Lições da estrada: furtado dentro do ônibus na rodoviária

Viação GoianésiaViação Goianésia

#VnVBrasil | Não é que eu não estivesse me cuidando. Em São Paulo, no Rio e em Goiânia não saí com a câmera a pé na rua; fiz todas as fotos com celular — um iPhone disfarçado de tijolão graças à capa-bateria da Morphie. Deixei a câmera, cartões de crédito e talão de cheque sempre no cofre do hotel. Saí à rua só com identidade e um cartão.

Me precavi tanto dos perigos brasileiros — o cara que te assalta na rua sob a mira de uma arma para levar o relógio e a carteira protuberante — que acabei sendo vítima de um golpe, digamos, à européia. Sem violência, aproveitando uma distração.

Foi tudo muito rápido. Minha bobeira: aproveitar meia hora livre na rodoviária para trabalhar no laptop na praça de alimentação. Sem que a gente percebesse (o Nick tinha se juntado à expedição na véspera), um sujeito nos seguiu até o ônibus da Viação Goianésia em que embarcaríamos para Pirenópolis.

Despachamos as duas maletas no maleiro e subimos com as mochilas para ocupar nossos assentos, 3 e 4, bem na frente do ônibus. Colocamos as mochilas no compartimento de cima e sentamos.

Antes do ônibus partir, o Nick lembrou de pegar alguma coisa na mochila dele. CADÊ MOCHILAS?

O sujeito que nos seguiu entrou no ônibus sem passagem, pegou as bolsas, passou a algum interceptador pela janela e saiu do ônibus, sem que a gente se desse conta. Houve conivência de algum funcionário da viação? No mínimo houve inépcia e negligência.

Depois de cinco minutos, uma passageira falou de  um sujeito de cabelo espetado que entrou e saiu do ônibus.

Nessas, lá se foram um laptop, minha câmera, o iPad do Nick e três memórias de 500 giga. Tenho back-up de praticamente tudo em casa — mas perdi todas as fotos feitas em Goiás. Ficaram só as que eu publiquei no Instagram.

GoiásGoiás

Na prática, vou conseguir fazer os posts de Rio Quente e Caldas Novas com fotos de divulgação; e em Goiânia, o mapinha que fiz camelando a cidade por cinco dias vale mais do que qualquer foto que tenha sumido. Triste mesmo é perder as fotos da Cidade de Goiás, uma coleção lindinha que só. Mas vou tentar voltar lá ainda este ano.

Estou de volta a São Paulo para recompor o meu equipamento e voltar à estrada. Bola pra frente, que tem Chapada dos Veadeiros, Brasília e Jalapão antes do Seminário #Viajosfera em setembro.

Obrigadíssimo a todos os que ofereceram o ombro e os ouvidos no domingo à noite pelo Twitter. Vocês são demais 🙂

Leia mais:

105 comentários

Que pena! Aconteceu com um colega também, exatamente o MESMO CASO, no onibus de Calama (Chile) para Tacna (Peru). O garoto só descobriu no meio do caminho, onde não dava pra fazer mais nada e lá se foram cameras, celular, iPad… Por isso dou uma de neurótica e gosto de enfiar tudo embaixo da perna rsrsrs

    Pois é Monalisa, tb sempre gostei de enfiar tudo embaixo da perna naquele espaço embaixo do nosso banco…até que saindo de são paulo pra Florianópolis não sei como pegaram minha bolsa pelo banco de trás , abriram e roubaram 500 reais…agora ando com tudo q for de valor grudada no corpo mas mesmo assim tenho medo demais….todo lugar tem gente ruim esperando uma vacilada nossa….triste isso…=/

Eu fui assaltado dentro do ônibus da UTIL (linha Rio-Juiz de Fora), no dia 07/12/14. Estava com medo de ser assaltado no RJ, e andei com dinheiro espalhado pelo corpo. Quando cheguei dentro do onibus, reuni todo o dinheiro na minha carteira. Eu olhei para frente para ver se não estava vindo ninguem, mas não me preocupei com os eventuais passageiros q já estavam acomodados nos bancos de trás! Em seguida, muito discretamente, coloquei a carteira dentro da mochila e coloquei a mochila em cima, no compartimento de cargas. Viajei tranquilo. No meio da viagem, um rapaz pegou alguma coisa em cima, mas nada demais! Qdo cheguei, em Juiz de Fora, percebi q a mochila foi mexida e todo o dinheiro subtraído! Como já era desembarque, os passageiros desceram rapidamente e não quiseram prestar nenhuma informação e o motorista foi meio irônico comigo, não dando muita atenção para o ocorrido! É aquele ditado: nadou e morreu afogado na praia! Mas, confesso q não poderia imaginar q existiriam assaltantes camuflados de passageiros no ônibus da UTIL! Mas eles existem! Tomem cuidado com um senhor de 50 anos, com brinco na orelha direita e com um rapaz de mais de 20 anos, negro, com óculos de grau arredondado. Eles estavam atrás de mim e foram eles quem provavelmente me assaltaram! Que esse dinheiro fique de esmola para eles e q essa situação sirva de exemplo para muitos passageiros distraídos q insistem em guardar carteira e celulares no compartimento de cima dos ônibus!

Uma dica em ônibus em que não tem Ar-Condicionado ou seja as janelas são de correr, o risco de ser furtado é muito maior. agora de Goiânia-GO / Pirenópolis-GO você poderia fazer a de ônibus Urbano. Goiânia-GO / Anápolis-GO pela Araguarina. e de Anápolis-GO / Pirenópolis-GO pela São José do Tocantins . é muito mais barato e tem muitos horários.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados se aprovados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.