St.-Barth para duros :-)

Gouverneur, St.-Barth

Poucos lugares do Caribe são tão metidos quanto Saint-Barthélemy. No inverno do Hemisfério Norte a ilha vira uma espécie de Saint-Tropez des tropiques. O porto de Gustavia, a pequena capital, fica lotado de mega-iates que chegam antes de seus donos. Celebridades de todos os quilates desembarcam às dezenas, em busca de uma temporada de sol, rosé e paparazzi.

Gustavia, St.-Barth

O que quase ninguém sabe é que não é preciso ser quaquilionário para ficar íntimo de St.-Barth (na grafia francesa) ou St. Barts (como preferem os americanos). A ilha não é freqüentada apenas por quem pode pagar hotéis de €700 a diária ou passar as noites entretido em menus-degustação nos restaurantes top. Se a sua carteira não é tão recheada, basta seguir os europeus descolados e aproveitar a estrutura voltada para os ilhéus.

Gustavia, St.-Barth

Muito além do hype. A badalação é um dos grandes atrativos de St.-Barth, mas não é o único. Até porque a temporada do ver-e-ser-visto é curta — começa no Natal, experimenta o auge no Réveillon e vai murchando aos poucos até desaparecer depois da Páscoa.

Gouverneur, St.-Barth

Em qualquer época do ano — inclusive durante a altíssima temporada — St.-Barth vale a pena por inúmeras outras razões. Não só pelo que tem (praias lindas, por exemplo), como sobretudo pelo que não tem. A saber: St.-Barth não tem prédios verticais, não tem hotéis enormes, não tem estrutura para atender a grandes navios de cruzeiro, não tem shoppingões. Você pode vasculhar a ilha de cima a baixo, e não vai encontrar um pingo de mau gosto. Não é preciso estar em ambientes caros para apreciar a beleza e usufruir do charme do lugar.

Flamands, St.-Barth

Hotéis BBB? Voilà. St.-Barth começa a se tornar viável para mortais quando você abdica de um endereço glamouroso ou de uma localização pé na areia.

stbarth-ape1Auberge de Terre Neuve, St.-Barth

Entre as pechinchas encontráveis na ilha, a maior é um flat que vem com um carro incluído. Ou seria o contrário? O Auberge de Terre Neuve pertence aos mesmos donos da locadora Gumbs, e por isso oferece um bem-bolado imbatível, incluindo o carro na jogada: você aluga um apartamento com varanda, cozinha equipada, wifi e a chave de um jipinho Suzuki Jimny. O check-in e o check-out são feitos no aeroporto, no guichê da locadora. Com o seu jipinho você chega em 5 minutos à bela praia de Flamands – e em pouco mais do que isso a Gustavia.

No centro, o Sunset Hotel tem quartos básicos porém charmosinhos . Perto da areia, o melhor negócio é oferecido pelo hotel Salines Garden, que tem cabanas a preço de pousada na Bahia, com café da manhã incluído.

Grande Saline, St.-Barth

Modo de usar. Bem-instalado num hotel abordável e com um carrinho à disposição (item de primeira necessidade), é hora de aprender a curtir o dia a dia de St.-Barth à maneira low-cost.

Não é difícil. As duas melhores praias da ilha, Gouverneur e Salines, são públicas, selvagens — e gratuitas. Outras areias são ocupadas por clubes de praia esnobes, como o Nikki Beach e o Tom Beach na praia de St.-Jean, mas em Gouverneur e Salines toda atividade comercial é proibida. Os freqüentadores levam geladeirinhas equipadas com bebidas e queijos comprados no supermercado, mais saladas e sanduíches escolhidos a dedo num dos inúmeros traiteurs — delicatessens, em francês — de Gustavia e St.-Jean.

Shell Beach, St.-BarthShell Beach, St.-Barth

Nada impede que você leve a sua geladeirinha a praias onde há lounges. Muita gente faz isso em Shell Beach, a praia mais próxima do centro (se você está em Gustavia, pode ir a pé), onde fica o badalado bar Dõ Brazil, do ex-tenista Yannick Noah (que é casado com uma brasileira).

St.-Barth, menu do dia num restaurante do centrinhoLe Sélect, St.-BarthRestuarante L'Entr'acte, St.-Barth

O happy hour mais tradicional da ilha é num sujinho do centro, o Le Sélect, onde as Heinekens (tamanho caçula) saem por módicos €3.

Em vez de seguir a lista das revistas chiques, siga a sua intuição, e você vai descobrir lugarzinhos como o restaurante L’Entr’acte, no deque da marina de Gustavia, ou a delicatessen italiana Kiki e Mo, em St.-Jean, e comer por bem menos do que gastaria em Camburi ou Búzios.

Depois de alguns dias nesse esquema você vai se dar conta de que a sua estada na ilha mais metida do Caribe está praticamente econômica – e de repente vai se animar a fazer alguma extravagância, como marcar um jantar no célebre Maya’s e entregar-se aos mojitos de €8 do hotel Tom Beach (ou do vizinho Nikki Beach), na praia de St.-Jean, e às noitadas muito loucas do ‘Ti St.-Barth.

Praia de St.-Jean, St.-BarthPraia de St.-Jean, St.-BarthBar La Plage, hotel Tom Beach, praia de St.-Jean, St.-Barth

Como chegar. O acesso a St.-Barth é feito via St. Maarten/St.-Martin, e pode ser por aviãozinho ou barco.

Teco-teco a St.-Barth

Teco-teco a St.-Barth

Várias cias. aéreas operam o trecho em monomotores que levam menos de 15 minutos na travessia — a aterrissagem é de arrepiar os cabelos, porque o teco-teco dá um rasante acompanhando o declive de um morro e precisa frear antes de alcançar a areia. Saindo do aeroporto do antigo lado holandês (hoje St. Maarten é independente), a Winair voa desde US$ 200 ida e volta. Saindo do lado francês, a St.-Barth Commuter cobra desde €120 ida e volta.

Teco-teco a St.-Barth

Aterrissando em St.-Barth

De barco, a Voyager opera rotas a partir de dois pontos de St.-Martin. Saindo de Oyster Pond (a primeira praia francesa da costa leste da ilha), a viagem leva 30 minutos. Saindo de Marigot (a capital, que fica na costa oeste), a viagem leva 60 minutos. Há pelo menos duas saídas diárias, pela manhã e à tarde (nem sempre do mesmo porto). O Great Bay Express faz a viagem em 40 minutos, saindo de Philipsburg.

Gouverneur, St.-Barth

Leia também:

Todas de St.-Barth no Viaje na Viagem

Guia de St. Maarten

Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire

122 comentários

Olá pessoal,

Adoro as dicas do Ricardo e de todos vcs! Minha pergunta é: dá prá se divertir sozinha em St. Barth? Estou pensando em ir prá lá em abril’13.

Já viajei bastante sozinha e sempre curti, mas confesso que agora estou mais “preguiçosa” prá esse tipo de aventura. Se não for prá lá, capaz de ir para Paris/Provence ou prá Orlando mesmo, que é sempre divertido.

Outras sugestões de roteiro são super bem-vindas!

Abs,

    Olá, Cláudia! Abril não haverá a muvuca do Réveillon. Mas sempre dá para conhecer gente interessante.

Acabo de chegar de Lua de Mel,e não poderia deixar de descrever a minha viagem aqui:

1 noite no Panamá,2 noites em San Barths e 9 noites em San Maarteen.
Voamos pela Copa até o Panamá;aqui começa a dica nº1:Fique atento aos horários dos voos da Copa que costumam ser de madrugada.Após o casamento relaxamos tanto que perdemos o nosso voo que estava marcado para o dia 15/10 às 13h50, com o corre corre do casório nunca mais olhamos a passagem e deu no que deu segunda dia 15/10 às 12h00 eu deveria estar fazendo o check-in em San Marteen,e estava em casa quando a agência de viagem me liga dizendo que haviamos perdido o voo.
1- que bom que eles ligaram,pois já estavamos programando a nossa chegada no aeroporto jurando que embarcaríamos no dia 15 à noite,rs.
Só conseguimos embarcar no dia 17/10 e com uma condição de dormirmos um dia no panamá e foi maravilhoso o hotel em que ficamos é bem próximo ao aeroporto e chama-se Riande tem uma ótima piscina,transfer do aeroporto gratuito para o hotel.Tinhamos uma sugestão para jantarmos na marina,mas desistimos assim que o taxista cobrou 180,00 dolares.Então resolvemos ficar no hotel mesmo e não nos arrependemos,pois o mesmo tem um restaurante bem legal.Eu voltaria nesse hotel com certeza.
Dia 18/10 embarcamos para San Maarteen o voo foi super tranquilo,fomos muito bem recebidos no aeroporto pelo Stephan que virou nosso amigo na ilha.Como chegamos as 11h30 e nesse horário não há barco para San barths tivemos que esperar até às 19h00 onde pegamos o Barco Voyager(eu não passei mal,mas o meu marido passou e muito).
Antes nos tinhamos reservados 3 noites no Eden Rock,mas com toda essa confusão só confirmaram 2 noites ,e lá estavamos nos naquele paraíso sem fim,e isso sem contar o atendimento do hotel maravilhoso,cozinha perfeita,quarto impecável e tivemos direito ao 1 carro por conta do hotel.
No outro dia pegamos o nosso carro e partimos com uma mapa na mão e fomos conhecer a ilha.Todas as praias são lindas ,mas Gouveneur e Shell Beach foram as minha preferidas,sem contar a própria praia do hotel (st jean )que também tem a sua particularidade.Jantamos uma única noite no hotel e achamos o valor um pouco salgado gastamos 150,00 euros,então na segunda à noite fomos ao um mercadinho que fica em frente ao aeroporto e compramos queijos e vinhos maravilhosos.
Dia 20/10 voltamos para San Marteen e ficamos hospedados no Sonesta Maho Beach quando chegamos ficamos chocados com a diferença de San Barths;a localização do hotel é excelente,mas o hotel é muito cheio e para piorar estava em reforma,não ouvimos o barulho de nada ,mas o guindaste estava lá e junto lagartos de todos os tamanhos.Para esse hotel eu não voltaria.
Aqui alugamos um carro e fomos conhecer a ilha.
Quanto as praias todas são lindas,mas recomendo as do lado francês são maravilhosas como: Grand Case,Orient Beach,Anse Marcel que fica dentro do Radisson Blue;e nesse mesmo caminho existe uma reserva natural de pelicanos muito interessante.
As padarias do lado francês são espetaculares entre elas Seraphina,hum.
Melhor lugar para as compras é sem dúvida o lado holandes,aqui você pode encontrar joias,tenis,brilhantes maravilhosos,perfumes e óculos.
O passeio mais esperado foi o encontro com os golfinhos que aconteceu em uma ilha chamada Anguilla aqui é necessário levar o passaporte,pois é uma ilha britanica.Aqui nadamos e brincamos com os golfinhos foi maravilhoso.
Outras dicas:
a)Mulheres caso queiram comprar shampo da Kerastase ou Morroconoil esses vocês vão encontrar dentro de salão de beleza;o shampo custa 25,00 dolares e compensa muito perto dos preços daqui.
b)Fomos jantar em um restaurante chamado Farm Tourist é maravilhoso fica entre Grand case e Orient Beach tem uma placa com o nome de Pic Paradise.
c)Ver o por do sol no Sunset é muito bacana e o hamburguer deles é bem saboroso.
d)Levar Repelentes`
e)a saída da tomada é diferente da nossa caso precise carregar a bateria da máquina dirija-se a recepção do hotel.
f)O aeroporto do Panamá é muito frioooooooooooooooo

Duty Free
Do Panamá é maravilhosoooooooooooooooooo
De São Paulo achei que o da volta estava com um preço mais legal do que o da ida.
O preço da Mac no Panamá é mais barato.

    Olá Fernanda preciso de uma ajuda.

    Irei passar o natal e reveillon em St. Maarten/St. Martin e St. Barth. Minha escala no Panamá será rápida, apenas 40 min de espera.

    O Duty Free do Panamá tem eletrônicos também?
    Eu estou precisando comprar uma Máquina Fotográfica da Sony nex c3. Você viu se têm digitais para vender no Duty Free do Panamá?
    Os preços são bons no Panamá ou melhores em St. Maarten?

    Obrigado.

    Olá, Pablo! O Panamá tem preços melhores, mas em 40 minutos você não terá tempo de passar no free shop não.

PelaMordiDeuz

Que lugar lindo! E eu que moro aqui, praticamente ao lado, em Roraima, já estive diversas vezes em ilhas no Caribe. Mas, sempre protelando à ida em St. Barth e Marteen. Depois desse relato, sem dúvidas, meu próximo roteiro de viagens.

Qualquer hora relato algumas aventuras do ABC caribenho dentre outras.

Parabéns pela riqueza dos detalhes.

Angello Birman
Roraima

Olá!
Uma amiga vai para o Caribe, veio me perguntar algumas coisas e eu disse para ela vir correndo para cá para pegar tooodas as dicas.
Aí me dei conta que as minhas últimas viagens foram todas planejadas com o que pesquisei por aqui… e deu tudo tão certo!

Então me dei conta que nunca deixei nenhum comentário aqui agradecendo o Ricardo (Ricardo, um beijo!). E nem para falar como foi tudo.

Então decidi falar um pouco sobre os dias que passei em St Marteen e St Barth. Foram 11 dias no total.

Primeiro ficamos sete noites no hotel Westin em St Marteen (seguindo sugestão do Ricardo!!) e adoramos!

No primeiro dia você já acha a praia do hotel incrível! Até conhecer as outras.

Mullet Bay também virou minha preferida, estive três vezes lá e sonho com aquele lugar até agora…

Alugar carro é obrigatório mesmo, o bar perto da praia dos aviões é uma delícia, brincar de ficar perto quando as turbinas dos aviões são ligadas tem graça não, mas há quem goste…rs

Trânsito ruim, ruim… obras… mas não foi um grande problema.

O preço de bebidas é incrível. Mercados duty free em todo lugar. Vodka, whisky, champa… tudo baratin, baratin… Fazer a farofa chique e levar tudo pra praia é perfeito! Não esqueça de levar a sacola térmica ou o cooler aqui do Brasil, encha de gelo no hotel e seja feliz o dia todo em alguma praia linda. Opção não falta.

De lá seguimos para St Barth. Outra experiência. Coisa fina, gente! Ficamos hospedados em uma pousadinha chamada Salines Garden. Indico muito. Honestíssima. O dono é um francês desencanado e gente boa. Não tinha mais ninguém hospedado por lá, ele só vinha conferir se estava tudo bem com a gente no café da manhã e sumia! Ficamos sozinhos na pousada e foi ótimo, super privativo. Sorte mesmo.

Tem uma mini cozinha, então compramos coisinhas ótimas no supermercado e fizemos jantarzinhos com produtos tipicamente franceses. Um luxo!

Ah, foi o próprio dono da pousada que agilizou o aluguel do jipinho para a gente.

Pra comer em restaurantes, é caro. Não dá pra fazer compras em lugar nenhum, a não ser no supermercado. Tudo carésimo. Nesta hora, dá saudade de Saint Marteen. Mas passa logo. As praias de Saline e Gouverneur são incriveis. Comprar baguetinha, queijinho, levar o champanhe que vc comprou barato em Saint Marteen (não se esqueça disso, traga bebidas da outra ilha!) e seguir para um dia de praia é o programa.

Será que eu vou ver aquele azuuuuuul que todo mundo fala??? Vai! Nas duas ilhas. Azul bebê na veia!!!

Tem muito mais, mas acho que o mais importante é isso. Você vai gostar, eu garanto!

Acabo de voltar de St. Barth, em Lua de Mel, seguindo o roteirinho para duros! Funcionou que é uma beleza! Jojo’s BUrger é o melhor que já comi na vida!

Fiquei no Christopher e voltei encantada! Não esperava tanta qualidade pelo preço que paguei! Quem quiser experimentar, é melhor correr, poque ouvi dizer por lá que até o fim do ano o hotel vai subir na classificação e ficar bem mais salgado pra quem está buscando uma St.Barths light!

    Clara quanto deu sua viagem aproximadamente? Voce saiu do brasil de qual cidade? Quantos dias ficou? Quero ir pra la em janeiro, so que tenho varias duvidas!rs
    Qualquer coisa me manda um email
    [email protected]

Comandante e bóias, preciso de um pequeno auxílio.

Qual restaurante recomenda para um jantar especial, o Maya’s mesmo?Para reservar, email em Ingles funciona (leia-se bem recebido)? Meu frances é ainda très pauvre :(.

Merci!

    Olá, Philipp! Todos em St. Barth falam inglês, não se preocupe.

    O Maya’s é o restaurante mais autêntico da ilha, mas é bastante despojado. Não espere luxo.

    Como cenário/localização/vista, um restaurante que impressiona mais (mas sem ser rebuscado) é o Bonito. Reserve uma mesa com vista.

    http://ilovebonito.com/

    Contato fácil e simpático, reservado! B-)

    Obrigado pela dica

    Espero apenas que o tempo melhore, pois anda chovendo bastante por lá.

Christiano

Apenas complementando a info da Boia, a saida de Marigot leva 1h 15 e a saida de Oyster Pond leva 40 minutos. Para quem nao gosta muito de barco ou tem risco de enjoo, a melhor opção é por Oyster Pond, mas fica uns 45 minutos do aeroporto em função do pessimo transito na ilha de St. Martin.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.