Noite de Natal fora de casa: o que fazer?

Rockettes no Radio City Music Hall

De vez em quando essa pergunta aparece em alguma caixa de comentário; só muda o endereço. Trata-se de um campo delicado, porque envolve duas coisas bastante pessoais: família e, eventualmente, religião.

Mesmo que a gente viaje com a nossa família mais imediata, a gente sempre vai sentir falta da família estendida. E sair para jantar num restaurante na noite de Natal simplesmente não faz parte da nossa cultura (além de custar caro pra chuchu).

O que fazer?

Bom. A minha melhor dica para a noite de Natal é: voar. As passagens na noite de 24 para 25 são as menos caras, e às vezes são as únicas que restam. A confraternização a bordo costuma ser engraçada; todo mundo vira uma grande família de sem-Natal, então fica (quase) divertido.

Fora de casa, a coisa depende de onde você se hospedar. Resorts (no Brasil ou em qualquer lugar do mundo) e pousadas (aqui no Brasil), por exemplo, sempre têm jantares especiais. Acaba baixando um espírito natalino espontâneo.

Difícil é quando você está hospedado num hotel convencional, numa cidade estranha.

Acho que eu nunca vivi esse problema (sou adepto mesmo de voar nesta noite), mas deixo aqui três pitacos, para abrir a caixa de sugestões.

1) A ceia bacana no quarto do hotel, que eu recomendo para o Réveillon, também funciona no Natal. Passe a tarde em mercados e delicatessens, faça uma decoraçãozinha, fotografe tudo.

2) Se a decisão for jantar fora, eu escolheria o restaurante pelo cenário. Quanto mais bonito/extravagante, melhor.

3) Mesmo que você não seja religioso, pegue carona nas celebrações. A Missa do Galo é uma linda hora para visitar uma igreja. A noite de Natal também costuma ser pródiga em concertos. Compre os jornais do lugar, procure no google, e você vai achar alguma coisa para ter lembranças especiais desta noite.

E você? Já passou um Natal fora de casa? O que fez?

E se você mora no Exterior, o que você recomenda para um brasileiro fazer na sua cidade nesta noite?

92 comentários

Que coincidência: ontem mesmo apareceu um casal lá no blog perguntando sobre isso.

Eu sou favorável à Missa do Galo, em qualquer lugar em que você esteja. Em NY há várias opções, além da St. Patrick, que fica lotada demais e tem um esquema muito chato para entrar. Tem a St. Ignatius, que é belíssima, a St. John the Devine. Enfim, não faltam alternativas.

Se você pretende jantar fora, aconselho checar com o restaurante de sua escolha se eles estarão abertos, qual será o menu e a que custo. Não deixar para escolher um restaurante na última hora é uma boa pedida.

Uma curiosidade: os cinemas, em Manhattan, ficam lotados neste dia. Acho que quem não tem/não gosta de família se esconde neles.

A opção de voar no dia 24 é fantástica para quem não liga para o Natal. Uma vez, indo de Roma para NY com a British, éramos os únicos na executiva, e a tripulação nos deu o mesmo chapéu de Papai Noel que eles tinham, e sentaram para comer e bater papo conosco. Foi divertido.

A coisa mais importante a lembrar, como bem falou a Flavia, é abrir-se a novas experiências porque nada nunca será igual ao Natal ao qual você está habituado.

Quando era possivel reunir toda a grande-familia , passávamos muitos natais em hotéis e foi sempre uma delicia.A semana do natal costuma ter tarifas menos abusivas do que a virada e é uma ótima oportunidade para reunir todos num clima de férias de verão , eliminar a trabalheira de ceia + decoração + presentes .
Passar o natal fora é para mim um objeto de desejo ,
mas que só é viável enquanto podemos decidir para onde e quando levar os filhos .

Na Disney é cheio mas é LINDO, em NY foi no Tavern on the Green, no Rio no Copacabana Palace …esse ano no Club Med Itaparica….

Amo!

Pois é, este ano passarei o Natal com a família, em Roma.
Alguém sabe dizer se é possível assistir à missa do Galo lá em Roma? Imagino ser muito difícil entrar na catedral, mas será que é legal assistir do lado de fora?

    Natália,
    dentro da basílica de S.Pedro, só com convite, mas o povão pode assistir do lado de fora na Piazza S. Pedro, pois tem telões (pelo menos em 2007 quando estive lá, tinha). Vá preparada para o frio, pois venta bastante e a sensação térmica quase chega a zero.
    abraços

    continuando, se vc procurar uma igreja menos popular, certamente conseguirá entrar sem problemas. A catedral de Roma, a San Giovanni in Lateran, também tem missa do galo, mas em algumas o horário é diferente, não é meia-noite. Seria bom procurar na internet os horários certos.

    então Nathália, eu e meu marido também passaremos o Natal em Roma. E a idéia foi exatamente ir na Missa do Galo. Também pensamos em improvisar uma ceia no hotel, só para nós 2 mesmo.}
    Mas se alguém mais tiver sugestão de algo pra fazer em Roma na noite de Natal (que não seja gastar “rios de $” em restaurantes, rsrsrsrs) fique a vontade para entrar em contato comigo. 🙂

    Ah, Rita, obrigada pela resposta.
    Pois é, Camila, até esse post não havia pensado nas dificuldades em arrumar um restaurante para a ceia sem gastar rios de $!

    Realmente, fazer comprinhas e curtir a ceia no hotel é uma boa, principalmente estando a família toda reunida (estaremos em 5).

    Mas, se alguém tiver qualquer sugestão, fica à vontade! 😛

    Ano passado passei a noite de natal em Roma. O custo benefício do restaurante foi caríssimo. Ali perto da Fontana di Trevi tinham vários restaurantes aberto. No dia seguinte fui na benção de Natal do Papa, muito legal.

    Esse ano vou passar voando pela Tam rumo a Londres.

Taí um negócio que eu nunca fiz, acredita? Natal sempre foi em família lá no interiorrrr… Esse ano estava cogitando uma escapadela, mas ainda não consegui converser o Kiko 🙂
Vou aproveitar para ver as dicas do pessoal 🙂

    Ave… além de não aprender mais inglês, estou desaprendendo o portugês, socorro! converser = convencer … ops!

Nos últimos anos, sempre passei o natal viajando.
É bem mais barato do que o reveillon e levo minha (pequena) família comigo.
No ano passado, estávamos em Bonito e o hotel não providenciou nada. Embora eu já soubesse, fiquei meio decepcionada por não encontrar restaurantes abertos!
Bem, já deu para perceber que não sou muito religiosa, mas ficar sem jantar e sem ceia é demais, né?
Neste ano o La Torre vai oferecer ceia (já me certifiquei), mas o que mais vale a pena é pagar, por uma semana, um terço do preço de reveillon e com a economia já garantir a viagem da páscoa.
Caso eu opte alguma outra vez por um hotel sem ceia, vou seguir a dica da delicatessen (se na cidade tiver, não é o caso de Bonito) e montar uma ceia no quarto.
Quando viajo com amigos também fazemos um amigo-secreto para animar a noite.

Já passei vários. Minha família sempre foi pequena e meus pais eventualmente curtiam viajar. Não vou mencionar Miami e NY com apartamento ou casa porque aí funcionou o esquema de ceia em casa – o que também é uma delícia, fazer compras e preparar a ceia em um país diferente.

Mas rolou um Natal em Viena, jantamos num restaurante italiano arrumadinho muito gostoso, e de quebra ainda fomos ver a Missa do Galo na Catedral com coro e tudo. Foi muito bacana. Aliás eu curto a vaibe Missa do Galo em lugar estranho (tenho uma outra história, em São Francisco sobre Natal e Missa do Galo – e sacristia -, mas isso é só pro inner circle, hahaha)

Ano passado meu filho não estaria comigo. A conselho do Ricardo, caí fora de São Paulo (aliás, ainda bem, caso contrário teria passado Natal em São Luiz do Paraitinga e minhas férias teriam sido arruinadas) e fui pra Santo André na Bahia. Sozinha. Cheguei no dia 23. Dia 24 eu estava ceando numa mesa com 8 ou 10 pessoas, uma delícia, foi maravilhoso ver que é bom arriscar na vida. Recomendo.

Passei um Natal em um albergue em NY, onde jantamos (eu, uma argentina e uma australiana) uma massa com ingredientes diversos da geladeira comunitária.

Depois saímos a passear de ônibus pela cidade.

Foi divertido e diferente. Coisas que só acontecem viajando.

Eu já saí por SP procurando restaurantes abertos no calor da hora. Maior dificuldade.
Acabei achando um japonês na Liberdade e fiquei por lá. No ano seguinte, repeti a dose. Só que dessa vez fui direto ao japa.
Gostei da ideia de voar. Vou pensar nisso!

Riq! Sempre adivinhando pensamentos! Este ano vou passar do dia 24 para 25 voando, pela Air France. Estou curiosa se haverá algum tipo de comemoração ou ceia especial 🙂 embora isso não me importe muito. O duro foi aguentar a cara feia da família: Vão viajar justo nesse dia? 😀
Mas como vc disse a diferença de valores é considerável, para 2 pessoas uns 1200 reais a menos do que no dia anterior ou posterior.
Depois volto para contar!

    Fran não espere muita coisa… Minha primeira viagem a Europa foi na virada do Ano sai o RJ no último voo a deixar o Galeão em 2004.. Saimos um pouco antes da meia noite e o comandante nem sequer se dignou a dar um feliz ano novo para os passageiros e tripulação… Quanto a comida nada de novo e sem sequer um golinho de espumante para a econômica
    Mas pela diferença de valor tenho que dizer que valeu a pena.. Isso sem falar que consegui viajar deitado em 3 assentos 😀

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.