Santiago com neve: um dia entre Valle Nevado e Farellones

Tirolesa em Farellones

ATUALIZAÇÃO: 28/5/2013: com a inauguração do teleférico de cabine fechada, que leva a um restaurante a 3.200 metros de altitude, Valle Nevado agora tem também uma bela atração para não-esquiadores..

Testei o passeio “Excursión a la Montaña” da TurisTour, a maior agência de turismo receptivo de Santiago. Me pareceu uma maneira bem prática de ser apresentado a três estações de esqui — Valle Nevado, El Colorado e Farellones — e entender se vale a pena fazer um tour assim, em vez de ir direto a uma estação só.

Reservei por telefone, só anotaram meu nome e o quarto do hotel. Às 7h50 chegou o pequeno ônibus — vim a saber mais tarde que aquele era o tamanho máximo que um veículo podia ter para conseguir contornar os cotovelos da estrada da montanha. Comigo subiram mais sete brasileiros, todos desempacotados — mas, pelo que pude notar, fregueses de carteirinha de passeios organizados. Na meia hora seguinte, passaríamos em mais quatro hotéis e receberíamos os passageiros de outra van que tinha passado em outros três. Às 8h30 éramos vinte passageiros, todos brazucas.

O guia, muito bom, avisa que, para não ficarmos o tempo todo no ônibus, iremos só a duas estações, Valle Nevado (rapidinho) e Farellones (parada com mais tempo, já na hora do almoço). Antes de tudo vai haver uma parada fora das estações, para um contato mais livre — e grátis — com a neve. Em Farellones será possível fazer aulas de esqui. Quem estiver interessado deve traçar um sanduba ou empanada em Valle Nevado, porque o tempo em Farellones não é suficiente para almoçar e fazer aula.

Parada para alugar roupas

Pegamos a avenida Presidente Kennedy, passando ao largo de três grandes shoppings. Antes de sair da cidade, uma parada estratégica numa lojinha da Ski Total na avenida Nueva Las Condes para alugar roupas próprias para a neve. Eu tinha esquecido de levar as botas impermeáveis, luvas e gorro da viagem à Patagônia — então precisei morrer em 10 dólares para alugar botas e outros 10 dólares para as luvas.

Cinco minutos depois já estávamos no Camino a Farellones, uma estrada acanhada construída nos anos 30. São 40 curvas até chegar ao centro de esqui Farellones (de onde se continua a El Colorado e La Parva). A partir da entrada de Farellones, uma outra estrada, particular, construída nos anos 90, leva a Valle Nevado (depois de outras 20 curvas).

Já no início do caminho dá para ver que é melhor não arriscar subir por conta própria. A estrada é bastante apertada, e as curvas, fechadíssimas. Basta uma fina capa de gelo para tornar tudo megaperigoso (e obrigar ao uso de correntes nas rodas). Não há economia que valha o risco e o stress.

Vimos neve no caminho até Farellones, mas bastou passar batido pela entrada e pegar a estrada a Valle Nevado para que tudo, tudo, tudo ficasse branquinho (com exceção do asfalto).

Entre Farellones e Valle Nevado

Algumas curvas adiante de Farellones, a primeira parada do passeio. Vinte minutos para apresentações pessoais: Neve, este é o Brasileiro; Brasileiro, esta é a Neve. Este é o momento para fazer tudo o que não pegaria bem dentro de uma estação de esqui. Mas até que o nosso grupo estava bem comportadinho.

Paradinha na neve

Alugue botas, ou você vai encharcar seus sapatos

E, cá entre nós: para quem só está interessado em ver neve, pegar na neve, perder a virgindade com a neve, este será o momento mais divertido do passeio. (Para alguns, poderia até acabar ali que já estaria ótimo…)

Parada na neve

Subimos então para Valle Nevado. No caminho, uma providencial camada de gelo na estrada obrigou a uma parada não-planejada. Ótimo: deu para fotografar com calma o lindo caracol desenhado pela estrada na montanha branquinha.

Caracol no caminho de Valle Nevado

Correntes nas rodas

Caracol a caminho de Valle Nevado

O caminho para Portillo (que é a estrada de Mendoza) tem um caracol ainda mais impressionante. Mas certamente o custo x sacrifício de um bate-volta a Portillo (3 horas em cada sentido) só para ver a estrada não vale — quando tão pertinho de Santiago, a 45 minutos da saída da cidade, se pode ver esse caracolito do Valle Nevado.

Para quem só vai espiar, como nós, o caminho a Valle Nevado é bem mais interessante do que a parada em Valle Nevado. Lá em cima não há nada o que fazer além de “conhecer” a estação (Valle Nevado, este é o Brasileiro; Brasileiro, este é o Valle Nevado).

ATUALIZAÇÃO: 28/5/2013: com a inauguração do teleférico de cabine fechada, que leva a um restaurante a 3.200 metros de altitude, Valle Nevado agora tem também uma atração para não-esquiadores..

Valle Nevado

Valle Nevado: snowboarding

O principal dos hotéis de Valle Nevado

O acesso à área das pistas na alta temporada custa 33.000 pesos (66 dólares), e só se justifica para quem vai passar o dia inteiro. Me senti vagamente farofeiro. Teria sido mais entretenido usar essa hora em El Colorado, onde dá para andar de teleférico (por 13.000 pesos, ou 26 dólares).

Valle NevadoValle NevadoValle Nevado: esqui

De Valle Nevado descemos até Farellones, onde é feita a parada para almoçar (mas o almoço não está incluído).

Farellones

Enquanto Valle Nevado é uma estação de esqui tipo exportação, voltada sobretudo aos turistas estrangeiros, Farellones funciona como um playground da neve para os santiaguinos. As instalações são bem mais modestas, os ingressos são mais em conta (o acesso na alta temporada custa 10.000 pesos, ou 20 dólares) e, o que é melhor: há diversões até para quem não queira esquiar ou fazer snowboard.

Farellones: tubing

Farellones: tubing

Farellones: tubing

O maior barato de Farellones é o tubing, versão na neve dos tobogãs com bóia dos parques aquáticos. Por 7.000 pesos/14 dólares (acrescidos aos 10.000 pesos/20 dólares da entrada no parque) você compra uma hora de uso do tobogã — com direito a ser rebocado ao começo da pista (ah, se fizessem isso nos parques aquáticos…)

Farellones: tubing

Outra atração off-pistas de Farellones são os juegos aéreos — um circuito de pontes de corda e tirolesas que me deu vontade de fazer. Os participantes são transportados até o início do circuito e, depois de deslizar nas alturas, desembarcam junto ao restaurante. Custa 7.000 pesos/14 dólares extras.

Farellones: tirolesa

Farellones: tirolesa

Farellones: tirolesa

Farellones: tirolesa

Mas quem disse que o nosso grupo pôde fazer alguma dessas coisas? Como fomos almoçar, ao deixarmos o restaurante já não dava mais para se encaixar no próximo turno do tubing, e a última sessão de juegos aéreos tinha acabado de acontecer. Ou seja: a recomendação de comer uma empanadita em Valle Nevado deveria ter sido estendida a todo mundo que quisesse fazer alguma atividade em Farellones (e não apenas aos que pretendiam pegar a aula de esqui de 90 minutos).

Eram quatro e meia da tarde quando começamos a descida em direção a Santiago. Passamos na lojinha da Ski Total para devolver os itens alugados. Quem quisesse podia ficar num dos shoppings pelo caminho — um grupo pediu para descer no Parque Arauco. Cheguei ao meu hotel, no centro da cidade, um pouco antes das 7 da noite.

Minhas impressões

Baseado numa única experiência — o que é pouco, e me permite mais intuir do que dizer categoricamente –, achei que um passeio estruturado como este é interessante para quem quer ver a montanha nevada dos melhores ângulos e ter um primeiro contato com a neve.

Quem quiser usar o dia da montanha para começar a aprender a esquiar ou sobretudo para brincar na neve, acho mais interessante pegar só um trânsfer Santiago-estação de esqui-Santiago.

Para ter uma aula de esqui e aproveitar para praticar um pouquinho depois, dá para escolher entre Valle Nevado (a mais bacana), El Colorado (nível intermediário) e Farellones (mais popular/recomendável para iniciantes). Para saber os preços, é só clicar nos nomes em azul.

Mas se o objetivo for brincar na neve, iria direto para Farellones e aproveitaria o dia ao máximo.

O passeio que fiz pela TurisTur custou 28.000 pesos (56 dólares), sem entradas aos parques nem almoço.

Um trânsfer simples pela SkiTotal sai 10.000 pesos (20 dólares) ida e volta por pessoa, desde que você pegue a van num dos dois endereços da companhia — shopping Omnium (Av. Apoquindo 4900), ou Av. Nueva Las Condes 12375, na saída da cidade. Querendo ser buscado e entregue no hotel, o preço dobra: 20.000 pesos/40 dólares por pessoa.

É possível alugar roupas e equipamentos nos dois pontos de partida da SkiTotal (o equipamento completo para esquiar sai US$ 36) ou nos próprios centros de ski.

Valle Nevado

Quando ter contato com neve

Garantido: julho a meados de setembro (estações abertas e funcionando)

Possível: finzinho de maio, junho, fim de setembro até meados de outubro (estações podem estar abertas de meados de junho a início de outubro, dependendo da quantidade de neve)

Sem chance: janeiro, fevereiro, março, abril, novembro, dezembro (estações fechadas)

Post escrito em julho de 2010.

Leia mais:

Passagens mais baratas para Santiago com nosso parceiro Kayak

Encontre seu hotel em Santiago no Booking

Faça seu Seguro Viagem na Allianz Travel

Alugue carro em Santiago na Rentcars em até 12 vezes e sem IOF

Passeios e excursões em Santiago com a Viator

662 comentários

Fiz esse passeio a Valle Nevado e Farellones pela Touristour, foi um tanto quanto decepcionante. Marcaram as 7h 30 e o guia so chegou as 8h e 30 para nos apanhar, ainda fomos a varios hoteis para buscar outros passageiros. O ônibus era velho e o guia pessimo, fazia umas brincadeiras muito sem graça de humor negro, tais como : ” eles tinham de ter uma lista de nomes para o caso de acidente , a polícia poder recolher os corpos e avisar as familias”. Paramos em um galpão horroso para alugar roupas, não era a Ski Total, fui convencida pelo guia a alugar calça , casaco e bota, so nao aluguei mais coisas ( óculos, boina e luvas) porque o dinheiro acabou e nao aceitavam cartão. Ele dizia que a falta desse equipamento todo seria uma dificuldade para mim no passeio. Grande bobagem, me senti uma idiota. O almoço proposto por ele, custava a ” bagatela” de 48 reais por pessoa, em um lugar horroso chamado Montanhês, na verdade um bar, com as pessoas sentadas em pufes. Segui a sua recomendaçao e não almocei junto com o grupo, que foi a unica coisa sensata do dia.
Dois dias depois fiz outro passeio com a Turistour , para Valparaiso e Vina e foi tudo muito bom. parece que o serviço deles e meio irregular.

Ricardo Bom dia!!!

Me ajuda por favor, vou a primeira vez para o Chile e para a Neve, estou um pouco assustado pois não sei o tamanho deste frio, comprei roupas de frio, gorro, luva ( normal ), agora vem minha dúvida o onibus me pega no hotel, vou estar vestido de calça jeans, blusa bem grossa, luva e gorro na cabeça e tenis no pés, consigo alugar tudo jaqueta, calça, bota e luva para a neve na Sky total ???, Quanto fica + ou –

Obrigado me ajuda com que roupas levar e alugar por favor

    Gorro e luva são fundamentais. É bom alugar bota, porque o seu tênis vai molhar na neve. Você vai precisar de jaqueta, sim — inclusive em Santiago à noite.

Riq, você não existe hahahaha.
Morro de rir com seus post’s e, ainda mais, com suas respostas!
Te ”conheci” lá no blog da Majô e conheci a Majô lá no google. =)
Que benção, vocês dois.
Estou indo pro Rio dia 10, dia 12 pra Buenos Aires e dia 17 pra Santiago, volto 19 pro Rio e 19 à noite termina tudo e volto pra casa, em Natal. =(
Está corrido o roteiro né? (me empolguei com o saldão de balanço da vermelinha e da laranjinha)
Se sua paciência matinal já estiver ativada, me diz: o que não deixar de fazer nesses 3 lugares? O que, na sua opinião empírica, não pode passar batido?

Grande abraço

Daiana

Riq,

Muito obrigada pela resposta, e pena o guia não ter sido mais editado. Acho que muita gente ficaria interessada 🙂

Daniel,

Os ônibus chilenos costumam ser bons, principalmente os da empresa TurBus,e em especial os do tipo bus-cama. Leito com refeições quentes acompanhadas de vinho, servidas por um rodomoço, hahaha!

A Lan costuma fazer ótimas promoçôes às terças para passagens emitidas no Chile. Procure “Ofertas de Ultimo Minuto”

Não sei de quanto tempo vc dispõe, mas ao sul, Puerto Varas e os Saltos de Petrohue valem uma visita. Dali vc estica um pouco mais até Pucon. Lá há uma estação de esqui modesta, mas bastante reazoável, além de rafting e mil outras coisas interessantes.

    Daniela,
    Muito Obrigado pelas dicas! Ja vi que da pra comprar as passagens da turbus pela internet, daqui do Brasil mesmo, com antedecedencia.
    Infelizmente nao vamos ter muito tempo, uma semaninha so. Estamos pensando em dividir entre Vale Nevado, Valpo e Colchagua (“pulamos” Santiago).
    Abraços!
    Daniel

Riq, meu guru!
Sou o marido da Maria Fernanda, que te agradeceu ai em cima.
Entao, ela agradece, e eu abuso, rsrs.
Estamos montanto um roteiro de 6 dias no Chile, e queremos ver como fazer o deslocamento entre as cidades. Pode nos dar umas dicas?
01) Chegaremos no aerop. a meia noite. Algum problema de segurança pra ir pra cidade?
02) Tem como ir direto do aeroporto pra V. Nevado, ou Valparaiso ou Colchagua? E nessa hora ruim que vamos chegar, tem?
03) Existe transporte publico bom entre as cidades? Sabe os horarios que funcionam? Existe um site bom pra consultar (ou é bagunçado como aqui?)?
04) vale a pena alugar carro pra fazer essas viagens?
05) Melhor se hospedar em cada cidade em ou é melhor ficar em Santiago e fazer bate volta?
Riq, sei que é pergunta pra caramba e que a internet taì pra isso. So se voce souber de bate-pronto.
Brigadao!

    1) Para ir ao centro, problema nenhum. Táxi a 30 dólares.
    2) Daria pra ir a Valparaíso de carro, mas acho muito tarde. Colchagua é longe. Acho que fica mais barato vocês dormirem no hotel que tem no próprio aeroporto, um Holiday Inn Express, e partir na manhã segiunte.
    3) Ônibus: http://www.turbus.cl/commerce/inicio.jsp .
    4) Sim, se você curte dirigir. Para Valle Nevado por favor leia o que eu escrevo neste post.
    5) Santiago está muito bem posicionada para bate-voltas — menos para o vale do Colchagua. Mas há o Valle de Casablanca, entre Santiago e Viña/Valparaíso. Para quem curte gastronomia e vida noturna, dormir sexta e/ou sábado em Valparaíso é interessante.

    https://www.viajenaviagem.com/category/santiago
    https://www.viajenaviagem.com/category/valparaiso

Oi Riq!

Acompanho seu trabalho (revistas e blogs) há bastante tempo e sou super-fã!

Viajo desempacotada há oito anos e não consigo me imaginar de volta numa excursão. Mesmo quando usava excursão/pacote, o fazia pq não tinha o know-how pra fazer diferente, mas sempre me incomodou, achava tudo muito militaresco.

Não sou tímida, mas nunca havia comentado por aqui antes. Com certeza deixarei de ser uma fantasminha.

Anos atrás esqueci numa pousada em Itacaré meu guia Freires, e nunca mais consegui encontrar novamente para comprar. Ainda é editado?

Esse post sobre Santigo me fez salivar só pensar no Mercado Municipal e seus pescados.

    Só foi editado uma vez, Daniela, em 2001. Em 2002 eu pus uma parte do conteúdo na internet, e atualizei só até 2004. No segundo semestre vou trazer o conteúdo inteiro de praias aqui pro site. Volte sempre!

oi Ricardo! Gostaria de dizer que eu e meu marido seguimos fielmente suas indicações e adoramos ler seu blog. Nossa lua-de-mel foi inspirada por uma reportagem sua sobre o litoral entre Recife e Maceió (e recomendamos).
Estamos indo a Santigo em agosto e adoramos as dicas que vc nos proporcionou! Fazemos parte das pessoas antenadas e desempacotadas!
Obrigada

Nossa, despculpa! Procurei no google antes, e não foi por não acreditar, é pq queria saber mais informações sobre a neve, como estariam as condições de esquiar, se iria encontrar transfer etc. A Touris Tour, por exemplo, só faz a escursão relatada no post até dia 30/09. Se é assim, melhor fingir que não perguntei ou então não fazer um blog nesses moldes. No texto não está claro que Farelones faz parte de El Colorado, tanto que no início você escreve: “ser apresentado a três estações de esqui — Valle Nevado, El Colorado e Farellones” e nas minhas buscas na internet tb não consegui identificar isso, tanto que tem um site para cada.
De qualquer forma, obrigada não só por esta, mas por todas as informações úteis e interessantes que o site nos proporciona.

    Clarice, para usar o blog mesmo nesses moldes é preciso entender que do lado de cá existe um blogueiro, não um plantonista de telemarketing do blog.

    Pense melhor antes de formular suas perguntas. “Onde você encontrou essas respostas?”, assim, seco, sem contexto, dirigido a uma pessoa que mesmo depois de escrever um tratado cheio de links foi buscar uma informação extra que você solicitou, é extremamente mal-educado. Eu tenho todo o direito de me sentir ofendido.

Ricardo, onde você encontrou a informação do fim da temporada? E em Farellones, termina quando?

Ricardo, desculpe a pergunta boba, mas vc sabe se em fevereiro há neve lá… ? É que estou querendo conhecer Santiago e Buenos Aires em fev/11 nas minha férias. Bem que eu queria matar dois coelhos com uma cajadada só, neve, vinho…

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.