#VnVBrasil | Intrigas palacianas: Alvorada x Catetinho

Palácio da Alvorada

VnVBrasil

Atenção: Palácio da Alvorada fechado para visitas

A tradicional visita ao Palácio da Alvorada foi suspensa com a chegada da família Bolsonaro. Ainda não foi anunciada uma data de retomada das visitas.

Visitar palácios e instituições em Brasília é muito mais divertido do que a expressão “turismo cívico” pode sugerir. Ao vivo os prédios clássicos de Brasília são ainda mais impressionantes do que nas (melhores) fotos. E por dentro sempre são surpreendentes (e repletos de obras de artistas emblemáticos da época). Muitos palácios estão abertos à visitação pública, pelo menos em algum dia semana.

O Congresso abre todos os dias; o Itamaraty também. O Palácio do Planalto tem visitas aos domingos. O Alvorada, às quartas à tarde. Mas não fique só nos prédios monumentais. Dê um jeitinho de incluir na sua visita o Catetinho, primeira residência construída em Brasília, para hospedar Juscelino Kubitschek durante as primeiras obras, antes da inauguração.

Vale uma comparação entre o palácio presidencial provisório e o definitivo 🙂

Distância


View Alvorada x Catetinho in a larger map

O Alvorada está na região central de Brasília, a menos de dez minutos de táxi da Praça dos Três Poderes. (Quem estiver hospedado nos hotéis à beira do lago pode ir a pé.)

Já o Catetinho, coitado, está na saída sul da cidade, passando o trevo do Gama, a 30 km da Praça dos Três Poderes. Vá se tiver alugado um carro, ou se um amigo brasiliense se oferecer para levar. Não sei o preço do táxi, mas acredito que seja mais negócio cacifar um city-tour privado…

Como visitar

O Alvorada recebe visitantes todas as quartas-feiras, entre 14h30 e 16h50. Apenas 240 pessoas são admitidas por semana, divididas em grupos de até 30 visitantes. A visita é gratuita. As senhas começam a ser distribuídas às 14h. Eu cheguei às 14h30 e consegui senha para o grupo E, que saiu às 16h. A espera é numa área coberta, com bancos e boa ventilação.

Palácio da Alvorada

(Uma boa pedida é combinar a visita ao Alvorada com um almoço antes no excelente restaurante Oscar, que fica ali pertinho no histórico Brasília Palace, o primeiro hotel da capital.)

Todas as visitas são guiadas. À diferença do Planalto, do Itamaraty e do Congresso, aqui não há dress code: dá para entrar de bermuda.

Catetinho

O Catetinho pode ser visitado de 3ª a domingo, das 9 às 17h. A entrada é gratuita. Fui na hora do almoço de um dia de semana e não havia ninguém por lá.

A experiência

A visita ao Alvorada é uma diversão. Nesse mundo pós-Bin Laden, foi uma delícia poder praticamente invadir a casa da presidente de um dos Brics, fotografando tudo o que vi pela frente. Até flash deu pra usar!

Alvorada

O trajeto entre o portão e o palácio é feito de ônibus, e o grupo é acompanhado o tempo todo por um segurança. Começa-se pelo melhor: um tête-à-tête com As Iaras (na verdade, As Banhistas), de Alfredo Ceschiatti — para mim a mais bonita das esculturas de Brasília.

Alvorada

Somos então recebidos no saguão do palácio, com sua rampa vermelha e parede dourada. Uma coisa assim meio Abu Dhabi, se me permitem.

Alvorada

Alvorada


De lá passamos pela capelinha — um caracol com duas aberturas, uma para o leste e outra para o oeste, para receber luz natural ao longo do dia.

Capelinha do AlvoradaCapelinha do AlvoradaCapelinha do Alvorada

Continuamos pelos fundos do prédio, apreciando os salões públicos pelo lado de fora. A área íntima do palácio não faz parte do itinerário, evidentemente.

Alvorada

E a piscina? Com as colunas niemeyerianas ao fundo, é páreo para a do Copacabana Palace…

Alvorada

Na saída, todos ganham presentinho: um livreto sobre o palácio e cartões postais (um deles já devidamente enviado para a Mariluce, fornecedora da charada da 6ª; alô, Aline Alves, não recebi seu endereço!).

Alvorada

A visita ao Catetinho, como não poderia deixar de ser, é muito mais singela. Mas é bonito ver como podia o peixe vivo do Juscelino viver uma vida de campanha nas suas temporadas por lá.

Catetinho

Construído em apenas dez dias, o Catetinho é um alojamento de pedreiros mais bem acabado — e mobiliado com peças autênticas dos anos 50. (Já a cozinha é mineira de fazenda.) O lugar está tinindo: passou por uma restauração recente.

Catetinho

CatetinhoCatetinho


Uma coisa é certa: o Catetinho pode não ter colunas de Niemeyer, banhistas de Ceschiatti ou piscina cinematográfica — mas que a decoração é muito mais bonita que a do Alvorada, ah é 🙂

CatetinhoCatetinho

Catetinho

Leia mais:

15 comentários

Muito bom esse post, na infância meus pais nos levavam muito ao Catetinho. Ao fundo do Palácio de Tábuas tem ainda uma cascatinha , água fresquinha e bem límpida. Uma delícia!

Amei conhecer o Catetinho!!! Ele é original e a sua decoração me encantou. Sou mineira. Fiquei muito emocionada e tive uma saudade imensa do grande e inesquecível JK .

Estive em junho de 2015, em Brasília tive a oportunidade de visitar muitas construções e locais ,ligados ao trabalho dos três Poderes , além outros pontos turísticos . Realmente Brasília vale a pena ser conhecida , pois nos enche de orgulho , por sermos Brasileiros e amar o nosso imenso Brasil

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.