Bugues na areia em Alagoas: até quando vão tolerar este absurdo?

Capa da Folha de S. Paulo

É um contra-senso. Enquanto no Brasil inteiro o Ministério Público e os estados disciplinam a ocupação de praias e acesso a piscinas naturais, em Alagoas se vê um retrocesso.

Praias do norte alagoano que nunca fizeram parte do circuito de bugueiros, como as da Rota Ecológica, estão sendo invadidas por bugues guiados e quadriciclos de aluguel.

Em trechos de São Miguel dos Milagres, onde uma lei municipal proíbe o trânsito de veículos na areia, os bugues e quadriciclos atravessam trechos ocupados por banhistas, normalmente vindos das redondezas, passando rente a crianças brincando na areia e peladeiros aproveitando a maré baixa.

Bugue na Praia do Riacho

Para piorar, ontem a Folha de S. Paulo coloca na CAPA esta foto pornográfica de um bugue em Barreiras do Boqueirão, em Japaratinga. Estimulando um sem-número de turistas a querer fazer este passeio quando estiverem em Maragogi.

Bugue na Praia do Riacho

Poucas coisas são tão trágicas quanto praias preservadas entregues a veículos. Cearenses e potiguares sabem o que é perder suas praias para os carros. Na Bahia, que sabe lidar melhor com o turismo do que qualquer outro estado do Nordeste, o trânsito de carros na praia é coibido há séculos. Em Porto de Galinhas também foi regularizado; os bugues passam apenas por um pequeno trecho a caminho de Maracaípe.

E justo num trecho batizado e marketeado como Rota “Ecológica” as coisas começam a dar para trás.

O mais triste é que esse litoral norte alagoano é perfeito para outro tipo de viagem panorâmica: de jangada. A barreira de recifes torna o mar tranqüilíssimo até na maré alta. A paisagem vista do mar é muito mais bonita do que da areia. E este é um dos poucos trechos do litoral brasileiro em que o passeio pelo mar pode ser feito. Todos ganhariam: as praias, os turistas, a mão de obra local.

Jangada na Praia do Toque

E enquanto a polícia e as autoridades deixam bugues e quadriciclos destruir as praias do norte de Alagoas, os motoristas de carros que trafegam legalmente pelas rodovias são insistentemente parados para averiguações e blitzes.

Alagoas precisa escolher: ou preserva as praias que ainda mantêm aparência selvagem, ou transforma todo o seu litoral numa imensa Praia do Francês.

Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire


39 comentários

a proibição esconde uma violação de direito. Proibir acesso de veículos às praias é mesmo uma boa idéia? Garante desenvolvimento e proteção ambiental? A constituição em seu Art. 255 fala no dever em proteger o “equilíbrio ambiental”! Equilíbrio!, e não em decisões extremistas e castrativas. O que dizer dos entusiastas de trilhas e viagens Off Road? Ou os moradores isolados de beira de praia (tribos indígenas, quilombolas, pescadores etc. etc. etc.) que ficarão impedidos de utilizar veículos em seu ambiente, ou de serem assistidos por transporte que só pode ser feito via praias. Como fiscalizar as praias de forma eficiente sem uso de veículos? ou espera-se que os milhares de quilômetros de praia sejam protegidos a pé ou montaria e aeronaves?? Não seria melhor regular o acesso às praias concedendo, por exemplo, permissões temporárias de acesso concedidas após curso específico de condução e proteção ao meio ambiente. Transformar cada cidadão autorizado a circular em fiscal e protetor do meio ambiente, sem impedir o que o artigo 255 da CF fala sobre o meio ambiente ” bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida” As eventuais taxas cobradas poderiam servir para custear a fiscalização e proteção ambiental. um número limitado de autorizações por período previne o abuso e degradação garantindo os direitos individuais e coletivos. Nos moldes das autorizações de pesca e camping em diversos países. Proibir só leva à transgressão e inviabilidade da lei. Regularizar sim, proibir não!

Fiquei muito triste ao ler o texto. Na verdade já tinha ouvido que o litoral de Alagoas já está bem diferente (pra pior) do que anos atrás. Estou em Pernambuco e vou descer até Maceió de carro semana que vem. Espero que eu encontre um cantinho silencioso e limpo!! O lixo que as pessoas jogam no chão é outra coisa que tem me incomodado muito.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.