Nova York: um pulinho na Chinatown de Flushing

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Manhattan a Flushing pela linha 7

Faz muito tempo que ouço falar de Flushing, um bairro em Queens que é freqüentemente descrito como a Chinatown mais próspera de Nova York. É um lugar bastante indicado por repórteres descoladinhos e críticos gastronômicos para experimentar comida chinesa autêntica e limpinha. Eu já tinha feito até uma charada da 6a. sobre o lugar, mas nunca tinha ido. Então nesta passagem por Nova York resolvi programar um pulinho lá para preencher o quesito passeio exótico da vez. Vem comigo?

Linha 7, trem localManhattan-Flushing, trem expresso

Chegar é bico. Você desce na megaestaçãozona de Times Square e pega a linha 7. Ao chegar à plataforma, pode ser que você encontre dois trens prontos para partir. Saiba a diferença: o trem que tem o círculo verde é local e pára em todas as estações (tempo de viagem total: pouco mais 40 minutos); o trem com o losango vermelho é expresso, e passa batido por várias pelo caminho (tempo de viagem: pouco menos de 30 minutos). Na volta, porém, é possível que só haja trens locais (os expressos só partem de manhã cedo).

De Manhattan a Flushing

O público do trem é composto basicamente por imigrantes de uns 142 países diferentes. Não é por acaso que a linha 7 do metrô tem o apelido "International Express". Cada parada deixa você numa comunidade diferente (curioso? Este post do About.com diz o que encontrar a cada estação -- cortesia da DaniG).

Flushing, Queens

Você vai descer no fim da linha. Emergindo do metrô você vai dar num cruzamento que poderia estar em Taipé. (A grande colônia local é de Taiwan.) Procure a Prince St., que é a paralela de trás da Main St. Essa é a rua dos bons restaurantes de Flushing.

Prince St., Flushing

Pesquisei na New York Magazine e peguei carona num dos "critic's picks", o Spicy & Tasty. Escolhi esse por ser especializado na cozinha da província de Sichuan, que não é representada no Brasil e se caracteriza por pratos apimentados. (Sim, eu sou desses tipinhos.) Minha segunda opção era o Sentosa, de comida malaia. Os restaurantes não costumam fechar entre o almoço e jantar, o que veio bem a calhar, já que eu só consegui sair do hotel (lerê lerê lerê) às duas e meia da tarde.

Spice & Tasty, FlushingSentosa, Flushing

Você chega e eles já te trazem chá, que é o que os chineses bebem às refeições. A garçonete que nos atendeu não entendia nada de inglês (nem mesmo "bier"). Tínhamos que apontar o número do prato no cardápio.

O cardápio é extenso e tem várias coisas potencialmente nojentas, que eu pediria na boa se estivesse acompanhado por outro onívoro como eu (não é o caso do Nick). Então fui de wontons (raviolinhos em forma de flor), "dumplings" (raviolões em forma de gyoza, mas sem aquela grelhadinha final), um pato com pimentão e soja e um arroz frito.

Chá no Spice & TastyPato ensopado no Spíce & Tasty

O pato apareceu ensopado à passarinho (eu adorei, o Nick não se animou a provar...) e os wontons e dumplings vieram com um molho vermelho fluido e delicioso (muito alho e pimenta). Ei, não foi só a pimenta que eu apreciei: eu adorei o fato da cozinha de Sichuan não usar aquele molho gosmento bege-baba tão presente na cozinha chinesa, /#prontodissetudo.

Wontons, Spice & Tasty

Djilícia. Com duas Heinekens, a conta foi a US$ 42. Não precisávamos ter pedido o arroz, e o pato acabou sobrando por falta de cooperação à mesa grin

Spice & Tasty: a conta

Comi tanto que à saída esqueci da segunda parte do programa, que era tomar um bubble tea (chá gelado com bolinhas de sagu que você sorve por um canudinho grosso), que é, digamos assim, o refrigerante oficial de Taiwan. (Já provei em São Paulo, na padaria Itiriki, na Liberdade.) Caso você se lembre dessa parte, um dos lugares recomendados é o Sago, na esquina da Main St com a rua 39.

Se eu gostei do programa? No fim das contas, é apenas uma maneira bem complicada de sair para almoçar num restaurante chinês. Mas a sensação de sair da redoma e ir a um lugar onde você não é esperado dá um colorido especial à aventura.

Flushing, Queens

Gostei. Na próxima viagem vou experimentar Astoria, a capital gastronômica multiétnica de Queens.

Leia mais:

17 comentários

Claudia Matoso

Eh, acho que estou mais para as indicações culinárias do Nick. wink

Elisa
ElisaPermalinkResponder

hummm... ler isso na hora do almoço despertou meu instinto assassino de comida oriental smile

Mariana "de Toledo" _ @merel

Só esqueceu de mencionar que Flushing é a terra da The Nanny!
http://www.youtube.com/watch?v=W3unWr_b2Ew

"She was working in a bridal shop in Flushing, Queens..."

wink

Naila Soares
Naila SoaresPermalinkResponder

Adoro The Nanny e detesto comida apimentada...Tem algum restô de comida chinesa mais ocidental?

Claudia Chow
Claudia ChowPermalinkResponder

A Mariana roubou meu comentário! hehehe

Marcia Kawabe
Marcia KawabePermalinkResponder

Eu fiquei hospedada na casa de uns amigos no Flushing uma vez, mas só conheci o Queens Mall e almocei por lá mesmo. E claro que na época a gente também lembrou da The Nanny hehehehe.

Naila Soares
Naila SoaresPermalinkResponder

Engraçado.. Tem Chinatowns em tudo quanto é lugar, menos no Rio. Ou será nunca ouvi falar?

Camila Torres
Camila TorresPermalinkResponder

Riq, não sei se já te disseram isso, mas seus posts "ao vivo" são ainda mais interessantes ! Parecem cheios de opinião. smile

Estou achando o máximo essa viagem narrada em tempo real. Ainda mais sendo em NYC!

Tati Akamine
Tati AkaminePermalinkResponder

Apesar de comida chinesa de verdade e limpinha não andarem nunca juntas smile essa aí pareceu bem digna do título, ainda mais com a garçonete e a foto da conta! Parabéns por encarar comida de Sichuan, aquela que até pros chineses é apimentada!

Lena
LenaPermalinkResponder

42 dólares e o Nick morto de fome mrgreen Tadinho!!

Marcelo Matos
Marcelo MatosPermalinkResponder

Oi Bóia,
Li aqui algo que eu procurava a um tempão: como identificar se o trem do metro (sic) é local ou expresso.
Pelo contido aí acima, "o trem que tem o círculo verde é local" e "o trem com o losango vermelho é expresso".
Então é essa a forma de identificar se é expresso ou local? Tem outra?
E sabendo se é local ou expresso, como identificar qual a estação que o trem
expresso irá parar?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Marcelo! Temos um post com tudo explicadinho sobre o metrô de Nova York: https://www.viajenaviagem.com/2009/09/para-entender-o-metro-de-nova-york/

Leticia
LeticiaPermalinkResponder

Pessoal, alguém já visitou a casa do Louis Armstrong em Corona? Vale a pena? As imediações são tranquilas?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Leticia! Esta página traz as instruções de acesso:

http://www.louisarmstronghouse.org/visiting/overview.htm

Leticia
LeticiaPermalinkResponder

Valeu, Boia!!!
Mas eu queria saber se algum dos tripulantes já esteve in loco para ver se vale a pena.
Abçs dominicais a todos

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Leticia! Veja o que dizem no TripAdivsor:
http://www.tripadvisor.com.br/Attraction_Review-g47542-d312186-Reviews-Louis_Armstrong_House_Museum-Corona_New_York.html

Vamos compartilhar sua pergunta no Perguntódromo; havendo resposta, aparecerá aqui.

Leticia
LeticiaPermalinkResponder

Maravilha, obrigada!!

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar