Suas verdinhas: a alta do dólar e as viagens para o exterior

Fonte: Oanda[Dólar x Real: 1 ano de gangorra. Fonte: Oanda]

Todos perguntam: a alta do dólar veio para valer? O dólar vai continuar subindo? Vai baixar?

O fato é que os economistas só perdem para os comentaristas de futebol, os meteorologistas e as mães dinás no quesito confiabilidade de previsões. E não vai ser a um mero blogueiro de viagem que vai se meter a futurólogo, concorda?

O que eu posso fazer é um panorama do jogo jogado: como as coisas (e a nossa cabeça) funcionam nesses momentos de instabilidade cambial.

O que sabemos desta vez é que o governo está tentando desvalorizar o real já há algum tempo, e a crise grega está apenas dando um empurrão mais forte. O real é uma das moedas mais valorizadas do mundo, e nessas crises acaba desvalorizando mais do que as outras (até mesmo que o combalido peso argentino…). O governo só deixará de ter interesse na valorização do dólar se isso causar pressão inflacionária. (Mas como já vimos repetidas vezes, nem sempre a vontade cambial do governo é seguida pelo mercado.)

Ou seja: a única certeza que temos é que, nesse exato momento, o governo não está muito preocupado em salvar sua viagem ao exterior. Se o dólar vai continuar subindo ou vai voltar ao patamar anterior, só os economistas, os meteorologistas, os comentaristas de futebol e as mães dinás poderão dizer.

Fonte: Oanda

[5 anos de câmbio. Fonte: Oanda]

–> O dólar de 2 reais é muito caro?

Comparado ao dólar de R$ 1,55 de julho de 2011, está caro. Mas se o seu parâmetro for o dólar de R$ 2,43 de dezembro de 2008, ainda está atraente.

A subida atual começou no final de fevereiro de 2012, quando o dólar estava em R$ 1,71. O soluço cambial anterior tinha se dado entre agosto e outubro de 2011, quando o dólar passou de R$ 1,60 para R$ 1,81. Desde então estava num sobe-e-desce mais ou menos suave.

O que aconteceu na subida de 2011 foi um susto inicial, que durou mais ou menos um mês, seguido de acomodação geral. Todo mundo continuou viajando com o dólar de R$ 1,75-R$ 1,80 como se ele ainda estivesse a R$ 1,55.

Será que nos conformaremos tão fácil assim com o dólar de R$ 2? (Meu palpite: sim.)

–> Passagens aéreas

O preço das passagens acaba sendo o menos afetado pelas mudanças cambiais. Dólar barato aumenta a procura, que por sua vez eleva as tarifas — então a situação de dólar barato com passagens caríssimas (ao menos nos vôos diretos) é bem conhecida da gente. Com o dólar subindo em reais, o recuo da procura pode causar uma baixa da tarifa em dólar, o que acaba equilibrando a conta.

(A maior ameaça neste quesito é o preço do petróleo, que ao subir empurra as tarifas para o alto).

–> Pacotes

Nessa fase de assimilação de dólar novo é interessante dar uma olhada nas ofertas das operadoras. Muitas têm bloqueios a preços antigos e, ao sentirem retração de procura, vendem seus pacotes com dólar “congelado”. (Mas sempre é bom comparar com o que você consegue por conta própria, porque esse momento também é próprio para maquiagem de preço.)

–> Hotéis

Continua valendo a máxima de reservar com 3 meses de antecedência — que é quando os hotéis costumam liberar as tarifas descontadas nos sites de reservas. Quem tem sangue frio de esperar até a última hora também pode conseguir ótimas ofertas (mas se o destino estiver aquecido naquelas datas, vai acabar pagando caríssimo).

–> Como fazer uma viagem mais econômica

Viajando slow. Quanto menos deslocamentos, menos cara fica uma viagem. Quando mais você fica num lugar só, mais condições tem de curtir o lugar sem as sobretaxas que o turista apressado precisa pagar (táxi, passeios organizados, restaurantes em áreas turísticas…).

–> Como juntar dinheiro para viajar

Os economistas dividem os investidores em “conservadores” e “agressivos”. O jeito conservador de juntar dinheiro para viagem é ir comprando moeda forte aos poucos. Se você precisar de liquidez, compre dólar ou euro cash. Se tem certeza de que vai usar o dinheiro só para viagem, é mais seguro e prático fazer um cartão tipo Travel Money e carregar com um pouco de moeda forte todo mês.

O segredo de juntar dinheiro aos poucos é esquecer a cotação que pagou: 1 dólar comprado vale 1 dólar, e só. Você está investindo numa viagem, não num resultado porcentual.  Se conseguir realizar a viagem na época esperada, o investimento terá sido bem-sucedido.

Leia também:

Como enxugar seu roteiro

Siga o Viaje na Viagem no Twitter@viajenaviagem

Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire

Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem

Assine o Viaje na Viagem por emailVnV por email


118 comentários

Riq,
eu fico rindo quando leio “Quem tem sangue frio de esperar até a última hora também pode conseguir ótimas ofertas (mas se o destino estiver aquecido naquelas datas, vai acabar pagando caríssimo).” Welcome to my life, vc sabe que por mim era esse prazo, mas com meu marido é mais emocionante. Agora por exemplo não consigo vôo para o Peru…o agente não me responde.

Eu compro moeda de vez em quando e sempre sobra, então nunca sei quanto custou. È o melhor para não se preocupar (Mari, eu e minha mãe fizemos isso com uma grana considerável nessa mesma época, nem lembrei quando fui gastar para não ficar deprimida…)

Vou em novembro para NY(minha 1ª viagem pros EUA) e já estava ficando desesperada. Mas quando li este post, me acalmei. Ainda bem que as passagens já estão compradas e o aluguel do apartamento pago. Agora é fazer comidinha e lanchinhos em casa, visitar museus e parques, esquecer o consumismo desenfreado e andar muuuito!

    Naila, estou na mesma situação. Vou em setembro para NY com mais 2 pessoas e queria alugar um apto também. Você tem alguma recomendação do que vc alugou? pode me passar o link?

    Raffaela:

    aluguei neste site: AirBnB

    Peguei a dica aqui neste site.

    Veja em que bairro você quer se hospedar e comece a procurar. Leia os comentários de quem já se hospedou no imóvel escolhido e boa sorte!

    Meninas,

    Ano passado, fui a NY em setembro. Cheguei dia 18, com dólar a 1,78 (pela manhã). À tarde, estava 1,85. Fui dormir tenso.
    Dia 19, ele custava 1,95 e no dia 20 tinha estourado os 2 reais.

    Não estava mais tão tenso porque tinha tirado grande parte do cascalho no primeiro dia, a 1,85 (à tarde) e fui gastando o dindin aos poucos. E me acalmei, já que estava em NY 🙂

    Nos últimos dias fiz uns saques a 1,94, mais ou menos.

    Em dezembro, ele tinha voltado pros 1,7X e poucos e meus custos em viagem (incluindo compras) tinham aumentado uns 15%…

    Mas estou vivo e foi ótimo. Não se estressem com isso. E tenham uma ótima viagem.

É aquela coisa né? Praticar o verbo “turistar” mais do que nunca…comprar muito?Já fica mais difícil. Mas olha que tem coisas que mesmo com dolar a R$ 2, ainda sai muito mais barato que aqui. O jeito é priorizar,mas não deixar de viajar jamais!!

Bem, eu ontem comentei sobre o assunto no post sobre passagens multidestinos. Não tenho maiores problemas em juntar a moeda estrangeira para os gastos de viagem (hospedagem, transporte local, alimentação, passeios, etc). Todos os meses, eu faço uma recarga de um valor determinado no meu VTM em Euros, embora possa dizer que como o Euro também aumentou, essa recarga ultimamente tem custado mais. Além disso, também posso injetar valores mais específicos, como restituição do IR, 13º e 1/3 de férias).

O problema é mesmo a passagem aérea internacional, ao meu ver. Ontem eu resolvi comprar de vez a passagem para a minha Eurotrip de fevereiro de 2013, pois vi bem que o dólar não está com cara de que vá baixar a curto prazo. Só posso dizer uma coisa: Doeu!!! 🙁

Para se ter uma idéia, eu comprei uma passagem multicity (pela TAP), com o trecho intercontinental vinculado aos trechos internos (tanto pela TAP como pela Lufthansa). A base tarifária da passagem integral foi de US$ 1074,00. Em reais, já com as taxas aeroportuárias, ficou em R$ 2.558,80.

Para se ter uma idéia do “rombo”, em 2011, eu fiz uma Eurotrip em outubro, tendo comprado também uma passagem multicity pela TAP num esquema semelhante, e a base tarifária era EXATAMENTE os mesmos U$ 1074,00. Quando comprei essa passagem em março de 2011, o valor pago em Reais foi de R$ 1.861,00.

Ou seja, uma “pequena ” diferença de quase R$ 700,00… Não é algo muito agradável, não! Eu peço humildemente a permissão do Ricardo Freire para discordar da posição dele de que a alta do dólar não interfere muito nas passagens internacionais :p

Abs,

Cris (agora em, preparativos oficiais para Londres – Munique – Viena – Praga – Berlin – Paris – Lisboa em fevereiro de 2013)

Também concordo muitíssimo; acho que nos acostumaremos rapidinho com o dólar a R$2, ainda mais agora que o brasileiro já se acostumou mesmo a viajar para o exterior. Amei mesmo o último parágrafo, genial : “o segredo de juntar dinheiro aos poucos é esquecer a cotação que pagou” (até porque ainda lembro que no final do governo do FHC cheguei a comprar dólar perto de R$4 reais. Melhor esquecer messs :mrgreen: )

O dólar não é o único afetado, o Euro e a Libra também dispararam nos últimos 3 meses.

Euro:
15/02/12: 2,25
22/05/12: 2,61
Variação: 16%

Libra:
21/02/12: 2,67
22/05/12: 3,23
Variação: 21%

No meu caso, que vou viajar em julho para a Europa, o cenário é bem desesperador.

    Vou viajar mês que vem e tb estou preocupado. Sorte que eu já havia comprado euros no VTM a R$ 2,40. Pelo menos diminui um pouco o prejuizo. A dúvida agora é: compro mais euros agora ou em junho pago as despesas no cartão de crédito para ver o que dá? O que voc~es fariam no meu lugar?

    Cartão de crédito paga o IOF de 6,18%, portanto não é vantajoso. É sempre melhor comprar a moeda.
    A tendência com a crise da Grécia é que o EURO possa cair, pois os investidores vão correr para o Franco Suiço, Dólar e Iene, que são moedas mais fortes.
    Hoje, já caiu um pouco.
    Viajo no final do ano e estou na torcida para isso acontecer.

    Nesse momento, o Euro esta em queda e a cotação esta em 2,49, tomara que caia mais!

Desde que me entendo por gente, o dólar prega essas peças na gente. E vamos combinar, já foi muito pior. Viajar para “fora” do país era “coisa de rico”, rico mesmo. Com alta ou com baixa, ainda acho que é o melhor dinheiro gasto. Não tenho nenhum arrependimento de gastar doletas, euros ou libras. O que dói mesmo é gastar reais, e vê-los nos bolsos e cuecas de nossos políticos e afins.
Mas pelo que vejo, nosso governo está mais é afim de atulhar nossas cidades com carros 0km. Cidades completamente despreparadas! Para carros, e para pessoas. E transporte público, estradas decentes, infraestrutura? Para o governo, quanto menos gente sair do país e vir que lá fora, apesar da crise, ainda é mais civilizado do que aqui, melhor, né?

    Concordo com você. Fazem-nos acreditar que eles estão em crise e nós estamos bem, mas, em viagens recentes, vi que é bem o contrário.

    O governo continua jogando a conta em cima do povo, ao invés de fazer investimentos, ele prefere aumentar o consumo e consequentemente a inflação. Comprei em janeiro uma passagem para Florença com escala em Paris, continuei acompanhando os preços, lá pelas tantas, vi que se tivesse deixado para comprar em março, teria economizado uma boa grana, pois o preço caiu.

Eu estou planejando uma viagem à Paris em fev 2013, e estou acompanhando com muito nervosismo a escalada dos preços pela TAM. Estou apavorado, pois não sei se devo comprar agora, esperar mais ou esperar mais ainda! Só pra ter uma idéia: em jan, R$967 cada trecho. Em fev, R$986. Em março, R$1028,00. Em abril, R$1066; Em maio, R$1094; Será que é pelo momento de indecisão, ou este crescimento continuará até fev??? O que eu faço, mães dinás, economistas e futurólogos de plantão? 🙂 🙂

    Marco,

    compra logo essa passagem, divide em 10 vezes, quando for viajar já estará tudo pago… E esses 100 ou 200 reais de diferença, no custo total de uma viagem ‘movida à euro’, você não vai nem sentir.

    Oi, Marco!

    Se eu fosse você, compraria a passagem hoje mesmo! Mas, é só um palpite!

    Abraço,
    Vladimir.

    obrigado pelas dicas! Acho que vou comprar de uma vez, só não sei se vou conseguir não ficar acompanhando os preços, e encontrar aquela promo de última hora quando for tarde demais, hehehe. Ah, e os 200 reais até que fazem diferença sim, somos em 05!! Abração e obrigado!!! 🙂

    Marco, vê na decolar pq lá as vezes é mais em conta. comprei agora Rio-NY, NY-Londres, Lon-Rio por 1000 doláres.

    Marco

    Vc irá em FEV/2013 e eu que pretendo viajar em OUT/2012? Vou continuar acompanhando o preço diariamente, da mesma forma que vc vem fazendo. Como estou acostumado com a bolsa, vou esperar mais um pouco. Vou pagar para ver. Quero ver até onde as Cias Aéreas vão aguentar com o valor do $ e petróleo elevados.

    E importante ver que ja existe um aumento gradual do preco quanto mais nos aproximamos da data da viagem, independente do cambio. Acho especular meio perda de tempo. Afinal, o importante e garantir a passagem na data que voce quer viajar.

“Será que nos conformaremos tão fácil assim com o dólar de R$ 2? (Meu palpite: sim.)”

Concordo, concordo e concordo.

Aliás, depois de ter viajado com euro na casa dos R$ 4 (naqueles cálculos rápidos que fazemos durante a viagem, sabe?), dólar a R$ 2 é quase nada.

    Pois então, uma repórter da área de economia da revista Isto É me escreveu porque estava fazendo uma matéria sobre o impacto da alta do dólar no turismo e se eu havia cancelado alguma viagem por causa disso ou se conhecia alguém que havia adiado as férias por conta da flutuação do câmbio. Respondi mais ou menos como o GabeBritto colocou: Zifia, não cancelei viagens e não conheço ninguém que tenha cancelado. Para os viajantes – que já encararam o dólar a R$ 3,90 – o câmbio ainda está “favorável”, digamos.

    Eu também duvido muito que alguém vá cancelar uma viagem por conta do aumento do dólar. Digamos que até poderia dar uma “adequada”, mas não cancelar.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.