Natalie em Jonville, com direito ao Bolshoi

Bolshoi em JoinvilleVocê sabia que o Festival de Dança de Joinville é o maior do mundo? Eu também não. Sou soube disso ao ler a introdução do primeiro post da viagem da bailarina-blogueira Natalie Marvila, a outra metade dos Cozinheiros de Primeira Viagem, para realizar um antigo sonho de assistir ao festival.

Enquanto as amigas aproveitaram uma folga para fazer o passeio de barco pela baía Babitonga até São Francisco do Sul, ela foi fazer uma peregrinação até a sede da filial joinvilense do Balé Bolshoi, onde acontece uma visita guiada (é preciso agendar por email; ela explica).

Entre um espetáculo e outro ainda deu tempo de dar um rolezinho básico pelo centro histórico e de visitar um museu arqueológico. Vale a pena dar uma olhadinha no blog: Joinville fica a apenas 120 km de Curitiba, no caminho para o litoral de Santa Catarina; é um ótimo pit sop para quem está descendo de carro.

Leia no Cozinheiros de Primeira Viagem, por Natalie Marvila:

Bolshoi no Brasil — e outras atrações de Joinville

Jonville: o Museu Arqueológico do Sambaqui


21 comentários

Como combinar uma viagem de quem mora em São Paulo, vai à São José do Rio Preto e de lá para Joinville! Com marido, uma criança de 10 anos e outra de quase 2 anos, de carro, em janeiro (03 a 14/01/2015), logo após o Reveillon? Quais seriam pontos de parada interessantes? Qual seria o melhor roteiro?
Obrigada!!!

    Olá, Daniela! Vamos compartilhar sua pergunta no Perguntódromo. Havendo resposta, aparecerá aqui.

    Olá Daniela! Eu sou de São José do Rio Preto e tenho um filho que estuda em Joinville. Fui várias vezes para lá de carro nesta época do ano que você está indo. Em janeiro deste ano ficamos uns 10 dias por lá. O trajeto que sempre fazemos começa pela BR 153, passamos em Marília, Ourinhos, Ponta-Grossa, Curitiba, Joiville. O caminho não é ruim, porém tem um bom trecho de pista simples e acaba sendo cansativo. As rodovias são boas. Porém tem poucas opções de paradas, digo restaurantes grandes e bons, mas dá para quebrar um galho. A região de Joiville é bem gostosa para passear. Tem bastante coisa perto que dá para fazer bate e volta. Quando vamos para lá, ficamos em Joiville como base (no apartamento do meu filho) e de lá passeamos pela região. Um passeio à cada dia. Dá para ir ao Beto Carrero, Blumenau, Piçarras, São Francisco do Sul, Brusk (para fazer compras). Este ano fomos também para Bombinhas e Balneário Camboriu. Dá para conhecer bastante coisa!!!

Morei em Joinville por 5 anos, e guardo muito boas lembranças.

Vale a pena seguir as dicas que o Oscar deu num post acima. Especialmente o marreco recheado do Gute Küche, é inesquecível…

Outro passeio legal é visitar o Museu da Imigraçao. Este fica no prédio construído para abrigar Dona Francisca de Bragança (irmã de D. Pedro II) e seu marido, o Príncipe de Joinville (filho do rei da França). Infelizmente os príncipes nunca se hospedaram lá…

A colônia alemã surgiu após a venda das terras da região, que pertenciam ao dote da Dona Francisca, à uma companhia de imigração alemã. O nome da colônia passou a ser Dona Francisca, em homenagem à princesa, e mais tarde a cidade passou a se chamar Joinville, em homenagem ao príncipe.

No museu existem artefatos, móveis e fotos dos primeiros colonizadores.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.