Guia de praias | Bahia: Salvador e Litoral Norte

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Praia do Forte

Praia do Forte

Nos 100 km do Pelourinho à Costa do Sauípe, você aproveita a terceira maior cidade do país (Salvador) e uma coleção de resorts (ao norte da cidade) -- mas também descobre vilarejos tranqüilos com ótimas pousadas (como Itacimirim e Imbassaí). Quanto mais para o norte você vai, em direção a Sergipe, as praias ficam selvagens e desertas (sobretudo entre Sítio do Conde e Mangue Seco).

Salvador e Litoral Norte

Se preferir, clique e vá direto ao destino desejado

Salvador + Litoral Norte: como combinar

O aeroporto de Salvador fica na saída da cidade para o litoral norte: o centro está a quase 30 km, enquanto a Praia do Forte está a 55 km. Veja como sair do aeroporto para a cidade e para o Litoral Norte.

Para quem vai dividir a viagem com uns dias em Salvador e outros numa praia do norte, uma boa logística é alugar um carro ao chegar e já ir para a sua praia, desestressar. Daí você devolve o carro ao chegar em Salvador, numa agência central em Ondina ou Pituba (escolha isso durante a reserva).

Trânsfers entre o aeroporto e Praia do Forte, Grand Palladium Imbassaí e Costa do Sauípe

Se você prefere ser recebido no saguão do aeroporto com uma plaquinha com o seu nome, confira os trânsfers oferecidos pelo nosso parceiro TourOn:

Arembepe

Praia do Piruí, Arembepe

Praia do Piruí

Arembepe

É a sua praia: se você curte vilarejo de pescadores

Não é a sua praia: se você quer tomar sol com pouca densidade demográfica

Vai por mim: Arembepe

Uma das primeiras praias da Estrada do Coco, a 23 km do aeroporto de Salvador, Arembepe tem grande parte de sua orla protegida por recifes, o que faz formar piscinas à beira-mar na maré baixa. Na praia da vila estacionam barquinhos de pescadores; nos fins de semana a praia é bem popular. Bem no centro, o restaurante Mar Aberto é pé na areia e um dos lugares recomendáveis para almoçar na volta de qualquer passeio na região (Largo de São Francisco, 43, Arembepe, tel. 71/3624-1257).

Querendo uma praia também protegida mas menos cheia, vale a pena continuar de carro à direita (sul) do centrinho até a praia de Piruí -- onde funciona uma pousada elogiadíssima, A Capela.

Outra curiosidade do lugar é a Aldeia Hippie, que fica ao norte (esquerda) da vila; famosa por ter sido endereço dos Novos Baianos, a aldeia ainda resiste com residentes que vivem do artesanato.

A praia é servida por ônibus semi-urbano: a linha 857 Terminal da França-Aerembepe sai da avenida da França, no Comércio, e vai até o centrinho da vila (R$ 5, dezembro/2016). É possível também ir nos ônibus ou vans que vão à Praia do Forte (veja adiante); é preciso parar na estrada e terminar a viagem de mototáxi ou táxi.

Voltar | Topo

Barra do Jacuípe

Barra do Jacuípe

Barra do Jacuípe

Barra do Jacuípe

É a sua praia: se você procura praia calminha de uma esquina entre rio e mar

Não é a sua praia: se você prefere ondas

Vai por mim: Barra do Jacuípe

10 km adiante de Arembepe (35 km do aeroporto de Salvador), a Barra do Jacuípe é uma das mais bonitas da região. É ótima para banho na maré baixa -- mas siga a recomendação dos freqüentadores; há pontos perigosos de correnteza no lado do rio. O vilarejo vai até a beira da praia e tem bares e restaurantes. No fim de semana a praia fica lotada.

O transporte coletivo (ônibus ou vans para Praia do Forte, veja mais adiante) deixam na estrada. Você vai precisar completar a viagem de mototáxi ou táxi.

Voltar | Topo

Guarajuba

Guarajuba

Guarajuba

Guarajuba

É a sua praia: se você procura mar gostoso e organização

Não é a sua praia: se você acha que lugar de calçadão é na capital

Vai por mim: Guarajuba

A Estrada do Coco é pontilhada de condomínios que dificultam o acesso de não-proprietários à praia. Guarajuba é a maior exceção: o lugar tem uma grande concentração de condomínios (há casas de praia e também residências de funcionários do pólo petroquímico de Camaçari), mas a praia é abertíssima ao público. As barracas estruturadas ficam no canto esquerdo, ao final do acesso principal (uma rua onde também há restaurantes, bares e lojas); continuando por lá, você chega ao resort Vila Galé Marés. Caminhando para a direita, a praia fica mais vazia. Um passeio bacana é combinar Guarajuba com um almoço em Arembepe, no Mar Aberto, 18 km para o sul (Largo de São Francisco, 43, Arembepe, tel. 71/3624-1257).

Onde ficar: Guarajuba

O nome Guarajuba só ficou conhecido dos não-baianos depois da instalação do Vila Galé Marés, um resort all-inclusive que fica a menos de quinze minutos de caminhada da área das barracas de praia, pelo calçadão. Tem quartos confortáveis e uma piscina imensa; costuma ser um pouco mais em conta do que o Iberostar. O mar em frente é agitado, mas no canto esquerdo da enseada está sempre bom para as crianças.

Na outra extremidade de Guarajuba, bem ao sul, num trecho pouco freqüentado, o hotel Costa Smeralda está situado dentro de um condomínio, com entrada direto pela Estrada do Coco.

Voltar: Menu de destinos | Estratégia & roteiros

Como chegar: Guarajuba

Guarajuba está a 42 km do aeroporto de Salvador pela Estrada do Coco; a estrada é duplicada.

Uma corrida de táxi especial do aeroporto de Salvador ao hotel Vila Galé está saindo R$ 220 pela tabela das cooperativas do aeroporto (às vezes há promoções no balcão). Um Uber sai entre R$ 92 e R$ 139 (mas para voltar pode ser difícil conseguir). Ônibus e vans à Praia do Forte (leia em Praia do Forte), deixam na estrada; é preciso completar a viagem de mototáxi ou táxi.

Voltar | Topo

Itacimirim

Praia da Espera, Itacimirim

Praia da Espera

Itacimirim

É a sua praia: se você procura mar calmo com pousadas pé na areia

Não é a sua praia: se você quer vida noturna próxima

Vai por mim: Itacimirim

O paredão de casas de veraneio que quase não oferece brechas para o acesso à areia já é uma indicação segura de que a praia, ali, é das boas. Itacimirim está estrategicamente escondida entre a favorita dos turistas (a Praia do Forte) e a queridinha das imobiliárias (Guarajuba); é uma das boas pedidas para se hospedar pé-na-areia no litoral norte de Salvador sem ir à falência.

Praia da Barra, Itacimirim

Praia da Barra, Itacimirim

A praia é extensa e ganha nomes distintos em cada trecho. No canto esquerdo, na esquina com o rio Pojuca, está a Praia da Barra. Aparentemente inofensiva, é preciso ter cuidado com a correnteza.

A primeira praia de mar é a Praia das Ondas – o nome diz tudo. Não é amigável.

Praia do Porto, Itacimirim

Praia do Porto, Itacimirim

O primeiro trecho em que há proteção de recifes é o da Praia do Porto (à altura da Pousada da Espera), com bom banho mas poucos banhistas, devido à inexistência de barracas.

Meu preferido é o canto direito, de mar sempre calmo, conhecido como Praia da Espera, logo depois da Pousada Jambo. Ali, sob a sombra de amendoeiras, vê-se a longa curva da praia – e, à distância, o farol da Praia do Forte. Na maré baixa, o ponto em frente às barracas vira uma grande piscina; traga o snorkel e as crianças.

Praia de Itacimirim

Itacimirim

Deste ponto dá para ir caminhando pela direita, passando por frente das casas, até outro núcleo de barracas -- a praia de Itacimirim propriamente dita. É um ponto com ondulação moderada, e uma parte rasa que não oferece perigo a crianças. Dali avista-se o resort Vila Galé Marés, que está no meio da enseada.

Come-se nas barracas de praia ou nas pousadas (Jambo ou da Espera); estando de carro, vale almoçar no Manguezal, que fica à beira do rio Pojuca (volte à Estrada do Coco; a estradinha de acesso aparece 100 m antes do rio).

Quem se hospeda em Itacimirim janta ou na sua própria pousada, ou naquele que parece ser o único restaurante aberto à noite, o italiano Skipper, que numa encarnação passada funcionou na Praia do Forte (r. Principal, s/n, tel. 71/987-155-258).

A apenas 5 km para o norte, a Praia do Frote, funciona como footing e praça de alimentação noturna para quem está hospedado em Itacimirim.

Onde ficar: Itacimirim

Juntinho ao trecho protegido da praia da Espera, fique na Pousada Jambo, charmosa e superbem-estruturada.

Pé na areia em frente ao trecho protegido da praia do Porto, a Pousada da Espera costuma oferecer bons preços.

A Pousada Praia das Ondas fica no trecho com mar agitado, mas tem a área mais arejada e espaçosa entre as pousadas da vila. De lá dá para ir caminhando para a praia da Barra.

Como chegar: Itacimirim

Itacimirim está a 50 km do aeroporto de Salvador pela Estrada do Coco (inteiramente duplicados). A Praia do Forte está 5 km adiante.

Uma corrida de táxi especial do aeroporto de Salvador a Itacimirim está saindo R$ 283 pela tabela das cooperativas do aeroporto (Comtas e Coometas). Às vezes tem promoção no balcão. Um Uber deve sair entre R$ 130 e R$ 190 (mas não é garantido que consiga na hora em que precisar voltar). Dá para pegar um ônibus ou van que vá para a Praia do Forte (veja em Praia do Forte), descer na estrada e completar a viagem de mototáxi ou táxi.

Voltar | Topo

Praia do Forte

Praia do Forte

Praia do Portinho, Praia do Forte

Praia do Forte

É a sua praia: se você curte vilarejo de praia com toda a estrutura (e tartarugas!)

Não é a sua praia: se você veio em 1990 e acha que vai encontrar tudo igual

Vai por mim: Praia do Forte

Nenhuma outra -- repito: nenhuma outra -- praia próxima de uma grande capital soube administrar tão bem as pressões do crescimento quanto a Praia do Forte. O centrinho continua com aparência de vila de pescadores, sem luminosos nem aberrações, e nem mesmo trânsito -- os carros precisam parar em bolsões de estacionamento no entorno, e há um simpático sistema de tuk-tuks que funcionam como táxis. O novo bairro de predinhos à esquerda da vila tem gabarito controlado (os edifícios são mais baixos que os coqueiros) e arquitetura praiana e homogênea.

Na areia, a sujeira e a bagunça são combatidas com mão de ferro. Só os quiosques da praia do Portinho (que forem recentemente reposicionados e agora estão instalados perpendicularmente à praia) podem preparar comida. Nas piscinas naturais do Papa-Gente não se pode vender nem comida nem bebida.

O melhor trecho da praia está a quinze minutos de caminhada à direita do centro, em frente ao resort (que não atende passantes).

Praia do Portinho, Praia do Forte

Praia do Portinho, Praia do Forte

A praia do Portinho, junto à igreja, é gostosíssima de entrar -- se você não se incomodar com todas as embarcações que aproveitam o porto natural para ancorar.

Praia da Pedra do Chapéu

Praia da Pedra do Chapéu

A praia à esquerda do Tamar tem pedras; entre com cuidado, sobretudo na maré alta. O mais seguro é caminhar 10 minutos para a esquerda até o núcleo de barracas da praia da Pedra do Chapéu; ali há menos pedras. (Também é possível chegar a essa praia passando por dentro do condomínio Aldeia dos Pescadores, à esquerda -- norte -- do Projeto Tamar. É menos sacrificado do que ir pela areia.)

Na maré baixa, ande mais dez minutos à esquerda (20 minutos desde o farol do Tamar) até as piscinas naturais do Papa-Gente, que ficam rente à orla. Bicitáxis levam da entrada da vila ou do Tamar até as piscinas por R$ 30 (ida).

A estação do Projeto Tamar é a grande estrela da praia, com tanques que mostram tartarugas marinhas filhotes e adultas. O melhor momento para visitar é à tarde, quando há uma visita guiada às 15h30, seguida por uma sessão de alimentação de tartarugas às 16h e uma sessão de alimentação de arraias e tubarões às 16h30. Da entrada da vila ao Tamar dá 10 minutos de caminhada; bicitáxis fazem o percurso por R$ 20 (ida).

Projeto Tamar
  • Endereço: av. Farol Garcia d'Ávila, s/n, Praia do Forte - tel. (71) 3676-0321
  • Horário: diariamente 8h30-17h30
    • visitas guiadas: diariamente 9h, 11h, 14h e 15h30
    • alimentação de filhotes de tubarão: diariamente 11h30
    • alimentaçao de tubarões: diariamente 16h30
    • alimentação de tartarugas: 3ª, 5ª e sáb 16h
  • Ingressos:
    • inteira: R$ 26
    • estudantes, professores, 60+: R$ 13
    • até 5 anos: grátis
    • pacote família (casal + 2 crianças a partir de 6 anos): R$ 70
  • Site oficial

A rua principal da vila funciona como pista de footing e praça de alimentação. Já no primeiro trecho junto à entrada você encontrará os dois representantes mais importantes da cozinha local: o Souza Bar, de insuperáveis bolinhos de peixe (s/n, tel. 71/3676-1386), e o Sabor da Vila/Restaurante do Zequinha, cuja especialidade é um ensopado de peixe com banana e quiabo (nº 159, tel. 71/3676-1777). (No lado oposto da rua funciona filial da praia do botequim-balada Beach Stop, decorada com um carro vintage carregando pranchas de surf; tel. 71/3676-0771).

Salpicados ao longo da rua estão você vai encontrar restaurantes como o charmoso Café do Forte, que também tem uma casa na Bahia Marina em Salvador (nº 180, tel. 71/3676-1725), a enorme cantina Taverna Paradiso, sucesso de público há quase 20 anos (s/n, tel. 71/3676-1587), o japonês com ênfase em frutos do mar Jojo (nº 248, tel. 71/992-454-127) e as gulodices indispensáveis do Tango Café, parada segura para a sobremesa (s/n, tel. 71/3676-1637).

As melhores descobertas, no entanto, estão numa ruelinha à direita de quem vai em direção ao Tamar -- o Beco de Dona Nita, que não é afetado pelo vaivém entre a entrada da vila e a praia. Ali estão o Vinobar, que oferece uma ótima seleção de vinhos em taça, antipasti e pratos elegantes, como ravioli de pato com laranja e filé alto com linguine na manteiga (tel. 71/3128-1929), e o italiano autêntico Il Cantuccio, que serve massas artesanais (como os ótimos maltagliati com frutos do mar) e também abre para almoço (tel. 71/996-355-939).

(Por falar em almoço: se estiver à procura de um self-service, vá à Casa da Nati, tel. 71/3676-1239).

No último trecho do caminho ao Tamar estão a concorrida pizzaria 7 Pizzas, de forno a lenha (tel. 71/3676-0655), o Terra Brasil, que tem cardápio extenso mas é forte em risotos (nª 512, tel. 71/3676-1705), e o Donana, terceira casa de uma rede dedicada à culinária baiana (tel. 71/3676-0473).

Um aspecto interessante do centrinho de Praia do Forte é que o canteiro central da avenida ACM parece permanecer nas mãos dos nativos: ao longo da avenida você passará por bares que funcionam em quiosques e vendem cerveja 600 ml.

Onde ficar: Praia do Forte

Nova piscina do Tivoli Ecoresort

Nova piscina do Tivoli EcoResort

Quem se hospeda no Tivoli Eco Resort Praia do Forte, 2 km ao sul da vila, aproveita um dos mais elegantes resorts de praia do Brasil (sistema meia-pensão). Depois da compra pelo grupo tailandês Minor, os quartos foram reformados -- e um novo grupo de piscinas, dispostas em terraços voltados para o pôr do sol, já é o espaço mais disputado do hotel. A comida continua boa, mas está burocrática; quem esteve no hotel logo depois que os portugueses do Tivoli assumiram vai ter saudade daquela época.

Pé na areia, na vila, há apenas duas pousadas, ambas à esquerda (norte) do farol: a charmosa Farol das Tartarugas, que tem piscina e um gramado em frente à praia, e a Porto da Lua, que não tem piscina mas está totalmente pé na areia.

O miolinho à esquerda da vila é o principal pólo de hospedagem de Praia do Forte. Por ali estão os hotéis Via dos Corais (ótima piscina no meio do jardim) e Casa do Forte (um pouco overconstruído), e a pousada mais tchans, a Refúgio da Vila. Gosto muito da localização da Tatuapara, perto do mar e do centrinho, sem estar no bochincho. A Casa da Praia costuma ter bons preços.

À direita (sul) da vila, considere o hotel Porto Zarpa e a pousada Aloha Brasil. Escondidinho num beco ao lado da ruazinha principal, a pousada Vinobar tem quartos pequeninos mas bem-resolvidos; no térreo funciona um dos restaurantes mais interessantes da vila. O Praia do Forte Hostel dá de fundos para o comecinho da avenida ACM.

O complexo Iberostar fica 3 km ao norte da vila, num trecho de mar mais bravo (e praias desertas). Os hóspedes do Iberostar Praia do Forte, que é mais luxuoso, podem freqüentar as dependências do Iberostar Bahia (mas o contrário não é permitido). Ambos têm buffets imensos e variados e se destacam pela animação (incluindo shows noturnos à la Club Med); quem quer sossego tem à disposição uma piscina silenciosa em cada hotel.

Como chegar: Praia do Forte

A Praia do Forte está 55 km ao norte do aeroporto de Salvador, exatamente na emenda entre a Estrada do Coco e a Linha Verde. A estrada é toda duplicada. Chegando de carro, você vai precisar estacionar num dos bolsões autorizados. O estacionamento custa R$ 6 a hora de 2ª a 5ª (até um valor máximo de R$ 30), e R$ 8 a hora 6ª, sábado, domingo e feriado (até um valor máximo de R$ 40).

Uma corrida de táxi especial do aeroporto de Salvador à vila está saindo R$ 283 pela tabela das cooperativas do aeroporto (Comtas e Coometas); ao Iberostar, R$ 313. Às vezes tem promoção no balcão. Um Uber deve sair entre R$ 130 e R$ 190 (mas não é garantido que consiga na hora em que precisar voltar).

Existe uma linha de ônibus do Expresso Linha Verde entre a Rodoviária de Salvador e Praia do Forte que, teoricamente, entra no aeroporto duas ou três vezes ao dia. Mas é impossível confirmar essa informação com a cia. -- e, sinceramente, quando eu fiz esse trajeto, o ônibus já chegou ao aeroporto apinhado. A passagem custa R$ 13,20.

O mais eficiente transporte 'público' entre Salvador e Praia do Forte são as vans da Linha Branca, com ponto de saída da calçada do Shopping da Bahia (antigo Iguatemi). Saindo do aeroporto, pegue o metrô e salte na Rodoviária (23 min. desde o aeroporto). Atravesse a passarela para o Shopping da Bahia. Siga um pouco para a esquerda pela calçada, você já vai encontrar os fiscais da Linha Branca organizando a fila. Se vier da área central da cidade, pegue um Uber para o Shopping da Bahia (ou para a estação de metrô mais próxima, saltando na estação Rodoviária). A viagem leva 90 minutos e custa R$ 8 (tel. 71 3369-0379).

Para deslocamentos dentro da Praia do Forte, você pode usar tuk-tuks (R$ 20 da entrada da cidade ao resort Tivoli ou ao Tamar) ou bicitáxis (R$ 20 ao Tamar, R$ 30 às piscinas naturais do Papa-Gente).

Se você está sozinho e não quer cacifar um táxi ou trânsfer, nem encarar o transporte público, pode pegar um dos tours organizados à Praia do Forte oferecidos pelo nosso parceito TourOn. Você é buscado no seu hotel e pode pedir para levar sua mala.

Voltar | Topo

Imbassaí & Diogo

Imbassaí

Imbassaí

Imbassaí

É a sua praia: se você gosta de alternar rio com mar

Não é a sua praia: se você precisa de um centrinho para fazer footing à noite

Vai por mim: Imbassaí & Diogo

Imbassaí foi posta no mapa dos não-baianos com a construção da Linha Verde, no fim dos anos 90. A praia é singular: uma peninsulazinha de areia formada por um rio que corre paralelo ao mar até desembocar no canto direita. A paisagem original restaurada há pouco, com o deslocamento das barracas que ficavam à beira-rio, e agora estão agrupadas de frente para o mar, mas ainda pertinho do rio.

Apesar de crescido batante, Imbassaí não adquiriu feições de vilarejo; o "centrinho" se resume a duas quadras da Alameda das Amendoeiras (uma das duas entradas), e a um pólo de restaurantes simples e lojinhas no fim da rua. Talvez as coisas mudem, agora que um grande condomínio está em fase final de construção no lado direito da vila. Boa parte da beira-rio foi urbanizada, ganhando ciclovia e pista de corrida; as vias principais são calçadas com paralelpípedos e o mangue está preservado.

Se você entrar em Imbassaí pelo acesso da direita, chega à praia atravessando o riozinho, num trecho em que a água bate nas canelas (ou nas coxas, na maré alta). Entrando pelo acesso da esquerda, pode chegar à praia de dois jeitos: pelo caminho de pedestres ou pegando a jangada, que cobra R$ 2,50 para costear o riozinho até o ponto das barracas. No rio é possível alugar caiaque (R$ 10 uma pessoa, R$ 15 duas pessoas e R$ 20 três pessoas para meia hora na água) e stand up paddle (R$ 15 meia hora, R$ 30 uma hora).

A barraca de praia mais interessante não fica no bloco compacto junto ao rio; ande mais uns 200 metros e você encontrará a barraca Porto da Jangada, que fica num ponto sossegado da praia e tem ótimo serviço.

Se não almoçar na praia, deixe para pedir o vermelho assado na brasa com banana da terra do Zoião, no caminho da jangada (tel. 71/999-534-910) -- ou pegue a estrada para experimentar a concorridíssima moqueca do Sombra da Mangueira, na vila de Diogo (tel. 71/3667-3810).

À noite, o Jerimum Café tem boa comida, pizzas fininhas, ótimo astral e música ao vivo de boa qualidade, sábado sim, sábado não (al. das Amendoeiras, tel. 71/3677-1019). No restaurante da pousada Vilangelim você monta o prato com acompanhamentos à sua escolha (av. dos Angelins, tel. 71/3677-1144). O Guaya's tem moquecas elogiadas (al. das Amendoeiras, tel. 71/3677-1032). Um pouco mais abaixo na direção da praia, o quiosque Merenderia serve escondidinhos e outros quitutes até as 21h -- no fim de semana pode ir até mais tarde, com música de DJ (al. das Amendoeiras, tel. 71/999-850-386). Atrás do quiosque fica o Balalaika Pub, um bar com sinuca que é o que há de mais próximo a uma balada em Imbassaí... (al. das Amendoeiras, tel. 71/999-527-223).

A Praia do Forte, a 10 km, também serve como alternativa noturna para passear e comer.

Onde ficar: Imbassaí & Diogo

Minha pousada preferida é a ultracharmosa Vilangelim, que tem um piscina agradável e fresca, colada a um bambuzal (o restaurante também é ótimo). Os chalés são super-românticos; os ambientes sociais, de muito bom-gosto.

Uma boa novidade é o Imbassaí Breeze, um flat de dois andares com apartmentos superbem-montados e uma ótima piscina. À procura do melhor custo x benefício, considere a Terra Doce, que está pertinho da praia, e a originalíssima Casa Viola.

O resort all-inclusive Grand Palladium Imbassaí fica 2 km ao norte da vila e tem os apartamentos mais confortáveis da sua categoria; a beira-mar foi preservada, os hóspedes são levados à praia de carrinho elétrico.

Finalmente, à altura da praia de Santo Antônio (5 km ao norte da vila), mas a 15 minutos de caminhada da praia, está a vila do Diogo, ponto de peregrinação às moquecas do restaurante Sombra da Mangueira (que começou a prosperar na época da construção de Sauípe, quando virou point dos engenheiros). Por ali, uma pousada com ótimo astral alternativo é a Too Cool na Bahia; você pode ir à praia caminhando pela duna ou descendo o rio de caiaque.

Como chegar: Imbassaí & Diogo

Saia de Salvador pelo aeroporto, e em 65 km você chega a Imbassaí; a entrada fica 10 km adiante da Praia do Forte. (Estando de carro, você pode ir à Praia do Forte para almoçar ou passear à noite.) Diogo fica 5 km adiante, e tem entrada sinalizada.

Uma corrida de táxi especial do aeroporto de Salvador a Imbassaí está saindo R$ 308 pela tabela das cooperativas do aeroporto (Comtas e Coometas). Às vezes há promoção no balcão. Um Uber sai entre R$ 156 e R$ 224 (mas não é garantido que você consiga para voltar). Ônibus e vans à Praia do Forte (leia em Praia do Forte), deixam na estrada; é preciso completar a viagem de mototáxi ou táxi. Um táxi da Praia do Forte a Imbassaí sai R$ 60 por trecho.

Não existe ônibus que entre em Imbassaí: é preciso descer na estrada e seguir de mototáxi (R$ 4) ou ligar para a pousada vir buscar. Você pode pegar um ônibus na Rodoviária de Salvador que vá a Sibaúma ou Sítio do Conde e descer na entrada da cidade (R$ 14), ou pegar qualquer ônibus ou van que vá à Praia do Forte (veja em "Como chegar na Praia do Forte", acima) e lá pegar uma van que vá a Porto Sauípe; para descer na entrada de Imbassaí, você pagará R$ 4.

Uma corrida de táxi especial do aeroporto de Salvador à vila está saindo R$ 283 pela tabela das cooperativas do aeroporto (Comtas e Coometas); ao Iberostar, R$ 313. Às vezes tem promoção no balcão. Um Uber deve sair entre R$ 130 e R$ 190 (mas não é garantido que consiga na hora em que precisar voltar).

Voltar | Topo

Costa do Sauípe

Costa do Sauípe

Costa do Sauípe

Costa do Sauípe

É a sua praia: se você é fã de resort

Não é a sua praia: se você é alérgico a cidades cenográficas

Vai por mim: Costa do Sauípe

Acho o projeto de Sauípe -- veja bem: dentro do conceito "complexo de resorts" -- muito bem feito. A urbanização preservou toda a vegetação junto ao mar: dunas e lagoinhas que compõem uma paisagem mais bonita até do que a praia. Na falta de uma cidadezinha próxima, Sauípe construiu uma, a Vila Nova da Praia, com arquitetura com um pé no Pelourinho e outra no Quadrado de Trancoso.

Em 2017 a Costa do Sauípe foi comprada pelo mesmo grupo do Rio Quente Resorts, que agora se chama Aviva. O grupo tem investido bastante no quesito entretenimento -- o complexo ganhou um mini-parque de diversões, com roda gigante e vila assombrada. Um parque aquático está previsto para inaugurar em 2021.

Mas o segredo de gostar de Sauípe é não ficar só na piscina do hotel. Passeie pelo complexo, use a sede náutica e a Vila Nova da Praia.

Ah, sim: não vá a Sauípe pela praia. Tem água constantemente turva e pedras em vários trechos. É boa para caminhar na maré baixa. No mais, prefira as piscinas (98% dos hóspedes preferem).

Onde ficar: Costa do Sauípe

A hospedagem em todo o complexo agora é all-inclusive. Só o consumo nem bares e restaurantes na Vila Nova da Praia é cobrado.

O Sauípe Resorts abrange quatro dos resorts originais de Sauípe, que são ativados de acordo com a ocupação (não dá mais para escolher em que unidade se hospedar). Os hóspedes têm direito a usar todas as piscinas e restaurantes dessas quatro alas.

O quinto resort do complexo é o Sauípe Premium (Sofitel Suites, quando Sauípe inaugurou), que tem um serviço diferenciado, com bebidas melhores e garçons na piscina. Os hóspedes do Premium podem consumir em qualquer dos resorts do complexo, mas os hóspedes das outras alas não podem consumir no Premium. Os apartamentos continuam charmosos, mesmo 15 anos depois de inaugurados.

Uma boa novidade da nova gestão é que agora as Pousadas de Sauípe também funcionam em sistema all-inclusive. Os hóspedes podem consumir livremente num restaurante designado na ala dos resorts -- e podem freqüentar todas as piscinas do complexo. As pousadas estão na Vila Nova da Praia e são bem charmosinhas. (Vale lembrar que o consumo em bares e restaurantes na Vila Nova da Praia é pago à parte.)

Como chegar: Costa do Sauípe

Você sai do aeroporto de Salvador, pega a Estrada do Coco e a Linha Verde, e em 75 km (20 km adiante da Praia do Forte), chegou.

Uma corrida de táxi especial do aeroporto de Salvador à Costa do Sauípe está saindo R$ 363 pela tabela das cooperativas do aeroporto (Comtas e Coometas). Às vezes há promoção no balcão. Um Uber deve sair entre R$ 191 e R$ 272 (mas não é garantido que consiga na hora em que precisar voltar).

Voltar | Topo

Massarandupió

Massarandupió

Massarandupió

Massarandupió

É a sua praia: se você quer se bronzear ao natural

Não é a sua praia: se você faz questão de mar azul-azul

Vai por mim: Massarandupió

Única praia da Bahia onde é legal a prática do nudismo, Massarandupió está convenientemente escondida por dunas. A areia é dura e o mar um pouco turvo. Atrás das dunas há belas lagoas. A região demarcada para nudismo fica no canto direito da praia e tem serviço de bordo; só é permitida a entrada de casais ou mulheres; homens desacompanhados são barrados. O canto esquerdo da praia atrai freqüentadores convencionais e tem uma fileira de barracas.

Como chegar: Massarandupió

Indo pela Estrada do Coco e Linha Verde, a entrada para Massarandupió está bem sinalizada, 15 km depois de passar Sauípe (35 km de Praia do Forte). Da estrada até a praia são 12 km em estrada de chão. O vilarejo fica no meio do caminho entre a estrada e a praia.

Sítio do Conde

Sítio do Conde

Sítio do Conde

Sítio do Conde

É a sua praia: se você curte descobrir aquela pousada pé-na-areia com praias desertas por perto

Não é a sua praia: se você faz questão de mar azul-azul

Vai por mim: Sítio do Conde

A região tem dois aspectos interessantes: a baixíssima densidade demográfica, com quilômetros de praias intocadas, e a existência de uma estradinha de chão (às vezes areia) bastante próxima do mar, passando por dunas e lagoas (o trecho entre Sítio do Conde e Siribinha, ao norte). A praia da vila tem barracas e mesinhas.

Onde ficar: Sítio do Conde

A Alison do Hidden Pousadas Brazil recomenda o B&B Bela Bahia (acabei me desencontrando da dona e não consegui visitar). Há uma pousada bem-estruturada num trecho sossegado de Sítio do Conde, a Apoena.

Como chegar: Sítio do Conde

Sítio está 160 km ao norte do aeroporto de Salvador; basta seguir a Estrada do Coco e a Linha Verde e seguir a sinalização. Há várias outras estradinhas ao longo da Linha Verde que levam a outras localidades onde há pousadas.

Voltar | Topo

Mangue Seco

Mangue Seco

Mangue Seco

Mangue Seco

É a sua praia: se você é tiete de Tieta

Não é a sua praia: se você quer algo mais do que descansar

Vai por mim: Mangue Seco

A maioria dos visitantes vem para passar o dia; ao desembarcar na ponta da península, à beira-rio, contrata um bugueiro, que faz um microtour com (alguma) emoção pelas dunas até a praia  e depois volta para pegar o freguês na hora combinada. A verdade é que o bugue só é necessário para quem quer andar sobre a duna; a praia está a menos de quinze minutos de caminhada, pelo atalho que sai do final da beira-rio. O vilarejo é pacatíssimo e mantém um jeitão super-rústico, com casinhas baixas e igrejinhas (apenas duas pousadas do centrinho destoam um pouco do padrão vila-de-pescadores). O mar tem ondas intermitentes e pouca profundidade, como em Sergipe, e nem sempre está super-azul.

Onde ficar: Mangue Seco

A pousada de que gosto, já de outras passadas, é O Forte, que fica a meio caminho entre a vila e a praia.

Como chegar: Mangue Seco

É preciso pegar uma lancha na vila do Pontal, em Sergipe; você deixa seu carro no estacionamento e vai até o trapiche, de onde saem barcos lentos e lanchas rápidas. Desde a saída de Salvador (à altura do aeroporto) são 215 km, já totalmente asfaltados. Saindo de Aracaju, são 80 km, já usando as novas pontes da Linha Verde sergipana.

Se você não está de carro, pode chegar a Mangue Seco por passeios organizados saindo de Salvador, Praia do Forte, resorts do litoral norte e Aracaju. O bate-volta é OK se você sair do Litoral Norte ou de Aracaju; saindo de Salvador, a viagem é muito cansativa para voltar no mesmo dia. Mas se você está sem carro e quer ficar em Mangue Seco, pode aproveitar o passeio organizado como trânsfer, levando sua mala.

Voltar | Topo

Leia mais:

188 comentários

GUACIRA
GUACIRAPermalinkResponder

Olá! Queria saber se normalmente o mês de julho apesar de chover um pouco mais da para aproveitar alguns dias de sol e passeios na praia do forte.
Outra pergunta é se é seguro chegar em Salvador e ficar procurando transporte público para ir até a Praia do forte.
Gostei muito das dicas!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Guacira! Em julho ainda pode chover. Os ônibus para a praia do Forte saem da Rodoviária. As vans saem da rua lateral do Iguatemi.

Lucia
LuciaPermalinkResponder

Amei toda a descrição de sugestões
Muito bem escrito. Parabéns!

Maristela
MaristelaPermalinkResponder

Guacira somos UBER seja bem vindo a PRAIA DO FORTE a qualquer época do Ano linda praia espetáculo

DENIS DA SILVA RAMOS

A praia de Jauá Camaçari BA também faz parte do litoral norte e uma das mais belas praias que tem no litoral #ParaisoEsquecido

Jorge abade
Jorge abadePermalinkResponder

Sítio do conde lugar maravilhoso

Pablo Brito
Pablo BritoPermalinkResponder

Ainda no litoral norte tem a Barra do Itariri, local também bastante sossegado e ambiente gostoso. O acesso é saindo da linha verde pegando uma estrada de terra que tem identificação por placa.
Lá tem o encontro do rio com o mar. Na maré baixa da para atravessar o rio, pois formam bancos de areia (parecendo uma grande piscina) e da pra curtir a lindíssima paisagem com belos coqueirais pois não tem quase vestígio humano. Cuidado para o banho de mar pois tem pontos de ondas fortes. Lembrando de voltar antes da maré começar a encher, pois ela avança rio a dentro e em certos momentos geram correntezas.

Nanci
NanciPermalinkResponder

Gosto muito de caminhar pelas praias e minha ideia seria escolher alguns vilarejos como base e sair caminhando um dia para a direita, outro dia para a esquerda...
É tranquilo caminhar entre uma praia e outra? Por exemplo, entre Arembepe e a Barra do Jacuípe? Entre Praia do Forte e Itacimirim? Entre Sítio do Conde e Siribinha?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Nanci! Da Praia do Forte você pode caminhar a Itacimirim e também a Imbassaí. Mas tem a questão da segurança, os trechos são ermos, e se você estiver sozinha não vale a pena arriscar.

Mariana
MarianaPermalinkResponder

Eu acho uma pena que na praia do flamengo e stella não tenha mais barracas na areia ;Particularmente eu adoro aquela coisa de sentar na barraca e comprar "tudo" dos ambulantes baianos . Isso era o diferencial da Bahia . É a melhor culinária do nordeste . Era muito bom comer muqueca , acarajé, queijinho , cocada, amendoim , picolé e muito mais com pé na areia , pertinho da praia . Pode ser coisa de farofeiro mas é muito melhor do que ficar esperando o biscoito globo passar ...

Paola
PaolaPermalinkResponder

Ótimo Blog, adorei todos os detalhes me ajudou muito!

Adriana
AdrianaPermalinkResponder

Gostaria de saber qual são os meios mais fácil para chegar a Costa do Sauipe e quais são os meios de transporte ? na rodoviária tem ônibus para o Sauipe ?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Adriana! Não tem não. Você até pode pegar um ônibus para algum ponto mais ao norte (Baixio, Sítio do Conde) e parar na porta. Mas vai ter que chamar um táxi na portaria (são 4 km até os hotéis). O melhor é comprar o trânsfer vendido pelo complexo.

Jean
JeanPermalinkResponder

Na praia do forte, gostaria de saber qual hotel é mais indicado para criança, tivoli eco ou iberostar?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Jean! Ambos são excelentes e têm programas de recreação infantil. Tivoli é mais sofisticado e tem praia amigável para crianças. Iberostar tem animação mais animada e maior variedade de restaurantes; a praia tem onda e repuxo.

Kamilla
KamillaPermalinkResponder

Gostaria de saber se no complexo Sauipe Resorts tem táxi disponível para levar os hóspedes para outras localidades.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Kamilla! Haverá táxis no local, sim. Tem também uma agência de viagem com tours programados para vários pontos do litoral.

Victor Hugo
Victor HugoPermalinkResponder

Boia, ajude um viajante que não tem referência nenhuma de praia além daquelas entre Balneário Camboriu e Floripa: qdo o texto fala que na Praia das Ondas em Imbassaí tem (sorry!) ondas eu posso usar como referência, p ex, as ondas do Campeche?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Masterchef! Não sabemos se o tamanho das ondas é constante, mas o que diferencia esta praia das outras é que não é calminha/protegida. Eventualmente pode ter correnteza forte.

Victor Hugo
Victor HugoPermalinkResponder

Obrigado Bóia!

Neide
NeidePermalinkResponder

Desculpa,digitei errado...
Melhor praias do norte ou região de Morro para pessoas mais sedentárias e com idade em torno de 50/60.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Neide! Se você já estiver em Salvador e não se incomodar com a viagem de 2 horas no catamarã, Morro é um programa divertido e provavelmente você se hospedará bem perto da praia. Se você chegar no aeroporto e já quiser ir à praia, Praia do Forte é mais perto. Mas há pouca hospedagem à beira-mar.

Heloísa Ramos de Almeida

Olá tudo bem? Estou planejando ir para o Iberostar depois do dia 20 de agosto, no entanto estou com muitas dúvidas em relação a temperatura e chuvas, tenho uma bebê de um aninho e gostaria de ir para um lugar bem quente VC acha que praia do forte é uma opção? Estou em dúvida entre praia do forte, natal ou Maragogi? O que vc me recomenda? Obrigada!!!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Heloísa! No Nordeste só faz frio no ar condicionado. Leve agasalho para quando for com a bebê ao restaurante.

Leia sobre praias em agosto:
https://www.viajenaviagem.com/2016/03/praia-em-agosto-brasil-caribe/

Fabiano Barbosa Bonfim

Muito bom o site, as dicas, fotos...
Mesmo pra quem já conhece a região das praias da estrada do côco, vale a pena acompanhar as informações pelo site

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar