Alguma companhia aérea já deixou você no chão?

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Dentro de um avião da Ryanair

O carnaval de 2010 registrou uma verdadeira folia de mau atendimento a passageiros ao redor do planeta. Aqui no Rio, um vôo da U.S. Air que deveria levar cariocas para longe do carnaval na quarta-feira dia 10 só decolou de verdade na sexta-feira dia 12. Em duas tentativas anteriores, o avião que faria a rota apresentou problema na refrigeração e voltou ao Rio logo depois de partir. A companhia, novata na rota Brasil-EUA, demonstrou notável falta de capacidade de reação ao não conseguir nem trazer outro equipamento nem distribuir seus passageiros por outras companhias (sendo que United, Continental e de uma certa forma a TAM pertencem à mesma aliança). Mais uma vez a U.S. Air demonstrou o que o Rodrigo Purisch do Aquela Passagem já tinha dito -- que se trata de uma cia. convencional com espírito de low-cost.

A maior papagaiada da temporada, porém, aconteceu com a notória Ryanair -- que, não podendo pousar em Lanzarote, nas Canárias, aterrissou numa ilha próxima, Fuenteventura. Muitas outras companhias aéreas fizeram isso e acomodaram seus passageiros em hotéis para seguir viagem no dia seguinte. O que fez a Ryanair? Sem dizer nada a ninguém, trouxe seu avião de volta a Londres, abandonando os passageiros num aeroporto sem guichê da companhia. Todos tiveram que tratar sozinhos de sua hospedagem e demoraram para saber que no dia seguinte poderiam continuar a viagem de ferry-boat, tão logo o serviço fosse retomado. A Ryanair promete ressarcir a noite passada no hotel -- mas, cá entre nós, a sensação de abandono mereceria uma senhora de uma indenização. Coisas de low-cost, que ficam ainda mais cruéis quando feitas pela Ryanair.

Passageiros de navio também tiveram suas viagens prejudicadas por causa de mau tempo. Em Fortaleza, um navio da MSC partiu uma hora antes do previsto, deixando 100 passageiros em terra. A explicação foi que os ventos tornavam arriscada a permanência do navio no porto e o comendante antecipou a partida. A companhia vai ressarcir os prejudicados ou oferecer outras datas para a viagem -- mas, de novo, estragar férias desta maneira envolve um dano muito maior do que o preço pago pelo cruzeiro.

Finalmente, pesquisando sobre esse incidente, acabei sem querer achando mais uma notícia de navio que não conseguiu fazer escala em Noronha por causa do swell. Aconteceu na quinta-feira antes do carnaval, dia 11, e 650 passageiros não puderam desembarcar na escala mais desejada do roteiro. O swell estava tão forte que mesas e cadeiras viraram no restaurante (era hora do café da manhã) e na área da piscina; houve um princípio de pânico entre os passageiros. O que é mais uma prova de que esta é a época mais inconveniente possível do ano para esta rota (o swell é um fenômeno típico do verão no arquipélago, todo ano tem). Não desembarcar em Noronha não dá direito a nenhuma espécie de compensação; está no contrato de qualquer cruzeiro que as escalas podem ser abortadas em caso de mau tempo.

E você? Já foi abandonado alguma vez no chão? Como fez para se virar? Conseguiu ressarcimento? Conta pra gente!

Foto gentilmente surrupiada daqui.

84 comentários

Arthur | Agora Vai

Abandonado não, graças aos deuses (toc toc toc), mas já passei um perrengue também no carnaval, em 2006. Fui para Uberlândia na sexta pela Gol, com conexão em Congonhas. Saí 17:00 do trabalho, o vôo era às 18:00 no SDU. Ao chegar 18:40 em CGN, tudo lotado, com multidões esperando seus vôos para todos os lugares do universo.

Na época, o número de conexões era ainda maior que hoje (foi antes do acidente da TAM). Depois de muito esperar, fomos levados no ônibus da Gol até GRU, às 23:00, pois CGN ia fechar para decolagens. Chegamos meia-noite e decolamos 1 da manhã.

Durante a viagem, o comandante avisou que não tinha como pousar em UDI devido às condições atmosféricas e iria tentar pousar em Uberaba. Nada feito.

Acabamos voltando e pousando em Confins, BH, às 3:30 da manhã. O próximo vôo para UDI só iria sair às 16:00 (!!!!!!!!)

Depois do bate-boca de costume de todos contra todos, a Gol providenciou transporte, hospedagem em BH, almoço e uma ligação gratuita.

Chegamos no hotel às 5 da manhã, já com o breakfast preparado. Comi e fui dormir, acordei 11:00 e fui almoçar.

De tarde fomos levados até Confins novamente, mais um atraso de uma hora para o avião sair e chegamos em UDI às 18:00.

Ou seja, saí do trabalho no dia anterior Às 17:00, então levei 25 horas para chegar em UDI... (de ônibus ou carro seria mais rápido).

PS.: também exigi que a atendente da Gol ligasse para o flat que eu havia reservado em UDI explicando porque eu teria que cancelar uma diária (já que passei 25 horas em trânsito). Felizmente eles (o hotel) aceitaram, mas duvido que aceitassem se fosse um destino carnavalesco, um resort, p.ex.

Dani S.
Dani S.PermalinkResponder

QUASE que a Gol me abandonou nesse carnaval. O nosso vôo estava marcado para 2ª de carnaval, Foz do Iguaçu-Belo Horizonte via Galeão. Primeiro, nos mandaram um email informando que tinham mudado a conexão GIG-CNF: tá, o prazo de 40 minutos pra conexão tava apertado mesmo (apesar de o próprio site da Gol ter feito a marcação dos vôos). Depois, como quem não quer nada, mandaram um segundo email, simplesmente mudando de DIA o vôo - a gente teria que voltar no domingo, por conta de "readequação da malha aérea" ou coisa que o valha. A sorte foi que a gente viu o email no sábado. Aí, entramos no chat da Gol e descobrimos que eles simplesmente cancelaram o vôo da segunda. O marido fuxicou e conseguiu descobrir dois outros vôos saindo de Foz na segunda, e conseguimos marcar o nosso vôo só pra duas horas antes do marcado, via Curitiba. Lógico, tivemos que ficar morgando 5 horas em Curitiba, e acabamos chegando de noitão em BH. Só conseguimos mudar porque o marido falou que não consegueria chegar em Foz um dia antes, dizendo que estávamos na Argentina.
Ainda bem que conseguimos ver o email e descobrimos outro vôo - imagina se tivéssemos chegado segunda no aeroporto, e visto que não tinha vôo nenhum, em pleno carnaval?

Maryanne  hotelcaliforniablog.wordpress.com

A Gol tem mania de fazer isso e falar da "malha aerea". Tinhamos um voo GRU-GIG no domingo dia 27/12 as 7 da manha. Tudo bem , eu escolhi esse voo pr vc chega no Rio na hora do check-in e aproveita o domingo inteiro, alem do preço muito menor do que Congolhas- SD. Sabado eu recebo um e-mail ( e, por sorte, leio) dizendo que nosso voo tinha mudado pras 5:30, 5 e meia da manha por conta da malha aerea. Peguei o telefone e disse que nao aceitava de jeito nenhum. Els tentaram me passar pro voo das 14:30 ( eu perderia o domingo todo, e tb nao aceitei. Dai entao gentilmente me ofereceram a opcao Congolhas- SD as 10 da manha, sem custo nenhum! Não posso dizer que nao gostei da soluçao, mas poderia ter me dado bem mal se nao tivesse reclamado muito.

Dri
DriPermalinkResponder

Ainda não sei qual o final, mas estou abandonada right now. A easyjet me mandou email avisando que meu voo Veneza-Paris dia 09 de maio foi cancelado, dizendo que eu devia seguir o link tal para escolher gratuitamente entre reembolso ou mudança GRATUITA para outro voo. Acontece q o link me manda para minha página na EasyJet, onde eu tenho que pagar 30E de multa para fazer a mudança de voo MAIS a diferença tarifaria.

A easyjet não responde aos meus emails. Isso tudo vem se desenrolando há 15 dias e obviamente as vagas no voo q eu quero só fazem diminuir e a diferença tarifária só faz aumentar. Devido ao mau tempo na Europa eles mandam uma mensagem automatica dizendo que estao tendo um volume muito alto de emails e que a resposta vai demorar... Ao perturba-los pelo twitter, consegui uma resposta de 140 caracteres dizendo que é isso mesmo, a resposta vai demorar!

Igor
IgorPermalinkResponder

Comentário positivo. Em novembro passado tinha vôo BH-Rio com a Webjet por volta das 18h. Viajem a trabalho. Na manhã do dia anterior ao vôo recebi uma ligação da Webjet pedindo para entrar em contato. De cara pensei "acabou com minha programação de visitas". Mas, pra minha total surpresa (diferentemente de tratamento recebido por TAM e GOL em outras ocasiões) ao contatar a empresa me informaram que o vôo estava cancelado, mas que me alocariam em vôo de outra empresa, podendo optar entre OceanAir as 18:30h ou TAM as 17:30h. Tratamento surpreendente! Merece ser divulgado (apesar do procedimento ter sido o mínimo que se poderia esperar de uma empresa comprometida com seriedade e seus clientes).

Paula*
Paula*PermalinkResponder

Eu também acabei de ter um problema com a easyjet, que cancelou um voo e tb me deu opção para transferir sem ônus ou o reembolso. Diferente do que aconteceu com a Dri, eu consegui transferir a passagem sem ônus. Mas, mesmo assim é sempre chato, porque pode implicar em alteração de reserva de hotel e alteração do seu roteiro (pra dizer o mínimo). #fail

Dri
DriPermalinkResponder

Paula, me dá um fidibequi??? No email de cancelamento vem um link, certo? Vc clicou nele e escolheu a opçao mudar de voo, certo?

Depois disso, qdo vc escolheu o voo novo, as taxas já apareceram zeradas? Ou aparecia como valor a ser pago e vc deu ok e nao foi cobrado?

Dri
DriPermalinkResponder

Voltei pra dar o feedback eu mesma. Depois de 18 dias tentando contato via email sem sucesso, escrevi pra EasyJet no twitter. Em 10minutos eles usaram meu email pra acessar meu cadastro, ligaram para minha casa, pegaram meu telefone do serviço (graças a deus que foi minha mãe quem atendeu) e me ligaram. Me trasferiram para o voo que eu queria e me mandaram um email de confirmação. EM 10 MINUTOS!!!!

O twitter, de fato, é uma arma poderosa...

Ricardo Freire

Sensacional! Isso vai virar post smile

henrique
henriquePermalinkResponder

Aconteceu comigo uma vez em Chicago, voltando de United pro Brasil. Após o embarque, deu um problema na aeronave e todo mundo desembarcou depois de umas 2 horas esperando. deram hotel e transporte, só tinha um problema: era o final de semana da maratona de chicago e todos os hoteis estavam superlotados. consegui um meia-estrela de beira de estrada - detalhe: a mala ficou no avião! -, peguei uma gripe desgraçada por conta do ar-condicionado que não desligava e voltei pra casa no dia seguinte. só sei que o dono do hotel furreca se deu bem, porque chamou uns amigos pra transportar a galera de volta pro aeroporto.
reclamei no brasil e me deram um voucher de 100 dolares pra voar de novo com eles. nunca mais!

Ermesto, o pato

Ja tive problemas com a antiga Varig, que nos deu um grande atraso para os EUA. Mas, a história teve um final feliz. Processei a Varig, e fizemos um acordo que nos rendeu uma passagem para a Europa.

Por sinal, eu ja fiz no Blog do Rodrigo, um resumo dos direitos dos passageiros (Riq, pode dar o link).

Deve ser lembrado que a empresa nao pode cancelar, ou trocar seu voo, sem a sua autroizaçao, sob pena de responder por isto. Atrasos acima de 3 horas, se não decorrem de condições meteorologicas tambem sao indenizaveis. Overbocking é processo ganho, pois a empresas vendeu o mesmo lugar mais de uma vez.

A US airways vai precisar de bons advogados!

Cristiana
CristianaPermalinkResponder

A American Airlines já detonou um aniversário meu, programado para São Francisco. A aeronave estava comproblemas técnicos (que segundo o pessoal de terra deles, era uma peça com defeito que teria que vir de Buenos Aires). Pegaram-nos no GIG e deixaram-nos no Windsor da Barra, com jantar e cafe.
Pois bem, atraso total de 13 horas. Mesma aeronave (medinha da peça recauchutada ou algo que o valesse, logo após queda do Airbus da Airfrance no ano passado).
Viajávamos três pessoas juntas. Eu, quando chueguei no destino final, já tinha um e-mail, com um pedido de desculpas e 20.000 de brinde no programa de milhagens deles.
As amigas que estavam comigo, nada.
Uma delas reclamou, usou como base o e-mail recebido por mim, e a AA creditou as mesmas 20.000 milhas prá ela.
A outra deixou prá lá e perdeu!!!
Tudo isso, Ernesto, Riq e tripulação, prá dizer que as pessoas NÃO RECLAMAM. É nisso que as cias. aéreas e demais prestadoras de serviço se fiam. Imagina se, um em cada três pessoas de um vôo problemático reclamarem. E, no fundo, se contentarem com milhas da empresa. Já tá valendo.
Por experiência própria, os canais de atendimento das cias. aéreas COSTUMAM dar jeito nesses problemas. Se não derem, justiça neles.
Abraços...

Carmem
CarmemPermalinkResponder

Foi um pequeno abandono. Em 2008, em Ushuaia, contratamos um passeio no trem do fim do mundo com a Agência Km 3200 (http://www.km3200.com/). A van não passou para nos pegar no hotel. Esqueceram de nós!!! Tomamos um táxi até a Estação do Fim do Mundo, a 8 km da cidade, onde começava a aventura e ali localizamos nosso grupo. A guia não tinha nossos nomes na lista, mas nos "aceitou" no grupo. No dia seguinte fomos à agência reclamar e pleitear o ressarcimento do que gastamos com o táxi. Foi o maior bate-boca. Eles queriam nos dar como compensação um city tour por Ushuaia, mas nós já conhecíamos a cidade de ponta a ponta e recusamos. Depois de muita conversa, saímos de lá com as mãos abanando e jurando vingança... Coisa que até hoje não cumprimos!

Dionísio (www.espacovital.com.br)

Um ano atrás, minha esposa e eu sofremos atraso de 24 HORAS para voltar de Fernando de Noronha ao Recife.

O problema é que a Gol nos deixou (e a mais de uma centena de outros passageiros) abandonados no precário aeroporto de Noronha, durante SETE HORAS a fio, sem água nem alimento (as lanchonetes estavam fechadas) e sem esclarecer se viria um avião nos buscar ou não.

O local virou uma bagunça. Para terem idéia, os passageiros andavam pela pista do aeroporto, entravam e saíam do avião estragado, sem nenhum controle. Insegurança total.

Quando resolveu avisar que os passageiros teriam que ficar mais uma noite em Noronha, o suplício continuou, pois apenas um (unzinho só) funcionário ligava de pousada em pousada para conseguir hospedagem para todos os passageiros.

Nós já entramos como uma ação indenizatória de danos morais e materiais e ganhamos em primeiro grau. A Gol recorreu e estamos aguardando o julgamento.

Como advogado, quero dizer, porém, que em uma relação contratual (como a de um passageiro e o transportador), a indenização por dano moral é excepcional, ao contrário do que normalmente se pensa.

A regra na chamada responsabilidade cvil extracontratual é não haver indenização por dano moral. Essa indenização ocorre apenas se as consequências da má execução ou inexecução do contrato superarem os limites de razoabilidade e tolerabilidade, o que deve ser aferido caso a caso pelo Judiciário. Portanto, cuidado com advogados que têm "certeza" da indenização por dano moral. Dia destes uma pessoa me procurou para fazer uma ação por causa de um atraso de duas horas, sem nehuma consequência maior do que a espera. Simplesmente, não "cola" em uma análise cuidadosa pelo Judiciário.

Já a indenização do dano material (despesas extraordinárias, perda de negócio etc) tem indenização mais fácil.

Andre
AndrePermalinkResponder

Ernesto, não é bem assim não. Sofri overbooking da nova Varig em maio de 2008 (na fase em que ela foi assumida pela GOL), processei a empresa, esperei mais de um ano pela decisão do nosso querido Poder Judiciário e não fui indenizado.
A GOL (que assumiu a defesa da ação judicial) teve a cara de pau de alegar na defesa que o meu vôo original havia sido cancelado e eu fui colocado em outro vôo por cortesia dela. Como eu só tinha as passagens perdi a indenização porque não foi possível determinar se eu havia sido transferido por causa do overbooking ou em função do cancelamento do vôo.
Segundo os atendentes dos Juizados Especiais instalados nos aeroportos as empresas nem fazem mais acordos em relação a overbooking, já sabendo que são poucos os passageiros que vão impetrar ações judiciais.
Mas não perdi a lição: num caso de overbooking só o cartão de embarque não ajuda, é melhor fotografar tudo ou arrumar testemunhas. Fica a dica aqui para a galera.

Ermesto, o pato

Andre

Particularmente no seu caso, a minha impressao e de que o juiz que julgou seu caso, não agiu de maneira acertada, pois em qualquer caso voce deveria ser compensado, seja por cancelamento, seja por overbocking. Acontece, a Justiça não é perfeita... Voce recorreu da Sentença?

Tesetmunhas e fotos são sempre boas provas. Uma opção pouco usada, mas bem interessante é processar o diretor da companhia por estelionato, visto que na realiade não há overbocking, ou seja sobrereserva, mas overselling, ou seja sobrevenda, visto que todos JA PAGARAM SEUS LUGARES. E, o que é isto ? Se pode vender duas vezes a mesma mercadoria? Evidente que não. Assm, isto configura um crime.... Deste modo voce tem o direito a ser embarcado, e as indenizacoes por overbocking nao sao tao ruins...

Agora, na pratica, as empresas procuram em primeiro lugar aqueles que voluntariamente desistem de seus lugares nestes casos. Eu ja fiz isto por duas vezes, e me pagaram em rotas para a Europa, mais ou menos 70% do valor da passagem, para embarcar um dia depois, e hospedagem. Em suma, um ótimo negocio.

Dionísio (www.espacovital.com.br)

Ernesto, existem particularidades de cada processo que só se pode entender conhecendo o caso concreto.

Mas, de todo modo, é muito importante diferenciar a compensação financeira pela má execução do contrato (sem ocorrência de dano moral) da indenização pelo dano moral.

Em regra, em relações contratuais, não há dano moral, a não ser que a consequência da má execução do contrato seja intolerável. Atrasos não exagerados, por exemplo, em que a pessoa ficou aguardando no aeroporto com tudo direitinho, são considerados simples aborrecimentos da vida moderna, os quais os passageiros devem tolerar. Por isso, o Judiciário não vem dando indenização por dano moral em casos como este exemplo.

Por outro lado, qualquer atraso, em si, já configura má execução do contrato, o que poderia gerar uma compensação pela quebra do ajuste. Porém, os contratos de transporte não prevêem multa para essa hipótese, o que obrigaria o consumidor a ajuizar uma ação para fixar e cobrar uma multa, que normalmente não passaria de 10%.

Então, praticamente ninguém acionaria uma empresa de transporte para cobrar uma multa tão pequena pela má execução do serviço.

As pessoas geralmente acabam tentando ganhar uma indenização por dano moral que não acontece necessariamente em todos os casos de atrasos, cancelamentos, remarcações etc.

Ações judiciais popr dano moral, embora em muitos casos sejam iguais ou similares umas às outras, não são estandardizadas em termos de veredito.

Mas, admito, a tese do crime de estelionato é interessante, embora difícil de se concretizar na prática, em um processo judicial. É que crime é atribuível somente a quem, pessoalmente, o cometeu. É dificílimo saber quem, particularmente, vendeu passagens demais (o presidente da empresa vai dizer que não foi ele...). Mas que causaria um entrevero bonito, isso causaria!

PêEsse
PêEssePermalinkResponder

Estou, em parte, com o Ernesto. No caso narrado pelo André, em princípio tanto o overbooking quando o cancelamento do vôo (desde que não tenha sido por força maior - condições do tempo, p. ex.) ensejariam indenização, inclusive por dano moral. Uma pesquisa rápida na jurisprudência mostra que esses casos de cancelamento, de overbooking etc. geram sim dano moral, com variação apenas na quantia da indenização, a depender do dissabor vivido no caso concreto. Não estou falando aqui de atrasos pequenos, que embora gerem desconforto são considerados apenas "meros problemas do cotidiano". Estou me referindo a atrasos maiores, a cancelamentos, a overbooking. Verifico na prática que as chances de um acordo vantajoso com a companhia aérea são maiores na medida em que você dá a ela mais trabalho. Por isso jamais procuraria um juizado especial de aeroporto. Lá o advogado da empresa já é figurinha conhecida de todos ("repeated player") e usualmente recebe tratamento diferenciado para melhor. Além disso, por conta da freqüência dos casos, os problemas dos passageiros tendem a ser banalizados, minimizados ("ah, já passou por aqui gente com atraso muito maior que esse seu e só levou milzinho"). Eu procuraria um juizado especial normal, ainda que isso fosse me dar um pouco mais de trabalho e tomar um pouco mais de tempo. Fazer um acordo que me dê uma ida e volta para um lugar desejado compensaria o esforço.

Eu só divirjo do Ernesto na parte em que ele diz ser um bom negócio adiar as férias em um dia em troca de 70% do valor da passagem. Embora em um primeiro momento possa ser financeiramente interessante, sigo a linha de um amigo que diz que férias não se vendem, se compram.

PêEsse
PêEssePermalinkResponder

Um adendo: eu não acho errado quando a companhia aérea inclui severas restrições, multas etc. para quem não comparece ao vôo (no show), para quem quer mudar a data ou o destino etc., afinal, ela precisa se programar e não pode ficar à mercê do passageiro/consumidor. Pode ser que, com a mudança de uma data feita pelo passageiro/consumidor por razões que somente a ele dizem respeito, a companhia aérea não consiga mais vender o trecho original trocado. Por isso multas e restrições são justificadas, no meu entender. Mas isso gera como contrapartida a favor do passageiro/consumidor a conseqüência de que a companhia aérea não pode cancelar ou mudar o vôo ou praticar overbooking impunemente. Também ela tem de arcar com fatos praticados por razões que só a ela dizem respeito e com as quais o passageiro/consumidor não tem nada a ver. Aliás, por esses motivos, os custos com remarcações e as multas cobradas do passageiro quando é ele quem "falha" são mais um argumento a ser usado nas ações por overbooking ou atrasos.

Dionísio (www.espacovital.com.br)

PêEsse, como tu mesmo dizes, a indenização por dano moral caberia em alguns casos e, em outros,não.

Este é o alerta que quero dar, porque o brasileiro pegou a mania de achar que tudo rende indenização por dano moral.

Não sei em outros estados, mas aqui no RS tenho visto principalmente a Gol levar os processos judiciais até o fim, sem acordo.

A propósito, não sei se vocês conhecem a Andep - Associação Nacional em Defesa dos Direitos dos Passageiros do Transporte Aéreo (http://www.andep.com.br/Content/), que tem sede em Porto Alegre e conta com assessoria jurídica de primeira linha. O site dela é bem interessante e contém informações boas de se ter.

Ermesto, o pato

Dionisio

Eu tenho um pouco de receio destas "assosciações" que na realidade são escritórios de advocacia que não se subordinam as regras da OAB. Não conheço esta em particular, mas uma queixa frequente de quem move processo com este tipo de entidade, é de que os advogados são trocados com muita frequencia, e em regra são inexperientes;.

Dionísio (www.espacovital.com.br)

Não conheço o trabalho da Andep em particular, mas sei que o seu é um conhecido e respeitado ex-agente de viagens de Porto Alegre e o consultor jurídico é um dos mais renomados juristas gaúchos.

Thaís Lima
Thaís LimaPermalinkResponder

No sábado de Carnaval tínhamos um vôo pela GOL às 5h30 que saia do aeroporto de Chapecó-PR para Florianópolis. Em Floripa pegaríamos um vôo pela Aerolíneas para Buenos Aires. Ocorre que a ANAC fechou o aeroporto de Chapecó por irregularidades que perduravam por anos. Eles escolheram simplesmente sábado de Carnaval para interditar o aeroporto! A GOL foi notificada no dia anterior às 18h30 e não comunicou os passageiros. A OCEAN AIR decolou e assumiu os riscos. Se eu soubesse do fechamento do aeroporto, com certeza teria ido para Floripa de ônibus ou de carro na sexta mesmo. Solução da GOL: levar a gente de ônibus numa viagem de 12 horas. Resultado para mim: perdi meu vôo para BsAs, e só consegui embarcar no domingo de Carnaval (menos 1 dia da minha viagem).

Cristina L
Cristina LPermalinkResponder

Thaís, estou voando para Chapecó na segunda... o aeroporto continua interditado? a Gol continua vendendo passagens...

Thaís Lima
Thaís LimaPermalinkResponder

Olá Cristina,
O aeroporto voltou a funcionar. Na verdade foi interditado apenas durante o período daquele vôo que eu ia fazer. De qualquer forma, quando voltamos à Chapecó a funcionária da GOL informou que o aeroporto continua com irregularidades e que poderá ser novamente interditado a qualquer tempo. Isto porque o retorno às atividades do aeroporto deu-se em razão de uma decisão, que não sabemos ser administrativa ou judicial, mas sujeita a revogação. A funcionária também informou que a compra de passagens está bloqueada a partir de março.
Por cautela, agora viajamos para Francisco Beltrão via Curitiba e não mais Chapecó.

Alessandra Fiorini

Vou postar aqui uma historinha que escrevi contando o que aconteceu conosco com a TAM há muitos anos atrás, deve ter sido em 2000, nem lembro mais...

Feche os olhos e imagine a cena: A família inteira estava lá: pais, filhos, noras, genros, netos.
Dia 22 de dezembro, sábado, 7 horas da manhã. Aeroporto de Congonhas. Gente saindo pelo ladrão. A fila do check-in terminava na calçada. Chovia. O Brasil inteiro estava sem teto - todos os vôos atrasados.

Agora você imagine "aquela" animação - afinal, todos iríamos passar o Natal juntos, em Fortaleza - ô maravilha! Todo mundo muito feliz: (tudo bem que estava o caos, mas beleza) férias, Natal, nordeste, praia - mau humor por quê?

Aí que sobe na esteira uma aero-comissária-modelo-atriz e grita para a multidão: QUEM JÁ FEZ O CHECK-IN PODE ESPERAR NO SEGUNDO ANDAR, OS VÔOS SERÃO ANUNCIADOS EM TODOS OS MICROFONEEEEEESSS! LÁ ESTÁ MAIS VAZIIIOOOO!

E vai lá a família do Firinfinfim subir pro segundo andar. Vôo marcado prás 10 da manhã. Ouvimos no auto-falante: "-Vôo 4554 para Fortaleza - atrasado".

Dez horas, onze horas, meio-dia. Todo mundo com fome. O auto-falante repete: "-Vôo 4554 para Fortaleza - atrasado". Alguém sai para comprar uns lanches. Outro vai ao banheiro.

Duas da tarde. Ninguém aguenta mais. Meu pai começa a xingar a TAM, o Lula, São Pedro. As crianças chorando, irritação geral.

Eis que alguém resolve descer pro primeiro andar e perguntar para a mesma aero-comissária-modelo-atriz como estava a situação. Ela não estava mais lá. E a nova aero-comissária-modelo-atriz responde: "-Vôo 4554 para Fortaleza? Já partiu."

Feche os olhos e imagine a cena de novo: Um senhor de respeito, beirando os seus 60 anos, gritando que nem louco e à beira de um infarto. Este era meu pai, xingando a TAM, o Lula, o São Pedro e a aero-comissária-modelo-atriz.

Pois então eles resolveram chamar um táxi, nos mandar de volta prá casa, e nos encaixar no vôo das 19 horas! Tudo bem que a gente estava lá desde as 7 da matina, mas mau humor por quê?

Pausa para detalhe: Cadê as malas? "Ah, sim, as malas foram no vôo 4554." E elas vão prá Fortaleza sem nós? "Sim, mas vão para o setor de bagagem extraviada, quando vocês chegarem lá tem que ver (?!) se elas estão lá."

Foi o tempo de voltar prá casa, comer alguma coisa (e sujar a louça numa pia que estava arrumadinha, arrumadinha), tomar um banho, deixar a louça suja e voltar pro aeroporto.
Lá chegando o vôo das 19 horas só saiu às 22:00. Tá rindo? Ainda não terminou.

Saímos às 22 horas debaixo de uma P duma chuva rumo ao ensolarado nordeste.

Agora pare um pouquinho de novo e imagine uma senhora respeitosa, beirando seus 60 anos, cansadíssima, nervosa, que finalmente estava num avião que estava numa turbulência depois de um dia extremamente estressante e... isso mesmo, chamou o Hugo. E chamou de novo. E mais uma vez. Essa era a minha mãe. E quem segurou o saquinho, e abanou, e deu água, fui eu. Porque o resto do povo "estava com nojo". Ã-hã, eu não, brigadão.

E eu levantei, passei ela prá classe executiva que estava vazia, deitei a poltrona e aí chegou um aero-comissário-ator-transformista e me disse que "eu não podia ficar ali". Imagine uma mulher linda, inteligente, pheena, magra e educada. Agora imagine esta mesma mulher mandando o aero-comissário-ator-transformista à merda. Em alto e bom tom. Que foi ouvido desde o porão de carga até a primeira classe. Essa era eu.

Passado o incidente, sentei-me calmamente em minha poltrona de classe econômica e meu filho dorme ao meu lado, exausto. Aí a luzinha da poltrona de trás acende, chamando a aeromoça. Ouço o casal de trás dizer: "Deve estar acontecendo alguma coisa, tem esta água escorrendo, molhou todo meu tênis, está vindo da cadeira da frente, será que é do ar condicionado?"

Instintivamente, enfio a mão no meio das pernas do meu pimpolhinho fofinho. Imagine uma criança exausta, irritada, dormido profundamente e... toda mijada. Esse era meu filho. E a água que escorreu no pé da moça, bem... não era água.

Pausa para detalhe: Lembra das malas? Pois é, não tinha roupa. E antes que alguém venha falar: "Mas você não tinha uma troca de roupa na maleta de mããããooooo?" Nãããããooooo, eu não tinha, eu não ia adivinhar que a gente ia ficar numa viagem de 24 horas.

E finalmente chegamos à Fortaleza. 2 da matina. E o ônibus que nos levaria até o hotel tinha que esperar outro avião "que já estava chegando". Fui então ao banheiro, com o pequeno mijado, porém já seco no secador de mão do avião. E antes que alguém roubasse ele no aeroporto do nordeste - desculpe, mas sei lá, a gente ouve todo dia notícia de criança roubada no nordeste - entrei com ele junto na cabine e fui fazer xixi. E abaixei as calças, e, puta merda, eu tava apertada, comecei a fazer xixi, que delícia, que alívio, chegamos, agora só falta chegar no hotel e... imagine um menino mijado-seco, se encolhendo no cantinho da cabininha de um banheiro de aeroporto, gritando: PARA, MÃE, PARA, MÃE! . Agora imagine o pessoal do lado de fora o que não estava pensando. Agora imagine o que aconteceu. Adivinhou? Você, mulher, linda, pheena, adulta e asseada, que faz xixi em pé em banheiro público, adivinhou? Isso mesmo, eu mijei com a tampa da privada fechada. E o xixi respingou todo no menino mijado-seco, que ficou mijado-molhado de novo (só que agora com xixi de outrem). E eu, com a calça inteira molhada. Lembra da mala? Pois é.

Sabe que horas fomos chegar no hotel? 5 da manhã. Isso mesmo. Com criança pequena. Com fome. Com ingresso pro Beach Park pro dia seguinte, sendo que o transporte sairia às 7.

E as malas, a gente foi ver e achou, graças a Deus. E as férias, foram maravilhosas. Recomendo.

(Lembra da louça que ficou suja? Apodreceu, tive que jogar fora).

Zé Maria
Zé MariaPermalinkResponder

Alessandra, seu texto é uma delícia de ler. Parabéns.

luis r.
luis r.PermalinkResponder

a história é o horror, o horror!
mas o estilo e impagável!
ñ leve a mal, alessandra, mas vc ñ tem + nenhum perrengue pra contar?

Ricardo Freire

SENSACIONAL!!!!
mrgreen
mrgreen
mrgreen

Denise Mustafa

tô chocada Alessandra. Chocada.
Mas, enfim, acontece. Principalmente dias antes do natal, vindo pra Fortaleza (sim, eu moro em Fortaleza, fica caótica no final do ano). Mas ainda bem que deu tudo certo.
Mas, desculpa, sem querer ser bairrista, sobre roubo de criança no nordeste... Pelo menos aqui a gente não "vive ouvindo falar". Porém, claro, nunca devemos dar bobeira. Principalmente em aeroporto!

Paula Bicudo
Paula BicudoPermalinkResponder

Alessandra, simplesmente hilário!

Alessandra Fiorini

Oi Denise... isso aconteceu com meu 1º filho - Agora com o segundo eu já desencanei... se precisasse ele teria ficado do lado de fora numa boa... coisas de mãe de primeira viagem! "quando o primeiro filho engole uma moeda, a gente leva no PS, tira RX, acompanha a cada 2 dias para ver se está tudo bem. Se o segundo engole, a gente não leva no PS, só espera sair. Se o terceiro filho engole, a gente desconta da mesada dele."

Leticia Greco
Leticia GrecoPermalinkResponder

Alessandra.. que situacão!!! ou melhor, que situacoes, mas do jeito que vc contou, não consegui parar de rir!!!

Thiago Parente

Alessandra..desculpa..crise de riso aqui. Que perrengue! O melhor é olhar pra trás e ver que sobrou o bom humor.

PêEsse
PêEssePermalinkResponder

Rindo até agora.

Alex Melo
Alex MeloPermalinkResponder

Puuuuutz. Foi bem trágico e tals, mas é difícil segurar a risada, hein. Haja perrengue

Carla
CarlaPermalinkResponder

Alessandra, você é um talento, menina!!! A situação realmente é de chorar, mas eu estou às gargalhadas... lol

Camilla
CamillaPermalinkResponder

Alessandra,

não sei se estou chorando de rir ou se de pena também... mas o estilo literário é impagável smile to me contorcendo... até esqueci o perrengue que eu ia postar grin

Paulete
PauletePermalinkResponder

Nossa essa foi a melhor-pior história que já ouvi!!! Hilária kkk!

gabebritto
gabebrittoPermalinkResponder

Fantástico. Essa história merecia ter levado aquela passagem pra NY, hein?

diogo
diogoPermalinkResponder

pouta que los pariu, que texto bem bom de ler!!!!!!!

Elisa
ElisaPermalinkResponder

Esse vôo da US Airways que vai do Rio para Chalotte é uma roubada. Pode nao decolar, como aconteceu agora em fevereiro, ou pode decolar com um avião em condições precárias, como já relatei anteriormente aqui no VNV.
https://www.viajenaviagem.com/2010/01/rio-charlotte-pela-u-s-air-aviao-velho-tripulacao-rude/

Clara
ClaraPermalinkResponder

Alessandra, menos mal que pelo menos essa experiência rendeu uma crônica de viagem muito bem feita e engraçada. Claro, sei que você preferiria nunca ter que descrever essa desventura.

Lili-CE
Lili-CEPermalinkResponder

Riq, a irma do meu marido estava no cruzeiro (que partiu de Fortaleza) e teve a parada em Noronha abortada. Ela me contou que um senhor que comemorava 40 anos de casado disse que o sonho da vida era conhecer Noronha e se perguntava se ainda voltaria ali. De partir o coracao. Uns gaúchos filmaram a loucura no navio e colocaram na internet. Desculpe a acentuacao, teclado uruguaxo... Dizem as mas linguas q um dos estabilizadores estaria quebrado. Tb achei gaiatice essa historia do mau tempo, pois tem todo ano nessa epoca. Nao é imprevisivel de jeito nenhum.

Lili-CE
Lili-CEPermalinkResponder

Ja fui abandonada pela Vasp e pela Varig, ambas no ocaso. A Vasp nos colocou na TAM (nós 2 e mais 4 pessoas, o resto fez Recife Maceio de onibus) e a Varig ate nos chamou pelo microfone com antecedencia (umas 3h antes) para nos acomodar na Gol, mas estavamos no restaurante do aeroporto de Congonhas e nao ouvimos. Acabamos passando a noite por conta deles no Hotel Le Canard (super sugestivo o nome smile ) junto com outros passageiros da Tam na mesma situacao. SP era uma conexao e acabou sendo melhor do que esperar outra aeronave, pois estavamos mortos de cansados. Meu marido, advogando para a familia dele q perdeu sua formatura por causa de atraso aereo, ganhou uma acao contra Transbrasil. A familia foi retirada na conexao do voo para colocar globais que iam para o Fortal. Ah, existe uma associacao das vitimas de atrasos aereos, baseada em SP, sabia? Na epoca o Filgueiras os contatou e eles deram algumas informacoes uteis.

Denise Mustafa

por causa da vinda de globais para o fortal é DOSEEEEEE!

Danielle Castro

Alessandra, adorei o texto ! Parabéns ! E o melhor, suas atitudes foram fantásticas !

Tiago
TiagoPermalinkResponder

Ainda bem que nunca tive problemas visíveis com companhia aéreas. Pelo contrário, tenho bastante sorte com pontualidade e qualdiade dos vôos...
Digo visíveis porque a mala sempre chega com uma estragada a mais. Acho que se víssemos as empresas embarcando nossa bagagem, só íamos viajar de busão e trem pro resto da vida

Paula Bicudo
Paula BicudoPermalinkResponder

Eu tive um problemão com BRA, que "faliu" quando eu estava na Pipa lá pelos idos de 2002. Tive que comprar uma nova passagem pela Varig na época e nunca tive ressarcimento, mas fiquei uma semana a mais de férias, rsrsrsrs.

Gustavo - Viajar e Pensar

Alessandra, triste mais cômico.
Tive um problema com Easy Jet, pois havia comprado um voo as 5 da Matina no Aeroporto de Gatwick por 19 Libras e tranfer por 2 libras, para Roma, uma semana antes cancelaram o transfer e tive de pegar o Gatwick Express por 16 libras, quase o valor do voo, a Easy simplesmente cancela também.
Estive num cruzeiro a pouco pelo Caribe que 4 passageiros ficaram em uma das paradas, e o navio saiu on time, sem choro, e no programa original estava programado a saída às 17h, no desembarque saída já informaram que estava alterado e saíria às 15:30h.

Boa sorte e boa viagens a todos.

vivi
viviPermalinkResponder

Alessandra, é tu "égua"? rs

Mah
MahPermalinkResponder

Oi Ricardo,

Sei que esse não é o melhor lugar pra perguntar isso, mas tô com uma super dúvida sobre $$$, e achei que tu é a melhor pessoa pra me esclarecer... Vou fazer um mochilão agora em março pela Europa (5 Paris, 5 Londres, 4 Porto, 5 Roma, 7 Croácia - mais ou menos isso), e querian saber se posso usar o Visa Electron por lá, ao invés de sacar o dinheiro pra pagar as coisas... Meu cartão de crédito e de débito é internacional (pelo menos é o q diz nele, eheheh), mas n sei se o Electron é bem aceito lá, pq vejo o pessoal todo se programando pra usar o Visa Travel Money (o qual tbm vou levar, mais um pouco em espécie... Enfim, não vejo mta diferença entre o VTM e o Visa Electron... Tu pode me ajudar nisso???

Obrigada e parabéns pelo site, as dicas são ótimas!!!

Mah wink

Ricardo Freire

Visa Electron é um cartão de débito vinculado a uma conta bancária. Pergunte ao seu banco se é possível fazer saques com ele (nem todos os bancos oferecem essa possibilidade) e, mais importante, qual é o limite para saques/compras. Em cartões vinculados a contas bancárias, o limite para saques/débitos no exterior não é igual ao saldo em conta corrente. É bem menor, sobretudo se a sua conta não for muito especial.

VTM é um cartão de débito internacional com chip que serve para saques e compras em lugares que aceitem Visa. Você pode usar enquanto tiver saldo, e pode recarregar se o saldo terminar.

Caso o seu cartão Electron realmente possa ser usado no exterior, a taxa de câmbio deve ser melhor do que a do VTM, porque os bancos usam a cotação interbancária, próxima ao câmbio comercial, enquanto o VTM usa a cotação turismo, que é um pouco mais cara.

Se quiser continuar esse assunto, por favor use o post certo:
https://www.viajenaviagem.com/2009/05/pros-x-contras-dolar-euro-peso-real-travelers-cartao-de-credito-saque-internacional-ou-visa-travel-money/

ElaineRego
ElaineRegoPermalinkResponder

Carnaval 2001: Gramado - Voo de Porto Alegre devia sair as 5 da tarde. Atrasou. Mas iamos ainda pra Congonhas. Chegamos a tempo, corremos pelo aeroporto (pousamos na pista)...ouvimos pelo auto falante...ultima chamada....pra "Santos Dumont" onde deviamos pousar as 8 da noite.

Foi passar pelo atendente com codigo de barras e...ouvimos pelo "radio"do atendente "aeroporto vai fechar" tava sem teto (muita chuva) beleza, acontece, mas....ficamos "refem" dentro do aviao...nao podiamos voltar pro hal do aeroporto pra comer nada....e não serviriam nada...só durante voo. Putz...eu "azul de fome"...sem nada pra fazer....aí resolvo pegal o telefone e dar um "zapeada na internet"...ele fecharam a porta do aviao e não pode eletronico....putz...

uma hora e 10 minutos depois decolamos...o tempo tava horrivel.... e só serviram um bacalhau com arroz já sobrevoando a Baia de Guanabara ( deram sorte, pois o voo tava vazio, e deu tempo de "engolir a comida" e limpar tudo).

Pois é...no voo de ida pra POA foi direto, 2 horas de voo e serviram amendoim. Na ponte aerea (1 hora no máximo) é bacalhau...fala sério.

Carnaval 2007:saindo de Miami. Chegamos 4 horas antes do voo e no check in da TAM tem uma familia com 6 pessoas, um senhor com um instrumento musical e nós ( eu e maridão). Isse é 6 da manha. Achei estranho e um recepcionista nos avisa só tem 10 vagas no voo pois o aviao da noite pegou fogo na turbina apos levantar voo e teve que voltar. Os passageiros foram colocados num hotel e ja entrariam perto da hora do embraque (10 da manha).Se não pegasse esse ficariamos até a noite pra embarcar...imagina só...

Beleza....na sorte conseguimos pois as as "vagas" eram da "desistencia" de passageiros. Foi o voo mais tenso e silencioso que já peguei na vida. Ao pousarmos em Sao Paulo, aplausos de alivio do aviao em peso.

MIGUEL ANGELO GOMES

Deixa-me fazer um contra-ponto.

Muitos dos casos citados acima "foi um barato que saio caro" companhias low-cost ou pelo menos com uma tendência a ser (não que todos sejam ruins), navios de pequeno porte como o MSC Melody que faz a costa nordeste... Esse é o tipo de viagem que você fica rezando pra dar certo porque sabe que há um risco potencial de ocorrer algum imprevisto.

Como agente administrador de viagens eu fico no meio do muro, entre quem leva e quem é levado, meu posicionamento é sempre a favor de quem viaja mas estando de perto consigo identificar o motivo de muitos erros, e muitas vezes realmente as empresas prestadoras de serviço não tem escolha, inda mais quando se trata de problemas de força maior, como causas naturais.

Um comandante de navio ele vai agir pela seguridade e prudência quando o risco for de 0,001% de ocorrer algo que comprometa a integridade física do navio e conseqüentemente a vida dos que estão a bordo, uma companhia aérea é um verdadeiro marasmo jurídico para quem viaja, principalmente as companhia que operam com baixo custo, você só tem o direito de viajar e ficar calado, experimenta dar um no-show, sempre tem uma regra na tarifa que no final das contas só serve pra te engessar e te fazer ter o maior prejuízo.

O que não se admite é uma cia como a AA (a maior frota do mundo) cometer um erro crasso, grotesco e incompetente na sua forma mais literal como o fez com a família Batista que me ligou no dia 1º de janeiro as 09:00h AM (detalhe, eu já estava acordado) pra me dar a triste noticia de que as reservas haviam sido canceladas. Tudo bem estavam, mas daí dizer que não tinham autonomia para re-emitir um bilhete da própria companhia, isso gerou um prejuízo e um transtorno sem precedente para o passageiro que só conseguiu embarcar no outro dia (02 de janeiro 2010) e após pagar aproximadamente R$ 13.700,00 isso com taxa de re-emissão e despesas adicionais... O resto desta história ainda estou escrevendo... acreditem, tem muito mais!

Alex Melo
Alex MeloPermalinkResponder

Posso contar minha história de Carnaval 2010? De longe a pior viagem que já fiz até hoje...

Fui de cvc (sim, a cada 2 anos +- marco um passeio com eles) para Camboriu, rodoviário.
Na ida, 1 hora de atraso na saída, mais 30 min. para arrumar um retrovisor quebrado.
Até que lá perto das 3 o ônibus parou com um pneu furado, por sorte perto de um posto de beira de estrada. O pneu arrumou rápido, mas estava com problema em uma válvula. Resultado: 4 horas para consertar a tal válvula, e voltamos a pegar a estrada só depois das 7:00 da manhã. Era muito mais rápido se tivessem enviado outro ônibus, mas prá que se dar ao trabalho?
Mas isto foi só o começo....

Pouco depois paramos para tomar café e na volta, o ar condicionado não estava funcionando. Mais uma vez: trocar o ônibus, nem pensar. Assim, entramos na queda de terra que havia na BR sem ar. Foram umas 2 ou 3 horas com o ônibus quase parado, totalmente lacrado, fazendo 38º do lado de fora. Dentro, só por um milagre ninguém passou mal. Mas todo mundo se abanando, tomando litros e litros de água, e tentando esperar que tudo acabasse logo. Quando finalmente andou, o único ar é o que vinha daquelas aberturas pequenas que ficam acima e podem ser levantadas.

Resultado: 2:30 da tarde e finalmente chegamos em Curitiba. Mais 2 horas parado para arrumar o ar, sem conseguir. Finalmente chegamos em Camboriu as 20:00, 22 horas depois de sair se Sampa, a maior parte destas com um sol fortíssimo e sem ar-condicionado.
Conseguiram arrumar o ar na noite de sábado... mas na 2ª feira, saindo para outro passeio, o motor ferveu. 1 hora depois, finalmente resolveram trocar o ônibus (por sorte, neste passeio eu não fui com o grupo)

O pacote era até 3ª feira, então para recuperar parte da dignidade, a empresa deu 1 dia a mais e todo mundo ia ficar até 4ª. Seria até razoável, não fosse muita gente ter que trabalhar na 4ª feira (eu inclusive), o que quase gerou uma guerra no ônibus, até que conseguiram encaixar quem precisava voltar em outros ônibus que estavam na região. Assim, parte teve uma certa indenização e parte não. Eu estou aguardando os 30 dias que me pediram para 'avaliar o caso'.

Para completar, algo fora da CVC: fomos fazer o passeio na praia das laranjeiras de bondinho. Tudo ótimo e maravilhoso até que qdo estávamos na fila da volta começou a ventar muito e o bonde teve que parar - assim ficamos 2 horas ali até arrumarem ônibus para levar a gente pro outro lado, mais 2 horas de trânsito até chegar ao hotel.

Carnaval assim, eu preferia é ter ficado em casa!!

Andre
AndrePermalinkResponder

Ernesto,

sim, entrei com o recurso e ele foi indeferido. Todos os meus amigos que tiveram acesso ao processo também acham que ele foi mal julgado (afinal a GOL alegou que o vôo foi cancelado mas não anexou nenhum documento que comprovasse isso). Mas isso acontece.
Eu impetrei a ação judicial porque a ANAC determina que os passageiros devem ser indenizados nos casos de overbooking e a Varig se recusou a fazer acordo. As empresas não respeitam o órgão regulador, que por sua vez também lavou as mãos quando fiz a reclamação.

Alessandra, que estória triste. Mas você escreve muito bem.

Ermesto, o pato

Andre

É uma pena, lamento pelo seu julgamento, pois me parece que não foi feita justiça no seu caso.

Yara
YaraPermalinkResponder

Em 2.007 feliz e contente fui assistir aos jogos do Pan no Rio. Tudo estava muito divertido até que eu precisei retornar ao trabalho. Meu vôo era da Gol e vinha direto para Campinas. Na época, não havia muitas outras opções para a cidade. O aeroporto estava lotado, turistas e atletas sentados no chão esperando e, lógico, muitos vôos atrasados e cancelados. No meu caso, após passar o portão de embarque nos informaram que o vôo atrasaria 4 horas! Isso já era horrível, considerando que não havia lugar para sentar ou comer. Após as quatro horas, nada de vôo partir. Quem podia, foi embora, quem não podia, como eu, ficou e reclamou até o limite para conseguir embarcar depois de mais espera, nas piores condições possíveis. Foram mais de 7 horas de atraso sem que nos permitissem voltar ao saguão, onde poderíamos comer, sentar, ou fazer qualquer outra coisa. Com as notícias de Copa e Jogos no país só imagino se realmente teremos condições de atender toda esta demanda, pois certamente a experiência com o Pan foi a pior possível.
Não posso deixar de comentar, também, o outro lado da história de outra cia: em novembro de 2.009 peguei um vôo da AA com escala em Dallas para seguir até Columbus/Ohio. Desembarcamos naquele aeroporto, que é maravilhoso por sinal, com tempo suficiente para conexão e seguimos viagem. Após 20 minutos de vôo notamos as aeromoças aflitas, os sinais luminosos acendendo e avisos firmes para nos sentarmos. Foi então que o comandante informou que o avião estava soltando fumaça, mas não havia fogo (fato inédito, a meu ver). As turbinas estavam com um problema e tivemos que voltar ao aeroporto (sim, uma delas pegou fogo). Tirando o susto da situação, a empresa resolveu o problema muito bem, pois em menos de duas horas já estavamos em outro avião, com tudo embarcado. Ficamos atentos pra que não nos enviassem para a mesma aeronave com "defeito", digamos assim, então certamente podemos atestar que nos levaram de volta, nos desmebarcaram após os procedimentos de segurança (sim, igualzinho aos filmes!!) e nos encaminharam para uma nova aeronave sem maiores transtornos e num tempo razoável, considerando a gravidade e imprevisibilidade da situação. Enfim, achei que valia a pena contar as duas experiências, pois elas só provam que é possível contornar adequadamente os piores transtornos possíveis! wink

Dani S.
Dani S.PermalinkResponder

O texto da Alessandra é de morrer de rir (agora que já passou e não é comigo, lógico) mrgreen

Rosa
RosaPermalinkResponder

A Ryanair e' realmente um horror. Morando em Dublin ha' 10 anos tive que voar com ela dezenas de vezes, e e' uma loteria. Mesmo com o voo normal e tranquilo o servico deixa muito a desejar.

A primeira vez que voei com Ryanair foi Dublin-Edinburgh, voo pouco mais de uma hora. Duas horas depois da partida e estamos ainda sobrevoando Edinburgo (na Escocia) tentando pousar por causa de vento, chuva etc. Acabou pousando em Glasgow tres horas e pouco apos a partida.

No aeroporto de Glasgow o pessoal da Ryanair providenciou um onibus pra levar os passageiros a Edinburgo, mas isso eu ouvi falar na muvuca largada no aeroporto - nao achei funcionario algum pra dar informacao. Entao fomos todos pro lado de fora, num frio de lascar, esperar o tal onibus. Um colega que viajava comigo foi ao banheiro enquanto o tal onibus chegou - cabia 40 e poucas pessoas para um voo de mais de 100. A primeira leva entra no onibus, o resto espera o segundo - mas nao existia um segundo onibus. Acabamos alugando um carro, e gastando muito mais do que o valor da passagem e 6 horas a mais pra chegar em Edinburgo prum fim de semana que ficou curtissimo.

Se for pra voar entre Irlanda, a Aer Lingus e' muito melhor e com os precos competitivos online as vezes sai ate' mais barato do que a Ryanair, ao menos para voos entre Irlanda e Reino Unido. Ryanair nunca mais.

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

O meu abandono foi anunciado no microfone:

"..solicitamos a compreensão dos passageiros , mas temos o dever de informar que esta compania aérea, não realizará mais voos para o Brasil... mesmo aqueles que estão com o cartão de embarque em mãos, deverão comparecer ao guichê.."

e antes mesmo da frase terminar , um tsunami de brasileiros aos gritos , atropelou tudo e todos ( e eu tive a certeza de que iam matar as atendentes do balcão da cia aérea)

Éramos 6 pessoas, chegamos ao aeroporto 3 horas antes, despachamos as malas,recebemos o cartão de embarque.

Quatro pessoas entraram no avião; nossa bagagem "acharam" que havia embarcado , e nós ficamos no aeroporto durante dois dias ( podendo embarcar a qualquer momento) com 600 dólares em cash na mão ( a compensação da cia aérea).

Não me importei muito em ser abandonada e nem me preocupei com a bagagem ( deixei isso pros quatro que voaram ) , mas aprendi várias coisas:
*sempre ter em mãos um kit-sobrevivencia-RR ( ração e roupa)
*sempre ter um dinheirinho de verdade na mão
*nunca aceitar um cartão de embarque sem lugar marcado
*não permitir que a bagagem role na esteira antes que todo o processo de embarque seja concluido.

( Aeroporto de Miami - Braniff- anos 80 )

Gabriela
GabrielaPermalinkResponder

Não tive nenhum problema de vôo neste Carnaval, mas ao chegar no checking da Continental para despachar as malas e tal, foi me oferecido 100 dólares em crédito para o caso de aceitar transferir o meu vôo para o dia seguinte, já que o avião estava com overbooking. Lógico que não aceitei e a pessoa responsável me disse par não me preocupar pois eu estava com o acento marcado. Pensei que isso fosse poibido, e me senti ultrajada com a oferta. Imagina perder 1 dia de viagem de carnaval (25% da viagem) por 100 dólares em crédito?! E o valor do taxi, no show no hotel, ingressos comprados? Só então entendi o porquê da fila "kilométrica" no checking 4 horas antes do vôo.

Fora isso o vôo atrasou, por sorte, apenas 1 hora, já que a aeronave que nos levaria chegou às 21:00h, quando deveria ter chegado às 10:00h da manhã.

Jurema
JuremaPermalinkResponder

Eu não tenho perrengue desse tipo para contar, não, graças a Deus. Mas, como a gurua Sylvia, também faço da bagagem de mão um kit de sobrevivência que garanta algum conforto para um dia inteiro sem malas. Antigamente incluía também uma garrafa de água, mas agora não pode mais (uma amiga minha diz que "é um absurdo proibirem de embarcar no avião todo um estado da matéria" rsrs).
Outra coisa que já aprendemos quando viajamos em família é nunca fazer uma mala para cada um, nem uma com agasalhos e sapatos e outra com o resto das coisas, e sim colocar de tudo e de todos em cada mala, assim se perde (ou atrasa) uma o perrengue é menor.

Adri Lima
Adri LimaPermalinkResponder

Eu já fiquei no chão em 2005, numa viagem mochileira pra Bolivia. Fui de pontos Fidelidade TAM, até Cochabamba. De lá, eu iria para La Paz por um voo da pela Loyd Aereo Boliviano, marcado para as 20h30. De hora em hora avisavam que o voo estava atrasado... até a meia-noite, quando nos falaram que o voo só sairia no dia seguinte. Mas correu tudo bem, nos colocaram em um onibus e nos mandaram todos para um hotel muito bom na região (aliás, o quarto mais confortável de toda a minha viagem, que só peguei albergues baratinhos). De manhã cedo, outro onibus veio nos levar até o aeroporto e o voo saiu às nove da manhã. Acabou que conheci um monte de gente interessante e pude dividir um taxi e saber muito da cidade, até chegar ao meu albergue, na Calle Comercio, em La Paz!

O mais engraçado desta viagem ocorreu no dia seguinte: começou uma revolução na capital (que acabou depondo o presidente e, depois de alguns meses, entrou o Evo Morales) e, para não ficarmos ilhados em La Paz, fugimos para o aeroporto, onde dormimos. E lá ficamos eu e mais 2 amigas esperando o quarto membro da nossa viagem mochileira chegar no dia seguinte, que quando nos viu no aeroporto não entendeu nada... foram 26h no aeroporto!!! Nem pagando carro com motorista conseguíamos alguém que nos levasse à N.Sra. de Copacabana para continuarmos nossa viagem. Voamos para Lima, que nem estava em nossos planos (e provocou um buracão no meu orçamento mega economico), pra continuarmos o périplo Bolivia-Peru, pois por terra ninguém se arriscava! Depois que acabou, virou uma super aventura e ótimo papo para happy hour! Mas depois soubemos que quem continuou em La Paz teve que ir pra Embaixada Brasileira e alguns foram recolhidos de helicóptero. Ufa...

Paulete
PauletePermalinkResponder

Cheguei com o localizador da Trip no balcão do aeroporto de Noronha um dia antes do embarque (just in case, pque já tinha tido problemas na ida) e eles disseram que naquele localizador tinha outros passageiros para outra data...Estávamos em 6 e arcamos com o prejuízo de comprar outras 6 passagens em tarifa "máxima" para conseguir embarcar. Na volta obtivemos o reembolso da agência de turismo da qual compramos as passagens anteriormente...

Paulete
PauletePermalinkResponder

Ah acabei de ficar em Vail 3 noites a mais devido ao cancelamento do meu vôo por mau tempo(nevasca)...em casos assim a cia aérea não arca com nada, apenas remarca a passagem para a próxima data possível.... O pior é que em alta temporada, com praticamente todos os vôos cancelados fica difícil achar hotel e os carros pra alugar que eram 300 dólares subiram pra 1000!!!?!
É a segunda vez que me acontece,a primeira foi um vôo de Las Vegas pra Dallas e o aeropoto de Dallas tava fechado por causa de ventos fortes, sem nenhuma suíte disponível na Strip (sábadão)fomos parar em Lake Las Vegas a 40 minutos de lá...

Miguel Angelo Gomes

Acabei de ver essa reportagem no G1; Brasileiro é 1 dos 3 mortos em acidente com cruzeiro no Egito, diz empresa
Vítima era cabeleireiro de 34 anos, cujo nome não foi revelado.
Choque em balneário no Mar Vermelho foi causado pelos fortes ventos.

São fenomenos diferentes, claro, mas foi pra evitar um acidente como este que o Comandante decidiu partir deixando 100 passageiros, a ver navios, se é que viram, por tanto é isso ai, segurança em primeiro lugar. O transtorno sempre haverá, é realmente muito frustrante, mas como diz o almanaque de provérbios populares; Não há um mal que nã faça um bem.

Ricardo
RicardoPermalinkResponder

20.02.10 - Voo - LHR - GRU... via AMS pela KLM..

Ao chegar no aeroporto, noticia: Voo de AMS-GRU teve que trocar de aeronave de 777-300ER pra 777-200, ou seja, 100 lugares a menos, e logicamente não estavamos na lista...

Fomos colocados (3 pax) em um voo direto de LHR-GRU pela TAM, e ofereceram 600 EUR em dinheiro ou 800 EUR em credito com Air France/KLM, e deram 21 libras pras refeições, afinal não era pernoite, apenas um atraso de 12 hrs.

Não preciso dizer que peguei os 800 EUR né? Sendo que paguei 1.530 reais nessa passagem... garanti meu retorno à Europa!

Abs!

Márcio Cabral de Moura

Abandonado no chão, nunca exatamente, mas no inverno passado do hemisfério norte eu e minha esposa fomos passar o Natal na casa de meu cunhado, em Montreal. Voamos United (TAM REC-SP ou RJ, nem me lembro mais e de lá para Washington). Ao chegarmos em Washington, depois de uma fila longa de imigração, vimos que nosso vôo estava atrasado 1 hora - bom, porque se não já estaríamos em cima da hora.

Pouco depois o vôo que era para sair originalmente às 08 ou 09 da manhã tinha sido alterado para as 16h00. Detalhe, ao meio-dia saía um vôo para Montreal.

Fui no balcão da United saber de alguma informação, mas enquanto eu estava na fila, a atendente avisou a todos do meu vôo que nem ficassem na fila, pois o problema era de falta de tripulação, e eles não sabiam a que horas exatamente o vôo partiria.

Nesse momento, eu tentei "ganhar" um lanche, já que eu teria uma longa espera pela frente, mas a atendente me disse que ela não poderia me dar um lanche, pois eu poderia embarcar a qualquer hora, e, naquele momento, o atraso ainda era pequeno e não justificava o pagamento de lanche. Eu ainda tentei sensibilizá-la que eu não tinha nenhum dólar americano comigo, já que eu estava indo para o Canadá, e que, portanto eu não teria como pagar um lanche enquanto esperava a possível saída de meu vôo. E também pedi para ligarem para o meu cunhado, avisando do atraso de nosso vôo, para ele não ir (de táxi) nos buscar no aeroporto de Montreal na hora prevista.

O telefonema não foi possível, mas uma das atendentes me emprestou o celular dela para eu mandar uma mensagem de texto para o meu cunhado.

Por outro lado, consegui sensibilizar uma senhora que estava na fila para ser atendida, que me ofereceu 20 dólares para eu lanchar com minha esposa - não aceitei, pois apesar de não estar com dólares, eu estava com meu cartão de crédito - ainda que eu ache que a United deveria nos ter dado um lanche.

Por sorte (ou azar, sei lá), antes de ir a esse balcão de atendimento, eu tinha passado em um outro que nos colocou na lista de espera para o vôo do meio-dia.

A gente não podia se afastar muito do portão, pois o nosso vôo podia sair a qualquer hora (obviamente, não ia sair, mas...).

Quando foi chegando a hora do vôo do meio-dia, ficamos esperando a loteria da lista de espera (quem já esteve em algum aeroporto dos EUA deve ter notado a lista que vai se atualizando à medida em que o embarque vai sendo feito com o nome dos "felizardos"). Demos sorte: nosso nome apareceu na lista, mas foi tão corrido, que nem meu passaporte olharam, quando eu embarquei, mas tinham me garantido que minha mala estaria nesse vôo (é óbvio que não estaria).

Quando chegamos em Montreal, já no meio da tarde e sem almoço (nem lanche, pois no avião só serviram refrigerante e dois biscoitos), nossa mala não estava lá.

Por sorte (e por conta de um extravio de mala entre Lisboa e Londres pela TAP), tínhamos alguma roupa na bagagem de mão e a nossa roupa de frio estava conosco. Ainda pensamos em esperar nosso vôo original chegar, mas no balcão da United nos garantiram que nossa mala seria entregue ainda naquele dia (um sábado).

Bom, a gente voltava para o Brasil no sábado seguinte, e nossa mala só chegou no apartamento de meu cunhado às 17h00 da sexta-feira, véspera de voltarmos para o Brasil. O call center da United não funcionava (quem manda ter um nome estranho como o meu), já que a máquina não conseguia identificar meu nome. É, você liga para o número da United e fica falando com uma máquina.

Enfim, essa foi a nossa pior experiência com alguma companhia aérea, ainda que tenhamos algumas outras, mas não tão drásticas.

Ah, no nosso vôo estava um casal (na mesma situação que a gente, inclusive sem malas), que estava indo para uma estação de esqui e já tinham perdido o transfer para lá (além de terem ficado sem o equipamento de esqui deles).

De qualquer forma, a conclusão que eu cheguei (já que o extravio da mala de Lisboa para Londres também ocorreu perto do Natal) é que se for viajar para o hemisfério norte perto das festas de fim de ano, procure levar o máximo possível de roupas na bagagem de mão.

Márcio Cabral de Moura

Ah, quanto aos problemas com Noronha, eu acho que é até irresponsabilidade das agências não avisarem, mas é fato corriqueiro:
a) o navio não conseguir desembarcar os passageiros;
b) o avião da Gol/Varig (ou qualquer Airbus ou Boeing) não conseguir pousar se estiver chovendo, já que a pista não comporta aeronaves grandes e elas só continuam voando para lá por muita pressão das companhias aéreas e da população da ilha (já que nos aviões pequenos não dá para levar muita coisa, incluindo itens de abastecimento da ilha).

Para Noronha eu só vou de Trip (ou Total, quando ela operava a linha, na época da "falência" da Varig), que usa avião pequeno.

Dri Fernandes
Dri FernandesPermalinkResponder

Esse carnaval foi um horror em Guarulhos! A atendente da Tam simplesmente disse que nao tinha lugar no vôo em que compramos passagem para Buenos Aires. Disse simplesmente que seriamos ressarcidos ou teríamos que aguardar uma outra possibilidade de embarque, o que ocorreu às 21h (fomos ao balcão para o check in ao meio dia sad
Nos ofereceram um voucher de lanche num lugar não muito bom... mas fazer o quê. Felizmente deu tudo certo em Buenos Aires depois.

Dionísio
DionísioPermalinkResponder

Publicamos hoje uma síntese das novas regras no tratamento do consumidor pels empresas aéreas brasileiras. Quem quiser pode dar uma nolhada em http://www.espacovital.com.br/noticia_ler.php?id=17655.

Julio
JulioPermalinkResponder

Companhia não, mas o vulcão tá quase deixando. #paravulcao!!!

Graci
GraciPermalinkResponder

Eu simplesmente ODEIO a American Airlines. Alem das aeromoças serem super grossas, o atendimento êh péssimo!!!! Já fui deixada na rua da amargura pela American Airlines junto com Gol que êh outra bela porcaria de empresa. Tinha uma viagem marcada para o Brasil, moro em Boston, e ficaria por lá somente por 11 dias, estava indo para batizar meu sobrinho/afilhado.
O primeiro imprevisto foi no aeroporto de Boston. Por conta de uma neve branda que estava caindo em NY, que seria a minha porta de entrada no Brasil, o meu avião não poderia levantar voo porque o trecho Boston- NYC êh feito por um teco-teco daqueles bem vagabundos que só tem uma cadeira de cada lado e só cabem umas 45 pessoas...
Implorei pra atendente da AA me remanejar para o voo de Miami mas a mA vontade não deixou. Tive que voltar pra casa, perdendo assim um dos poucos dias da minha viagem.
Ate aí tudo bem, estava tudo tranquilo, mas no próximo dia a saga começou. Peguei o teco-teco para NYC, cheguei lá encima da hora e perdi o voo pra Sao Paulo por imcopetencia da pessoa que remarcou o voo. Fiquei 8 horas no aeroporto de NYC esperando outro voo, mas como não tinha nenhum fui remanejada para Miami. Cheguei em Miami e esperei mais 5 horas pra embarcar. Ah, finalmente vou chegar ao fim da saga...
Que nada!!! Cheguei em Guarulhos, as 6:30 am do outro dia, corri pra pegar minhas malas, não fiz nem xixi por medo de perder a conexão da Gol que me levaria ao destino final, Vitoria/ ES.
Chegando no guiche da Gol que estava lotado, a atendente não conseguia de jeito nenhum achar meu bilhete porque como meu voo era pro dia anterior, seria um pouco mais complicado de achar minha reserva. Meu voo para Vix era as 10:40 am e já eram 9:40... A atendente saiu para ligar para uma central e localizar minha reserva. Mas antes de ligar ela me assegurou que eu ia conseguir pegar aquele voo, que estava tudo certo. Passaram-se simplesmente 40 minutos e nada da moca. O voo estava com overbook e apareceu uma cliente aos berros dizendo que tinha que embarcar, mas não tinha reserva. A minha atendente reapareceu depois de 40 minutos e foi atender a cliente escandalosa... Quando me dei conta que só faltavam 15 minutos para a decolagem, eu perguntei para minha atendente se estava tudo certo para o meu embarque e a criatura sumiu de novo. Ela só voltou quando o voo já tinha decolado, e eu fiquei pra trás... Quando a infeliz voltou e eu nervosamente pedi pra ser colocada em outro voo, fui informada que só teria outro voo saindo para Vitoria as 10:30 da noite e eram 10:40 da manha!!!! Eu literalmente chorei de raiva!!!!
Para encurtar, tive que passar 12 horas no aeroporto de Sao Paulo e do cheguei em Vitoria, 2 dias inteiros depois do esperado!!!!! Minha viagem que seria de 11 dias, acabou sendo de 9 e eu quase perdi o batizado do meu afilhado, tudo graças a American Airlines!!!!! Pesadelo êh pouco!!!
Pra piorar não ganhei NADA para amenizar meu transtorno!!! E olha que eu reclamei e MUITO!!! O máximo que consegui foi um voucher para lanchar no aeroporto!!!

João Martins
João MartinsPermalinkResponder

A TAM só não me deixou no chão porque eu briguei muuuuito com ela dias antes da viagem. Compartilho com vocês a mensagem que enviei à Anac, Ministério Público, Reclame Aqui e outros.
"Quero manifestar minha indignação diante do completo desprezo da TAM Linhas Aéreas pelos seus clientes no tocante ao problema com o cancelamento das operações em La Paz – Bolívia. Emiti minha passagem em 14-7-2010, reserva XXXX, utilizando pontos do programa fidelidade, e planejei toda minha viagem com antecedência, já no intuito de evitar problemas. No dia 14-9-2010, cinco dias antes do embarque, resolvi verificar minha reserva e me deparei com a alteração completa dos trechos, para destinos que não me interessavam. Pensei que se tratasse de um equívoco e liguei imediatamente para a TAM. Fiquei perplexo ao descobrir que a empresa havia cancelado suas operações em La Paz e não se prontificou sequer em avisar aos seus clientes, muito menos a tomar qualquer iniciativa de solucionar o impasse causado pela própria companhia. Desnecessário mencionar o estresse causado por esse despautério, constatado cinco dias antes do embarque, com a viagem toda programada, compromissos assumidos, reservas e pagamentos efetuados. E tudo poderia ter sido evitado se a TAM tivesse um pingo de decência e respeito pelos seus clientes e os tivesse informado com antecedência, oferecendo-lhes uma solução digna para o impasse. Ressalta-se que em momento algum fui informado, seja por e-mail, telefone ou qualquer outro meio. E que todas as iniciativas de resolver o imbróglio partiram de mim, mediante muita paciência e insistência com os atendentes, que são bastante educados e não têm culpa por essa política nefasta de uma empresa aérea que não tem o mínimo de respeito pelo consumidor de seus serviços. Questionei todos os atendentes sobre o motivo de não terem me mandado sequer um e-mail. Alguns me disseram que eu iria ser avisado. Quando? No balcão de check in? Outros me ofereceram minhas milhas de volta, na última hora, com toda a viagem programada. É simplesmente revoltante escolher uma empresa para voar e ser tratado com tamanho desprezo, tamanha falta de respeito pelos meus direitos. Não viso a obter nenhuma vantagem, quero apenas ser tratado com respeito e dignidade; e, acima de tudo, ver os meus direitos respeitados. Não estou pedindo nenhum favor. É lamentável a atitude da TAM".

alessandra
alessandraPermalinkResponder

Em 2007 fui abadonada a terra pela companhia aerea BRA, que faliu e ate agora nao reembolsou ninguem.
Era un natal e viagavo da Italia para o Brasil, e nenhum ressacimento ate agora.

Marina
MarinaPermalinkResponder

Olá, estou comprando uma passagem GRU - Havana, mas estou bem na dúvida entre a Copa e a LAN.
Já fiz o trajeto pela Copa, foi tranquilo, sem atrasos. A única ressalva foi quanto ao serviço de bordo. Os comissários se confundiram todos e parte dos passageiros demorou mais de uma hora para receber a comida, enquanto outros já haviam comido e repetiam a bebida.
A outra experiência foi com a Cubana, péssima, não recomendo a ninguém. Tem preços bem melhores que os da concorrência, mas só vale pagar se você tiver muito tempo de viagem e não se preocupar com overbooking, atrasos homéricos (9 horas!) e cancelamentos de voo, consequentemente perdendo conexões e passando dias em locais inesperados.
Pela LAN nunca fiz esse trecho, alguém já fez?
Para a data que consultei, os preços de LAN e Copa estão compatíveis.
E aí, alguém tem alguma sugestão?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Marina! A maior diferença estará no entretenimento de bordo. Compare os tempos de permanência no aeroporto nas escalas e pense se você quer aproveitar para compras (neste caso, vá pelo Panamá) ou não.

Marina
MarinaPermalinkResponder

Obrigada pela sugestão! Abraços, e parabéns pelo ótimo blog!

Wilson Cabral
Wilson CabralPermalinkResponder

Boa noite senhores,

Fiz uma besteira imensa e nem sei como proceder para consertar...comprei duas passagens pela nossa querida Ryanair para o mês de março, porém para a mesma pessoa. Mesmo nome, mesmo vôo, porém cartões diferentes. Vcs acham que eu consigo reaver esse valor? O vôo é no final de março/2012 e já possuimos uma outra passagem no mesmo vôo para a pessoa...
Alguém já passou por uma situação parecida???

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Wilson! Provavelmente existe na sua passagem um rodapé com todas as condições de cancelamento. Leia com atenção para descobrir as alternativas possíveis.

Daniel
DanielPermalinkResponder

Bóia...
Vou de Veneza a Colônia/Alemanha e encontrei um preço/horário muito bom pela lowcost Germanwings.

Mas estou preocupado, pois não encontrei muitas referências sobre ela.
Sabe dizer algo? Dica ou recomendação?

teh mais

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Daniel! Veja o que esperar e como se precaver com lowcosts européias:
https://www.viajenaviagem.com/2009/07/cias-low-cost-na-europa-modo-de-usar/

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar