Comentarista de Fórmula 1 recomenda: quando viajar de carro na Europa, vá devagar

viam-barc-stropez-monaco

Em sua coluna de anteontem no ig, Reginaldo Leme conta o seu caminho para o GP de Mônaco: chegou em Barcelona e pegou um carro.

Leme sabe, porém, que as estradas mais bonitas da Europa não são pistas de corrida. E que tours europeus de carro ficam mais interessantes quanto mais você tem tempo para gastar.

Nas palavras dele, já no primeiro parágrafo:

Viajar de carro na Europa é um ótimo programa. Quem já fez, sabe bem disso. Para quem não fez, o meu conselho é um bom roteiro, um bom carro e tempo de sobra, pra poder parar onde der vontade.

É o que eu sempre digo: se o seu tempo está cronometrado, ou se está cumprindo um roteiro que não aceita desvios, vá de trem (ou ônibus). Você não se estressa à toa, nem se impõe metas impossíveis de atingir.

Um exemplo claro: botei o roteiro do Reginaldo Leme no ViaMichelin (é o itinerário que está ilustrando este post). No papel (e na tela), são meros 750 km. Mas na vida real, você precisa de peeeeelo menos uma semana para reparar no que tem pelo caminho…

Leia também:

Europa: avião, trem ou carro?

28 comentários

Olá, pessoal!

Eu me meu marido viajamos para Itália em maio deste ano e alugamos um carro na Avis de Firenze, de onde seguimos para outras cidades.

Em setembro, veio um valor na fatura do cartão de crédito correspondente a gasto na Avis de Firenze, mas como já tínhamos pago a locação (tenho inclusive o contrato e comprovante de pagamento guardados), ligamos para a operadora do cartão para extornar tal débito.

Eis que hoje (27 de novembro) chega uma multa italiana encaminhada pela Avisa aqui em casa! E só agora entendemos de onde veio o débito, agora extornado, no cartão.

Não sabemos como proceder. Alguém saberia??

Obrigada!

    oi Maria, nesse caso você tem que entrar em contato com a operadora do cartão novamente, e cancelar o estorno do pagamento.

    Issi já aconteceu comigo uma vez. Fiz todos os procedimentos para formalizar a contestação de um débito indevido, e depois que fui ver… era devido mesmo! Liguei e eles cobraram novamente na fatura. ( No meu caso o cartão de crédito (Visa Platinum) era vinculado ao Banco do Brasil).

Dani S., como o Ricardo e outros trips já disseram Mamma Mia é imperdível. Além deste, mesmo sem ter fluência no inglês, vimos e gostamos muito de: Les Misérables e We Will Rock You, a peça é boba, mas, para quem gosta, vale pelas músicas do Queen. Outro musical que vimos, não em 2008, mas em 1999, e que continua em cartaz, foi Grease, é baseado no filme com o John Travolta. Stomp vimos no Brasil, uma exibição de sons, percussão, bem legal, também. Lion King, com músicas do Elton John, outro que gostamos. Em uma entrevista no Manhattan Connection, o Cláudio Botelho elogiou as músicas do Elton John no Billy Elliot, este não vimos. Usamos o http://www.LondonTown.com para comprar os nossos ingressos. Ele oferece ótimos descontos: você coloca a data e ele apresenta as peças que estão com alguma promoção naquele período. Compra com cartão, com segurança, pela rede e retira os ingressos na bilheteria sem qualquer dificuldade, apresentando o que você imprimiu em casa. Compare os preços com o site informado pelo Ricardo. Espero ter sido útil. Muito boa sorte e bom divertimento.

Adorei as dicas do Andre Lot. Já salvei nos meus favoritos as placas de trânsito – já dirigi na europa sem saber as placas, nem me perguntem como que não fui multada (em compensação quase me arrebentei num túnel em Barcelona, mas isso não gosto nem de lembrar – aprendizado: alta velocidade e caminho desconhecido não combinam!).

Lições aprendidas agora só falta montar o roteiro e pé na estrada!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.