Casa particular: a melhor maneira de se hospedar em Cuba

Mariana Amaral
por Mariana Amaral

casa particular trinidad buri nesti

A casa particular é a modalidade de hospedagem mais típica de Cuba. Cubanos abrem as portas de suas casas para receber estrangeiros, que aproveitam para conhecer mais sobre o modo de vida dos cubanos. Ao contrário do que possa parecer, é um esquema bastante profissa: as casas particulares em Cuba precisam de uma licença do governo para funcionar, e muitas delas têm estrutura de pousada, oferecendo um serviço que pode ser superior ao de vários hotéis.

Foto do alto -- casa particular em Trinidad: Hostal Buri y Nesti

Escolhemos ficar em casas particulares em Havana e em Trinidad. A pesquisa foi minuciosa. Buscávamos uma casa particular em Havana que estivesse fora do furdunço da zona mais turística, em uma parte mais agradável e residencial da cidade. Já em Trinidad, queríamos ficar bem no centrinho, onde poderíamos ir e voltar a pé dos restaurantes e shows noturnos. Em ambas as cidades, quartos com ar-condicionado e banheiro privativo eram outros pré-requisitos fundamentais; e, se não fosse pedir muito, que as casas ainda tivessem um jardim ou varandinha nas áreas comuns, para podermos descansar e bater papo com os anfitriões e os outros hóspedes.

E não é que deu pra encontrar?

Casa particular em Havana: La Casa de Ana

casa particular havana la casa de ana

Quintal de La Casa de Ana

Ana recebe hóspedes estrangeiros em sua casa, no bairro de El Vedado, há mais de 20 anos. O lugar é uma graça: fica no andar térreo de um prédio residencial, com entrada independente e um quintal cheio de plantas dando as boas-vindas.

casa particular havana la casa de ana

Quarto

Ana mora na casa com o marido, Pepe, e aluga dois quartos para turistas. O quarto em que ficamos era bastante espaçoso, com duas camas de solteiro dispostas juntas, como cama de casal, e mais uma outra cama extra. Também muitíssimo bem equipado, com frigobar cheio de bebidas, ventilador de teto, ar-condicionado e um cofre embutido em um grande armário. As toalhas foram trocadas diariamente (nem precisava!), e os lençóis, depois de 3 dias de hospedagem. Ana tem a ajuda de três funcionárias nas atividades da casa, além de um vigia que fica de plantão à noite.

casa particular havana la casa de ana

Lembrancinhas de antigos hóspedes

Na sala, de uso comum, Ana deixa à disposição dos hóspedes alguns guias de Cuba, além de uma TV e um aparelho de som -- e eu não poderia estar mais arrependida de não ter levado uns CDs de música brasileira de presente. Na simpática varanda, uma prateleira exibe uma coleção de mimos deixados por hóspedes do mundo inteiro. Ali é servido o café da manhã, que tem sempre frutas frescas, suco natural e pão quentinho.

Ana foi muito gentil e prestativa desde o nosso primeiro contato por e-mail. Respondeu já no dia seguinte ao pedido de reserva, e resolveu nosso trânsfer do aeroporto até a casa sem cobrar qualquer taxa por isso. Durante nossa estadia, deu dicas sobre as redondezas, sugeriu passeios e confirmou por telefone nossa reserva da casa em Trinidad.

La Casa de Ana é uma casa particular em uma parte muito tranqüila de Havana, em um pedaço do bairro de El Vedado que é essencialmente residencial. Em um táxi coletivo de 0,50 CUC por pessoa chega-se à zona mais animada do bairro. Táxis convencionais fazem corridas de 3 a 5 CUC dentro do bairro, e de 8 a 10 CUC até Habana Vieja. O ônibus hop-on hop-off que faz o city tour pela cidade tem um ponto próximo à casa.

paladar havana el cimarron

El Cimarrón

Dá para ir e voltar a pé do alegre restaurante El Cimarrón (Calle 19 nº 1101, esquina com 14, tel. 7/831-9968), que tem ótimos preços e pratos que dão para duas pessoas, e do complexo cultural Fábrica de Arte Cubano (Calle 26, esquina com 11, tel. 7/838-2260), com programação de teatro, exposições e shows em um mesmo lugar.

La Casa de Ana. Calle 17 nº 1422, entre 26 e 28, El Vedado. Diárias a 35 CUC em quarto com banheiro privativo (preço de janeiro de 2016). Café da manhã à parte. Reservas por e-mail: analinacuba@gmail.com. Telefone: 7/833-5128. Mais informações pelo site, e resenhas de ex-hóspedes no TripAdvisor.

Casa particular em Trinidad: Hostal Buri y Nesti

casa particular trinidad hostal buri y nesti

Vista do terraço do Hostal Buri y Nesti

Trinidad é uma pequena jóia na porção mais central de Cuba, e volta e meia comparada com a nossa Paraty. Considerada patrimônio mundial pela Unesco, a cidade respira música e tem casas coloniais preservadas no seu colorido centrinho, que prosperou durante a exploração do açúcar no século XIX.

Terraço

Terraço

A casa onde vive o casal Buri e Nesti é um encanto e fica bem em uma das principais ruas da cidade, a uma distância curta da praça principal, das casas de show e de bons restaurantes.

casa particular trinidad hostal buri y nesti

Café da manhã

O pátio interno da casa, com mesas e cadeiras de ferro, é um cenário lindo para o café da manhã, que em sua versão mais completa tem até omelete feito na hora. No terraço, o daschund Chocolate se espreguiça pedindo um cafuné, e a vista espetacular da vizinhança faz com que sair para passear vire algo menos urgente.

Buri e Nesti alugam dois quartos para turistas em sua casa, de que cuidam com a ajuda de duas funcionárias. O nosso quarto era compacto, mas lindíssimo, com pé direito alto e móveis de madeira escura. Muito bem equipado também, com ar-condicionado, ventilador, secador de cabelo e um frigobar em que havia até vinho chileno. O quarto comportava 3 pessoas, com uma cama de casal e mais uma de solteiro. Lençóis e toalhas brancas, em ótima forma, e pequenos vidrinhos de shampoo faziam a estadia ser mesmo muito parecida com a que se teria em uma pousada.

Buri cuida da parte administrativa da casa e foi muito simpático em nos dar dicas de restaurantes e em nos conseguir um motorista para que seguíssimos viagem. Foi feita por ele a melhor piña colada que tomamos em Cuba.

(Buri também é expert no jogo de damas, e fica muito feliz em disputar uma partidinha.)

paladar trinidad san jose

San José

A apenas alguns passos da casa, o restaurante San José (Calle Antonio Maceo 382, tel. 41/99-4702) é um dos melhores de Trinidad, com pratos generosos e um bonito salão. Está também na mesma rua o escritório da Cubatur (Calle Antonio Maceo, esquina com Rosario, tel. 41/99-6360), onde podem ser comprados passeios ao Valle de Los Ingenios ou a Cayo Blanco. O pátio da Casa de La Música (Calle Cristo, tel. 41/93-414), com shows todas as noites ao ar-livre por 1 CUC, fica a 5 minutos de caminhada.

Hostal Buri y Nesti. Calle Antonio Maceo 390, entre Colón e Lino Pérez. Diárias a 35 CUC em quarto com banheiro privativo (preço de janeiro de 2016). Café da manhã à parte. Reservas por e-mail: esuarez3916@nauta.cu. Telefone: 41/99-3916. Resenhas de ex-hóspedes no TripAdvisor.

Por que se hospedar em uma casa particular

casa particular havana la casa de ana

Eu e Angela, funcionária querida de La Casa de Ana

A não ser para quem desembarca diretamente nos resorts de Varadero ou Cayo Largo, e de lá volta para casa, uma viagem a Cuba é outro tipo de turismo, quase uma pesquisa de campo. Mesmo que volta e meia acabemos distraídos com um copo de mojito na mão, é difícil terminar o dia sem ter feito qualquer reflexão política ou observação social.

Estar hospedado em uma casa particular é ter o privilégio de poder espiar como é a vida de uma família cubana um pouquinho mais de perto, e também saber que o dinheiro pago pela hospedagem está indo para pessoas que se preocupam em receber estrangeiros com tanto carinho.

Muitas casas particulares têm serviço e conforto equivalentes aos de boas pousadas, com uma relação custo x benefício que os hotéis não conseguem oferecer.

Se preferir e puder cacifar um hotel bacana, vá em frente. Mas entre ficar naquele 3 estrelas bem médio e uma casa particular, prefira a 2ª opção.

Como procurar (e reservar) casas particulares em Cuba

Pesquisar casas particulares em Cuba é bastante fácil. Além do TripAdvisor, existem vários sites que funcionam como diretórios de casas, como o Cuba Junky, Cubaccommodation e o MyCasaParticular (o AirBnB também entrou na roda no ano passado, mas só aceita reservas de residentes nos Estados Unidos). O mais difícil é descobrir como entrar em contato com o proprietário para fazer a reserva. Não são muitas as casas que dispõem de site próprio ou página de Facebook, e os sites que catalogam casas particulares costumam esconder as informações de contato para que você faça a reserva através deles (e pague por isso).

A solução? Apelar para o Google. Coloque o nome da casa particular, o nome da cidade e a palavra "e-mail". Faça a busca, e muito provavelmente você vai encontrar algum comentário de algum ex-hóspede em algum fórum divulgando o contato. Dá trabalho, mas é mais garantido fazer a reserva diretamente com os donos da casa do que com intermediários.

Se você vai se hospedar em uma casa particular...

  • Escolha uma casa bem recomendada e desconfie de preços muito baixos. (Menos de 20 CUC a diária? Sei não...)
  • Reserve a estadia com antecedência. Ao contrário de hotéis, que têm centenas de quartos, a sua casa particular favorita pode ter 1 ou 2.
  • Reconfirme a reserva cerca de 10 dias antes da viagem, ou conforme combinado com o proprietário.
  • Pergunte ao proprietário sobre os itens que forem importantes para você: cofre no quarto, ar-condicionado, banheiro privativo, acessibilidade. Há casas particulares que não estão no andar térreo e pode ser necessário subir com malas pelas escadas.
  • Leve de casa seu xampu e sabonete (pode ser que sejam oferecidos, mas também pode ser que não).
  • Calcule pagar de 3 a 5 CUC por pessoa pelo café da manhã, que não costuma estar incluso. Muitas casas particulares também oferecem jantar.
  • Esteja com dinheiro em espécie reservado para o pagamento, que pode acontecer no check-in ou no check-out.
  • Fique sossegado: os anfitriões vão respeitar o seu espaço e a sua privacidade. Mas não perca a oportunidade de puxar papo de vez em quando. (E se souber sobre novelas brasileiras, melhor ainda! São um sucesso em Cuba.)

Leia mais

5 comentários

Iana
IanaPermalinkResponder

Viajamos para Cuba por cerca de 10 dias em fim de novembro do ano passado; fomos a Havana, Viñales, Trinidad e Varadero. A única cidade em que ficamos em hotel foi em Varadero e isso porque meu esposo havia lido em algum lugar que lá só era permitido resort. Ao chegarmos em Varadero, descobrimos que isso não procedia (as casas particulares têm um logotipo na frente, que parece uma âncora de cabeça para baixo, de cor azul, que as identificam e, como são reguladas pelo governo, sabíamos que, se encontrávamos alguma em Varadero, é porque foram liberadas).
Nossa experiência em casas particulares foi ótima. Funcionam como pousadas simples e de número de quartos reduzidos (todas tinham entre 1 a 3 quartos oferecidos a hóspedes). Foi minha primeira escolha sem pensar muito porque: 1) era bem mais em conta; 2) todo mundo que tinha ido aprovava e recomendava. Fora que é mesmo uma oportunidade de conversar com os locais, algo que quem vai a Cuba geralmente procura para saber mais sobre o tão diferente dia a dia deles.
Uma dica: vimos em alguns relatos de blogs que era possível reservar só a primeira casa e conseguir as demais através do 1º contato, de forma a se livrar da taxa de reserva (diminuia no geral de 30 para 25CUC/dia). Fizemos assim, mas um pouco temerosos. Queria dizer pra quem pensa em fazer algo parecido que dá pra fazer isso sim e ir além. Isso porque, pra reservar, eles pedem que ligue. Ora, pra ligar, precisa ter CUP (moeda deles) e em valor pequeno. É difícil fazer essa troca, esp porque as pessoas não estão autorizadas a fazer câmbio (e eles preferem fazer tudo certinho).
Em Viñales ficamos em uma casa indicada pelo pessoal de Havana, mas não seria preciso ter ligado antes e reservado, como fizemos. Isso pq praticamente toda casa da cidade oferece quartos para estrangeiros e o número está aumentado. Todas as casas parecem estar reformando pra ganhar mais quartos. Assim, quando chegamos em Viñales, inúmeras pessoas vieram às janelas e porta do ônibus oferecer estadia. Teria dado pra escolhermos um local mais bem localizado. Mas não se preocupe muito com isso em Viñales e em Trinidad, pode ficar um pouco longe do centrinho, mas continua sendo perto. Em Havana a localização é bem mais importante.
Em Trinidad, já escolados, optamos por não ligar e pegar um local ao chegar de ônibus. Arriscamos e deu certo, mas o número de pessoas que ofereciam casa era menor em relação a Viñales. E o nosso anfitrião afirmou que o número de visitantes estava crescendo após a notícia sobre o fim do embargo dos EUA a Cuba, que todo mundo estava querendo conhecer o país antes da abertura e isso estava elevando os preços e chegou a ter gente que teve de dormir na rua. Bem, não sei se é verdade, mas acho melhor não arriscar em época de alta temporada....
Em Havana isso já não ocorre. A estação de ônibus é distante de Vedado e centro e não dá pra vc pedir pra ser deixado num local e ir andando com a mala batendo de porta em porta perguntando. Nós voltaríamos para uma última noite a Havana antes de embarcarmos de volta ao Brasil e nossos primeiros anfitriões já tinham uma reserva para esse dia. Reservamos o local diretamente na casa, durante nossas andanças. O problema é que eles não quiseram (ou não entenderam que queríamos) deixar reservado e pediram pra ligarmos na véspera. De novo com o mesmo problema de como ligar! Optamos por usar a internet e mandar um e-mail pra "relembrar" a nossa reserva morrendo de medo de eles demorarem muito pra responder. Pois bem, 1h depois já tínhamos a resposta! Fica a dica de que e-mail pra eles aparentemente não é uma opção ruim (apesar de terem inaugurado o 50º ponto de wifi na ilha na época que a gente estava lá!).

Gustavo - Viajar e Pensar

Que demais Mariana

Nos meus desejos turísticos estão conhecer Cuba, antes do fim do regime, esta opção "roots" deva ser a que melhor se conheça a ilha.

@GusBelli

Rinaldo
RinaldoPermalinkResponder

Cuba é um país cheio de história e particularidades. Durante o meu intercâmbio em Cuba tomando um curso de espanhol em Havana, eu conheci a essência típica desta cidade pitoresca. Adorei o clima da região e suas praias paradisíacas sem contar a hospitalidade maravilhosa do povo cubano. O meu intercâmbio em Havana foi crucial para o aperfeiçoamento dos meus conhecimentos do idioma e percebi que foi uma ótima escolha fazer um curso de espanhol em Cuba. Espero volta um dia e fica aqui a dica da escola onde estudei, Sprachcaffe: http://www.sprachcaffe.com/portuguese/study_abroad/language_schools/havana/main.htm#nav-destination

Ivan Medeiros gonsalves

Excelentes as dicas! Vou estudar em Cuba.

Andréa F. Serqueira

Sempre fui fã de Fidel tenho vontade de conhecer Cuba pretendo ir em novembro de 2017.Estou fazendo pesquisas para escolher o que visitar onde ficar.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Comentar novamente

Cancelar