Miniguia: Chapada Diamantina

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Chapada Diamantina

Morro do Camelo visto do Vale do Cercado, perto de Lençóis

Quem começa a estudar a Chapada Diamantina logo se dá conta de que... não vai dar conta. É difícil tirar férias longas o suficiente para acomodar tantas cachoeiras, grutas, poços, riozinhos, trekkings e cidadezinhas pitorescas numa viagem só.

Mas não se preocupe. Se a Chapada Diamantina for o seu número, você vai voltar outras vezes.

Numa primeira incursão, escolha a base que proporcione as experiências que mais se encaixam com o seu perfil, eventualmente complementando com um ou dois pernoites numa segunda base, num ponto oposto do parque.

Dispondo de uma semana (ou mais), você pode fazer um circuito com até três bases.

Se estiver de carro, é muito fácil rodar a Chapada Diamantina por conta própria; você só vai precisar aderir a grupos nas trilhas.

Sem carro, e querendo ticar todo o "best of" numa semana, o melhor é montar ou encaixar-se num dos pacotes "volta à Chapada" das agências de ecoturismo, como Venturas (que tem uma filial local), Freeway, Volta ao Parque, Nas Alturas, Fora da Trilha, Terra Chapada e Chapada Adventure. Assim você garante 100% de aproveitamento do seu tempo, sem perrengues logísticos.

Ainda não estive na parte mais ao sul da Chapada Diamantina (região de Rio de Contas), por isso não está contemplada neste post.

Pantanal de Marimbus

Pantanal de Marimbus

Quando ir à Chapada Diamantina?

Não existe época desaconselhável para a Chapada Diamantina. As chuvas de verão (novembro a janeiro) podem enlamear as trilhas, mas deixam as cachoeiras mais caudalosas. Entre março e maio, passadas as chuvas de verão, você vai encontrar a Chapada mais verde; e entre maio e setembro, dificilmente vai pegar alguma chuva. O meio do ano -- entre maio e setembro -- é também a época em que, nos dias claros, as grutas Azul, do Poço Azul e do Poço Encantado recebem a incidência de raios de sol que deixam suas águas azuladas.

LENÇÓIS | Chapada Diamantina sem esforço

LençóisRua da BadernaSerrano, Lençóis

Igreja do Senhor dos Passos | Rua da Baderna | Serrano

Capital turística da Chapada Diamantina, Lençóis é a base perfeita para quem quer ver muito e se cansar pouco. O layout é de cidadezinha histórica mineira, mas o astral é definitivamente baiano. Os 12 km que separam a vila da BR 242 garantem a tranqüilidade do lugar: Lençóis não é ponto de passagem. Todas as agências tem lojinhas próximas umas às outras, abertas até a hora do jantar, o que facilita se encaixar nos passeios para o dia seguinte. Nas férias a cidade costuma lotar; fora de temporada, tem a animação na medida certa (é mais animada no dia de chegada dos vôos e no dia seguinte, antes de parte dos recém-chegados sair para outras bases).

Passeios a partir de Lençóis

Vista do Morro do Pai Inácio

Vista do alto do Morro do Pai Inácio

O cartão-postal da região -- a vista do Morro do Pai Inácio, a 30 km pelo asfalto -- é o melhor programa para o dia da sua chegada, ao entardecer.

Estalagmites e estalagtites na gruta da Torrinha

Acredite se quiser: um Morro do Pai Inácio esculpido pela natureza na Gruta da Torrinha

Outros passeios, de meio dia ou dia inteiro, conduzem a um elenco superdiversificado de atrativos. A estrada em direção a Palmeiras leva a grutas (a mais impressionante -- e que requer mais esforço físico -- é a da Torrinha; a mais light, a Lapa Doce; a mais farofa, a da Pratinha, onde dá para fazer flutuação) e ao rio Mucugezinho, onde dá para tomar banho no Poço do Diabo e fazer tirolesa.

Na direção do aeroporto, uma estrada de terra leva a tesouros de inscrições rupestres (na Serra das Paridas) e à Cachoeira do Mosquito (1h de trilha para ir e outra para voltar).

Pegando a estrada para Mucugê visita-se os poços Azul e Encantado (é possível passar em Igatu antes de voltar).

Uma estradinha de terra leva ao povoado de Remanso, de onde você passeia de canoa pelo Pantanal de Marimbus até a cachoeira do Roncador.

Serra das ParidasSerra das Paridas

Serra das Paridas e suas inscrições rupestres

Saindo a pé do centrinho (sem guia), depois de dez minutos ao longo do córrego você chega ao Serrano, um ponto ótimo para tomar banho, em piscinas represadas nas pedras: é a prainha de Lençóis. De lá dá para continuar até o Salão de Areias Coloridas.

Há também trilhas que levam a cachoeiras nos arredores da cidade; basta sair com um guia. (Quem quiser ir ao Morro do Pai Inácio com esforço também pode: dá para ir caminhando, numa trilha total de 15 km.)

Entre os passeios mais famosos, a base em Lençóis prejudica a Cachoeira da Fumaça, no Vale do Capão (que deve ser iniciada o mais cedo possível no dia, para pegar sol menos forte) e meio que invabiliza a cachoeira do Buracão (que requer pernoite em Mucugê ou Igatu).

Onde ficar em Lençóis

Canto das Águas

Canto das ÁguasCanto das Águas

Canto das Águas

No quesito hospedagem, Lençóis tem dois endereços especialíssimos: o hotel Canto das Águas, dos meus amigos Catan e Yasmin, que combina charme rústico com conforto e serviço de hotel de luxo (em apartamentos de vários tamanhos, dos compactos até uma suíte de lua de mel, com Jacuzzi para casal), e a Estalagem do Alcino, uma autêntica pousada de autor.

Estalagem do Alcino

Estalagem do AlcinoEstalagem do Alcino

Estalagem do Alcino

Os dois lugares já põem você em modo slow. O Canto das Águas, por causa do som da correnteza do rio Lençóis (que passa ao lado), da piscina irresistível debruçada no rio e também do bem-montado spa. E a Estalagem do Alcino, pelo melhor café da manhã do Brasil, que torna impossível levantar da mesa antes das 9h30 ou 10h... Outras boas opções na cidade: o Hotel de Lençóis (com boa estrutura, na parte alta da cidade) e as pousadas Vila Serrano e Casa da Geléia.

Onde comer em Lençóis

Os Artistas da MassaTaquitos & BurritosCozinha Aberta

Gnocchi n'Os Artistas da Massa | Vista do Taquitos | Pad thai no Cozinha Aberta

Lençóis é também o vilarejo da Chapada Diamantina que melhor trata você à mesa. O padrão é alto, tipo Paraty ou Tiradentes. Restaurantes como Azul (no Canto das Águas) e Cozinha Aberta servem cozinha contemporânea (e ainda revisitam receitas regionais com leveza). A Rua da Baderna funciona como um corredor gastronômico; os grandes destaques são dois restaurantes de chefs italianos, Os Artistas da Massa e a Pizzaria da Gente (onde você come no balcão, com a mão). Na transversal Rua das Pedras, a Fazendinha & Tal tem uma grande coleção de cachaças curtidas (a batida de coco é de fazer um estoque e levar pra casa) e serve um elogiado filé alto (para duas pessoas) quando encomendado com 24 horas. Fora do miolinho, o Absolutu serve boas massas num ambiente chamoso. À beira-rio, o mexicano Burritos y Taquitos Santa Fé não desaponta a gringaiada. Se estiver na cidade na hora do almoço, faça como todo mundo e aproveite o bom quilo d'O Bode.

Complementando Lençóis

Se quiser ir à Cachoeira da Fumaça, é mais cômodo programar um pernoite no Vale do Capão (você pode passar pelas grutas de Torrinha e Pratinha na ida). Para ir à Cachoeira do Buracão, programe dois pernoites em Mucugê ou Igatu (dá para rentabilizar os trajetos fazendo o Pantanal de Marimbus na ida e os poços Encantado e Azul na volta).

Como chegar a Lençóis

A Azul voa às quintas e domingos a Lençóis, a partir de Belo Horizonte (2h de vôo) ou de Salvador (1h de vôo), em turboélices ATR 72. Passsageiros vindos de São Paulo ou Rio têm conexões mais convenientes via BH. O aeroporto de Lençóis está a 20 km da cidade; táxis cobram R$ 60 pelo traslado.

De Salvador dá pouco mais de 400 km. A Real Expresso faz o trajeto em 7 horas (há ônibus noturno nas duas direções).

De Salvador a Lençóis

De Salvador a Lençóis, via Ipirá

De carro desde Salvador, o melhor caminho é via Ipirá. Saia pela BR 324 (totalmente duplicada) até o entroncamento com a BR 116, imediatamente antes de Feira de Santana. Logo depois de pegar a BR 116 na direção sul, fique atento para a saída para a BA 052, que vai a Ipirá.

Saída para Ipirá

Entre na BR 116, mas fique ligado na saída para a BA 052 a Ipirá

Em Ipirá, saia para a BA 488, que vai a Itaberaba. Em Itaberaba você pega a BR 242 à direita (oeste). Este caminho permite que você evite o trânsito pesado de caminhões tanto da BR 116 quanto de boa parte da BR 242 (por onde escoa a safra do Centro Oeste em direção ao Nordeste).

A cidade de Seabra, a 70 km, é o local de baldeação para quem vem de ônibus de Brasília (pela Real Expresso, 15 horas de viagem) e São Paulo (pela Emtram, 40 horas de viagem). De Seabra siga a Lençóis pela Real Expresso.

Bancos em Lençóis

Há uma agência do Banco do Brasil e um correspondente bancário do Bradesco. (O Banco 24 Horas e o Itaú mais próximos estão em Itaberaba, a 130 km pela BR 242.) Os estabelecimentos que não aceitam cartão costumam aceitar cheques.

VALE DO PATI | Chapada Diamantina para andarilhos

Vale do Pati

Vai encarar?

Se Lençóis permite que a Chapada Diamantina seja aproveitada até por sedentários convictos, o Vale do Pati é o playground de quem quer desbravar o coração da Chapada com as próprias pernas. A recompensa são panoramas que só quem se embrenha pelos confins do parque poderá registrar.

Antes de se tornar parque, o vale foi uma região cafeeira e posteriormente serviu como pasto para gado durante a estação seca. As trilhas percorridas pelos visitantes são os caminhos assentados pelos moradores ao longo de um século.

O que faz o trekking no Pati uma experiência única é a mistura de paisagens estonteantes (encostas recobertas por mata atlântica em todas as direções; riozinhos e cachoeiras a granel) com a cultura do lugar. Você se hospeda nas casas dos patizeiros e experimenta a deliciosa e farta cozinha da roça nas três refeições.

Um guia -- muitas vezes, nativo -- acompanhará você durante todo o percurso. As agências de ecoturismo (listadas no início do post) e as pousadas têm os contatos e as referências -- e resolvem toda a logística (trânsfers e eventuais passeios combinados pré e pós-trekking, como a Cachoeira da Fumaça e os poços Azul e Encantado).

Os roteiros mais completos levam 5 dias; começam no Capão (70 km de Lençóis) e terminam em Andaraí (120 km de Lençóis). Há roteiros menos puxados, de 3 ou 4 dias, com volta por Guiné (80 km de Lençóis), evitando assim a subida final da Ladeira do Império (um trecho da Estrada Real) até Andaraí. A cachoeira do Funil, o mirante do Cachoeirão (o mais impressionante da Chapada Diamantina) e a subida (bastante puxada) ao Morro do Castelo costumam estar presentes em todos os roteiros.

Alternativas ao trekking ao Vale do Pati

Para quem não tem tempo para (ou acha que não vai curtir) o trekking completo, mas quer ao menos ter uma visão do Vale, a pedida é fazer a caminhada Capão-Guiné, de sete horas, que leva até um mirante belíssimo (quem sabe você se anima para descer na próxima vez...).

Campos GeraisMirante Rampa do Pati

Caminhada de Guiné ao Mirante da Rampa do Pati

Como eu estava de carro, a Venturas me sugeriu (e organizou) uma caminhada mais enxuta, de quatro horas, de Guiné ao (deslumbrante) Mirante da Rampa do Pati; eu vim de Mucugê (minha base anterior, 45 km de terra), estacionei em Guiné (onde me reuni ao guia), fiz a caminhada (com uma subida puxada, de 50 minutos), voltei ao carro e segui ao Capão (38 km de terra), minha base seguinte.

Quem se dispuser a caminhar o dia inteiro (o percurso ida e volta pode levar 10 horas) pode fazer, com guia, a caminhada de Guiné ao Cachoeirão.

Onde ficar em Guiné

Querendo começar (ou terminar) o trekking no vilarejo de Guiné, ou ainda pernoitar para fazer a caminhada simplificada até a Rampa do Mirante do Pati ou a caminhada ao Cachoeirão, fale com o Edinho (email aqui, tel. 75/3338-7013), que tem uma pousada novinha no único casarão histórico da vila.

VALE DO CAPÃO | Chapada zuzobem

Vale do Capão

Vila do Capão

O nome oficial do distrito é Caeté-Açu -- mas todo mundo conhece como Vale do Capão (ou simplesmente Capão). É o único dos destinos da Chapada Diamantina que não tem status de vilarejo histórico. A vila consiste praticamente de uma rua e uma praça. As pousadas, porém, se espalham num raio de 10 km, antes e depois do centrinho. O barato aqui está no contato mais próximo possível com a natureza; por isso tantas pousadas estão no meio do mato ou em pontos com vistas privilegiadas para as montanhas. É, sem dúvida, o enclave mais ripongo da Chapada (Lençóis, na comparação, fica totalmente coxinha).

O celular não pega, mas há bom wi-fi na região (a lanhouse da praça é um dos points da vila; você pode comprar tempo e usar nas redondezas a qualquer hora: o roteador fica ligado mesmo quando a lanhouse está fechada).

Em julho acontece o bem-organizado Festival de Jazz do Capão; as datas são confirmadas sempre em meados do primeiro semestre.

Passeios a partir do Vale do Capão

FumaçaRiachinho

Mirante da Cachoeira da Fumaça | Riachinho

As agências do centrinho anunciam no quadro negro os trekkings que vão sair nos dias seguintes -- caminhadas que levam à Cachoeira da Fumaça (uma das atrações top da Chapada, 5 horas de caminhada), ao Poço da Angélica e à Cachoeira da Purificação, ao Poço do Gavião e à Cachoeira do Rio Preto. O Morro do Pai Inácio também é acessível por trilha (18 km).

A prainha do Capão é o Riachinho, a 5 km na direção de Palmeiras. Você pode tomar sol nas pedras, aproveitar a cachoeira e a piscina naturalmente represada.

O Vale do Capão é também o ponto de partida para o trekking do Vale do Pati (veja acima). Quem quer só ter um gostinho (e a vista do Vale) pode se encaixar numa caminhada do Capão a Guiné (são 7 horas de trilha).

Na cidade, fique atento à programação do Circo-Escola do Capão, que tem uma tenda na estradinha do centro para a Vila do Bomba.

Onde ficar no Vale do Capão

No centrinho, a Pé no Mato está próxima aos restaurantes e à praça (a espartana O Tatu Feliz é a alternativa central mais econômica). A Vila Esperança está a menos de 10 minutos de caminhada (com uma subidinha).

Pousada do CapãoLagoa das Cores

Pousada do Capão | Villa Lagoa das Cores

A menos de 10 minutos de carro na direção da mata, a Pousada do Capão combina proximidade na natureza com uma vista belíssima para as montanhas; um riozinho corre nos fundos do terreno, servindo de piscina. As acomodações vão do básico (os compactos apartamentos "standard") ao luxuoso (chalés espaçosos para até 4 pessoas), com várias opções intermediárias de bom custo x benefício. Mais embrenhada na mata, a Pousada Candombá tem quartos privativos e coletivos e está bem localizada para iniciar caminhadas. Quem busca uma pousada fofa-romântica-careta vai gostar da Villa Lagoa das Cores, 3 km antes da cidade. A vista é linda; há uma boa piscina e um pequeno spa.

Onde comer no Vale do Capão

Pizzaria Capão GrandePizzaria Capão Grande

Pizzaria Capão Grande

Ninguém sai do Capão sem ir ao menos uma vez à Pizzaria Capão Grande, que não tem placa na porta (fica na lateral da igreja) e serve apenas duas pizzas, de massa integral: uma salgada (vegetariana, com queijo e legumes) e outra doce (de banana), que devem ser acompanhadas pela deliciosa pimenta curtida no mel (feita lá mesmo). Eu comi superbem também em outro restaurante natureba, a Vovó Lina (no início da estradinha para a vila do Bomba), tocado por um casal superjovem de argentinos (comida baratíssima, com pratos novos diariamente). Na praça, o Raio da Lua é de uma italiana que prepara massas ótimas (e vegetarianas); recomendo o spaghetti integral ao pesto. Ainda no centrinho, a Dona Beli serve comida caseira regional (experimente o godó de banana, um ensopado de carne com banana verde). Para jantar com requintes urbanos, reserve o Arômata, na Villa Lagoa das Cores, o Candeia, na Pousada do Capão, ou a Casa das Fadas, que tem linda vista do salão e da varanda.

Como chegar ao Vale do Capão

O Vale do Capão está a 70 km de Lençóis -- e a 74 km do aeroporto. A corrida de táxi é negociada; os taxistas costumam pedir R$ 2 por km (ou R$ 150).

Os ônibus da Rápido Federal/Real Expresso que vão a Lençóis seguem até Palmeiras, a 18 km do Capão. Lá há vans que fazem o trajeto ao Vale do Capão, coordenado com a chegada dos ônibus. Você também pode contratar esse trânsfer com a sua pousada.

Vindo de carro de Salvador (450 km), siga as instruções dadas mais acima, no capítulo Lençóis, para vir por Ipirá.

Quem quiser vir de ônibus de Brasília (Real Expresso) ou São Paulo (Emtram) deve comprar passagem até Seabra (39 km de Palmeiras) e seguir de ônibus local a Palmeiras e então van.

Bancos no Vale do Capão

Não há agências no Vale do Capão, mas agora há um mercadinho na vila que permite saques do Bradesco. A agência copleta mais próxima é a do Bradesco de Palmeiras. Seabra (57 km) tem Bradesco, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal. Itaberaba (183 km) tem agência Itaú. Os estabelecimentos que não aceitam cartão normalmente aceitam cheques.

IGATU | Chapada descolex

IgatuIgatu

Igatu

Xique-Xique de Igatu é o vilarejo perdido da Chapada Diamantina. Um caminho de pedras, resquício do tramo da Estrada Real que ligava a Chapada Diamantina a Ouro Preto, leva à mais fotogênica das cidadezinhas do circuito -- e a única que está dentro dos limites do parque nacional. Seus muros e casas de pedras (algumas restauradas, outras em ruínas) lhe renderam o apelido "Machu Picchu da Chapada" -- mas eu juro que achei alguns ângulos muito parecidos com cidades de pedra da Provence, como Gordes...

Galeria Arte & MemóriaIgatu

Galeria Arte & Café

Há um largo, uma praça e então uma subida que leva às ruínas das casas dos garimpeiros. A vila termina na Galeria Arte & Memória (R$ 2), um museu a céu aberto que exibe artefatos e imagens da época da mineração. De lá você pode descer até a singela Igreja de São Benedito, de onde basta seguir reto para voltar ao centrinho.

IgatuIgatuIgatu

Igatu

Fora de temporada Igatu é bem paradinha. Em janeiro, julho e no Carnaval, porém, é um ímã de descolados.

Passeios a partir de Igatu

Poço AzulPoço Encantado

Poço Encantado | Poço Azul

A cidadezinha é uma boa base para ir, de carro, aos poços Encantado (30 km; R$ 15; chegue antes das 11h) e Azul (40 km de Igatu, 25 km do Poço Encantado; R$ 20; chegue entre 12h30 e 15h).  Mucugê, com seu Museu do Garimpo e seu Cemitério Bizantino, está a 22 km. A sede do município, Andaraí, tem um bonito centro histórico (e a ótima sorveteria Apollo), a 15 km.

AndaraíAndaraíAndaraí

Andaraí

Igatu é um bom ponto final para um passeio de canoa pelo Pantanal de Marimbus. Saindo de Lençóis você é deixado no povoado de Remanso, a 18 km, onde começa a travessia em canoa, com dois canoeiros, por uma área alagada com rica vegetação. Depois de duas horas de passeio você é buscado num ponto a 5 km de Andaraí (20 km de Igatu). O passeio também pode continuar até a Cachoeira do Roncador.

A cachoeira mais gostosa da Chapada, o Buracão (leia mais no tópico de Mucugê), está a 110 km (últimos 28 km, de terra).

A pé, chega-se à Rampa do Caim (belo mirante para o Vale do Pati, 2 horas de caminhada/ida), às cachoeiras do Córrego do Meio (20 minutos/ida), Califórnia (1 hora/ida), e ao circuito 3 Barras-Biquinho-Cristais (2 horas e meia/ida).

O Garimpo do Brejo, uma mina de diamantes desativada, aberta a visitação, está colada à cidade (R$ 5).

Onde ficar em Igatu

Pedras de IgatuArt Cristal

Pedras de Igatu | Art Cristal

A pousada mais bem estruturada é a Pedras de Igatu -- mas fora das férias, só abre quando há grupos. Bem na praça central, o Art Hotel Cristal de Igatu tem um simpático bar-pizzaria anexo. A Hospedagem Flor de Açucena , na entrada da cidade, é mais integrada à natureza.

Andaraí, a 15 km, também tem pousadas, como a Sincorá e o Hostel Donanna (que tem quartos coletivos e privativos, com banheiro compartilhado) e a Pousada Andaraí.

Onde comer em Igatu

Xique XiqueÁgua BoaGodó

Carne acebolada no Xique-Xique | Água Boa do Neo e seu godó

Você encontra ótima comida regional no Restaurante do Neo/Água Boa e também no Xique-Xique. A pousada Cristal de Igatu tem chope e pizza. Os bares da praça têm boas cachaças curtidas.

Como chegar em Igatu

Igatu está a 100 km do aeroporto de Lençóis; os taxistas costumam cobrar R$ 2 por km, o que daria R$ 200. Desde o centrinho de Lençóis, são 120 km.

A Águia Branca faz a rota de ônibus de Salvador até Andaraí (15 km), num trajeto de 7 horas.

Vindo de carro de Salvador, são 460 km; o melhor caminho é via Ipirá (veja no tópico Lençóis).

Bancos em Igatu

Os bancos mais próximos são o Bradesco em Andaraí (25 km) e o Banco do Brasil em Mucugê (22 km).

Mucugê | Chapada do sossego

Mucugê

Mucugê

Na ponta sul do circuito básico da volta ao parque, Mucugê é uma cidade de três ruas que se mantém preservada graças ao fato da estrada passar por fora, contornando a vila.

Cemitério Bizantino

Aqui fica a atração mais insólita da Chapada, o curioso Cemitério Bizantino (nome oficial: Cemitério Santa Isabel), construído durante o ciclo do diamante, que parece uma cidade miniatura só de igrejinhas.

Passeios a partir de Mucugê

CachoeirãoCachoeirão

Buracão

Mucugê é a melhor base para ir à Cachoeira do Buracão, a 98 km. O asfalto vai até a cidade de Ibicoara (70 km); lá, é preciso contratar um guia da associação local (R$ 50 para uma pessoa, R$ 70 para duas, R$ 90 para três) e rodar mais 28 km em estrada de chão. O ingresso custa R$ 3. Você caminha uma hora até chegar a um poço, onde precisa vestir colete salva-vidas. Então começa a parte mágica do passeio: flutuar por um desfiladeiro inundado, que desemboca numa cachoeira de 90 metros de queda. Na minha opinião, é o passeio mais bonito e emocionante da Chapada; não deixe de fazer.

Museu do GarimpoMuseu do Garimpo

Museu Vivo do Garimpo

5 km antes de chegar em Mucugê (vindo de Andaraí/Igatu), o Museu Vivo do Garimpo funciona como uma aula sobre o ciclo do diamante na Chapada.

O vilarejo sui-generis de Igatu está a 25 km.

Dá para rentabilizar o caminho desde/para Lençóis visitando os poços Encantado (38 km; R$ 15; chegue antes das 11h) e Azul (60 km de Mucugê, 25 km do Poço Encantado; R$ 20; vá entre 12h30 e 15h).

Há várias trilhas a cachoeiras para escolher. A mais procurada é a Três Barras e Cristais (2h30/ida). Trilhas mais fáceis levam às cachoeiras dos Funis (5 km), Sibéria (5 km) e Tiburtino (menos de 2 km). Há pontos de banho no Rio Paraguaçu aonde se chega de carro ou a pé.

Mucugê também pode ser o ponto de saída para trilhas de um dia pelo Vale do Pati a partir de Guiné. Eu fui de carro até Guiné (45 km de terra), onde me juntei ao guia e fiz a caminhada até o Mirante da Rampa do Pati (4 horas para ir e voltar). De lá continuei ao Vale do Capão (38 km de terra).

Onde ficar em Mucugê

Monte AzulRefúgio da Serra

Monte Azul | Refúgio da Serra

De frente para o Cemitério Bizantino, a pousada Monte Azul tem quartos aconchegantes e uma eficiência germânica no serviço. O café da manhã é delicioso.

Perto da igreja, a Refúgio da Serra chalés caprichados dispostos em torno de um bem-cuidado jardim; o restaurante é o melhor da cidade.

Caso as duas estejam lotadas, considere a Pousada Mucugê, que tem quartos bastante básicos e a única piscina do centrinho.

Onde comer em Mucugê

CascalhoPizzaria da Gente

Cascalho | Pizzaria da Garagem

O restaurante Cascalho, na pousada Refúgio da Serra, tem cardápio cosmopolita. A boa Pizzaria da Garagem (fora de temporada, aberta de sexta a domingo) tem pizzas de massa fina para comer com a mão. Para experimentar comida regional, almoce na Dona Nena. O Point da Chapada serve pizzas na pracinha do agito local. O Sabor & Arte tem buffet por peso no almoço e no jantar. Compre doces na Vovó Ilza e mate saudade de café expresso no Piriquita Café.

Como chegar em Mucugê

Mucugê está a 125 km do aeroporto de Lençóis; os taxistas costumam cobrar R$ 2 por km, o que daria R$ 250. Desde o centrinho de Lençóis, são 145 km.

A Águia Branca faz a rota de ônibus de Salvador até Mucugê, num trajeto de 8 horas.

Vindo de carro de Salvador, são 475 km; o melhor caminho é via Ipirá (veja no tópico Lençóis).

Além da BR 142, que liga Mucugê à BR 242 pelo lado leste do parque nacional, há também uma outra estrada, que sobe pelo lado oeste até Palmeiras. Esta estrada é de terra mas é transitável por carro comum na época seca (abril a setembro). São 70 km até Palmeiras (passando por Guiné, 45 km); de lá pode-se continuar ao Vale do Capão (mais 18 km).

Bancos em Mucugê

Mucugê tem uma agência do Banco do Brasil.

Morro do Camelo

Morro do Camelo, entre Lençóis e Palmeiras

E você? Que dicas e impressões tem para compartilhar da Chapada Diamantina?

Conta pra gente na caixa de comentários! Obrigado!

A viagem à Chapada Diamantina contou com apoio local do Hotel Canto das Águas, da Venturas, da Estalagem Alcino, da Pousada Monte Azul e da Pousada do Capão.

Leia mais:


216 comentários

Atenção: os comentários estão encerrados.

Cris Barros
Cris BarrosPermalink

É sempre emocionante ler algo sobre a Chapada Diamantina, que fui uma vez no início dos anos 90 e já voltei sete vezes e sempre fica a promessa de voltar. Por mais que eu veja que maioria dos lugares e atrações já visitei, algumas por mais de uma vez é sempre mágico, emocionante e revigorante. Sem dúvida o meu lugar eleito para recarregar as energias! Parabéns pelo artigo rico em detalhes.

Claudia Calvet
Claudia CalvetPermalink

Quando eu fui há 10 anos atrás, fiquei só em Lençois, a fiz todos os passeios emblemáticos da chapada incluindo cachoeira da fumaça, os dois poços (azul e encantado), e até mesmo a cachoeira do buracão! Essa última foi guerreirice pura, 5h de carro pra ir e 5h pra voltar, mas era isso ou não ir, e pra mim valeu muito a pena pq foi realmente um dos melhores passeios da chapada! A fumaça estava seca, só vimos um molhadinho depois de 2h de subida encarando sol de meio dia na cabeça. Com certeza melhor combinar com pernoites em lugares mais próximos... Mas naquela época eu ainda estava aprendendo a viajar, a onde procurar informações e planejar, hoje não sei se aguentaria o tranco, mas me diverti muito, e tudo valeu a pena!

Rui
RuiPermalink

Oi, eu um um amigo meu vamos fazer mochilão pelo nordeste e queremos gastar cerca de 1 semana na Chapada Diamantina. Já li muita coisa, mas temos um grande questão neste momento que é: nós não temos carro. Qual a melhor maneira de aproveitar essa semana lá sem veículo próprio? falando com agencias que já têm carro+guia para nos acompanhar nesses dias ou outra sugestão melhor?

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Rui! Encaixando-se em passeios organizados. É como a maioria faz.

Andrea Nocchi
Andrea NocchiPermalink

Eu segui, em 2013, passo a passo, as dicas da Chapada e só fiz a vigem por causa do post do Ricardo! Foi a primeira vez que fiz a viagem só por causa de post do Ricardo, embora sempre use as dicas em todas as minhas viagens. O que tenho pra falar: maravilhoso! Mágico! Inesquecível! Façam! Fui de carro desde Salvador.

trekking chapada
trekking chapadaPermalink

Acho que as pedras immensas fazem a chapada diamantina um lugar tao especial. Nao tem canyons iguais assim

aqui tem bastante informaçao : www.diamantinahike.wordpress.com
mas é ingles

fabricio
fabricioPermalink

Ola,parabéns pelo site..... achei muito bem organizado seu relato dentre tantos que ando lendo....Vou com a família de carro: minha mulher e duas crianças (9 e 4 anos) passar 10 dias na chapada. Como vou chegar após a virada do ano, dia 2, e como sei que vai estar cheio em Lençóis estou pensando em ficar em Iguatu depois Vale do Capão e aí sim Lençóis. Ficando de 2 a 3 dias em cada. O que você acha? Tem alguma sugestão? /obrigado

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Fabricio! Nessa semana todas as localidades estarão cheias. Mas a Chapada nunca lota de maneira desagradável. Apenas trate de chegar com tudo reservado.

Denis Reis
Denis ReisPermalink

Boa Tarde
Estou indo fazer a trilha de Andaraí para o Capão. Vi nesse post que o celular não pega na vila do capão, mas há wi-fi na região. Voce disse que mesmo se a lan house estiver fechada o roteador fica ligado, mas pra acessar tem senha ou a rede é aberta?
Desde já muito obrigado, parabéns pela página!!!

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Denis! Como explicado no post acima, você pode comprar tempo e usar mesmo quando a lan house estiver fechada. wink

Denis Reis
Denis ReisPermalink

Ok. Pelo horário que pretendo chegar lá(14 hs), provavelmente deverá estar aberta. É porque não vou ficar por lá, só de passagem. Ai queria acessar só pra dar noticias ao pessoal de casa e continuar minha jornada.

Rogério
RogérioPermalink

Olá Ricardo, queria umas dicas, saio de São Paulo de moto e devo chegar na Chapada em 16/03 permanecendo até 28/03, devo reservar 3 bases? quais vc me aconselha? Parabéns pelo trabalho.

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Rogério! Quem responde é A Bóia. Lençóis, Igatu ou Mucugê e Capão são três boas bases para passeios diferentes, como está claro no texto.

Marcel
MarcelPermalink

Estou pensando em passará 7 dias na Chapada após o Carnaval. Vou sozinho e Pesquisei e vi que tem muitos passeios e cidades para ficar e fiquei perdido.
Alguém pode me passar dicas ou sugestões do melhor roteiro a fazer?
Tipo qual cidade ficar, passeios, tremonha etc..

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Marcel! Este post descreve as principais cidades e os principais passeios. Escolha os passeios que mais lhe agradam e divida seu roteiro entre as cidades que melhor servem de base para a sua seleção.

Ana carla
Ana carlaPermalink

Olá!
Quero ir em abril com meu filho que terá 2 anos e 11 meses.
É viável fazer os passeios com uma criança tão pequena?
Obrigada,

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Ana Carla! Normalmente, ecoturismo e criança pequena são difíceis de conciliar. Os passeios que dá para fazer com criança são aos balneários, como Pratinha e Mucugezinho. Dá também para ir ao Roncador, de carro.

Elizabete Alves de Oliveira

Olá! Irei pela primeira vez à Chapada, ficarei num hostel em Lençóis que já me informou os preços dos passeios , em trono de 120,00 a 150,00 sem pernoite, com guias autorizados e há passeios por volta de 70,00 a 100,00 . É de fato necessário fazer os passeios com guias, ou há outra possibilidade para economizar e gastar de outras formas? No site é comentado que locais para comer, têm padrão "europeu", há propostas mais em conta?
Agradeço

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Elizabete! A Chapada é um destino padrão Chapada.

Brunno
BrunnoPermalink

Olá Ricardo, estou indo para a Chapada no próximo domingo 18/01. Vou chegar de carro em Lençóis no domingo à tarde. Estava pensando em ficar duas noites em Lençois e depois fazer a volta na chapada pernoitando duas noites no Vale do Capão e duas noites em Mucugê, incluindo o passeio da cachoeira do Buracão. Minha dúvida é se dar para fazer esse percurso de carro comum, baixo, ou tem que ser em 4x4. Minha preocupação é o trecho Capão - Mucugê que a estrada não é asfaltada. Outra opção é deixar o carro em Lençóis e contratar uma agência.

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Brunno! Quem responde é A Bóia. O Ricardo Freire fez Mucugê-Guiné-Capão num Fiat Uno.

Carolina Morimoto
Carolina MorimotoPermalink

Olá, fui à Chapada mês passado e coloquei meu relato num blog, bem completinho para ajudar os outros viajantes, segue o link:
http://awaywthebirds.blogspot.com.br/

samia
samiaPermalink

Eu li o relato e achei as dicas muito boas! Parabéns!

Alexsandro Ribeiro
Alexsandro RibeiroPermalink

Já fui na chapada 2x estou programando ir na semana do carnaval/2015, alguém sabe me dizer se consigo hotel/pousada fácil em lençóis e mucuge ? Sem reservar? Pois vou de carro de Joao Pessoa -pb e não sei o dia exato que estarei na chapada, parabéns pelo site, muitas informações importantes e úteis.

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Alexsandro! Por favor não duplique perguntas em posts diferentes. Reserve a sua pousada mesmo que você não chegue a tempo de usar a primeira noite. É um preço pequeno a pagar perto do mico que é perder seu feriado procurando hotel ou se conformando com a xepa.

Alexsandro Ribeiro
Alexsandro RibeiroPermalink

Desculpe pela duplicidade de perguntas, é porque eu não sabia que tem 2 posts da chapada e quando procurei resposta da minha pergunta no post não a encontrei sequer a pergunta e por isso fiz a pergunta novamente, agradeço a resposta, Qual hotel intermediario você indica em um preço rasoavel? fiquei no hotel tradição as 2x que fui, e lá está para vender e as instalações não estão bem conservadas, aguardo.

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Alexsandro! Aqui neste post mesmo temos dicas de hospedagem de acordo com qual cidade você escolher como base para a viagem.

Ana Maria
Ana MariaPermalink

Oi Alexandro, sou de Itaberaba e vou sempre para a chapada tenho pessoas conhecidas dono de pousadas , qual cidade vc prefere ficar para que eu possa te ajudar?

Alexsandro
AlexsandroPermalink

Oi Ana, como havia falado já fui 2x na chapada, mas dessa vez estou indo com mais 2 casais que nunca foram lá e então estou pensando em fazer o seguinte: 1° dia previsão de chegada a tarde, poderemos ver o morro de pai inacio, 2º dia- como eles não podem fazer passeios dificeis poderemos ir para as cachoeiras mais proximas de lençóis..sossego...não sei se daria para conciliar com a Pratinha, e no 3° dia quero fazer um que eu nunca fiz e que todos falam que é espetacular, a cachoeira do Buracão(não sei se será possivel) . Mas estou planejando está na chapada de 15 a 18/02 e já mandei vários e-mails para pousadas de lençóis e todas estão reservadas...estou tentando ainda...não sei se vai dá para ir...iremos em dois carros e a pousada tem de ter onde guardá-los, nas vezes que fui fiquei no Hotel tradição, parece que lá ainda tem vaga, mas estão falando muito mal de lá...o que você me sugere?

SAMANTA
SAMANTAPermalink

gente, quem ja foi em lencois, me orienta, como podemos fazer passeio sem carro, para os poços...quais alternativas para quem não tem carro?

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Samanta! Dê um rolê à noite pelo centro e veja quem tem passeios nos dias seguintes.

Robson Eustáquio de Mesquita

Muito bom entrar aqui ... Aprendi demais e vou aproveitar! ... Robson Eustáquio de Mesquita

Ilana
IlanaPermalink

Olá!
Você tem o contato do guia com quem fez a caminhada ao mirante do Pati?
Grata!

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Ilana! O contato do Edinho está em "onde ficar em Guiné".

Nara
NaraPermalink

Olá ! Estou indo em julho à Chapada com minha filha, exatamente no inicio do mês de julho. Você acha que seria necessário reservar hotel ou pousada ? Ou encontramos hospedagem com facilidade neste período ? Grata pela resposta !

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Nara! Julho é mês de férias e mesmo se não fosse, não recomendamos deixar para decidir onde ficar na hora; você perde um precioso tempo da viagem, e não garante os melhores preços e a melhor localização. O melhor é deixar tudo reservado antes de ir.

Eda
EdaPermalink

Olá Bóia, li todos os posts mas não encontrei essa resposta especificamente. Seremos em três pessoas e passaremos 7 dias na Chapada (sem carro). Nós preferimos fazer nosso próprio roteiro ao invés de juntar-nos a grupos, vc saberia dizer se é possível (ou recomendável) fechar guia privado? Estamos pensando em fazer 3 áreas, Lençóis, Vale do Capão e mais uma que ainda tenho que pesquisar mais e escolher hehe
Grata!

Iara
IaraPermalink

Eda
para as trilhas de Lençóis vcs irão precisar de guias sim, na própria cidade vcs conseguem; no Capão dá pra se virar sem guia numa boa, a não ser que queiram uma trilha mais longa como Vale do Paty. Sugestão pense em incluir Mucugê como terceira opção de cidade.
Boa viagem, a região é maravilhosa!!!

Eda
EdaPermalink

Vc reparou que não tenho muita intimidade na esfera do blog ainda né? Devia ter clicado em 'responder' ao seu post mas abri dois novos posts, eu aprendo hehe

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Eda! Você pode rodar com o seu carro. Os guias são necessários para as trilhas.

Carolina Silva
Carolina SilvaPermalink

Eda, na parte do Vale do Capão e lençóis tem umas dicas de trilha que dá pra fazer sem guia. Em lençóis, o Ribeirão do Meio e a Cachoeira do Sossego dá pra você ir apé da cidade. Em Vale do Capão dá pra fazer a Fumaça, e o Riachinho, se você gostar de caminhar. Senão, dá pra pegar um mototaxi também. Mas o melhor mesmo seria alugar um carro, sai bem mais barato que pagar agências para levar vocês...
http://awaywthebirds.blogspot.com.br/2015_01_01_archive.html

Eda
EdaPermalink

Muito obrigada pela rápida resposta e informações super úteis, Bóia! smile

Eu passei essa madrugada pesquisando a terceira opção de cidade e havia escolhido Mucugê, sua sugestão veio confirmar a minha escolha, perfeito! Não vamos fazer nenhuma caminhada muito longa então sua orientação de não usar guia no Capão foi super válida também.
Um abraço e obrigada mais uma vez!

Eda
EdaPermalink

Opa eu pensei que fosse a Bóia que havia respondido, desculpe Iara e muito obrigada por achar um tempinho pra responder minhas indagacoes smile

Antonio
AntonioPermalink

Sou de Lisboa (Portugal smile ) e penso ir com minha mulher e outro casal amigo a Chapada, com partida de carro de Salvador. Quantas horas são até Lençóis? Uma estada de 5 dias da para fazer um périplo simpático? Desculpem a pergunta, mas e seguro viajar na Chapada? Obrigado.

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Antonio! É seguro. Com 5 dias faz-se o básico, com 7 pouca coisa fica de fora.

Rose Morena de Marcos
Rose Morena de MarcosPermalink

Passamos 2 dias em Ibicoara, ficamos na pousado do Rico, ainda na divulgada pela internet, lugar lindo e aconchegante, fica localizado entre a cachoeira: Vel de noiva e Buracão, precinho bem camarada, com direito ao café da manha e almoço, ficamos encantados com o atendimento, bastante aconchegante, a sim o telefone do Rico é (77)91963530, mas só vão conseguir falar com ele, nas segunda-feiras. Recomendo, tudo muito encantador.

MARIA DA CONCEIÇÃO DOS SANTOS

Uma informação: alguns trechos da BR 116, altura de Feira de Santana, até o acesso da BR 242, na localidade de Paraguaçu, já está duplicado e liberado, agilizando o fluxo, já que se trata de via de tráfego intenso de caminhões com carga. Estou em Lençóis desde o dia 11FEV e vim de carro, saindo de Lauro de Freitas pela BR 324, pegando a BR 116 em Feira de Santana, acessando a BR 242 até chegar a BA 144. Mas atenção: o acesso para a BR 242, município de Rafael Jambeiro, não é sinalizado: há uma placa indicando sentido Rio de Janeiro e outra indicando sentido Brasília, esta correspondendo a BR 242. A vantagem é que, por este percurso, são 414km e 5h de viagem, em contrapartida aos 441km e 5:36h pela BA 052, a rodovia do Feijão.

Vanessa Rocha Oliveira
Vanessa Rocha OliveiraPermalink

Quem for à Ibicoara conhecer a cachoeira do Buracão, não percam a oportunidade de conhecer também o Espaço Gourmet Fazenda Produtiva (perguntem pelo restaurante ou fazenda de Ana e Sonderman).
Excelente atendimento, comida deliciosa e um ótimo preço!!!
https://www.facebook.com/pages/Espa%C3%A7o-Gourmet-Fazenda-Produtiva/158518957634502?pnref=lhc

carla
carlaPermalink

estou planejando minha viagem para a chapada agora em março. ficarei 7 dias lá, e estou pensando em ficar 3 dias no vale do capão primeiro, 2 dias em ibicoara e mais 2 dias em lençóis. pelo texto vc indica ficar em mucuge, gostaria de saber se não é melhor ficar em ibicoara para conhecer a cachoeira do buracão? pelo q eu entendi é mais próximo...e gostaria de saber se meu roteiro ta bom ou vc mudaria alguma coisa? obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Carla! Ibicoara é mais perto do Buracão, sim. Mucugê é uma cidade mais simpática, só isso.

carla
carlaPermalink

oi! eu to tentando montar um roteiro mas to meio perdida..rs. como vc fala no inicio do texto, qd vc começa a pesquisar sobre a chapada ve q não vai dar conta!!!rss
bom, eu tenho 9 dias no total da viagem, sendo q um pra ir e um pra voltar(total na chapada de 7).
3 dias no vale do capão(fumaça, angélica e purificação, riachinho)
2 dias em ibicoara(buracão e fumacinha)
2 dias em lençóis(ribeirão do meio e sossego, mosquito e diabo)
as minhas duvidas são:
da para encaixar pratinha, poco azul e encantado, morro do pai inacio e cachoeira encantada nesse roteiro?
da pra fazer diabo e mosquito no mesmo dia?
teria como eu otimizar esse meu roteiro pra eu conseguir conhecer tds esses pontos?
obrigada pela ajuda!!!

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Carla! Por favor, não duplique perguntas em posts diferentes. Já respondemos onde você perguntou primeiro:

https://www.viajenaviagem.com/destino/chapada-diamantina/comment-page-1/#comment-466723

carla
carlaPermalink

se vc prestar atenção na pergunta o roteiro mudou e as perguntas são diferentes... e a resposta q vc me deu na primeira pergunta tb não ajudou mt. não tem problema, vou procurar alguém q queira ajudar...obrigada!!!!

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Carla! Entendi! Você monta um roteiro, faz uma pergunta. Antes que respondam, muda o roteiro, posta em outro post, sem ter o cuidado de voltar no post anterior para avisar que aquele roteiro não estava mais válido. Realmente você deixa as coisas bem fáceis para que as pessoas tenham a maior vontade de ajudar você! Boa sorte!

Guilherme
GuilhermePermalink

Ainda bem que o VnV mudou as regras de respostas, Boia!
Tem gente que quer usar sua expertise para lhes tratarem como agentes de turismo para montarem roteiros customizados gratuitamente...

Thiago Castro
Thiago CastroPermalink

Faltou educação e bom senso, para falar o mínimo. Contrata um agente de viagens, para pelo serviço e aí vai poder exigir quantas respostas quiser. Fala sério!

Aline
AlinePermalink

A cachoeira do Buracão, pra mim, é o melhor lugar de todos! Deslumbrante!!! Fui a Chapada em janeiro e estava muito quente, a vantagem é que nos trekkings, sempre tem uma cachoeira no meio do caminho. smile Fui muito bem atendida pela agência Nas Alturas.

Mauricio Penha
Mauricio PenhaPermalink

Em 2013 estive lá, mas cancelaram o grupo para trilha do Pati.
http://goo.gl/vtTFM7

Jacksiani Erat
Jacksiani EratPermalink

Oi,

Fiquei com uma dúvida...
Quer dizer que se você visitar o Poço Encantado e o Poço Azul fora da época indicada ("O meio do ano -- entre maio e setembro -- é também a época em que, nos dias claros, as grutas Azul, do Poço Azul e do Poço Encantado recebem a incidência de raios de sol que deixam suas águas azuladas.") o feixe de luz que entra no local não é azulado?

Agradeço desde já a atenção,

Jackie

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Jacksiani! Não entra facho de luz fora desses meses. Apenas claridade.

Thiago Castro
Thiago CastroPermalink

Jacksiani, eu estive no Poço Encantado em fevereiro. Realmente o ideal é ir quando os raios solares incidem na água, mas não deixe de ir por conta disso. Mesmo com "apenas" a claridade, o lugar é fantástico e não fica nada escuro (mas não pode estar nublado, óbvio). Vale a pena!

Leandro Godinho
Leandro GodinhoPermalink

Olá. Vou à Chapada em julho. Como alugarei carro em Salvador, eu gostaria de saber se é fundamental pegar pousadas com estacionamento ou se é razoavelmente fácil estacionar nas cidades. Vamos passar por Lençóis, Vale do Capão, Igatu e Mucugê. Grande abraço, Godinho.

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Leandro! O estacionamento é muito tranqüilo.

Leandro Godinho
Leandro GodinhoPermalink

Obrigado, barateou bastante saber disso! Grande abraço.

LUCIANA MENDES
LUCIANA MENDESPermalink

Olá! Estou planejando Lençóis e Igatu como bases para minha viagem. Estarei de carro. Tenho 3 perguntas:
-No site você coloca que ficar em Lençois dificulta a ida para a Cachoeira da Fumaça. Mesmo indo de carro e saindo de Lençois de manhã?
-É possível sair de Igatu de manhã para a Cachoeira do Buracão e voltar no mesmo dia?
-gostaria de saber quais passeios são tranquilos de fazer sem guia.

Muito obrigada!

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Luciana! É só usar o bom senso. Saindo de carro de Lençóis, você vai pegar a trilha da Fumaça com sol alto. Buracão pode ser feito, mas é puxado, está no texto. Os poços, Igatu, Lapinha, Mucugezinho podem ser feitos sem guia nem grupo.

Fernanda Gomide
Fernanda GomidePermalink

Para a Cachoeira do Buracão escolhi ficar em Ibicoara, na Pousada Flor de Lótus, atendimento excelente, estrutura simples mas muito aconchegante. A proprietária Conceição é uma simpatia além de muito prestativa, providenciou o guia que nos levou até a Cachoeira e ao chegarmos do passeio havia um jantar preparado a nossa espera. Em Igatu fiquei no Hotel Art Cristal que fica na Praça do vilarejo e recomendo a Pizzaria da Maura, mais pela boa conversa com a proprietária que é uma pessoa de uma iluminada.

Carol
CarolPermalink

Luciana, de Lençóis até o início da trilha para a Cachoeira da Fumaça demora umas 2 horas de carro, porque a estrada é ruim, principalmente depois de Palmeiras. O melhor mesmo é dormir em Vale do Capão ou Palmeiras. E de Igatu para Ibicoara (Buracão) demora umas 2 horas também, porque a estrada que sai de Igatu é bem ruinzinha também até chegar no asfalto... O melhor é você se programar para dormir perto das atrações que quer conhecer, porque as distâncias na Chapada são longas, dá uma olhada no Blog, fiz um relato de todos estes pontos lá: www.awaywthebirds.blogspot.com.br

Monica Telecki Sobolewski

Para quem for de carro nao descarte dormir em Palmeiras ( http://www.hostelcaminhosdachapada.com/) ou Andarai (http://www.sincora.com.br/) ou Ibicoara (http://casadarocac.wix.com/ibicoara) todas surpreendentes pela limpeza e receptividade. Quanto ao guia para fazer o mirante do Vale do Pati, em Guine , procurem pelo Itamar, que tb trabalha na loja Rose confecções e calcados..... a quem tem celular Vivo, esquece ... nenhum lugar da acesso..boa viagem

Deborah Teixeira
Deborah TeixeiraPermalink

É tanta imagem linda, que sem dúvidas nas férias que irei passar em Salvador esse ano, a Chapada Diamantina estará no meu roteiro.

Evandro Leal de Andrade

Olá Ricardo, fico feliz em contar com você, eu e minha esposa, ficamos pesquisando tudo, mas você é dez, gostamos muito de suas explicações e olha que já fui por três vezes a Chapada, mas com sua ajuda estou ficando esperto e por sua explicações, o próximo passeio será pelo Morro do Chapéu, Palmeiras e Ibicoara.
Obrigado, foi divertido, você é um professor ótimo, abraços.

Evandro Leal de Andrade

Estarei ai na chapada com minha família em 2016, gostei muito dos seus roteiros.

Paulo Oliveira
Paulo OliveiraPermalink

Parabéns pela EXCELENTE matéria, muito completa e bem redigida.
Estou indo com minha mulher para Mucugê e faremos a trilha para a cachoeira do Buracão e talvez uma visita ao Marimbus. O trecho de estrada de terra de Ibicoara até o começo da trilha está muito ruim? Carros normais passam ou apenas 4X4?
Grato e parabéns

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Paulo! Para ter acesso ao Buracão você precisará contratar um guia local em Ibicoara. Na cidade saberão informar sobre a condição da estrada. Normalmente carros comuns passam.

Natalia Braga
Natalia BragaPermalink

Parabéns pelo post e pelo blog eu já sou fã de carteirinha do Ricardo Freire no Band News FM, e estou admirada tbm com os demais que escrevem o blog!
Tenho uma pergunta Simples, vou pra Chapada sozinha e como sugerido no post vou aderir os passeios das Agências de ecoturismo, minha unica pergunta : "É tranquilo contratar o serviço lá no mesmo dia, ou o ideal é contratar antecipado?"

Obrigada =D

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Natália! Indo sem pacote, na maioria das vezes você só vai conseguir saídas confirmadas na véspera do passeio.

Thais
ThaisPermalink

Fomos eu e meu marido para a Chapada Diamantina e gostaria de compartilhar aqui nossas experiências, já que fomos tão ajudados pelo VNV! Chegamos primeiro em Lençois e ficamos na Estalagem do Alcino. Lugar maravilhoso, com café da manhã que realmente impressiona, simplesmente o melhor que já tomamos em viagens! Fizemos a trilha para cachoeira do Sossego com volta por RIbeirao do meio, Mosquito, gruta Torrinha, Poço do Diabo e Pai Inácio. Amamos todos, somente o Poço do Diabo que achamos meio sem graça. Depois fomos pro Vale do Capão e fizemos trilha para Cachoeira da fumaça e Águas claras. As duas foram ótimas, pena que no dia de águas claras choveu e fez frio... Aliás, que for pra esta região em junho e julho é bom levar blusa porque lá faz frio mesmo! Depois fomos pra Mucugê e fizemos cachoeira do Buracão, poços Azul, encantado e visitamos Igatú. Gente, independente da programação, façam de tudo para ir até o Buracão, é o lugar mais impressionante da Chapada!! Em Mucugê ficamos na pousada Monte Azul e fomos muito bem atendidos. n{os alugamos carro em Salvador e por isso tivemos muita autonomia, contudo, a estrada é muito ruim, muitos caminhões e buracos... foi bem cansativa, acho que seria melhor alugar um carro em Lençois mesmo. Boa viagem pra quem decidir visitar este lugar maravilhoso!!

Arthur Eloi
Arthur EloiPermalink

Uma palavra de cautela que pode salvar sua viagem.

Passei uma péssima experiência com a empresa Fora da Trilha, CNPJ 07.375.110/0001-87, razão social HENRIQUE CORREA LIMA - ME, de Lençóis - Bahia. Uma viagem que era para ser agradável se tornou um pesadelo. Eu e minha noiva passaríamos pela chapada diamantina pelo período de 8 a 17 de maio de 2015. No entanto, acabamos retornando no dia 9 e explicarei a seguir o que aconteceu.

Eu havia combinado com bastante antecedência com a Sra. Nayara Dantas Dultra, representante da empresa Fora da Trilha, que faríamos os passeios no período citado acima. O passeio completo cobriria guias, trilhas, hospedagem e alimentação. Para que fosse fechado o acordo, foi exigido de mim sinal de 50% do valor total na conta da Sra. Nayara. Este sinal ficou no valor de R$ 2.340,00, sendo que o saldo seria quitado ao final da programação.

Pois bem, com tudo acordado, chegou o dia da viagem e, ao chegarmos em lençóis, após um pernoite pago por minha conta (chegamos no dia 8 e os passeios começariam a partir do dia 9), acordamos no dia 9 para o passeio que começaria às 8:30. Achamos estranho que o horário marcado se aproximava e até então nenhum contato da parte da empresa. Eu que tive que ligar para cobrar a presença do guia para nos conduzir. Bastante atrasado, o guia sequer sabia o nosso nome, ou seja, deu-se a impressão que ele foi colocado naquela situação em cima da hora.

Fizemos o passeio do primeiro dia e reparamos situações muito estranhas: A sede física da Fora da Trilha estava fechada. Além disso, o nosso guia, além de péssimo e extremamente mal educado, não portava o crachá que o daria direito de guiar ecoturistas por lençóis e chapada diamantina. Todos os outros guias que vimos nas trilhas portavam este crachá. Para fechar com chave de ouro quando parávamos em cachoeiras ou piscinas naturais, o guia fugia para algum canto para fumar maconha ao invés de ficar de olho em nós. Enfim, péssima experiência.

Ao chegarmos na pousada, ao final do dia, por volta das 19, encontramos a Sra. Nayara, que nos confrontou na presença do guia e exigiu o restante do pagamento (mais R$ 2.340,00) em dinheiro ou depósito em conta corrente. Pego de surpresa, informei que não tinha este dinheiro no momento e que ao menos teria que ir até o banco para verificar meu saldo em conta. Ela respondeu que ao menos 10% eu teria que pagar naquela hora para cobrir a despesa do guia. Como não tinha nada na hora, disse que primeiro eu tomaria um banho para depois resolver estas questões com eles. Pois bem, a Sra. Nayara me informou que a partir daquele momento ela não cuidaria mais do meu passeio e que ela havia passado esta responsabilidade ao dono da Fora da Trilha, o Sr. Henrique Gironha, que estaria a par do restante do meu itinerário. Assim ela partiu, avisando-me que eu deveria passar no banco para efetuar o restante do pagamento a ela mais tarde, ainda naquele dia.

Foi grande meu espanto ao telefonar para o Sr. Henrique e ouvir dele que ele não sabia do meu passeio e nem do meu itinerário e que ele não estava em Lençóis, sendo que estava em outra cidade atendendo dois clientes mas voltaria para Lençóis ainda naquele dia. Após momentos de indignação e muito xingar a Sra. Nayara, o Sr. Henrique avisou-me que havia arrendado a Fora da Trilha para a Sra. Nayara e neste período ela já havia lesado outros clientes. Inclusive o funcionário desta última pousada disse que eu era o quinto cliente que ela havia levado lá sem pagar pelas diária. Assim, pervebi que fui vítima de estelionato e que naquele momento a Sra. Nayara deveria estar bem longe de lençóis, na estrada.

O Sr. Henrique no momento se solidarizou com nossa sitiuação e se colocou à disposição para fazer outro passeio ainda naquela semana e quando eu neguei, pois não foi por aquilo que eu havia pagado, prontamente se dispôs a fazer o reembolso do que eu já havia pago. Nós não queríamos mais permanecer por lá, inclusive por medo quanto à nossa integridade física.

Assim, desacorçoado, saí com minha noiva daquela pousada para procurar algum lugar para jantar. Foi colocarmos o pé na rua que o guia nos abordou. Perguntou se já tinhamos ido ao banco para pagá-lo. Ficamos com muito medo e dissemos que ainda não e que estávamos a caminho. Receoso de que algo pudesse acontecer, falei para minha noiva ficar dentro da pousada enquanto eu ia resolver as coisas. Fui para a delegacia registrar um Boletim de Ocorrência e, logo após, fui à rodoviária para remarcar nosso retorno para Salvador para o quanto antes.

De volta na pousada, o recepcionista disse que não era a primeira vez que ela dava este tipo de golpe e que tinha visto ela indo embora, dentro de uma van em que estava escrito “Salvador”. Ou seja, ela já estava longe de Lençóis naquele momento. Foi assim que Nayara, representante da empresa Fora da Trilha, passou para trás a pousada, o guia e eu.

De volta em São Paulo, entrei em contato diversas vezes com o Sr. Henrique Gironha, ocasiões em que ele se demonstrou solício e prestativo, inclusive sempre me garatindo que faria o ressarcimento dos valores que paguei. No entanto, muito embora eu tenha acreditado em sua boa fé inicialmente, o discurso não se traduziu em atitudes concretas e ele nem entrou em contato comigo posteriormente. Ou seja, me senti enrolado novamente.

Devo avisar os eventuais turistas que Fora da Trilha e Chapada Roots, empresas capitaneadas pelo Sr. Henrique Gironha, são empresas que desrespeitam e não estam nem aí para o cliente, além de serem coniventes com as atitudes criminosas e irresponsáveis de seus funcionários. Cuidado!!

Samia
SamiaPermalink

Obrigada, Arthur. Estamos indo a Chapada em setembro e os nomes já estão anotados para não termos problemas.

Leandro Godinho
Leandro GodinhoPermalink

Oi, Ricardo. Só para atualizar: um mercadinho no centrinho do Vale do Capão agora faz saques do Bradesco. Grande abraço.

A Bóia
A BóiaPermalink

Obrigada, Leandro! Acabei de atualizar grin

Elizabete
ElizabetePermalink

Estive recentemente a Mucugê para participar da Corrida do CTG - Corrida e Trilha Gantuá, aconteceu alguns episódios que percebi total despreparo das pessoas envolvidas. A Pousada Refúgio da Serra, para mim não tem idoneidade, o dono apesar de aparentar uma pessoa zen, espiritualizada é mentiroso, faz um marketing on line que não é verdadeiro, o que ele vende através de telefone ou on line não condiz com o real. Nos vendeu um pacote de 3 diárias para uma casa próxima a Pousada, (por não haver mais disponibilidade na referida pousada) que na verdade não era uma casa e sim um pardieiro em ruinas. Tivemos dificuldade de contactá-lo para relsovermos a situação, fomos para outra Pousada e ainda brigando para ser ressarcida.
Sugiro:
- não contratar nada antes de chegar lá, exceto Pousada.
- tem agora um lugar bom para café e almoço " Café Preto" apesar de eu ter solicitado informações pelo contato que eles passaram "Instragan" e não responderam.
- para almoço muito bom de comidinhas locais "Capim Rosa Chá" fica em frente ao Café Preto.
- massas para o jantar tem um que infelizmente não memorizei o nome, é estilo o "Espoleto".

Patricia Garcia
Patricia GarciaPermalink

Olá
Recém tivemos a ideia de passar as nossas férias de final de ano na Chapada entre os dias 20 e 27/12 (casal e 2 filhotes aventureiros de 7 e 12 anos). Pelas nossas primeiras análises pensamos em alocar um carro em Lençóis e teríamos dessa forma 6 dias inteiros para curtir a Chapada.
Perguntas:
1) Considerando a melhor logística com criança, vale a pena manter a base em Lençóis ou vale pensar em dividir em hotéis em locais mais próximos às atrações?
2) Como vocês sugerem dividir a agenda, considerando que teríamos 6 dias inteiros para dedicarmos às visitas?
3) Acham que é tranquilo circular com carro alugado pela Chapada? Podemos alugá-lo tranquilamente no aeroporto de Lençóis?
Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalink

Olá, Patricia! Vamos compartilhar sua pergunta no Perguntódromo. Havendo resposta, aparecerá aqui.

Thiago Castro
Thiago CastroPermalink

Oi Patrícia,

Lençóis é a base perfeita para a Chapada. Creio que a maioria das atrações estejam em seu raio. Quando estive em Lençóis, fiquei 3 dias e conheci o morro do Pai Inácio (fiquei pra ver o por do sol e foi lindo!), Cachoeira da Fumaça (trilha por cima), Gruta Lapa Doce, uma caverna que eu esqueci o nome (acho que é Torrinha ou algo assim) e o Poço do Encantado. Além desses, você pode fazer também umas cachoeiras que ficam praticamente dentro de Lençóis. É só se informar, mas é bem tranquilo, vai a pé. Os outros lugares que eu sou louco pra conhecer são Poço Azul e cachoeira do Buracão, mas acho que ficam mais pra baixo.

Como fui fazer o Vale do Pati, não deu pra ficar mais tempo na cidade. Eu sei que lá pros lados de Andaraí tem mais atrações. Entre nos sites das empresas que fazem turismo na Chapada e veja quais são as atrações. Além disso, aqui no VnV tem um miniguia bacana. De qualquer forma, não tem como não curtir o local. Peguei um tempo bom (mesmo indo em fevereiro) e foi fantástico!!!

Thiago Castro
Thiago CastroPermalink

kkkkkkkkkkkkk, agora que eu reparei que esse post é o miniguia da Chapada!!

1) Elenque as atrações que vc quer conhecer. Se informe sobre elas e decida em família o que vcs acham mais legal. Só aí decida se vai dividir as bases. Vai que tudo que vc quer ver está no raio de ação de Lençóis?!

2) Tente separar os passeios geograficamente. Qdo eu fui, fiz a trilha da Cachoeira da Fumaça e na volta passeio no Pai Inácio. Fui na Lapa Doce e Torrinha no mesmo dia (acho). Tipo isso que tem que ver. Como vc está com crianças, talvez queira deixar um dia mais tranquilo no meio (pode fazer as cachoeiras que estão "dentro" de Lençóis por exemplo)

3) Acho que é a melhor maneira de conhecer a região. Se precisar, contrate um guia. A diária dele será muito mais barato que um passeio fechado e vc não fica a mercê de ter passeio ou não. Tem liberdade. Sobre alugar no aeroporto eu não sei.

Patricia Garcia
Patricia GarciaPermalink

Oi Thiago - super obrigada pela pronta resposta adorei smile.
Depois postarei aqui nossas experiências.
Se alguém mais tiver alguma dica é super bem-vinda!!
Um abraço a todos

Jamile
JamilePermalink

Olá Patrícia!!!
Estive na Chapada em Março de 2015 e amei!

Como vc estará com 2 crianças sugiro os seguintes passeios que podem ser feitos no mesmo dia conforme abaixo:
* Poço do Diabo, Gruta da Fumaça, Gruta Pratinha (flutuação), Rio Pratinha e Pôr do Sol no Morro do Pai Inácio.
* Serra das Paridas (desenhos rupestres) e Cachoeira do Mosquito.
* A trilha Serrano (que sai de apé do Centro da Cidade) é muito bonita também, passa pelo Serrano, Poço Halley, Salão de Areias Coloridas, Cachoeira da Primavera, Mirante e Cachoeirinha. Como seus filhotes são aventureiros, acho que eles não terão grandes dificuldades.
* Trilha Ribeirão do Meio: É bem próximo da Cidade e bem divertido, tem um skibunda bem legal e as crianças iriam se divertir.
Se vocês tiverem interesse de ir um pouco mais longe, sugiro irem para Ibicoara onde fica a Cachoeira do Buracão (o lugar mais fascinante da Chapada na minha opinião dentre os lugares que eu conheci). Podem pernoitar em Mucugê (onde fica o Cemitério Bizantino) e no dia seguinte visitarem o Poço Azul e Encantado.

A Cachoeira do Buracão fica bem distante de Lençóis mas vale muito a pena! e os poços azul e encantado ficam no meio do caminho.

Com crianças eu não faria: Cachoeira do Sossego (é muito cansativo já que parte do caminho é feito pelo leito do rio, pulando de pedra em pedra) e também não faria a Cachoeira da Fumaça, eu não fiz mas disseram que é bem cansativa também.

Bom, é isso! Se precisar de alguma ajuda... é sempre um prazer poder ajudar falando de viagens!!! =)

Sergio Vieira
Sergio VieiraPermalink

boa tarde Patrícia. fiz esta viagem em maio com minha esposa. algumas cachoeiras tem um acesso complicado para a criançada, muita subida e mita caminhada. como a cachoeira do mosquito e a da fumaça. mas existem cachoeiras bem próximas ao centro de lençóis e são tranquilas para chegar, como o ribeirão do meio. a gruta da lapa doce é bem bonita e seus filhos vão gostar da aventura. imperdível para a criançada é a lagoa da pratinha, muitos peixes em uma água transparente.
na chapada tudo é longe, por isso planeje bem os passeios e tente juntar 2 ou mais atrações no mesmo dia de passeio, evitando assim o vai e vem.
boa viagem e divirta-se com a criançada.

Patricia
PatriciaPermalink

Obrigada Sérgio - valeu a dica. Todo planejamento é importante quando temos crianças!!

ROSANA SOARES ZOUAIN
ROSANA SOARES ZOUAINPermalink

Oi Patrícia,

fiz esta viagem com meu marido e meu filho de 11 anos em 2013 (na época ele tinha 9). Fechamos um roteiro com a agência Nas Alturas e foi perfeito. Eles nos indicaram este roteiro porque alterna dias de caminhadas mais longas com dias mais tranquilos. Escolhemos a "Rota dos Diamantes" entre outras coisas porque queríamos muito conhecer a cachoeira do Buracão que fica no sul da Chapada. Dê uma olhada no site: http://www.nasalturas.net/categoria/roteiros?aba=31. Já indiquei esta agência para duas amigas que também adoraram. Espero ter ajudado!

Patricia Garcia
Patricia GarciaPermalink

Ótima dica Rosana. Vou dar uma olhada nessa agência. Também fiquei com vontade de conhecer a Cachoeira do Buracão apesar da distância. Vocês ficaram todo o tempo em Lençóis?

frank
frankPermalink

Olá Patrícia,
A chapada é um lugar que não se consegue "cobrir" numa única vez, sobretudo com crianças; Graças a Deus, porque temos que ir lá várias vezes....hehehe
Tenho filho com 5 e 9 e os levo prá lá desde os 3 anos. Como gostam de aventuras, o trabalho então é fazer algo adequado.
Se vc pretende dividir o QG, a sugestão é 3 dias em Lençóis e 3 em Mucugê.
Mucugê e Rio de Contas são as cidades mais charmosas da chapada. Estar lá já é um ganho. No São João parecem um presépio.
Lençóis tem a melhor estrutura, algum agito à noite e vários passeios.
Às vezes combino com minha esposa 1 dia em que saio só (com um guia, claro) para fazer uma trilha "pesada". Saio de madrugada e volto à noite.
Em Mucugê sugiro:
1 - projeto sempre viva e cachoeira do tiburtino logo cedo e daí segue para Igatú;
2 - Cachoeira Buracão em Ibicoara (vc nunca vai se esquecer desse dia);
3 - Fumacinha por cima, trilha tranquila para os maiores. Fiz com guia e filho de 9 anos;
4 - Poço Azul com flutuação (imperdível tbm) mas se prepare porque parte da estrada está péssima, mas vale a pena.
5 - Poço encantado dá também no mesmo dia mas "aquela" imagem mágica só em abril;
Lençois:
Dá para fazer um dia com Fumaça por cima (hard core para o de 7), almoço no Vale do Capão (ou Conceição dos Gatos) e por do sol no Pai Inácio.
Noutro dia, grutas em Ibicoara (torrinha e lapa doce) com Pratinha (essa pode ser a primeira do dia, caso Lençóis esteja cheia). Pode por o Pai Inácio no final desse dia também.
SE for do perfil de vcs, tem um lugar bem legal que ainda não fui mas já me informei bastante, se chama Serra das Paridas.
Em Lençóis ainda tem umas cachoeiras próximas, acessadas mesmo sem guia e de caminhada fácil para todos.
Mucugê/Ibicoara é chapada sul. Com um carro na mão e disposição, dá até para ir a Rio de Contas num bate volta ou pernoite por lá. Tem uma parte de estrada de chão, mas que está muito boa. Passei por lá agora em junho e em boa parte dava para andar 70/80 km/h.
A estrada de chão dá em Jussiape e de lá é asfalto novinho até Rio de Contas. Aí seria uma "amostragem" significativa da chapada.
Uma dica: se vcs forem chegar e sair por Salvador, sugiro ir à Mucugê primeiro e depois Lençóis.
Por motivos óbvios a volta fica mais curta.
Boa sorte e bom proveito

Patricia Garcia
Patricia GarciaPermalink

Olá Frank
Adorei a desculpa de ter que voltar várias vezes kkkk
Vou pensar em dividir a viagem em duas cidades. A dica de começar pela cidade mais longe é uma boa smile
Abraços. Obrigada

Wellington Felinto
Wellington FelintoPermalink

Perfeito Frank!! Saudades da chapada...

BethaNia Villela
BethaNia VillelaPermalink

Ricardo, a Boia me recomendou o Canto das Águas em Lençóis, e aqui estou. Ontem conheci Yasmin, uma flor de pessoa, como o nome já diz. Contei que estou aqui devido à sua indicação e ela mandou bjs e abraços. O hotel é maravilhoso e ela tem uma equipe muito boa. Tudo perfeito e eu assino em baixo da recomendação para hospedagem aqui em Lençóis. É fantástico. Valeu Bóia, valeu Ricardo! Ao final da viagem posso escrever com algumas dicas.

Patricia Garcia
Patricia GarciaPermalink

Que coisa boa ouvir isso. Também acabamos fechando com o Canto das Águas, onde iremos no final de Dezembro, em grande parte pelos ótimos comentários que vimos aqui no site.
Já estamos contando os dias...

Patricia Norberto
Patricia NorbertoPermalink

Adorei o texto e o detalhe dos lugares Parabéns pela explicação
Vou usar na minha viagem

Bethania Villela
Bethania VillelaPermalink

Oi,Patricia Garcia,

Ainda estou em Lençóis. Vou embora amanhã, com dor no coração. Queria poder ficar mais uma semana aqui.
Se quiser mais uma dica muiiiito importante sobre a Chapada, venha procurar o Leivi, na agência Chapada Eco Emotion, na Rua da Baderna, próximo à esquina da Rua das Pedras. Ele está ha 17 anos levando os turistas aos locais mais incríveis da região.
Aqui há uma imensa quantidade de agencias, mas nem todas fazem o que prometem e nossa experiência com a Chapada Eco Emotion foi ótima. Fizemos o roteiro dos Poços Azul e Encantado em um dia, depois fomos dormir em Mucugê, pra ficar mais próximos da Cachoeira do Buracão. Dois passeios imperdíveis e que requerem um bom guia e com muita experiência de estrada e encontrei isso no Leivi, um cara agradável, gente boa e com anos de estrada.
Fica ligada nisso, pois algumas agências botam uns garotos extremamente jovens pra dirigir em estradas brabas, lotadas de buracos e carretas e o nosso guia tirou isso de letra, devido a seus anos de experiência. Chegamos bem e na tranquilidade.
Bom passeio pra vc!!!
Bethania