Dinheiro para viagem: que moeda levar? Quando usar cartões?

Ricardo Freire
por Ricardo Freire

Dinheiro no exterior

Não existe meio de pagamento perfeito no exterior. Todos tem prós e contras.

Levar dinheiro vivo faz você evitar os 6,38% de IOF (o imposto baixa para 1,1%). Mas tem que levar a moeda certa, senão você pode perder bem mais do que isso nas operações de câmbio.

Usar cartão pré-pago (tipo "travel money") é bem mais seguro do que levar dinheiro vivo. Mas você paga 6,38% de IOF.

Tirar da carteira o cartão de crédito é cômodo, seguro e pode render milhas. Mas além dos 6,38% de IOF, você está sujeito à variação cambial: se o real desvalorizar entre o momento da compra e o momento do pagamento da fatura, você tem gastos extras.

Veja as peculiaridades de cada um dos meios de pagamento para montar o seu mix.

Dinheiro no exterior

DINHEIRO VIVO

O IOF de 1,1% é cobrado no momento da compra da moeda.

Para países de moeda forte: leve a moeda do país

Compre dólar para viajar aos Estados Unidos, euro para a zona do euro e libra para o Reino Unido. Parece óbvio, mas com a desvalorização do real tem gente comprando dólar para levar para a Europa só porque está mais barato do que o euro, ou levando euro para o Reino Unido só porque está mais barato do que a libra.

É um erro: do mesmo jeito que o euro vale mais que o dólar no Brasil, também vale mais do que o dólar na Europa, na mesma proporção. Ao trocar o seu dólar por euro na casa de câmbio na Europa, você vai pagar a diferença que achou que estava economizando, e ainda vai perder mais uns 3 a 5% na operação cambial. (Já reparou como o câmbio tem sempre duas cotações, uma mais alta e outra mais baixa? Funciona assim: na hora que a gente compra, paga a cotação mais cara; quando vende, recebe pela cotação mais barata.)

Levar dólar para os Estados Unidos, euro para a zona do euro e libra para a Inglaterra apresenta duas vantagens insuperáveis: você compra no Brasil por uma cotação justa (é alta, mas, acredite, é o que vale) e durante a viagem pode usar o dinheiro diretamente no comércio, sem passar novamente por uma casa de câmbio.

Teoricamente, o mesmo raciocínio valeria para outras moedas fortes, como franco suíço, dólar canadense, dólar australiano, dólar neo-zelandês e yen japonês. Mas muitas dessas moedas são vendidas por uma cotação mais cara do que deveriam; normalmente valem mais a pena no cartão pré-pago do que como dinheiro vivo (provavelmente porque não há muito dinheiro em espécie dessas moedas em estoque por aqui).

Quer saber como determinar se a cotação é justa ou não? Veja a diferença entre as cotações de compra e venda. Se a diferença estiver entre as duas cotações estiver em torno de 10% (pode passar um pouco), a cotação está OK. Se a diferença entre as duas cotações estiver na faixa de 20%, então a moeda aqui está cara demais. Nesse caso, valerá a pena comprar dólar e trocar pela moeda local no país.

Para países de moeda fraca: leve dólar ou euro (ou use cartão!)

Com o dólar alto, muita gente passou a achar que é vantagem comprar peso argentino, peso chileno, peso uruguaio, peso mexicano, peso colombiano, nuevo sol peruano aqui no Brasil. É tudo tão baratinho, não? Custa centavos (o peso chileno custa milésimos de real!).

Ilusão, gente. TODAS (repetindo: TODAS) essas moedas estão supervalorizadas no nosso mercado. Se você for ver a diferença entre as cotações de compra e venda, dá 20%, 30%, chega a 40%! (O dólar e o euro mantêm uma diferença de 10% entre as cotações.) É um mau negócio. Até cotação de casa de câmbio de aeroporto, que normalmente é ruim, consegue ser mais vantajosa do que as cotações dessas moedas aqui no Brasil.

(Exceção à regra: em lugares de fronteira, a cotação da moeda do país vizinho fica vantajosa. Por exemplo: vale a pena comprar pesos argentinos em Foz do Iguaçu. Ou em lugares com colônia argentina, como Búzios e Bombinhas.)

Se você vai para país de moeda fraca, leve dólar ou euro. Do mesmo jeito que dólar e euro valem muito aqui, valem muito também no Peru, no México, na Hungria, na Turquia, na República Tcheca, na África do Sul. Mesmo fazendo duas operações de câmbio (para comprar o dólar ou o euro aqui, e vender no país da viagem), você ainda perde menos dinheiro do que se comprar a moeda fraca aqui.

Quando precisar trocar seu dinheiro, evite as casas de câmbio de aeroportos e próximas a atrações turísticas: essas oferecem as piores cotações. Nos fins de semana também a cotação baixa; troque o estritamente necessário. Na Europa, descubra as agências de banco que têm setor de câmbio; elas oferecem cotações mais vantajosas que as casas de câmbio.

Mas se você não quer esquentar a cabeça e perder tempo de suas férias fazendo cálculos e procurando casas de câmbio com cotações justas, use cartão de crédito. Garanto para você que, na média, por oferecer sempre uma cotação justa, a qualquer hora do dia e em qualquer dia da semana, o cartão pode fazer você perder menos dinheiro do que a troca em casas de câmbio.

Não leve reais. Você vai fugir do dólar alto mas vai encontrar uma baixa cotação do real em praticamente todo lugar, com exceção desses três do próximo tópico (e olhe lá).

Leve reais somente para Buenos Aires, Santiago e Uruguai

O real é pouco valorizado fora do Brasil. Ao levar reais pensando em economizar 6,38% de IOF e driblar a alta do dólar, você pode acabar vendendo sua moeda com um prejuízo de 10 ou 12%, muito maior do que o imposto que quis evitar.

Os únicos lugares onde o real encontra cotação razoável são o Uruguai (Montevidéu, Punta del Este e Colonia del Sacramento), a cidade de Buenos Aires e a cidade de Santiago. Para outros destinos da Argentina ou do Chile, leve dólares.

CARTÃO PRÉ-PAGO / TRAVEL MONEY

O IOF de 6,38% é cobrado da carga ou recarga de moeda. A cotação que vale é a do momento da compra. Não há tarifas para gastos no comércio. Há tarifas para saque em caixa eletrônico (US$ 2,50 por operação, mais as taxas do uso do equipamento, que variam de rede para rede). O cartão pode ser recarregado à distância, por internet banking (em dias úteis, durante o horário de funcionamento do mercado de câmbio no Brasil.)

Faça o cartão na moeda do país

O melhor desempenho do cartão pré-pago é quando a moeda carregada no cartão é corrente no país que você vai visitar. Se o seu cartão pré-pago for carregado com dólar, você não perderá nada ao fazer gastos em dólar nos Estados Unidos. Se o seu cartão pré-pago for carregado com euro, você não perderá nada ao fazer gastos em euro na zona do euro.

Mas se você usar seu cartão pré-pago carregado com dólar num país onde a moeda é o euro, você vai perder de 3 a 5% de conversão cambial. Exatamente como se você pegasse dólares vivos e fosse trocar por euros vivos numa casa de câmbio.

Além do dólar, do euro e da libra esterlina, existem cartões pré-pagos carregáveis em dólar canadense, dólar australiano, dólar neo-zelandês, franco suíço e yen japonês, que podem ser boas alternativas para quem vai viajar para esses países. Se a diferença de cotação de compra e venda estiver próxima, ou ligeiramente acima, de 10%, o cartão vale a pena. Se a diferença estiver em torno de 20%, você vai perder menos se levar cartão em dólar.

País de moeda fraca: tanto faz dólar ou euro

Em país de moeda fraca, é indiferente levar cartão pré-pago em dólar ou em euro. As duas moedas conservam cotações justas no mundo inteiro.

Todos os gastos e saques, porém, ocasionarão uma nova operação cambial, na qual você vai perder de 3 a 5%, como se levasse o dólar ou o euro numa casa de câmbio para trocar pela moeda local. A diferença com relação ao dinheiro vivo é que a cotação será a mesma em qualquer lugar, sem risco de ser engambelado por uma casa de câmbio espertinha, e sem variação entre dia da semana e fim de semana.

Dinheiro no exterior

SAQUE DA CONTA CORRENTE EM CAIXA AUTOMÁTICO

O IOF de 6,38% é cobrado a cada saque; a cotação que vale é a do momento do saque.

Essa costumava ser a minha forma preferida de obter dinheiro no exterior. Basta habilitar a função saque internacional antes de viajar, e dá para tirar moeda local em caixa automático aonde você for.

Porque "costumava" ser a minha forma preferida? Porque ultimamente as tarifas de saque e de uso do equipamento inflacionaram demais. Isso, combinado com o baixo limite de operação de muitas redes, faz com que a cotação final acabe bastante desvantajosa.

É uma opção que vale a pena quando você não paga tarifa de saque ou de uso de equipamento no exterior (alguns bancos internacionais oferecem isso a clientes de contas premium), ou quando consegue sacar acima de US$ 300 de cada vez.

Se você conseguir sacar 250 euros ou 300 dólares (ou o equivalente a isso em países de moeda fraca), vai fazer um bom negócio. Menos do que isso, sacar moeda local no caixa automático será apenas um luxo (e um luxo caro).

Dinheiro no exterior

CARTÃO DE CRÉDITO

O IOF de 6,38% é cobrado a cada gasto. A cotação que vale é a do momento do pagamento da fatura.

Por estimular o descontrole de gastos, o cartão de crédito já é normalmente tido como o vilão das viagens. Em situação de instabilidade cambial (ou terremoto cambial, como estamos vivendo em 2015), então, o cartão de crédito vira o pária dos meios de pagamento no exterior.

Mas veja bem. Um dia -- um dia -- teremos novamente uma moeda estável. E quando esse dia voltar, saiba que o cartão de crédito não é esse bicho-papão todo, não.

A comodidade e a segurança que o cartão de crédito proporciona, na minha opinião, supervalem os 6,38% de IOF. E ainda rendem milhas, que ajudam a compensar a diferença.

A exceção uruguaia

No Uruguai o cartão de crédito barateia a ida a restaurantes: pagamentos em cartão internacional têm direito a 18,5% de desconto do IVA – o que compensa largamente o IOF e o risco de desvalorização. A mamata começou há três anos e tem validade garantida até pelo menos 30 de outubro de 2017.

Leve o seu cartão, mesmo se não for usar

Ainda que usar cartão de crédito não esteja nos seus planos, não esqueça de levar na carteira, devidamente desbloqueado para uso no exterior.

Primeiro, porque um cartão de crédito no bolso é o melhor plano B para qualquer emergência.

E depois, porque um cartão de crédito internacional é indispensável em todas as operações que exijam caução (ou "bloqueio", no jargão do meio). Você não vai conseguir alugar carro sem um cartão, e alguns hotéis também vão fazer um bloqueio preventivo para cobrir diárias e extras.

Sem cartão de crédito você tampouco conseguirá comprar ingressos e tours antecipadamente online.

Leia mais:

637 comentários

Mayara Padilha

Boa noite.

Em março estarei viajando para Amsterdã, Roma, Paris e Londres. A viagem durará 20 dias. Tenho algumas dúvidas. O ideal é levar as Libras já do Brasil (no caso de Londres), certo? Quanto em espécie acha que eu deveria levar? E qual quantia disponível no crédito ou pra sacar, caso seja necessário? Muito obrigada desde já.

Cesar
CesarPermalinkResponder

Olá,

poderíamos colocar aqui as cotações para sabermos quais cartões tem as melhores cotações:

em 24/fev:

BB: 2,93
Santander: 3,05

Mari Rocha
Mari RochaPermalinkResponder

As cotações variam a cada dia. Recomendo pesquisar sempre em cada banco.

Kelly
KellyPermalinkResponder

Olá! No final do texto, fiquei com uma dúvida, quando o Ricardo diz :" Habilito o cartão do banco para saques em moeda local no caixa eletrônico (faço isso já no aeroporto, ao chegar)." .Essa habilitação para saques no caixa eletrônico estrangeiro é diferente da que fiz para uso do cartão no exterior junto ao meu banco? Obrigada.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Kelly! O que o Ricardo Freire quis dizer é que ele já saca o dinheiro no aeroporto, assim que chega. O cartão você deve desbloquear com o seu banco. wink

Giuliano Antonio

Excelente texto. Obrigado.

Erick
ErickPermalinkResponder

Alguém sabe se dá pra usar o cartão Visa Travel Money da Confidence Cambio para comprar online na Amazon?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Erick! Até onde sabemos é bem embaçado usar cartão pré-pago na internet.

Luciana
LucianaPermalinkResponder

Oi Erick,

Na Amazon sempre usamos nosso cartão de débito pré-pago VTM (sim, aquele da Confidence). Mas nos outros sites de compra do exterior eles não costumam aceitar, não.

Graça Caminha

Parabéns e obrigada pelas informações. Vou nesta semana para Montevideo e foi muito útil ler seu texto. Abraços

Vivian
VivianPermalinkResponder

Bem legal esse texto, foi interessante perceber que já procedia da mesma maneira intuitivamente nas minhas viagens: mix de saque, dinheiro vivo e cartão de crédito. O pré-pago nunca usei por não enxergar tanta vantagem assim. Valeu!

Norma Teixeira

Informação muito didática, legal. Mas,sabem informar se os cartões de créditos são aceitos nas cidades : Amsterdam/Bruxelas/Berna/Viena/Budapeste/Praga/Berlim? Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Norma! Sim, são.

Eduardo
EduardoPermalinkResponder

Muito úteis as dicas! O conselho de diversificar é bastante sensato. Principalmente, com os 6,38% para (quase) todas as modalidades.

Mari Rocha
Mari RochaPermalinkResponder

Já usei muito cartão de crédito, mas quando a fatura chegava sempre era aquele susto, já que eles fazem mais de uma conversão. Euro para Dólar e depois Dólar para Real. Do jeito que o dólar está subindo, acho a pior de todas as opções.
Atualmente levo dinheiro mesmo (Dólar ou Euro) claro que tenho o cuidado de não colocar todo o dinheiro na mesma 'cesta', divido o máximo possível em lugares que ladrão não procuraria fácil.
Cartão de viagens (Pré-pago) o custo é um pouco maior que o dinheiro, tem várias empresas idôneas que fazem isso com toda a tranquilidade. Exemplo Banco do Brasil, Confidence etc. Funciona como um cartão telefônico, vc põe o crédito com antecedência, e depois só vai fazendo os débitos. Na hora de fazer a compra é idêntico ao cartão de crédito, pois usa as mesmas bandeiras Mastercard, Visa etc. A única diferença é que o crédito já está lá vc não precisa aguardar nenhuma fatura exorbitante. Para consultar o saldo vc pode ligar, consultar pela internet.
Quanto ao IOF não tem jeito, qualquer modalidade legal você vai ter que pagar.
Quando você paga em cartão de crédito existem lugares que não aceitam e também alguns cobram uma %.

Neto
NetoPermalinkResponder

Excelente tutorial, vai ajudar muita gente. Parabéns pelas dicas.

Vercilia
VerciliaPermalinkResponder

Boa tarde, Pessoas!
Mari! Achei excelente sua ideia, estava confusa, pois não vou levar cartão de crédito internacional.
Pensei até em cancelar a viagem por não ter conseguido o internacional.
Mas neste formato que você colocou, fiquei tranquila, dá pra viajar sem CC Internacional!
Vou habilitar meu CD, também é Itaú e levar o Travel com uma recarga e um pouco de espécie.
Vou passar uma semana em Florença, montei todo meu roteiro com a dias do Ricardo Freire, aliás, quero agradecer, pois sem seus roteiros estaria perdida, rs
Como vou sozinha, fiquei muito preocupada com pagamentos, mas acredito que desta forma, tudo me vai bem!@!@
Obrigada pelas dicas, abraços!@!@

Maria Auxiliadora

Qdo VC diz cartão pré pago eh o trave money???

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Maria Auxiliadora! É sim.

Daniel Conceição

Sempre diversifico, como o Ricardo. E observei que nas minhas últimas viagens o que mais valeu a pena foi sacar dinheiro em caixas eletrônicos lá fora. Tenho dado preferência a isso, mas confesso que não gosto das máquinas gringas, pois elas "engolem" o cartão e depois o "cospem". Morro de medo de, numa dessas, dar um xabu e o cartão ficar preso.

Emilene
EmilenePermalinkResponder

Ahahaha...tenho o mesmo medo!

Renata
RenataPermalinkResponder

Uma alerta: confiram o tipo de dólar utilizado pelo seu banco! Comprei passagens de trem em euros e quando veio a fatura uma supresa desagradavel: a cotação do euro no dia de fechamento da fatura era de 3, 21 (comercial) mas veio 3,53, fora o IOF! Ou seja muito acima do euro turismo tb, ou seja mesmo com toda alta o euro NUNCA chegou a esse valor! E nesse mes, a conversao esta somente, 3,78!!!! Fora o querido IOF. Liguei duas vezes p; a central Bradesco prime do Visa Platinum e falaram de um tal dolar cartao, mas nao sabiam onde eu consegueria mais informações ou cotação, pode? Enfim abri uma reclamação para entender, e tomar as providencias necessarias. Fiquem de olho!!!

bruna karina
bruna karinaPermalinkResponder

Vou fazer um mix entre levar em espécie e no VTM, queria saber qual a diferença do VTM e do Global Travel CARD, os dois tem IOF, certo? Mas tenho alguma vantagem no Global?
O Itau me informou que não vende Euros em espécie, terei que comprar na Confidence, ou em algum outro lugar, qual lugar vcs sugerem pra comprar em espécie? Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Karine! O Global só será aceito em lugares que trabalhem com a bandeira American Express, por isso tende a ser menos aceito que o VTM, aceito em estabelecimentos que trabalham com Visa. Compare as cotações de euro entre os bancos e corretoras que vendam euro e compre do que estiver mais vantajoso no dia da pesquisa.

Jonas
JonasPermalinkResponder

Vou viajar para Paris, e tenho já guardado uma certa quantidade de dólar americano q havia comprado ano passado. Minha duvida é, vale mais a pena trocar por euro aqui no Brasil, ou fazer o câmbio de dolar para euro em Paris mesmo ? Obg desde já.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Jonas! Troque na França para fazer apenas uma operação de câmbio. A cada operação de câmbio a gente perde um pouco.

Ana Paula
Ana PaulaPermalinkResponder

Olá!
Estou indo pra Tailândia no dia 1/4.
Será que sacar dinheiro lá é mais vantajoso do que comprar dólar aqui e fazer outro câmbio lá?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ana Paula! Há um limite para fazer saques de conta corrente (não é igual ao seu saldo).

Ana Paula
Ana PaulaPermalinkResponder

Como faço pra saber esse limite?
Estou com muita dúvida se já levo todo o dólar daqui por causa do IOF.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Ana Paula! Talvez seu gerente saiba. Leve cartão de crédito também para emergências.

Eduardo
EduardoPermalinkResponder

Vou para a Europa. Tenho dólares ( comprei em baixa e não vou usar em 2015/meados 2016 ) ou posso comprar euros ( com valores absurdos ). Qual sua recomendação ?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Eduardo! Vale a pena levar os dólares, claro, e trocar lá.

Eduardo
EduardoPermalinkResponder

Valeu...confirmou minha decisão.

Grato.

Jefferson
JeffersonPermalinkResponder

Olá!
Vou para o México daqui 15 dias.
Comprar Dolar aqui para depois trocar por peso lá, sei que vou perder.
Compensa deixar para trocar reais direto por peso mexicano por lá mesmo?]
Me refiro ao aeroporto em cancun ou aeroporto da cidade do mexico.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Jeferson! Nunca faça câmbio em aeroportos. Ao México, leve dólares. Não há cotação boa para reais no México.

Julio Santos
Julio SantosPermalinkResponder

Tenho uma viagem de 15 dias em Londres + 15 dias pela Europa. Valeria a pena levar somente Euros e trocar os Euros por Libra quando chegar em Londres? O câmbio lá não seria melhor?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Julio! Os parâmetros entre as moedas se mantêm. Evite duas operações de câmbio. Leve euros e libras.

Stofel
StofelPermalinkResponder

Olá, tenho um Visa Travel, já paguei os 6,38% do IOF e estou indo para o México. Dúvida: quando passar o cartão lá (fizer uma compra) serei taxado novamente nos 6,38% do IOF? ou a taxação é somente na carga? Obrigado.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Stofel! Não pagará mais IOF não, Mas perderá entre 3 e 5% na conversão do dólar para o peso na operação cambial.

João Carlos
João CarlosPermalinkResponder

Olá, vou ficar 16 dias em Portugal e 7 dias na itália, vou levar dinheiro em espécie, mas quero levar o travel money mastercard/itau. O problema é que ésse travel money vai estar no nome do meu pai. Vou ter problemas com isso? sou maior de 18 anos. Só irei usar para saques. Para sacar não vou precisar de digital nem assinar, certo? Ou consigo fazer um travel money para dependentes? obrigado pela ajuda e um abraço

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, João Carlos! Para sacar basta a senha.

Gabriel
GabrielPermalinkResponder

Olá
Gostaria de saber se é possível "carregar" o cartão pré-pago já com a moeda local (euro, no meu caso) e, se isso evitaria a taxa de conversão de moeda, que encarece cerca de 3 a 6% cada operação.

Grato

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Gabriel! Se você comprar um pré-pago em euros, sim. Não dá para carregar um pré-pago originalmente configurado para dólar com euro.

Li
LiPermalinkResponder

Ola

E existe pre pago para dolar canadense? Ou precisaremos fazer alguma conversao?

Muito obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Li! Googlando VTM dólar canadense você encontra corretoras que trabalham com a moeda. Confira em http://www.oanda.com/currency/converter/ se a cotação oferecida é justa.

Willy
WillyPermalinkResponder

olá, tenho dólares em espécie e viajo pra Itália. Câmbio aqui pra euros ou levo os dólares? Obrigado

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Willy! Quanto menos operações de câmbio, melhor. No Brasil você precisaria trocar dólares por reais por euros. Na Europa você trocará direto de dólar para euro.

Maria Esther
Maria EstherPermalinkResponder

Sinceramente, prefiro sempre a operação com cartão de crédito por causa das milhas, com as quais compro bilhetes de passagem aérea.

Acho que comparando com os gastos das flutuações cambiais e o valor da passagens aéreas, que também, sofrem reajustes consideráveis em tempos de dolar alto prefiro juntar milhas.

Abraços Fraternos

herika souza
herika souzaPermalinkResponder

Bom dia, estarei viajando para Nova York e gostaria de saber se é vantajoso trocar euros por dólares lá ou aqui mesmo no Brasil?
Abraço.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Herika! Troque lá. No Brasil seriam duas operações de câmbio, de euro para real e de real para dólar.

Tony
TonyPermalinkResponder

Olá Bóia,
E quanto ao valor mínimo para entrada na Europa? Apesar de saber que dificilmente eles perguntam quanto se está levando, você se preocupa em comprovar que tem o mínimo requerido por dia de 60,00 euros?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Tony! Leve extrato de cartão de crédito ou cartão pré-pago. Mas ninguém pede isso, a imigração é tranqüila.

clarinda costa ramos

Muito claro e esclarecedor!

Maria Artuso
Maria ArtusoPermalinkResponder

Olá, Boia,
Você acha vantajoso trocar reais por euros na Itália?
Obrigada

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Maria! Só leve reais para Santiago, Buenos Aires, Bariloche, Montevidéu, Punta del Este, Colonia del Sacramento, Bogotá e Lima. Em qualquer outro lugar não-mencionado nesta lista você vai perder dinheiro ou sequer vai conseguir trocar seus reais.

Maria Artuso
Maria ArtusoPermalinkResponder

Muito obrigada!

Iasmine
IasminePermalinkResponder

Olá, Rick, Olá, Bóia... Participo de um grupo no Facebook e lá o pessoal tá dizendo que é possível realizar compras no débito, a vista, com o cartão do Banco, igual aqui no Brasil... Você sabe sobre isso? Achei interessante... Mas se houver essa possibilidade, pra mim é uma novidade...
Abraço grande!!!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Iasmine! Quem faz isso com cartão múltiplo reclama que compras feitas no débito acabam cobradas no crédito. Funciona melhor com cartões de débito puro.

Sergio
SergioPermalinkResponder

Olá, Boia,
Você acha vantajoso levar o dólar ou trocar reais por peso em Buenos Aires?
Obrigado...

Rodrigo
RodrigoPermalinkResponder

Estou indo para a Austrália mês que vem, e comparando as melhores opções.

Liguei no meu banco agora (Itaú) e me disseram por 2x (confirmei) que a taxa cobrada em saques no cartão de DÉBITO é de R$ 9,00 + 0,38% IOF (ao contrário do 6,38% que consta no post).

Porém todo lugar que consulto na internet (inclusive aqui), diz que é 6,38%...

Alguém sabe dizer com certeza qual o IOF real para saque no débito?

Valeu!

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Rodrigo! Informaram errado.

Ricardo F
Ricardo FPermalinkResponder

Parabéns! Conteúdo enxuto, direto e esclarecedor. Enfim...informação de qualidade!

Juliana
JulianaPermalinkResponder

Consigo trocar minhas libras por dolar na California? É mais negócio fazer isso do que fazer esta troca aqui no Brasil antes da viagem?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Juliana! Como a gente explica em praticamente todas as respostas, a cada operação de câmbio você perde um pouco. Se você trocar no Brasil, você vai perder duas vezes, no câmbio de libra para real e depois de real para dólar. Nos Estados Unidos você vai perder uma vez só, ao trocar de libra para dólar.

Bruno
BrunoPermalinkResponder

Olá,
Fiquei com algumas dúvidas após ler o pos:
1) Qual a vantagem do VTM frente ao saque da conta corrente no exterior, já que se pode sacar em moeda estrangeira no exterior? É o mesmo IOF com uma cotação menor não? Nem o fato de poder ser recarregado à distância é uma vantagem, visto eu poder solicitar para alguém depositar na minha conta tb...
2) Considerando que a cotação do euro não flutue muito, o cartão de crédito é com certeza melhor que o VTM certo? a cotação é menor...
Estou pensando em viajar para Europa em Outubro. Minha meta é levar metade dos gastos em dinheiro e a outra sacar lá com meu cartão do banco, deixando o cartão de crédito apenas se mt necessário...

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Bruno! As desvantagens do saque de conta corrente são o limite baixo (o seu limite não é o saldo na conta; é o limite de saque internacional da sua conta, informe-se com o seu gerente) e as tarifas bancárias (do seu banco e do equipamento que você está usando para sacar). A desvantagem do cartão de crédito é a instabilidade cambial. Apesar das desvantagens, o Ricardo Freire pessoa física e turística prefere esses dois meios de pagamento ao dinheiro vivo e ao cartão pré-pago. Não existe meio de pagamento perfeito. Todos têm desvantagens e cabe a cada viajante escolher os que melhor se encaixam no seu perfil.

Cecilia
CeciliaPermalinkResponder

Muitas dúvidas..viajo agora em setembro para Cartagena. Levo dólares daqui ou compro la?
levo real?
Peso colombiano posso levar daqui?
Grata

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Cecília! Leve dólares.

Dillemba
DillembaPermalinkResponder

Oi, Bóia. Vou precisar comprar cartão de débito pré-pago e o que tem na minha cidade é da Western Union- Mastercard. Sabes me dizer se ele é aceito na França? Obrigada.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Dillemba! O que importa nesses cartões é a "bandeira" -- no caso, MasterCard. Seu cartão será aceito em todos os estabelecimentos e caixas automáticos que operem com MasterCard/Maestro/Cirrus.

Eduardo Araújo

Olá parabéns pelo artigos e pelos comentários daqui. Estão excelentes e bateu muito com o meu pensamento. Só reforço o comentário da tranquilidade, pois é preferível cortar gastos do que ficar no stress de dinheiro. Viajem é pra curtir, relaxar. Acho que a diferença real de 3/4% a mais do cartão de crédito compensa largamente as milhagens ganhas, principalmente quando vc tem um com boa relação de troca das milhagens. Me refiro por exemplo ao Black do Itaú ou outros do tipo, abcs

Gabriel Mercier

Olá. Pretendo fazer um intercâmbio para Irlanda entre abril e junho de 2016, o pacote ja está comprado, agora falta os 3000 euros para abrir a conta lá, só que com a alta (e coloca alta nisso) do euro, está muito difícil de fazer a conversão da moeda de reais para o euro. Vale mais a pena trocar a moeda aqui ou diretamente la na Irlanda ? Agradeço desde já

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Gabriel! Seus reais provavelmente nem serão aceitos na Irlanda. E se forem, valerão muito menos do que na casa de câmbio no Brasil.

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Gabriel! Seus reais provavelmente nem serão aceitos na Irlanda. E se forem, valerão muito menos do que na casa de câmbio no Brasil.

Mauricio
MauricioPermalinkResponder

Usar Travellers Cheques do exterior para compensar no banco aqui no Brasil onde tambem tenho conta pode ? alguma taxa ?
E qual é mais vantajoso trocar Travellers Cheques no Banco do Brasil ou casa de cambio

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Mauricio! Veja quais bancos/instituições aceitam seu traveler no Brasil. Você venderá pela cotação de compra, a mais baixa.

Getter
GetterPermalinkResponder

Boa tarde,parabéns pelo blog(de novo), tenho outra dúvida, como o dolar\euro estão muito caros, compensa eu levar uma quantidade de dolar e trocar por euro em uma casa de cambio na Europa ou trocar aqui mesmo no Brasil?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Getter! Compre euros. A cada troca você perde dinheiro.

Rossana
RossanaPermalinkResponder

Obrigada pelas informações! Que você receba em dobro toda a ajuda dada! Abs

Thiago
ThiagoPermalinkResponder

Olá! Estou com uma duvida que vai acabar me matando... Hahahah
Vou pra República tcheca em Janeiro, e o real não para de cair...
Minha dúvida é: é mais aconselhável trocar o real por euro aqui, depois o euro pelas coroas lá, trocar o real por dólar aqui (é o dólar-coroa lá), ou habilitar o saque lá e trocar o real pelas coroas em banco?

Detalhe: vou pra morar e não viajar. No entuito de perder o mínimo possível, eu levaria tudo em espécie porque afinal, já perderia dinheiro de qualquer forma... :/

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Thiago! Tanto faz dólares ou euros.

Maria Dantas
Maria DantasPermalinkResponder

Olá, viajo na próxima semana para San Andres e como o dólar está muito alto levo real ou troco aqui? ou quando chegar lá troco por peso colombiano?

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Maria! Leve dólares. Não há escapatória para San Andrés.

Jose
JosePermalinkResponder

Ola! Os posts do site são sempre muito bons, parabéns! Sobre o saque com cartão de débito, vejo um outro problema: a nebulosidade das informações. é quase impossível conseguir dados precisos do que será cobrado na hora do saque. Minha pergunta é: No momento do saque, será debitado o valor em reais + IOF + taxa de saque? ou sairá o valor em reais e, depois de alguns dias, o valor do IOF ? Abraço

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, José! Você está falando do uso do cartão de conta corrente para saque internacional, certo?

O valor da taxa de uso do equipamento é somado ao valor do saque e não aparece discriminado isoladamente no extrato.

O valor do saque é convertido para dólar e depois para real pela cotação em vigor do dia do saque.

O IOF de 6,38% e a tarifa do banco são cobrados na seqüência (no meu banco, são cobradas no dia seguinte ao saque).

Caso a sua pergunta se refira a saques com cartão pré-pago, as tarifas de saque e de uso do equipamento são acrescidas ao saque. Não há cobrança de IOF porque você já pagou os 6,38% ao carregar o cartão.

gisele
giselePermalinkResponder

Adorei!!! Obrigada!
Uma duvida, li em alguns blogs que Budapeste e Praga é cobrado 5% de taxa nas casas de cambio, fora a variação de uma casa para outra, que o ideal é fazer saques com cartão ou cartão pre pago. Você sabe se esta informação é valida? Boia voce concorda? Se sim qual dos dois acha a melhor opção?
Obrigada.....

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Gisele! Você perderá das duas maneiras. Tanto o pré-pago quanto dinheiro vivo sofrerão deságio na conversão. O cartão de crédito costuma usar taxas interbancárias, mas não protege contra a variação do real.

Lopes
LopesPermalinkResponder

Quantos euros por mil dólares americanos na Europa namoro? ?????

A Bóia
A BóiaPermalinkResponder

Olá, Lopes! Pela cotação interbancária, você conseguiria 900 euros com 1.000 dólares. Em casas de câmbio, porém, você sempre vai receber menos do que isso. Se conseguir 850 euros, dê-se por satisfeito.

Atenção: Os comentários são moderados. Relatos e opiniões serão publicados. Perguntas serão selecionadas para publicação e resposta. Entenda os critérios clicando aqui.
Bóia de férias. Só voltaremos a responder perguntas que forem postadas a partir de 3 de junho. Relatos e opinões continuarão sendo publicados.
Cancelar