Não procure um lugar em outro!

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Baía do Sancho, Noronha

Um dos erros mais comuns em viagem é a gente ir para um lugar novo, mas procurando o conhecido. Ninguém está livre de passar por isso. Eu mesmo relatei há pouco como só fui entender Santiago depois que parei de procurar por lá as coisas de que gosto em Buenos Aires.

O Brasil, o mundo e a nossa curiosidade são grandes, então é natural querer sempre viajar para um lugar diferente. O  jeito mais eficaz de não cair na síndrome do procurar-um-lugar-no-outro é não viajar a um lugar só porque você "não conhece ainda". Vá a esse lugar porque você quer ver/experimentar tal, tal e tal coisas -- de preferência, coisas que só existam naquele lugar. Quando você vai a um lugar novo só para aumentar o número dos lugares onde você já foi, o risco de decepção aumenta.

Isso é ainda mais comum nas viagens que não são propriamente "turísticas", mas de descanso e recarregamento de baterias. Muita gente se dá muito bem com uma praia, um hotel, um resort -- mas em vez de voltar e aproveitar de novo o que já foi testado e aprovado, não: encasqueta que precisa sempre ir a uma praia, um hotel ou um resort diferente. E então se arrepende porque não encontrou aquilo que havia no outro lugar.

Quantas vezes me perguntam aqui: ah, mas será que a piscina/animação/comida/praia do resort xis vão ser tão boas quanto as do resort ípsilon, de que gostamos muito? E eu sempre respondo: não há lei que obrigue ninguém a tirar férias cada vez num resort/hotel/praia diferente. Se você gosta muito de um lugar, experimente repetir. Hóspedes freqüentes são mais bem tratados -- é fato.

E se você quiser mesmo trocar de lugar, siga a dica lá de cima: escolha não porque você "ainda não conhece", mas porque você ficou muito interessado nessa, naquela e naquela outra coisa que parece haver lá (e não no lugar aonde você já foi).

Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire


70 comentários

Zezé
ZezéPermalinkResponder

Perfect!

Cristina L
Cristina LPermalinkResponder

há um ano adotamos uma pousada em Ubatuba como o nosso refúgio: barata, no meio do mato, limpa, novinha, casal de donos atenciosos, com uma filhinha graciosa e um café da manhã simples, justo e gostoso.

praia para nós agora é lá e não tem erro: sabemos chegar, está sempre tudo muito bom, estamos bem locallizados para qualquer lugar em Ubatiba e Paraty e sempre descansamos ouvindo pássaros e não zunzum de gente.

talvez essa marcação de território seja derivado dos 20 anos em que tivemos casa na praia, mas COMO me sinto bem sabendo onde é o meu lugar!

Virginia Lucia

Cristina, depois dessa propaganda toda tô louca pra saber o nome da pousada, até porque ainda não conheço nem Ubatuba nem Paraty e meu marido é doido pra conhecer. Faz o merchã, please...

Cristina L
Cristina LPermalinkResponder

ah já fiz!!! rsrsrs

Banana Verdolenga, fale com a Valéria ou o Ricardo: 12 3845 3431

Valéria
ValériaPermalinkResponder

Olá Cristina,

Muito obrigada pela preferência e pelos elogios!!!!

Um grande abraço

Valéria

Claudia Beatriz - Aprendiz de Viajante

Riq,
Ótimo post... rolou outro dia uma discussão no twitter sobre quando vale a pena voltar em lugar conhecido e quando vale a pena em investir em algo diferente.
Porque conhecer algo diferente, cansa, dá trabalho, não é mesmo?
E como você lembrou, hospedes frequentes são mais bem tratados.

Eu tenho meus lugares favoritos que eu volto sempre porque gosto de uma coisa ou outra, ou quero descobrir mais sobre o lugar.
Tem lugares que fui quando era solteira, voltei casada e com filhos e vi o lugar de forma completamente diferente. Ou voltei com mais grana, ou descobri algo novo e quis voltar pra ver.
Acho que mesmo um lugar que você volte muitas vezes, pode oferecer sim, algo diferente.

Marcie
MarciePermalinkResponder

Sou totalmente a favor de voltar repetidas vezes aos mesmos lugares. Inclusive pela sensação de "pertencer" que isso proporciona.

Thiago Parente

Onde eu assino?

zuzu
zuzuPermalinkResponder

Eu gosto de mudar!Mas com expectativas realistas prá nao haver decepçao.
Passar a vida indo a mesma praia porque se tem apartamento lá, nao faria meu genero, soa a obrigação!

Naila Soares
Naila SoaresPermalinkResponder

Fato.

Adri Lima
Adri LimaPermalinkResponder

Quando eu li o título do post, achei que era a charada de hoje! wink
Inclusive, cadê?

Ricardo Freire

A Charada pediu férias de 15 dias, e eu dei. Tava exausta, coitada.

(Mentira. Esqueci com-ple-ta-men-te, mas agora não posso fazer porque tô no meio da página do Estadão atrasadíssima!)

juliana amorim

Sinceridade é TUDOOOOO!!!
Tomara que a Charada mande um postal semana que vem, do lugar onde ela está de ferias. hehehehe

Beto
BetoPermalinkResponder

Os seqüelados hão-de dominar a Terra. :mrcool:

Fabio NG
Fabio NGPermalinkResponder

A charada da 6a é quem é "A Bóia"... wink

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Tô achando que 'a bóia' é gauchO :cool:

Georgia
GeorgiaPermalinkResponder

Não me diga que a charada pegou "A bóia" e está viajando!

Marcie
MarciePermalinkResponder

A Charada dessa sexta é : cadê a Charada! lol

Adri Lima
Adri LimaPermalinkResponder

hahaha, Riq, que comédia...

E vem cá, delícia total é estar numa vibe e num lugar tão bom que a gente até esquece em que dia está...

Rosa
RosaPermalinkResponder

Na Rota é assim mesmo: a gente nem sabe que dia é hoje.
Tenho repetido, e sem arrependimento, 02 momentos: Natal em Sauipe e 10 dias de férias, entre janeiro/fevereiro, em Alagoas!!! Inesquecíveis!!!

Ale Tricolor
Ale TricolorPermalinkResponder

Riq, isso acontece também quando visitamos um mesmo lugar em estações do ano diferente. Quem visita Paris no inverno (neve) e no verão (muito calor) parece conhecer duas cidades absolutamente distintas. Porém, é divertido se apaixonar pelas "duas" Paris, ao compreender as singelas peculiaridades da Cidade Luz em cada estação.

Majô
MajôPermalinkResponder

Concordo plenamente, é por isto que eu volto, e volto, e volto... Foi assim com Mauá,Paraty, Toque, BsAs, Paris.
Quando pensávamos em férias na praia, vinham várias possibilidades, mas acabávamos no Nilo que já conhecíamos e adorávamos :cool:

Mariana "de Toledo" (@merel)

Não consigo sossegar e repetir lugares com essa tranquilidade ainda. Mas muitas das minhas melhores memórias de infância são de uma pousada que eu fui umas 300 vezes.

smile

É difícil se despir das referências quando viajamos. E quando comparamos ao lugar onde vivemos? E quando viajamos procurando um lugar para morar?

Adriana Pessoa

Perfeito. Só entendi Lisboa depois de esquecer Paris.

Val
ValPermalinkResponder

adoro repetir lugares...

o que não aguento é o povo falando: " De novo?" wink

Rubys
RubysPermalinkResponder

Como eu queria saber escrever assim !!!
Muito bom !

Ila Fox
Ila FoxPermalinkResponder

Concordo!
Ano que vem vou repetir uma viagem para porto de Galinhas no Beach Class. Mas desta vez vou levar meus pais. wink

Fernando Moreno

Realmente super bacana. Agora no natal estive no Meliá em Punta Cana e o esporte favorito da maioria dos brasileiros que estavam por lá era reclamar que o Iberostar da Praia do Forte era melhor. Ou que outro resort zê, dábiliu no Brasil era melhor.

Essas pessoas sempre que se esquecem que o forma de brasileiro ir à praia, diag-se de passagem talvez a melhor do mundo (fato: provavelmente não haverá tira-gosto em praias fora do Brasil), é única, e raramente será encontrada fora de terras brasucas.

Rubys
RubysPermalinkResponder

é verdade: Frase da minha esposa na Ilha de Capri diante do mar mais azul que eu já vi: "Mas não tem areia.. só pedras !!! e se me der fome? não rola um camarãozinho?"
Sensacional....

Eleonora
EleonoraPermalinkResponder

Ai meu Deus....como carioca ,nao entendia as praias em Fortaleza, com mesas na areia e pensava...eles vem a praia pra comer? hahaha.

Patrícia B. Maia

Tb carioca, acostumada a ficar na praia 1-2h, estranhei mas achei bom estar numa praia c/ uma boa infra: armários, banheiros... permitindo que v passe o dia com conforto e volte para o hotel sem o sal e a areia. Claro que em praias urbanas isso é impossível. Mas sem comparação, gosto dos dois tipos de praia. O importante é curtir a cultura e os hábitos locais. Tb adoro repetir lugares pq sempre é diferente, além de como já foi dito, se sentir um pouco dono do pedaço!

Katy
KatyPermalinkResponder

Ah, não. Eu não consigo repetir o mesmo destino assim quando se tem um mundo inteiro ainda a conhecer. Não sofro desse mal de procurar um lugar em outro. Mesmo pra quem sofre ainda acho mais jogo ir pra um lugar novo e não gostar tanto quanto gosta de um lugar velho do que nunca ir no lugar novo com medo de não ser tão bom quanto o velho.

Prefiro provar um novo sabor e não gostar do que nunca provar aquele sabor. Onde está escrito que o turista tem que amar toda viagem que faz, tem que gostar de todos os destinos? Comigo acontece muito de eu odiar pratos tipicos de um lugar que todo mundo ama. Sim, sou chata pra comer, rs, mas nunca deixo de experimentar. Qual a graça de ficar sempre no bife com batata frita?

Outra coisa, quando tem um lugar que a gente gosta muito de ir é bom dar um tempo, não ir todo ano, assim aumenta a saudade e o prazer ao retornar! smile

Andre L.
Andre L.PermalinkResponder

Eu gosto de ter um equilíbrio entre as duas filosofias. Tenho alguns lugares, em geral nada famosos ou baladados, onde gosto de voltar e passear aqui e ali. Mas também gosto de diversificar destinos, buscar experiências novas.

Tenho alguns amigos que gostam de ir SEMPRE às mesas 2 ou 3 praias, todos os anos, algumas vezes por ano, porque "já conheço tudo, sei como chegar, onde estacionar e onde ficam os restaurantes, cada ano tem alguma coisa nova mas eu não me estresso em um local desconhecido". Eu jamais suportaria essa ideia, assim como jamais investiria em "casa de campo" ou "praia" - muito chato ir sempre ao mesmo lugar.

De qualquer forma, concordo integralmente que o maior erro de um local é ir ao mesmo buscando referências ou, pior, réplicas de um terceiro. Para quem mora fora da região e frequente o "circuito" de capitais nordestinas fora dos resorts, há quem goste de ficar discutindo se Pipa é melhor que Canoa Quebrada e se alguma é melhor que Jericoacoara. Nos fóruns de mochileiros na Europa que ainda frequento, pululam discussões sobre "qual cidade é a Barcelona da Europa Oriental" e coisas do gênero.

Aliás, se tem algo que considero tosco em propaganda turística de destinos brasileiros para brasileiros são slogans como "Recife, a Veneza das Américas" ou qualquer coisa parecida. Não que referências histórias não possam ser consideradas, mas o desserviço à mente do turista menos informado é gigantesco com esse tipo de promoção.

Da mesma forma, acho chatas demais análises do tipo "o bairro xyz é o Baixo Augusta da cidade abc". Se alguém gosta do Baixo Augusta (eu odeio e não vejo graça alguma), vai ir logo procurando atributos únicos que não são reproduzíveis por aí. Se alguém não gosta, pode evitar o local por já fazer associações negativas.

Mari Campos
Mari CamposPermalinkResponder

Ja disse e repito: poucas coisas, sinceramente, me dao mais prazer que voltar a um lugar querido. As vezes penso na quantidade de lugares que queria ir e ainda nao fui e na quantidade de vezes que ja fui a lugares como Paris, Buenos Aires e outros. E nao me arrependo wink

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Oi Mari, voltei ao blog! Sou dessa tribo - equilíbrio - se bem que nas últimas, por amor, conheci bem pouco e adorei rever juntinho com as pessoas que mais amo - mãe e amor! wink

zuzu
zuzuPermalinkResponder

Vejo que esse post dividiu os trips! Ótimo, assim refletimos todos!

George
GeorgePermalinkResponder

Eu vou todos os anos a Paris e sempre ouço a mesma pergunta: De novo?.Procuro sempre colocar um outro destino da Europa ou Ásia que nao tenha vôo direto de Sao Paulo e aí tenho a " desculpa " de ter que fazer conexão...em Paris.Mas,como sempre,achei o post ótimo,e muita gente procura,mesmo,um lugar em outro...eu mesmo já fiz isso há muito tempo atras...Paris e sempre Paris...

luis r.
luis r.PermalinkResponder

acho q o equilíbrio entre as “filosofias”, como diz andré L., é q é o bom – e tb o q está implícito nessa pensata. se é pra ir a um lugar novo, q se esteja aberto mesmo pras novidades, pro diferente; se for pra repetir experiências, q seja no local onde elas foram originalmente vividas.

gosto mt de revisitar cidades, principalmente com grandes intervalos. no entnato, pra mim só funciona ir a um lugar já conhecido se for possível acrescentar algum elemento novo na história: me hospedar num bairro diferente, esticar pra outra cidade q ainda ñ conheço, sair mais à noite se da outra vez circulei mais de dia, etc.

mas cada um é cada um, claro. e realmente ñ há como contraargumentar ao raciocínio de q clientes fiéis são + bem tratados.

a única coisa q acho o fim da picada - ou o cúmulo do "turismo seguro" - é qd neguinho quer repetir a experiência alheia, exata e completamente, item por item: ele ñ quer saber suas dicas sobre a cidade, quer saber o nome do guia q vc contratou, o taxista q vc pegou, o garçon q te serviu; ñ quer indicação de hotel, quer saber qual o nº do quarto em q vc ficou; ñ interessa saber apenas os restaurantes onde vc foi, tem q pedir os mesmíssimos pratos. e o pior é qd ainda volta reclamando q o quarto era de fundos e ñ de frente, q tal prato q vc “recomendou” tinha coentro...

Antonio Carlos Jacaré Martins

Adoro ir a Bahia, parece brincadeira ou superstição, o ano que não vou a Bahia é sempre péssimo.
João Pessoa que me desculpe mas não existe nada mais maravilhoso que o por do sol na Ponta do Mutá em Barra Grande.
Por isso, voltar é preciso...

Thyago Portela

Antônio Carlos eu tbm tenho q ir a Bahia pelo menos uma vez ao ano. Tanto é q passei 8 anos Carnaval em SSA e 03 anos reveillon em Arraial d'Ajuda.
Qto ao pôr do sol, dá um pulo aqui na Praia do Jacaré pra curtí-lo ao som do Bolero de Ravel e ver q é primeira de luxo tbm heheh

Eunice
EunicePermalinkResponder

Antônio Carlos e Thyago. Em uma próxima vista à Bahia experimentem o pôr-do-sol na Ponta do Humaitá, onde um músico da cena do jazz daqui faz um concerto ao ritmo da natureza. Muito lindo. É preciso checar os dias ( não é diário ). Iniciativa do artista, grátuito.

Ana Claudia
Ana ClaudiaPermalinkResponder

Nao tenho o menor remorso em relacao `as inumeras vezes que ja fui a Praia do Toque. Quando quero descansar e curtir praia, e' la' mesmo. E como a Marcie disse, sentir que de certa forma pertenco ao local, me da' muuuiito prazer! Ainda pretendo voltar muitas vezes mais.

Por outro lado, gostei de me aventurar por outros ares, BsAs, Portugal e daqui 8 dias, Chi-Chi-Chi-le-le-le!!! Viva Chile!

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Pensamento excelente. Bela reflexão.

Gostaria de voltar para muitos lugares onde estive, mas outros não. Novamente Trancoso ea Arraial d'Ajuda, em Boipeba, a Jeribucaçu, Las Galeras em Samana ea Cayo Levantado, a praia de Xpu-ha, Rincon, La Parguera ea Mariaco, Maria La Gorda, Havana ea Cayo Santa Maria , a Poás, Arenal e Monteverde, mais uma vez no Norte de Espanha, Granada ea Sevilha novamente na primavera, também. Voltaria pra fazer a França ea Irlanda em motocicleta e Escócia em carro, pela chuva. Voltaria a muitos outros lugares que eu já fui, mais como eu tenho poucas férias sempre eu estou procurando conhecer novos lugares, mas com certeza voltarei mais uma vez a esses lugares mágicos que adorei.

Agora mesmo eu estava pensando em repetir o hotel que eu já fui ea de lá fazer viagens

Cláudia Miranda

Sou uma carioca que há 22 anos está a frente de uma pousada no Arraial d'Ajuda. Posso dizer que temos 2 classificações de hóspedes, os fundadores e os reincidentes. E não são poucos.
Hoje poucos são os dias de férias disponíveis, e se são muitos, são divididos ao longo do ano. Noto que os reincidentes, sempre guardam uns dias para passar por aqui.
Relutei durante anos em dizer isso, mas realmente acho que o Arraial d'Ajuda é mágico e sempre deixa um gostinho de quero mais no coração de quem passa por aqui!

Carmen
CarmenPermalinkResponder

É certo!

Carmen
CarmenPermalinkResponder

Para muitos verãos eu fui para o Brasil e meus colegas do trabalho sempre me disse: outra vez ao Brasil!!! com o grande que é do mundo!!! ....mais eu gostava de voltar a um lugar conocido, mais sempre surprendente ao mesmo tempo.

Isabel O., Portugal

Quando crescer quero ser como vós... Por enquanto sinto-me uma miúda irrequieta. Quando estou num local, fico a sonhar com o retorno. Quando o abandono... no minuto seguinte já estou a traí-lo mentalmente, a pensar onde quero/posso ir para a próxima.
Mesmo em Portugal isso acontece, mas a culpa é de haver sempre novas paisagens a descobrir (e o país é minúsculo!), novos alojamentos (o turismo de habitação e rural deu um salto qualitativo enorme).
Onde volto sempre com enorme prazer é a Londres. Sempre foi uma cidade com que identifiquei. E, claro, se pudesse, passava a vida a ir a NY.

Anna Francisca

Algumas pessoas vão à praia/serra/ou fazenda todos os fins de semana, feriados, férias de inverno e de verão, sem que isso seja uma obrigação. Vão, gostam, curtem.

Marcelo
MarceloPermalinkResponder

Acho plenamente válido repetir destinos que são especiais prá nós.
Mas uma outra situação que pode ocorrer é que, embora o destino seja o mesmo, a experiência, que é afinal o que vamos buscar ali, essa não mais se repete. Exemplo: eu simplesmente amo praias semidesertas e algumas de que gostei muito já não primam pela escassez demográfica.

Leandro
LeandroPermalinkResponder

Fujo de casa de praia como o diabo foge da cruz, mas nada contra voltar a um destino que agradou, muito pelo contrário.

Manddy
ManddyPermalinkResponder

Concordo em gênero, número e grau!! Já fiz umas viagens que eu quis ir pq não conheci o local e fiquei fula da vida no decorrer dos dias.
Meu marido fala pra mim: por que tanto Paris? Tadinho, mas é pq lá eu sei que não vai ter erro pra mim (e nem para ele) e sempre vamos ver ou fazer coisas novas.
Confesso que de uns tempos está cada vez maior a vontade de conhecer a Tailândia. Não seria um lugar que eu iria só pq não conheço, mas é mais por curiosidade mesmo, para ter contato com o diferente e acredito que daquia uns meses, estarei pronta: de coração e alma abertos para essa aventura. =D
Bjs,
Manddy - http://tourdubaiguide.blogspot.com

Lu
LuPermalinkResponder

Riq, concordo c/tudo!!!
Mas queria mesmo saber onde vc tirou essa foto? Está bárbara!!! Bjs,
Lu

Paulo
PauloPermalinkResponder

Sábias palavras, "Não procure um lugar em outro!", muito bom seu texto e de tão interessante, irei aplicar estes princípios tbm com relação às pessoas: Não procure uma pessoa em outra...rs

Marcus
MarcusPermalinkResponder

Essa de procurar um lugar em outro realmente é muito comum, muitos turista quando chegam aqui em Morro de São Paulo ( sul da Bahia), buscam alguma coisa de outra ilha (Muitas vezes algo como Fernando de Noronha), mas cada lugar tem sua peculiaridade e o segredo é se deixar levar e de preferência ser bem agenciado naquilo que busca. Então quem quiser conhecer Morro de São Paulo, Itacaré, Salvador, não deixe de visitar o site www.morrodesaopaulobrasil.com.br ou http://www.morrodesaopaulo.travel/, que terá uma noção exata de tudo aquilo que essa região da Bahia pode te oferecer. Abraços a todos. Marcus Lessa (marcus@rotatropical.tur.br)

Marilia Pierre

por isso recarrego as baterias em uma única praia
por falar nisso, pilhas novas para 2011!
eu sei que já se foram alguns dias, mas FELIZ 2011 pro riq e pra tripulação!

Amélia
AméliaPermalinkResponder

Esta Charada é "resolvida", tira férias e a gente fica "Boiando".
Bom gosto mesmo é de lugares novos, mesmo nos velhos destinos .....

Elaine Rego
Elaine RegoPermalinkResponder

Preciso descobrir o mundo, mas já tenho um lugar pra chamar de "meu"= BsAs.

vantagens; ser próximo no Rj,
ser barato,
não precisar de muitos dias pra curtir,
não precisar de visto e
conseguir ir com milhas.

Mas preciso dizer que o que torna minhas viagens maravilhosas é meu marido: somos parceiros, aventureiros, rimos sempre dor furos e gafes, conseguimos amar a simplicidade e o melhor é que adoramos andar e andar!!!

Não tem erro: sempre gostamos de todos os lugares que vamos, pois estamos juntos e conseguimos nos divertir sempre.

Alexandre
AlexandrePermalinkResponder

Disse tudo! Eu mesmo adoro repetir lugares, tenho vontade de conhecer lugares novos também, mas ultimamente ( últimos 4 anos) tenho sempre voltado a lugares que já conheço e sempre tenho descoberto coisas maravilhosas. Daqui a um tempo volto a procurar novos lugares, prefiro conhecer a fundo os lugares a fazer volume só pra dizer pros outros. O que importa é a minha diversão numa viagem.

Simone Lobo
Simone LoboPermalinkResponder

Eu sempre voltei aos lugares que gostei porque viajo mais para descansar do que para colecionar destinos. Acabei de voltar de Bento Gonçalves e já estou planejando voltar no inverno. Claro que nada impede de conhecer um lugar novo, mas repetir o que foi bom é diversão garantida. Não importo a mínima com a pergunta de sempre: "Mas você vai de novo para XXY?"...rs Eu simplesmente amo e tenho saudade de todas as minhas viagens, repetidas ou não!

Lu
LuPermalinkResponder

Riq,que lugar é esse da foto ??? E c/que máquina vc tirou?

Ricardo Freire

Foi Noronha, em outubro, num dia de swell no Sancho. A câmera era a Canon Rebel imediatamente anterior a essa, a que me roubaram em Buenos Aires sad

Lu
LuPermalinkResponder

Show de bola!!! E de técnica tb!!
Bjs,
Lu

Daniela Santana

Riq e Trips,

Pretendo passar o Carnaval em Barra Grande ou Boipeba. Não busco folia, apenas praias bonitas, boa comida e alguma programação noturna.

Help: qual é exatamente a diferença entre os dois locais?

Paulo Chaves
Paulo ChavesPermalinkResponder

- Nada contra quem prefere conhecer lugares que nunca foram e nao gostam de repetir. Mas o fato, é que quase tudo que fazemos pela primeira vez sempre é mais deslumbrante, mais bonito, e se repetimos o lugar, o encanto pode ser quebrado.
-Por outro lado (sempre tem o outro lado!), quando se repete o lugar, o impacto pode ser outro, mas em compensação voce se sente mais à vontade e confiante, o que poderá lhe proporcionar curticões melhores.

Marina
MarinaPermalinkResponder

Excelente! Eu tb adoro repetir lugares! Aliás, a maioria dos lugares que já visitei e gostei eu já repeti! rs
Acho que uma segunda expedição é sempre válida pra gente se familiarizar mais com o local e, sem a obrigação dos lerês, aproveitar mais o que já sabe que agrada!

Bere
BerePermalinkResponder

A busca é eterna. Buscamos algo que nos identificamos. E sempre usamos como exemplo um lugar que gostamos, as vezes uma pousada, uma praia. E quando repetimos dificilmente é igual.Já estive em Firenze por duas vezes. A primeira dormi dentro de um carro alugado. Na segunda dormi em um 4 estrelas. Nem preciso dizer que gostei mais da 2ª vez. Mas foi preciso insistir na volta. Mas não posso ficar voltando infinitamente aos mesmos lugares. Tenho pressa pra conhecer o mundo. E pouca grana pra repetir a dose.

Gisela Kodja
Gisela KodjaPermalinkResponder

Ricardo,
Consulto o seu site um dia sim e outro também. Se não para viajar, para viajar na viagem alheia. E, hoje, caí neste comentário que escrito pra mim. Amo Buenos Aires e vou sempre que posso. Quando resolvi ir para Santiago...noooooooosssa, achei um tédio. Tempos depois percebi que não dei oportunidade para a capital chilena me conquistar. Qualquer hora volto lá, só pra fazer as pazes com aquele lugar. Bj pra vc.

Mari
MariPermalinkResponder

Eu acho que equilíbrio é tudo!! Se tenho a oportunidade de viajar em feriados, por exemplo, procuro um destino nacional ou algo bem perto, tipo Buenos Aires e assim acabo repetindo lugares. Mas quando tenho férias de 15, 30 dias, daí gosto de pipocar pelo globo mesmo, o mundo é grande demais!!

Lali
LaliPermalinkResponder

Eu ainda não tive tantas oportunidades assim de viajar, só nos últimos anos se tornou mais acessível pra mim. Tenho feito uma viagem grande por ano, então, nem penso em repeti-las. É que a ainda tem muuuuitos destinos que eu sonho conhecer neste mundão... E se tem uma emoção que pra mim é única e deliciosa, é pisar pela primeira vez naquele lugar que eu sempre sonhei. Quero continuar sentindo isso muito, até começar a repetir os destinos! Pela primeira vez, vou repetir BsAs esta ano. Mas porque está de fato, muito acessível e vamos por apenas 3 dias, numa viagem que será inédita, porque, pela primeira vez, vamos fazer uma viagem em família (algo que não tínhamos condições quando éramos pequenas): Eu, minhas duas irmãs e minha mãe, junto com os maridos!!!!

Dre Lima
Dre LimaPermalinkResponder

Verdade. Estou fazendo outros roteiros, mas sempre em mente a Grécia que fui recentemente. Daí quero voltar para Atenas, é claro. Mas fico a pensar. Puxa, mas ao invés de ver um país "novo", conhecer algo diferente...Ir pra Paris sei lá...De repente né, porque não ir de novo para Atenas? Porque daí vem a impressão que não vou ter um "país a mais na lista" de lugares que conheci? O repeteco num país que já se visitou, até pode parecer mais instigante....Naquilo que não deu tempo! E rever o que se deliciou... Gostei do seu artigo..Pensando sobre isso... Voltar a Grécia? Ir pra Paris? Hahaau como li num bom centwrio aqui, pegar rua diferente das vez anterior... Hospedar em outro bairro, experimentar a comida q não fez antes, se deixar levar em um outro roteiro naquele lugar.. nova experiência onde já foi, mas com pitada de frescor! Pensando...Grécia...Aí vou eu de novo? hUaau... As vezes oq pesa é a consciência. De ter tido dinheiro pra ver algo "novo", do que redescobrir um "novo" no já visto. Quando se terá esse dinheiro novamente ???? Rs

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar