Pra lá de Iguaçu: Missões paraguaias e argentinas, por Dani S.

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Jesús, Paraguai. Foto: Daniela Siqueira

Relato de 2010. Para um relato de 2015, clique aqui.

Acho que tudo começou com um comentário da Juliana Amorim, perguntando se valia a pena esticar de Foz do Iguaçu até as missões jesuítas do Paraguai e da Argentina, que estão ali perto. O assunto ficou reverberando por alguns posts, eu dei uma pesquisadinha, e chegamos à conclusão de que o bate-volta não valia a pena, mas que era uma grande continuação de viagem, seja de carro alugado, seja de ônibus.

Pois a Daniela Siqueira (ou Dani S. para os habituês) estava planejando uma viagem pré-carnavalesca e achou que este roteiro missioneiro era tudo o que ela precisava para tornar original sua peregrinação a Foz do Iguaçu. Deu certo: a viagem foi o máximo, e assim que ela voltou, postou um comentário enciclopédico de fidibeque -- que, claro, só podia virar post. Sensacional, Dani! Vamos ao relato:

(Para saber onde cada foto foi tirada, passe o mouse sobre a foto, que aparece a legenda.)

Jesús, Paraguai. Foto: Daniela SiqueiraTrinidad, Paraguai. Foto: Daniela SiqueiraSan Ignacio Mini, Argentina. Foto: Daniela Siqueira

Dando retorno da minha viagem – que foi fantástica:

Pousamos em Foz e fomos direto pra Argentina, de táxi. Ficamos dois dias em Puerto Iguazú, uma cidade bem pequena, mas charmosinha.

Daí, alugamos um carro (o aluguel ficou mais barato na Argentina, fizemos reserva pela Hertz no Brasil, e o carro pode entrar no Brasil sem problemas, mas não no Paraguai) e seguimos viagem para Posadas, a capital da província argentina de Misiones.

No caminho, choveu (já disse que eu atraio chuva?) e não pudemos visitar em San Ignacio, como planejado. Só almoçamos em um restaurante próximo às ruínas, que não parecia nada promissor (chama-se Carpa Azul, ou algo assim), mas que tinha um pacu na brasa surpreendentemente bom.

Seguimos para Loreto e Sant’Ana. Parênteses explicacional: as missões jesuíticas são cerca de trinta ruínas, na Argentina, Brasil e Paraguai, remanescentes do período de 1630 até a expulsão dos jesuítas. Começaram no Brasil, na região do Guairá (onde existiam as Sete Quedas), mas foram descendo pro sul pra fugir dos bandeirantes paulistas. Oito dessas ruínas foram tombadas pela UNESCO: no Brasil, só Santo Ângelo, no RS; na Argentina, San Ignacio Mini, Sant’Ana, Nuestra Señora de Loreto e outra mais distante; e três no Paraguai, sendo que Jesús e Trinidad são as mais fáceis de visitar.

As missões reuniam os índios guaranis, sendo que sua estrutura física era composta de uma igreja, colégio ou oficinas de trabalho e cemitério, e das casas destinadas aos índios, tudo em torno de uma grande praça comum. Grande parte das antigas cidades – que chegaram a ter até 7000 habitantes, como Loreto – foi abandonada depois da expulsão dos jesuítas (outros religiosos tentaram continuar a experiência, mas não deu certo) ou destruída, principalmente pelos paraguaios, nas guerras pela posse dos territórios.

As missões na Argentina e no Paraguai têm um ingresso comum (por país), que permite a visita às outras missões em 15 ou 3 dias, respectivamente. Na Argentina, o ingresso comum custa 50 pesos, e no Paraguai, 25.000 guaranís (que dá a estonteante quantia de 5 dólares). É só comprar na primeira missão que visitar, e mostrar o ingresso nas demais.
Fecha parênteses.

Loreto e Sant’Ana são ruínas, mesmo, dentro de uma quase-floresta, mas têm guias ótimos, dispostos a passear com você mesmo com garoa. Foi bom conhecê-las primeiro, já que San Ignacio Mini já é mais reconstruída, e a ordem contrária deixaria a comparação injusta. Cuidado apenas com as placas: o que parece ser um outdoor de cada missão é mesmo a placa de entrada das estradinhas que levam às atrações. A estrada para Loreto é horrível, com asfalto cheio de buracos, mas curta.

Fomos dormir em Posadas, ainda na Argentina, que já é uma cidade grande e até que bem bonitinha, na margem do rio Paraná. Ficamos no Hotel Posadas, bem central (não achei nenhum hotel interessante por lá, acabamos escolhendo pela localização mesmo). A costanera (beira-rio) deles é super arrumadinha, com calçadão e vários restaurantes. Recomendamos o Mama Chula, especializado em massas – fica ao lado de uma enorme FarmaCity, que tem de tudo.

No dia seguinte, expedição antropológica ao Paraguai. Você pode contratar um táxi em Posadas (cobram 250 pesos para ir a Trinidad, e 300 para incluir Jesús, para duas pessoas), ou ir com alguma excursão. Preferimos ir de ônibus, pra ver como é. É só pegar o ônibus internacional, escrito Encarnación, que passa no centro de Posadas. O colectivo é muuuuito lotado, mas tem ar condicionado. Pára na aduana argentina, e todo mundo desce pra fazer a imigração, em uma filinha. Você pode pegar o próximo ônibus, com um papelzinho que te dão quando da compra do bilhete, que custa 4 pesos por pessoa. Todo mundo sai da imigração argentina e pega o ônibus, que atravessa a ponte extensa sobre o Paraná. Do lado paraguaio, outra descida, pra fazer a entrada – nos disseram que é necessário fazer a imigração, porque senão, na volta, podem te multar por não ter o tal papelito. Até entre os argentinos da fronteira, o Paraguai tem uma reputação horrível. A fila é demoradinha, mas tranqüila. Toca subir no ônibus de novo, e seguir até a rodoviária.

Chegando na rodoviária, pedimos informação, e fizemos câmbio: o câmbio é um homem com uma bolsa de couro, sentado em uma cadeira na plataforma. Ele te fala o câmbio, faz as contas em uma calculadora pra não ter erro, você dá o dinheiro e ele abre a bolsa e tira de lá as notas de guarani. Trocamos 100 pesos (mais ou menos R$ 50,00) e deu e sobrou. Aí toca procurar o ônibus que vai pra Trinidad. Uma empresa só tinha pra 40 minutos depois, e aí saímos correndo pra pegar um outro ônibus, que já estava saindo. A vantagem é que TODO MUNDO no Paraguai é super simpático, e te explica tudo. Lá fomos nós de ônibus à missão Trinidad.

Trinidad, Paraguai. Foto: Daniela Siqueira

Uns 35 minutos depois, chegamos à entrada da missão. De novo, um outdoor anuncia a entrada (é só pedir no ônibus, que eles param direitinho). Daí, se caminha uns 500 metros pra entrada do parque. Trinidad é DE LONGE, a MAIS LINDA DAS MISSÕES. A igreja ainda tem várias esculturas, algumas com as pinturas originais, e o complexo todo é enorme e bem preservado. Vale a pena toda a peregrinação de ônibus no Paraguai só pra vê-la. Linda, linda, linda.

O ônibus que leva a Jesús também está em ruínas. Foto: Daniela Siqueira

De lá, volte pra estrada, atravesse, e caminhe uns 100 metros até um posto de gasolina. Lá, ficam uns táxis e uns ônibus lotação esperando chegar gente para ir a Jesús. A passagem custa 1.000 guaranís (cerca de 1 dólar) cada perna. São uns 12 km por uma estradinha simpática até a cidadezinha de Jesús, e o ônibus te deixa na missão, e te espera por meia hora. É tempo suficiente pra essa missão, cuja igreja não chegou a ser concluída, mas que fica num lugar lindo, no alto de um morro (a vista parece coisa digna da Toscana). Voltando à gasolinera, é só esperar no ponto até outro ônibus passar, com destino a Encarnación.

Sinceramente, achamos Ciudad del Este até que bonitinha depois de Encarnación. Esta cidade está de mudança, pois vão fazer uma represa no Paraná, e a parte velha está caindo aos pedaços, e a parte nova parece um monte de conjuntos do BNH (só vimos do ônibus). Compramos uma camisa do Paraguai pra coleção do marido, e voltamos à romaria do ônibus pra Argentina.

Contabilidade final: 9 pesos argentinos + 2 dólares por pessoa, e muita história pra contar – muito mais antropológico que ir de táxi!

San Ignacio Mini, Argentina. Foto: Daniela SiqueiraJá no caminho de volta para Foz, passamos em San Ignacio Mini, que é a mais visitada das missões, e a mais restaurada. O museu (com ar condicionado, eba!) é bem explicativo, e as ruínas já estão bem restauradas. Há tótens com explicações gravadas na frente de cada construção. Trinidad é beeeem mais bonita, mas San Ignácio é mais fácil de ir, e dá uma boa idéia da magnitude das missões jesuíticas.

A estrada pra Posadas é muito boa, apesar de pista simples não tem um buraco. A região é muito bonita também, e apesar de só vermos o rio Paraná já em Posadas, cruza vários arroyos. Chamam a atenção na estrada os vários altares, com bandeiras vermelhas. Segundo me explicaram, são locais de veneração dedicados a pessoas santas, como o Gauchito Gil.

Então seguimos para Foz do Iguaçu.

Obrigado, Dani!

Leia mais:

64 comentários

Atenção: os comentários estão encerrados.

Dani S.
Dani S.Permalink

Ai, Momento Tommy total!! mrgreen

marcio nel cimatti
marcio nel cimattiPermalink

Muito bacana as imagens!

Zé Maria
Zé MariaPermalink

O onibus é parte integrante das ruinas smile

Beto Paschoalini
Beto PaschoaliniPermalink

Quem pilotava era o Zé Anchieta, teu xará, Joseph!

Dani S.
Dani S.Permalink

mrgreen

Ricardo Freire
Ricardo FreirePermalink

Quando a Dani me mandou a foto, descreveu o ônibus como "a terceira ruína paraguaia" grin

Camila Navarro
Camila NavarroPermalink

Eu só fui em San Ignacio Mini, mas agora fiquei com vontade de conhecer as outras missões. Adorei o roteiro!

Sylvia
SylviaPermalink

Dani , é assim meio Angkor , com uma cor avermelhada ?? wink

Dani S.
Dani S.Permalink

O calor é igual, Sylvia! E Loreto lembra aquele templo Ta Phrohm, cheio de árvores pra todo lado (só que é bem mais destruído).

Sylvia
SylviaPermalink

O Marco tá segurando o busão pra ele não cair ?
( o busão, não o Marco)

Dani S.
Dani S.Permalink

O engraçado é que encontramos duas brasileiras e uma argentino antes de pegar esse ônibus, e a surpresa foi unânime: "Isso anda?"
Anda, de porta aberta, mas anda. mrgreen

Lu Malheiros
Lu MalheirosPermalink

Eu já havia elogiado e agradecido quando você escreveu o comentário, mas não tinha imaginado o estado desse ônibus! Gente, que aventura! Ainda bem que ele anda!

Arthur | Agora Vai
Arthur | Agora VaiPermalink

Eu conheço esse ônibus, ele fazia a linha 32 aqui em Niterói pelos idos de 1975. Depois de muito viajar na viagem, acabou no Paraguai...

Amélia
AméliaPermalink

Fiz esta viagem há 30 anos (tinha uns 15 aninhos e tive uma bela aula de geografia, história, sociologia, enfim ...).Fomos pelo RS (Iraí, Ijuí,São Borja, São Miguel), passamos para o lado Argentino, Paraguaio, Foz do Iguaçu, Sete Quedas, navegamos no Rio Paraná (passando por Paraná, Mato Grosso e São Paulo).
Adorei ver as diferenças das obras produzidas pelos indigenas e pelos jesuitas lado a lado, técnicas de construção e imaginar como formaram um bolsão tão grande na região das missões e que por fim chegou a ser considerada uma ameaça e acabou sendo dizimada de forma tão cruel!!!Foram massacrados!!!!

Dani S.
Dani S.Permalink

Agora eu quero conhecer é o Rio Grande do Sul, Amélia!

Amélia
AméliaPermalink

Interessante esta adoração a Gauchito Gil, como no México e outros locais da América Latina.No Memorial da América Latina há um material incrivel sobre estes santos não oficiais, muito bom para quem não conhece ainda!

Alex melo
Alex meloPermalink

Fiz algo parecido também quando fui. Posadas de base, indo de onibus para Encarnacion.A única coisa é que so fui em San Ignacio Mini e Trinidad - mas já valeram demais a pena.
Dureza foi a volta, que o motorista esqueceu que eu ia ficar na rodoviaria e foi embora direto, até que perguntei, e ele me largou em umas bocadas que tá doido hehehe.
mas tranquilo, peguei o próximo e voltei prá fronteira. Detalhe sobre o papelzinho: na volta prá Argentina esqueci de 'sair' do Paraguai, mas como ninguém me perguntou nada, foi de boa

Viagem ótima como complemento a Foz, sem dúvida

Juliana Amorim
Juliana AmorimPermalink

Opa! Acabei chegar de lá de Foz!!! ( em tempo real, meu voo chegou as 19h aqui no Rio)Não fui desta vez , mas na próxima já está decidido: vou!
Riq, lembro de vc dizendo que não tinha ido a Itaipu. Eu fui e achei muito chato!!! Pra quem gosta de tecnologia, construções e coisa e tal é uma beleza. Mas eu não me enquadro nos itens anteriores e prefiro a emoção do Aventura nautica. Tudo bem , concordo que a construção é Fantastica mas não vale 1h 30 ( quase dormi no video)
Fiquei no Mercure , que não é mais Mercure. ( agora é só Hotel Internacional)
Achei os restaurantes do lado brasileiro caidinhos ,com exceção da super padaria 24h ao lado do antigo Mercure que além de ter WI FI gratuito ( no hotel era R$ 0.50 o minuto) a comidinha caseira baratinha arrebentava a boca do balão. O tal restaurante TRAPICHE indicado pelo $ RODAs é uma roubada, caimos no conto do Rodizio de frutos do mar e tivemos que comer MUITO arroz com peixe (porque não era Paella nem aqui nem n Paraguai)e pagando caro!!! Do lado argentino:
Aproveitamos o AQVA do lado argentino( obrigada pela dica RiQ) e fomos tb ao EL QUINCHO del Tío Querido para as parrillas( só atenção que ele fecha 14h30 e reabre as 19h)(http://www.eltioquerido.com/),encontramos uma loja de vinho bem bacana na Republica Argentina com preços bons.Preferi fazer os passeios para aproveitar o cambio favoravel e não me arrependi. Agora o lado argentino é bem sobe e desce, haja perna e disposição.
Usamos sempre o transporte publico ( de ambos os lados) sem problema algum. Fomos a Ciudad del este para ver qual era ( sem comentarios) e usamos para nossa segurança um taxi que nos esperou. o cara não queria nos levar nas lojas que levamos como referencias ( aquelas citadas aqui em um outro post sobre Ciudad Del Este) e para não nos aborrecermos fomos na Monalisa que era facil de encontrar.
Acho que esqueci algo mas depois eu lembro e comento.
Abração e vamos ver o desfiles das Camnpeãs do Carnaval!!!

Juliana Amorim
Juliana AmorimPermalink

Só pra deixar claro: tá decidido que na proxima vez vou às missoes! kakakaka

Ernesto, o pato
Ernesto, o patoPermalink

Parabens a Dani pela narrativa da viagem... Eu tambem ja fiz este passeio, mas ha muito tempo atras, e dei sorte...Consegui uma carona com um casal, que alem de querer ver as missoes, eram professores de historia na Argentia... Guais excelentes e de graca... E,em tempo a Dani esta certa o Paraguai e um destino simpatico, e barato, vamos deixar aquele preconceito sobre o que vimos em Cidad del Este de lado. Alais, a propria Cidad del çEste fora da zona comercial e bem mais simpatica, e tem um parquinho bonito.

Lila
LilaPermalink

Olá! Eu e meu noivo iremos para Foz no inicio do mês de abril/2010 (ficaremos uma semana) e gostaria de dicas sobre lugares boas para almoçar e jantar (estou interresada nos caros e baratos.. rs do lado brasileiro, argentino e paraguaio) e sobre "comidinhas" imperdíveis no passeio.
Quero dicas também sobre lugares bons para divertir a noite.
Outra dúvida minha é sobre dinheiro, não queremos usar cartão de crédito no lado Paraguai e Argentina... resolvemos com o real ou dolar ?? ou temos que sempre ter peso no lado argentino. E é melhor comprar dólar na minha cidade ou deixar para comprar lá.
Ficaremos em um hotel no centro da cidade e não vamos alugar carro... fica caro e complicado se deslocar de dia e de noite para Puerto Iguazu (preço médio de taxi??? e tranquilo e ir e voltar de onibus???).
Sobre compras... o que vale muito a pena comprar para aqueles lados (não tenho interesse em bebida e eletronicos).
Será que esqueci de perguntar algo?! rs.
Agradeço e aguardo retorno.

Ricardo Freire
Ricardo FreirePermalink

Devo fazer ainda este mês um post sobre a noite em Puerto Iguazú.

Sobre o lado argentino e transportes leia este post aqui:
https://www.viajenaviagem.com/2009/12/iguacu-el-lado-argentino/

Você vai precisar de pesos para entrar no parque argentino; não aceitam reais nem dólares.

Troquei reais por pesos numa casa de câmbio em Puerto Iguazú por 1.90, boa cotação.

Não tentei usar reais na Argentina, então não sei como é a aceitação. Em lojas normalmente se aceita tanto real quanto dólar, com cotação interessante.

Dani S.
Dani S.Permalink

Em Foz fomos no restaurante espanhol mencionado no 4Rodas, onde comemos peixe e achamos correto. O grande achado foi um restaurante / bar de comida sírio-libanesa ("árabe")que se chama Império do Líbano. Fica na Av. Jorge Schmmelpfeng com Av. Brasil, ao lado de uma grande bandeira do Brasil. O quibe cru e a porção de falafel estavam perfeitas e o preço era muito bom. Trinta metros depois tem uma boa sorveteria.
Mas achei que o melhor lugar para comer em Foz é em Puerto Iguazu. Salvo se for feriado, vale MUITO a pena cruzar a fronteira, em especial se você gostar de tomar vinho, pois os "hermanos" cobram um preço justo nos restaurantes. Fomos ao Quincho del Tio Querido (carne) e aprovamos. Preferimo-lo ao La Rueda.
Já em Ciudad del Este, o restaurante da Monalisa é ótimo e com preço aceitável. Comemos um linguado e uma massa excelentes!
Não posso dar palpites sobre noite, porque não somos de balada. E alugamos um carro, então não sei os preços de táxi (mas tem aqui no blog).
Boa viagem!!

Dani S.
Dani S.Permalink

Lila,
Ah, o dinheiro: dólar e real são bem aceitos no Paraguai (o câmbio é que são elas). Na Argentina, pergunte primeiro, porque o preferido é o peso. A gente levou uns dólares que já tinha em casa, pouca coisa, e sacou pesos na Argentina, em caixas eletrônicos (cheque com seu banco, mas saque da conta corrente, e nunca no cartão). Não tivemos problema nenhum com o uso do cartão na Argentina - no Paraguai não, que a gente não é bobo.
E compras: sei não. A gente só comprou bobagens, como alfajores, e eu fiz contrabando de dulce de leche. E comprei uns xampus de cabelo metidos a besta. Pra cremes e coisas de beleza, a Argentina tem ótimos preços (e produtos confiáveis). Não achei que valesse à pena encarar a bagunça do Paraguai pra garimpar pechinchas. Eu iria só na Monalisa...

Lila
LilaPermalink

Agradeço a Dani e o Ricardo pelas dicas e fico esperando o posto sobre a noite em Puerto Iguazu...

Raíssa
RaíssaPermalink

Dani, em quanto tempo dá para fazer este roteiro?
Adorei as dicas!

Já conheço as missões do RS e super ADORO.

Luiza
LuizaPermalink

Olá! Acabei de conhecer o blog e adorei!!
Eu e meu marido vamos em maio para esta região e estamos super na dúvida de qto tempo é necessário.

Alguem sabe se é possivel fazer S. Ignacio e Trinidad em 1 dia?? Ou irá ficar muito corrido??

Dani S.
Dani S.Permalink

A resposta veio meio tarde, mas fica o registro. Fica meio corrido demais, Luíza, por conta das burocracias da aduana, que são chatinhas. Eu deixaria um dia para fazer Trinidad e Jesús, e outro pras missões argentinas...

Simone
SimonePermalink

Dani,
Quanto tempo levou de Posadas às ruínas de Trinidad?

Eu e minha família vamos para Foz no final do ano, depois Puerto Iguazu e no nosso roteiro está um pernoite em Posadas para conhecer San Ignacio, Loreto e Santana.
Dá para ir bem cedinho de Posadas para Encarnacion e voltar para Puerto Iguazu no mesmo dia?

Aliás estamos pretendendo passar o reveillon em Puerto Iguazu.
Alguém tem alguma dica de onde passar a virada do ano lá?

Obrigada!

Marcus Castro
Marcus CastroPermalink

Dani, penso em alugar um carro do lado argentino justamente para evitar o perrengue de levar carro brasileiro pra lá.

Pois bem, você se lembra, aproximadamente é claro, quanto foi o taxo do aeroporto para Puerto Iguazu?

Ricardo Freire
Ricardo FreirePermalink

Uns R$ 60.

Dani S.
Dani S.Permalink

Simone,
Bem, dar, dá, mas fica super puxado. Se bem que a gente voltou de Encarnación pra Posadas por volta das 5 da tarde, então teoricamente dá pra encarar a ida a Puerto Iguazu no mesmo dia (só não dá pra parar nas missões argentinas no caminho, então seria melhor fazê-las na ida a Posadas). Vc vai de carro alugado? Porque se for de ônibus, confira os horários. E boa viagem!

Simone
SimonePermalink

Oi Dani,

Vou de carro alugado sim.
É tranquilo ir de carro para lá?

Você tem idéia de quantos quilómetros são de Posadas até Trinidad?
Estou procurando na internet algum site com essa informação mas ainda não consegui.
Nem o google maps quer colaborar!smile Me deu uma rota completamente maluca!

Valeu pelas dicas!

Abraços,
Simone

Ricardo Freire
Ricardo FreirePermalink

É mais tranqüilo alugar carro na Argentina. Diminui o risco de guardinhas implicando.

eva
evaPermalink

Tenta este site argentino de rotas

http://www.guiaypf.com.ar/guiaypf/ruta/calcular/itinerario.aspx

Simone
SimonePermalink

Oi Eva,

Valeu pela dica, mas nesse site tb não consegui achar a rota. sad
Vou continuar tentando e se alguém tiver mais dicas pode mandar!

Valeu!

Ariane
ArianePermalink

Dani, vc disse que saiu de Posadas para o Paraguai, mas direto a Encarnacion?
Se eu quiser conhecer somente as missoes do Paraguai, posso partir de Ciudad del Este? Dá pra ir e voltar para Foz no mesmo dia?
Estou indo a Foz pela primeira vez, passaremos tres dias.

Willian
WillianPermalink

Oi, Ariane!

Chegou a realizar este percurso? Foi para Foz no próximo mês e ficarei 4 dias por lá. Será que dá tempo de fazer este passeio?

Obrigado!

Willian
WillianPermalink

Foi, não... irei...rs

Simone
SimonePermalink

Oi Dani!

Fomos até às ruínas de Jésus e Trinidad de taxi. O recepcionista do hotel nos indicou um taxista amigo dele que cobrou 200 pesos para ir e voltar. A distância de Posadas até Jesus é de 54Km.

Ricardo, acabamos alugando a carro em Foz do Iguaçu mesmo, na Avis, que era a única locadora que permitia que rodássemos com o carro pela Argentina.
As estradas são ótimas e só tivemos um probleminha com um "guardinha hermano". smile Fazer o que né?

De resto foi ótimo!

Obrigada.
Um abraço,
Simone

LiCo
LiCoPermalink

Dani

Há um tempo li esse seu relato meio que por acaso. Não me lembro o que eu estava procurando, mas o título me chamou a atenção e depois que li, fiquei com esse assunto encucado por um tempo e depois esqueci.

Um dia desses comecei a procurar o que fazer no feriado de páscoa agora, já que vou ter 4 dias (21, 22, 23 e 24), e pensei em ir a CDE comprar uma objetiva para minha câmera e conhecer as cataratas do lado argentino.

Me lembrei do seu relato e voltei aqui novamente. Já estou montando meu roteiro para conhecer as Missões tanto do lado paraguaio quanto argentino.

Foi o start para eu começar a planejar o meu.

Intééé

sandra silva
sandra silvaPermalink

E o Salto Monday, em Presidente Franco, no Paraguai, a cerca de 20km de Ciudad del Este, alguém foi até lá? Seria interessante?

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Sandra! Vamos pôr sua pergunta no perguntódromo. Caso haja resposta, aparecerá aqui.

Sandro (Um Litro de Letras)

Devo fazer o roteiro de Puerto Iguazu a Posadas com meu próprio carro (placa do Brasil). Há algum cuidado especial a ser tomado?

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Sandro! É preciso ter o seguro Carta Verde, disponível na sua seguradora ou vendido em quiosques em Foz do Iguaçu.

Angelina
AngelinaPermalink

Dani S.,

Estou pensando em ir nas minhas férias à Foz do Iguaçu sem o objetivo de ir à CDE, pois irei com meus avós e eles não aguentariam a confusão. O objetivo seria conhecer as atrações básicas de Foz (parque das cataratas e aves, Itaipu), Parque das Cataratas Argentinas e me interessei muito em conhecer as missões. Porém, seu roteiro não ficou muito claro na minha cabeça e qual seria a melhor forma de conhecê-las, lembrando que estarei com duas pessoas de idades médias de 80 anos? A viagem de carro de Puerto Iguazu a Posadas de carro dura em média qts horas? E para ir às missões do Paraguai? Como posso fazer? Muito Obrigada pela atenção.

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Angelina! São 300 km de Puerto Iguazú a Posadas. Pense em 4h30 de viagem.

Rosilane
RosilanePermalink

Pretendo fazer um bate e volta para Missões Argentinas, tem como fazer somente um dia? Quais missões dá para conhecer? Como ir de ônibus saindo de FOZ ?
Posso tentar apertar o meu roteiro de ficar 10/09 e 11/09 missões argentina e paraguaí? tudo de ônibus saindo de FOZ.
Quem tiver os dosi roteiros por favor me passe , muito obrigada!!!

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá. Rosilane! Logo no início do post o Ricardo Freire comenta que não vale a pena fazer essa viagem como bate-volta. Veja mais dicas para a visita às missões no texto wink

Edgard
EdgardPermalink

Olá a todos!
Eu e minha esposa acabamos de fazer o combo Ruínas Jesuíticas + Iguazú (julho). As ruínas foram uma surpresa muito agradável e positiva pra gente. Sinceramente, ficou bem acima do que esperava.
Gostamos muito das cinco ruínas (San Ignacio, Loreto e Santa Ana no primeiro dia, Trinidad e Jesús no segundo). São lugares sensacionais e tem uma boa estrutura.
A contrário do post, decidimos contratar um remis. O Hotel Posadas nos indicou o Jorge Neris, que foi muito gentil e conhece bastante da região. Apenas atualizando os valores: 900 pesos/dia (ou R$ 225 ou US$ 100). Meio salgado, mas vale a pena pra quem não quer encarar a maratona de ônibus ou não está com carro alugado.

Outras dicas pra quem vai pra lá:
- Posadas é uma cidade bem tranquila e arrumada, perfeita pra andar a vontade, mas não tão turística, então tem um pouco menos de estrutura. Em compensação, os preços são ótimos. Normalmente aceitam dólar, a 9 pesos (Hotel Posadas a 10 pesos).
- Saímos de Puerto Iguazú, pela Crucero del Norte. Cinco horas de um pinga-pinga interminável. Não reparei, mas deve ter mais empresas que fazem esse caminho.
- E por fim: não tive como não lembrar desse post ao ver a "casa de câmbio" de Encarnación. Muito bom...hehe. Ainda são 25.000 guaraníes a entrada nas ruínas do Paraguai. E 80 pesos na Argentina.

A Bóia
A BóiaPermalink

Obrigadíssima, Edgard!

Edgard
EdgardPermalink

Olá!
Fiz com a minha esposa um combo de Misiones + Iguazú agora em julho.
O post foi extremamente útil para aproveitarmos melhor a viagem. Aliás,o VnV é sempre uma fonte de ideias...
Sinceramente, as ruínas jesuíticas foram uma grata surpresa pra mim! Saí com uma impressão melhor do que eu já tinha. Os locais são organizados, conservados e os guias muito prestativos.
Complementando e atualizando o post, seguem algumas informações pra quem quiser ir até lá:
- Posadas é bem simpática e arrumada, mas menos turística, assim, tem menos estrutura, porém, os preços são uma pechincha, seja de hotel ou de restaurante. Em geral, aceitam dólar, a 9 pesos (Hotel Posadas a 10 pesos).
- Se não for de carro, há ônibus saindo de Puerto Iguazú (fomos de Crucero del Norte). Cinco horas de pinga-pinga nas cidades pequenas da região. E a estrada está com algumas obras, parecem de duplicação de alguns trechos.
- Quem não quiser encarar ou tiver preguiça de tomar ônibus pra chegar nas ruínas, pode achar com facilidade um remis. O hotel nos indicou o Jorge Neris, muito gentil e com bom conhecimento da região, além de ser uma figura! O dia, não importa se lado argentino ou paraguaio, sai 900 pesos (ou R$ 225 ou US$ 100).
- Ingresso argentino: 80 pesos. Paraguaio: ainda 25.000 guaraníes (e deixe 25.000 guaraníes de propina pro guia, é o costume e eles são muito atenciosos).
- A casa de câmbio de Encarnación segue sendo os "homens com bolsa de couro e calculadora na mão". Lógico que lembrei desse post... hehe

A Bóia
A BóiaPermalink

Obrigada pelas dicas, Edgard!

LEONARDO DUMONT
LEONARDO DUMONTPermalink

Edgard,
1- Estou pensando em levar somente REAIS e náo dolares. Terei dificuldade de troca-los em Posadas?
2- O valor cobrado pelo taxista JORGE NERIS é para o dia todo (8 horas) ou para meio-dia (4 horas)? Pergunto porque pretendo fazer todas as ruinas Paraguai/Argentina no mesmo dia.
obrigado

Edgard
EdgardPermalink

Leonardo,

1) Em Posadas é muito mais fácil usar dólares. Não garanto muito que vc troque reais lá, como se faz em BsAs. Levaria só pra emergências mesmo, até pq a casa de câmbio funciona em horários mais restritos e entre as 12h e as 16h, nada funciona por lá.

2) Nós fizemos em dois dias o passeio. Não sei se é costume visitar todas as ruínas no mesmo dia, até porque ficaria bastante puxado e menos proveitoso o passeio. Mas não custa perguntar, o Jorge é bem tranquilo.

Espero ter ajudado e também espero que vc tenha lido a resposta a tempo.

maria teresa
maria teresaPermalink

Todas as vezes que ouço suas dicas de viagem na Band, gosto muito.
Vou fazer uma viagem para conhecer as missões em outubro, e como sempre sua coluna é de grande valia.
Conhecer esta parte do nosso continente sempre foi um desejo, desde a minha juventude.

Abs, M Teresa
Abs, M Teresa

Ana Lívia
Ana LíviaPermalink

Olá, como foi a experiência de viajar de carro por lá? Me disseram que a estrada não tem sinalização. Faço planos de visitar San Ignácio de carro. Pretendo viajar de dia com GPS. Alguma dica?

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Ana Livia! Não temos como perguntar à Dani. Passe no posto de informações turísticas e abasteça-se de informação e folhetos oficiais.

Edgard
EdgardPermalink

Olá, Ana Lívia!
Como pedimos para um remis nos levar às ruínas, nem prestei atenção em sinalização, então minha resposta não é tão completa. Mas as estradas lá no geral são boas e San Ignacio é a mais famosa das ruínas e é a que tem o acesso mais simples, quando comparado com Loreto e Sant'Ana.

mirella matthiesen
mirella matthiesenPermalink

Nós fomos no ano passado para as Missões desde um bate-volta de Puerto Iguazu e adoramos.
Escrevi aqui se tiver interesse: http://www.viajoteca.com/missoes-jesuitas-na-argentina/
Abs

Dank
DankPermalink

Boa tarde, uma duvida, nunca viajei dessa forma que vc falou e eu pretendo ter essa experiencia. é sobre as bagagens como vcs fazem, mochila, porque pra se deslocar dessa forma precisa de algo melhor para andar ou fica tudo mesmo no hotel.

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Dank! Em todos esses lugares o Ricardo Freire se hospedou e deixou a bagagem no hotel enquanto visitava as missões.

Mauro
MauroPermalink

Olá. Saberiam informar se na segunda feira é possível visitar as missões Paraguaias?