Brasileiros, os maiores gastadores em NY (do Abrindo o Bico)

Viaje na Viagem
por Viaje na Viagem

Woodbury Premium Outlet

Woodbury Premium Outlet

Nossa querida Marcie Grynblat Pellicano informa em edição extraordinária, direto do Abrindo o Bico:

Brasileiros Big Spenders

Para quem se interessa pelo assunto, o Abrindo o Bico reproduz aqui números divulgados recentemente pela prefeitura de Nova York:

Número de turistas em Nova York em 2012: 52 milhões.

Quantidade de doletas que deixaram por aqui: 55,3 bilhões.

Aumento do turismo brasileiro no período: 15%

Total de turistas brasileiros: 826.000

Os maiores consumidores: brasileiros, australianos e chineses.

Quer dizer, o Brasil varonil (e o "feminil", eu acrescentaria) continua gastando adoidado.

Tudo provado matematicamente. Mas nem precisava tanto cálculo, não é verdade? É só parar numa esquina da 5a. Avenida, ou na porta da Century 21, e ver os turistas que mais carregam sacolas. E depois ouvir a língua que eles falam… Brasiiiiilllllll.

O negócio é esse mesmo: aproveitar o bom momento. Afinal, nunca se sabe quanto vai durar. Toc, toc, toc...sim, sou eu batendo na madeira.

Leia mais:

24 comentários

val
valPermalinkResponder

Sempre cruzei com muitos ou melhor MUITOS brasileiros por lá, mas dessa vez, em Janeiro foi impressionante, muito mesmo!

Rosa Bsb
Rosa BsbPermalinkResponder

No crônica Tecla Sap, eu comentei:
Rosa Bsb
1 de março de 2013 às 16:59 | Permalink | Responder
O importante é a comunicação. Com um pouco (ou muito mesmo) de boa vontade, ninguém fica com fome, sede, deixa de visitar os lugares. E comprar então? Mais importante que a pronuncia é ter o dinheiro para pagar. E, pelo que o Governo anda divulgando, o brasileiro está gastando no exterior com vontade.
Meu comentário foi um pouco em função do que as pessoas comentam sobre a pronuncia dos brasileiros, pode parecer um pouco esnobe ou preconceituoso... ótimo se a pessoa sabe o idioma, mas se não souber, qual o problema? O importante é viajar e se divertir. E agora olha ai a confirmação do que disse.

Próxima Trip - Erika

Realmente a quantidade de brazucas comprando nos EUA é impressionante. Pude comprovar, em três viagens seguidas aos EUA ( NY, Orlando e Miami) que o pessoal quer mesmo aproveitar as pechinchas que encontramos nos outlets ( e mesmo fora deles), junta-se a isso dólar estável e preços absurdos no Brasil e temos isso aí!!!
Aliás, em novembro vou voltar aos EUA ( ai meus cartões de crédito rrsrsrs)

Abs!

Boas trips ( e boas compras) a todos!!!

Andrea
AndreaPermalinkResponder

Sim, estamos vivendo um bom momento em nossa economia, mas algumas pessoas compram exageradamente só porque está barato. Meu marido gosta de renovar o guarda-roupa nos EUA, mas eu faço compras no Brasil, então quando estou lá compro sim, mas em uma escala infinitamente maior que os brasileiros que vejo pela rua. Já viajei com amigos que chegam a se desesperar em outlets e acabam comprando por comprar. Uma amiga voltou de NY há um mês e já encomendou um relógio pra outra amiga que foi viajar em seguida e mais uns 5 ou 6 produtos pro marido que acabou de embarcar para uma viagem a trabalho. Será que a gente precisa tanto assim de coisas?

Ze Binsk
Ze BinskPermalinkResponder

O exagero que a Andrea falou é verdade. Eu mesmo sou um dos que traz mais do que precisa, principalmente enxoval de bebê nesse último ano. Muita coisa acaba ficando com pouco uso.
Às vezes sinto dó do meu próprio país por estar exportando consumo, mas por outro lado, penso que se todos que viajam para comprar estivessem gastando no Brasil, a pressão inflacionária aumentaria já que aumentaria a demanda.

O bom é pensar que comprando fora estou ajudando a não aumentar a demanda no Brasil e de certa maneira a não aumentar a inflação.

Mon
MonPermalinkResponder

Mas se no Brasil não tivesse esses preços absurdos, nós fariamos praticamente todas as compras por aqui e não ficaríamos desesperados ao chegar nos EUA. Ou seja, o consumo no exterior seria mais consciente, sem exageros, e a economia nacional ficaria mais movimentada.

--A.L.
--A.L.PermalinkResponder

Eu acho ok fazer viagens de compras. Até aí, nada demais. O que eu não entendo é o exagero nas compras, um comportamento meio estranho do tipo "tenho quase certeza de que não preciso, mas já que está barato, vou levar assim mesmo".

Maria
MariaPermalinkResponder

Para europeus, especialmente escandinavos, os Estados Unidos também são um país com coisas muito mais baratas do que em casa. E ninguém sai comprando enlouquecidamente.

Ana Paula
Ana PaulaPermalinkResponder

Eu tenho sentimentos mt mistos sobre esses dados. Por um lado acho bacana que a gente possa finalmente usufruir um pouquinho. As coisas por aqui sao realmente caras demais e 'e bom de vez em quando ter a possibilidade de adquirir "aquela bolsa" ou "aquele casaco de neve". Por outro lado acho um tanto bizarro quando escuto dizer que um brasileiro que nunca pisou em NY, prefere se despencar para um outlet la longe, perdendo um dia inteiro de viagem num shopping gigante, ao inves de conhecer as tantas atracoes bacanas que a cidade mais incrivel do planeta oferece. Acho ate um pouco triste...

André Alves
André AlvesPermalinkResponder

Concordo com vc Ana Paula, muitas pessoas que viajam para NY e demais lugares dos Estados Unidos infelizmente deixam de conhecer o que a cidade tem para oferecer e se dedicam exclusivamente a fazer compras... Pude comprovar isso também quando fui em Dezembro para os EUA e passei por diversos Lugares(Grand Canyon, Vegas, New York e Los Angeles) nos 22 dias que eu passei viajando, onde eu encontrava mais brasileiros era nos lugares onde se tinha alguma coisa pra vender! hehehe, a galera tem que aprender a "Juntar" compras com passeios, e aproveitar que estão numa cultura diferente para aprender coisas novas e conhecer novos lugares. Dizer que foi em NY daqui a uns dias pode significar que vc conhece todos os outlets e lojas da região!

--A.L.
--A.L.PermalinkResponder

André, eu concordo com você. A economia já é enorme e os USA são um lugar extremamente competitivo em preços. Dificilmente uma loja careira sem luxos sobrevive.

Eu chamo isso de síndrome da feira de souvernirs: a pessoa acha um produto com 80% de desconto em relação ao preço do Brasil em 1h, mas aí fica rodando mais 5 horas para ver ver se acha um produto com 82% de desconto. Me lembra aqueles que vão comprar souvenirs e ficam andando de stand em stand para ver se acham a mesma camisa fuleira por 50 cents a menos.

Mon
MonPermalinkResponder

Também acho um pouco triste.
E tenho mais dificuldade ainda em aceitar em viaja exclusivamente pra comprar coisas para os outros.

Sonia
SoniaPermalinkResponder

Acho que vale muito mais a pena bater perna conhecendo a cidade do que bater perna em Outlet. Quer aproveitar melhor? Mais fácil comprar pela internet e receber no hotel!wink

Flor
FlorPermalinkResponder

Eu percebo que tem muito brasileiro viajando para os EUA quando pego aviao para ir ao Brasil a negocios: os avioes estao todos lotados, compro passagens com cerca de 2 meses de antecedencia e so' pego assento no meio. Fico super contente que o poder de compra dos brasileiro estar no alto!

Mirella (@mikix10)

Será que NYC será a nova Florida (risos)... smile

Novo Prisma
Novo PrismaPermalinkResponder

Se está caro no Brasil, o jeito é comprar la fora :p

Imagine quando o visto for liberado? Ai sim vai ser uma enxurrada de brasileiros!

Renato M
Renato MPermalinkResponder

Infelizmente viajar virou sinônimo de comprar para a maioria dos brasileiros. Será que ninguem percebe que há coisas muito melhores para se fazer no exterior??

Pati
PatiPermalinkResponder

A cada ano tenho visto mais brasileiros por lá, no outlet em Vegas vi alguns carregando compras em malas de 32k, eu só compro o necessário e sem exagero. Se as coisas não fossem tão caras aqui, não precisaríamos comprar por lá, me recuso a comprar roupas no Brasil, somente poucas peças por ano.

JORGE PAULO
JORGE PAULOPermalinkResponder

So ha 2 coisas caras nos Estados Unidos:

1. O que voce nao vai usar. Pois vc comprou por impulso, ocupou lugar na mala e na cota e vc nao usa depois, é carissimo!! independente do valor pago.

2. O que voce deixou lá. Esse fica muito caro pois para voce ter a mesma oportunidade de estar na frente do obejto que vc gostou e usaria facil, facil vai custar uma nova viagem(para o emsmo local)!

Claro q depois da "onda " consumista o q vai valer e o planejamento de compras.

Beatriz
BeatrizPermalinkResponder

Tudo no nosso país é muito caro e a carga tributária é absurda. Esses são os motivos das pessoas comprarem. Valeria a pena pagar tão caro, se usufruíssemos de uma infra-estrutura, saúde e educação de qualidade. E matérias como essas que deixam a Receita cada vez mais agressiva nos aeroportos, revistando as malas como se fossemos criminosos.

Bichoturista
BichoturistaPermalinkResponder

O mais interessante é qua as autoridades brasileiras tem a completa noção dos números astronômicos e não fazem nada para que essa grana possa ser gasta aqui. Se o governo providenciasse a reforma tributária séria e adequasse a nossa absurda carga tributária, o custo Brasil seria honesto.
Nós queremos mesmo é que os brasileiros viagem muito, mas ao invés de carregar muita sacola lá fora, carreguem muito conhecimento e usem o que há de bom lá fora para mudar a realidade aqui dentro.
Vamos rodar o mundo pessoal!

Beatriz
BeatrizPermalinkResponder

Concordo plenamente.

Leonardo
LeonardoPermalinkResponder

Não seria Brasil Viragil? Afinal o femininode varão (varonil) é virago (Viragil). Estranho né? Nossa língua portuguesa ...

Cristina
CristinaPermalinkResponder

Uau. Periga a alfandega apertar o cerco na chegada ao Galeão para nos sobretaxar. Meus últimos vôos de Miami e NY sempre foram por uma conexão nessas cidades que não são focos de compras então nunca tive problemas. O fato é que até fora de Outlet, roupas femininas em lojas de grife perto da Times Square são mais baratas do que aqui. Nunca fui a outlet em NY (só em Miami e Paris) por que adoro a cidade, e sempre voltei com muita coisa, mesmo com o foco em turismo.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia offline! Vamos continuar aprovando comentários, mas a Bóia só volta a responder perguntas que forem feitas depois de 10 de abril de 2017. Obrigado pela compreensão.
Cancelar