Serra da Capivara: senta que lá vem pré-história

Serra da Capivara

Confesso que eu tinha lá minhas dúvidas se valeria a pena se abalar até o interior do Piauí para ver uns desenhinhos de homens das cavernas.

Serra da Capivara

Mas como vale! O lugar é um deslumbre. Uma semana depois de ter passado por lá, editando as fotos, eu custo a acreditar no que vi.

Não são desenhinhos. O Parque Nacional da Serra da Capivara detém a maior concentração de arte rupestre ao ar livre do planeta.

Serra da Capivara

Serra da Capivara

Serra da Capivara

A quantidade, a variedade e a sofisticação dos motivos fazem a gente facilmente se sentir como nossos antepassados mais recentes, que achavam que os desenhos eram obra do sobrenatural.

Serra da CapivaraSerra da Capivara

Que mensagens eles queriam deixar? Eram os deuses grafiteiros?

Serra da Capivara

Esses grafites são as nossas pirâmides, a nossa Petra, as nossas linhas de Nazca.

Serra da Capivara

E tão surpreendente quanto a força das imagens é a organização e a conservação do parque. Padrão FIFA. (Ou padrão Niède Guidon, a arqueóloga franco-brasileira que é mentora da implantação do parque e de sua gestão pela Fundação Museu do Homem Americano.)

Serra Talhada

Serra Talhada

Pedra Furada, Serra Talhada

E tudo isso, pípols, em meio a paisagens áridas belíssimas, que continuariam impressionantes mesmo se estivessem no Arizona, em Nevada ou até no Atacama.

Museu do Homem Americano

Para coroar a experiência, o Museu do Homem Americano é outra pequena jóia, que você jamais esperaria encontrar nos confins do sertão. Um museu de última geração, com a função única de provar que a ocupação do continente começou aqui por baixo, e não pelo estreito de Bering.

Museu do Homem Americano

O acesso a São Raimundo Nonato é difícil; a hospedagem ainda é básica. Mas combinando com outros destinos dá pra fazer da Serra da Capivara o ponto alto de uma aventura inesquecível.


Atualização: já dá para ir de avião à Serra da Capivara!

Mocó, Serra da Capivara

A Serra da Capivara é a Hollywood da arte pré-histórica. Histórias em quadrinhos feitas pelos próprios Flintstones brasileiros. Não perca!

Leia mais:

34 comentários

Esse era o facebook pré-histórico 🙂
Há anos estou me devendo o Piauí. Quero muito conhecer o parque, as Sete Cidades e o Delta.

O lugar é muito interessante. Eu o visitei em 2006. Na época, a F.H.A. estava passando por crise, acho, o museu estava meio caído, as estradas de acesso uma buraqueira infernal que só. Fico feliz de saber que as condições de acesso rodoviário melhoraram.

Nossa… desde que fui ao litoral do Piauí esse ano, estou louca pra conhecer o interior… e a Serra da Capivara é o top disso tudo!!! Amei seu relato e me deixou com mais vontade de explorar o sertão.
Como o Brasil tem coisas lindas para mostrar ao mundo!!!!
Show…

Sempre fui apaixonada por esse lugar!! Desde criança está no topo da minha bucket list do Brasil!! Mas nunca levei a sério planos de visitar justamente pela dificuldade de chegar, preços, pouca informação, etc… Será que em 2014 sai essa viagem? Desde que fiquei sabendo que o Riq estava indo pra lá, estou louca esperando pelos posts!!!

Como piauiense fico muito feliz em ver esse post. Ao mesmo tempo, envergonhado, por não conhecer esse lugar. Quem já foi, atesta que realmente é isso tudo.

O problema aqui no Brasil é o acesso, Ricardo. Estradas perigosas, não duplicadas, cheias de caminhão. Eu deixo de ir em vários lugares por conta disto. Aguardo seu relato sobre como chegar lá!

    Andrea, a Serra da Capivara é apenas distante. As estradas estão um tapete, tanto de Petrolina (via Afrânio), quanto de Teresina, e como não são rotas de escoamento agrícola, não têm grande movimento. As estradas piauienses, por sinal, estão excelentes como um todo.

    Ricardo, passei pelo Piauí neste fim de semana e acrescento dois pontos ao que você disse sobre as estradas, que são realmente boas:
    1. Os primeiros 60 km de Teresina em direção ao interior são pista única e lotados de caminhões. Não chega a ser perigoso, mas tem que planejar o dobro do tempo porque a ultrapassagem é impossível.
    2. Há muitas cabras nas margens, e elas cruzam a rodovia de repente. É preciso estar atento sempre e não exagerar na velocidade.