Desempacotando RJ: almocinho rápido na… Roberta Sudbrack

Roberta Sudbrack e euzito

Para vocês verem como está sendo caprichada a produção da segunda temporada do Desempacotando: sexta-feira o pit-stop pra almoço foi nada menos que no restaurante da chef mais aclamada do momento, a blogueira — e tuiteira inveterada — Roberta Sudbrack.

A idéia era incluir no programa aquilo que a querida Constance Escobar já definiu, com razão, como a maior barganha gastronômica do Rio: a Terça Básica do RS. Tudo bem que ontem era sexta, e que a Terça Básica só acontece no jantar de terça-feira — mas cinema é assim, gente. Ah, não é cinema? Websérie também é assim, não pentelhem.

Uma taça de vinho que ninguém é de aço inoxManteiga assinadaHaut Brigadeiro

A Terça Básica é uma edição ainda mais em conta no menu bistronomique (bistronômico fica esquisito) oferecido pelo restaurante em dias, perdão, noites de semana. É um menu simplificado, com entrada e prato principal (antecedidos por um paté de campagne fait maison) produzidos a partir de ingredientes encontrados no dia no mercado. De quarta a sexta, o bistronomique custa R$ 89 por pessoa. Na terça, o mesmo menu sai R$ 49. Tente comer com 50 pratas na cantina italiana da esquina e volte aqui pra dizer se conseguiu, please.

Não é dessa vez que você vai experimentar as delicadezas que Roberta apronta com quiabo, chuchu e outros ingredientes desprezados por aí, em micropratinhos geniais. Mas a Terça Básica (e o bistronomique dos outros dias) é uma oportunidade espetacular de apreciar o talento da chef e de sua equipe 5 estrelas em pratos mais clássicos.

O ravioli que não é da mamma

A entrada foram raviólis de abóbora seca com sementes e parmesão — com os croutonzinhos de miga que eu já tinha experimentado por lá e me surpreenderam tanto quanto da primeira vez.

Haut filé

Repita: crus-ti-ante

Depois, um filé alto com manteiga de ervas acompanhado por batatas croustillantes salpicadas com flor de sal — o ingrediente nobilíssimo que Roberta está tentando salvar da perseguição da Anvisa. Simples e sublime.

Haute tartelette

Seguindo o conselho da Constance, pedi também a sobremesa do dia, que não faz parte do menu. Ontem foi um tartelette de frutas vermelhas. Tá bom, desculpe por ter posto a foto, da próxima vez eu não torturo você.

Se quiser passar a sobremesa, no finalzinho sempre vem o brigadeiro de colher que virou (outra) marca registrada da chef — e que traz o risco de estragar os próximos brigadeiros de colher que passarem pelo seu caminho.

Enfim. Experimente a comida. Leia o blog. Siga o Twitter. Obrigado, Chef, pelo almoço e pela participação especialíssima.

20 comentários

Tô louco para ir no restaurante da Roberta Sudbrack, e cada vez mais pessoas elogiando, estou começando a temer também, sabe como é são muitos elogios, que dá temor.
Abraço!!

Lindas as fotos, belo post! Planejo ir no restaurante da querida Roberta Sudbrack em breve!! Aguardando desempacotando RJ!! Bjos Ricardo! 🙂