Miami: siga as dicas espertas da Fabiana M.

South Beach

Olha quem está de volta: a Fabiana M. Depois de se casar em Punta Cana, ela foi agora a Miami, para turistar e também resolver o enxoval do bebê que já está encomendado (parabéns, garota!). Seu relato, deixado na caixa de comentários de um post sobre Miami, é TÃO MAIS COMPLETO que o próprio post que não faz sentido ficar escondido. Diz aí, Fabiana!

Chegando de Miami, após uma semana por South Beach e arredores. Aí vão minhas impressões – espero que ajude!

Fui com meu marido e outro casal. Objetivos da viagem: passear e fazer compras para o bebê que chegará no ano que vem.

Ficamos hospedados no Cadet, esquina da James Avenue com a 17th St. –diária de US$ 120. Boa estrutura e serviço, recomendo muito e ficaria hospedada lá de novo. Exceção para quem viaja com crianças, porque o quarto é bem compacto, não cabe berço, cama-extra etc… Fica a uma quadra da praia e duas quadras da Lincoln Road. Adorei a localização, perto de tudo e região super tranqüila, limpa e bem freqüentada. Vi outros hotéis ali por perto com preço semelhante e que parecem também bons: Greenview (recém reformado), Catalina, Albion.

Para quem pode bancar, há os hotéis “pé na areia”, que ficam na Collins — badalados, luxuosos e mais exclusivos: olhando de fora, o que mais gostei foi o Loews. Também são bem recomendados o ShoreClub, Delano, National, Raleigh, W South Beach e Gansevoort South. Diárias mais em conta, na baixa, entre US$ 250 e 300, sem café-da-manhã. O Setai é para celebridades, nem ousei saber o preço. No meio desses há uns bem caidinhos como o Shelborne e Marselles, bem velhos e com resenhas ruins. Achei essa região, acima da 15th (que é onde acaba a Ocean Drive e a Collins torna-se a última antes do mar) a melhor para hospedagem. Não é tão turistona quanto a Ocean Drive, que tem um clima “Copacabana” — aqui o clima é mais “Ipanema/Leblon”. Além da proximidade da praia e da Lincoln, tem CVS e Wallgreen (mistura de farmácia, mercado e conveniência); tem uma panificadora maravilhosa chamada La Provence, que fica na Collins, com legítimo e delicioso pão francês; e ao final da Lincoln, subindo em direção a 20th tem um supermercado simpaticíssimo chamado Publix, onde dá para comprar de tudo, até refeições prontas de qualidade. Eu particularmente gostei da salada de frutos do mar e dos sushis. Aproveitávamos para comprar também um kit de suprimentos – mix de castanhas e frutas secas (são muito baratos e de excelente qualidade), sucos, pão integral e frios para lanches. A comida por lá é muito cara, o café da manhã raramente está incluído, então, se você não se organizar e não tiver lanchinhos e refeiçõse rápidas à mão, vai acabar com um rombo no orçamento da viagem correspondente à alimentação.

A Lincoln Road é uma rua charmosa, estilo calçadão, muito agradável mesmo. Tem aquele clima descontraído-chique. Tem showzinho, tem música rolando, tem gente bonita passeando pra lá e pra cá. Tem diner, tem pub… Há boas lojas e bons restaurantes que abrem as mesas no passeio. Recomendo o Pizza Rustica e o Tiramisu: no primeiro, a pizza pode ser consumida em fatias (gigantes) ou a redonda inteira e o preço é super atrativo; no segundo, restaurante italiano muito simpático, com comida de primeira e preços surpreendentemente razoáveis. Nas ruas próximas e transversais à Lincoln também há restaurantes gostosinhos e menos turísticos . Gostei do Miss Yip, um chinês já comentado aqui no VnV pelo Freire, para aproveitar a promoção de almoço durante a semana e valeu a pena – quase todos os restaurantes da região tem promoções bem interessantes no almoço.

A praia é bem legal e vale muito a pena – o calçadão, que acompanha toda sua extensão é uma delícia tanto para corrida, bike ou apenas caminhadas tranqüilas de fim-de-tarde. Tudo arborizado, limpíssimo, bem cuidado e super seguro.

A Ocean Drive estende-se entre a 5th e a 15th: são muitos barzinhos, restaurantes, o Lumus Park, etc. Acho que vale o passeio mas não ficaria hospedada por lá. É muvucado, barulhento, muito misturado, o trânsito sempre apertado. Como já disse acima, parece uma parte mais turistona antiga. Há alguns hotéis com preços mais baixos, mas pelo menos os que eu vi são velhos e malcuidados; os mais ajeitadinhos são muito caros mesmo. Acho que gosta mais de ficar por aqui quem “tá solteiro”, “guerreiro”, quer curtir a noite, muita festa, farra e não liga muito para barulho e nem para o lugar onde vai dormir.

Na parte mais ao sul de South Beach, entre a 1th e a 5th, as ruas são bem residenciais, um ambiente tranqüilo, uma distância à pé da Ocean Drive e do comércio sofisticado que fica no início da Collins. Nesse pedacinho não há muita oferta de hospedagem e nem preços baixos. Nessa área também ficam alguns restaurantes caros e tradicionais – Joe’s Stone Crab, Devito etc. e empreedimentos imobiliários de condomínios modernos e milionários. Bem na pontinha sul, unindo a praia e a marina, de frente para a Fischer Island está um lugar que adorei: o South Park – vale muito a caminhada e o visual do mar, das ilhas, do skyline de Miami “continente” que fica do outro lado…

Concordo que aluguel de carro em Miami é fundamental e o preço muito menor que o no Brasil: uma semana de Dodge Avenger, novíssimo e super confortável para quatro adultos, com um grande porta-malas para caber todas as compras, incluindo taxas, saiu por aproximadamente US$ 200 (aluguei na Enterprise e negociei por telefone, porque online o preço era um pouco maior). Mas é bom ressalvar que é impossível estacionar em South Beach sem pagar e caro! E o preço do estacionamento faz uma grande diferença no cômputo final do uso do carro. Na rua você tem que rodar até achar a vaga com parquímetros – US$ 1,50 a hora(e algumas vagas de rua são exclusivas para moradores identificados com cartão, por isso nem pagando…). Se parar errado seu carro pode ser multado ou guinchado, há guinchos particulares autorizados a rodar a cidade retirando os veículos não autorizados a estacionar. No nosso caso, optamos por pagar a diária de um estacionamento próximo ao hotel – US$ 25 com “in/out privelege”, ou seja podíamos entrar e sair quando quiséssemos. Alguns hotéis cobram até US$ 35 pela diária do estacionamento. Há também estacionamentos com pernoite de US$ 15, mas você não pode entrar e sair quando quiser – se deixar o carro tem o direito de ficar até o outro dia, mas se precisar tirar e voltar, terá que pagar outra diária.

Comparando os outlets Dolphin e Sawgrass Mills: vá ao Sawgrass! Não precisa ir em outro! O Sawgrass é mais completo em número de lojas e opções. Para quem está de carro a diferença na distância não é tão relevante e vale a viagem porque você vai encontrar tudo o que quer num só lugar. Tem tanto praça de alimentação popular, quanto restaurantes chiques. Tem todas as marcas populares e uma área só de lojas mais chiques (The Colonnade). Tem o SuperTarget, que substitui uma ida ao Wal-Mart SuperCenter (que muita gente procura para comprar eletrônicos e itens de bebê). E se uma loja estiver repetida no Dolphin e no Sawgrass, a do Sawgrass é melhor, maior, com mais opções. Então não perca tempo, vá direto ao Sawgrass. Consultar o mapa de lojas antes no site e planejar o tempo é bem recomendável.

Depois que fizer as compras no outlet, é bom ir a um shopping normal, os preços são mais caros que no outlet, mas ainda pelo menos 1/2, 1/3 até 1/4 do preço do Brasil. Então serve para comprar aquilo que vc não achou nos outlets (algumas marcas não estão presentes nos outlets, alguns objetos de desejo específicos você pode não encontrar – bom lembrar que outlet é ponta de estoque, você compra aquilo que tem, na numeração que tem). Além das lojas da Lincoln Road Mall, pode ir ao Aventura Mall – o shopping é completíssimo e tanto o próprio shopping, como a região em que fica, são lugares bonitos que vale a pena conhecer.

No meio do caminho, entre South Beach e Aventura tem uma região chamada Bal Harbour, super elitizada, lá está “ Bal Harbour Shops”. Dizem que é o lugar de compras das celebridades americanas, nas exclusivíssimas e carésimas lojas da Lanvin, Cartier, Marc Jacobs, Dior, Chanel, etc… no meu caso é coisa só para olhar mesmo… rsrsrs

Para comprar os artigos de bebê, concordo em gênero, número e grau com o comentário acima de que a Babies’R’Us (tem uma bem em frente ao Aventura Mall) é simplesmente imbatível e fantástica. Não há Babies’R’Us nos outlets, você tem que procurar uma loja de rua. Prepare-se porque os preços são incríveis e a gente enlouquece! E se tiver interesse em comprar brinquedos vá na na Toys’R’Us, mas vá direto em uma das lojas de rua, porque no outlet é do tipo “express” e tem pouca coisa. E também é bom fazer o cadastro no site antes, tem sempre os cupons de desconto que funcionam mesmo! – essa regra vale para os outlets e para as lojas em geral.

Aqui faço uma ressalva. Compre o máximo que puder pela internet e mande entregar no hotel. Pode pedir daqui do Brasil, basta pagar com cartão internacional. A compra online na maioria das lojas não tem frete e a entrega no hotel é rápida e segura e te poupa muito tempo. Deixe para escolher na loja somente aquilo que você ainda está em dúvida e quer pegar, experimentar etc.

Outra observação: ao menos nesses outlets, no Aventura Mall e nas lojas da Babies’R’Us e Toys’R’Us o estacionamento é de graça — ufa!

Fizemos um city-tour, desses de agências locais, que levam para uma panorâmica de Miami passando por Downtown, Coconut Groove, Coral Gables, Little Havana. Também fizemos o passeio de barco pela Biscayne Bay, passando pela casa de milionários e artistas famosos . Contratei direto no hotel, mas pode contratar direto na agência – tem um monte espalhada perto dos hoteis, praia, Lincoln, Collins, Ocean, etc. – o passeio duplo: city tour e passeio de barco custa em média 55 dolares. O passeio de barco é vendido direto no Bayside Market é só ir até lá e escolher um dos barcos, 25 dolares.

O Bayside Market é um lugar muito bonito, bom para passear, “waterfront”, tem bons restaurantes, fica ao lado do American Airlines Arena e de outros pontos turísticos de Miami Downtown . Mas apesar de ser anunciado como shopping não é interessante para compras.

O American Airlines Arena é lindo! E como a temporada da NBA começou em novembro decidimos assistir um jogo do Miami Heat – o time da cidade – e foi uma ótima experiência. Como chegamos em cima da hora na cidade, quase não havia ingressos no site da NBA ou do AAArena e estavam caríssimos. Consultei vários outros sites e comprei através do TicketCity – foi onde encontrei lugares e preços melhores. Também era o site que tinha as melhores revisões nas opiniões de clientes nos EUA. Foi rápido e eles entregaram no hotel no dia seguinte, via FEDEX. (Fiz a compra por telefone, porque pelo site você tem que pedir entrega no mesmo lugar de faturamento do cartão). O preço, com taxa de entrega, foi a metade do valor cobrado no site oficial para ingressos individuais e por lugares bem melhores – parece que o site faz intermediação de ingressos comprados antecipadamente para grandes grupos, em lotes, e por isso sai muito mais barato.

Se estiver viajando com filhos e lembrando que carro é fundamental, acho que uma boa opção de hospedagem é a região de Aventura, há hotéis, flats etc. com bons preços. A gente encontra quartos maiores e mais confortáveis para famílias, se comparados aos disponíveis na mesma faixa de preço e que acomodariam apenas um casal em South Beach. É uma região muito bonita. Há boas lojas e restaurantes, tem fácil acesso aos outlets, tem o Aventura Mall, além disso você está na praia (pode até escolher um hotel “pé-na-areia”) e apenas 20km de South Beach, que é onde tudo acontece!  elos mesmos motivos, acho que qualquer lugar em Mid Beach e North Beach são boas opções para quem viaja com família.

Na falta de carro, tem ônibus circular que cobre South Beach. Tem também ônibus que leva aos outlets e aeroporto. Se for uma opção, ficar em Miami Downtown tem mais facilidades de transporte (tem metrô regular e também um transporte elétrico e gratuito que traslada do aeroporto até Downtown).

Obrigadíssimo, Fabiana! Ficou um guia completo!

362 comentários

Oi Fabiana, estou a fim de levar meus filhos pra verem um jogo no American Airlines Arena. Vou ter a sorte de pegar um do Chicago Bulls na minha temporada. Já verifiquei vários sites e os melhores ingressos não são baratos mesmo. Pelo mapa os lugares de cima parecem muito distantes da quadra. Dá pra ver direito ou a gente acaba dependendo do telão?

    O AAA por si só já é um passeio, e de todos os lugares, mesmo os mais altos (seção na casa dos 400) tem visão da quadra. Eu comprei na seção 300, uma fila intermediária, porque o preço não era tão diferente da 400 e achei ótimo!
    Uma observação: a festa em campo vai ser do Heat, independente que sem seja o outro time.
    Além de serem os donos da casa é o time com as melhores chances de ser campeão esse ano. Tem um elenco com estrelas de primeira grandeza. Então prepare-se para ver uma festa linda da torcida vermelha… E vai ensaiando o grito: Lets Go Heat! Lets Go Heat! e a musiquinha: “The heat is on”
    Depois do jogo que eu assisti lá, virei fã do Heat de carteirinha desde criancinha!rsrsrs

Obrigado Gabriel, é que sempre fiz o “circuito compras” em Miami somente e me hospedava perto dos shoppings, em Plantation, próximo do Sawgrass, ou em Doral, próximo do Dolphin. Vou sempre direto para Orlando somente. Dessa vez, contudo, com filho pequeno, queríamos aproveitar a praia mesmo em setembro. Na verdade, a minha dúvida, antes mesmo do hotel, era saber onde é melhor para pegar praia em Miami mesmo e daí conseguir um hotel que caiba no orçamento. Na Collins, por exemplo, em matéria de praia, é melhor mais ao sul ou ao norte?
Valeu

    Quanto mais ao sul, mais elitizado, mais caro, mais badalação… Mais ao norte, apartamentos maiores, preços melhores e ambiente mais familiar…

Amigos
Pretendia conciliar praia com compras em Miami.
Alguma dica de hotel junto à praia que tenha uma boa estrutura de praia como os nossos daqui, vou levar criança de menos de 2 anos.
Obrigado desde já

    Existem vários, Romeu. A escolha dependerá do quanto você quer gastar. Hotéis em Miami Beach/South Beach são caros!

Gisele,

Estou oensando em ir à Miami com meu marido e filho de 2 anos. Ainda não decidimos se em junho ou agosto. De lá, quero muito fazer um cruzeiro de no máximo 3 dias. Na verdade, nem sei se existe um assim. De quantos dias será o seu? Gostaria muito que vc compartilhasse suas impressões aqui.
´
gd abraço e uma ótima viagem pra vc.

Ivana

    O site saiu do ar quando postava meu comentário…

    A Royal Caribbean tem cruzeiros saindo de Miami e Forlauderdale, de 3, 4 e 5 noites. Escolha o que mais lhe agrada!
    Os preços começam em R$350,00 por pessoa, sem taxas. Dependerá também da sua data.

    Se quiser ler mais sobre roteiros, aconselho os ótimos textos do Fabio: http://www.falandodeviagem.com.br/viewforum.php?f=134

    Você vai na época de alta temporada, o que sobe o preço. Vai estar por volta de US$ 300-350 por pessoa.

Pessoal, obrigada pelas dicas! Foram valiosíssimas para a tomada de decisão. Mary, desta vez vamos experimentar o Royal Caribbean! Gabriel, amei os textos. Nada como uma palavra experiente!
Espero poder dar muitas dicas a vocês depois que voltar da viagem!

Beijos e obrigada!

@Gisele, eu fiz esse cruzeiro da Royal Caribbean em dez/2009. O passeio é muito bom! Coco Cay é fantástica, pois é uma ilha particular da Royal. Alugue um colchãozinho e fique boiando na água por umas horas… Paraíso!

O próximo eu vou fazer na Carnival, pois o preço é muuuito mais baixo, e quero ver se o custo benefício é bom.

Aconselho sim o da Royal, mas eu não conheço esses lugares que o Carnival irá passar — devem ser muito bonitos também.

Já tive experiência com a Royal Caribbean e gostei muito, embora tenha feito outro roteiro. CocoCay é uma ilha particular da Royal que eles passaram a usar no lugar de Labadee no Haiti, e só tem mesmo a praia, que é muito bonita, mas é como várias outras do Caribe.

Olá pessoal,

Olá. Estou planejando minha primeira viagem para Miami e pretendemos fazer um cruzeiro. Pelo que pesquisei tem duas opções:o roteiro do Royal Caribbean (Miami, Nassau, Coco Cay e Key West) e o Carnival (Miami, Grand Turk, Half Moon Cay, Nassau). Vamos apenas eu e meu marido. Qual das opções você acha que vamos aproveitar mais? Alguém tem essa experiência para compartilhar??

Desde já agredeço pelas super dicas da Fabiana, Roberta e demais navegantes! Estão ajudando bastante para o roteiro dentro de Miami!

Beijos,

    Gabriel e Rique, obrigada!!

    Acho que entre os roteiros (das ilhas), deve ser muito parecido, né…?
    mas bom saber que o Carnival é mais Popular… 1 ponto para o Royal Caribbean!! 🙂

    Oi Gisele,
    Fiz um cruzeiro com a Carnival em 2008 e gostei muito.
    Como nunca tínhamos feito nenhum um cruzeiro, escolhemos a Carnival que era bem mais barata. E não nos arrependemos!
    Eu gostei muito: tratamento atencioso, tripulação sempre disponível. Gostamos tanto que estamos planejando repetir a dose em 2011.
    Por ter um preço mais barato, a Carnival não tem todas as regalias que eu acho que a Royal Caribbean tem.
    No nosso cruzeiro, todas as refeições estavam inclusas e a maioria das bebidas também. No entanto, para ter refrigerante disponível era preciso comprar um cartão e as bebidas alcoólicas eram pagas a parte, uma a uma. Mas são tantas opções que não me fizeram falta nem refrigerantes, nem bebibas com alcoól.
    Não conheço o roteiro que vc vai fazer, mas se tem mar Azul Caribe, grandes chances de ser maravilhoso!

Olá pessoal!!!

Estou indo para Miami em Março para o torneio de Tênis. Alguma dica especial sobre ingressos, shows, e outros eventos nesta época?

Obrigada!!!

Por favor, minha amada esposa Adriana e eu viajaremos no dia 10 para Orlando e Miami. Reservamos um ford fusion diretamente no site da dollar rent a car. Foi bem mais barato do que alugar via operadoras e agências no Brasil. Preciso contratar seguro? No caso da resposta for positiva, que tipo de seguros você me recomenda. Onde podemos comprar enxoval para nossa pequena Lorena que nasce em Maio? Muito obrigado. Att. Marcelo Oliva Murara.

    Eu faço todos os seguros que me oferecem na locadora.

    Há quem prefira usar o seguro oferecido pelo cartão de crédito. Informe-se com o seu. Pode ser que esteja incluído sempre que você alugue o carro com o cartão.

    Na prática, além da grana extra, a diferença é que se der algum chabu, o seguro da locadora cobre imediatamente (às vezes com o pagamento de algum prêmio), enquanto que usando o seguro do cartão primeiro você paga tudo e depois vai pedir o reembolso ao cartão (neste caso, junte toda a documentação possível).

    E, se decidir pelo seguro do cartão de crédito, lembre-se que danos a terceiros não está coberto. Faça-o a parte, se desejar.

    Faça todos os seguros. Se você atingir alguém (outro carro ou atropelar alguém), vai pagar no mínimo uns US$ 50 mil de indenização (custos de hospital e indenizações nos EUA são bem gordinhos). E acho que você não vai querer tirar isso do bolso…

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.