela fibra que parece tecido (geralmente envolvem bolsas ou sapatos de boa qualidade e procedência), reciclar é a ordem.
Agora o Riq disse tudo. DESAPEGO. Quem anda com pouca coisa tem menos coisa para se preocupar. Viajar é experiência de vida e não desfile de moda. O que importa mesmo é trazer as lembranças na mente e uma dúzia de fotos na máquina (umas dúzias no meu caso) , não dando a mínima para a cor ou a estampa do que estou vestindo na hora.

Aprendi cedo a reduzir o tamanho da mala: em casa somos muitos filhos e a bagagem de todos tinha que caber no carro…

Lição numero um: eu devo ser capaz de carregar, sozinha, toda a minha bagagem. O que passar dessa capacidade deve ser retirado!

Outra coisa que procuro fazer é colocar xampus e cremes em embalagens menores, apenas com a quantidade necessária à viagem. Isso diminui peso e volume. Ou então levo um frasco que esteja quase acabando, assim diminuo o peso e o frasco vazio vai para o lixo durante a viagem, liberando espaço para compras.

Tênis e botas, quando não estão nos pés, são ótimos para acondicionar coisas frágeis, como vidros de perfume.

Se a mala estiver cheia colocar as roupas o mais abertas possível otimiza o espaço e amarrota menos. Mas na hora de tirar não pode sair puxando, tem que ter o cuidado de levantar as de cima e recolocar.

Riq,
realmente fazer uma mala prática e pequena é algo que só aprendemos com o tempo, depois de sofrer muito carregando peso. Como faço muitas viagens de 3 ou 4 dias, despachar mala é artigo de luxo para mim(lembrando que na maioria das low fares bolsa de mulher conta como bagagem de mão, então tudo tem que caber em uma malinha). Confesso que ainda exagero de vez em quando, levando por exemplo 2 sapatos e 2 bolsas para uma viagem de 4 dias, equanto o certo mesmo seria levar uma bolsa e par de sapatos para algo rápido assim. Nas viagens de 1 semana ou pouco mais, divido uma mala com o marido para despachar( + ou – 15/18 kg para nós 2), e o resto vai na mão.Nas viagens mais longas meu princípio é um só. Levo roupas para 1 semana e o resto é repetição e combinações entre si. Mulher tem sorte de poder mudar tudo com acessórios que não pesam e nem ocupam espaço. Sou muito vaidosa e levo meus cremes em potes menores, e cabe tudo! Minha mala, quando despacho,dificilmente passa de 12 kg, pelo menos na ida. O único lugar que ainda não consigo me libertar de levar muita coisa é o Brasil(moro em Londres). Mas aí é porque levo presentes, coisas que acabo deixando por lá, etc. Um dos meus objetivos em viagens é não despachar mala nunca. Conseguir fazer uma viagem de 1 mes só com mala de mão, sem correr o risco de perder a bagagem. Quem sabe um dia!

    Liliana, adorei sua meta da viagem de 1 mês só com bagagem de mão!

    Eu também sempre faço o possível para não ter que despachar bagagem!

Eu não tenho dica nenhuma pra ter uma bagagem mais leve, ainda estou encaminhando nesse departamento, mas tenho aqui uma dica testada e aprovada na última viagem, mas que enche um pouco mais a mala. Levei uma bolsa térmica que cheia de gelo ( pego na máquina de gelo do próprio hotel) serve bem como uma geladeira pra conservar um queijinho ou uma cerveja no quarto que não tem frigobar 🙂

    Márcia
    Maquina de gelo só encontrei com facilidade nos EUA. Brasil e América do Sul nunca tem. Também ando com uma bolsinha térmica (daquele que cabem 6 latinhas), mas para usar no carro. Vai 1 refrigerante ou iogurte e sempre um sanduichinho (vale sim fazer no café da manhã. é mico mas vale), mas para o gelo vc tem que contar com a sorte de conseguir no bar do hotel. Dica: explique que vc tem que fazer refeições de 3 em 3 horas por questões de saúde. Quem sabe cola. abraços cariocas.

    Silvia também já tinha usado numa viagem de carro, que quebra um galhão, mas na mala foi a primeira vez que eu fiz e acho que valeu a pena o “trambolho” a mais na mala. E boa dica a sua de pedir gelo no bar do hotel. Ainda não foi preciso, mas se precisar, já sei como me virar 🙂

Aprendi que é extremamente necessário levar um tênis confortável (para viagens internacionais).Mas depois que começei a “frequentar” o VnV minha mala ganhou bastante espaço :)em todas as viagens.

Uma Mala e Uma Mochila!
– 1 sapato leve, sapatênis.
– 1 tênis.
– Chinelo.
– Roupa de Baixo e Meias. Cerca de 5 de cada, que lavo no banho.
– 1 calça Cargo de tecido resistente. Normalmente é a calça que visto ao me encaminhar para o Aeroporto e a que mais uso durante toda a viagem. Isso, falando em viagens tipo Buenos Aires, Europa, Eua, etc. Praia é outra história, pois, só a uso para ir para o Aeroporto e voltar para casa.
– 1 ou 2 calças para sair a noite. De preferência de tecido leve, evito jeans.
– 1 ou 2 Bermudas Cargo.
– 1 Bermuda, tipo Praia/Surfista.
– Alguns Sacos Plásticos.
– Canetas e Caderninho para anotações, como, controle de gastos e dependendo, como diário de bordo! Ajuda muito no controle e em lugares que um dia eu possa voltar!!!
– Remédios: Aspirina e Sal de Frutas nunca faltam.
Acho que são os ítens mais relevantes para esse post.

Na mochila levo tudo de valor, como, Netbook, Câmera, etc e tal. Nunca havia colocado uma muda de roupa até ler esse post e os comentários da tripulação. Vou providenciar isso.

Abraços e Boas Viagens,
Vladimir.

Não chego a ser básico como o Arthur, mas procuro não encher muito a bagagem (tanto que minhas malas ficam sempre entre 10 e 12 quilos). Levo, no máximo, mais um calçado e uma calça na mala. Roupa de baixo eu lavo durante a viagem. Camisas, uma por dia de viagem até o máximo de 10 (sempre se pode lavar e/ou comprar uma camisa por lá, não é mesmo?).

Na bagagem de mão: dinheiro, Itralhas, documentos, um agasalho, Kindle.Casaco mais pesado levo na mão.

Assunto que causa brigas lá em casa.KKK
Mas a limitação de peso e algo que sempre nos leva a ficar mais organizado. Quando usamos de trens ou Aereas Low Cost, as malas ficarão mais enxutas, não vale a pena pagar peso para passear.
Se for cidade única, um voo e um hotel relaxo mais e levo algumas coisas para fazer turisto, como vão na mala voltam.
Meu problema é sempre se irei a algo mais formal ou com Dress Code definido, ter que levar algo para um uso único é triste.
Mas sempre considerei parte da Viagem a arumação da mala, não usar uma roupa uma semana antes para levar e etc.

1- Sempre procuro botar tudo numa mala de mão, para não ter que despachar. Se sobrar, mochila nas costas. Casacão de frio, vou vestido com ele.

2- Sempre vejo ao final que não usei alguma coisa.

3- O lance é comprar camisas de souvenir bem baratas durante a viagem.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.