Como você “vende” a viagem para seu filho?

Paris com crianças

Todo dia aparece gente aqui no site perguntando o que fazer em Três Pontinhos com seu filho de xis anos.

Em algumas dessas perguntas eu consigo enxergar o interesse específico em saber quais são os programas infantis mais recomendáveis naquele lugar.

Muitas vezes, porém, o que eu percebo é meio que um pedido de socorro: “Help, tô indo viajar com as crianças pra um lugar que não é nem a Disney nem Bariloche nem um resort, e agora???”.

Eu não tenho filhos, e nem ao menos viajei com meus sobrinhos. Mas me parece que  o primeiro passo, antes mesmo de procurar onde são os parques e os lugares divertidos de cada destino, é tentar vender a viagem como uma aventura.

As diferenças de idioma, a mudança de costumes e mesmo os lugares aparentemente mais aborrecidos para crianças podem se tornar grandes estímulos, desde que transportados para o universo de fantasia da criança.

Treinar em casa — ou seja, fazer na sua cidade programas diferentes do parquinho e do teatro — também ajuda a semear no pimpolho a curiosidade das viagens. Não deixe a escola deter o monopólio sobre os passeios educativos. Aprenda você também a ser guia do seu filho.

E você? Como faz quando quer levar seu filho para uma viagem não estritamente infantil? Compartilhe com a gente seus sucessos, seus progressos — e também suas tentativas malsucedidas!

Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire


40 comentários

Ana Luisa , ano passado fui a PAris com minhas filhas , que na época tinham 8 e 12 anos . O que elas mais gostaram ( para o meu desespero ) foi a Disney . Em segundo lugar foi La Villette ( a cidade da ciência ) . Ficamos 10 dias em Paris e cada dia tinha apenas 1 programa ( para não cansar ) . Então fizemos : Louvre , Orsay , jardins de Monet ( em Giverny ) , torre Eiffel , passeio de Bateaux e fizemos tb 01 dia de city tour. . O primeiro e último dia eram livres . No último dia elas não quiseram sair e ficaram vendo tv !!!

Pessoal, atendendo a pedidos do Bóia refaço minha pergunta aqui: ” Tripulação fechei hj minha viagem. Em outubro vou para Londres, Amsterdã e Paris.Como vou levar meus filhos que à época terão 7 e 11 anos, gostaria de saber experiências com crianças nessas cidades.Há algo que seja realmente imperdível para eles? Enfim, quaisquer dicas serão bem vindas.” Obrigada.

Eu acho que se você vai no clima de curtir com a criança já ajuda muito…O ritmo é bem diferente.
Ter momento para relaxar e descansar e fundamental! Um picnic, um mergulho na piscina, pausa para o sorvete.
Quando fomos a Paris à noite era o momento do picnic na cama do hotel…meu filho tinha 3 anos e meio e adorava!! E..tb adorava curtir a banheira do hotel.
Acho importante como outros já falaram aqui incluir programas que eles curtam, mas também buscar despertar o interesse para as novidades!
Levar um joguinho e brinquedos para o restaurante ajuda tanto nas viagens como no dia a dia.
Sobre o avião para viagens longas dar preferencia a voos noturnos. Assim passa mais rápido pra todo mundo!
E por último deixar algumas viagens como programa apenas de adulto também é uma boa… : )

Eu já viajei com as duas com 2 e 5 anos para Europa e elas curtiram muito. Lógico que nos passeios urbanos tive que ter carrinhos para as duas e pits stops para carrosell, pizza e sorvete em todas as cidades! Ano passado fomos de Baires para Mendoza (1000 km) de carro e, após uma boa conversa explicando sobre a viajem que duraria o dia toooooooodo e uma parada para pique nique na estrada: não é que nem fizeram a classica pergunta, quando chegamos?!!!!

Eu tenho um de 4 anos e um de 8 meses. Ambos viajam desde os 3 meses de idade, pra tudo quanto e lugar…de Disney a paises da Europa ( Asia ainda nao me aventurei com eles por conta do tempo de voo). Nos tentamos sempre fazer um mix de coisas mais voltadas pras criancas e outras nem tanto. Funciona muito bem! Mas nos sempre respeitamos demais a rotininha do bebe, que tem a hora de comer, de dormir etc. Obvio que as viagens sao totalmente diferente de quando nao tinhamos as criancas…( e sim, as vezes da vontade de voltar no tempo)…mas aprendemos a aproveitar e curtir de uma outra maneira.

Por enquanto não preciso “vender” a viagem para o meu filho, ele ainda é pequeno, e qualquer coisa fora da rotina ja’ vira diversão. Mas carregamos ele para todo canto: museu, aquario, parques, castelos. E’ importante que ele aprenda desde cedo a curtir todo tipo de passeio, independente de ser de adulto ou de criança. E importante pra gente também respeitar o seu ritmo!

Alias, tô organizando os meus posts com as dicas e passeios em Paris com crianças la’ no meu bloguinho, quem estiver a fim de dar uma olhada, aqui vai: http://roede.blogspot.com/p/home.html

Por enquanto esta’ meio vazio, mas a idéia é incluir varios novos passeios, principalmente quando o inverno acabar. 🙂

Eu nunca pensei numa receita para viajar com as crianças , e sempre fizemos viagens maravilhosas , em praia sem soveteiro ou em um resort sempre nos divertimos muito , mas sempre respeitei os horários de almoço , do soninho da tarde estas coisas que os pequenos ficam mais chatinhos.

Minha sobrinha sempre vende as viagens pras crianças de uma forma excepcional. Ela faz uma ida ao Guarujá parecer um programão, e elas adoram qq coisa. Ano passado fui com elas pra Amazonia e pedi pra nao exagerar, pq realmente nao sabia se iam gostar ou nao. O resultado tb foi otimo, pq a viagem superou qq expectativa delas.
Mas seja la pra onde for, tem que ter um programa infantil todos os dias, nem que seja só um mergulho na piscina do hotel.

    Ano passado fiz 2 viagens que achei que seria mico: Santos e seus atrativos históricos e Manaus (promoção de milha Gol) e ao fim das 2 viagens ela nos abraçou e agradeceu muito pela oportunidade. Agora vamos a Paris comemorar seus 15 anos!Viva!Adorei a idéia que foi dela mesma!

Aqui em casa a gente sempre começa a falar da viagem com bastante antecedência. Vou mostrando fotos do lugar, compro livros infantis ou filmes que falem do lugar a ser visitado, vamos comentando a cada oportunidade “Olha que legal essa ___ (praça, jardim, atração turística, etc), nós vamos lá, fica em ___ (nome da cidade)”. Antes de irmos pra Londres, líamos o This is London todos os dias, antes de New Orleans vimos a Princesa e o Sapo várias vezes, agora antes de ir a Paris estamos lendo Ratatouille e Madeline.

A Julia tem três anos e meio e fica empolgadíssima quando chega finalmente no lugar em questão e reconhece o que mostramos na foto, e ela lembra dos nomes até depois da viagem. Você pergunta pra ela o que viu em Londres e ela vai falando Tower Bridge, Big Ben, London Eye…o que ela fez em New Orleans, ela fala que viu o jacaré, comeu o doce (beignet), viu pessoas tocando música na rua…e por aí vai.

E quando a gente volta de viagem sentamos juntos pra ver as fotos, mostramos os livros novamente “olha, a gente foi lá, o que você fez quando estava lá?”. Sempre tento trazer livros infantis do lugar visitado, de preferência mostrando coisas que a gente viu por lá.

Falo também da diferença da língua, ensino umas palavrinhas básicas, e ela mesmo aprende rapidinho quando estamos no lugar. No México ela falava “gracias” pra todos os garçons que vinham trazer a sua comida, agora estamos ensinando umas palavrinhas de francês pra viagem mês que vem.

Também comentamos antes da viagem que o lugar é longe, que vamos pegar o avião (ou mais de um), que vamos dormir no avião, aí ela já vai sabendo o que esperar e não vai ficar chateada quando chegarmos no aeroporto da conexão por exemplo. Ela tem a sua malinha e escolhe os brinquedos pra levar, vai toda contente puxando a sua malinha pelo aeroporto.

E eu tento NÃO fazer “programas de criança” do tipo clichê – zôo, aquário e afins. Sempre tenho esses lugares em mente se precisarmos – tipo um plano B se ela estiver irritada com os passeios “de adulto”, e algumas vezes já fomos, mas zoológico é quase igual em qualquer lugar, eu não viajo pra ver os zoológicos pelo mundo. A gente tenta mostrar pra ela as mesmas coisas que nos interessam, com um olhar infantil – por exemplo, na National Gallery em Londres a gente fez uma busca por quadros que tinham crianças e bichos, ela curtiu. Obviamente a paciência dos pequenos se esgota mais rapidamente, então também não forçamos a barra pra ficar dentro de um museu o dia inteirinho. E o revezamento de pais quando a paciência acaba também é importante: enquanto um está numa galeria, o outro leva a(s) criança(s) pra correr lá fora e vice-versa.

    Luciana, bacana demais essa sua maneira de lidar com as viagens com seus filhos!!! Isso me faz crer ainda mais como pode ser divertido para nos e para eles viajar para onde der vontade sem ficar no cliche de resort ate eles ficarem grandes!!! Adorei seu relato!!!

    Também ajo assim com meu filho de 3 anos, o Gabriel. Há tb uma série da Disney (mini Eisnteins) em que os personagens passeiam por vários países. Depois de assistir ao episódio de Paris, o Gabriel saiu com essa: mamãe, pq a Dona Lisa não ri direito? Não é que ele reparou no sorriso da Monalisa?!

Acho super possivel viajar com as crianças desde cedo… desde que tenhamos em mente que estamos viajando com crianças!!! Acho que pode ser super agradavel desde que tudo se torne ludico e q o tempo deles seja respeitado!!! Tenho uma amiga q a filha de 4 anos adorou ir ao Louvre, por exemplo… tudo depende de como apresentamos as coisas… agora se queremos encaixa-los no nosso jeito de viajar, vai ser estressante para todo mundo!!!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.