IOF: o que muda para o viajante

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

IOF de 6,38%: e agora?

ATENÇÃO: há um post mais atualizado sobre o assunto:

Clique aqui: ATUALIZADO: dólar x euro x débito x crédito x VTM

O que fazer depois da maxitributação do cartão de crédito nas compras internacionais?

Não há uma resposta simples para esta pergunta. Além da paulada do IOF de 6,38%, o turista ganhou um monte de cáculos para fazer.

Antes de mais nada, é bom ter uma coisa em mente:

- Não existe operação de câmbio em que você não saia perdendo.

Por definição, cada vez que você compra ou vende uma moeda, você está perdendo um pouco. Operação de câmbio é bom pra banco e pra cambista. O objetivo do consumidor é reduzir suas perdas ao mínimo possível.

- A questão não é só 0,38% x 6,38%.

Mal foi promulgado o decreto-lei e já apareceu emissor de cartão de débito internacional (tipo Visa Travel Money) dizendo que esta modalidade ficou "6% mais barata" do que cartão de crédito. Não é bem assim. Há outros números envolvidos. É preciso levar em conta qual a cotação usada para a venda. Quanto custa o dólar do cartão de crédito? Quanto custa o dólar do cartão de débito? Quanto custa o dólar cash? Esses números são tão importantes quanto a alíquota do imposto.

- Quanto custa o seu dólar? R$ 1,66? R$ 1,67? R$ 1,70? R$ 1,72? R$ 1,76? R$ 1,81?

Essas são as várias cotações do dólar apuradas esta semana. R$ 1,66 e R$ 1,67 são as cotações do dólar em cartões Itaú, Caixa e Banrisul. R$ 1,70 é como estão convertendo Banco do Brasil e HSBC. R$ 1,72 parece ser a cotação mais comum do mercado, adotada por Bradesco, Santander, Citibank/Diners e American Express. R$ 1,76 é o dólar-turismo, que é a cotação-base para venda de dólar cash e cartão de débito internacional (tipo Visa Travel Money); dependendo da praça, do banco ou da corretora, pode ficar um pouco mais caro do que isso. E finalmente R$ 1,81 é quanto está custando o dólar no mercado paralelo.

Um dólar de cartão de crédito a R$ 1,66 ou R$ 1,67 (+ IOF de 6,38%) custa exatamente o mesmo de um dólar de cartão cash ou de cartão de débito a R$ 1,76 (+ IOF de 0,38%).

A tendência é, pelo menos num primeiro momento, a cotação do dólar-turismo subir (já subiu 1,5% desde o anúncio da medida, enquanto o dólar comercial declinou 1%).

Bem-vindo ao maravilhoso mundo das contas

Acho importante ressaltar é que não cabe mais nenhum raciocínio generalista-simplista. Não é porque o IOF de uma modalidade é menor do que outra que o custo final seja necessariamente menor. Não é porque o site cobra em reais que seu preço vai ser sempre menor do que o site que cobra em dólar. Muita gente deve aparecer com essa história de 6% mais barato. Mas é preciso comparar preço a preço.

Pese os pós, contras e pegadinhas de cada um dos canais de compra e meios de pagamento:

DÓLAR, EURO OU LIBRA CASH

Prós: IOF continua em 0,38%. Você garante a cotação do dia da compra, sem sustos posteriores.

Contras: é vendido pelo dólar-turismo (mais alto, com tendência de alta). Não é seguro levar grandes quantidades. Se precisar trocar de novo no exterior, dá trabalho (e custa tempo) para procurar a casa de câmbio onde a perda seja menor.

SAQUE INTERNACIONAL EM CAIXA AUTOMÁTICO

Prós: IOF continua em 0,38%. Em muitos bancos a cotação é próxima ao dólar comercial (mais barata que a do dólar-cash, que usa a cotação turismo). Na maioria dos bancos você garante a cotação do dia do saque, sem sustos posteriores.

Contras: há taxas por operação, que variam de banco para banco, de conta para conta e de rede para rede (é difícil, porém, que representem mais do que a diferença entre a cotação comercial -- caso o seu banco use -- e a cotação turismo, do dólar cash). Mesmo quando a cotação compensa, não é possível custear uma viagem inteira só com saques no caixa automático: há limites de saques por dia, semana ou mês (conforme o banco); o limite de saques não é igual ao saldo em conta corrente.

CARTÃO DE BANCO USADO NA FUNÇÃO DÉBITO (Electron/Maestro)

(Tinha esquecido desta, obrigado por lembrarem!)

Prós. Continua com IOF de 0,38%. Alguns bancos, como Itaú, Caixa e Banrisul, praticam um câmbio próximo ao comercial. Para usar, basta habilitar seu cartão para saques internacionais; não é preciso fazer um cartão específico.

Contras. O limite é baixo (não é igual ao seu saldo em conta) e interefere no limite para saques de caixa automático.

CARTÃO DE DÉBITO (Visa Travel Money, Cash Passport Visa/MasterCard, Global Traveler American Express)

Prós: o IOF continua em 0,38%. Você garante a cotação do dia da compra, sem sustos posteriores. O cartão pode ser recarregado à distância, por internet banking (é o melhor plano B que existe para qualquer contratempo financeiro; ninguém deveria sair do país sem um desses no bolso). Em caso de perda ou roubo, é substituído durante a viagem. Em muitos países funciona com senha, o que aumenta a segurança. Pode ser emitido em dólar, euro ou libra.

Contras: é vendido na cotação-turismo e, uma vez comprado, só pode ser recarregado na corretora que vendeu o cartão (não dá para recarregar numa corretora que eventualmente venda a moeda por uma cotação melhor). Funciona melhor para compras do que para saques (há incidência de taxas a cada saque, e o limite por operação é baixo). Não funciona 100% em compras online. A conversão para outras moedas (diferentes da moeda que foi carregada) incorre em taxas maiores do que as dos cartões de crédito.

TRAVELER CHEQUES

Prós: o IOF continua em 0,38%. Em caso de perda ou roubo, é restituído. Nos Estados Unidos funciona como moeda corrente: qualquer comerciante vai aceitar e dar muitos estabelecimentos aceitam e dão troco em dinheiro vivo, sobretudo hotéis e lojas de departamentos.

Contras: é vendido na cotação turismo. Fora dos Estados Unidos, dá um trabalhão para ser trocado; encontrar quem troque sem taxa está cada vez mais difícil. Seu sucessor natural é o cartão de débito internacional.

CARTÃO DE CRÉDITO

Prós: alguns bancos, como Itaú, Caixa e Banrisul, praticam uma cotação próxima ao dólar comercial, que faz com que, mesmo com a incidência de IOF de 6,38%, o custo do dólar seja equivalente ao do dólar-cash. Pode oferecer recompensas, como milhas (e as milhas acumuladas durante uma viagem internacional podem ajudar a completar uma passagem-prêmio). Oferece a segurança do estorno de pagamentos por serviços não realizados.

Contras: o IOF aumentou para 6,8%. Pode haver variação cambial entre a data da compra e a data do vencimento da fatura. Alguns bancos, como Santander, Citi e Bradesco, praticam uma taxa de conversão pouco vantajosa, entre o câmbio comercial e o turismo. É preciso lembrar a todo momento que o preço que você está pagando terá um acréscimo de quase 7%.

SITES DE COMPRAS E RESERVAS

Em princípio, tudo o que for pago em real é mais vantajoso, porque não há incidência de IOF. Mas é preciso comparar os preços finais (na penúltima página, depois que todas as taxas são incorporadas). É possível que continue havendo ofertas vantajosas nos sites internacionais.

Mistura e manda

Mais do que nunca é preciso considerar todas as possibilidades. Como o meu cartão de crédito pratica um câmbio favorável, eu vou manter a minha fórmula: uma quantia fixa em dinheiro vivo para emergências, saques no caixa automático para o dinheiro do dia a dia, cartão de crédito para gastos maiores e cartão de débito como plano B.

And the winner is...

Pacotes all-inclusive para o exterior vendidos no Brasil...

Fique de olho:

A medida foi tomada de surpresa. Vale acompanhar não só o comportamento da cotação do dólar-turismo, como também a reação dos cartões de crédito: caso sintam o baque, podem acenar ao mercado com ajustes na taxa de câmbio praticada ou na proporção de milhas auferidas em compras no exterior.

Leia também:

Novo IOF: a análise do PêEsse

Novo IOF: a análise da Lena

Novo IOF: a análise do Fred

Visite o VnV no Facebook - Viaje na Viagem
Siga o Ricardo Freire no Twitter - @riqfreire


200 comentários

Atenção: os comentários estão encerrados.

zuzu
zuzuPermalink

Completinho este post!

Cristina L
Cristina LPermalink

e o pior é que nunca seria 6% mais barato... no mínimo, 6 pontos percentuais mais barato... e 94,04% mais barato, se quisermos usar porcentagens corretamente...

Fafá
FafáPermalink

Alguém postou um vídeo na matéria anterior em que um especilista mostrava que a melhor opçao será o cartao de débito internacional(sem sem visa travel money...).
Nesse usa-se o dólar do cartao (o mais baixo), o iof a 0,38% e não ha a cobrança de taxas. Não vi essa opçao na matéria acima.
O que vocês acham?

Lorena Borges
Lorena BorgesPermalink

Concordo. Há sim a opção de pagamento com cartão de débito, sem ser o cartão pré-pago, que não foi contemplada na matéria. Acho que seria bom fazer um update do texto considerando essa opção. Fiz uma viagem para NY ano passado e algumas compras foram pagas com a opção DÉBITO do nosso cartão internacional. O dólar utilizado na conversão foi o comercial, e não o turismo, e a taxa incidente foi de 2,50%, se não me engano. Ou seja, é uma opção bastante vantajosa e que também pontua em programas que convertem pontos em milhas (embora a pontuação seja menor que a do cartão de crédito).

Ricardo Freire
Ricardo FreirePermalink

Acabei de acrescentar! Obrigado!

Fafá
FafáPermalink

De nada. Você que me ajudou e muito.
A proposito, esse site é O MÁXIMO.

Fred Marvila
Fred MarvilaPermalink

Fafá, Cartão de débito internacional pré-pago é sempre Dólar Turismo pq é como se você estivesse comprando papel moeda e colocando ele no cartão, sem contar outras possíveis taxas dependendo do tipo do cartão e operação executada.

Por coincidência ontem eu terminei meu post que acabou de ir ao ar com continhas práticas ilustrando a diferença real entre Cartões de Crédito e Papel Moeda (traveler, VTM e afins inclusos).

http://sundaycooks.com/2011/03/30/aumento-de-iof-qual-seu-verdadeiro-impacto/

Espero que seja útil smile

Fafá
FafáPermalink

Nao consegui colar o link do vídeo para todos. Se alguém puder ajudar...

De qualquer forma, se a informaçao do especialista estiver mesmo correta, a cartao do banco na opcao debito será a menos dispendiosa.

Daniela
DanielaPermalink

Gostaria de saber mais sobre o Cartão de Débito Internacional. Como se faz para solicitar?

Cristina L
Cristina LPermalink

Oi, Daniela, fale com o gerente da sua conta que ele te explica!

Fafá
FafáPermalink

Oi, Fred. Muito obrigada pela resposta, mas eu nao me referia a esse cartao de debito pre pago e sim ao cartao do banco na opcao debito. Foi essa opcao sugerida pelo especialista.

Fred Marvila
Fred MarvilaPermalink

Ahhhh foi mal Fafá razz

Tive boas experiências com o cartão de débito do Itaú quando usei em Santiago em 2008. Todos os lugares aceitaram e, na época, me pareceu que a cotação do dólar era mais barata também, talvez pela conversão do Peso Chileno para Dólar ou pelo IOF.

Eu sempre deixo dinheiro extra na conta quando viajo justamente para imprevistos caso eu precise usar o cartão de débito, mas só para emergências.

Agora se o IOF for realmente 0,38% para essas transações com cartão de débito, então esta opção é realmente boa, e melhor que o VTM (já tive problemas de não aceitarem :/ )

Preciso conferir isso com meu gerente.

Até,

Fred Marvila
Fred MarvilaPermalink

Só para completar a informação, acabei de ligar no Itaú e me confirmaram que o IOF é realmente 0,38% nas transações com cartão de débito internacional (não VTM).

A pessoa que me atendeu disse que a cotação era do dólar Turismo, mas eu não senti muita firmeza nessa informação. Eu acredito que seja um dólar mais baixo como o do cartão de crédito mesmo como o especialista disse no vídeo.

Mas há um limite diário e semanal de gastos com cartões de débito que talvez possam ser alterados.

Caroline®
Caroline®Permalink

Quem diria que o famigerado pacote ia virar a opção menos desvantajosa....

Deise de Oliveira
Deise de OliveiraPermalink

Esse protecionismo absurdo que acontece aqui no Brasil me irrita profundamente...

Andrea
AndreaPermalink

Oi, Riq!
Logo vou viajar e me informei junto ao Personnalité sobre o American Express Global Travel Card, pois sou cliente do banco e tem vantagens em relação ao Visa e ao Master débito. Porém, o setor de câmbio do Personnalité me informou que o Amex Global Travel não é recarregável à distância, a menos que você tenha um relacionamento muito bom com seu gerente de conta.
Não pretendo colocar muito dinheiro nesse novo cartão. Pretendo dividir as despesas e ver como ficam as contas, até porque a cotação do dólar do cartão de crédito do Itaú é bem amiguinha.
Gosto muito do seu blog e das considerações e ponderações que você faz sobre cada assunto.
Andrea

fabi c
fabi cPermalink

Acho que vou fazer uma pergunta ridícula mas por favor não me xinguem wink E as compras em freeshop de aeroporto, como fica? Mesma facada?

Juliana Fleury
Juliana FleuryPermalink

fabi c,

O Dufry aqui no Brasil permite que você faça o pagamento em reais, com a conversão do dia (acho que eles sempre usam o dólar turismo para isso, e ainda colocam um valor um pouquinho maior que a cotaçaõ oficial). Nesse caso, não incide o IOF, pq não é compra em moeda estrangeira. Se quiser pagar em dólar, aí sim tem o imposto. Mas acho que é o caso de se calcular se o valor do dólar utilizado pelo dutyfree vale a pena, avaliando conforme o Riq explica no post (cotação utilizada pelo seu banco para compras no cartão + IOF)

Luciana
LucianaPermalink

Passei ontem pelo Duty Free de SP e pedi para converter em R$, pois a cotação não era ruim e assim eu poderia utilizar o meu cartão de débito da conta bancária. Sendo em reais o IOF foi zero.

Fafá
FafáPermalink

Colei abaixo o link do vídeo para que todos saibam a que me refiro.

Se a informaçao do especialista for correta, sem dúvida, o cartao do banco opcao debito será a mais em conta. Concordam?

http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM1471851-7823-AUMENTO+DO+IOF+FAZ+COMPRAS+NO+EXTERIOR+FICAREM+MAIS+CARAS,00.html

Claudio Motta
Claudio MottaPermalink

Fantástico! Já estou fazendo as contas... Utilidade pública esse post!!!

Juliana
JulianaPermalink

Nossa, simplesmente fantástico esse post.. resume todas as opções e facilita em muito o entendimento das opções. E acho que vou continuar a fazer como vc: "uma quantia fixa em dinheiro vivo para emergências, saques no caixa automático para o dinheiro do dia a dia, cartão de crédito para gastos maiores e cartão de débito como plano B."

Raquel
RaquelPermalink

Isso não é um post. É uma aula no pós doc em trip planning. (utilíssimo!) rs abraços, Raquel

mario
marioPermalink

Pq estes fdps do governo se preocupariam com uma alíquota de quase 7% né? Todos eles mandam dólar pra fora por cabo e todos eles vão incluir isso nas ´taxas de sucesso´ de suas negociatas. Canalhas... E tá vindo mais coisa por aí, aguardem.

Wanessa
WanessaPermalink

Toda esta revolução, e eu no meio de uma viagem... Bom, já tinha feito minhas opções, (cartão de crédito + cartão VTM) antes de saber das mudanças e vou manter tudo como havia pensado.
Tudo bem que agora a conta está mais complexa, mas considero que a minha segurança tem de ser pesada na hora de escolher a melhor opção para levar dinheiro em uma viagem. Morro de medo de andar com uma grande soma de dinheiro vivo, então, mesmo que seja um pouco mais barato, pra mim, não vale a pena. Por outro lado, um cartão VTM, que não tem limites diários e mensais de utilização e costuma ser bem aceito, me deixa tranquila. Enfim, eu pago um preço pelo minha tranquilidade e, desde que não seja extorsivo, tudo bem.

IOF de 6,38% nas Compras Internacionais no Cartão de Crédito: Uma Primeira Análise do Ricardo Freire | Aquela Passagem

[...] isso leia essa análise inicial feita pelo Ricardo Freire do Viaje na Viagem e a caixa de comentários está aberta ao debate de idéias (sem paixões [...]

felipe moore
felipe moorePermalink

Caraca Ricardo!!! este post caiu como uma luva!!!
Mandou muito bem valeu

Fábio G.
Fábio G.Permalink

Elevaram o IOF com a caneta.
Mas com um câmbio desse uma pernada no exterior, continua irresistível...
http://www1.folha.uol.com.br/mercado/896104-bovespa-ganha-086-no-fechamentodolar-bate-r-162.shtml

Priscila [Inquietos]
Priscila [Inquietos]Permalink

Riq, eu te amo! [mas não deixa o marido saber disso]

Priscila [Inquietos]
Priscila [Inquietos]Permalink

p.s. eu já vinha pensando em migrar pro Itaú, com essa informação da taxa de câmbio agora tenho certeza.

Clara
ClaraPermalink

O dólar no paralelo está a R$1,73 aqui no Rio, Ricardo.

olimpia
olimpiaPermalink

O que me desestimula de fazer comentários aqui é que sempre encontro 30 pessoas que já disseram o que eu pretendia falar... Mas hoje estou sem medo do repeteco: o post não poderia ter sido mais oportuno, claro e bom para o bolso.
Eita blog bão.

Daniel
DanielPermalink

Sempre uso o cartão de debito para saques em caixa automaticos no exterior e compras na função debito. A minha conta do Citibank não cobra nenhuma taxa e nem tem limite para essas operações, eu mesmo fico sacando 1x por dia ou até mais para nunca ficar com dinheiro quando por exemplo no Leste Europeu voce vai de um país para outro em poucos dias...
IOF: 0,38% e cambio pouco acima do comercial na taxa do dia.
Melhor com certeza não tem...

Renata
RenataPermalink

E o Paypal? Ja li de pessoas que conseguiram usar com o debito ou passar fundos da conta do banco. Ja fucei a minha conta e nao encontrei como adicionar um cartao de debito. Alguem tem alguma experiencia? Seria uma boa opçao usar o paypal com debito pra fazer reservas online, nao?

Diego
DiegoPermalink

Então pessoal, sobre o ponto "saques no exterior da conta corrente e compras no débito": no Banco do Brasil, a tarifa para saque é de 2,5% + USD 2,50 (ou seja, compensa muito em relação ao VTM e a levar a grana no sapato). Fonte:http://www.bb.com.br/pv_obj_cache/pv_obj_id_0C2E58F20FA2BCF3C8EA8EB99EF3230DB0650100/filename/tarifasPF.pdf

Para compras no débito, a dúvida: essa mesma tabela anuncia que a tarifa é de 2,5%, porém sob a estranha rubrica "Compras no exterior (crédito ou débito)", a qual sugere que também compras no cartão de crédito teriam essa tarifa (o que não é o caso, como todos os usuários do BB sabem). Sendo assim, das duas uma: ou é 2,5% mesmo, como a tabela informa, ou não é cobrada taxa nenhuma, o que seria coerente com a política em relação ao cc, que contraria a tabela.

Guta
GutaPermalink

Post completassooooo! Vou repassar por ai pq estao aparecendo muitas duvidas e picuinhas em relação a essa nova taxa

Diego
DiegoPermalink

Complementando o post, o Itaú é ainda mais "bonzinho" nesse quesito: compras no débito não pagam nenhuma tarifa (só os 0,38% do iof mesmo) e saques pagam de tarifa apenas R$ 9,00, e tudo com o abençoado dólar comercial.
Fonte: http://www.itau.com.br/conta_corrente/crt_estrela_internacional.htm

Cristina
CristinaPermalink

Riq, post maravilhoso para fazer o que detesto - contas em viagem pq quem converte não se diverte. Thank you a lot a vc e os trips que comentaram. Já tinha decidido pagar o freeshop em real com o dinheiro na conta corrente mas estava em dúvida quanto ao débito/crédito pq amo minhas milhas rsrs que estão me levando a outra viagem em Maio. Se eu estivesse indo para Europa, faria conta, mas levando em consideração outlet e compras de casa num lugar imbatível para tal, vou mesclar cash com credito pq meu cartão de débito (Visa Travel Money) é em euro e estou sem tempo de ligar/creditar/cadastrar um novo.

Celina
CelinaPermalink

Estou em Londres há três meses e só tenho feito compras na função débito,no cartão do BB... no entanto, a conta acaba sempre na fatura do cartão de crédito, mas ainda não parei para ver se a facada é diferente das compras feitas no crédito (passagens aéreas e tals).
No final das contas, o governo quer é enfiar a mão no nosso bolso! Que ódio! Já roubam na fonte, em cada produto que compramos, na saúde, e assim os brasileiros pagam tudo pelo menos duas vezes. E é lógico, para férias no exterior tem sempre um castigo. Ótimos posts, Riq! Mas que é triste é!

Ana Carolina
Ana CarolinaPermalink

Celina, eu tb já tive umas experiências dessas de tentar usar a opção débito e cair no crédito do ourocard.

Semana passada comprei passagens do Eurostar e optei pelo Visa Electron para fugir de uma taxa de 4 libras do próprio Eurostar para compras no crédito, mas o lançamento que em tese seria a débito acabou entrando na fatura do cc (em suma: não vou pagar 4 libras a mais pela Eurostar, mas vou acabar pagando mais 4% de imposto - que vai passar das 4 libras). Preferia que tivesse sido à vista.

M.
M.Permalink

eu viajo ao exterior ao menos uma vez por ano. quando o destino é os EUA, sempre dei preferência aos traveller cheques, provisionando para no mínimo 80% dos gastos. Infelizmente, a aceitação deles tem diminuído drasticamente; os comerciantes dizem que é devido ao grande número de fraudes. para compras, só grandes cadeias os aceitam, e muitas vezes eles ligam na Amex para verificar a autenticidade. As cadeias de hotéis continuam aceitando normalmente. é uma pena, mas usar TCs nao é mais tao prático como há uns 5 ou 10 anos, quando eles realmente eram aceitos como $ vivo.

Alexandre
AlexandrePermalink

Pessoal minha fatura do BB e do ITAU tem o mesmo vencimento e fiz em ambos compras nos exterior. Ao contrario do que falaram aqui, a tarifa do dólar utilizada pelo ITAU foi mais alta que a do BB. Vou continuar com as compras no cartão de crédito e débito do BB mesmo.

Ana Carolina
Ana CarolinaPermalink

hum... e hoje eu fiz o marido pedir um itaucard pra mim pensando ser mais bonzinho que o meu para usar na próxima viagem... bom saber.

Enquanto isso, no encantado reino de Dilma Roussef… « MALA DE RODINHA E NÉCESSAIRE

[...] sou péssima para contas e percentuais, mas sugiro e recomendo esse post do comandante Riq Freire no mais que necessário Viaje na [...]

Alexandre Ribas
Alexandre RibasPermalink

Ótimo post... Tenho certeza que irá ajudar muitos leitores a se decidirem da melhor forma possível na hora de efetivarem uma compra em moeda estrangeira.

Mayara
MayaraPermalink

Olá Ricardo,

Vou morar no Canadá por 4 meses. Tenho pesquisado sobre a melhor maneira de usar o dinheiro/ cartões por lá. Tem o cartão cash passport e o meu cartão do BB tem limite de crédito baixo porque é conta universitária, mas digamos, que minha conta tem um bom saldo e eu poderia usar o débito. Que conselho você pode me dar? Adorei o post, muito completo.

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Mayara! Aqui quem responde é a Bóia. As dicas são as do texto! smile

Não há limite para o Cash Passport, você pode gastar o que for carregado!

Luciana
LucianaPermalink

Ainda fiquei em dúvida em relação ao paypal. Quando uso ele o valor já é convertido na hora para reais, mas a dúvida é o paypal já considera o IOF na hora de estabelecer a cotação? Se sim, qual IOF 0,38% ou 6,38%?

Compro muita coisa on line para entregar no meu hotel quando viajo, dependendo do IOF do pay pal, vou dar ainda mais preferência a ele!

Fred Marvila
Fred MarvilaPermalink

Oi Luciana.

O Paypal quando pago em Real usa a cotação deles (muito pior que a turismo) para a conversão e daí faz a cobrança em reais no seu cartão, ou seja, em cima desse valor já em reais não tem mais IOF. É como se você comprasse em reais aqui dentro do Brasil.

Não sei como anda a cotação deles hoje, mas pode ser uma boa opção se as continhas (valor x dólar cartao x 6,38%) for mais cara.

Quando comprei com eles da última vez não valia a pena converter pra real, assim como não valia a pena comprar em real no free shop.

Já no caso de comprar em dólar, não há conversão ou incidência de IOF feita pelo Pay Pal, mas vai acontecer quando você for pagar seu cartão de crédito, claro smile

Espero ter esclarecido wink

Cmte
CmtePermalink

Bem, pelo que vi: se correr o bicho pega, se ficar, o bicho come.
A saída para os universitários e que dependem da sombra dos paipais, é apertar o cinto (aqui no Brasil é 3 x ao dia, Kalzone - além de manter o estudante vivo, emagrece). Em outro país, é só procurar um similar; para os turistas, é fazer uma mixagem de gastos - cartão VTM + cash. Ou, aumentar a renda; Ou, não votar mais nessa cambada de gente que só mente e engsna os trouxas. E quem paga a conta aqui - e lá nos passeios -, somos "nóis".
See you soon.

Cmte
CmtePermalink

Uma notícia para tomorrow, 1o de abril/2011: Governo vai lançar loteria de cartão corporativo para turistas. Quem ganhar, vai levar um com limite de gastos de $-50.000,00.
Se o ex-presidente barbudo tinha e ele e sua esposa sem dar um prego numa barra de sabão, gastavam o tanto que dava na telha!

jorge manuel bregieiro mendes

Heheheeh, somos TODOS UNS PATETAS!!! ACEITAMOS aumentos sistemáticos de impostos sem reclamar, xingar, brigar, mandar email para sites governamentais e do CONGRESSO (ralo master!). SUGESTÃO DIFERENTE: vá no Paraguai, troque os pneus do carro (diferença de 500%, fabricados no Brasil, se quiser!!!; troque a bateria, idem preço...) e procure uma casa de câmbio grande...e troque reais!!!!!! MAIS BARATO!!! e é assim que os DOLEIROS FAZEM!!!!heheeh (aprenda a conhecer as cédulas de Dólar e Euro!!!).

Lena
LenaPermalink

Excelente post, assim como os anteriores. Usei o seu raciocínio demonstrado aqui para me ajudar no trabalho (que não tem nada a ver com turismo, btw wink ). Thanks a lot!!

Rodrigo
RodrigoPermalink

Uso o cartão Visa Ourocard Banco do Brasil... já fiz saques no exterior (pagos na fatura do cartão) e compras no crédito. Nessas duas modalidades haverá o extraodinário aumento do IOF...Alguém pode me explicar como comprar no débito no exterior ou sacar da conta corrente? Que taxas incidem?

Fred Marvila
Fred MarvilaPermalink

Rodrigo, acho que as taxas já foram respondidas smile Mas vai um resumão:

IOF sempre vai acontecer. 0,38% para compra de papel moeda (incluso traveler ou vtm, cash passport e global traveler) ou no débito internacional (confira com seu banco) e 6,38% para compras no cartão de crédito.

Quanto ao débito internacional, vc precisa ligar para seu banco/gerente e conferir se seu cartão pode fazer compras e saques internacionais e se puder, vc precisa habilitar antes de viajar.

De forma rápida, se estiver escrito "Cirrus" (para o cartão do banco com bandeira mastercard) ou "Plus" para os de bandeira Visa, significa que é possível comprar/sacar no exterior.

Não há diferença no modo de usar o cartão do banco lá fora para débito ou saque em bancos 24h da bandeira correspondente (Cirrus ou Plus).

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Rodrigo! O IOF para saque é de 0,38%!

Clara
ClaraPermalink

Esse post é justamente sobre as alternativas para se pagar contas de viagens e você diz que vai fazer o que o governo quer que você faça?

Além do mais, e se o dólar tiver valorizado muito mais do que 6,38% em 2014?? A sua viagem poderá se tornar muitíssimo mais cara, pense nisso. Economia é uma coisa complexa, com 1001 varáveis, entre as quais os 6,38% de imposto é a menos importante. Pode ser pior.

Clara
ClaraPermalink

Na verdade estava respondendo a alguém que disse que por causa do imposto só viajaria em 2014. Mas nem encontrei o post, devo ter feito alguma confusão, sorry...

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Clara! O comentário era do troll que foi banido pelo Ricardo Freire!

Clara
ClaraPermalink

Bóia, obrigadíssima pelo esclarecimento. Ocorreu que eu havia escrito a resposta a esse troll(faz todo o sentido!), mas não havia mandado, por compromisso que me interrompeu justo na hora do envio.

Celina
CelinaPermalink

Ainda meio perdida, e tentando entender esse embrólio, descobri o seguinte = quando faço um saque no caixa automático,no Mastercard por exemplo, escolhendo a função Maestro (débito) o dinheiro sai na hora da minha conta no BB,e incidem sobre esse débito, uma tarifa e uma comissão sobre o saque (que eu ainda não entendi) mas quando compro com o cartão na mesma função débito em uma loja, vem na fatura do cartão de crédito, com uma tarifa muito menor do que quando compro na função crédito, embora tudo venha na mesma fatura do mesmo cartão.
Então é usar sempre que possível (algumas máquinas não dão opção, cai direto no crédito!) a função débito. Muita informação e muitas decisisões para comprar um fish and chips! Ninguém merece!

Sundaycooks – Cozinheiros de Primeira Viagem » Blog Archive » Como usar o cartão de débito internacional

[...] de fazer compras internacionais – o Riq Freire fez um ótimo post explicando cada uma no Viaje na Viagem – mas sim explicar como usar e como saber se seu cartão de débito é [...]

EmersonMH
EmersonMHPermalink

Esse fato das operadoras de cartão de crédito colocarem o valor do dólar turismo é um grande absurdo, pois elas transacionam comercialmente através da cotação do dólar comercial. Ou seja, é mais um jeito de se ganhar dinheiro em cima do cliente. Prefiram as que colocam o dólar mais próximo do comercial, como o Itaú e a Caixa (no meu caso, tenho o Itaú e a cotação sempre foi próxima do dólar comercial). Eu parei de efetuar compras internacionais no meu cartão do CredicardCiti justamente por isso: eles me passavam sempre uma cotação bem maior do que a real. É isso aí pessoal, a melhor dica é pesquisem, pesquisem, pesquisem, pois se conseguirem uma operadora que trabalhe com a cotação próxima do dólar comercial, ainda assim será mais vantajoso do que comprar dólar, sacar lá fora etc etc.

Fabio
FabioPermalink

VERGONHA = IOF = ABSURDO
É muito + facil aumentar IOF do que fazer novos aeroportos e trem conectando as principais cidades e capitais.
Quem sabe quando o real estiver menos valorizado, muitos brasilierios como eu, voltemos a fazer turismo no Bra"z"il.
att

PêEsse
PêEssePermalink

Essa comparação talvez ajude alguém.

Hoje (domingo, 3/4/2011) fiz uma reserva para duas noites em um hotel na Argentina. Para o hotel que escolhi, o preço mais barato que encontrei nos sites que cobram EM REAIS foi R$ 351 no Decolar, preço final já com os impostos ARGENTINOS incluídos. Como o Decolar cobra em reais, não haverá incidência de IOF, ou seja, os R$ 351 serão R$ 351 mesmo, sem possibilidade de alterações para mais ou para menos. Além disso, é possível o pagamento parcelado em até seis vezes sem juros.

O Decolar explica de uma maneira bem transparente a formação do preço final (informações retiradas da penúltima página, quando faltava apenas a confirmação da compra):

- Dólar usado na conversão: R$ 1,62 (IATA)
- Preço Quarto x noite: R$ 139
- Preço 2 noite(s) x 1 quarto: R$ 277
- Impostos e taxas: R$ 74
- Preço final: R$ 351

Uma desvantagem de comprar no Decolar é que, embora o próprio site diga em todos os momentos que o cancelamento sem cobrança de multa pode acontecer até 72 horas antes do dia inicial da reserva, a cobrança no cartão de crédito é imediata. Com isso, em caso de desistência a devolução pode ser complicada e trabalhosa se os serviços pós-venda do Decolar não forem bons (nunca precisei usar, por isso não sei). Mas eu acho que, para que seja em reais, o pagamento terá de ser dessa forma mesmo (antecipado), até porque se fosse feito posteriormente no hotel provavelmente seria na moeda do hotel e não em reais. Eu usei o Decolar recentemente nos EUA e deu tudo certo com a reserva feita por eles, mas minha desconfiança se houver alguma desistência permanece. https://www.viajenaviagem.com/americas/nova-york-ricardo-freire/comment-page-8/#comment-106156

Nos sites que cobram EM DÓLARES, o menor preço que consegui foi US$ 228, preço final já com os impostos ARGENTINOS cobrados. Usando a mesma cotação praticada pelo Decolar e que também é a mesma do meu cartão de crédito para hoje (US$ 1 = R$ 1,62), esses US$ 228 de preço final seriam R$ 369, ou seja, mais caro que os R$ 351 do Decolar. Além disso, ainda incidiria o IOF. E nada garantiria que, quando eu fosse pagar minha fatura, a cotação ainda estaria nesse patamar (o dólar poderia estar mais ou menos caro). O parcelamento não era possível.

Nesse cenário, portanto, a compra em reais se mostrou vantajosa, apesar do pagamento antecipado. Isso porque, além de o preço final ter sido melhor, a não incidência de IOF e a possibilidade de parcelamento tornaram a compra mais interessante.

Sempre é preciso fazer a conta. A depender do preço final que os sites que cobram em dólares apresentem, pode compensar pagar o IOF (mesmo na alíquota absurda) e correr o risco da variação da cotação para pior.

Clara
ClaraPermalink

Só por (uma séria)curiosidade: com o peso argentino valendo tão pouco, por que os preços da hotelaria argentina não acompanham mínimamente a realidade econômica do país? A clássica oferta/demanda por si só justifica isso? Porque se for o caso, ter um hotel na Argentina é o melhor dos negócios...

BB, Bradesco, Itaú e Santander: qual banco oferece a melhor cotação para saque internacional no cartão de débito? « Valores Reais

[...] Ha ha ha, quem diria que, assim como nos investimentos, para compras no exterior a palavra mágica também seria a mesma: nada como diversificar, assim como recomenda o Ricardo Freire, do blog Viaje na Viagem: [...]

Guilherme
GuilhermePermalink

Olá, parabéns pelos debates, tem muita informação de qualidade por aqui!

Aproveito para dizer que fiz recentemente uma viagem para o exterior, e usei cartões de débito de diferentes bancos para verificar qual tinha a melhor cotação. Não se trata de um caso hipotético: foram realizados saques no mesmo dia, no mesmo ATM, praticamente no mesmo horário. Os resultados são surpreendentes, após verificadas as cotações, e quando comparadas elas com as cotações normalmente utilizadas pelas bancos emissores dos cartões de crédito.

O link, com os resultados da pesquisa, está aqui: http://www.valoresreais.com/2011/04/03/bb-bradesco-itau-e-santander-qual-banco-oferece-a-melhor-cotacao-para-saque-internacional-no-cartao-de-debito/

É isso aí!
Um grande abraço, e que Deus os abençoe!

Fábio G.
Fábio G.Permalink

.:: IOF - Cartão de crédito - Aquisição de bens e serviços do exterior ::.

Foi publicado no DOU de hoje (06.04.2011) o Ato Declaratório Executivo n° 39, da Receita Federal do Brasil (RFB), que dispôs sobre a apuração do Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro, ou relativas a Títulos ou Valores Mobiliários (IOF).

Assim, as operações de câmbio destinadas ao cumprimento de obrigações de administradoras de cartão de crédito ou de bancos comerciais ou múltiplos na qualidade de emissores de cartão de crédito decorrentes de aquisição de bens e serviços do exterior efetuada por seus usuários e liquidada a partir de 28 de abril de 2011, sujeitam-se à incidência do IOF à alíquota de seis inteiros e trinta e oito centésimos por cento.