Japan Rail Pass: o melhor passe de trem do planeta

Japan Rail Pass

Japan Rail Pass4 de fevereiro de 2005. Se você quer viajar um pouquinho pelo Japão, o Japan Rail Pass é um excelente investimento. Por US$ 280 315* (praticamente o preço de uma passagem Tóquio-Kyoto ida e volta), você tem direito a 7 dias de viagens ilimitadas pelos trens da Japan Rail (JR — ou “Djêi Ár”, em japonês).

Mesmo enquanto você ainda está em Tóquio, você pode usar o passe para fazer passeios aos arredores – por exemplo, a Nikko (templos, macaquinhos) e a Odawara (onde você compra outro passe para ir a Hakone e ver o Monte Fuji). E não só isso: o passe dá direito à Linha Yamanote, o trem metropolitano que é a maior mão-na-roda para você se deslocar por Tóquio. (Nas linhas do metrô convencional, no entanto, você vai precisar comprar passagem.)

Nenhum passe de trem europeu entrega tanto por tão puco. Mas o  bacana do passe da JR talvez não é só a economia. É que, com ele na mão, você não entra pela “roleta”, como os outros mortais – você vai pelo ladinho das catracas magnéticas, mostra o passe para o chefe da estação conferir a data, e pronto: arigató gozaimashté, é só passar. Você está no país mais igualitário do mundo, mas basta aparecer uma catraca que você vira VIP. Hai!

Japan Rail Pass

O passe só está à venda fora do Japão, por vendedores credenciados (eu comprei por meio do meu agente de viagem). Vem em duas categorias: Green (equivalente à primeira classe) e Ordinary (segunda classe). Eu viajei de Ordinary, sem problema nenhum. Dá para reservar assento sem pagar nenhum suplemento: basta se dirigir a um guichê específico do JR Pass, onde você é muito bem atendido em inglês (eu cheguei com uma listinha de horários previamente pesquisados e deu tudo certo, fiz tudo de uma vez só). Pesquise horários neste site aqui.

A única desvantagem do JR Pass é que você precisa andar o tempo todo com o seu passaporte — que pode ser pedido a qualquer momento pelo chefe de estação para ver se o passe é seu mesmo. Em seis dias, ninguém pediu o nosso. Mas foi bom para ter a sensação de andar por aí com o passaporte no bolso, sem ter absolutamente nenhum receio de ser assaltado.

*O valor em yen do passe de 7 dias continua o mesmo de 2005: 28.300 yens; a diferença em dólar é por conta da valoriação da moeda japonesa.

Leia:

Site do Japan Rail Pass

Preços do Japan Rail Pass

Horários de trem no Japão

Todas do Japão no Viaje na Viagem

Continuo republicando a blogagem (mais ou menos) ao vivo de uma volta ao mundo do início de 2005. Para ler sobre Cidade do Cabo, Cingapura, Sydney, Tóquio, Monte Koya, Kyoto e Takayama, clique aqui.

62 comentários

Filipi e colegas:

Abusando da sua, experiencia, qual roteiro voce faria para um periodo de 7 dias ?
Estou indo para la no periodo de 12 a 19 de dezembro e irei para as cidades de Tokyo e Nagoya.
Ja comprei o JR pass

E estou com muita vontade de ir a Hiroshima.
Na sa opiniao vc acha q um bate volta para Hiroshima saindo e retornando de Nagoya, e suficiente ? Digo, ha muito o que azer em Hiroshima alem do museu da Paz?

Muito obrigado

Vai pro Japão? Compre o JR PASS. Não tenha dúvidas.

Tô indo pra lá de novo esse ano e comprarei o JR PASS pra mim e pra minha mulher. Ela é japonesa, mas como mora no Brasil, pode pegar também. E o bom é que meu filho de 3 anos não paga nada.

Além de a economia ser gigantesca, é bom porque você fica livre pra escolher onde quer ir, sem se preocupar com preço. Não precisa nem reservar assentos, dá pra ir no Jiyuseki (vagão de assentos livres) tranquilo, tranquilo. Dá pra chegar na estação 5 min antes do embarque, subir na plataforma e pegar o trem. Se perder, pega o próximo. Sem grilo.

Um de 7 dias dá pra conhecer as cidades mais interessantes frouxo: Hiroshima, Nagasaki, Tokyo, Osaka, Kyoto, Nara, Mte. Fuji, Disney, Yokohama… Dá pra ver uma de manhã, almoçar, descansar no Shinkansen (trem-bala), e conhecer outra à tarde. À noite, já vai pra próxima e manda ver no dia seguinte. Só de ir de Narita (aeroporto) pro centro de Tokyo e depois voltar, já vale quase todo o investimento. De shinkansen, tudo fica perto e a poucas horas (às vezes nem isso).

Abraço.

Oi, Ricardo!
Tenho uma dúvida: para mim, que vou passar 2 meses em Tóqui (ou Yokohama, ainda não sei) a trabalho e só posso viajar nos fins de semana, esse passe não valeria mto a pena, né? Pelo que eu entendi, ele é válido por 7 dias consecutivos, não é?

Obrigada pela ajuda!!
Daniela

    Tem três passes: de 7, 14 e 21 dias. Mas sempre consecutivos. E acho que só vale para quem tem visto de turista.

    Obrigada!
    Eu tenho que ver aqui qual o tipo de visto que tenho q tirar. Não sei se no Japão tem um visto próprio de trabalho, ou, no meu caso, de quem vai a trabalho e não trabalhar lá, em empresa Japonesa.

    Outra dúvida, como vou ficar TODOS os meus dias (rs) em reunião, não seria melhor eu ter tipo uma empresa de passeios, tipo uma Cityrama da vida, para pagar pelos passeios que não conseguirei planejar direito? Vc conhece alguma pra me indicar? Ou é fácil de achar no hotel?

    Puxa, mto obrigada mesmo! 🙂

    Deve ter, Daniela. Mas tudo é tão fácil de fazer por conta própria e trem-bala (Nikko, Hakone, Kyoto) que eu não queimaria essa bala não. Tudo o que é luxo no Japão é caríssimo, e tour organizado é luxo. Por outro lado, tudo o que é classe-média é acessível.

    Leia https://www.viajenaviagem.com/category/japao

    Riq, o Japan Rail Pass vale tb se vc é cidadão japonês (ou casado com um) morando no exterior, de visita ao país.

    No caso de business, Daniela, eles não têm um visto apropriado pra isso, é tudo dentro da mesma categoria “temporário”. Pode ser q vc consiga comprar o Rail Pass, se tiver este visto “temporário”.

HHhhoorr…

Eficiente, pontual e confortavel, igualzinho aqui no Brasil!
Adorei o roteiro da Marilia bem compacto mas completo, show!

Coloquei meu roteiro lá no site do Reginaldo ( http://curtindoojapao.com/ ) e acho mais que justo colocar aqui também, já que é de Japão que estamos falando.
Fiz um roteiro, que está mais ou menos acabado, tenho ainda um trilhão de dúvidas, mas tive que fazer escolhas:

– SP/PARIS
– PARIS (2 noites – tinha que ter uma desculpa pra voltar pra Paris)
– PARIS/NARITA
– NARITA/KYOTO
– KYOTO (5 noites com viagens bate-e-volta para NARA e HIMEJI)
– HAKONE (1 noite – banho onsen e visita ao monte Fuji)
– TOKYO (3 noites com visita bate-e-volta para NIKKO)
– TOKYO/OSAKA/PARIS/SP (é o dia da marmota!)

Nesse roteiro posso incluir um bate-e-volta a HIROSHIMA e lamento muito não dormir em MIYAJIMA.
Talvez transforme HAKONE num bate-e-volta a partir de TOKYO e vá fazer um pernoite em ARIMA ONSEN (próximo a KOBE).

Depois de tantas indicações eu fechei bem no básico.
E tudo isso usando o JR Pass.

    A Marilia foi a primeira Trips que aportou lá no Curtindo o Japão. Está sendo super legal a participação e comentários dela. Espero não ter decepcionado em nada.

    Eu já escrevi numa postagem no meu site, mas não me canso de repetir: na órbita do Ricardo Freire gravitam muitas outras almas viageiras e viajantes. O VnV é uma comunidade linda!

Olha, pelo q eu andei procurando, só pelo preço de uma passagem ida e volta Tokyo-Kyoto o preço já vale… pq transporte é caro no Japão, mesmo em tempos de iene fraco. 🙁

Ai, eu acho que vou mandar emoldurar o meu passe – ele foi tãaaaao útil e é tão bunitim… :mrgreen:
Pára de fazer a gente ficar com vontade, Riq! 😉