Conte sua viagem insana e concorra a duas noites no Beach Park

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Insano, Beach Park

Como vocês devem estar lembrados, fui recebido no Beach Park Acqua Resort com um desafio: se eu descesse no brinquedo mais radical do parque, o Insano (41 metros -- 14 andares! -- de queda praticamente livre) eu ganharia duas hospedagens de duas noites com pensão completa e acompanhante para o povo da Bóia.

Insano, Beach Park

Então bolei o seguinte concurso. Você vai lá na caixa de comentários e conta a viagem mais insana que você já fez, ou a maior insanidade que você já cometeu durante uma viagem. (De preferência com final feliz, vai.)

Ao contar a sua viagem insana, fazendo o comentário com um email válido, você estará automaticamente inscrito.

Depois de encerrado o prazo de inscrição, eu vou atribuir um número a cada comentário, seguindo um talonário de senhas comprado na papelaria.

O sorteio será público, com testemunhas, e transmitido pelo Twitter.

Pá-pum:

Valem as viagens insanas contadas entre hoje e a meia-noite de 20 de novembro, um sábado.

O sorteio será feito num happy hour no Rio de Janeiro, na noite do dia 22, uma segunda-feira, em lugar a ser combinado.

O prêmio não inclui passagem aérea nem gastos extras. Consulte as regras do prêmio clicando aqui. Ao participar você sinaliza que concorda com as regras.

E bora relembrar o meu momento insano?

219 comentários

Atenção: os comentários estão encerrados.

Rosa
RosaPermalink

Chegamos, eu e meu marido, dia 05 de outubro em Belgrado, Sérvia. O vôo Barcelona/Munique atrasou, perdemos a conexão Munique/Belgrado, fomos colocados no próximo vôo (que seria o último do dia). Tentamos telefonar para avisar sobre o atraso e o horário de chegada, mas nem com dinheiro ou cartão conseguimos, a ligação caia em uma mensagem em alemão e não entandíamos absolutamente nada. Chegamos em Belgrado as 22 horas e não as 17 horas, conforme previsto. O motorista que foi nos buscar já havia ido embora. Não falamos nem inglês, imagina sérvio... Com endereço na mão e palavras soltas em inglês e mímica conseguimos um motorista de táxi e chegamos ao nosso destino. No prédio não tem porteiro e a minha sobrinha, até então, não sabia o que havia acontecido conosco. Um carro estacionou próximo ao prédio e pedimos a pessoa que ligasse o número de telefone da minha sobrinha, pedimos com palavras soltas em inglês e mimica. Com o telefone anotado o rapaz, gente boa, falou em sérvio, ele não entendia, minha sobrinha não entendia, foi quando ele nos passou o celular e nós falamos em bom português e ai tudo resolvido. Agradecemos imensamente a ajuda daquele estranho que nos salvou, noite em Belgrado, frio, deserto, sem falar sérvio ou inglês, só com endereço e nº de telefone na mão. De cara já gostamos dos Sérvios e nos tornamos fãs: Djokovic (tênis), Partizan (simpatisei mais com esse) e o Estrela Vermelha (futebol); tem a modelo brasileira Adriana Lima casada com o jogador Mirko Jaric (NBA), e para fechar com chave de ouro, comida boa e barata e uma ótima surpresa, entre tantas: o melhor cheesecake que já experimentei na vida (conheço poucos, mas de peso: Outback (Brasil), Junior's e PJ Clarks (Nova York)!!! Amamos muito tudo aquilo...

Você concorre com o número 1601

Wander
WanderPermalink

Riq : minha maior insanidade em viagem foi ir no aerobunda em Natal, ehehehe.

Você concorre com o número 1602

Wagner
WagnerPermalink

Estávamos em Belgrado. Onde é isso mesmo? Fomos conhecendo e gostando. Mas, como se fosse pouco estar em um País sem saber sérvio, nem tão pouco inglês, arriscamos uma visita ao país vizinho.
Pegamos uma van rumo à Budapeste. Cinco horas de viagem, que viraram dez por causa da imigração e do hotel escolhido por nós. Reservamos o Homeplus, que deveria chamar, Homemore, e o motorista da van, no seu 1º dia de trabalho na empresa, com todos os mapas na mão e GPS, não conseguia achar o endereço. Mais de duas horas rodando e saindo no mesmo lugar e nada. E como nos comunicar? O motorista sérvio, ele e nós só falando palavras soltas em inglês, um GPS deixando ele e nós malucos e nada de chegar. Não tive dúvidas: mapa na mão e assumi o controle: left e right, mimica, yes, no, ok... ok... chegamos. Puxa vida, suspiros aliviados e no final ainda veio o melhor e mais sincero elogio que já recebi na minha vida: you are better than GPS.
Nos encontramos na volta e nos cumprimentamos com se fossemos velhos e grandes amigos. Nunca mais vamos esquecer.

Você concorre com o número 1603

Wagner
WagnerPermalink

Homeplus, que deveria chamar, Homemore, corrigindo: Homeless, o sem conforto, sem limpeza, sem claridade, sem ventilação, sem noção e por ai vai...

zuzu
zuzuPermalink

Minha maior insanidade em viagem é proibida para menores...kkk.Entao vou ter de contar uma insanidade publicável!!!
Mergulhar na Polinésia com tubo, sem certificaçao. Nao é recomendável, eu sabia, mas nao resisti aos encantos daquele paraíso. É meio sem graça, mas nao deixa de ser uma insanidade...
Riq, parabéns pela sua "insanidade"!!!!Adorei, vc foi realmente super corajoso!!Gracias...por este ato heróico pelos leitores!!!

Você concorre com o número 1604

rosa
rosaPermalink

Eu acho que a maioria das viagens ao exterior, viagens desempacotadas, para quem só fala português, são uma verdadeira insanidade. Mas, como toda insanidade, são surpreendendes!!!

Dani Polis
Dani PolisPermalink

Bom, minha viagem inteira pra Europa foi uma doidera.Começamos fugindo de uma greve na Espanha e terminamos pegando 5 trens em um dia pra ir de Milão para Barcelona.

Agora, a parte mais insana aconteceu em Roma.
A gente (eu e uma amiga) estávamos num albergue e conhecemos uma brasileira por lá. Ai ela disse que morava em Livorno e estava em Roma por conta do show do U2. Como assim U2 em Roma e a gente não tinha visto? Aparentemente só a gente não tinha visto, porque a Itália inteira sabia.

Enfim, fomos ao Vaticano no outro dia, andamos pra caramba e entre um intervalo e outro a gente pensava no show... Bateu o estalo, e eu e minha amiga resolvemos ir pro estádio, tentar comprar de cambista. O universo parecia conspirar, porque o ônibus que saía do metrô direto pro Stadio Olimpico era justamente o metrõ próximo ao Vaticano.

Embarcamos no ônibus, lotado de gente feliz e a gente sem ingresso. Até então tudo bem. Acontece que não existe cambista por lá. Tinham só pessoas normais querendo vender por mil (isso mesmo MIL) euros um ingresso que pagou 65.... Ai o show começou, a gente lá na porta, e começamos a chorar por ouvir o show ao vivo. Em 2006 a gente queria ter ido em SP, mas nao conseguimos ingresso pra nenhum dos dois dias.
Uns seguranças viram a gente conversando em português e chorando, e se aproximaram, falando em italiano (claro) com a gente. Ai vocês imaginem a gente emocionadas, cansada e botando pra fora todo o nosso italiano Terra Nostra/Passione pra funcionar. Acabou que os caras deixaram a gente entrar, pq era pra "realizar os sonhos das nossas vidas". Juro que minha reação foi abraçar o cara, espontanea mesmo.

A gente entrou e viu o Bono e cia. E o Luca e o Daniele realizaram nosso sonho mesmo!

Claro que esse tipo de coisa só lá pra fazer. Jamais faria a mesma loucura em SP, por ex....rs

Você concorre com o número 1605

Andréa
AndréaPermalink

Minha maior insanidade foi jantar no restaurante La Sponda, do hotel Le Sirenuse, em Positano. Violinos românticos, vista inacreditável, comida deliciosa, cifras incríveis. A insanidade valeu cada euro.

Você concorre com o número 1606

Letícia Assreuy
Letícia AssreuyPermalink

Bom, não tenho como falar sobre uma viagem insana... mas passei por uma experiência meio louca qdo estive em Praga, em 2008. Bem, eu queria ir para o castelo de Praga, que fica quase num elevado, onde tem o castelo, a cadetral São Vito, a pracinha e tudo o mais. Acontece que eu errei o caminho (de metrô) para o castelo e fui parar num jardim que é conhecido como "O Jardim de trás do castelo". Pra chegar láaaa em cima, além de ter que comprar um bilhete pra entrar, tem que subir uma escadaria absurda. O jardim é lindo, agradável de ver, mas subir aquela escadaria toda acabou comigo, ainda mais no caloooor que estava (fui no verão - agosto).
Pois bem, isso foi de manhã cedo. Passei o dia todinho lá em cima (se não me engano, o bairro é Hradcany), e quando foi no final da tarde eu resolvi voltar. Como não sabia bem como voltar por outro caminho peguei exatamente o mesmo caminho. O calor já tinha passado, seria menos pior descer aquilo tudo. Tomei o caminho de volta... comecei a descer, descer, descer.... qdo chego lá embaixo, o portão tava... fechado!!! o.O!! Nossa... eu fiquei revoltadíssima, não sabia o que fazer. Pensei, pensei, pensei e cheguei a conclusão que não subiria aquela escada toda de jeito nenhum! Não pensei duas vezes... subi no muro, passei as perninhas pro outro lado (acho que devia ter +- 2,5m de altura) e... pulei! Conclusão: me ralei toda, bati o queixo (que ficou o resto da viagem todo roxo, hahahaha!), virei o pé e pra piorar: tinha umas pessoas no outro lado do portão que viram a cena toda!!! Ficaram me olhando com cara "nossa, que mulher louca!!! será que tá fugindo??" A máxima foi qdo uma japonesinha (ou chinesa ou coreana ou alguma coisa... nunca sei diferenciar!) meio sem graça depois da situação veio até mim e me perguntou como fazia pra entrar. Só falei que o portão obviamente, estava fechado, e que por ali ela não entraria.

Você concorre com o número 1607

Alexandra
AlexandraPermalink

Tá, vou contar algo insano, mas nada tão radical assim. Aconteceu em New Orleans. Estávamos em dois casais, curtindo o Carnaval "Mardi Gras", sem entender muito a sua lógica. Várias pessoas andando de um lado para o outro, com muitos colares no peito. Saímos à noite com nossos colares coloridos pelo Freanch Quarter (nós e uma multidão). Tive vontade de ir ao banheiro e pedi licença para subir em uma das casinhas lindas (estilo francês) para usar o lavabo(é preciso pagar caro para entrar nesses lugares). Não quis perder a oportunidade e fui toda faceira para a sacada abanar para a multidão, meus amigos e marido que estavam na rua. Ninguém me olhava e eu gritava "Olha eu aqui, gente!". Foi quando minha amiga me viu e acenou para que eu saísse rapidamente dali. Foi nesse momento que percebi o "espírito do Carnaval de New Orleans" e minha máxima ingenuidade. Enquanto eu abanava, pura e sorridente, uma mulher -praticamente nua ao meu lado - recebia os colares que eram atirados para a sacada pela multidão. Ela então esfrega os colares em diversas "partes" do corpo e devolvia ao povo da calçada. Talvez se eu fosse um homem não seria insano, seria sorte grande. The End and simbora!

Você concorre com o número 1608

Fernanda
FernandaPermalink

Meu marido queria conhecer Pamukkale, na Turquia.
A nossa insanidade foi ter ido para lá de ônibus! Dez horas em um ônibus sem banheiro! O ônibus era muito confortável (leito), com tv e lanchinho, mas sem banheiro!
Pois bem, com isso eles faziam paradas a cada hora para deixar o povo ir ao banheiro. O problema é que quando eu decidi fazer uso dessa parada, encontrei um daqueles banheiro que você precisa usar de pé e agachar. Exige uma certa experiência, que eu não tenho. Pois bem, quando saio do banheiro bem tranquila, dou de cara com o marido deseperado porque o ônibus estava saindo. As outras paradas eram de mais ou menos vinte minutos e essa não deve ter durado cinco. Saímos correndo pela rodoviária deserta na madrugada de alguma cidade no meio da Turquia. Foi só subir o primeiro degrau do ônibus que o motorista arrancou..
Marido até se divertiu depois assistindo a uma novela turca. Como novela é tudo igual, saber turco não fazia a menor diferença, mesmo com a trama complicadíssima!
Bem, chegamos, depois de muitas horas, a Pamukkale, às cinco da manhã. Nosso motorista só chegaria às 5h45, o que nos levou a quase cair no maior golpe do mundo.Estávamos meio sonolentos, quando o onibus chegou, o que facilita a aplicação do golpe. Eu só escuto o povo gritando Pamukkale e um cara dizendo que ia nos levar para o hotel (sem nem saber qual era o nosso hotel). O marido e mais um monte de japoneses/chineses/coreanos entregaram as malas para o cara. Não sei o que me deu que eu acordei do estado zumbi em que eu estava e pedi para o marido pegar a nossa mala que nós não íamos com aquele cara. Nós esperaríamos o nosso motorista.

O turco ficou revoltado de nós não irmos com ele e começou a gritar comigo querendo o voucher do motorista e o voucher do hotel. E aí o cara não falava inglês direito, eu não falava turco.. Tentei ligar para nosso motorista, que não falava inglês e o cara turco ficava insistindo que a gente deveria ir com ele.. Tentava falar com o nosso motorista. Não sei onde os japas estavam a essa hora. Ainda bem que eu até que sou esperta às cinco da manhã. Fui até o balcão de uma das empresas da rodoviária e pedi para o cara ligar e falar em turco com o motorista para dizer que nós estávamos lá. Enfim, o motorista fake ficou revoltado.. Finalmente o nosso motorista chegou, super arrumado, de terno e tudo, e nos levou para o hotel. O maravilhoso Melrose Algau, que nos acolheu prontamente, mesmo antes do horário do check-in.

Você concorre com o número 1609

Letícia (Madrasta do Texto Ruim)

Olha, insanidade, insanidade não foi. Mas dada a minha realidade financeira, foi uma temeridade.

Na minha última viagem aos EUA, enfiei o pé na jaca na loja da Victoria's Secrets. Fiz estoque, mesmo. Comprei a linha completa de hidratantes, colônias e sabonetes líquidos da Secret Garden, mais uma promoçõezinhas aqui e acolá e... US$ 300 dólares gastos. Pense que cada hidratante, por exmeplo, custa US$ 5. Daí, faça as contas de quanto eu comprei.

Saí da loja com a consciência pesada. Fiquei tão incomodada com o abuso no cartão de crédito que meu inconsciente me castigou.

Naquela noite, sonhei que era namorada do Hugo Chávez. Pois é.
No meu sonho, o william bonner me entrevistava, incrédulo: como podia uma moça como eu estar namorando com aquele trubufu. E eu respondia: "Cara, eu não tenho a menor idéia. Só sei que eu sou namorada dele!"

Entendi a mensagem do meu inconsciente. Cada vez que tinha vontade de comprar alguma coisa, puxava meu cartão de crédito e me lembrava do trauma do pesadelo.

Só sei que o trauma foi eficaz, viu? Meu marido me elogiou, disse que eu nada gastei no cartão de crédito.

Noves fora, recomendo pesadelos com Hugo Chávez. Eles geram uma economia que vou te contar, viu? ;o)

Você concorre com o número 1610

Juliana Morena
Juliana MorenaPermalink

A coisa mais insana que já fiz numa viagem, foi quando com 19 anos (agora tenho 25) viajei de carona pelo nordeste com duas loucas amigas. Além de pegarmos carona (que já era considerado algo insano), como estavamos com pouca grana e nenhuma pousada beira de estrada pra nos receber, pedimos a um caminhoneiro, que estava parado num posto e trabalhava para empresa Ortobom, para nos ceder um espacinho na parte de trás do seu caminhão baú para dormirmos. Pois é, dormimos num caminhão baú, fechado, junto com o caminhoneiro. Foi inicialmente insano, mas depois, vimos que estavamos muito bem protegidas e extramamente confortáveis. =] Além de em ótima companhia, pois o caminhoneiro foi super gente boa! (detalhe: nao contem pra minha mãe, ok? rs)

Você concorre com o número 1611

Adriano Abreu
Adriano AbreuPermalink

Insamente em 2005 eu e minha esposa decidimos fazer trekking na patagônia sem a menor experiência. Com a ajuda da internet reservei tudo: vôo, hotel, hospedarias, guias e comprei os equipamentos necesários: bota, underwear, fleece, mochila, etc.

A história é longa, mas vou tentar resumir. Já no aeroporto de Guarulhos primeiro susto:

1) O RG militar da minha esposa não foi aceito. Corremos para o Poupatempo de Guarulhos e depois de muita choradeira conseguimos emitir um RG na hora (na época morávamos em Campinas - tive que ligar par a minha vizinha arrombar a porta do meu apto, achar minha certidão de casamento e nos passar um fax - só assim o eles poderiam emitir o documento

Chegamos em Santiago, passamos o dia descansando do susto #1 e no dia seguinte pegamos um vôo para Punta Arena. Era véspera de natal e chegamos no último vôo. Segundo susto:

2) O motorista que acertamos para nos pegar não apareceu e o aeroporto fechou com a gente lá! Nào conseguiamos ligar para a pousada, nem para o motorista nem para ninguém. Ficamos sozinhos lá esperando. Um casal de chilenos super simpáticos, antes de ir embora, vendo nosso desespero nos convidou para passar o natal com eles na casa deles. Agradecemos mas resolvemos esperar mais um pouco. Depois de umas 2 horas o motorista apareceu dizendo que estava com o horário errado de chegada do nosso vôo.

Bom, entramos no carro e seguimos viagem por mais 3h e meia até Puerto Natales, onde tinhamos uma pousada reservada. A chave do quarto estava com o motorista (era mais uma hospedaria que uma pousada). Enfim chegamos às 2am do dia 25 de dezembro, descarregamos e subimos ao nosso quarto loucos por um banho. E ao tentar abrir as malas...

3) A bolsa da minha esposa com as chaves da mala, passaporte, documentos, dinheiros, cartões, tudo tinha ficado no taxi!! Desesperado saí na rua mas ela estava deserta (véspera de natal numa cidade de 20mil habitantes). Em frente a hospedaria tinha uma casa toda enfeitada e acesa. Batemos na casa e pedimos ajuda. A simpática chilena nos acolheu e nos ajudou ligando para todas as empresas de rádio taxi da cidade, mas não encontrou o motorista que nos trouxe. Então me botou no carro dela e saímos pela cidade de ponto em ponto até achar ponto do motorista "que pegou um casal no aeroporto". Ele já estava dormindo, mas acordou e veio nos trazer a bolsa com tudo dentro!!!!

Fomos dormir por volta das 4am e acordamos as 7am para começar um trekking de 6 dias pelo parque. Detalhe: primeira vez de caminhada longa, primeira vez num lugar tão frio, primeira vez carregando aquela mochila enorme! Insano! Mas maravilhoso.

Você concorre com o número 1612

Patrícia Maia
Patrícia MaiaPermalink

Tenho várias viagens insanas mas nunca nos lembramos da melhor para falar nesses concursos. Tenho algumas sobre idiomas que não temos a mínima idéia de como falar como por exemplo quando estávamos eu e meu namorado em Budapeste. Eu estava com infecção urinária e cheguei no parque da cidade já sabem onde eram todos os banheiros disponíveis. Só não sabia que estava acontecendo a meia-maratona de Budapeste e que o final da Maratona era justamente no parque, então vários banheiros estavam com difícil acesso devido a presença do público. Fui direto a um organizador da meia-maratona achando que ele pelo menos sabia falar inglês, mas nada. Tentei português, espanhol, francês, alemão e ele só fazia que não com a cabeça... Aí tive que falar com mímica mesmo. Ele entendeu e conseguiu me passar com mínicas + húngaro os banheiros localizados mais perto. Foi bem difícil e continuar fazendo todos os programas e viagens mesmo estando passando muito mal também. Ainda fomos a muitas cidades depois disso: Praga, Cracóvia, Berlim, Copenhaguem e Londres, sempre com todos os mapas disponíveis de banheiros a mão. E ainda levei um puxão de orelha do meu médico quando cheguei ao Brasil com 40º de febre. Hoje ao ouvir os comentários de pessoas que morrem com infecção urinária vejo o quanto insana eu fui naquela viagem.

Você concorre com o número 1613

Rafaela S. Viana
Rafaela S. VianaPermalink

Coragem hein!!

Minha viagem insana foi no carnaval de 2009. levantei e meu irmao perguntou o que eu ia fazer e disse que nada. ele então sugeriu: "vamos para a casa da tia em Blumenau?" e eu falei: Vamos!! isso já era sabado de carnaval quase 12h... e liguei pro noivo, empacotei uns biquinis e chinelo e pegamos a estrada. Foi chuva no caminho, cansaço, fome, e o horario de saida que foi uma insanidade só... (moro em SJ Rio Preto/SP). Chegamos por volta de 3horas da madruga na casa da tia. resumindo o feriadão, passamos mais tempo no carro que na praia, mas Bombinhas foi inesquecivel, mesmo pegando cerca de 6horas de encarrafamento pra sair do lugar! A VOLTA pra casa que foi emocionante! foi a noite! teve guarda parando e querendo prender o carro (pq o meu irmaozinho trocou os documentos aff!) até "passamos" da entrada do posto e como num filme de terror.... tudo escuro, trovoadas muita chuva e sem combustivel!!
Foi tudo uma grande loucura, mas nunca me diverti tanto em viagens!!
Abraços

Você concorre com o número 1614

Sílvia Soares
Sílvia SoaresPermalink

Minha maior insanidade foi ter feito um vôo de ultraleve, com emoção, em Piúma-ES. A praia não tem nada pra ser visto (o que eu fui fazer lá?), ainda mais em um ultraleve velho? Pra piorar a insanidade, o piloto fez um vôo "com emoção", uma manobra (acho que chama stoll), parecia que eu ia ter o fim inglório de morrer naquele cacareco. Eu tinha 19 anos e, nessa idade, insanidades são perdoáveis...rs

Você concorre com o número 1615

Tiago dos Reis
Tiago dos ReisPermalink

Caramba! Acho que você deveria ganhar a menção honrosa, Silvia. Ultraleve em Piúma??? rsrsrs

Luís Fernando
Luís FernandoPermalink

Ir de SP a Caldas Novas (750 km) de madrugada, sem dormir no dia anterior, com certeza foi a viagem mais insana e irresponsável que já fiz.

Você concorre com o número 1616

Nathália Andrade
Nathália AndradePermalink

Minha viagem insana? Deixa eu pensar... Ih! Não tive. Conto com o Riq para me proporcionar minha viagem mais insana! Não existe insanidade maior que queda livre de 14 andares. Isso sim, é uma viagem insasa, e eu quero realizar pra poder ter mais um item cumprido na minha lista!

Você concorre com o número 1617

Leonardo Alencar
Leonardo AlencarPermalink

A coisa mais insana que fiz, juntamente com minha esposa, foi visitar a praça da bastilha, em dezembro de 2007, durante um período agitado por lá (novidade...), em que os jovens dos subúrbios estavam revoltados com a polícia - se justamente ou não a discussão não cabe aqui. Pois bem, estavamos lá tirando fotos, quando de repente chegam mais de uma dezenas de viaturas policiais, com sirenes ligadas, e os policiais começaram a "dispersar" os manifestantes que estavam ao pé do monumento protestando. Nossa saída de lá foi a mais à francesa do que nunca.

Você concorre com o número 1618

marina
marinaPermalink

Minha viagem insana foi, na verdade, nossa lua de mel...
Como teríamos 30 dias de férias, juntos, sem saber quando isso se repetiria novamente, resolvemos ir para o Japão! O Japão é lindo, e a viagem foi ótima. A parte insana é que era lua de mel, é tudo muito longe e cansativo para ser romântico!

Você concorre com o número 1619

Claudia Beatriz - Aprendiz de Viajante

São tantas insanidades!!!
Mas provavelmente minha maior insanidade foi largar um emprego de altíssimo nível no Brasil e passar uns meses nos Estados Unidos viajando, estudando inglês e de quebra fazendo algumas entrevistas para trabalho... Aí você diria, não tem nada de muito insano... até eu te contar que eu estava gastando todas as minhas economias quando o dólar estava carissimo... mais de 3.50!!! Tem noção do que é fazer conta a cada coisinha que se compra e ver sua conta bancária só minguando. smileDá-lhe escolher programas for free!
A família e os amigos queriam internação assim que eu pisasse em solo brasileiro. smile
Mas a insanidade valeu, porque algumas semanas depois de voltar ao Brasil, uma empresa que eu fiz uma entrevista quando estava em DC me ligou, ofereceram visto, trabalho e salário em dólar(que claro, desde aquela epoca, vem caindo vertiginosamente, já que eu estou aqui né?)... e aqui estou(em DC mas não mais na mesma empresa!), até hoje! wink

Você concorre com o número 1620

Oscar
OscarPermalink

Nem me fale esse dólar esta de chorar...

Sandrissima
SandrissimaPermalink

Trinta e um dias de férias, sem estresse, sem motivo para pressa. Aí eu e o Jc descemos as escadarias de uma das estações de metro de Paris, o aviso de partida já tinha sido dado, ele me agarra a mão, pula do ultimo dos degraus, me arrasta junto e pulamos dentro do vagão. A porta fecha imediatamente às nossas costas. Um senhor negro, bem vestido, com rosto traquilo e sábio, nos olha e balança levemente a cabeça reprovando-nos.
Não precisavamos cometer uma insanidade dessas, que poderia ter nos custado a vida...

Você concorre com o número 1621

CarlaZ
CarlaZPermalink

A minha maior insanidade foi fazer um mergulho em Ushuaia. 5 graus! Quando resolvi fazer achei uma graça enorme, mergulhar de roupa seca etc...mas é uma insanidade sim!
Imagina que sua roupa de mergulho vai por cima da sua roupa. E vc tem que confiar que não molha. Imagina agora que o capuz não tem assim uma mega vedação, então entra água pela cabeça! E a luva não faz parte do macacão então também entra um pouco de água.
E para chegar ate o point de mergulho é de lancha! Lanchinha! Com muito vento! A temperatura externa é menor que da água!
Ok...vc fez todo o seu mergulho, toma um chá pra aquecer e reza pra não perder as mãos (achei que tivesse congelado).

Agora a parte engraçada, vc ta com sua roupa de mergulho toda inflada igual ao "os incríveis" e salta um barco do seu lado, cheio de turistas, cheio de máquinas fotográficas...e adivinha o que é a atracão!!!
Vai dizer...insano!!!

Você concorre com o número 1622

Clarissa Comim
Clarissa ComimPermalink

Minha viagem insana foi para Berna na Suíça. Uma das práticas dos suíços, durante o verão, é nadar no Rio Aare. O rio tem uma correnteza fortíssima e a água é geladérrima (15ºC). Eu não sabia nadar, mas mesmo assim, queria experimentar! Me joguei em um ponto do rio, fui boiando (pois a correnteza proporciona isso) até outro ponto do rio onde uma amigo estava me esperando para me tirar da água. Saí roxa de tanto frio! Mas valeu a experiência! wink

Você concorre com o número 1623

Mariana "de Toledo" (@merel)

Minha maior insanidade foi cancelar uma viagem para passar o Ano Novo com uma pessoa X nos EUA para ficar com uma pessoa Y no interior de Minas. Pessoa esta que eu havia acabado de conhecer há coisa de um mês.

Um ano depois, estamos planejando a próxima viagem wink

Você concorre com o número 1624

Carlos Henrique
Carlos HenriquePermalink

Minha viagem mais insana foi à Valle Nevado! O que tem de insana nisso? Acontece que eu tenho (e não sabia) uma doença genética chamada Anemia Falciforme, que me impediria de chegar a altitudes elevadas resultado: no meio da primeira descida tive um infarte no baço (coisa que nem sabia que poderia ocorrer), com muita dor fui hospitalizado em Santiago (nem plano de saúde internacional tinha feito) e sou o primeiro caso relatado dessa doença no Chile (pois é virei estatística)! Depois de uma semana de testes para descobrir a doença e um mês inteiro de internação, voltei para o Brasil para descobrir que essa doença, por aqui, é mais comum do que imaginava. Viagem insana com final feliz!

Você concorre com o número 1625

Filipe
FilipePermalink

Viagem insana é qualquer uma que se faça sem antes dar uma passada aqui. Tá, ficou igual resposta de concurso de shopping, mas é isso mesmo. ; )

Você concorre com o número 1626

Alessandro A.
Alessandro A.Permalink

Minha viagem insana foi quando ainda estava na faculdade e alugamos um ônibus para ir do Rio até Gramado para assistir a um congresso. O problema é que a viagem durou 24 horas e ônibus so parou somente 1 vez, pois o motorista não conhecia direito o caminho. Agora você imagina o estado do ônibus (e do banheiro) após uma viagem de 24 horas com um bando de adolescente bebendo cerveja o tempo todo e fazendo a maior zona. O cheiro era insurpotável e obviamente ninguém conseguia dormir.

Você concorre com o número 1627

Pat Fernando
Pat FernandoPermalink

Acho que já devo ter comentado aqui a passagem mais insana de minhas viagens. Foi no reivellon de 1999 para 2000 em Paris. Perdemos o horário de metrô e onibus para voltarmos para o hotel. Nenhum taxi parava. Tivemos que caminhar até nosso hotel, porém ele estava muito, mas muito distante da onde estávamos. E não tinhamos nenhum mapa. Acabamos "pegando emprestado" um mapa da rota de onibus que levava até o hotel e foi graças a essa rota que conseguimos chegar depois de 7 horas de caminhadas sem parar pelas ruas de Paris. A calça da minha irmã chegou puida entre as pernas e no dia primeiro ficamos todos deitados tentando reabastecer as energias.Foi uma insanidade mas com certeza inesquecível.

Você concorre com o número 1628

Alessandro A.
Alessandro A.Permalink

Riq, quando tiver o local do sorteio definido é só avisar que eu tô dentro. Abraços!

Luca
LucaPermalink

Eu também!

Ricardo Freire
Ricardo FreirePermalink

Vou pôr em votação! Tô pensando num lugar central (Lapa ou Centro ou Belmonte do Flamengo), porque devo ficar num dos hotéis perto do Santos Dumont pra no dia seguinte cedinho ir pra Búzios...

Oscar
OscarPermalink

Insanidade maior que largar família, amigos e cair literalmente no mundo como fizemos acho que não é possível... Você já imaginou algum dia que poderia morar em Cingapura?!? Pois é nem eu... Que tal Delaware? O que?! Dela where?
Mas enfim tenho dizer que esta experiência tem sido um barato. Porém como adoramos algumas insanidades escolho o treeking que fizemos pelo interior do Canion do Rio das Pedras na região dos Canions no RS/SC como o passeio mais insano/selvagem de todos.
Apesar que as experiências pela Ásia também não deixam nada a desejar.. rsrs
Parabéns Riq em tomar coragem e descer o Insano.. Em sua homenagem no final de semana seguinte à sua descida fui 3x na KingdaKa a mais rápida e alta montanha russa do mundo no Six Flags. Detalhe ela é apenas 101 metros mais alta que o Insano.. Pensando bem isso sim é uma insanidade.. #adoro

Você concorre com o número 1629

Camila Faria
Camila FariaPermalink

Minha maior insanidade numa viagem? Foi pegar o carro do aluguel sozinha na França sem falar NADA de francês, com o GPS na caixa (não sabia mexer...) e na hora de perguntar como eu deveria sair pra ir pro hotel o atendente me mandou virar à esquerda e virei à direita... Aí já viu né? Sem mapa, sem lenço, mas com documento, consegui não andar na trilho do bonde e chegar no hotel sã e salva!

Você concorre com o número 1630

Acklei
AckleiPermalink

Acho que o mais insano não foi a viagem em si, mas o que aconteceu nela. Fomos este ano para Paris e alugamos um carro para percorrer o interior e entregamos ele em Bruxellas.
Ao voltar notei que a cobrança nunca entrava no cartão de crédito, entrei em contato com a locadora e por incrível que pareça eles não localizam a minha locação. Tentei de todos os métodos, número do contrato, carteira de mototrista, identificador da locação, número do cartão de crédito e nada...a resposta que sempre recebo é de que a locação não foi encontrada :????
Pra provar que eu não estou INSANO, tenho fotos do carro smile
Enfim, espero que a interpol não esteja a minha caça...hehehe

Você concorre com o número 1631

Ana Carolina
Ana CarolinaPermalink

Insano foi ter chamado meus pais para irem comigo e o marido ao Deserto do Atacama. Mais insano foi o casal sexy(agenário) ter topado e se divertido horrores.

E insanos, lá pelos meus vinte e pouquinhos, eram meus acampamentos pelos arredores... no verão em que passei de elite intelectual (universitária) a problema social (desempregada), estava à toa com uma amiga, à tarde, e decidimos ir naquela noite para a Ilha do Cardoso. Pegamos o último ônibus de Curitiba a São Paulo e pedimos para descer em Registro. O motorista, bem paternal, não queria largar as duas mocinhas lá, ficou todo preocupado. E nós rindo, insanas e inconsequentes, para espantar o medo de passar a madrugada na incrível rodoviária de Registro acompanhadas de alguns poucos cães. Tivemos sorte, foi tudo tranquilo. Pegamos mais um par de ônibus locais até Cananéia, barco até o Cardoso e tivemos juntas uma das melhores semanas da minha vida, com praia deserta, forró toda noite e sem um pingo de chuva para atacar minha barraca fajuta. Insanidade deliciosa, tesouro da memória.

{Riq, acho que sua insanidade comeu um 'p' antes de escada, no parágrafo que começa com: "Só consegui descer"}

Você concorre com o número 1632

Ricardo Freire
Ricardo FreirePermalink

Eu vi... Mas se eu mexer naquilo vou ter que republicar TODOS os vídeos, que somem sempre que eu precisar mexer no texto. E são 4 vídeos (nenhum deles está na mais na minha tela). Deixa assim, vai...

Ana Carolina
Ana CarolinaPermalink

wink

Ricardo Brasil
Ricardo BrasilPermalink

Ao completar 18 anos, fui passar o Reveillon 93/94 em Garopaba com 2 amigos. Saimos do Rio de carro, dormimos em Curitiba e no dia seguinte chegamos na praia da Ferrugem. Dia 29 e não tinhamos reservado casa nem hotel. Unica coisa que conseguimos foi uma casa ainda em construção toda no cimento com um fogão velho e chuveiro eletrico. Compramos colchoes que depois abandonamos, traveseiro era mochila e jornal serviu de cortina. Como o banheiro dava choque mesmo com chuveiro desligado, fiquei 5 dias sem tomar banho esperando a chuva e o ladrão da casa ao lado vazar pra tomar banho, assim foi o banho em 2 oportunidades. Depois os vizinhos se emocionaram com nossa historia e liberaram o chuveiro do jardim para banhos estilo Big Brother. Ficamos quase 20 dias. Era pegar onda o dia inteiro e boate a noite, numa epoca em que quase não tinha carioca.
Voltei em 2009 e tirei fotos da casa terminada e com segundo andar feito, toda pintada com cerca e jardim.

Você concorre com o número 1633

Renan Siqueira
Renan SiqueiraPermalink

Sempre que possivel, eu e minha esposa viajamos na data do aniversario dela ( final de abril ). Em 2009 escolhemos o Chile e começamos a organizar a viagem bem antes como de costume. Uma delícia...restaurantes...baladas...vinho etc.
Só q proximo a data de embarque, descobri q o Palmeiras jogaria em Santiago na data em que estariamos la e advinha onde paramos numa noite fria??? Isso mesmo, dentro do campo do Colo-Colo...eu e ela passando medo e frio, mas nada que uma classificaçao a um minito do final e um bom vinho no hotel nao resolvessem...
Foi INSANO....

Você concorre com o número 1634

Rodrigo Basso
Rodrigo BassoPermalink

Em 2000, saímos de carro (saveiro s/ ar condicionado) de Campinas (eu e mimha namorada, hoje minha esposa) p/ o Sul da Bahia. Somente com o dinheiro e 02 guias (estradas e praias) e já com algumas dicas do Riq. Sem reservas, sem destino, sem data p/ retorno. Após 22 dias entre Itaúnas, Caraíva, Trancoso, Itacaré, Barra Grande, Morro de São Paulo e Boipeba, e com o final do $$$, retornamos. Até hoje, foi a melhor viagem de nossas vidas.

Você concorre com o número 1635

Mariana
MarianaPermalink

Qual a viagem mais insana que eu fiz ou a maior insanidade que eu já cometi em alguma viagem?
Para muitos ir à China com seu noivo (no ano do seu casamento, com milhões de contas a pagar, reforma de apartamento, etc...) é uma viagem insana. Para outros tentar pegar um táxi em Dongyang ( uma cidade de 800.000 habitantes na China) só sinalizando o lugar, balançando a cabeça, sorrindo e repetindo uma das poucas palavras que você aprendeu no idioma local (“xexei”, que quer dizer obrigado), é a maior insanidade para se cometer em alguma viagem.
É...talvez fomos insanos...mas ao final ficamos com a mesma sensação que o Riq deve ter tido ao concluir a sua aventura pelo brinquedo: vale a pena demais!!!

Você concorre com o número 1636

Thayana Borba
Thayana BorbaPermalink

Oi Riq... adorei o Insano... D+!
Minha maior insanidade em viagens... ou melhor, nossa... pq fomos eu e meu namorado, foi ir de carro de SP até Porto Alegre, sem mapa, sem saber como chegava lá, sem lugar para ficar... fomos parando pelo caminho, pedindo informações, saímos de casa às 4h da manhã e chegamos ao nosso destino final a meia noite... e ainda tínhamos que procurar um lugar p ficar... aquele dia foi maluco, na verdade a viajem inteira foi maluca... no outro dia saímos a procura de um tio do meu namorado que mora lá, sabíamos mais ou menos onde ficava, mas a gente não conhecia nada por lá... enfim, achamos e passamos a outra noite lá, já que não tínhamos onde ficar... depois partimos para Canela - RS, lá nós tínhamos reservado um pousada, bastava conseguir chegar lá... Foi uma aventura só... na volta fomos passar na casa de um amigo nosso que se mudou para Itajai - SC, mas não sabíamos onde ele morava, só o endereço do trabalho dele e então fomos para lá... chegou la, ele não estava... o pessoal da oficina disse que ele nem ia naquele dia, mas que talvez ele passasse por lá, e então passaram um radio para ele e depois de uns minutos, ele apareceu... Ai ai, só a gente mesmo p fazer isso, rs! Bjs Thay
*Concordo com as regras!

Você concorre com o número 1637

Viviane Moura
Viviane MouraPermalink

Também em 2000 estava viajando pelos EUA e em um dia resolvi fazer uma viagem pequena pelos arredores da cidade onde eu estava.
Viajei no máximo uns 250 km e ao sair de um parque ouvi pelo rádio um alerta de tornado. Peguei o carro e resolvi voltar pra casa. Nunca havia visto um tornado ou algo parecido e não quis bancar pra ver, rs!
No caminho de volta vários carros parados no acostamento e uma chuva muuuuuuuito forte.
Ao chegar em casa, o pessoal me recebe com cara de espanto, afinal o caminho que eu fiz de volta pra casa, tinha constatado nada menos do que 6 tornados.

Você concorre com o número 1638

Paula Bicudo
Paula BicudoPermalink

Minha maior insanidade de viagem foi desencanar da pousada que passava o feriadão em Parati e passar os 4 dias numa Rave numa praia deserta um pouco adiante da cidade em março de 2002. Foi INSANO mesmo. Espero que minhas filhas nunca leiam isso, hahahah

Você concorre com o número 1639

Tiago dos Reis
Tiago dos ReisPermalink

A minha viagem mais insana foi à Região dos Canyons na divisa do RS com SC, onde caí na besteira de descer de tirolesa, fazer rapel numa cachoeira de 30 metros e uma ascensão numa figueira de 15 metros.
Tudo isso pela primeira e última vez na vida!!!
Culpa da minha esposa que adora "aventura"...

Você concorre com o número 1640

Alex Melo
Alex MeloPermalink

Vale contar 2? Tudo bem que foram ambas na mesma viagem, uma no começo e outra quase no final, e envolvem longuíssimos percursos de ônibus, mas.
Valendo ou não, lá vai...

1) Em 2007, depois de 3 anos, voltei a viajar - e queria seguir até Uyuni, passando pela Bolivia. Mas tava sem grana nenhuma, então fui no estilo quanto mais perrengue, melhor smile
De Sampa até Corumbá, as 20 horas normais de ônibus e comprar passagem para o "Trem da morte". Logicamente, não tinha mais...
Assim, arrumar lugar para dormir em Puerto Quijarro, aka Puerto Bizarro. Sem muitas opções, a hospedagem da noite foi em http://olemxela.multiply.com/photos/album/19/022007_-_Trem_da_Morte_e_Santa_Cruz_de_la_Sierra#photo=7 Pantanal boliviano em fevereiro. Depois de um dia inteiro sem absolutamente nada para fazer, fazia tanto calor que dormi no chão do quarto, e mesmo assim virando o tempo inteiro para diminuir o suor - afinal, o ventiladorzinho não seria para nada. No dia seguinte, fui até a fronteira comprar alguma besteira antes de encarar o trem. E ali a loucura continuava: Trem da morte (que até arcondionado tem) por 14 horas até Santa Cruz de la Sierra - saindo dali na mesma tarde até Sucre, 16 horas da viagem mais surreal que já fiz - a parada para banheiro na madrugada tinham uns 4 ônibus seguidos, com todo mundo usando uma parede de uma escola (ou algo assim) - não quero imaginar como era a cidade durante o dia... chegando em Sucre, mais 3 horas até finalmente chegar em Potosi,meu ponto de parada neste começo. Saí de São Paulo domingo pela manhã para chegar em Potosi na quarta-feira pela tarde...

2) Na mesma viagem, outra loucura envolvendo longos percursos de ônibus. Como no Atacama não tinha conseguido seguir para Salta, por falta de ônibus,fui para Santiago. Depois de 3 dias aproveitando bem a região, tinha que ir para Posadas, para a região das Missões (o destino final era Foz do Iguaçu, onde iria encontrar minha esposa no carnaval). Assim, saindo cedo de Santiago por 7 horas até Mendoza, onde não havia ônibus até Posadas, mas para Córdoba tinha um saindo naquela hora - após 12 horas de viagem onde, em um ônibus de 2 andares, fui o único passageiro por umas 4 horas. Chegando em Córdoba, o único ponto positivo desta loucura.. eram 8 da manhã e o ônibus para Posadas só saia às 13:00, assim pude aproveitar para conhecer a parte central de uma bonita cidade argentina. A partir das 13:00, as últimas 16 horas de viagem, num ar condicionado tão bom que depois de um tempo estava todo mundo se cobrindo com o frio. Pelo menos, a viagem foi direta, com alimentação servida a bordo.
Finalmente, depois de 3 dias e 2 noites quase inteiras dentro de ônibus, consegui chegar a Posadas na data planejada, conhecer as Missões, e depois seguir viagem. E pensar que se tivesse ido por Salta estaria tão pertinho...

Teria uma terceira também, que foi descer a estrada La Paz-Coroico (a conhecida estrada da morte) em transporte público, com o momento mais insano sendo o cara dar marcha ré em uma daquelas curvas absurdas para passar um caminhão no sentido contrário em direção ao penhasco, mas como ali o passeio e bicicleta é até turistico, creio que nem conta tanto assim...

Você concorre com o número 1641

Raquel Meneses
Raquel MenesesPermalink

Gente só com um premio desses pra eu contar um king cong desses heheheh, Foi numa viagem de carnaval, onde fui para Uruaú, uma praia do Nordeste, todos bebiam muito como é comum no carnaval e eu fiquei só no refri a noite toda, ao chegar na casa onde estava hospedada todos já dormiam, peguei minha roupa e fui para o banheiro tomar banho... Ao chegar lá me deparei com uma rã gigantesca verde horrorozaaaaa, nojenta, ai pronto entrei em pânico, todos dormindo, ninguém para me salvar,então corri para o quarto, mas ao chegar no quarto percebi que a vontade de fazer xixi era maior do que eu, então entrei em desespero, e agora??? Ai surgi o ato INSANO,corri pra cozinha, passando a metros do banheiro com pavor da rã assassina, peguei um saco de pão,que diga-se de passagem era o unico saco que havia na casa,coloquei todos os pães em cima da mesa, e lá fiz o xixi dentro do saco, detalhe encheu ate a tampa kkkk, morta de vergonha, com medo que alguem acordasse corri pra varanda da casa, que era de 2 andares, e joguei o saco sem olhar pra baixo... conclusão o vigilante levou quase dois litros de xixi na cabeça, eu fingi que não vi corri e me deitei na cama... no outro dia no café da manhã ele subiu e só reclamava que alguem tinha atirado um saco de xixi na cabeça dele ahahahaha foi realmente Insano maldita rãzinha... bjos galera...

Você concorre com o número 1642

Evelyn
EvelynPermalink

minha maior insanidade em viagens foi voltar de paris p/ aracaju em plena véspera de Natal, c/ uma conexão em guarulhos super apertada, e tendo comprado os trechos do vôo separados!!!!!! claro q perdi o vôo sp/aracaju, né? mas depois de passar o dia 24/12 em uma fila, junto c/ russos e venezuelandos q estavam na mesma situação, consegui embarcar. o jantar de natal foi em pleno ar! e ainda consegui pegar o restinho da ceia aqui em casa!

Você concorre com o número 1643

Desirée
DesiréePermalink

A maior loucura que já fiz foi percorrer o nordeste de carro no mês de dezembro sem reserva de hotel (detalhe: com duas crianças a bordo). No final, deu tudo certo, mas foi uma trabalheira encontrar hotel em Natal com quartos quádruplos vagos.

Você concorre com o número 1644

Débora Motta
Débora MottaPermalink

Quando eu era adolescente, no século passado rsss, fui para Alegrete/RS, com uma amiga e familia dela.
Quando foram me buscar um casa, chega um Chevette acabado, com seis pessoas dentro. Eu seria a sétima!!!
Quase chorei!
Mas já estava com a malinha na calçada e não dava para desistir!

Para piorar, furaram 2 pneus no caminho!!!!

As três horas de viagem se transformaram em sete!!!!!!

Você concorre com o número 1645

Nanã
NanãPermalink

Ir pros EUA em 1996 sem falar inglês, de forma completamente independente, sem pegar tour guiado. E por incrível que pareça, correu tudo razoavelmente bem!

Você concorre com o número 1646

Vagner Santos
Vagner SantosPermalink

Essa insanidade eu tenho até verginha de contar: eu nunca tinha esquiado na vida, mas como estava nos Alpes, mais especificamente em Leysin (SUI), resolvi arriscar. Como era uma viagem mochilão e tinha 18 anos, eu estava muito pão duro e decidi não alugar roupa: fui com um casacão impermeável que eu tinha e CALÇA JEANS! E tampouco quis fazer aulinha antes!
Resultado: não parei em pé, caí o tempo todo, entrou neve pela cueca toda!
Hoje eu imagino o que as pessoas devem ter pensado ao ver aquela cena...
Tomara que, hoje, 11 anos depois, esta insanidade me traga sorte!

Você concorre com o número 1647

Aliás, eu já fui ao Insano e foi show!

Jackie
JackiePermalink

A maior insanidade é bem recente e foi feita por mim e por meu marido. Ele queria muito ir ao Nordeste porque eu sempre escolho lugares de frio pra viajar. Então, nossa primeira viagem de casados depois da lua de mel foi pro nordeste. Aproveitamos as milhas reduzidas da Gol e marcamos a viagem de 10 dias. Só que poucos dias antes de irmos ele descobriu que teria que estar no Rio na segunda-feira, ou repetiria uma disciplina no Mestrado. Ele ficou arrasado por ter que voltar antes e porque teriamos que cortar do roteiro Maragogi. Então, eu simplesmente comprei 2 passagens pra ele. Uma de vinda pro Rio no domingo de madrugada e outra de volta pro nordeste na segunda a tarde. Assim, ele veio, assistiu a aula e voltou pra continuarmos nossa viagem por mais dois dias e irmos a Maragogi.
no final, deu td certo em Maragogi e ele adorou. Foi louco gastar tanto em passagens justamente pq viajamos economizando, com milhas, mas ele ficou muito feliz!

Você concorre com o número 1648