Prós x contras: dólar, euro, peso, real, travelers, cartão de crédito, saque internacional ou Visa Travel Money?

meiosdepagamento

ATENÇÃO: há um post mais atualizado sobre o assunto:

Clique aqui: ATUALIZADO: dólar x euro x débito x crédito x VTM

Vai viajar para o exterior? Está na dúvida sobre que meio de pagamento usar lá fora? Pois pode sair daqui com uma certeza: não há modalidade perfeita. Todas têm seus furos. Fazer câmbio significa necessariamente perder um pouquinho. A idéia é perder o menos possível. (E não é só dinheiro, não. Também se pode perder muito tempo com câmbio. E tempo, em viagem ao exterior, não é só dinheiro — é moeda forte.)

Vamos aos prós e contras de cada meio de pagamento. No final, eu dou minha receitinha.

DÓLAR, EURO, LIBRA (e, vá lá, PESO)

Vantagens:

* Com a grana na mão, você não corre o risco de perder dinheiro com uma eventual desvalorização do real até o fim da sua viagem. (E o assunto morre ali: logo depois de efetuada a compra, você pára de pensar se fez um bom negócio ou não. Moeda forte é moeda forte, #prontocomprei.)

* Se você viajar para lugares onde a moeda é corrente, não vai precisar se preocupar em fazer câmbio. Hurra!

* Se sobrar, você pode guardar para a próxima. (E na próxima você vai se dar conta de que não existe dinheiro mais barato e bem-vindo do que dólar de gaveta!)

* Na Europa, recomenda-se (sobretudo para integrantes dos grupos mais visados – rapazes, mulheres jovens, estudantes, participantes de simpósios e congressos) passar pela imigração com 60 euros em espécie por pessoa por dia de estada. (Caso o agente implique com você, não ter esse dinheiro vivo em mãos pode dar o argumento objetivo de que ele precisa para barrar sua entrada.)

Desvantagens:

* A compra é feita na cotação “turismo” (dólar-turismo, euro-turismo), que é significativamente mais cara do que a cotação comercial (sexta passada, enquanto o dólar comercial estava 2,02, o turismo estava 2,15 — 6,4% mais alta); ou ainda no “paralelo”, que pode ser mais caro ainda.

* Se você viajar para lugares em que o dinheiro não seja moeda corrente (dólar no Peru, euro na Hungria), vai ter que procurar casa de câmbio e passar toda vez pelas mesmas dúvidas. Será que não consigo uma cotação melhor? Será que não estão me engambelando na comissão? (Quando você se dá conta, perdeu uma manhã por causa de tostões, e ainda ficou num mau humor do cão.)

* Andar com dinheiro vivo/guardar dinheiro vivo no hotel são fontes de preocupação constante. (Na Europa sobretudo o que não falta são mãos-leves.)

Precauções

* Antes de comprar peso argentino no Brasil, veja se a cotação vale a pena. Consulte o site Dólar Hoy.

Oportunidades

* Comprar dólar ou euro de amigo/conhecido é uma ótima: dá para estabelecer uma cotação intermediária entre os valores de compra (sempre baixos para o seu amigo) e venda (sempre altos para você), e todo mundo sai ganhando.

REAL

* Só vale mesmo na Argentina (e no Uruguai) — mas é preciso saber onde fazer câmbio, senão você vai perder dinheiro. O Banco Nación do aeroporto (funciona 24 horas, 365 dias) costumava ter uma ótima cotação, mas parece que não é mais tão garantido assim. Veja antes no Dólar Hoy, que é o oráculo da Sylvia e mostra em que bancos conseguir o melhor preço. Muitos dos bancos e corretoras com as cotações boas ficam na calle Sarmiento, no centro, e funcionam, claro, em horário bancário. As casas de câmbio comuns costumam ter cotações melhores enquanto os bancos estão abertos; fora do horário bancário e nos fins de semana, elas aproveitam a falta de concorrência para jogar o câmbio no chão.

* Em outros países você pode até achar quem compre real, mas a cotação sempre vai ser muito ruim.

TRAVELERS CHEQUES

Vantagens

* Se você perder ou for roubado, pode recuperar o valor não-usado.

* Você se garante contra desvalorizações e pode usar os cheques que sobrarem em viagens futuras.

* Nos Estados Unidos é aceito normalmente pelo comércio, hotéis e restaurantes.

Desvantagens

* A cotação é a do dólar-turismo.

* Na Europa e em outros lugares, perde-se MUITO TEMPO procurando um lugar para trocar os travelers com boa cotação e sem comissão.

Precaução

* Se você optar por esse meio e for para um destino que não os Estados Unidos, saia de casa com os endereços (devidamente google-mapeados) dos postos de troca; informe-se dos horários em que estão abertos; e programe as suas incursões cambiais como quem planeja visitas a museus. Caso contrário, prepare-se para sofrer. “Ih, tá acabando o dinheiro, precisamos trocar travelers” é o prenúncio de um dia conturbado, com programas cancelados.

SAQUES NO EXTERIOR

* Pergunte ao seu gerente se o seu cartão de banco dá direito a saques no exterior na função conta-corrente. Este é um benefício cada vez mais comum.

Vantagens:

* A conversão é feita por uma cotação muito próxima à taxa interbancária — ou seja, praticamente o dólar comercial.

* Vale para qualquer país do mundo que tenha caixas automáticos; você não precisa pensar se é melhor levar dólar ou euro para o Nepal ou a Indonésia. Basta selecionar a função “conta corrente” (checking account).

* Caixas automáticos são muito mais numerosos do que casas de câmbio e não fecham nunca.

Desvantagens:

* E se der pau no meu cartão? Ou no sistema? É inevitável: cada operação dá um friozinho na barriga, por mais que as 35 anteriores tenham sido bem-sucedidas.

* Há taxas (por operação) e limites de saque (por operação e por período) que variam enormemente de banco para banco, de conta para conta e de rede para rede. Normalmente, quanto mais “especial” for a sua conta, mais você saca, e menos você paga. (Ainda assim, saiba que se a brincadeira toda custar até 5% do montante, você não perde dinheiro, por conta da diferença de cotações entre o dólar comercial e o dólar-turismo.)

Pegadinhas:

* Se o seu cartão não funcionar no caixa automático do banco X, tente no banco Y. Às vezes acontece de o seu cartão só ser válido numa rede específica.

* Se você fizer o seu saque com um cartão múltiplo de bandeira Visa, a conta vem na próxima fatura do seu cartão de crédito, pelo câmbio do dia do vencimento (se o dólar subir, você paga mais caro).

* Se você fizer o seu saque com um cartão múltiplo de bandeira MasterCard, o valor é debitado automaticamente da sua conta, pelo câmbio do dia (sem sustos na volta).

* Retire o máximo que der por operação, para diluir a taxa fixa de saque.

Precauções:

* Descubra o limite de saques do(s) seu(s) cartão(ões) no exterior — por operação e por período — antes de viajar, para saber o quanto vai dar para depender dele(s).

* Avise o seu gerente e o seu cartão sobre a sua viagem, para que o sistema não negue nenhuma operação por desconfiança.

CARTÃO DE CRÉDITO

Vantagens:

* Nas bandeiras Visa e MasterCard/Diners, os valores são convertidos por uma taxa muito próxima à do dólar-comercial; a diferença compensa o IOF de 2,38%.

* A aceitação está cada vez maior.

* Segurança: se perder, pode conseguir reposição ainda durante a viagem.

Desvantagens:

* Na bandeira American Express, os valores são convertidos pelo dólar-turismo.

* Se o real se desvalorizar entre o momento da compra e o vencimento da fatura, você perde dinheiro.

* Há limites de gastos; e o sistema pode bloquear o uso se suspeitar fraude.

Precauções:

* Informe-se antes de sair sobre o seu limite, e avise a operadora da sua viagem.

Oportunidade:

* Se o seu cartão rende milhas, é uma ótima oportunidade de transformar os seus gastos em futuras passagens grátis.

VISA TRAVEL MONEY

* É um cartão de débito internacional, que você carrega antes de viajar e pode recarregar durante a viagem, à distância. Serve para saques e compras — e, de uns tempos para cá, para pagamentos na internet também. É uma espécie de sucedâneo eletrônico dos travelers cheques.

* Pode ser carregado em dólar ou em euro. Em países cuja moeda seja diferente da carregada no cartão, o débito é feito pelo câmbio do dia.

* Não é vendido pelos bancos, mas por corretoras de câmbio.

Vantagens:

* Você faz saques no exterior mesmo se a sua conta de banco não permitir; e pode fazer gastos “por cartão” mais elevados do que o limite do seu cartão de crédito (você determina o seu limite; basta depositar dinheiro na sua conta VTM).

* Ao esgotar o seu limite, você pode recarregar o seu cartão (depositar mais dinheiro na conta); basta ligar para o emissor e combinar o depósito, que é feito por DOC ou TED. 24 horas depois o dinheiro já está disponível para sacar ou fazer compras.

* Se você perder o cartão, ele é substituído rapidamente.

Desvantagens:

* A cotação usada é a do dólar-turismo.

* Há uma taxa de saque de US$ 2,50 por operação e, muitas vezes, uma outra taxa, da rede onde você está fazendo o saque. Há também um limite de saque por operação e por dia.

Oportunidade:

* Se você, como eu, é fã do mix saques internacionais + cartão de crédito, o VTM é o melhor e mais seguro Plano B de que podemos dispor.

MINHA RECEITA:

A exemplo do que os analistas indicam aos investidores, o melhor é diversificar.

Eu acredito que os meios que fazem o meu dinheiro e o meu tempo renderem mais são os saques em caixa automático + gastos em cartão de crédito sempre que possível. Mas levo também um pouco de dinheiro vivo para as primeiras despesas, e desde a última viagem tenho um VTM para ser recarregado em emergências.

Esse é o mix que eu recomendo. Mas veja bem: como eu disse lá no começo do texto, não há meio (nem mix) perfeito. Dentro do seu estilo, da sua personalidade, dos seus limites no cartão e no banco você vai descobrir qual é o meio (ou o mix) que melhor se afina com a sua viagem. Aproveite as vantagens, fique ciente das desvantagens, e você vai se dar bem.

Visite o VnV no FacebookViaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter@riqfreire


407 comentários para “Prós x contras: dólar, euro, peso, real, travelers, cartão de crédito, saque internacional ou Visa Travel Money?”

  1. Ricardo, o cartão múltiplo Itaú, vc disse que serve para saques em Buenos Aires, porem e se eu quiser por exemplo pagar um restaurante com ele e pagar na função débito e não crédito, tambem tem jeito?

    1. Nunca usei, Kerles. Teoricamente funcionaria se tiverem máquina que aceite senha. Mas é melhor você se informar direito com o seu gerente.

      1. Aceita sim, é só dizer a opção “conta corrente” que eles passam no débito.

  2. Riq,
    Achei engraçado. Arthur Frommers em seu blog comenta as dificuldades dos americanos em usar seus cartões de crédito sem Chip na Europa

    http://www.frommers.com/blog/?plckController=Blog&plckBlogPage=BlogViewPost&UID=3ec3ac40-db8a-4d10-a884-acf9ccad0879&plckPostId=Blog%3a3ec3ac40-db8a-4d10-a884-acf9ccad0879Post%3a54c47127-5189-4ca4-92d3-b7a6012dc68c&plckScript=blogScript&plckElementId=blogDest

    Morar em pais com banco ruim dá nisso. Um ano quebra, noutro não tem chip…
    Abçs

    1. :mrgreen:

  3. Olá, adorei esse blog!!!
    Vou viajar pela primeira vez para a Europa. Tenho muitas dúvidas, mas vamos lá!!!
    Alguém sabe de um bom lugar para comprar Euro em São Paulo?

    1. http://www.cotacao.com.br ou o seu banco mesmo.

  4. Também usei o meu cartão Bradesco para saque nos EUA e achei o valor final do dolar mais taxas descontadas melhor do que o preço que eu paguei nos Travelers.
    Mas que dá um certo stress de que não funcione é verdade…!
    Alguém já tentou reservar hotel no booking.com, por exemplo, com VTM? Será que é possível?

    1. Teoricamente não.

  5. Estou a morar em Portugal e vou passear no brasil este mes, gostaria de saber se fica mais em conta eu levar euro para trocar no banco do brasil por real em Palmas,ou se fica mas em conta ja levar daqui.Obg…

    1. Deve ser melhor trocar por aqui, Nil. O real não vale nada na Europa.

      Veja a cotação no banco de Palmas mas, antes de vender, veja se não há amigos brasileiros interessados em comprar de você por um preço intermediário entre as cotações de compra e venda do banco. É bom negócio para você e para quem compra.

  6. Olá Ricardo!!
    Adorei suas dicas…
    Estou começando a me programar para fazer a minha primeira viagem para Europa.Mas tem uma duvida:
    Vc acha melhor começar a comprar Euro a partir de agora, aproveitando o valor o do euro de R$ 2,31 ?
    Eu pretendo viajar em junho/2011, e estou querendo me organizar a grana.

    O que vc acha??
    Obrigada,
    Bjs
    Cláudia

    1. Isso é da alçada dos economistas, Claudia. Eu particularmente perdi todas as apostas que fiz contra moedas (seja na baixa ou na alta).

      Caso a sua poupança seja especificametne para viajar, então juntar moeda forte é interessante — desde que você desencane do valor que pagou. Uma vez no bolso, moeda forte é moeda forte e não se fala mais nisso.

      Para não acumular papel-moeda (inseguro tanto para guardar como para levar), você pode poupar em euro diretamente num VTM. (Mas atente para o fato que, se quiser vender os euros do VTM de volta, vai sofrer deságio).

      1. Riq, o deságio de venda de moeda de VTM é bem alto, maior que o papel-moeda. Mas tem uma solução simples e bisonha que deixa a cotação bem mais interessante até que a da venda de papel-moeda: usar o VTM no Brasil como se fosse seu cartão do banco.

        Se a poupança para viagem for grande, coisa de R$ 15 mil ou mais, dá pra procurar seu banco e investir em um “fundo cambial”, basicamente um fundo que é atrelado a moeda estrangeira (dólar é bem mais comum, Euro infelizmente não), e o efeito prático é que seu ganho/perda segue a da cotação da moeda estrangeira, e qdo vc sacar o valor em reais, tenderá a obter valor bem parecido com o que se tivesse comprado moeda física ou no VTM.

        MAs para valores intermediários, VTM é a melhor opção.

        1. Vejo o VTM como poupança específica para viagem. Se o sujeito não gastar tudo numa, guarda pra próxima. Como investimento ele é ruim já de saída, por ser comprado pela cotação turismo específica da corretora titular (além de perder contra o dólar interbancário, a gente não pode nem fazer um shoppingzinho básico de cotações…)

          1. O VTM tem uma pegadinha, se ficar menos que US$ 100 (tem que confirmar o valor) e ficar inativo eles começam a cobrar uma taxa de “manutenção”.

            Então se quiser deixar dinheiro no TVM que seja mais que o limite (a ser confirmado) ou que gaste normalmente aqui no Brasil como Cartão de Crédito normal.

            Eu perdi cerca de US$ 35,00 dólares assim. Foi minguando e sumiu :(

            1. O VTM para mim funciona como um seguro-imprevisto. Deu galho com o cartão do banco? Estourou o limite do cartão de crédito? Carrega o VTM, e em menos de 24 horas você volta a ter dinheiro.

              Eventuais perdas, para mim, fazem parte deste “seguro”.

              Na ponta do lápis, saque direto da conta corrente e gastos em cartão de crédito sempre são mais negócio (a não ser em eventos de desvalorização abrupta do real entre o momento da compra no cartão e o pagamento da fatura).

  7. Ricardo, li em algum lugar, que na Argentina alguns bancos e casas de câmbio exigem apresentação do passaporte, é verdade? Não posso fazer o câmbio só com a apresentação do RG? Tô preocupada, pois estou indo em setembro a BsAs e só tenho RG. Obrigada pela atenção.

    1. Só o RG serve.

  8. Acho que pra quem vai só com o RG, tem que apresentar no banco um papel que você preenche quando chega lá. O Riq pode explicar melhor…

    1. Zé, nem sei dos detalhes. Mas se fosse difícil isso aqui estaria cheeeeeio de reclamação, porque a maioria das pessoas viaja é com o RG só.

  9. Acho que o visto de permanência que te dão quando você pisa em Ezeiza só com o RG, precisa estar juntado, pra poder fazer câmbio. Eu ouvi essa prosa lá, de um carinha que tava só com o RG.

    1. Deve ser a ficha de entrada/saída. Com passaporte também dão uma.

  10. Essa mesmo; quando for fazer câmbio com RG, essa ficha tem que estar junto, o que não acontece com quem faz câmbio com passaporte.

  11. Gente, super obrigada pelas informações. Agora tô mais tranquila!

  12. Olá Ricardo, boa tarde!
    Tudo bem?

    Vou para Montevideo no próximo mês e estou na dúvida se compro moeda local ou se levo dólar. Você aconselha levar em espécie ou VTM?

    Obrigada

  13. Olá Ricardo,

    Acompanho sempre sua coluna na band news fm e gostaria de tirar uma dúvida:

    Vou para o Uruguai de férias e gostaria de saber se vc aconselha fazer um mix: cartao de crédito, VTM e dolar (ou peso uruguaio comprado aqui?)

    Obrigado!
    abs.

    1. Um pouco de dinheiro vivo para emergências, saques da conta corrente diretamente em moeda local de caixas eletrônicos, cartão de crédito para gastos e VTM com saldo baixo para ser carregado em caso de dar crepe com o cartão de banco ou de crédito.

      Esta é a minha fórmula para qualquer país do mundo.

      No caso do Uruguai, o “um pouco de dinheiro vivo” pode ser dólar, se você já tiver em casa, ou reais.

  14. Ricardo,

    Estou indo para a Rússia em Outubro. Não apenas Moscou e São Petersburgo, mas também Sibéria. Na Europa sempre utilizei travelers cheques e foi excelente, pois além da cotação melhor na hora da compra aqui no Brasil e a segurança, não encontrava grandes dificuldades em trocá-los.
    Mas não são a melhor opção para a Rússia, especialmente Sibéria. Você tem idéia das cotações de casa de câmbio na Rússia para euro em espécie em comparação à cotação EuroxRublos do VTM na hora do saque lá (pretendo levar parte do dinheiro em Euros no VTM).
    Muito Obrigado.

    1. Esta página traz tudo o que você precisa saber sobre o assunto. Há bankomats (caixas eletrônicos) em todas as grandes cidades, até na Sibéria. Nas cidades pequenas recomendam levar espécie.

      http://www.waytorussia.net/Practicalities/Money.html

  15. Ricardo, vou para Buenos Aires em outubro, e gostaria de saber o que é melhor levar? també tenho Visa Travel Money em euro e libra, posso utilizar em compras em Buenos Aires? Eles aceitam visa travel money de outra moeda?
    Me falaram que era melhor levar dólares que eles aceitam nas lojas de lá, isso é verdade?

    1. Não importa a moeda em que esteja carregado o seu VTM, ele será aceito em qualquer lugar do mundo que aceite Visa. A idéia é essa.

      Não recomendo comprar dólares para levar a Buenos Aires. Mas se você já tiver os dólares na mão, leve. Mas minha opinião é que carregar dinheiro vivo é jurássico.

      Procure os posts de câmbio em Buenos Aires:

      http://www.viajenaviagem.com/americas/buenos-aires-ricardo-freire

  16. Olá!
    Estou atualmente em Portugal e trouxe para cá um cartão múltiplo (crédito e débito num só). Aqui, no entanto, eles simplesmente passam o cartão e não surge a opção de se escolher entre as formas de pagamento! Sempre é usado o crédito! Isso acontece em toda a Europa ou é apenas em Portugal mesmo?
    Obrigado!

    1. Em outro post, alguém falou que na Argentina também é assim, porque lá não existem cartões múltiplos — ou é crédito, ou é débito. Pode ser que seja assim em Portugal também.

  17. Olá Ricardo. As opções de levar dinehiro são muitas!penso que certão de crédito é indispensável não?Você mencionou que cartão de banco múltiplo de bandeira MASTER é debitado na conta no ato sem sustos, ao contrário do VISA, você se refere a compras feitas com cartão de DÉBITO ou CRÉDITO(item saques no exterior)? Estou na dúvida já que saques com cartão de crédito dentro ou fora do Brasil paga-se um absurdo de taxa!Há uma dica que menciona que não se deve levar dolár, só reais, o que você acha?VTM vale a pena, e é mais vantajoso que cartão de crédito ou saque?
    Abraço, gostei das dicas.

    1. Saque sempre na função conta corrente, em montantes acima de 200 dólares, para que a taxa da operação não seja significativa.

      Este post é antigo, os saques na função conta corrente com cartão múltiplo de bandeira Visa já estão saindo da conta no dia, pelo menos no meu banco.

      Não sei onde você leu essa dica de sair do Brasil com reais para qualquer lugar fora de Argentina, Uruguai e Santiago do Chile.

      A minha receita está no último parágrafo, mais explicadinha impossível. Não mudei de opinião desde então.

  18. diverta-se

  19. taxa de cambio

  20. Ricardo, enquanto aqui no Brasil até camelô e taxista aceitam cartão de credito, verifiquei que no México o seu uso é bem mais restrito do que aqui, no Peru a mesma coisa, com uma particularidade, a bandeira Visa é bem mais popular que a MAsters, e me pegou tão de surpresa, que a minha gerente do BB teve que mandar dolares pela Western Union. Minha pergunta é, estou indo para vários paises do oriente médio, sabe como é lá???

    1. Não sei, Antonio. Faça um Visa Travel Money, é o meu plano B recomendado para quando acaba o limite de saque do cartão do banco ou o limite de gastos do cartão de crédito. A recarga é muito mais simples, dá pra fazer com um telefonema por Skype e um depósito por internet banking.

  21. Olá Ricardo,
    Estou de viagem marcada para Buenos Aires no início de dezembro/10 e gostei muito das dicas que encontrei no seu site.
    Parabéns pela iniciativa e abraços
    Marcelo.

  22. Pessoal, estou em Las Vegas e estou amando a facilidade do VTM. Alem de ser suuper pratico e bem aceito, vc volta sem dividas para casa !! Recomendo muito o VTM para o EUA.

    Bjs

    1. Vale para qualquer lugar do planeta, Mi.

  23. Ricardo você é uma espécie de consultor turistíco, morro de rir com sua paciência e cordialidade. Adoroooo. Bom lá vai minha pergunta. Farei minha primeira viagem ao exterior, Chile, de acordo com sua experiência o dólar de hoje 1,66 está bom para comprar??
    Obrigada e um grande abraço.

    1. Esta(va) ótimo!

  24. Olá Ricardo…o que vc orienta a fazer numa viagem para o Chile? Qual é a melhor moeda a se usar lá? Trocar aqui ou lá?

  25. Ola td bem ? Gostei muito do seu site e gostaria de saber, se eu tivesse dolares no banco e quisesse vende-los. No caso para comprar casa, carros etc. O que vc acharia melhor vender os dolares ou deixar no banco ? Se vender aonde eu venderia.
    O meu próprio banco compraria ele?
    Um grande abraço e parabéns pelo site.

    1. Isso é uma pergunta para um investidor, Nelson. Aqui tratamos de viagem.

    2. Dólares no banco…no Brasil??! Até onde eu sabia vc poderia ter investimentos atrelados ao dólar, mas ter dolares na conta corrente nunca tinha ouvido. Living and learning
      Respondendo sua pergunta, não sou economista, mas gosto do assunto. Atualmente estima-se que o real esteja com uma sobrevalorização de 40% frente ao dólar, ou seja, está MUITO valorizado. O governo tem agido ativamente para tentar frear a queda do dolar, mas etá conseguindo apenas em parte.
      O valor do dolar caiu mto em consequencia da gigantesco defict comercial americano, o governo americano esta despejando baldes de dolares no mercado mundial, jogando a cotação da moeda p/ baixo.
      Não acredito que o governo vá conseguir elevar mto o valor do dolar, mas creio que no médio prazo o dolar deve se estabilizar na faixa de R$1,80. Esse seria o meu chute.

  26. Oi
    Estive vendo uns comentários e li que duas pesseoas sugerem usar o saldo restante do VTM aqui no Brasil, como se fosse um cartão de crédito comum.
    Isso é possível?
    Usei o meu VTM em toda a Europa, não tive problemas, a não ser quando fui sacar no caixa automático em Portugal. A senha do meu VTM é de 4 dígitos e todos os caixas em Portugal pediam senhas de 6.

    Um abraço

  27. Ricardo,

    Parabéns pelo seu site!!!

    Estive na Europa algumas vezes, mas pela primeira vez vou casado e com uma filha pequena.

    No começo do artigo vc menciona que seria importante levar 60 euros por dia por pessoa em espécie por causa do constrangimento na entrada em território europeu. Entrarei por Madri. Acho que é muito dinheiro vivo para ficar andando para lá e para cá.

    Vc acha isso realmente imprescindivel? Estou levando cartões de crédito e dois cartões para saque em minha conta corrente (bcos e bandeiras diferentes), além de 2 seguros de viagem por pessoa (um do cartão e um ISIS), hotel e carro reservados, bem como passagem de volta marcada para 25 dias depois da entrada. Será que encrencariam muito com a comprovação de dinheiro em espécie?

    Abs… Marcos

    1. Eu pessoalmente não levaria todo esse dinheiro vivo não. Leia os depoimentos deste post:
      http://www.viajenaviagem.com/2010/11/ja-entrou-na-europa-por-madri-como-foi-a-imigracao/

      1. Riq, aluguei um apto em Paris e combinei com a proprietaria de pagar tudo em cash ao chegar ao apto: 700 euros + a caução de 350 euros.Vc acha que dá para sacar no aeroporto ou é melhor levar daqui?Grata.

        1. Olá, Amélia!
          O Comandante relatou ter tido problemas com isso (tirar muito dinheiro para pagar aluguel de apartamentos) em sua viagem de 2008. O limite para saques internacionais não é igual ao limite do seu saldo na conta. Pode haver limitações também por operação, por dia e por semana, dependendo da conta. É melhor usar saques para as pequenas despesas diárias. Para pagar o aluguel é melhor já levar do Brasil :D

  28. Olá Ricardo,
    Parabéns pelo site, ótimas dicas para mim, iniciante em viagens ao exterior.
    Ao mesmo tempo me despertou uma dúvida, se puder me ajudar agradeço.
    Vou fazer um cruzeiro no final do ano, me antecipei e comprei dólares… daí me aconselharam a gastar no cartão de crédito, o que me dá um pouco de medo por causa da conversão. Mas vá lá, o meu é Itaucard e li alguns comentários dizendo que eles utilizam o comercial, menos mal.
    Minha dúvida é…. uso os dólares quando descer na Argentina e no Uruguai? nesse caso, se eu fizer compras diretamente com dólar, quem converte??
    ou em vez disso, vc tb sugere comprar no cartão de crédito ou ainda sacar na moeda local? o que é mais vantajoso nesse caso?

    Obrigada pelo help!!

    1. Se você já comprou os dólares, tente usar os dólares para fazer compras com eles. Tanto na Argentina quanto no Uruguai os vendedores costumam fazer uma boa conversão.

      Informe-se sobre a cotação em http://www.dolarhoy.com .

  29. Bom dia Ricardo, preciso mandar 27000 euros para um amigo na Espanha, como posso fazer esta transação ser barata e rapida?

    1. Consulte o seu gerente para fazer pelo seu banco e compare com as taxas da Western Union, disponível em casas de câmbio legalizadas.

  30. Ricardo, bom dia
    Cheguei faz dois dias de uma viagem muito interessante pela Asia (Hong Kong, Vietnam, Thailand, Singapore, Dubai. Foi um cruzeiro em um navio inglês (Nassau). Percorremos a costa do Vietnam, com visitas a Hanoi, Halong Bay, Da Nang, Hoi An, Hue – antiga capital imperial do Vietnam – Ho Chi Minh City, Bangkok, Singapore). A rota foi através de Dubai, usada para descanso de um dia e uma noite na volta, que a viagem é muito longa. O Vietnam tem paisagens lindas, vários sitios tombados pela Unesco como patrimonio da humanidade, o povo é muito alegre e simpático e adoram os brasileiros. Gostei muito de Ho Chi Minh City – antiga Saigon, ainda hoje chamada de Saigon pelos moradores que não estão nem aí para a unificação do país, promovida por Ho Chi Minh. O Vietnam continua sendo dois países, o norte muito atrasado e o sul muito mais avançado, cosmopolita e internacional. Mas estão fazendo como a China: mantém o regime comunista, mas estão abrindo a economia ao melhor estilo capitalista. Em Saigon podem-se ver construções subindo por toda a parte, e mesmo no norte, perto de Hanoi, pode-se perceber o esforço de modernização.
    A bahia de Halong – sitio tombado pela Unesco como Patrimonio da Humanidade – é muito linda, digna de uma visita, um passeio deslumbrante. A entrada no Vietnam depende de visto e os agentes de viagem daqui cobram um preço exorbitante para isso. Mas existe um processo simplificado que eles não contam: se você for de avião, pode pedir pela internet uma carta de pre aprovação, daí você obtem o visto no aeroporto a um custo menor. Como eu estava de navio, foi ainda mais simples: nos portos, as autoridades da imigração sobem no navio e concedem os vistos temporários aos interessados em ir à terra. O preço é de U$ 50,-. Os agentes de imigração são, em geral,também muito educados e gentis. Teria muito mais a dizer,mas tenho medo de aborrecer as pessoas.
    Um abraço e saiba que sou fã incondicional de seus trabalhos desde o tempo em que eram apenas colunas de jornal sobre viagens.

  31. Caro, Vou a Portugal no dia 08.02.11, e quero levar 100 euros em dinheiro 1500,00 no VTM, na imigração eles pedem pra conferir isso, o VTM dá algum problema na imigração ? , no caso tenho um de dólares, será que posso usar ele por lá ?, Obrigado.

  32. Estou indo para minha primeira viagem internacional para Buenos Aires e gostaria de saber se compensa eu comprar a passagem aqui no brasil de ida e volta ou comprar a de ida e la a de volta ?

    1. Passagens de somente ida ou volta costumam ter o preço igual ou mais caro do que se você comprar a ida e a volta juntos. Não invente!

    2. Olha só Ruan , todas as passagens são compradas pela internet , então basta fazeres uma cotação-simulação pela web e vais ver que o preço de uma perna numa tarifa internacional é quase o mesmo que o de duas pernas.Clica e confere !

  33. Ricardo,
    Pretendo ir para Europa ainda este ano (Espanha-Portugal ou Itália). Tenho duas opções, a primeira é uma viagem que será feita por uma entidade italiana, com um custo muito bom. Teremos alojamentos, café da manhã, uma boa refeição por dia e transporte incluídos.
    A outra é uma viagem feita por conta própria, com um custo que ainda não estou certo, mas com certeza maior.
    A dúvida é a época em que as duas seriam realizadas. A primeira (pela entidade) seria em julho, mês de calor e alta estação. A segunda (por conta) eu gostaria de fazê-la entre maio e junho, plena primavera, com temperaturas menores e mais agradáveis para passeios, além de ser baixa temporada.
    1. Então eu pergunto a você e a todos que já estiveram por lá nesta época se o calor de julho, que lemos em vários relatos de viajantes, é mesmo desagradável nesta época?
    2. No caso de uma viajem por conta própria ainda estou em dúvida de qual meio de transporte devo usar. Trem (com passe do Eurail), carro ou transportes locais?
    Vi os preços dos passes e achei muito caros. O carro tem o combustível, pedágios, estacionamentos, dificuldades em cidades grandes, e o stress da direção.
    Obrigado pelo seu site, onde viajo antes da viagem,

    Luiz

    1. Julho é bastante quente. Mas agosto é pior.

      Passes dificilmente valem a pena.

      O beabá para começar a planejar uma viagem à Europa você encontra neste post:
      http://www.viajenaviagem.com/2010/08/veja-os-pontos-de-partida-para-viajar-na-viagem/

  34. [...] http://www.viajenaviagem.com/2009/05/pros-x-contras-dolar-euro-peso-real-travelers-cartao-de-credito-saque-... Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente. ← Carteirinhas [...]

  35. Ricardo, parabens pelo site. É perfeito
    Estou indo para a italia com a minha mãe de 80 anos em maio/11.
    Já estive la e conheço um pouco Roma, Milão, Florença, etc..
    Ficaremos lá aprox 15 dias e ja tenho roteiro para as principais.
    Minha dúvida é com relação conhecer a toscana.
    Alugarei um carro em Florença e pretendo fazer a base em Sienna,
    ficando por lá 4 noites partindo depois para Roma onde entregarei o Carro.
    Parece que o bacana na toscana são as cidades medievais, mas elas
    apresentam problemas de precisar de um bom preparo fisico, dado as
    distancias e subidas a pé exigidas.

    Tem como fazer um roteiro para 4 dias na toscana de carro, com base
    em Siena que não exija muito esforço fisico?
    Fico grato pela atenção.

    1. Wladimir, veja relatos e passeios pela Toscana aqui: http://www.viajenaviagem.com/category/toscana/

  36. Ola Ricardo, eu fui descobrir qual o câmbio do meu cartão e me informaram que é usado o dólar turismo.
    Como eu faço para mudar? Ou somente alguns cart?os trabalham com dólar comercial? Vc tem essa dica?
    Fico no aguardo, beijo
    lili

    1. Olá, Lili! Os cartões do Itaú, do Citi e do HSBC usam taxa ptax, próxima ao câmbio comercial.

  37. Pessoal
    Apenas para registrar uma situação que ocorreu comigo na minha viagem de férias no fim de 2010.
    Como o roteiro incluía 3 países de moedas diversas, no caso, Egito, Turquia e Grécia (pacote), resolvi fazer VTM em euros e levei uma pequena quantia em papel-moeda (euro mesmo).
    Ocorre que em Istanbul, na hora do check out, queria pagar as despesas do quarto com o VTM e, para minha surpresa, não funcionou, mesmo estando num hotel de rede e após diversas tentativas, o que se repetiu, também no hotel no Egito.
    Conversando com um colega de grupo, descobri que, parece, há uma certa dificuldade nas transações com o VTM em EURO em países em que essa não é a moeda corrente (lembrando que não dá pra fazer VTM em libra egípcia nem em lira turca).
    Funcionou superbem para saques, em todos os países, mas para compras, somente na Grécia.
    Talvez fosse diferente se fosse um cartão carregado em dólar, não sei.

  38. Vou para o Uruguai neste mês. Vou fazer esse mix que aconselhou.
    Em relação a levar um pouco de dinheiro vivo, pode ser o Real também?
    O que aconselha?

  39. Segui as dicas desse artigo e levei para minha viagem à Buenos Aires no Carnaval 2011 apenas meus cartões de crédito e alguns reais para caso precisasse usar dinheiro vivo. Assim que desembarquei, fiz um saque de pesos argentinos num terminal Visa Plus de um banco no aeroporto e no restante dos dias foi somente compras em cartão de crédito. As lojas estavam cobrando 4 pesos por dólar e 2 pesos por real, o que é uma cotação horrível. Minha fatura do cartão já está com os lançamentos de minha viagem e pelos meus cálculos (das tarifas e conversão dólar) vou pagar apenas uns 5% a mais do que o custo original. Nunca conseguiria isso numa cotação turismo. Valeu pelas dicas!

  40. Boa Noite a todos e parabéns Ricardo!
    Estou fazendo minha primeira viagem a Europa. Estarei indo por Madri, porém meu destino final é Paris. A pergunta é, faço a imigração por Madri ou Paris? Outro ponto, de Paris estarei indo a Londres e depois para Zurich, tudo por avião, outra pergunta, em todos esses paises terei que fazer minha imigração? Como estarei saindo de Zurich com conexão em Madri, minha imigração de saida será por Zurich ou Madri? Muito obrigado pela ajuda de todos! Abraços!!!!

    1. Olá, Marcelo! Aqui que responde é A Bóia.

      Você vai fazer imigração em Madri, o vôo Madri-Paris é “doméstico” dentro do espaço Schengen.

      Em Londres você fará nova imigração, porque é fora do Espaço Schengen.

      E em Zurique outra, porque você vvolta ao Schengen.

      De Zurique para Madri você não faz imigração.

      A saída é por Madri. Só dá problema se você tiver ficado mais de 90 dias em apenas um semestre.

  41. Bom dia Ricardo,

    Parabens pelo site..
    Estou fazendo minha primeira viagem com minha esposa a BA agora em abril (serão 7 dias). Estava pensando no seguinte:
    1ª opção – Levar cartão para saque e crédito (prioritário)
    2ª opção – Levar cerca de 2000 mil reais para emergencias dada a cotação ruim aqui no brasil (acho q na argentina está melhor para cambio) – seriam 2000 reais que nem pretenderia usar só emergencia mesmo
    3ª opção – Levar o cartão VTM com o minimo de carga para numa necessidade carrega-lo….

    Essa estrategia está muito absurda? devo mudar algo?
    Obg

    1. Carregar uma quantia tão alta é arriscado. Para emergências você pode sacar dinheiro nos cartões de crédito/débito. Deixe o dinheiro na sua conta corrente, habilite a função de saque internacional e só saque esse dinheiro em caso de emergência.
      Acho o VTM totalmente desnecessário. Cotação alta e não gere benefícios.

  42. Consulte o post mais atualizado sobre o assunto:

    ATUALIZADO: dólar x euro x débito x crédito x VTM