Lições da estrada: furtado dentro do ônibus na rodoviária

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Viação GoianésiaViação Goianésia

#VnVBrasil | Não é que eu não estivesse me cuidando. Em São Paulo, no Rio e em Goiânia não saí com a câmera a pé na rua; fiz todas as fotos com celular -- um iPhone disfarçado de tijolão graças à capa-bateria da Morphie. Deixei a câmera, cartões de crédito e talão de cheque sempre no cofre do hotel. Saí à rua só com identidade e um cartão.

Me precavi tanto dos perigos brasileiros -- o cara que te assalta na rua sob a mira de uma arma para levar o relógio e a carteira protuberante -- que acabei sendo vítima de um golpe, digamos, à européia. Sem violência, aproveitando uma distração.

Foi tudo muito rápido. Minha bobeira: aproveitar meia hora livre na rodoviária para trabalhar no laptop na praça de alimentação. Sem que a gente percebesse (o Nick tinha se juntado à expedição na véspera), um sujeito nos seguiu até o ônibus da Viação Goianésia em que embarcaríamos para Pirenópolis.

Despachamos as duas maletas no maleiro e subimos com as mochilas para ocupar nossos assentos, 3 e 4, bem na frente do ônibus. Colocamos as mochilas no compartimento de cima e sentamos.

Antes do ônibus partir, o Nick lembrou de pegar alguma coisa na mochila dele. CADÊ MOCHILAS?

O sujeito que nos seguiu entrou no ônibus sem passagem, pegou as bolsas, passou a algum interceptador pela janela e saiu do ônibus, sem que a gente se desse conta. Houve conivência de algum funcionário da viação? No mínimo houve inépcia e negligência.

Depois de cinco minutos, uma passageira falou de  um sujeito de cabelo espetado que entrou e saiu do ônibus.

Nessas, lá se foram um laptop, minha câmera, o iPad do Nick e três memórias de 500 giga. Tenho back-up de praticamente tudo em casa -- mas perdi todas as fotos feitas em Goiás. Ficaram só as que eu publiquei no Instagram.

GoiásGoiás

Villa Boa de Goiaz

Na prática, vou conseguir fazer os posts de Rio Quente e Caldas Novas com fotos de divulgação; e em Goiânia, o mapinha que fiz camelando a cidade por cinco dias vale mais do que qualquer foto que tenha sumido. Triste mesmo é perder as fotos da Cidade de Goiás, uma coleção lindinha que só. Mas vou tentar voltar lá ainda este ano.

Estou de volta a São Paulo para recompor o meu equipamento e voltar à estrada. Bola pra frente, que tem Chapada dos Veadeiros, Brasília e Jalapão antes do Seminário #Viajosfera em setembro.

Obrigadíssimo a todos os que ofereceram o ombro e os ouvidos no domingo à noite pelo Twitter. Vocês são demais smile

Leia mais:

105 comentários

Eunice
EunicePermalinkResponder

Meu abraço, Riq. Outro dia vi em um jornal da Globo um golpe parecido nos aeroportos ( mas fora dos aviões ).

Amaro - Recife

Ontem pelo Twitter achei que tinham levado 'apenas' a câmera e outras coisinhas.
Pelo tamanho do prejuízo (financeiro e emocional), fica o belo exemplo de desapego que você demonstrou.

Aguardo próximos capítulos do #VnVBrasil.

João Lucena
João LucenaPermalinkResponder

Sinto muito Ricardo. Mas queria registrar aqui á a facilidade com esse gatunes estão praticando esse pequenos roubos. Além de deixar qualquer um indígnado, esse tipo de assalto está cada vez mais frequênte no Brasil e o viajante cada vez mais vunerável. Agora imagine você o que será dos pobres turistas estrangeiros que irão chegar ao país para os eventos esportivos dos próximoas anos?

Sílvia Oliveira

Eu vi ontem à noite pelo Instagram o ocorrido. Fiquei em choque. Minha Expedição Brasil começa essa semana, inclusive vou passar por estas bandas aí mais para frente. E vou sozinha. De qualquer maneira, eu também me desapego rápido, acho sempre que poderia ter sido pior e, principalmente, dou graças a Deus que vocês estão bem.

Nivia
NiviaPermalinkResponder

Realmente lamentável Riq, sei bem como é isso, fui furtada no Chile logo na primeira noite da viagem, queriamos tanto sair que esquecemos de deixar os passaportes - imagina o problema! Polícia, imigração, enfim... pelo menos mais um motivo para voltar a Goiania que, por esta amostra, é linda!!!

Sylvia
SylviaPermalinkResponder

Não dá pra usar os cadeados de bicicleta para amarrar a mochila no compartimento de bagagem dos onibus ?

Lu Malheiros
Lu MalheirosPermalinkResponder

Sylvia,
Dá sim. Tenho um parecido com esse
http://www.dealextreme.com/p/steel-wire-security-code-chain-lock-for-bicycle-luggage-cabinet-more-52892?item=32
Mas prefiro ficar com a mochila no meu colo ou no chão.

ana
anaPermalinkResponder

Lu, conheço um chileno que teve a mochila (com equipamento fotográfico) furtada e ela estava no chão, entre as pernas dele, em um ônibus no México. Ele cochilou e levaram a mochila. Minha sugestão é, apesar do incomodo, deixar a mochila no colo mesmo.

Amélia
AméliaPermalinkResponder

Pensei nisto, também. E nos aviões, como fazer???

Lu Malheiros
Lu MalheirosPermalinkResponder

Amélia,
Os bens mais preciosos (documentos, tablet, grana e outros) ficam comigo, debaixo da poltrona da frente. Se levanto para dar uma esticada nas pernas ou ira ao banheiro, carrego tudo.
A mala/mochila de bordo fica sempre com cadeado e com dois identificadores de bagagem para não dar nenhuma confusão na hora de sair. Tenho um roxo que diz "No, it's not yours" wink

Alessandro A.
Alessandro A.PermalinkResponder

Uma pena mesmo! Nessas horas dá uma raiva danada e haja bom espírito para voltar e recomeçar tudo como se nada tivesse acontecido. Boa sorte Riq!

André Galvão

Riq, uma pena perder os equipamentos e tempo de viagem.
Algumas rodoviárias isolam a área de embarque somente para os que possuem passagens. Não sei se é o caso da rodoviária de Goiânia. Se for vale a pena registrar BO e correr atrás do prejuízo, processando a empresa. Você não vai recuperar suas fotos mas se a empresa tiver que pagar pelos seus equipamentos ela muda rapidinho o procedimento de embarque, para o bem dos demais passageiros.
E essa empresa Goianésia é péssima, a frota é velha e os ônibus estão quase sempre atrasados.

Silvia Maria
Silvia MariaPermalinkResponder

Estava fora do twitter no domingo à noite e não li os tweets. Sinto muito não só pelo equipamento mas também pelo trabalho perdido. Mas você tem estrada e recupera tudo. Esperemos que as autoridades de turismo, donos de empresas de ônibus e administradores dos terminais das cidades e estados leiam este post e tomem providências para a segurança de turistas e, principalmente, dos residentes usuários de suas rodoviárias. Boa sorte!

Fabio Beider
Fabio BeiderPermalinkResponder

Infelizmente minha namorada e eu furtados em Buenos Aires dentro do próprio hotel. Deixamos dinheiro e documentos no cofre do quarto (era com chave e não eletrônico). O hotel era o Vista Sol. Foi uma pena, pois o hotel era excelente do ponto de vista de acomodação e localização.
http://mochilandomundoafora.blogspot.com.br/2012/06/segundo-dia-em-buenos-aires-resumo.html

Dri Setti
Dri SettiPermalinkResponder

Riq do céu! Que dor no coração!!! Bola pra frente. Um beijo grande pra vcs!!!

cintia
cintiaPermalinkResponder

Q absurdo! Eu sei q não podemos descuidar dos nossos pertences, principalmente viajando. Mas, q país é esse? Nem viajando podemos vacilar um segundo! Todos toleram! Eu gostaria d ver esse país melhor. Sem tanta inversão d valores. Quem sabe um dia... Enquanto isso, aprendemos mais uma com vc, Riq. Boa viagem.

Márcio Cabral de Moura

Riq, uma grande pena, mas o que mais me revoltou foram os comentários de alguns trips com síndrome de vira-lata, falando deste furto - que como você ressaltou foi a europeia - como se fosse algo exclusivo do Brasil e que ficavam com pena dos gringos que virão pra cá na Copa e nas Olimpíadas.

Esse tipo de incidente acontece, como você ressaltou indiretamente, em quase qualquer lugar do mundo. Eu, quando viajo de trem pela Europa (incluindo o Eurostar), fico na maior nóia com minha bagagem, principalmente quando ela tem que ficar distante de mim.

E confesso que fico muito mais tranquilo com minhas coisas num restaurante brasileiro que fora daqui.

Uma amiga minha teve a mala dela furtada de um trem na Suécia. E recentemente li um livro de um cara que deu a volta ao mundo de bicicleta, passando por Irã, Índia e outros países que não são do "primeiro mundo", mas só foi furtado nos EUA (onde também foi o único lugar em que ele foi atropelado por um carro e xingado por estar pedalando na rua).

Andrea/RJ
Andrea/RJPermalinkResponder

Eu fico agarrada com a minha bolsa de mão. Só deixo no compartimento de cima bolsa com "bagulhada", tipo casaco, comida, papel... Este tipo de furto rola no mundo todo mesmo. Tive uma excelente câmara fotográfica furtada em Roma, no ônibus que sai do Vaticano. DEPOIS que perdi a câmara, o cara do hotel disse que era super comum!

Malu Esper
Malu EsperPermalinkResponder

Riq, você nos ajuda com dicas legais e com alertas desse tipo que aconteceu com vc. Toda a enorme rede de seguidores do VnV estará mais atenta. Esse é o lado bom! Espero que vc e Nick superem logo o lado ruim desse acontecimento.

Carmem
CarmemPermalinkResponder

Opa! Deixei um comentário no meio da tarde, mas ele sumiu! Será que o ladrãozinho de Goiânia gostou dele e o levou consigo?
Bom, o que eu dizia era que li as notícias do furto durante uma viagem de ônibus e fiquei tão chocada que agarrei com todas as minhas forças minha bolsa, que era a única bagagem que eu levava comigo naquela hora. Pra mim foi como se uma enorme quadrilha de ladrões de bagagem estivesse assolando o país. Maluca!
Tô feliz porque vocês estão bem e deram a volta por cima nessa confusão toda.

Fernanda
FernandaPermalinkResponder

Eu tenho viajado com certa frequência de ônibus no Brasil e sempre fico com a mochila do laptop agarrada. É desconfortável para dormir, mas não confio. Mas, isso realmente não é exclusividade do Brasil. Fiz uma volta ao mundo e escutei relatos parecidos em vários países. O bom é que foram só bens materiais e nada de violência física.

Ernesto, o pato

Lamentável, mas acontece com qualquer um . Também já me furtaram uma camara no Chile. E, foi por um mini momneto de distração quando fui ao banheiro em Puerto Mont. Bem, pense que dá´para comprar um mais moderno, e que pelo menos não foi nada que envolvensse um machucado, ou um perigo de vida. Tocar para frente, e estar alerta.

Camila Torres - Colecionando Imãs

Poxa Riq... Que droga a sua estadia na minha terra hein ! sad
Ótima dica pra Rodoviária melhorar a área de embarque, que continua uma zona mesmo depois da construção do Araguaia Shopping.
Mas não desista não... volte sempre. Ainda tem coisa boa aqui !

Marcelo Galvão

Riq, é como observamos no jogo de tênis. Perdem-se alguns games, às vezes até um set, mas, no final, o melhor jogador sempre vence. No jogo da vida, alguns ou vários reveses acontecem, também. Na minha opinião, a perda material é o menor. E isto só aprendemos com o passar do tempo. Parabéns pela rápida recuperação. Muito boa sorte na elaboração do melhor guia de viagens sobre o Brasil.

Claudia Matoso

Riq, também fiquei sabendo pelo Instagram. Curti a foto e depois li os comentários. Achei o último estranho e fui abrir os outros pra entender o que tinha acontecido. O material, bem ou mal, acabamos passando por cima mas a dor mesmo fica pelas fotos. Desejo que retorne para obtê-las novamente.

Julio Corrêa
Julio CorrêaPermalinkResponder

Krak! Fico arrasado ao saber dessas coisas! O pior são os trabalhos perdidos! Força!
abraço

Chris
ChrisPermalinkResponder

Ai! Já estive no hotel Castro a serviço, ele estava em reforma na época e ao levantar pela manhã sabe o que tinha no chão do meu quarto primeiro andar escurinho? Um escorpião... quase pisei descalça. Desci indignada e relatei o que tinha ocorrido, queriam me passar pro quarto ao lado, economia de elevador né? Exigi último andar e não preguei o olho a noite o resto da estadia. Agora mais essa. Impressões ruins são difíceis de se retirar. Acho que se voltar a Goiânia vai ser apenas pra sair rápido pra chapada dos veadeiros e olhe lá.

Amannda
AmanndaPermalinkResponder

Desculpa mas eu acho que isso não é motivo pra você não querer voltar a Goiânia. Aqui tem tanta coisa bacana, e é muito simples, dá próxima vez fique em outro hotel. Temos o Mercure recém inaugurado, o Blue Tree, Comfort, Ibis, Plaza Inn, enfim, vários hoteis que irão te receber muito bem e sem escorpião, com certeza! Eu nem sei pq o Riq ficou no Castros se tinha tantas outras opções melhores.

Um abraço!!

Gustavo - Viajar e Pensar

Como todo Brasileiro triste e desolado.
Turismo no Barsil é para os corajosos infelzmente.

Boa sorte com os novos equipamentos.

Abraço
@GusBelli
sad

Arthur | Agora vai mesmo

Que mérIda... Mas outra coisa a se prestar atenção: malas no bagageiro externo. Certifiquem-se que as suas bagagens estejam lá até a tampa ser fechada e o ônibus sair. Em paradas, também fiquem por perto, principalmente se for fim de viagem para alguns passageiros. Isso em qualquer lugar do mundo.

marta k
marta kPermalinkResponder

nossa, que chato! é uma sensação horrível de impotência, uma invasão de privacidade! mas tenho certeza que virão outras excelentes fotos e lá no fundo torcer para aquele famoso "aqui se faz, aqui se paga"....

Camila
CamilaPermalinkResponder

Eu estou tãããão cansada de ouvir histórias assim... Dá desânimo mesmo... Ainda mais em época de eleição, em que todos têm receitinha de bolo pra tudo, mas nunca colocam nada em práticas... Parodiando Prof. Raimundo... E a paciência, ó...

Viviane
VivianePermalinkResponder

Que tristeza... por isso que cada vez mais, a gente prefere gastar nosso dinheiro fora do Brasil... mesmo tendo tanta coisa linda pra conhecer nesse nosso país... sad

Natália
NatáliaPermalinkResponder

Acompanhei o drama pelo twitter. Felizmente não fui assaltada durante minha última viagem, mas foi por pouco. E bola pra frente, que tem muito desse Brasil pra ver, né?

Carolina Gomes

Ai que dó! Não tem como não ficar triste quando algo chato, como um furto, acontece com alguém que ajuda taaaantos viajantes! =( Minhas vibrações positivas para ti Riq!!!!! Tenho certeza que vc vai dar a volta por cima e continuar esse trabalho lindo, que tanto nos ajuda na organização das nossas viagens! Bjão =)

douglasfj
douglasfjPermalinkResponder

...isso aqui ô-ô, é um pouquinho de Brasil, iáiá...

Qual capa da Morphie vc recomenda para disfarce do iphone?

Kênia
KêniaPermalinkResponder

Como muitos disseram, esse tipo de ocorrência pode acontecer em qualquer parte do mundo. Concordo.
Mas a questão é que o descaso com esse tipo de crime (e outros piores) aqui no Brasil é muito grande comparado a outros países.
Moro em Brasília e posso afirmar que há cerca de 10 anos me sinto totalmente insegura para fazer viagens terrestres pelas BRs que partem do DF e passam por Goiás, quando se trata de transporte coletivo intermunicipal ou interestadual. Nos últimos anos, saí da cidade apenas por via aérea ou em automóvel particular, pois o passageiro que utiliza o sistema de transporte terrestre brasileiro está cada vez mais exposto à criminalidade.
A insegurança em que vivemos é um problema nacional, ancorado em diversas causas, mas quando se trata de viagens, percebe-se que o viajante está muito vulnerável a questões que deveriam ser tratadas com mais seriedade pelas autoridades políticas e policiais. O preocupante não são apenas furtos, mas assaltos a mão armada de quadrilhas que se especializaram em abordar ônibus nas estradas. Tenho parentes que já foram assaltados dessa forma nas BRs que vão de Goiás para Minas Gerais, e os próprios motoristas confirmam que os assaltos ocorrem semanalmente! Como a população tolera conviver com esse absurdo, eu não sei. Nosso direito constitucional de ir e vir é infringido semanalmente e ninguém se importa, todos acham essa realidade “normal”.
E porque as autoridades não tomam alguma atitude? Nosso sistema de transporte é ineficiente e mal estruturado. Se o crescimento da violência é uma realidade com a qual temos que conviver, porque não tornar os terminais rodoviários mais seguros? Porque não utilizar detector de metais nas áreas de embarque e controlar o acesso de pessoas? E porque a polícia rodoviária tem tanta dificuldade em prender as quadrilhas de assaltantes que agem livremente? Alguém pode estar saindo ganhando... fica a dica.
Desculpe o desabafo, Ricardo, mas acho importante discutir essas questões aqui também, pois interferem diretamente no sucesso de qualquer viagem, já que a nossa rede aérea não cobre todos os cantos do país. Não podemos fechar os olhos e ver apenas o “lado bom”. Nesse sentido, o leitor João Lucena fez um comentário pertinente acima: “esse tipo de assalto está cada vez mais freqüente no Brasil e o viajante cada vez mais vulnerável. Agora imagine você o que será dos pobres turistas estrangeiros que irão chegar ao país para os eventos esportivos dos próximos anos?”
E deixo aqui uma reflexão sobre uma possibilidade que melhoraria muito a vida de quem depende de transporte terrestre: é uma vergonha não termos um sistema ferroviário em um país do porte do Brasil. Os benefícios seriam enormes, tanto comerciais, quanto para o turismo. Mas essa discussão fica para a próxima.

Camila Campolino

Que saco isso...????Espero que essa sensação ruim passe logo! Bola, ou melhor, boia pra frente!

Francisco
FranciscoPermalinkResponder

Uma pena mesmo! Principalmente por causa das fotos que deviam ser maravilhosas!

Mas vcs nem tentaram localizar o iPad pelo Find my iPad? Ou ele não tinha autorizado? Como vocês viram rápido, podia ser útil para facilitar a localização.

E outra pergunta, vão fazer algum post sobre Pirenópolis por agora? Estou indo para lá mês que vem e queria dar uma lida em algumas dicas daqui do VnV!

Bia
BiaPermalinkResponder

Oie!

Eu tenho o costume de SEMPRE deixar a mochila com os eletrônicos/documentos embaixo ou do lado das minhas pernas, no chão. Como só tenho 1,60m de altura, não me atrapalha tanto assim.

Seja em onibus, em trem ou avião, nunca coloco no compartimento de cima! Por isso q sempre pego assento na janela, posso deixar minha mochila apoiada de ladinho, sem atrapalhar ninguém e perto de mim.

Depois desse relato, agora q jamais colocarei em cima...

Virginia Lucia

Riq, que chato!! Fui furtada uma vez, no Chile, e quase estragou meu passeio, era a segunda noite. Esse tipo de coisa, infelizmente, não é exclusividade do Brasil ou da América do Sul, temos que ter cuidado em todo lugar. Que bom que você encarou dessa forma, bola pra frente!

Dionísio
DionísioPermalinkResponder

Sacanagem. É Brasil, il, il!

Denise
DenisePermalinkResponder

É horrível essa sensação de incapacidade quando somos roubados. Pior é perder todo o registro do trabalho realizado e o desânimo que sentimos.
Quando tweetei a você no início da viagem pelo Brasil, imaginei que seu post inicial, seria sobre algum novo destino com dicas... Que droga.
Não desanima, tenho certeza que tudo vai melhorar. Vira a página, porque Goiânia já foi e muuuito cara pra você!
Boa sorte no próximo destino.

Michele
MichelePermalinkResponder

Realmente muito chato! Pra mim então que tenho a tendência de ficar com raiva por horas acaba estragando meu dia de viagem. Recentemente estava em Ibiza e fui orientada a ter cuidado na Playa den Bossa. Não deu outra, quatro senhoras foram furtadas enquanto estavam no mar, as coisas delas estavam atrás de nós e não vimos nadinha. O local desse furto é um dos mais valorizados dessa praia na atualidade, em frente ao famoso hotel 5 estrelas Ushuaia. Vai entender! Vc sai de férias para curtir uma praia e tem que ficar praticamente fazendo turno para entrar no mar.
Em compensação, na Itália, em Sulmona (Abruzzo) esquecemos a mochila com notebooks, iphone, kindles, maquina fotografica, enfim, tudo no onibus. No outro dia de manha fomos ao depósito e estava tudo lá, para nós brasileiros e escaldados foi praticamente um milagre.

André
AndréPermalinkResponder

Cara, usar notebook em público... não, melhor não

Segurança em viagem: nunca é demais |

[...] estavam armazenadas no compartimento superior de bagagem sem que ele notasse (ele conta o perrengue aqui).À parte o roubo dos bens materiais – notebook, câmera, iPad, HDs externos etc -, que já seria [...]

wendel hermenegildo alves

Uma dica em ônibus em que não tem Ar-Condicionado ou seja as janelas são de correr, o risco de ser furtado é muito maior. agora de Goiânia-GO / Pirenópolis-GO você poderia fazer a de ônibus Urbano. Goiânia-GO / Anápolis-GO pela Araguarina. e de Anápolis-GO / Pirenópolis-GO pela São José do Tocantins . é muito mais barato e tem muitos horários.

Peter Delvaux
Peter DelvauxPermalinkResponder

Eu fui assaltado dentro do ônibus da UTIL (linha Rio-Juiz de Fora), no dia 07/12/14. Estava com medo de ser assaltado no RJ, e andei com dinheiro espalhado pelo corpo. Quando cheguei dentro do onibus, reuni todo o dinheiro na minha carteira. Eu olhei para frente para ver se não estava vindo ninguem, mas não me preocupei com os eventuais passageiros q já estavam acomodados nos bancos de trás! Em seguida, muito discretamente, coloquei a carteira dentro da mochila e coloquei a mochila em cima, no compartimento de cargas. Viajei tranquilo. No meio da viagem, um rapaz pegou alguma coisa em cima, mas nada demais! Qdo cheguei, em Juiz de Fora, percebi q a mochila foi mexida e todo o dinheiro subtraído! Como já era desembarque, os passageiros desceram rapidamente e não quiseram prestar nenhuma informação e o motorista foi meio irônico comigo, não dando muita atenção para o ocorrido! É aquele ditado: nadou e morreu afogado na praia! Mas, confesso q não poderia imaginar q existiriam assaltantes camuflados de passageiros no ônibus da UTIL! Mas eles existem! Tomem cuidado com um senhor de 50 anos, com brinco na orelha direita e com um rapaz de mais de 20 anos, negro, com óculos de grau arredondado. Eles estavam atrás de mim e foram eles quem provavelmente me assaltaram! Que esse dinheiro fique de esmola para eles e q essa situação sirva de exemplo para muitos passageiros distraídos q insistem em guardar carteira e celulares no compartimento de cima dos ônibus!

Monalisa
MonalisaPermalinkResponder

Que pena! Aconteceu com um colega também, exatamente o MESMO CASO, no onibus de Calama (Chile) para Tacna (Peru). O garoto só descobriu no meio do caminho, onde não dava pra fazer mais nada e lá se foram cameras, celular, iPad... Por isso dou uma de neurótica e gosto de enfiar tudo embaixo da perna rsrsrs

Layne
LaynePermalinkResponder

Pois é Monalisa, tb sempre gostei de enfiar tudo embaixo da perna naquele espaço embaixo do nosso banco...até que saindo de são paulo pra Florianópolis não sei como pegaram minha bolsa pelo banco de trás , abriram e roubaram 500 reais...agora ando com tudo q for de valor grudada no corpo mas mesmo assim tenho medo demais....todo lugar tem gente ruim esperando uma vacilada nossa....triste isso...=/

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar