Real: recuperação total contra libra e peso argentino

Adaptado da minha página Turista Profissional, publicada toda terça-feira no caderno Viagem & Aventura do Estadão.

50reais

A baixa do dólar é uma das notícias mais recorrentes da primeira página. Mas a manchete esconde notícias ainda melhores para o bolso do viajante. O real já recuperou completamente o poder de compra contra pelo menos duas moedas.

A ex-poderosa libra é uma delas: R$ 3,05, mais barata do que há um ano (quando estava a R$ 3,08). Na Argentina, usando como referência a taxa interbancária, bastam R$ 0,48 para comprar um peso, contra R$ 0,52 há doze meses.(Há que se levar em conta, porém, a inflação argentina, que é bem mais elevada que a brazuca.)

Ainda não recuperamos nominalmente tudo contra o dólar (R$ 1,84 ontem, contra R$ 1,57 em agosto de 2008), mas as promoções de hotéis e do varejo deixam os Estados Unidos mais em conta do que ano passado. O euro, a R$ 2,62, ainda está sensivelmente mais alto do que os R$ 2,44 camaradas de um ano atrás (bem mais palatável, porém, do que o pico de R$ 3,20 em dezembro).

No Leste Europeu, dá empate: R$ 1 valia 10 coroas tchecas; agora vale 9,87. Só estamos apanhando do Japão: R$ 1 comprava 68 ienes; hoje não compra mais do que 52.

43 comentários

Sem querer abusar já abusando hehe, notei 2 comments num post de 2007 sobre Lisboa e já ia postar a minha pergunta…

Elizabeth
1 de março de 2009 at 23:10
estou adorando o blog e todo tipo de comentarios.
Na volta da viagem a Portugal, volto aqui para dizer o que me impressionou mais.

abs a todos.

Responder
luiza
12 de agosto de 2009 at 17:24
Se alguem puder indicar para 3 dias em Portugal, Lisboa, sintra, queluz, porto, etc.. estou muito em dúvida! tantos lugares!!
estarei por lá de trem com meus pais!!!
obrigada!!

Segue a minha:

Chego numa segunda a noite em Lisboa e saio de lá na sexta a noite, para o Brasil. De tudo que pesquisei, e meus amigos foram, 2 dias para quem nunca foi a Lisboa tá de bom tamanho. Se Paris eu vou de no máximo 4 dias, a cada vez, dá para surtar he he e ir na quarta a noite para o Porto e dormir lá até sexta, saindo com antecedência, claro, de pegar o vôo?

    Dois dias em Lisboa? Acho pouco pouquíssimo.

    Lisboa tem o Castelo, tem a Alfama, tem Belém, tem atravessar o Tejo, tem o Parque das Nações, tem Cascais, tem Sintra, tem Queluz. Tem noite alta no Bairro Alto, tem os museus novos (Berardo, do Oriente), tem Évora tão pertinho…

    Acho uma pena ficar regulando horário à noite, perder meio dia no deslocamento ao Porto (sem ver nada pelo caminho, sem Óbidos, sem leitão na Bairrada, sem Coimbra, sem Batalha) para chegar lá também se contentar com a vista e a foz, sem noite, sem cruzeirinho pelo Douro, sem Braga, sem Guimarães, e no final ainda estar perigosamente a 3 horas de viagem da cidade onde se vai pegar o vôo de volta…

    Calma, Cristina. Portugal não vai sair de lá…

    ah, vc é lindo… obrigada!!! (carinha envergonhada eu não sei fazer)

Não sei se vai baixar mais, ficar assim, ou aumentar a cotação. De qualquer forma compramos uns dólares, pra usar quando nem mais lembrarmos o quanto pagamos por eles!

    Estou fazendo a mesma coisa. Comprando umas verdinhas sempre que aparece uma oportunidade e uma folga no bolso. Se vai sair mais barato ou mais caro ninguém se lembrará na hora da viagem. Mais importante é não ter que comprar tudo de uma vez só. Isso sim causa um rombo no bolso. Comecei comprando a R$ 2,10 em junho e na última foi por R$ 1,96.

VIBANAS !!
Olhem esse site que descobri , com apes em liquidação em BZaires
Cliquem lá embaixo em last minute , e vão encontrar surpresas até para o fim do ano .
( as taxas todas, estão inclusas no preço )
😆
😆
😆

Eu tenho uma dúvida existencial sobre esse assunto: por que (raios) toda vez que eu penso em tirar meus pezinhos do solo brasileiro o real se desvaloriza??!! Foi assim quando fui para a Inglaterra em 2001 morar lá (mais de R$ 4,00 a libra), quando fui fazer um rolê pela Europa antes de voltar para o Brasil em Abril de 2002 (euro disparando), quando fui para o Canadá em Agosto de 2007 e agora em Maio quando eu fui para NY (comprei o dólar a R$ 2,30!!!). ‘Bisurdo! É só eu voltar e o valor das outras moedas caem. Só pode ser perseguição. 🙁

    Mary, por favor, me avise quando você for viajar de novo, para que eu marque minhas férias para algum tempo depois. =)

    Hahahahahahah! Ótimo comentário!
    Lá vai a resposta: férias previstas para final de Maio de 2010. Fujam dessa data, galera!

    Mary, acho que sofro da mesma síndrome!
    O real desvalorizou nas duas últimas viagens que fiz. E a próxima viagem deve ser junho/julho 2010 (bem perto da sua!) Acho que somos parte de algum cálculo louco de flutuação de moeda… 😉

    Ixi, Adri… Acho que agora é nosso dever prestar um serviço público de informação de quando não viajar a cada ano. Para 2010, já sabem. 🙂

Ontem à noite eu enchi a cara com um amigo que mora em Londres e veio passar 20 dias no Brasil.
Eu perguntei se ele não queria me vender uns pounds, e ele falou que veio só com reais de lá, comprados na agência do Banco do Brasil que fica ao lado de sua casa.
Lá, deram 3,05 reais por 1 pound, ao invés de 2,90 se não me engano, aqui no Brasil.
Esse post é o tal de serendipity pra mim 🙂
Acabei de falar sobre esse assunto, caramba!

Acho que em termos reais ficaram mais baratas as viagens para a zona de influencia do Dólar, ou seja EUA, Méxccio, e Canadá.

Na Europa, tudo continua caro, e a grosso modo, o que custa 1 Real no Brasil, custa 1 Euro na Europa.

    Não é bem assim, não.

    Diárias de hotéis a € 100 em geral trazem ofertas melhores do que R$ 100 em cidades grandes do Brasil.

    Gasolina e diesel custam entre € 0.85 e € 1.40 a preços atuais.

    Combos do Mcdonalds custam € 5,00.

A toda poderosa libra por 3 reais é inacreditável. O Euro é que custava isso alguns meses atrás.

Mas vendo o peso Argentino dá uma vontade de fazer uma loucura e partir para Buenos Aires agora.

Sobre essa questão do real perante o peso argentino, quero contar que estabeleci um padrão próprio de comparação do poder de compra.

Assim como existe o padrão Big Mac, adotei há alguns anos o padrão Zara.

É que as roupas da Zara são exatamente as mesmas em todas as lojas, em todos os países. Assim, ao viajar, eu sei se aquela roupa estava mais barata ou mais cara do que no Brasil.

Isso era possível porque as etiquetas das roupas da Zara tinham todas os preços nos países do Mercosul. Sabia-se quanto custava aquela peça naqueles países.

Quando fui a última vez a Buenos Aires, em março de 2008, isso funcionou perfeitamente. Como com 1 real dava para comprar 2 pesos, e as ropuas tinham o mesmo preço em pesos que em real, cada peça na Zara em Buenos Aires saía pela metade do preço no Brasil, literalmente!

Minha esposa foi à loucura e fez a festa!

Ultimamente, acho que a Zara se deu conta disso e triou a etiqueta com os preços internacionais de quase todas as roupas. E, na argentina, aumentou os preços em peso, para que, na conversão, custem o mesmo que custem no Brasil.

    Não vejo nenhuma razão lógica nessa politica de retirar os preços em outras moedas . Ao contrario , este é um forte argumento de venda , pois quanto melhores forem os preços , maiores serão as compras ( em se tratando de mulheres, claro ).

    Acho que eles não queriam que a gente aqui, no Brasil, descubrisse (ou pensasse) que os hermanos pagavam menos pela mesma roupa. Assim, eles cessam as comparações.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.