Quanto você dá de gorjeta?

Uma contaO post das 10 certezas que um viajante não deve ter acabou provocando uma discussãozinha paralela sobre em que situações se deve dar gorjeta — e quanto.

Os artigos disponíveis na internet normalmente mandam a gente dar gorjeta a todo mundo o tempo todo. Acredito que na vida real não seja assim — senão eu já teria sido muito maltratado mundo afora.

Vamos compartilhar nossos hábitos gorjetais? Vou começar com os meus. Peço aos expatriados que por favor me corrijam se disser alguma barbaridade :mrgreen:

Brasil

Todo mundo sabe que os 10% normalmente vêm incluídos na conta (quando não vêm, põem um carimbão enorme pra gente perceber) e que motorista de táxi não espera gorjeta. Para o carregador de malas, nos hotéis em que isso ainda existe, eu dou de R$ 5 (uma mala, hotel mais básico) a R$ 10 (mais de uma mala, hotel chicão). Para manobrista de estacionamento pago não dou nada. Para flanelinha, R$ 2 (mas no Nordeste até há pouco sempre me mandavam dar no máximo R$ 1).

Estados Unidos

É aqui que a coisa pega. O lugar poderia se chamar United States da Gorjetolândia e ninguém estranharia. De modo geral, só os comissários de bordo não esperam gorjetas — e talvez por isso sejam tão antipáticos…

Em restaurantes espera-se pelo menos 15% de tip, que são acrescentados por você, à mão, na hora em que o recibo do cartão de crédito vem para ser assinado (o valor a mais que você escreve é então comunicado à operadora do cartão de crédito, sem que você fique para ver o processo). Em Nova York, onde a sales tax de restaurante é de 8,75%, o costume é dobrar o valor discriminado como taxa — assim, você acaba deixando 17,50% e ninguém vai atrás de você na rua. É o que eu faço. Muitos americanos já arredondam para 20% em qualquer lugar. Na maioria dos restaurantes, mesas grandes (mais de 6 ou 8 pessoas, dependendo do lugar) têm 18% de gorjeta automaticamente adicionados à conta (nesse caso, não é necessário acrescentar mais nada).

Vai beber no balcão do bar? Eu macaqueio os locais de deixo 1 dólar a cada drink. (A propósito, é muito comum que exijam que você pague cada drink na hora, sem abrir uma conta; não é nada pessoal, são os costumes locais.)

Acredite, motoristas de táxi também se acham merecedores de 15% de tip. Ou você acrescenta, ou vai ser xingado em urdu ou ucraniano até a quinta geração.

Felizmente carregadores de mala em hotéis são uma espécie em extinção (digo felizmente porque minha mala tem 4 rodinhas e se desloca praticamente sozinha). Nos que ainda têm, dou entre 5 dólares (uma mala, hotel mais ou menos) a 10 dólares (mais de uma mala, hotel chique).

Não uso carregadores de mala de aeroportos, então não sei a quantas anda a gorjeta. Mas quem exagera nas compras acaba precisando. Quem puder dizer qual é a tabela corrente em Orlando, Miami e Nova York, por favor, grite.

Para a camareira costumo deixar entre 2 e 3 dólares por dia com um bilhetinho de Thank You na mesinha de cabeceira. O quarto fica um brinco, e tudo o que puder ser reposto de graça, será.

No mundo inteiro, guias e motoristas de passeios esperam gorjetas. 10 dólares por pessoa para passeios de van, 5 dólares por pessoa para passeio de ônibus me parece razoável.

Europa

Nos restaurantes, o serviço está incluído. Costuma-se deixar alguns eurinhos a mais.

Até onde eu saiba, taxistas não esperam gorjetas.

Carregadores de malas em hotéis? Faz tempo que não fico num em que haja carregadores, mas daria entre 3 e 5 euros.

Acredito (veja que não tenho certeza) de que o costume de deixar gorjeta para camareira seja mais americano, mas é simpático deixar uns 2 euros.

Argentina

Atenção todos os namorados e maridos que vão à Argentina forçados pelas mulheres: não, o garçom não está inventando que o serviço não está incluído. É assim mesmo. Eu acrescento 10%. Dificilmente eles deixam você incluir no cartão, mas podem trazer troco.

Carregadores de mala em hotéis? 10 pesos num hotel básico, 20 num sofisticado.

Taxistas não esperam gorjeta.

México & Caribe

Nos lugares que usam o sistema americano (gorjeta acrescentada no cartão de crédito), gorjeteia-se à americana: 15%.

Nos territórios ligados à França (St.-Martin, St.-Barth), onde esse sistema está probido, a gorjeta é 10% e já vem incluída.

Carregadores de mala ficam contentes com 5 a 10 dólares dependendo do número de malas e do nível do hotel.

Em Punta Cana teoricamente não se dá gorjeta, porque está tudo incluído. Na verdade molha-se a mão: 2 dólares por dia para a camareira fazem maravilhas pela troca de lençóis, toalhas e reposição premium do frigobar; 10 dólares na mão do seu barman favorito tornam seus drinks repentinamente fortes e feitos com bebidas de primeira linha. Para os carregadores, dê entre 2 e 5 dólares.

Japão

O japonês se ofende com gorjetas.

China

Deixa-se gorjeta em restaurantes ocidentais (10%) e dá-se para guias (10 dólares por dia). Pelo menos é isso que eu li por aí.

Você mora fora do Brasil? Viaja com freqüência para algum lugar específico? Compartilhe com a gente o que você sabe sobre o assunto gorjeta! Obrigado!

Leia mais:

94 comentários

Eu amo os japoneses…hahaha

Para mim gorjeta é uma gratificação pelo bom serviço, ou seja deve ser dada depois que ele é bem feito, jamais para ser bem feito.

É obrigação os funcionários de um hotel te atenderem bem, ou de um bar, ou de um restaurante ou onde quer que seja. Afinal, ninguém está te dando nada de graça ali, vc paga por tudo e muitas vezes paga-se muito bem.

Acho uma folga tremenda essa “obrigação” de dar gorjeta.

    Também acho, Natália. Ficar remunerando serviço ruim é brabo.

No Canadá é costume darem, aproximadamente, 10% além do que mostra o taxímetro, como gorjeta. E a má vontade dos taxistas de lá equivale à dos taxistas do RJ. Fiquei revoltada. ¬¬

Morei por 6 anos na Alemanha. Na Alemanha é comum você arredondar a conta do restaurante.
Por exemplo: 6,30 euros, você arredonda para 7 euros e assim por diante. Caso o valor seja mais elevado, por exemplo, 92,40 euros você arredonda pra 95 euros. Colocar 10% de taxa de serviço é um exagero e até o garçom vai achar muito estranho.
Não andava muito de taxi mas vale a mesma regra. Em um hotel mais simples uma moeda de 2 euros serve para o carregador de malas. Em um hotel mais chique, uma nota de 5 euros seria mais adequado.
Em geral, alemão não dá muita gorjeta. Os salários são altos! Alemão só dá muita gorjeta quando está de férias em outros países.

Vamos ver pelo outro lado do balcão. Já trabalhei um ano como garçom em um centro de eventos e em estádios de futebol de Londres. Os ingleses são 8 ou 80. Quem dá gorjeta dá sempre, não importa a qualidade do serviço. O mesmo vale para quem não dá. Já teve um convidado que eu atendi por 5 dias seguidos em um jogo de cricket. O cara me apresentou a família, falou comigo sobre o Brasil, só faltou me oferecer um lugar na mesa. Não deu nada de gorjeta. Já teve dia que eu não tava afim de trabalhar, fiz tudo de qualquer jeito e saí com 30 libras de gorjeta. Lá os garçons não se ofendem quando não ganham nada, como nos EUA. Sempre que eu noto que o garçom/bartender se esforça, seja puxando papo seja sugerindo uma cerveja nova, eu dou 10% de gorjeta.

Eu acho que sigo mais ou menos o que vc falou… nos Estados Unidos doi deixar 15% mas como já morei lá e tinha muito amigo que dependia das gorjetas para pagar a conta, pago. Idem pros US 1 por drink no bar.

Acho que faz parte do sistema deles, e quando viajo procuro respeitar os costumes

O que eu posso acrescentar com relação à França e Itália:para carregadores de mala,1 E por mala.Para taxistas,arredondo(Em Paris,o valor minimo da corrida,para agosto de 2011 é E 6,20 ).Para camareiras,como fico 5 noites,no minimo,dou 1 E por noite.Para os concierges do Hotel,dou 10 E ( isso pq faço muitas perguntas,peço muitas reservas de restaurantes ).Em restaurantes,salvo os estrelados,ou aqueles com serviço excepcional (nos quais deixo 10% do valor da conta )não deixo gorjeta,até por que está escrito nos cardápios serviço incluído.Mas se alguem que conhece melhor o assunto puder sugerir…

O Japão é realmente um país evoluído.
Engraçado… eu forço meu marido a ir à Argentina.
Riq, vc tb ataca de vidente? rs

Eu estive em abril em Los Angeles. Pelo que me lembro as únicas gorjetas que dei foram para a motorista do Transfer do Aeroporto provido gratuitamente pelo Hostel (2 USD) e a moça que servia as bebidas no bar do Hostel. (1 USD após a última dose que eu tomava).

Ninguém (taxistas, lanchonetes, lojas, etc) me xingaram por não ter dado tips (até onde eu percebi…).

Quando fui a Europa ano passado (Inglaterra, Espanha e Holanda), tirando restaurantes que já estava incluído não dei gorjetas.

Eu sigo o padrão que uso aqui no Brasil, se acho que fui atendido com respeito e educação deixo os 10% no restaurante e o troco até um certo limite para entregadores.

Eu sou mão-de-vaca quando vou pra Miami.

Já acho mais do que suficiente o pessoal cobrar US$20 por um frozen marguerita na Ocean Drive e mais 17% de gratuity.

Agora inventaram de “cobrar” US$0,50 pra caridade de cada pessoa na mesa.

Eu fujo pras lojinhas na Washington Ave. e compro minhas Coronas por lá mesmo… adoro o clima mais dark daqueles lados de South Beach 😉

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.