Hollywood (minha crônica no Divirta-se do Estadão)

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Antica Pizzeria Da Michele, Nápoles, Itália

Confesso que li “Comer, rezar, amar” – e gostei. Mas confesso também que li em inglês. Não, não estou querendo me gabar. Pelo contrário. Não me lembro de ter lido nada em inglês de que não tenha gostado. Cada vez que chego ao fim de um texto em inglês – um livro, um artigo, uma tuitada – eu fico tão feliz de ter entendido, que não tenho como desgostar.

Mesmo tendo gostado do livro, não tinha intenção de ver o filme. Best-sellers ficam ainda mais rasos na telona. E já vêm com legenda. Além do quê, acho a escolha de Javier Bardem para interpretar um brasileiro um insulto à nação. Não que eu consiga pensar num ator brasileiro melhor do que ele, mas isso não vem ao caso.

Antica Pizzeria Da Michele, Nápoles, ItáliaAcabei precisando pôr o filme na minha lista por causa de gente que veio me avisar que – “Ei, aparece a SUA pizzaria!”. E isso não está certo. A ordem natural das coisas é 1) você vê uma cena de filme de Hollywood num restaurante; 2) você tenta comer nele. Mas depois da terceira pessoa vir me contar, estava claro que a personagem da Julia Roberts tinha realmente ido à MINHA pizzaria em Nápoles.

Encontrei a Da Michele num guia Frommer’s em 1990. Hoje em dia eu provavelmente evitaria qualquer indicação gastronômica que achasse num Frommer’s, mas essa dica não poderia ter sido mais certeira. A pizza margherita de lá é das coisas mais inesquecíveis que já provei. Voltei em 2008, e fiquei tão inebriado quanto da primeira vez.

O filme, como eu desconfiava, não faz justiça à Da Michelle. O letreiro da fachada aparece por cinco segundos e, durante a cena, não aparece nenhum italiano para mandar a Julia Roberts usar garfo e faca para comer aquela preciosidade. As amigas conversam sobre pizza de maneira genérica.

E não há nada de genérico naquela pizza. É diferente de qualquer outra que eu tenha comido, na Itália, aqui ou em Nova York. Grossa e crocante na borda, porém fininha, úmida e borrachenta (meio crua) no miolo. Tomate pastoso. Mussarela perfeitamente derretida. Todas as consistências possíveis num só pedaço.

Antica Pizzeria Da Michele, Nápoles, Itália

O mais irônico de tudo é que toda as vezes que pedi aquela pizza eu comi, amei e rezei. Só não tive a idéia de escrever o livro.

Serviço

Antica Pizzeria Da Michele

Via Cesare Sersale, esquina Via Coletta - Nápoles

Aberta de 2a. a sábado das 10h às 23h sem interrupção

Fecha aos domingos (exceto nos meses de maio e dezembro)

Site oficial: aqui

Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire


50 comentários

Eunice
EunicePermalinkResponder

Em Nápoles, meu marido pediu uma pizza "napolitana". Quase apanha do garçon: "toda pizza é napolitana". eek)

Day
DayPermalinkResponder

Muito bom! O livro poderia ter sido escrito por você, então? Confesso que vc fez bem em lê-lo em inglês, porque em português ele fica ainda mais pobre sem contar equívocos primários de tradução (não estou me gabando, meu inglês é terrível, mas para eu perceber as grandes flahas, o negócio foi mal feito...)
A única coisa que me agradou no filme, foi as poucas frases ditas em "português do Brasil", de certa maneira marcando uma pequena presença, pode ser um coisa boa.

Natalie
NataliePermalinkResponder

"Cada vez que chego ao fim de um texto em inglês – um livro, um artigo, uma tuitada – eu fico tão feliz de ter entendido, que não tenho como desgostar."

Brilhante!

E a foto do Nick está sensacional razz

Fábio
FábioPermalinkResponder

Já assisti ao filme e gostei. Estou lendo o livro e estou gostando.

CarlaZ
CarlaZPermalinkResponder

Eu fui na pizzaria da Michele por dicas que peguei aqui no VnV!
Fiquei emocionada vendo o filme lembrando hehe
A pizza era maior que o prato! E a cerveja incrivelmente barata.
É a minha melhor lembrança de Nápoles com certeza wink

zuzu
zuzuPermalinkResponder

Nao vi o filme , nem li o livro, mas queria comer essa pizza.

rodrigo prado
rodrigo pradoPermalinkResponder

Ha alguns anos tentei ler Sidney Sheldon. Em Ingles, claro. A porcaria é a mesma. O escritor não se salva porque seu livro esta no original. Não passei das primeiras paginas e literalmente joguei o livro no lixo. Faça como eu, leia Ian Mcewan em Ingles. Escritor de primeira. Ah, eu nao tenho vergonha de dizer q leio muito bem em Ingles

Val
ValPermalinkResponder

Ah...Ric...o que vc escreve aqui é muito mais que um livro...e quando a gente lê a viagem é mais linda ainda! wink

Malu
MaluPermalinkResponder

Com a companhia perfeita,na pizzaria certa, tem que rezar mesmo e agradecer esses momentos felizes

Silvia
SilviaPermalinkResponder

Puts, agora vou ter que programar uma viagem a Napoles para comer essa pizza!
E
Meu Estadao veio sem o Divirta-se hj, mas adorei ler a cronica aqui e poder ver as fotos.

Vinícius
ViníciusPermalinkResponder

Minha esposa e eu iremos para Nápolis em Setembro e mal posso esperar para aproveitar a cidade e degustar essa deliciosa pizza.

Anna Francisca

Você já escreveu vários livros, crônicas e relatos bem melhores que qualquer "Comer, rezar e amar" o qual, aliás, só consegui chegar até o fim porque pulei várias páginas. Principalmente, na parte "rezar". Chatinho, chatinho.

Carol Crispiniano

hahaha, amei o texto! Meu problemas em Nápoles foi conseguir andar de carro naquela cidade!! me joguei no hotel e num saí mais para nada!! só para meu voo no dia seguinte. sad
Realmente num dá para ir de carro para lá é loucura!!

Andre L.
Andre L.PermalinkResponder

Os 3 segredos básicos são:

- ignore buzinas
- tenha um excelente GPS e saiba como usá-lo
- desencane de tentar achar estacionamento na rua

Assim, sem pressa, dá pra dirigir sem estresse.

Mari Campos
Mari CamposPermalinkResponder

Excelente!!!!

Mari Campos
Mari CamposPermalinkResponder

e o Nick, fofucho!!!

Ale
AlePermalinkResponder

Estou indo pra lá em Agosto com uma amiga, mal posso esperar!! A SUA pizzaria está na nossa lista com certeza!!
bjos

Marcelo
MarceloPermalinkResponder

Vou jantar lá no dia 30 de abril, já tinha colocado a sua pizzaria na lista quando li seu relato do bate-e-volta de Roma à Nápoles e Pompéia.

Renata Inforzato

Ah, agora em maio vou comer essa pizza!!!! Confesso q a alegria q entendo a alegria q vc sente, mas ao ler em francês!!!! bjos

Mirian
MirianPermalinkResponder

Amei o texto. Não tive a ideia de escrever o livro foi d+.
Li o livro amei tambem, o filme deixa desejar.
Napoli não me atrai muito, mas quem sabe da proxima vez eu de uma passadinha nessa Tal da pizzaria da Michele e va provar a pizza? Com certeza não me lembrarei da Julia, e sim do Riq.

Zé Maria
Zé MariaPermalinkResponder

A minha inesquecível foi uma que comi em Melzo, na Lombardia, e ninguém conhecia (?!) em SP.
Agora, tem uns italianinhos na Rua João Moura que entenderam o que eu queria.
Por coincidência o proprietário é de minha cidade, Itapeva.
É uma pizza como essa, com pedacinhos de linguiça toscana fresca (salsiccia) em cima.

Paula Bicudo
Paula BicudoPermalinkResponder

Zé, onde na Joao Moura? Tá falando do Bottina?

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Fiquei com mais saudades do @less do que da pizza , fato !

Paula Bicudo
Paula BicudoPermalinkResponder

A Da Michele é um dos lugares menos sinistros de Nápoles. Se nos embrenharmos no meio daquelas vielas escuras, certamente comeremos bem, como aconteceu comigo. Comi numa cantina minúscula(que não me lembro nem o nome de tanto vinho que tomei), umas das melhores massas da minha vida, talvez a melhor. Sem contar o vitelo e as lulas. E certamente não consigo voltar lá por não fazer idéia de onde fica, hehehe.
Contudo nem mesmo a melhor refeição do mundo me faria voltar a Nápolis e passar novamente o stress de ter o carro alugado roubado na porta do hotel. E pior, ter que fazer B.O. em italiano numa delegacia mafiosa. E viva o SUPER COVER da Hertz.
Napole, pra mim, nunca mais.
Comer, Rezar, Amar é bonitinho (o filme, não tive paciência pro livro), e me fez ficar louca pelas plantações de arroz de Bali, que entraram na minha Wish List. E o apartamento que a Julia Roberts alugou em Roma era muito próximo ao que alugamos em julho do ano passado, o que me trouxe a memória boas lembranças (vicino a Piazza di Spagna).
BTW, Nick está incrível na foto.

Zé Maria
Zé MariaPermalinkResponder

1080, Paula!
Chama Pizza Mania.
É um esquema mais pra viagem, mas tem umas mesinhas na parte de cima.
Só vou lá agora.
Pra melhorar, as pizzas custam 25 ou 30 reais...

Paula Bicudo
Paula BicudoPermalinkResponder

'Muito bom saber, obrigada! Vou testar?

Paula*
Paula*PermalinkResponder

A-M-E-I! (louca por pizza, vou ter incluir esta pizzaria na minha listinha).

Roseana Monteiro

Alguem sabe o nome do restaurante que aparece no Comer Rezar Amar onde les comem ao ar livre? O do spaghetti, lula etc...
Agradeço que puder dar a dica.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Roseana!

É o restaurante Santa Lucia, no largo Febo.

http://www.fodors.com/community/europe/ristorante-santa-lucia.cfm

marly
marlyPermalinkResponder

Napolis,é linda,sim! Só não vê isso, quem está de mal com a vida.

Luiza
LuizaPermalinkResponder

Alguém pode postar a faixa de preço da Da Michele??

Grazie!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Luiza! É bastante barata, você não vai gastar mais que 15 euros por pessoa se beber muito...

isalma
isalmaPermalinkResponder

Oi, pessoal
Vou a ficar 3 noites em Nápolis. Alguem pode me informar a melhor região (hotel) para ficar?
Grata.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Isalma! Nápoles é bem menos fofinha do que outros lugares da Itália; tenha em mente que você vai se sentir levemente insegura (use o mesmo bom senso que você usaria no Brasil ou em Barcelona, e tudo dará certo).

O Ricardo Freire ficou no centro histórico, no hotel Palazzo Caraciolo, e gostou muito.

Caso você tenha algum receio de ficar em Nápoles, recomendamos Sorrento, que está a 1h10 de trem pela linha Circumvesuviana.

isalma
isalmaPermalinkResponder

Obrigada,Boia. Vou verificar se há essa possibilidade.

Zeppa tudisco
Zeppa tudiscoPermalinkResponder

Acabo de sair doa Da Michelle. Fantástica, só dois sabores, marguerita e marinara, pra que complicar? Tomamos 5 birras mastro azzurro e comemos duas pizzas max por apenas 18 euros!
Bela dica Ricardo.
Abs
Zeppa tudisco

Nápoles – em busca da pizza perdida! « desconstruindorhani

[...] a pizaria Michele através do artigo do Ricardo Freire, no site viajenaviagem. Aliás, usamos bastante as dicas dele durante toda a [...]

Calorias: pizzas convencionais x pizza napolitana « Dicas da Nutricionista

[...] fama da pizza napoletana roda o mundo e foi descrita recentemente no livro autobiográfico Comer, rezar, amar. Em Brasília, a Baco pizzaria foi certificada pela Associazione Verace Pizza Napoletana, [...]

Caterina
CaterinaPermalinkResponder

Tive o PRAZER de comer esta pizza em 2002, é comer rezando mesmo Napoli é Bela,la Vera Italia! assalto? insegurança? pra quem vive em São Paulo tira de letra...

Fabiana
FabianaPermalinkResponder

Oi Boia, tudo bem? Não achei nenhuma opção de hotel em Napole a não ser o hotel Palazzo Caraciolo no comentário acima. Entrei no trip Advisor e muita gente falava mal da localização. Fiquei preocupada e gostaria de ver com você se é realmente ruim. Irei passar apenas uma noite. Você teria outras opções em Napole? Será que os leitores do blog poderiam me ajudar?

val
valPermalinkResponder

Fabiana, pode ir sem medo, fiquei lá por recomendação do Riq e gostei muito.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Fabiana! É uma questão de perspectiva. O Ricardo Freire curtiu muitíssimo a localização, por estar no centro histórico.

Fabiana
FabianaPermalinkResponder

Muito obrigada Boia e Val!

Fernanda
FernandaPermalinkResponder

Fabiana,
Fiquei no Hotel Romeo, perto do porto de onde saem os barcos para Capri, e adorei. É novo, tem uma bela vista, excelente atendimento, maravilhoso!
Quanto à Da Michele, por melhor que seja a pizza, o programa é terrível... Uma hora de espera, em pé, na frente do lugar que não é nada bonito, no meio de muita gente e do trânsito local. Aí você entra, o garçom anota o pedido e nunca mais te olha, a não ser para trazer a pizza. Pedir outra bebida impossível. A mesa é comunitária. Chegada a pizza, todos comem em 5 minutos, levantam-se, pagam no caixa e se vão. O banheiro é sujo e não tinha papel. Não acho que valha a pena. No primeiro dia, quando desistimos de esperar, comemos na Trianon, quase em frente, e a pizza era muito melhor (o programa nem se fala).

Claudionor Spinelli

Estive na pizzaria em junho e realmente é inesquecível o sabor e a qualidade. Agora tenho dificuldade em gostar das nossas pizzas. São muito gordurosas, com excesso de recheio e a massa não tem nada a ver.

Eduardo
EduardoPermalinkResponder

Ola Boia, gostaria de entender a restrição com o guia Frommer’s? Pq nao iria em um local que esta no guia?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Eduardo! Hoje em dia existem fontes mais quente de informação sobre restaurantes. Em 1990, esses guias pesadões eram a única fonte disponível.

ivone ferreira barbosa

estou ansiosa para conhecer o Sul da Italia, passagem comprada.Dia 06/10/2017.

Anielli
AnielliPermalinkResponder

Que máximo!!! No meu caso, primeiro assisti ao filme e depois fui à pizzaria, mas amei mesmo assim, comi e rezei (não necessariamente nessa ordem) haha...

Emilia
EmiliaPermalinkResponder

Eu estive nessa pizzaria em 1998 por recomendação do mesmo guia. Nunca me esqueci dessa pizza!!! A mozarela dançava em cima da massa. Mudou completamente o meu conceito de pizza.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar